Home Aviação de Caça Caças F/A-18 Hornet da Finlândia treinam com Mirages 2000 franceses

Caças F/A-18 Hornet da Finlândia treinam com Mirages 2000 franceses

3867
20

A cooperação internacional aprimora a capacidade de defesa da Finlândia e faz parte das atividades diárias da Força Aérea

Em 15 de julho de 2020, a Força Aérea Finlandesa realizou treinamento de combate aéreo com o destacamento Mirage 2000-5F da Força Aérea Francesa implantado na Base Aérea de Ämari, na Estônia. Quatro caças finlandeses F/A-18 Hornet e quatro Mirages franceses participaram da missão de treinamento, que foi realizada na Finlândia a oeste e noroeste de Kuopio.

Conhecidas como Eventos de Treinamento Suecos Finlandeses (FSTE – Finnish Swedish Training Events), as missões de treinamento de combate aéreo são uma forma estabelecida de cooperação entre a Força Aérea Finlandesa, a Força Aérea Sueca e os destacamentos da OTAN no Báltico. O conceito das missões FSTE, realizadas desde 2015, é semelhante à cooperação de Treinamento Transfronteiriço (CBT) entre as Forças Aéreas Finlandesas, Suecas e Norueguesas no Norte. As missões FSTE são realizadas mensalmente. Normalmente, a Força Aérea Finlandesa participa com 2-8 caças  F/A-18 ou 2‒4 treinadores Hawk.

– O principal objetivo das missões FSTE é treinar nossos pilotos F/A-18 em cenários de combate aéreo com diferentes tipos de aeronaves. Planejar e executar as missões fornece aos nossos pilotos e controladores de caças uma valiosa experiência em cooperação internacional. Voamos nas missões FSTE como parte de nossas operações diárias de voo, para obter os benefícios do treinamento sem custos adicionais, diz o tenente-coronel Inka Niskanen, comandante do esquadrão de caça 31 do Karelia Air Command.

Voadas no espaço aéreo finlandês, sueco e internacional, as missões FSTE fazem parte do plano internacional de treinamento e exercício das Forças de Defesa Finlandesas 2020, aprovado pelo Ministério da Defesa. A última vez que a Força Aérea Finlandesa treinou com o destacamento francês Mirage 2000-5F foi em 6 de maio.

FONTE: Força Aérea Finlandesa

Subscribe
Notify of
guest
20 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fabio Araujo
Fabio Araujo
3 meses atrás

Qual a versão destes F-18 finlandeses? São das primeiras versões que estão começando a serem trocadas no mundo inteiro ou são mais recentes e aguentam mais um tempo sem pensar em troca?

Flanker
Flanker
Reply to  Fabio Araujo
3 meses atrás

F/A-18C e D

Kleber Peters
Kleber Peters
Reply to  Fabio Araujo
3 meses atrás

São F-18C/D Classic Hornet. Ainda dão um caldo.

julio
julio
Reply to  Kleber Peters
3 meses atrás

Não seria o F18 A/B o Classic Hornet e o F 18 C/B Legacy Hornet…..

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Kleber Peters
3 meses atrás

Uma dúzia deles cairiam com luva na MB. Mas decidiram ir de A-4.

Last edited 3 meses atrás by Joao Moita Jr
Heli
Heli
Reply to  Joao Moita Jr
3 meses atrás

Seriam uma boa sim, mas vale lembrar que nem todo F18 vem pronto pra operar em NAEs, os do Canadá, por exemplo, não podem.

2Hard4U
2Hard4U
Reply to  Heli
3 meses atrás

Não vejo o impedimento visto que no momento não temos NAE e nem qualquer projeto para obtenção de um substituto.

Flanker
Flanker
Reply to  Joao Moita Jr
3 meses atrás

Quando a MB “decidiu ir de A-4”, em 1998, o Brasil possuía somente o NAeL Minas Gerais, que poderia operar no limite de suas capacidades com o A-4. Dois anos depois, quando adquiriu o NAe São Paulo, ex-Foch, o A-4 passou a poder operar com mais folga, entretanto, esse navio possuiria limitações se a MB quisesse operar aeronaves maiores, como o citado F/A-18. Esses aviões poderiam ser lançados e recolhidos, mas sem poder operar em seu limite de peso de decolagem e de pouso. Então, entenda -se que quando a MB optou por operar aeronaves de asas ficar, era no… Read more »

Last edited 3 meses atrás by Flanker
Adriano RA
Adriano RA
3 meses atrás

O Mirage 2000 tem uma boa lista de operadores. Esse 2000-5F é páreo duro para os F-18C finlandeses. O resultado do exercício vai depender é da qualidade dos pilotos e das regras de engajamento, que eventualmente podem favorecer um deles.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
3 meses atrás

Até o aparecimento do F-16C, não existia a possibilidade de usar o Sparrow. Então se seus vizinhos possuíam o MiG-23 ou pior, o MiG-29, era inquietante a perspectiva de tomar um míssil BVR na cara antes de começar o dogfight. As opções eram então o F-18 e o Mirage 2000, e isso foi que levou alguns a optarem por estes tipos. Outra coisa é a posição da tomada de ar do Viper, coisa que limita sobremaneira as opções de bases capazes de receber a aeronave. No fim, nenhuma aeronave é perfeita. O que pode não ser um problema para alguns… Read more »

Jorge madureira
Jorge madureira
3 meses atrás

Raios, estou confuso, todos estes treinos são para quê??? Estão á espera de ataques de quem??? Só se for dos EUA, porque a Rússia nunca ameaçou ou chantageou ninguem. Se for para se defender da Rússia andam a gastar gasolina, mas se for contra os EUA, a aí sim, têm que estar preparados.

João Adaime
João Adaime
Reply to  Jorge madureira
3 meses atrás

Prezado Jorge Madureira
A indústria de “defesa”, eufemismo para “bélica”, precisa que o mundo viva assombrado com um possível perigo que, sabe-se lá, de onde virá. Só assim para que os países gastem o que têm e o que não têm para se sentirem “seguros”. E esta indústria é apoiada por seus governos.
Repare que nas regiões onde só há pobreza, como América Latina e África abaixo do Saara, não há alertas de perigos iminentes. Ninguém presta atenção para este pedaço do mundo onde há pouco dinheiro para gastos militares expressivos.
Abraço

pangloss
pangloss
Reply to  Jorge madureira
3 meses atrás

Jorge Madureira, a Ucrânia deve ter opinião bem diferente da sua sobre a índole pacífica dos russos.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  pangloss
3 meses atrás

Pura verdade, e não é de hoje. As feridas deixadas no holocausto
Ucraniano da década de 30 do século passado ainda sangram.

Sempre bom lembrar que em muito lugares da Ucrania a Wermatch (1941) foi recebida com flores pela oprimida população Ucraniana (o dócil Stalin não era flor que se cheire).

Last edited 3 meses atrás by Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  pangloss
3 meses atrás

Não esquecer da Tchechenia…

Arariboia
Arariboia
Reply to  Ricardo Bigliazzi
3 meses atrás

Falar é fácil… veremos quando algum estado do Brasil pedir independência! Ou for patrocinado pra isso como uma AM ou parte.
Ainda mais com o tipo de islamismo que ira ser implantada lá. Cu dos outros é refresco!

Antes que venha em falar de islamismo os terra planistas do Olavo… É bom saber que o islamismo é a segunda maior religião russa e presente em todos os níveis do poder russo. Como pode um governo que tem Cristãos, Judeus e Muçulmanos no centro do poder politico e financeiro.

Olavetes tem Bugs

SU-30MKM VS F-18C narrado pelo piloto do F-18

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Jorge madureira
3 meses atrás

Caro Jorge,

Eles treinam como nós treinamos por aqui também. Treinamos para lutar contra a Venezuela??? Claro que não, treinamos porque não basta ter o avião, tem que saber utilizá-lo da forma mais eficiente e para isso só com treino.

Faça uma analogia com um time de futebol profissional. Basta entrar e jogar a cada duas vezes por semana ou é necessário uma carga de treinamento entre os jogos para que a performance seja a melhor possível?

Lucianno
Lucianno
3 meses atrás

O poder político americano derrotou o M2000. Quem opera F-16 e M2000 em patamares tecnológicos semelhantes como a Grécia atesta que o M2000 é superior ao F-16.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
3 meses atrás

Roberto, o teu avatar é o rondel da Legião Condor que lutou na Espanha?

Tiger 777
Tiger 777
3 meses atrás

A Finlândia é um país de guerreiros, que deram uma surra na Rússia em 1939.
Difícil invadir um país, onde as crianças e mulheres são treinadas desde cedo a atirar.
É um local que tão cedo a Rússia irá querer se envolver em uma guerra.