Home Espaço China oferece sistema de navegação por satélite BeiDou a países árabes

China oferece sistema de navegação por satélite BeiDou a países árabes

2169
33

PEQUIM — No dia 6 de julho, foi realizada a 9ª Reunião Ministerial do Fórum de Cooperação China-Estados Árabes por vídeo-link.

“O Sistema de Navegação por Satélite BeiDou (BDS) é a primeira infraestrutura espacial da China a fornecer serviços públicos para o mundo. Durante o desenvolvimento do sistema BeiDou-3, sempre mantemos nossos amigos árabes em mente”, Wang Zhaoyao, Presidente da China Comitê de Navegação por Satélite, a repórteres. “Hoje, uma ‘Rota da Seda Espacial’ China-Árabe está em formação. O BDS deve promover a cooperação entre a China e os países árabes a um nível mais alto.”

Em janeiro de 2016, a China assinou um memorando de entendimento sobre cooperação em termos de desenvolvimento do BDS com a Arábia Saudita, a Organização Árabe de Tecnologias de Informação e Comunicação (AICTO) e a Academia Árabe de Ciência, Tecnologia e Transporte Marítimo (AASTMT) para estabelecer um mecanismo de cooperação formal; em maio de 2017, foi realizado o primeiro Fórum de Cooperação BDS entre China e Estados Árabes para criar um fórum de cooperação de alto nível entre China e Estados Árabes em navegação por satélite; em abril de 2018, foi inaugurado na Tunísia o primeiro Centro BDS/GNSS China-Estados Árabes, servindo como uma plataforma aberta para a cooperação China-Árabe em navegação por satélite; em dezembro de 2018, a China otimizou seu plano de lançamento de satélites para fornecer serviços privilegiados aos países da BRI (Belt and Road Initiative), incluindo os países árabes, dois anos antes do previsto; em abril de 2019, foi realizado o segundo Fórum de Cooperação BDS entre China e Estados Árabes, marcando um mecanismo de longo prazo para o fórum desenvolvido; em setembro de 2019, a China e o Iraque assinaram um memorando de entendimento para cooperar na expansão do BeiDou, refletindo claramente uma cooperação abrangente na aplicação do BDS.

Wang Zhaoyao disse que a cooperação entre a China e os países árabes não deve permanecer no campo econômico e comercial. A China está disposta a compartilhar conquistas tecnológicas com os países árabes no campo da alta tecnologia e está pronta para fortalecer sua cooperação técnica e intercâmbio no campo da navegação por satélite com os países árabes por meio de várias maneiras de pesquisa e desenvolvimento conjuntos, colaboração industrial, educação e treinamento, alcançar progresso coletivo.

Nos últimos 20 anos, desde o lançamento bem-sucedido do primeiro satélite experimental BeiDou-1A em outubro de 2000 até a implantação do último satélite de rede global do sistema de satélite de navegação BeiDou-3 em junho de 2020, a China lançou sucessivamente quatro satélites experimentais BeiDou e 55 satélites da rede BeiDou-2 e BeiDou-3 em órbita.

Atualmente, o BDS foi aplicado em mais da metade dos países e regiões do mundo. Soluções baseadas no sistema de confirmação de direitos à terra, agricultura precisa, construção digital, serviço de temporização nos aeroportos, monitoramento e gerenciamento de veículos e navios e gerenciamento inteligente de portos foram aplicados com sucesso em países da ASEAN, Sul da Ásia, Leste Europeu, Ásia ocidental, África, etc.

Aprende-se que a precisão do posicionamento global do BDS atual é superior a 5m e também pode fornecer serviços de alta precisão e alta integridade aos usuários com posicionamento em tempo real em metros, decímetros e centímetros. Além dos serviços básicos de navegação e cronometragem, o BDS também pode fornecer diversos serviços, incluindo aumento da precisão por satélite, precisão em terra, comunicação por mensagens curtas, busca e salvamento internacionais e posicionamento preciso dos pontos.

“As três diferentes constelações mistas em órbitas, únicas do BDS, integraram a órbita da Terra Média (MEO), a órbita geossíncrona inclinada (IGSO) e a órbita geoestacionária (GEO) com maior precisão dos sinais de serviço e mais fortes capacidades anti-blindagem”. Wang Zhaoyao disse, acrescentando que o BDS é uma abordagem chinesa que contribui para o mundo.

FONTE: China Militar Online

Subscribe
Notify of
guest
33 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Gabriel BR
Gabriel BR
4 meses atrás

Penso que a Arabia Saudita poderia se beneficiar desse sistema. Lembrando que a força estratégica de misseis do Reino é composta por misseis e sistemas chineses.

Denis
Denis
Reply to  Gabriel BR
4 meses atrás

Arábia Saudita? E a parceria deles com o Tio Sam?

Gabriel BR
Gabriel BR
4 meses atrás

Outro país que poderia se beneficiar é o Brasil.

Junior
Junior
Reply to  Gabriel BR
4 meses atrás

O Brasil eu não sei, mas os sauditas com certeza, como você mesmo lembrou os misseis balísticos Sauditas são de origem chinesa, e os americanos jamais abririam o GPS militar deles para os sauditas utilizarem tais misseis.

Gabriel
Gabriel
4 meses atrás

Muito boa a iniciativa da China.

Será interessante observar como será conduzida a manutenção do Sistema, no passar dos anos, pois para manter “sozinho” tão complexa infraestrutura não será nada “barato”.

Outro detalhe é se a atual (e perfeitamente compreensível) falta de “confiabilidade do Sistema” não irá impedir, pelo menos no curto prazo, de “parceiros” migrarem para o BDS em substituição, por exemplo, ao GPS.

Como comparação, temos a União Europeia com Sistema Galileo, que apesar de todo investimento, ainda apresenta dificuldades para ser uma alternativa ao GPS.

Contudo, será interessante observar como a China vai conduzir a questão.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Gabriel
4 meses atrás

Migrarem totalmente não é interessante, o ideal é outros sistemas backup’s.

Augusto L
Augusto L
Reply to  Gabriel
4 meses atrás

Eu acho q nenhum sistema é uma alternativa a outro.

Se complementam. Tanto o GPS, o Galilei, BeiDou e o Russos q n lembro o nome

Antônio Palhares
Antônio Palhares
Reply to  Augusto L
4 meses atrás

O Russo é o GLONASS

Fabio Araujo
Fabio Araujo
4 meses atrás

Quanto mais sistema você puder usar melhor, evita que alguma interferência que lhe deixe na mão.

Mattos
Mattos
Reply to  Fabio Araujo
4 meses atrás

Os equipamento americanos não são compativeis com os do russos e chineses.

Karl Bonfim
Karl Bonfim
4 meses atrás

Não precisa necessariamente usar esse sistema chinês, mas só a concorrência vai ser “benéfica”, o Tio Sam agora vai ter concorrente pro GPS!

Junior
Junior
Reply to  Karl Bonfim
4 meses atrás

Os americanos já tem concorrência há bastante tempo, existem 6 sistemas de navegação no mundo, 4 deles são globais ( GPS, GLONASS, BEIDOU E GALILEU) e dois são regionais ( sistema Indiano e sistema Japonês)

Antoniokings
Antoniokings
4 meses atrás

Relaxa!
As ‘coisas’ não são tão tuins assim.

Antoniokings
Antoniokings
4 meses atrás

A China está ‘amarrando’ tudo direitinho.
Estão considerando bastante as interações tecnológicas e econômicas na esteira da Iniciativa Belt & Road.
É assim que se faz. .

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Antoniokings
4 meses atrás

Kings tudo vai bem no entanto as variáveis politicas não são uma ciência exatas, tem problemas em alguns lugares onde o Belt e Road esta pensado.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Nilton L Junior
4 meses atrás

Na hora, o dinheiro fala mais alto.
Tanto é verdade que os chineses estão operando, ou vão operar, portos no Irã, em Israel, na Europa, Brasil e, se não me engano, até nos EUA.

LeoL
LeoL
Reply to  Antoniokings
4 meses atrás

Iniciativa já fadada ao fracasso, vários países cancelando projetos por perceberem que se tratava na verdade um instrumento de domínio econômico e subjugação aos chineses. Obras faraônicas sem utilidade construídas levando em consideração apenas interesses chineses e não o da população local e governos endividados sem poder pagar.

Thiago
Thiago
Reply to  LeoL
4 meses atrás

Um dos maiores e mais importantes portos europeus já é chines, o Porto de Piraeus. A base de Djibouti ja é operativa . Outras duas operações revolucionárias e importantes na estratégia chines sera o escoamento de suas mercadorias e atividades militares através do Paquistão( Gwadar) e Myanmar/ Birmânia (Kyaukphyu e Yangon). Esses 2 são importantes para evitar os chokepoints ( pontos de estrangulamento na estratégia militar marítimas – a potência marítima por excelência são os EUA, e temos que admitir em plena e serena honestidade , dominam os mares e seus pontos cruciais) presentes nos mares da china meridional e… Read more »

Screenshot_20200630-185849_Samsung capture.jpg
JuggerBR
JuggerBR
4 meses atrás

Complicado ver essas noticias de desenvolvimento tecnológico de ponta, enquanto aqui tudo é tão atrasado, e quem tenta fazer diferente tem zero apoio, quando não é atrapalhado até desistir.

Joanderson
Joanderson
4 meses atrás

Qual sistema de navegação tá mais avançado o Glonas da Rússia ou esse Beidou chinês ?
Alguém pode me responder ?

Thiago
Thiago
Reply to  Joanderson
4 meses atrás

Também não tenho conhecimento técnico suficiente para afirmar quais satélites tem melhor desempenho. Mas em chutometro, baseado pela experiência russa ( soviética) , a potência que até hoje lançou mais satélites em órbita ( mais de 3500 ) diria que a Rússia tem uma vantagem de know-how e numérica evidente.

Thiago
Thiago
Reply to  Joanderson
4 meses atrás

E o Glonass é operativo bem antes do seu rival chinês.

Marcelo Bardo
Marcelo Bardo
4 meses atrás

Lembrei da praga virtual Baidu kkkkkkk

Nilton L Junior
Nilton L Junior
4 meses atrás

Os Chineses sabem fazer negócio quero ver se os Árabes sabem como negociar, tipo compartilhamos a tecnologia, auxiliamos na implantação da estrutura e quanto ao suporte a gente conversa.

leonidas
leonidas
Reply to  Nilton L Junior
4 meses atrás

Os árabes farão o que sempre fizeram com os russos, entram com a vassalagem…

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  leonidas
4 meses atrás

Negócio é negócio, estado tem interesse não tem compromisso moral.

leonidas
leonidas
4 meses atrás

Concordo, qualquer pais que tenha cuidado com sua soberania deve se preocupar com qualquer potência, mas com a China em especial…rs

Thiago
Thiago
4 meses atrás

Mas isso os os amis do Norte já fazem, então a preocupação em relação esse risco é já conhecida .

Mattos
Mattos
4 meses atrás

China? Vai chover caco de satelite.

Mattos
Mattos
4 meses atrás

As aeronaves utilizam o americano GNSS e não são compatíveis com os chineses e russos da GLONASS. Esquecem os chinas no Brasil.

100nick-Elâ
100nick-Elâ
4 meses atrás

A integração BeiDou e Glonass é uma realidade. Chorem na cama. É quentinho.

Jmgboston
Jmgboston
4 meses atrás

Eu não sei qual é o sistema de GPS mais avançado atualmente. So sei que no Brasil o sistema americano funciona muito bem, dentro do States melhor ainda e se eu morasse no Brasil não conseguiria ver motivos para trocar. Precisão de metros para navegação em carros não tem a menor relevância.

Mgtow
Mgtow
4 meses atrás

Esses delirantes do terraplanismo são hilarios com essas conspirações chifrins deles…kkkk