Home Aviação de Ataque Mais um Gripen E no Programa de Ensaios em Voo

Mais um Gripen E no Programa de Ensaios em Voo

7719
45
Saab Gripen E 6004
Saab Gripen E 6004

Mais uma aeronave Gripen E começou a participar do Programa de Ensaios em Voo realizando testes táticos com os sistemas de bordo.

A Saab está se preparando para expandir o programa para incluir o Centro de Ensaios em Voo do Gripen no Brasil.

Agora são sete aviões Gripen E no programa de testes. No momento, o período é de intensa expansão de envelope com testes táticos dos sistemas de bordo, como o radar, IRST e de guerra eletrônica.

Confira no vídeo abaixo os detalhes e etapas desse processo e quais são os próximos passos do Programa.

Subscribe
Notify of
guest
45 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Carlson
Carlson
6 dias atrás

Então o primeiro Gripen BR para testes deve chegar no Brasil por via de transporte marítimo não voando…

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Carlson
6 dias atrás

De onde veio essa informação?

Julio Buzoli
Julio Buzoli
Reply to  Leandro Costa
6 dias atrás

Leandro Costa, está no vídeo. Você viu o vídeo?
Pelo que estão dizendo, chega em outubro em Gavião Peixoto

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Julio Buzoli
6 dias atrás

O video não carregou para mim… mas o que o Vitor abaixo falou procede. Geralmente ‘over the sea’ seria traslado aéreo.

Lucianno
Lucianno
Reply to  Leandro Costa
5 dias atrás

“Over the sea” é translado aéreo. Seria bem estranho vir de navio…

Vitor
Vitor
Reply to  Carlson
6 dias atrás

And soon we will send the First Gripen E over the sea”. Acho que o translado vai ser aéreo.

Anfibio
Reply to  Carlson
6 dias atrás

Claro que vai chegar voando!
É apenas uma maneira de dizer em inglês… Por exemplo: quando se cruza uma fronteira pode se dizer “over the border“… por isso é importante a interpretação e nao apenas a tradução…
Bola fora do responsável pelas legendas…

FighterBR
FighterBR
Reply to  Carlson
6 dias atrás

Vai vir por navio. Isso tá bem claro.

Luiz Antonio
Luiz Antonio
Reply to  Carlson
6 dias atrás

voando ou embarcado terá que vir por mar, portanto o moço do vídeo foi claro para mim, afirmando que virá por navio, até porque, creio ser muita ousadia realizar um voo transocêanico com um aeronave em fase de testes.

angelo
angelo
6 dias atrás

Ou seria em voo sobre o mar, via reabastecimentos aéreos? Seria um teste e tanto logo de saída…É com os entendidos o significado de “pelo mar”.

JSilva
JSilva
Reply to  angelo
6 dias atrás

Entendi que vai ser transportado por navio, afinal ainda está em período de ensaios de voo, um probleminha num voo longo por cima do Atlântico e adeus aeronave.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  JSilva
6 dias atrás

Melhor prevenir do que remediar.

Vitor
Vitor
Reply to  angelo
6 dias atrás

No vídeo ele diz: “And soon we will send the First Gripen E over the sea”. Acho que o translado vai ser aéreo e como ele falou está bastante aberto a interpretações. Pode ser via avião cargueiro, com propulsão propia e tanques subalares, fazendo reabastecimento em voo ou não ou de navio mesmo.
Translado da Suecia x Brasil (Porto de Santos) deve demorar uns 35-40 dias só de navegação e translado terrestre.

FighterBR
FighterBR
Reply to  Vitor
6 dias atrás

Meu deus… Como uma aeronave protótipo sem nenhum certificado vai fazer reabastecimento aéreo? É cada uma… Está bem claro que o Gripen vai vir por transporte marítimo.

Luiz Antonio
Luiz Antonio
Reply to  FighterBR
6 dias atrás

Vamos tomar um Rivotril, senão é complicado.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
6 dias atrás

Seja bem vindo! E que venha logo!

Fabio Araujo
Fabio Araujo
6 dias atrás

Esse é de qual lote inicial, o nosso ou deles??

Guilherme Poggio
Reply to  Fabio Araujo
6 dias atrás

Esse da reportagem é da Força Aérea Sueca.

Bruno
Bruno
6 dias atrás

A aeronave de teste deve chegar ao Brasil em outubro. Provavelmente para continuar com os testes aqui.

Last edited 6 dias atrás by Bruno
Guilherme Poggio
Reply to  Bruno
6 dias atrás

Na verdade a primeira aeronave produzida para a FAB será usada num primeiro momento para ensaios em voo aqui no Brasil e num segundo momento seguirá para a frota operacional.

nonato
nonato
Reply to  Guilherme Poggio
6 dias atrás

Ou seja, pagaremos um caça já bem rodado.
Não dao um desconto por isso?
Logicamente já deve estar tudo previsto no contrato.

Rommelqe
Rommelqe
Reply to  Guilherme Poggio
6 dias atrás

Caro Poggio, resolve a curiosidade do povo: vira voando por conta propria, voando dentro de um Galaxy/Antonov da vida ou embarcado em navio?

Alex Faulhaber
Alex Faulhaber
6 dias atrás

E pensar que numa Revista Força Aérea de 2004 estavam dando a vida útil do F-5 como sendo até 2020 já se imaginando que os novos aviões já estivessem por aqui…

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
6 dias atrás

Como anda a montagem do modelo biplace no Brasil? Já está perto de ser iniciada?

Francisco assis
Francisco assis
6 dias atrás

não entendo muito, mas acho que o Brasil, já está na hora de pensar em fabricar seus próprios caças,acho que temos pessoas e tecnologia para tentar

Anfibio
Reply to  Francisco assis
6 dias atrás

No hay la plata…

Marcos10
Marcos10
Reply to  Francisco assis
6 dias atrás

Temos engenheiros e tecnologia, mas como disse o Anfíbio, não tem grana.
Esses 36 Gripens foram todos financiados pelos suecos.
KC390, totalmente financiado por aqui, atrasou dois anos e só não atrasou mais porque a Embraer bancou, mas que lhe trouxe severos problemas de fluxo de caixa.

Anfibio
Reply to  Marcos10
6 dias atrás

Isso mesmo Marcos10…
E os pagamentos somente comecam depois da entrega da ultima aeronave… negoção que a FAB não podia deixar passar!
Isso ja foi discutido em outros posts: o custo para desenvolver uma aeronave de combate para fabricar poucas unidades pouquissimos paises podem bancar…

Jodreski
Jodreski
Reply to  Francisco assis
6 dias atrás

Amigo não fala besteira, vamos investir bilhões para fabricar quantas unidades mesmo umas 36? Vamo pensar grande agora: umas 108 unidades? Você acha mesmo que compensa gastar bilhões e mais bilhões para fabricar 108 unidades (com sorte)? No final o caça vai sair mais caro que um F-35 e ser inferior a um F-16, veja o exemplo da Índia com o Tejas! Agora vamos lembrar que a MB sonha com um sub. Nuclear, veio investindo dinheiro nisso há décadas e vamos aguardar mais um década para quem sabe ter um, lembrando que ter não significa operar um! Vc acha que… Read more »

Vitor
Vitor
6 dias atrás

“And soon we will send the First Gripen E over the sea”. Acho que o translado vai ser aéreo.

FighterBR
FighterBR
Reply to  Vitor
6 dias atrás

Translado aéreo com uma aeronave sem certificado para tal. É cada bobagem…

Fernando EMB
Fernando EMB
Reply to  FighterBR
5 dias atrás

A Embraer levou seus prototipos para dar a volta ao mundo… Sem serem certificados ainda…

AMSS
AMSS
Reply to  FighterBR
5 dias atrás

Advinha como ele recebem seus certificados… 🤷🏻‍♂️

André
André
6 dias atrás

Sem dúvida foi a melhor escolha

Camargoer
Camargoer
Reply to  André
6 dias atrás

Olá André. O F39E/F foi a melhor escolha para a FAB. O atraso no FX2 significou estender a vida útil dia F5M, sem que tenha significado colapso da FAB. Considerando que os F39 já estão em processo de fabricação, resta a FAB manter esse foco. Continuar operando os F5M, formando seus quadros, e seguindo em frente. Talvez uma questão que pode ser repensada seria o número do AMX modernizados, talvez fosse apropriado passar de 12 para 24, ampliando o tempo de operação até um desejado segundo lote de F39F

Vitor
Vitor
Reply to  Camargoer
6 dias atrás

Seria realmente o cenário ideal.

manuel flavio Vieira
manuel flavio Vieira
Reply to  Camargoer
6 dias atrás

Olá, Camargoer. Serão modernizados ao todo 14 A-1 (11 monopostos e 3 bipostos). Em 2026 a FAB será uma Força Aérea com 50 caças à reação.

Jorge Knoll
6 dias atrás

E esses sete aviões Gripen E qual o destino delles, depois dos testes/

nonato
nonato
Reply to  Jorge Knoll
6 dias atrás

Entrar em operação, pelo menos os mais recentes, o que acho um erro, uma força aérea pagar preço de novo por avião já bastante voado, exigido, colocados em situação de estresse de estrutura e motor…

Fernando EMB
Fernando EMB
Reply to  nonato
5 dias atrás

Isso já é preciso em contrato. Ocorre o mesmo com todos os aviões. E a SAAB/Embraer talvez mantenham um exemplar para desenvolvimentos futuros. Por um bom tempo.
O protótipo mais exigido em termos de cargas geralmente é aposentado finalizados os testes… Vai para museu.

Marcos10
Marcos10
Reply to  Jorge Knoll
6 dias atrás

Provavelmente todos sejam entregues as duas FFAA. Eventualmente a SAAB possa reter um para testes e futuras atualizações.

Marcos10
Marcos10
6 dias atrás

Por navio.

Rommelqe
Rommelqe
6 dias atrás

Chegara aqui voando…. dentro de dois KC390!
Falando sério, embarcado em navio acho que é mais rápido porque para desmontar e remontar o exemplar da FAB (o qual, pelo que entendi, é o que vai ser deslocado para o Brasil) não seria a melhor solução. Chegar “over sea” voando até pode mas representa um certo risco e um desgaste não necessario. Acho.

Lucas Emanuel
Lucas Emanuel
6 dias atrás

Será que esse exemplar sueco já vem com o WAD?