Home Bombardeiros Dein Bomber, Kommandant!

Dein Bomber, Kommandant!

6552
36

B-17 ‘Miss Nonalee II’ na secreta unidade KG 200 da Luftwaffe

Por Guilherme Poggio

Em abril (ou outubro, dependendo da fonte) de 1943 a fortaleza voadora B-17 “Miss Nonalee II” (42-30336) do 385th Bomb Group tentou chegar na neutra Suécia após problemas de motor quando rumava para o seu alvo em Anklan. No entanto, o piloto pousou por engano perto de Varde (Dinamarca).

A aeronave foi capturada por tropas alemãs e levada para a Alemanha, onde recebeu nova matrícula (7 + 8) e passou a integrar a secreta unidade Kampfgeschwader 200 (KG 200) da Luftwaffe (Força Aérea Alemã). Miss Nonalee II não foi a primeira nem a última fortaleza a integrar a KG 200. As informações são escassas e, em alguns casos, contraditórias, mas sabe-se que pouco menos de vinte B-17 foram operadas pela KG 200.

A foto acima provavelmente mostra o fim das atividades da Miss Nonalee II na Alemanha. Ao que parece a aeronave acidentou-se durante um pouso e teve o seu trem principal direito colapsado. O caminhão ao lado do avião provavelmente está retirando o combustível dos tanques das asas.

Se você tiver mais informações sobre as B-17 utilizadas pela Luftwaffe ou sobre a própria unidade alemã (KG 200), deixe seus comentários abaixo.

FONTE:
– Fuftwaffe im Focus n.1
– Luftwaffe KG 200: The German Air Force’s Most Secret Unit of World War II

Subscribe
Notify of
guest
36 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fabio Araujo
Fabio Araujo
2 meses atrás

Esse tipo de bombardeiro estratégico fez muita falta aos alemães, os bombardeiros deles eram bombardeiros médios de performance inferior.

gordo
gordo
Reply to  Fabio Araujo
2 meses atrás

Acredito que tenha feito mais falta no fronte Oriental, as fabricas Soviéticas depois de transferidas ficaram intocadas URSS a dentro. Frente aos Ingleses acho que o que pesou muito foi deixarem de bombardear bases e fabricas para ficar incendiando Londres. Mas é interessante notar o quanto Hitler insistiu em bombardeiros até o fim, contrariando os comandantes que viam a necessidade de caças para a defesa aérea.

smichtt
smichtt
2 meses atrás
Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  smichtt
2 meses atrás

Tenho esse livro. É legal, mas é um romance, claro, e o autor deixa isso bem claro logo que se começa à ler o livro.

photo_2020-06-30_12-14-43.jpg
Jeferson
Jeferson
Reply to  smichtt
2 meses atrás

Tenho este livro, bem legal a narrativa, mas como comentado anteriormente, é um romance…em alguns livros de guerra, comenta-se que a luftwaffe tinha o intuito de misturar estes bombardeiros com as grandes formações que voavam sobre a Alemanha, para com as suas metralhadoras disparar nas fortalezas americanas e as derrubar, inclusive os americanos, começaram a aventar a possibilidade de usar operadores de rádio indígenas para fazer a comunicação entre os aviões e confundir o inimigo…o quanto tudo isto é verdade? Não se sabe realmente, muitas lendas de um conflito longínquo.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
2 meses atrás

Nunca tinha lido nada sobre isso. Que bacana!!! Agradeço ao Blog por essa novidade para mim! Toca pesquisar!

Leandro Costa
Leandro Costa
2 meses atrás

Existem um sem número de ‘estórias’ sobre o KG-200, alimentado pelo fato de que aparentemente a Luftwaffe conseguiu destruir boa parte da papelada relativa à esse KG no final da Guerra. Existem relatos, não confirmados, de que alguns desses B-17 (e B-24’s), ainda mantendo esquema de cores americanos, se aproximava das formações para fornecer dados precisos sobre direção, altitude e velocidade. Mas não faz muito sentido já que praticamente qualquer outra aeronave alemã poderia fazer isso e ainda se manter longe do alcance das armas dos B-17. Outros relatos diziam ainda que em algumas dessas ocasiões esses aviões se aproximavam… Read more »

pampapoker
pampapoker
Reply to  Leandro Costa
2 meses atrás

Olá , existe uma ampla reportagem na revista ASAS ANO 4 número 19 junho/julho de 2004, nas páginas 66 a 73.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  pampapoker
2 meses atrás

De 2004? Então devo ter por aqui, pampapoker. Bem lembrado. Vou procurar aqui e ver se ela sobreviveu à mudança que fiz recentemente.

pampapoker
pampapoker
Reply to  Leandro Costa
2 meses atrás

Como se faz para colocar foto aqui. Bati a foto da capa, mas não sei como colocar.

Last edited 2 meses atrás by pampapoker
Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  pampapoker
2 meses atrás

`Quando você for postar tem um símbolo quando abre a caixa para digitação, que parece uma foto. Está afastado dos outros ícones no canto inferior direito.

pampapoker
pampapoker
Reply to  Leandro Costa
2 meses atrás

Então fiz certo, mas não carregou a foto

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  pampapoker
2 meses atrás

Tenta de novo. Acho que rola apenas uma foto por vez, pampapoker.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
2 meses atrás

E da mesma forma os aliados voaram muitos aviões capturados do Eixo, principalmente para conhecer os pontos fortes e fracos desses aviões.

LucianoSR71
LucianoSR71
2 meses atrás

Poucos sabem, mas também existiram B-17’s operadas pelo Eixo no oriente. O Japão conseguiu reconstruir 3 a partir de destroços, contando c/ a participação forçada de prisioneiros, esse vídeo conta essa história c/ alguns detalhes curiosos:
https://www.youtube.com/watch?v=JR-Yx4DojKg

smichtt
smichtt
Reply to  LucianoSR71
2 meses atrás

O Mark Felton sempre tem boas histórias.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  smichtt
2 meses atrás

É fato. Mark Felton e mais alguns outros canais no YouTube são muito bons e estão ajudando à desmistificar diversas noções erradas que tínhamos e que foram difundidas no período pós-guerra.

LucianoSR71
LucianoSR71
Reply to  smichtt
2 meses atrás

smichtt, veja também os vídeos do The History Guy, algumas das histórias bem legais:
Virginia Hall, “The most dangerous of all Allied spies”
– The Extraordinary Voyage of the Polish Submarine Orzeł
– Eugene Bullard, The Black Swallow of Death

smichtt
smichtt
Reply to  LucianoSR71
2 meses atrás

Oi Luciano,

Gosto deste canal também. E, já que estamos trocando figurinhas, há também os canais muito bons:
Military Aviation History
Darc Docs

Abraços

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  smichtt
2 meses atrás

Dark Docs eu não gosto muito, mas Military Aviation History e Military History Visualised (e non-visualised) são excelentes.

LucianoSR71
LucianoSR71
Reply to  smichtt
2 meses atrás

Acompanho também esses e ainda o Dark Skies ( ligado ao Dark Docs ), Drachinifel ( naval ) e o The Tank Museum, do Museu de Bovington, Inglaterra – tem um especialista que é a cara do Einstein, ele seria o Tankeinstein. Tem também mais alguns em espanhol, mas o pessoal aqui só gosta de inglês, rs.
Abs.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  LucianoSR71
2 meses atrás

Drachinifel e o do Tank Museum (com David Fletcher, o ‘Einstein’ dos blindados ehehehehe) são excelentes. Nesse final de semana teve o Tank Festival virtual por causa da pandemia.

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Leandro Costa
2 meses atrás

Sinceramente. o Drach eleva a qualidade dos videos sobre historia naval a um outro patamar.

Vcs viram o vídeo sobre a ultima viagem do Bismarck? uma reconstrução com quase duas horas da ultima viagem desse navio com o auxilio de um historiador naval alemão…

a qualidade do vídeo é pra fazer grandes documentários chorarem no cantinho.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Victor Filipe
2 meses atrás

É o tipo de cara que se bobear está cansado dos documentários padrão, cheios de carga emocional, efeitos especiais, etc., mas que poderiam colocar muito mais conteúdo, ainda mais com a miríade de meios de pesquisa dos dias atuais.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  Victor Filipe
2 meses atrás

Realmente Victor, tem uns canais no youtube que tem um nível de produção tão bom, e com uma fidelidade ao tema de um verdadeiro documentário, que são tão bons ou melhores que a época de ouro do History/Discovery Channel. Hoje esses dois viraram uma piada de mau gosto na comunidade. Pouco compromisso com a verdade, muito com fantasia e estardalhaço para atrair audiência jovem.

Frederick
Frederick
2 meses atrás

Vinte? Caramba. A unidade operou mais B-17 que a FAB! (risos)

Alexandre Cardoso
Alexandre Cardoso
2 meses atrás

Além dos americanos B17 e B24 o KG 200 usou tb Tu-2 soviético. Nunca havia ouvido falar dessa unidade da Luftwaffe ( KG 200 ). Vendo esse texto pesquisei um pouco na internet. Mas não têm muita informação na internet.

LucianoSR71
LucianoSR71
2 meses atrás

Há algumas horas fiz um comentários falando das B-17 voadas pelo Japão, mas o comentário ainda está retido.

Italo Souza
Italo Souza
2 meses atrás

Ao que parece alguns mosquitos foram capturados também, em 2012 tinha um site alemão com fotos e detalhes de aeronaves que a KG tinha sobre sua utilização, mas o site deixou de ser acessível em menos de um ano.

smichtt
smichtt
2 meses atrás

Acho que este link poderá ajudar aos interessados, principalmente a bibliografia. Porém está na língua de Goethe:

https://de.m.wikipedia.org/wiki/Kampfgeschwader_200

tadeu54
2 meses atrás

Com a morte do General Wever em 1936, mudou radicalmente o foco da Luftwaffe com consequências enormes para toda a IIGM.
Em seu lugar assumiu o General Kesselring que cancelou os projetos dos bombardeios estratégicos alemães ( Dornier-20 e Junkers-90 ) e investiu em bombardeios médios e táticos ( Heinkel 111, Junkers 87 e 88 ).

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  tadeu54
2 meses atrás

Sempre toco no General Wever. A bem da verdade, haviam suprimentos muito finitos, e bombardeiros médios e táticos para ajudar no avanço do Exército fazia bastante sentido, já que não haviam planos de entrar em Guerra contra os Ingleses e se poderia construir mais deles em proporção à grandes bombardeiros quadrimotores. De qualquer maneira foi um erro enorme não terem encontrado um meio termo em relação à números de produção, ou nem mesmo terem investigado a possibilidade de um competente caça de escolta de longo alcance (algo melhor que os Bf-110). No final das contas, essa falta de visão foi… Read more »

Alexandre Cardoso
Alexandre Cardoso
Reply to  Leandro Costa
2 meses atrás

Falta de visão, falou pouco e disse tudo, Leandro Costa. Isso, mais o besteirol que Hitler vira e mexe fazia. Um dos, senão o maior aliado dos aliados foi o próprio Hitler, pelo incrível que pareça. A avalanche de besteiras que ele fez, começou no momento em que ele decidiu mudar o foco dos ataques às bases aéreas inglesas para atacar Londres. Como tu, Leandro, ” sorte nossa “.

Last edited 2 meses atrás by Alexandre Cardoso
Luiz Trindade
Luiz Trindade
2 meses atrás

É meu caro… Na guerra vale tudo para ganhar!