domingo, maio 9, 2021

Gripen para o Brasil

Os F-86 que não vieram para a FAB …

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.aereo.jor.br
Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

… e foram parar no Paquistão

Por Guilherme Poggio

Em 1966 a Força Aérea Brasileira demonstrou interesse num lote de caças F-86 ex-Luftwaffe. O propósito da FAB era substituir os seus Gloster Meteor e F-80C Shooting Star que voavam no 1º Grupo de Aviação de Caça e no 4º Grupo de de Aviação de Caça respectivamente.

Os Sabre haviam sido fabricados sob licença pela Canadair e receberam diversas modificações locais, sendo a principal delas a troca do propulsor original (GE J47) pelo tubo-jato Avro Orenda 14, o que tornava essa variante a mais veloz de todas. No Canadá esta variante do F-86F era conhecida como CL-13B Mk 6.

No entanto, este mesmo lote (90 aeronaves) foi vendido para o governo do Irã pouco tempo depois da demonstração do interesse brasileiro. Era uma negociação muito suspeita, pois a Imperial Força Aérea do Irã já havia recebido parte dos Northrop F-5A através do Programa de Assistência dos Estados Unidos.

O Freedom Fighter era uma aeronave muito mais avançada que o Sabre e naquela época o relacionamento Irã-EUA ia de vento em popa. Mais tarde descobriu-se que os Sabre tinham outro destino.

Após a guerra entre Índia e Paquistão ocorrida em 1965 a Força Aérea Paquistanesa foi ao mercado em busca de novos caças, mas a ONU proibiu seus membros de vender armas aos beligerantes. Os Sabre estavam no topo da lista de compras do Paquistão, que havia adquirido mais de uma centena do modelo F antes da guerra. Para ludibriar as autoridades da OTAN, a compra dos Sabre ex-Luftwaffe foi feita via Irã.

- Advertisement -

69 Comments

Subscribe
Notify of
guest
69 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Rodrigo LD

Escapamos dessa. Acredito que teria sido mais uma daquelas compras inadequadas de material de segunda mão já obsoleto. Melhor mesmo economizar, esperar um pouco e ir de Mirage III e F-5. Abraço, camaradas.

Marcos10

De fato! Acho que o único momento em que a FAB comprou algo no estado da arte foi com os Mirage iii e F-5 e/f. Quando o mundo entrava na era do jato, a FAB embarcava nós P-38. Quando o Mundo foi para os F86 e Mig15, o Brasil ia de Gloster Meteor. Quando o Mundo foi de F104, a FAB tentou embarcar nisso daí. Na virada do milênio fomos atrás de 12 Mirage do primeiro lote que serviu à França. E me desculpem os entusiastas e ufanistas, devíamos estar pensando em F35 nessas alturas. Mas para um país que… Read more »

Karl Bonfim

“Marcos10”, se continuar assim a FAB só vai pensar em um novo caça lá para 2060, o F-35 já deve ser sido substituído por um aparelho de 6ª ou 7º geração, além de estarem esturricando no sol a pino, a céu aberto, nos desertos americanos. Se for de primeiro lote cheio defeitos, o Tio San com toda a sua generosidade, “vai a ter oferecer um lote de graça“, mas vais cobrar uma fortuna para atualiza-los e coloca-los operacionais. Só espere que isso não aconteça!

Rodrigo Maçolla

Concordo em partes com o “Marcelo10” Mais discordo quanto a opção correta e de vanguarda agora teria que pelo F-35, Apesar das capacidades e inovações dele é simplesmente muito caro de comprar e manter… Se fosse para comprar dos americanos seria o F-18 S.Hornet… Mais acho mesmo que opção racional pelo GRIPEN NG feita agora foi a mais acertada, no futuro não muito distante temos a real possibilidade de pular já para um caça de 6º Geração, os suecos já anunciaram que vão começar a planejar este caça possivelmente com a colaboração do Reino Unido, quando este projeto decolar com… Read more »

Last edited 10 meses atrás by Rodrigo Maçolla
Marcos10

Aviões com novas tecnologias sempre vão custar mais caro. P38 para Gloster. Gloster para Mirage. C130 para KC390.

Leandro Costa

Nunca operamos os P-38 Lightning. Operamos um número não muito grande de P-36’s, e operamos muitos P-40 e P-47, mas nunca os -38.

Faltou falar também dos F-80/T-33 que vieram após os Gloster e antes dos F-5/Mirage III.

Em relação à transporte operamos muuuuuuita coisa. Desde C-47, C-82, C-119, Avros, Buffalos, Hércules, etc.

Marcos10

De fato, Leandro.
Coloquei P38 pensando no P40.

ALISSON PEREIRA DO NASCIMENTO

Não sei se a Saab iria chamar o Brasil para participar do projeto caso ele avance bem só entre os suecos e ingleses, fora que o interessante mesmo seria a Embraer acompanhar esse projeto desde o início, até para assimilar novas técnicas de layout e construção de estruturas aerodinâmicas e tecnologias que não possui atualmente, caso aconteça espero que a Embraer aceite o desafio.

Kleber Peters

Permita-me discordar com relação ao “único momento” com M-3 e F-5. Esqueceste o P-47?

Rui Chapéu

FAB com P-38 ???

Existiu isso?

Octavio Ferreirinha

Não, ele se confundiu. Tivemos Curtiss P-40 Warhawk e Republic P-47 Thunderbolt.

Clésio Luiz

A FAB operou P-40 em primeiro momento e em 1944, o P-47. Em 1944 o P-47 era o que a USAAF tinha de melhor na linha de frente. Era maior, mais sofisticado, mais caro e de armamento mais pesado do que o P-51, e muito mais robusto. Os americanos só colocaram o P-80/F80 na linha de frente, em quantidade, no pós-guerra. E pode apostar que não havia nenhum Meteor ou P-80 disponível para nós naquela época. Embora não fosse o melhor, o Meteor não foi uma compra de todo ruim, considerando a economia brasileira da época e o nosso cenário… Read more »

Last edited 10 meses atrás by Clésio Luiz
JS666

Discordo, Mirage III e F-5 foram na época o que é o Gripen NG hj, modernos mas não o estado de arte. Este na época eram Mirage F-1 e F-4, como o F-35 é hj.

Marcelo M

Exato. O Gripen E está para o F5 Tiger II, assim como o F35 está para o F4. Não custa lembrar que o F5 se mostrou superior em muitos aspectos ao F4. Que nem canhão tinha.

JuggerBR

Mirage III e F-5 eram aeronaves novas, mas só o primeiro podia ser considerado de primeira linha, F-5 foi desenvolvido como avião de segunda linha, com foco na venda pra países amigos. Tanto que o principal uso dele foi na versão T-38 de treinamento e F-5 dos Agressors, coisa que ainda está fazendo até hoje.

Luiz Trindade

De acordo!

Marcelo

e qual aeronave substituiu os Gloster na FAB? Apenas os Mirage III e F-5Es na década de 70?

Fabio Araujo

Foi melhor não receber os F-86 chegaram caças de uma geração posterior!

Marcos10

De certo modo, sim. A FAB andou comprando um lote de P80, mas esses também era da era dos Meteor: primeira geração. Salvo engano, os Meteor serviram na FAB até 1974.

André B

Aliás, o Poder Aéreo argentino das décadas de 50 e 60 é muito interessante e renderia muita postagem boa.

Hugo do Amaral

Memorias de um ex-fabiano. Os EUA não quiseram vender este avião para o Brasil mas o venderam pra Argentina

Leandro Costa

Eu gostaria de saber a fonte disso, porque não faz muito sentido.

J R

Pelo que sei, o problema foi dinheiro, a França já tinha coisa melhor que o Meteor e mesmo assim, compramos o inglês…

Vinicius Momesso

Talves se não fosse 1966, teríamos dezenas ou de aeronaves e material soviético. Ou você ia para à Direita ou ia para a Esquerda.

Last edited 10 meses atrás by Vinicius Momesso
Marcelo M

India comprou o MIG 21. E o Canada bem depois flertou com o Mig 29. Nada impedia!

Rodrigo Maçolla

Apesar de ser um excelente caça na sua geração, já viria pra FAB defasado a tempo de ser substituído…. Nessa a história conta que no final nos demos bem… Apesar de operar o G.Meteor e P80, por mais tempo que o desejável, já fomos depois pra geração correta do mais moderno na época com o Mirage III e F-5E

ZamZam_Pampa

Os Argentinos, que nos anos sessenta já tinham aeronaves da marinha capazes de romper a barreira do som em mergulho, riem de todas essas diatribes dos brasileiros!

GFC_RJ

Não tenha a menor dúvida, Sr. Poggio, de que a situação mudou MUITO.
Infelizmente… Da prazer nenhum dizer isto, até porque a virada foi muito menos pela nossa competência e muito mais pela incompetência deles. Um país belíssimo que está muito abaixo do seu potencial, tal qual o outro que conhecemos muito bem. Abraços.

J R

cada um faz suas escolhas, argentinos gostam de tango, são masoquistas, não conseguem largar o peronismo que só os faz descerem a ladeira…

ZamZam_Pampa

Será que é tão difícil perceber que eles perderam uma guerra, e que ainda pagam o preço da derrota?Estão sendo punidos severamente por levantarem a mão contra o patrão.
Ou acaso não seria punição ter um navio escola da armada cheio de guardas-marinha, detido em um país africano pelo suposto pagamento de dívidas?
Há partes da Argentina em que eles próprios não podem sobrevoar.FONTE: TLV1(youtube)

Dario Renato

Amigo, a derrota nas Falkland é desculpa rasteira para um povo que não assume seus erros e escolhas furadas.
São décadas de escolhas pelo caudilhismo, corporativismo, assistencialismo, imediatismo.

Leandro Costa

Eu concordo totalmente com você Dario, mas acrescento que não somos diferentes.

Billy

F-86 em 1966? Bom que não vieram. Piada hoje, piada ontem, que vem por aí?

carvalho2008

E no Paquistão, virou pato para os Gnats Indianos….foi uma surpresa geral um caça tão pequeno de treinamento ser utilizado de forma tão agressiva contra os veteranos…
https://www.youtube.com/watch?v=k4CZbnrnHUQ&list=PLcbL1YWkIe2ZeGNdZJ7MvWGwXlAakMdob&index=9&t=0s

Rui Chapéu

Que cenas legais!

Fui ver e não tem no netflix, vou ver se acho esse filme em algum lugar

carvalho2008

O filme inteiro está livre no Youtube.

Filme paquistanes, então ao contrário da realidade, vai ver F-86 destruindo Gnats, JF-17 arrasando os M-2000 indianos….cenas baquininhas…

https://www.youtube.com/watch?v=39RfhOCl72Q&t=23s

carvalho2008
M Benhur

Acho que está mais do que na hora do Brasil começar a produzir os seus próprios caças, assim como se fez com o KC390 multifuncional, que está sendo produzidos para algumas forças aéreas parceiras do Brasil.

Alexandre Esteves

Se essa compra tivesse saído seria um tremendo desastre. Quando fosse começar a operá-los, veríamos Peru, Argentina de Mirage IIIE.
Atrasaria até a fabricação dos AT-26 na recém inaugurada EMBRAER.

carvalho2008

Os F-86 paquistaneses foram presas dos Folland Gnats indianos, talvez o menor caça a reação ja construido no mundocomment image

carvalho2008

comment image

carvalho2008

comment image

carvalho2008

comment image?w=1024

Augusto L

Desculpe Carvalho mas pelos dados independentes os paquistaneses destruiram mais aviões indianos do que perderam.

carvalho2008

O Foco é o F-86 Sabre X Gnats…..e os Gnats deram um banho neles…a partir de então ficou apelidado de sabre´s slayer….

carvalho2008

O score dos Gnats girou em torno de 4:1 a seu favor….

Leandro Costa

Carvalho, você que fica atento para essas coisas deve lembrar de uma coisa que pouca gente lembra sobre os Gnats.

Eles estiveram em combate sobre o oriente médio com A Marinha dos EUA na operação Doninha Dorminhoca! Inclusive o grande Topper Harley virou ás durante esta operação! 😀

comment image

carvalho2008

Ahhh…sim!! Muito bem lembrado!!!

Não assisti o filme inteiro, so algumas imagens, mas lembro que a época eu não conhecia o caça e achai que de tão pequeno fosse uma maquete!!!! parecia um brinquedo…E não é que o dito cujo era um caça treinador de verdade!!!????

carvalho2008
carvalho2008

comment image

Ivanmc

Bela imagem dos Gnats, carvalho2008.

carvalho2008

comment image

Conceitos extremos opostos….maxima complexidade…maxima simplicidade….

carvalho2008

comment image

ZamZam_Pampa

Lembra o avião italiano 345

Celso

A FAB nunca possuiu P-38 !

carvalho2008

sim, nunca operou….

Augusto L

Brasil era sim pra ter comprado os F-86 mas no final dos anos 50 e início dos 60.
Como a maiorias das forças aéreas da época na América do Sul.

carvalho2008

este aqui é o do combate dos JF-17 contra os M-2000

https://www.youtube.com/watch?v=Anv3Y95eL9Q

Pedro

Nao sei o que é pior, ter em 1966 um F-86 ou em 2020 um F-5E!

Leandro Costa

Não sabia dessa. E como a maioria aqui, apesar de achar os F-86 lindos, foi uma boa eles não terem vindo, no final das contas.

luiz

mas = no entanto, porém, contudo (veja se o mais ou mas que vc escreveu pode ser substituído por algumas dessas palavras e use “mas”)
mais = sentido de soma. Mais coisas, mais dinheiro.

Fernando

Já pensaram se estes F-86 tivessem vindo para cá? Nossos caçadores estariam voando F-86M hoje em dia….

Jagderband#44

O Brasil não operou o Fouga Magister?

Sérgio David

Sim,operou.Inclusive voaram com a nossa Esquadrilha da Fumaça!

M65

Sim na Esquadrilha da Fumaça.

Leandro Costa

Tem um no MUSAL nas cores da EDA.

Aeronave diminuta mesmo.

Reportagens especiais

Conhecemos de perto o Gripen 39-7, avião de testes de sistemas da nova geração do caça sueco

Nossa visita à Saab, além da apresentação do protótipo 39-8 do Gripen E, incluiu o hangar de aeronaves de testes...
- Advertisement -
- Advertisement -