Home Aviação de Ataque O F-35 Lightning II não pode voar perto de raios novamente

O F-35 Lightning II não pode voar perto de raios novamente

7149
44
F-35A

O Defense News noticiou que a variante mais amplamente usada do F-35 Joint Strike Fighter atualmente não consegue voar em trovoadas após a descoberta de danos a um dos sistemas que ele usa para se proteger dos raios, disse ontem sua principal contratada Lockheed Martin.

Para voar com segurança em condições onde há relâmpagos, o F-35 conta com o Sistema de Geração de Gás Inerte a bordo (OBIGGS – Onboard Inert Gas Generation System), que bombeia ar enriquecido com nitrogênio nos tanques de combustível para torná-los inertes. Sem esse sistema, um jato poderia explodir se atingido por um raio.

No entanto, danos a um dos tubos que distribuem gás inerte no tanque de combustível foram descobertos durante a manutenção de rotina de um F-35A no Complexo Logístico de Ogden, na Base Aérea de Hill, em Utah, disse a Lockheed em comunicado.

A Lockheed interrompeu temporariamente as entregas do F-35 de 2 a 23 de junho, pois a empresa validou se estava instalando corretamente os sistemas OBIGGS. No entanto, “parece que essa anomalia está ocorrendo em campo após a entrega da aeronave”, disse a Lockheed em comunicado.

Depois disso, a Lockheed já entregou dois F-35, disse o porta-voz da empresa, Brett Ashworth.

Como não se pode confirmar que o sistema OBIGGS funcionaria corretamente se o jato fosse atingido por um raio, o Escritório Conjunto do Programa F-35 optou por instituir restrições de voo.

“Como medida de segurança, o JPO recomendou aos comandantes da unidade que implementassem uma restrição de voo de relâmpago para o F-35A, que restringe o voo a 40 km de raios ou trovoadas”, disse Lockheed. “Estamos trabalhando com o JPO (Joint Program Office) do F-35 em uma investigação de ação corretiva de causa raiz para determinar as próximas etapas.”

O problema parece afetar apenas a variante de decolagem e aterrissagem convencional F-35A, usada pela Força Aérea dos EUA e pela maioria dos clientes internacionais. O projeto OBIGGS é um pouco diferente na variante de decolagem curta e aterrissagem vertical F-35B devido ao ventilador de elevação da aeronave, e o problema não foi observado em aeronaves de decolagem e aterrissagem em porta-aviões F-35C, disse Ashworth.

A Bloomberg, que obteve um memorando do JPO de 5 de junho, relatou que tubos defeituosos foram encontrados em 14 dos 24 modelos “A” inspecionados.

O JPO não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

Para um avião apelidado de “Lightning II”, os sistemas de proteção contra raios do F-35, ironicamente, se tornaram um problema embaraçoso para o jato algumas vezes ao longo de seu desenvolvimento.

O F-35 foi proibido de voar a 40 km do raio no início de 2010, depois que o testador de armas do Pentágono descobriu deficiências no sistema OBIGGs original em obter gás inerte suficiente nos tanques de combustível. Essas restrições foram revogadas após a reformulação do OBIGGS em 2014.

FONTE: Defense News

Subscribe
Notify of
guest
44 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Diego Tarses Cardoso
Diego Tarses Cardoso
5 meses atrás

O gerenciamento de projeto do F-35 é uma vergonha, não testaram esse sistema o suficiente para saber se ele funcionaria corretamente ?

Sem dúvida algumas cabeças precisam rolar na Lockheed e na USAF para colocar as coisas no eixo.

Last edited 5 meses atrás by Diego Tarses Cardoso
Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Diego Tarses Cardoso
5 meses atrás

Já deviam ter rolado e no mínimo a Lockheed deveria ser punida, talvez sendo suspensa de novos contratos. Mas vão jogar para de baixo do tapete e não haverá punições e se houve ou houver demissões terão alguma desculpa para não parecer uma punição relativa ao F-35.

Pedro Calmon
Pedro Calmon
Reply to  Diego Tarses Cardoso
5 meses atrás

O pessoal nao faz idea do quao corrupto e’ a area de defesa nos EUA. Esse aviao foi concebido para ter componentes fabricado em praticamente todos os 50 estados Americanos e dessa forma ser politicamente indestrutivel. Nao ira rolar a cabeca de absolutamente ninguem.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  Pedro Calmon
5 meses atrás

Tem o caso de um oficial da USAF que era atrelado ao programa do F-35. Após se desligar da força, ele passou um ano ou dois disfarçando por aí e depois foi contratado pela Lockheed. A Boeing é outra corrupta. Teve o caso do aluguel de 767 que teve civil do Pentágono punida, uns 15 anos atrás. Depois foi a vitória do Airbus A330 que ela derrubou no tapetão. Agora é os KC-46 defeituosos que a USAF se negou a receber e agora está aceitando. E mesmo com um contrato que é o inverso do da Lockheed com o F-35,… Read more »

Last edited 5 meses atrás by Clésio Luiz
Pedro Calmon
Pedro Calmon
Reply to  Clésio Luiz
5 meses atrás

Um esquema super comum de corrupcao para oficiais de alto escalao das FAs americanas e’ o seguinte: enquanto no cargo, eles procuram favorecer o maximo futuras aquisicoes por parte da forca da qual sao parte de produtos da empresa X ou Y. Em troca, eles tem a promessa informal (nada escrito ou dcoumentado) de apos se aposentarem, serem contratados como consultores dessa tal empresa. Geralmente sao contratados com salarios decentes mas nada excepcionais (para nao gerar suspeita ou acusacao), mas por fora recebem um cartao corporativo para “despesas profisisonais” e ai fazem a festa. E como o cartao e’ corporativo,… Read more »

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Pedro Calmon
5 meses atrás

Amigo, dependendo do valor não precisa nem se aposentar, pede demissão e é contratado depois e ganhando mais ainda do que no seviço público. Lembrando que lá ao contrário de cá, a aposentadoria e individual e sem vinculo com empresa ou governo, previdência privada.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Clésio Luiz
5 meses atrás

O nome disso não é corrupção que e crime lá. E lobby que e legalizado.
Lá e comum os politicos receberem ex-politicos ou funcionários do governo, que são lobistas e esses arranjam negócios junto ao governo. A proprina/lobby e paga por meio de contribuição de campanha e presentes/contratação para amigos ou parentes dos politicos e funcionários da ativa. Tem casos como o que você falou do cara da ativa as vezes para não parecer corrupção, sair do serviço público com o dele certo para receber depois como uma vaga numa empresa beneficiada, ganhando 3x mais que no serviço público.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
5 meses atrás

Você quer dizer que lá o trafego de influência é legalizado né

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Nilton L Junior
5 meses atrás

Sim, eles chamam de lobby.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Diego Tarses Cardoso
5 meses atrás

O motivo e o mesmo dos carros de passeio que fazem recall. A fabrica compra peças as pressas para fazer a entrega no prazo do contrato para evitar multas e depois troca se precisar. As vezes ate lucrando com isso.

Rodrigo Maçolla
Rodrigo Maçolla
5 meses atrás

“Para um avião apelidado de “Lightning II”, os sistemas de proteção contra raios do F-35, ironicamente, se tornaram um problema embaraçoso para o jato algumas vezes ao longo de seu desenvolvimento”.

Essa frase resume tudo, Precisa dizer mais alguma coisa ??

e ainda a defensores de que a FAB e o Brasil devia ter adquiro esta fábrica de “BO voadora” Um caça que se propõe fazer tudo e na verdade não faz nada direito, custa um “prédio de verdinhas” pra adquirir e manter e ainda sim não pode “sair de casa se tiver chovendo”

Pedro
Pedro
5 meses atrás

Um jato com nome de relâmpago que não pode voar quando ha……relâmpagos!
O F-35 conseguiu ser o expoente máximo da geração nutela, pois é cheio dos mimimis como estes. Nao pode voar supersônico, quando chove, quando tem raio, peça que cai aqui e acolá….Nem o B1 foi tao problemático como esse F-35.

Daniel Landucci
Daniel Landucci
5 meses atrás

Isso aí é uma jaca voadora.

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
5 meses atrás

Bom, é melhor investir em F-18 novos do que nessa aeronave (pelo menos por enquanto).

Luiz Trindade
Luiz Trindade
5 meses atrás

Nesse caso ae o raio caiu duas vezes no mesmo lugar… Kkkkkkk… Esse filho de Odin…

Gabriel BR
Gabriel BR
5 meses atrás

Que avião Nutella rsrsrsrsrsrs

Antoniokings
Antoniokings
5 meses atrás

A Turquia deu a maior sorte.

Ramon
Ramon
5 meses atrás

Confio mais nos F-15, F-16, F-18 e no F-22 do que nesse F-35 atualmente, realmente ele pode ser invisível aos radares, ser o que tem de melhor no quesito tecnológico, mas seus problemas mostram que ele pode ser um caça nada confiável, aeronaves bem mais simples não tem problemas em voarem em uma tempestade com raios, eu não apostaria minhas fichas nele em um conflito de grande intensidade, a minha opinião até o momento é que esse projeto foi um erro, deveriam ter gasto a montanha de dinheiro que usaram nesse projeto em melhorias no f-22 e versões mais modernas… Read more »

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
5 meses atrás

Bom dia, a certas coisas que nasceram para virar piada, o f35 é uma delas….

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  Saldanha da Gama
5 meses atrás

“Há” certas…..

Carlson
Carlson
5 meses atrás

Esse sim é caça de luxo Kkkk

Manock
Manock
5 meses atrás

Realmente um caça inovador. A 1ª rainha de hangar stealth do mundo…

Rodrigo LD
Rodrigo LD
5 meses atrás

É a tecnologia de ponta da USAF, aeronave que não pode voar se tiver raio, não pode fazer voo supersônico longo pra não despedaçar o revestimento etc, etc.. Cadê o João Moita Jr pra comentar essa notícia aqui???? Quando é sobre as FFAA brasileiras ele aparece pra fazer comentário irônico.

Alexandre Santos
Alexandre Santos
5 meses atrás

É muito stealth, porque não voa…….kkkkkkkk
Alguém para elogiar????

Nilton L Junior
Nilton L Junior
5 meses atrás

Eu sou voto vencido mas para mim o melhor é o F-22 pena que não dado continuidade.

hipolito brandao nina
hipolito brandao nina
5 meses atrás

E pensar que em dicursoes com grupo de amigos ja advoguei que o Bradeveria ter feito parte do programa JSF.

Sergio
Sergio
5 meses atrás

Este projeto virou uma PIADA……
Daqui a pouco vão descobrir que o aivãozinho pode pegar COVID-19 no barramento dos sistemas….

Valdez Oliveira de Araujo
Valdez Oliveira de Araujo
5 meses atrás

Caça explodindo com raio, pousando d bundinha pra cima com trem de pouso quebrado …Já tá ficando cômico esse avião.

Sergio
Sergio
Reply to  Valdez Oliveira de Araujo
5 meses atrás

Verdade meu camarada.. eu acho que os “defensores ferrenhos” estão ficando “sem munição”……
rsrsrsrs

Ricardo da Silva
Ricardo da Silva
5 meses atrás

Mais do mesmo, mais um capítulo do F-35 “Aadvark II”

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
5 meses atrás

Um avião de combate que tem medo de raio, chuva, poeira, velocidade acima de 1.000 km/h, serve de quê mesmo isso aí? De propaganda? Eu que não queria essa joça.

JuggerBR
JuggerBR
5 meses atrás

Pra derrotar a Força Aérea Americana, apenas convoque Thor que a vitória é certa…

Sergio
Sergio
Reply to  JuggerBR
5 meses atrás

…convoque Chopolim Colorado…….

Wellington Góes
Wellington Góes
5 meses atrás

De novo, toda hora!!!
E tem gente que sonha com isto na FAB….. Mas, a bem da verdade, é até capaz, já que é uma força que não voa e nem combate…. Mas gasta um orçamento público que é uma beleza…. rsrsrs

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Wellington Góes
5 meses atrás

Rapaz, você deve ter feito prova pra EPCAR/AFA e não passou. Você SÓ METE O PAU na FAB! Em quase todas as matérias onde você pode ligar a FAB ao tema. Há muito tempo, pois venho acompanhando. Parece o Maurício R. nas matérias sobre a EMBRAER. Tá chato isso. Qual sua profissão?

Heinz Guderian
Heinz Guderian
Reply to  Rinaldo Nery
5 meses atrás

Acho que é isso mesmo caro Rinaldo, os comentários dele não tem embasamento nenhum, os argumentos dele vem de sabe lá da onde.

Giancarlo Zamolo
Giancarlo Zamolo
5 meses atrás

Fico me perguntando o que os países parceiros do programa, em seus diferentes níveis , pensam e como suas FAs reagem à todos estes problemas que surgem consecutivamente. No caso, falando de Itália, Austrália, Coréia do Sul, Japão, Reino Unido, Cingapura, Israel.

Este último país têm conseguido operar de maneira mais consistente e efetiva seus Adir’s , por vezes explorando todo o potencial stealth, fusão de dados e detecção – que são os grandes trunfos deste avião.

PS: como o amigo colocou antes aqui – acho que a Turquia não sentirá falta nenhuma de operar este avião.

Last edited 5 meses atrás by Giancarlo Zamolo
Jose Norberto
Jose Norberto
5 meses atrás

Que sina…
Imagina ter que consultar o site de meteorologia na seção raios e trovôes antes de voar…

Wanderley
Wanderley
Reply to  Jose Norberto
5 meses atrás

A lockhead deve chamar o engenheiro antigo rsrsrs

Italo Souza
Italo Souza
5 meses atrás

Mas uma novidade, or próximo problema será na resistência do cockpit “palpite”.

Marcelo
Marcelo
5 meses atrás
ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
5 meses atrás

Esse caça ainda será fonte de inconvenientes problemas por um bom tempo…

SuTerminator
SuTerminator
5 meses atrás

Esqueceu de dizer que ele não suporta combustível a certas temperaturas, se o combustível tiver muito quente, não poderá voar, normalmente utilizam caminhões com combustível refrigerado.

Mgtow
Mgtow
5 meses atrás

Esse caça é um verdadeiro lixo