sexta-feira, fevereiro 26, 2021

Gripen para o Brasil

Visiona anuncia retomada dos serviços de sensoriamento remoto

Destaques

Defesa aérea da Sérvia atingiu outro F-117 durante a Operation Allied Force

A história de como um jato de ataque stealth F-117 Nighthawk da Força Aérea dos Estados Unidos foi abatido...

HENSOLDT: Sistemas antidrone e de proteção de áreas críticas e estratégicas

Nos últimos anos, a venda de drones cresceu muito no mundo. Esses objetos voadores, cada vez mais comuns em...

FAB coordena Operação Escudo Antiaéreo

Operação aconteceu de forma conjunta entre a Marinha do Brasil, o Exército Brasileiro e a Força Aérea Brasileira No período...
Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Exemplo de produtos derivados do radar de abertura sintética interferométrico (InSAR) nas bandas X e P
Exemplo de produtos derivados do radar de abertura sintética interferométrico (InSAR) nas bandas X e P

A Visiona Tecnologia Espacial, joint-venture entre a Embraer Defesa & Segurança e a Telebras, empresa voltada para a integração de sistemas espaciais e serviços em sensoriamento remoto e telecomunicações via satélite, iniciou a operação do serviço de sensoriamento remoto por radar de abertura sintética interferométrico (InSAR), aerotransportado, nas bandas X e P.

Regiões com densa cobertura florestal e persistência de presença de nuvens, como ocorre em várias áreas do território nacional, sempre foram obstáculos para atividades de mapeamento com sensores ópticos. Para superar esses desafios para a obtenção de imagens com alta precisão e detalhe, foi desenvolvido o radar de abertura sintética interferométrico nas bandas X e P, que tem como principais características coletar dados de diferentes regiões, com características de relevo e cobertura florestal das mais variadas, através das nuvens e chuvas, registrando a informação da superfície com o radar em banda X e do terreno sob a vegetação com a banda P.

As principais aplicações dessa tecnologia são: mapeamento cartográfico e temático, monitoramento de áreas desmatadas, áreas inundadas, áreas com processos erosivos, estimativa de biomassa, operações de busca e salvamento, vigilância terrestre e marítima, controle de fronteiras, entre outras.

Ortoimagem Banda X (cores sintéticas) com 50 cm de resolução espacial
Ortoimagem Banda X (cores sintéticas) com 50 cm de resolução espacial

Ortoimagem Banda X com 50 cm de resolução espacial
Ortoimagem Banda X com 50 cm de resolução espacial

Para operações de monitoramento, por exemplo, a tecnologia InSAR nas bandas X e P proporciona análises mais críticas do terreno, capturando informações da superfície (banda X) e também do terreno sob a floresta (banda P). Com isso, é possível obter informações das áreas inundadas abaixo da floresta, ou vegetação densa, fundamentais para hidrelétricas no que diz respeito a gestão territorial, ambiental e prevenção de riscos e contenção de danos.

Outro fator importante é a alta resolução espacial das imagens coletadas pelo radar nas bandas X e P, com resolução espacial de até 50 cm, que torna factível identificar até mesmo o desmatamento seletivo, nas quais árvores individuais são removidas no interior da floresta.

Além disso, graças à capacidade da banda P de atravessar a vegetação, é possível detectar construções, veículos e trilhas escondidos sob a floresta, inclusive cortes do sub-bosque.

Sobre a Visiona Tecnologia Espacial

A Visiona é uma joint-venture entre a Embraer Defesa & Segurança e a Telebras voltada para a integração de sistemas espaciais. Criada em 2012 para atender os objetivos do Programa Nacional de Atividades Espaciais (PNAE) e do Programa Estratégico de Sistemas Espaciais (PESE). A empresa foi a responsável pelo programa do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas, o SGDC, lançado em 2017.

Em 2018 a empresa concluiu com êxito o desenvolvimento do primeiro Sistema de Controle de Atitude e Órbita (AOCS, na sigla em inglês) de satélites responsável pelas funções de navegação, apontamento e controle do satélite. O próximo passo da empresa é validar esse sistema no VCUB1, primeiro nanossatélite projetado integralmente pela indústria nacional.

DIVULGAÇÃO: Embraer

- Advertisement -

4 Comments

Subscribe
Notify of
guest
4 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fabio Araujo

Só falta o de vigilância militar com uma precisão bem maior.

MMerlin

O projeto já existe, deve estar nos finalmentes, tem como responsável a FAB e se chama Carnopis-1.

Thiago

Ola , bom dia pessoal do aereo. Penso seja um rescurso extremamente valioso para monitoras e prevenir tragédias como o vazamento de óleo de 2019 . Só uma dúvida de leigo : “abertura sintética interferométrico (InSAR), aerotransportado, nas bandas X e P”
Qual seria a aeronave ?

nonato

E quem fabricou o radar?

- Advertisement -

Combates Aéreos

FAB desenvolve ambiente de simulação de cenários operacionais

O Ambiente de Simulação Aeroespacial (ASA) objetiva identificar, descrever, modelar e avaliar capacidades e missões operacionais O Instituto de Estudos...
- Advertisement -
- Advertisement -