sexta-feira, setembro 17, 2021

Gripen para o Brasil

USAF quer operar drones Skyborg com caças F-22 a partir de 2023

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Segundo a Aviation Week, no ano fiscal de 2023, a Força Aérea dos EUA espera entregar as primeiras versões operacionais de um novo sistema de aeronaves não tripuladas chamado Skyborg.

Espera-se que a família de aeronaves Skyborg preencha uma categoria emergente chamada de “atritável”. À medida que as aeronaves são desenvolvidas, o Skyborg também servirá como caso de teste de uma mudança radical na filosofia de aquisição, com ecossistemas de codificadores de software colaborativos e fabricantes de aeronaves substituindo a abordagem tradicional por uma cadeia de suprimentos definida por um único contratado principal.

A partir do ano fiscal de 2023, um conceito de operações para a formação de quatro caças F-22 da Lockheed Martin incluirá Skyborgs como parte do carregamento da aeronave tripulada.

O Skyborg é frequentemente apresentado como epítome do conceito de “loyal wingman”, no qual um ou vários drones são controlados ou gerenciados por uma aeronave tripulada para executar uma variedade de tarefas de vigilância, suporte e ataque durante uma missão.

Mas a aeronave também poderá operar independentemente de uma aeronave tripulada, com a capacidade de lançamento e recuperação centenas desses sistemas sem a necessidade de pistas ou mesmo bases.

- Advertisement -

25 Comments

Subscribe
Notify of
guest
25 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Carvalho2008

É o Bagageiro do F-22 e F-35?

Doug385

E o para-choque também, caso necessário.

Washington Menezes

A orquinha 2 ¨A missão¨ e tchau furtividade.

Carlos Campos

toma teu remédio antes de comentar

Corcel

Não entendeu nada.

Sérgio Luís

Ñ vi no texto nenhuma citação sobre o f-35 natimorto!

Templario tuga

So mostra que os Americanos não estão a dormir como os Chineses e os Russos pensam ..depois eles copiam…

MestreD'Avis

Multiplicador de forças.
Voa autónomo, carrega 2/4 misseis para bem mais perto do alvo e tem esse alvo designado pelo F-22/F-35 que não precisam de se aproximar a distâncias que possam comprometer a furtividade.

Sérgio Luís

Que F-35?????
Onde no texto há alguma citação?????

JuggerBR

Drones com desempenho parecido aos aviões tripulados, voando em formação ou não, cada um com funções diferentes, como radar, reconhecimento, plataforma de mísseis, etc?

Jefferson Ferreira

É a Verônica do f35…

Fabio Araujo

No começo da ação manda um grupo desse junto com os F-22 e F-35 que vão logo atrás para fazer um estrago na defesa inimiga e assim abrir uma janela para ação dos outros meios não furtivos.

Ricardo Bigliazzi

Toca copiar…

nonato

Por isso, não deveriam divulgar…

Andre

Se divulgaram é porque já têm outro projeto no forno e quando conseguirem copiar já vai ser tarde.

Veja o tempo que demoraram para copiar a tecnologia stealth. Mesmo depois de 30 anos, apenas a China conseguiu e a Rússia segue no quase.

Luiz Antonio

Para quem acha que a furtividade será comprometida. sugiro compartilhar informações que não temos. Não sei o que “comentaristas” altamente especializados estão fazendo aqui. Sugiro mandar os currículos para a DARPA.

Valdir Alves

Daí surge o Exterminador do Futuro.

Hcosta

Skynet fazia mais sentido. Mas Sky BORG também não sugere um futuro muito pacífico.

nonato

Com todo respeito aos editores, já que a matéria se baseou em outro canal, ficaram muitas lacunas de informação sobre esse Skyborg. Mesmo com o vídeo de divulgação. A não ser que seja apenas um conceito genérico. Não se explicou a função desses aparelhos. Claro que se fala em arquitetura aberta, multimissao, ambiente contestado etc. Mas qual a função? Depósito de mísseis? Falo isso porque não seria mais fácil disparar mísseis de cruzeiro em vez de levar mísseis bem próximo ao alvo, como um colega sugeriu? Esses aparelhos seriam transportados pelo F 22? Teriam a mesma velocidade? Seriam mais furtivos… Read more »

Luiz Antonio

nonato,
Na condição apenas de aficionado pelo tema, entendo que esse meio, tem como finalidade principal, diminuir drasticamente a exposição direta de recursos humanos em combate e agregando eficácia no que se refere à letalidade das ações e minimização de custos de perdas.Quanto à arquitetura do sistema de armas, da qual a aeronave faz parte, creio que ainda levará muito tempo para serem divulgadas, mesmo em doses controladas, pelo menos até seu emprego em condições reais. É aquela história bem conhecida: Quando pensamos que “poderia”, já foi.

Hcosta

Acho que o esquema (layered effects) representa as principais funções do que se pretende. Um elo de ligação/apoio entre os activos mais vulneráveis e os F22.
A questão da velocidade é irrelevante.
Eles ficam em stand-by se os F22 precisarem de munições ou drones suicidas ou como plataforma de ISR.

Last edited 1 ano atrás by Hcosta
Luiz Antonio

Nada é por acaso. Tem a cara do X-37B. Será que vai operar na órbita e quando solicitado, descer para o “play”?

carvalho2008

É um bagageiro do F-22 e F-35, pois estes tem limitação de transporte de misseis no modo stealth. Então, este drone leva os misseis complementares e necessarios a batalha.

Carlos Campos

é mais que um bagageiro

Sérgio Luís

Que f-35 que nada!!!

Últimas Notícias

GOL e Worldpay from FIS anunciam parceria para processar pagamentos de passagens online em 38 mercados internacionais

Por meio da tecnologia e do alcance da global Worldpay from FIS, a GOL potencializa a experiência dos Clientes,...
- Advertisement -
- Advertisement -