segunda-feira, junho 14, 2021

Gripen para o Brasil

Dein Bomber, Kommandant!

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

B-17 ‘Miss Nonalee II’ na secreta unidade KG 200 da Luftwaffe

Por Guilherme Poggio

Em abril (ou outubro, dependendo da fonte) de 1943 a fortaleza voadora B-17 “Miss Nonalee II” (42-30336) do 385th Bomb Group tentou chegar na neutra Suécia após problemas de motor quando rumava para o seu alvo em Anklan. No entanto, o piloto pousou por engano perto de Varde (Dinamarca).

A aeronave foi capturada por tropas alemãs e levada para a Alemanha, onde recebeu nova matrícula (7 + 8) e passou a integrar a secreta unidade Kampfgeschwader 200 (KG 200) da Luftwaffe (Força Aérea Alemã). Miss Nonalee II não foi a primeira nem a última fortaleza a integrar a KG 200. As informações são escassas e, em alguns casos, contraditórias, mas sabe-se que pouco menos de vinte B-17 foram operadas pela KG 200.

A foto acima provavelmente mostra o fim das atividades da Miss Nonalee II na Alemanha. Ao que parece a aeronave acidentou-se durante um pouso e teve o seu trem principal direito colapsado. O caminhão ao lado do avião provavelmente está retirando o combustível dos tanques das asas.

Se você tiver mais informações sobre as B-17 utilizadas pela Luftwaffe ou sobre a própria unidade alemã (KG 200), deixe seus comentários abaixo.

FONTE:
– Fuftwaffe im Focus n.1
– Luftwaffe KG 200: The German Air Force’s Most Secret Unit of World War II

- Advertisement -

37 Comments

Subscribe
Notify of
guest
37 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fabio Araujo

Esse tipo de bombardeiro estratégico fez muita falta aos alemães, os bombardeiros deles eram bombardeiros médios de performance inferior.

gordo

Acredito que tenha feito mais falta no fronte Oriental, as fabricas Soviéticas depois de transferidas ficaram intocadas URSS a dentro. Frente aos Ingleses acho que o que pesou muito foi deixarem de bombardear bases e fabricas para ficar incendiando Londres. Mas é interessante notar o quanto Hitler insistiu em bombardeiros até o fim, contrariando os comandantes que viam a necessidade de caças para a defesa aérea.

smichtt
Leandro Costa

Tenho esse livro. É legal, mas é um romance, claro, e o autor deixa isso bem claro logo que se começa à ler o livro.

photo_2020-06-30_12-14-43.jpg
Jeferson

Tenho este livro, bem legal a narrativa, mas como comentado anteriormente, é um romance…em alguns livros de guerra, comenta-se que a luftwaffe tinha o intuito de misturar estes bombardeiros com as grandes formações que voavam sobre a Alemanha, para com as suas metralhadoras disparar nas fortalezas americanas e as derrubar, inclusive os americanos, começaram a aventar a possibilidade de usar operadores de rádio indígenas para fazer a comunicação entre os aviões e confundir o inimigo…o quanto tudo isto é verdade? Não se sabe realmente, muitas lendas de um conflito longínquo.

Ricardo Bigliazzi

Nunca tinha lido nada sobre isso. Que bacana!!! Agradeço ao Blog por essa novidade para mim! Toca pesquisar!

Leandro Costa

Existem um sem número de ‘estórias’ sobre o KG-200, alimentado pelo fato de que aparentemente a Luftwaffe conseguiu destruir boa parte da papelada relativa à esse KG no final da Guerra. Existem relatos, não confirmados, de que alguns desses B-17 (e B-24’s), ainda mantendo esquema de cores americanos, se aproximava das formações para fornecer dados precisos sobre direção, altitude e velocidade. Mas não faz muito sentido já que praticamente qualquer outra aeronave alemã poderia fazer isso e ainda se manter longe do alcance das armas dos B-17. Outros relatos diziam ainda que em algumas dessas ocasiões esses aviões se aproximavam… Read more »

pampapoker

Olá , existe uma ampla reportagem na revista ASAS ANO 4 número 19 junho/julho de 2004, nas páginas 66 a 73.

Leandro Costa

De 2004? Então devo ter por aqui, pampapoker. Bem lembrado. Vou procurar aqui e ver se ela sobreviveu à mudança que fiz recentemente.

pampapoker

Como se faz para colocar foto aqui. Bati a foto da capa, mas não sei como colocar.

Last edited 11 meses atrás by pampapoker
Leandro Costa

`Quando você for postar tem um símbolo quando abre a caixa para digitação, que parece uma foto. Está afastado dos outros ícones no canto inferior direito.

pampapoker

Então fiz certo, mas não carregou a foto

Leandro Costa

Tenta de novo. Acho que rola apenas uma foto por vez, pampapoker.

Fabio Araujo

E da mesma forma os aliados voaram muitos aviões capturados do Eixo, principalmente para conhecer os pontos fortes e fracos desses aviões.

LucianoSR71

Poucos sabem, mas também existiram B-17’s operadas pelo Eixo no oriente. O Japão conseguiu reconstruir 3 a partir de destroços, contando c/ a participação forçada de prisioneiros, esse vídeo conta essa história c/ alguns detalhes curiosos:
https://www.youtube.com/watch?v=JR-Yx4DojKg

smichtt

O Mark Felton sempre tem boas histórias.

Leandro Costa

É fato. Mark Felton e mais alguns outros canais no YouTube são muito bons e estão ajudando à desmistificar diversas noções erradas que tínhamos e que foram difundidas no período pós-guerra.

LucianoSR71

smichtt, veja também os vídeos do The History Guy, algumas das histórias bem legais:
Virginia Hall, “The most dangerous of all Allied spies”
– The Extraordinary Voyage of the Polish Submarine Orzeł
– Eugene Bullard, The Black Swallow of Death

smichtt

Oi Luciano,

Gosto deste canal também. E, já que estamos trocando figurinhas, há também os canais muito bons:
Military Aviation History
Darc Docs

Abraços

Leandro Costa

Dark Docs eu não gosto muito, mas Military Aviation History e Military History Visualised (e non-visualised) são excelentes.

LucianoSR71

Acompanho também esses e ainda o Dark Skies ( ligado ao Dark Docs ), Drachinifel ( naval ) e o The Tank Museum, do Museu de Bovington, Inglaterra – tem um especialista que é a cara do Einstein, ele seria o Tankeinstein. Tem também mais alguns em espanhol, mas o pessoal aqui só gosta de inglês, rs.
Abs.

Leandro Costa

Drachinifel e o do Tank Museum (com David Fletcher, o ‘Einstein’ dos blindados ehehehehe) são excelentes. Nesse final de semana teve o Tank Festival virtual por causa da pandemia.

Victor Filipe

Sinceramente. o Drach eleva a qualidade dos videos sobre historia naval a um outro patamar.

Vcs viram o vídeo sobre a ultima viagem do Bismarck? uma reconstrução com quase duas horas da ultima viagem desse navio com o auxilio de um historiador naval alemão…

a qualidade do vídeo é pra fazer grandes documentários chorarem no cantinho.

Leandro Costa

É o tipo de cara que se bobear está cansado dos documentários padrão, cheios de carga emocional, efeitos especiais, etc., mas que poderiam colocar muito mais conteúdo, ainda mais com a miríade de meios de pesquisa dos dias atuais.

Clésio Luiz

Realmente Victor, tem uns canais no youtube que tem um nível de produção tão bom, e com uma fidelidade ao tema de um verdadeiro documentário, que são tão bons ou melhores que a época de ouro do History/Discovery Channel. Hoje esses dois viraram uma piada de mau gosto na comunidade. Pouco compromisso com a verdade, muito com fantasia e estardalhaço para atrair audiência jovem.

Frederick

Vinte? Caramba. A unidade operou mais B-17 que a FAB! (risos)

Alexandre Cardoso

Além dos americanos B17 e B24 o KG 200 usou tb Tu-2 soviético. Nunca havia ouvido falar dessa unidade da Luftwaffe ( KG 200 ). Vendo esse texto pesquisei um pouco na internet. Mas não têm muita informação na internet.

LucianoSR71

Há algumas horas fiz um comentários falando das B-17 voadas pelo Japão, mas o comentário ainda está retido.

Italo Souza

Ao que parece alguns mosquitos foram capturados também, em 2012 tinha um site alemão com fotos e detalhes de aeronaves que a KG tinha sobre sua utilização, mas o site deixou de ser acessível em menos de um ano.

smichtt

Acho que este link poderá ajudar aos interessados, principalmente a bibliografia. Porém está na língua de Goethe:

https://de.m.wikipedia.org/wiki/Kampfgeschwader_200

tadeu54

Com a morte do General Wever em 1936, mudou radicalmente o foco da Luftwaffe com consequências enormes para toda a IIGM.
Em seu lugar assumiu o General Kesselring que cancelou os projetos dos bombardeios estratégicos alemães ( Dornier-20 e Junkers-90 ) e investiu em bombardeios médios e táticos ( Heinkel 111, Junkers 87 e 88 ).

Leandro Costa

Sempre toco no General Wever. A bem da verdade, haviam suprimentos muito finitos, e bombardeiros médios e táticos para ajudar no avanço do Exército fazia bastante sentido, já que não haviam planos de entrar em Guerra contra os Ingleses e se poderia construir mais deles em proporção à grandes bombardeiros quadrimotores. De qualquer maneira foi um erro enorme não terem encontrado um meio termo em relação à números de produção, ou nem mesmo terem investigado a possibilidade de um competente caça de escolta de longo alcance (algo melhor que os Bf-110). No final das contas, essa falta de visão foi… Read more »

Alexandre Cardoso

Falta de visão, falou pouco e disse tudo, Leandro Costa. Isso, mais o besteirol que Hitler vira e mexe fazia. Um dos, senão o maior aliado dos aliados foi o próprio Hitler, pelo incrível que pareça. A avalanche de besteiras que ele fez, começou no momento em que ele decidiu mudar o foco dos ataques às bases aéreas inglesas para atacar Londres. Como tu, Leandro, ” sorte nossa “.

Last edited 11 meses atrás by Alexandre Cardoso
Luiz Trindade

É meu caro… Na guerra vale tudo para ganhar!

Cet

Essa é a prova derradeira de que a Alemanha numca teve interesse em dominar o mundo como a propaganda de guerra aliada fez o mundo todo acreditar.

Reportagens especiais

O AT-26 Xavante, conforme visto (e voado) por Franco Ferreira

  O texto abaixo é de autoria do nosso amigo Gustavo Adolfo Franco Ferreira, tenente-coronel aviador reformado da FAB, especialista em Segurança...
- Advertisement -
- Advertisement -