Home Espaço China lança satélite final do sistema Beidou semelhante ao GPS

China lança satélite final do sistema Beidou semelhante ao GPS

2197
48

Ele completa uma constelação de satélites de navegação que está sendo feita há décadas

A China lançou com sucesso o membro final de sua constelação de satélites Beidou na terça-feira (23 de junho), completando um novo sistema de navegação global décadas em construção.

Um foguete Longa Marcha 3B lançou o satélite de navegação Beidou final (BDS) em órbita a partir do Centro de Lançamento de Satélites Xichang, no sudoeste da China. A decolagem ocorreu às 21h43, horário de Pequim (21h43, horário de Brasília, 22 de junho ou 0143 GMT na terça-feira) após um atraso de uma semana devido a um problema técnico com o foguete.

Tradicionalmente, a China espera anunciar lançamentos até que um satélite seja implantado com sucesso em órbita. Mas, de uma maneira rara, o lançamento do satélite Beidou foi anunciado com antecedência e transmitido ao vivo pela TV e online, com uma tradução em inglês disponível no provedor de serviços estatais CCTV, que normalmente fornece videoclipes após lançamentos bem-sucedidos.

A China começou a desenvolver seu sistema de satélites Beidou nos anos 90, com o primeiro lançamento em outubro de 2000 e uma longa atualização do sistema a partir de 2009, informou a Xinhua em uma reportagem no mês passado. A última iteração, chamada BDS-3, consiste em 30 satélites para aplicativos que variam de posicionamento de alta precisão a comunicações de mensagens curtas. A rede BDS-3 tinha 29 satélites operacionais antes deste último lançamento.

Os satélites do sistema BDS-3 têm “maior largura de banda, permitindo maior capacidade de comunicação e carregando relógios atômicos mais precisos … para melhorar a precisão dos serviços de tempo e navegação” quando comparados aos seus antecessores BDS-2, de acordo com uma reportagem do Global Times. O sistema principal BDS-3 iniciou suas operações em 2018, mas este último lançamento melhorará a força e a cobertura do sinal para usuários em todo o mundo, de acordo com a reportagem.

Satélites de navegação como os BDS-3 funcionam transmitindo um sinal captado pelos receptores em smartphones e outros dispositivos com GPS. O sinal do satélite inclui informações como a hora em que a mensagem foi enviada (tornando os relógios atômicos bastante úteis para medições exatas), bem como a posição orbital do satélite. A navegação pode prosseguir quando um usuário recebe informações precisas de pelo menos quatro satélites.

A conclusão da rede BDS-3 da China ocorre quando os Estados Unidos trabalham para modernizar seu próprio sistema de posicionamento global por satélite (GPS). A pandemia de coronavírus em andamento adiou o próximo lançamento do satélite GPS III para 30 de junho, a partir de um lançamento planejado para abril. A atualização da rede GPS III nos EUA, uma melhoria em relação ao seu antecessor GPS II, deve ser concluída até 2023.

Dois outros sistemas de navegação global também estão competindo com o sistema Beidou da China. A Rússia tem seus satélites de navegação Glonass-M (o mais recente lançado em março), para servir os serviços militares russos em terra, ar e mar. O sistema Galileo da Europa entrou em operação em 2016 e deve lançar seus últimos satélites no final de 2020, segundo a Agência Espacial Europeia.

O lançamento do Beidou foi a segunda missão espacial em uma semana para o país.

Na quarta-feira (17 de junho), a China lançou seu terceiro satélite de observação da Terra Gaofen-9 em órbita a partir do Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan, no deserto de Gobi.

A missão também levou dois satélites menores – um pequeno picossatélite chamado Pixing-3 desenvolvido pela Universidade de Zhejiang e o quinto satélite de serviços do Sistema de Identificação Automatizada da empresa privada HEAD Aerospace, segundo o SpaceNews.

FONTE: space.com

Subscribe
Notify of
guest
48 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fabio Araujo
Fabio Araujo
2 meses atrás

Para quem tem ambições globais um sistema desse é essencial, não dá para depender dos outros. Mas para o nosso caso os acordos que temos para usar o GPS e o Glonass é suficiente, lembrando que temos algumas estação de sincronização do Glonass no Brasil, as primeiras fora da Rússia e que são muito importante para a precisão do sistema.

Mauro
Mauro
Reply to  Fabio Araujo
2 meses atrás

O Brasil em acesso ao GPS de uso militar, que tem muito mais precisão que o para uso civil. O problema é que o dono dos satélites pode lhe deixar fora do ar, ou também aplicar uma defasagem na localização, o que seria ainda pior que simplesmente desligar.

O MTC-300 se guia pelos três sistemas, GPS, Glonass ou pelo Galileo, mas pode seguir sem eles também, por outro sistema de orientação independente, usando um Sistema de navegação inercial interno.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Mauro
2 meses atrás

Ou seja, a versão moderna dos códigos dos Exocets da Argentina…

Mauro
Mauro
Reply to  Joao Moita Jr
2 meses atrás

Tenho a impressão que você sofre de déficit de atenção.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Mauro
2 meses atrás

Sem querer defender o João Moita Jr, acho que vc não entendei o que ele quis dizer.

Mauro
Mauro
Reply to  Antoniokings
2 meses atrás

Pode até ser que neste caso, o problema é que o Moita tem um histórico sobejamente conhecido por aqui, então resolvi realizar um ataque preventivo. Uma coisa não tem nada a ver com a outra, um era um míssil anti navio, francês, o outro é um míssil de cruzeiro de fabricação nacional. Um é guiado por radar e o outro é sistema global de localização ou leitura do terreno. O que tem a ver um míssil anti navio com um míssil de cruzeiro?? o que ele deve estar querendo dizer é comparar o reconhecimento dos sistemas de combate de um… Read more »

Tenmurphy
Tenmurphy
Reply to  Mauro
2 meses atrás

Eu entendi diferente. Ele comparou a lenda dos códigos dos exocets na guerra argentina pelas ilhas com a atual capacidade dos países que dominam a tecnologia dos sistemas de posicionamento globais “desligarem” o sistema para o Brasil ou interferirem na precisão do sistema de forma online, ou seja, sabotarem nosso uso ou negarem o uso; daí a importância dos nossos mísseis se orientaram por mais de um desses sistemas, de preferência de dois fornecedores não aliados ou, melhor ainda, o Brasi desenvolver seu próprio sistema.

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  Tenmurphy
2 meses atrás

É por ai.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Mauro
2 meses atrás

Um ataque preventivo? Como o de Israel ao Egito em 1967? Lol Acontece que quem não entendeu foi você. Aqui está o problema com a sua narrativa; “ O que tem a ver um míssil anti navio com um míssil de cruzeiro??” Ora, assim como os franceses se negaram na hora H a prover os códigos dos Exocets para os argentinos, imaginem se na hora H o Brasil recebe a grande surpresa de ter o acesso aos satélites de posicionamento negado? Acabou a festa. O tão moderno míssel de cruzeiro, sem acesso aos satélites se torna um míssel V-2. É… Read more »

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  Joao Moita Jr
2 meses atrás

Para bom entendedor meia palavra basta.
Um país que se preza e se respeita não pode deixar sua segurança e defesa. Bem como seus interesses comerciais e financeiros em mãos estrangeiras. Na hora que precisar vai ser chantageado, como a Argentina foi.

Rodrigo
Rodrigo
Reply to  Mauro
2 meses atrás

Eu tinha a impressão que o Obama autorizou aumentar a precisão do GPS civil.

Mauro
Mauro
Reply to  Rodrigo
2 meses atrás

Isso é irrelevante. Podem mudar a hora quem bem entenderem. Defesanet informou que autorizaram o de uso militar. Eles têm duas redes, uma é exclusiva das suas Forças Armadas e governo, a outra é o que o resto do mundo usa.

GPS liberado para a aviação civil é mais preciso que para os navios, um piloto me falou, nem imaginava que tinha essa diferença.

Gabriel BR
Gabriel BR
2 meses atrás

Acabou o monopólio !

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  Gabriel BR
2 meses atrás

Acabaram o monopólio e as chantagens.

Antoniokings
Antoniokings
2 meses atrás

Ponto para a China.
Seu desenvolvimento continua acelerado.
Fico assistindo vídeos mostrando a evolução, ano a ano, da produção de diversos setores econômicos mundiais, desenvolvimento acadêmico e etc.
É impressionante como na década de 1950/1960, os EUA tinham produção 10 a 20 vezes maiores que a China.
Em quase todas as áreas.
Hoje, a China já ultrapassou os EUA em muitos setores e muitas vezes produz de duas a três vezes mais que os americanos.
É realmente impressionante.

Rodrigo
Rodrigo
Reply to  Antoniokings
2 meses atrás

A China está lançando em média de uma corveta por mês.

Last edited 2 meses atrás by Rodrigo
Jean Jardino
Jean Jardino
Reply to  Rodrigo
2 meses atrás

Mas presta????

Rico Zoho
Rico Zoho
Reply to  Jean Jardino
2 meses atrás

Está resposta somente saberemos quando forem colocadas a prova, e contra um adversário de peso. Normalmente os chineses gostam de ganhar no tamanho. Para os chineses perder 1 milhão de homens é troco, para a grande maioria dos países isto seria uma tragédia.

Sagaz
Sagaz
Reply to  Rico Zoho
2 meses atrás

E a rotina de manutenção? Qual a qualidade do equipamento chinês?

Rodrigo
Rodrigo
Reply to  Jean Jardino
2 meses atrás

Obrigado pelo comentário Jean.
A qualidade é relativa, não acredito que seja muito inferior a do resto dos fabricantes.
A qualidade chinesa sempre é questionada, porém nunca vimos em operação (pode até ser inferior).
EUA – tem problemas no F35 e nas catapultas eletromagnéticas. Os S300 russo na Síria, não encontram os aviões e misseis Israelenses.

Zeca
Zeca
2 meses atrás

Eu vi a transmissão chinesa, deu pra perceber a inspiração no modelo de publicidade da SpaceX.

Matheus Santiago
Matheus Santiago
Reply to  Zeca
2 meses atrás

Falando na SpaceX, deve lançar amanhã o total de 60 satélites do projeto Starlink, sem falar que a empresa já lançou outros 118 satélites nesse mês, 60 no dia 04 de Junho e 58 no dia 13 de Junho. Com esse lançamento de amanhã deve bater o recorde de lançamento de satélites em um mês.

Mauro Cambuquira
Reply to  Matheus Santiago
2 meses atrás

Tem muito apreensão por parte de empresas que vendem Internet, tipo a que você tem aí na sua casa, em relação ao Starlink. Se eles colocarem sinal de Internet para o globo, isso significa que não precisaremos mais dos cabeamentos de fibra que temos hoje. E o que será dessas empresas? O Google também tem essa intenção…

SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
Reply to  Matheus Santiago
2 meses atrás

EUA já está em outro nível, estão prestes a lançar uma internet global. Países como a China, que tem internet censurada, que não devem estar gostando muito, quero ver como vão fazer para bloquear o sinal e impedir que cidadãos acabem tendo acesso a internet sem censura.

Sagaz
Sagaz
Reply to  SmokingSnake 🐍
2 meses atrás

Sensacional…. Só não vejo como uma transmissão via satélite superar outra cabeada, mas a evolução tecnológica é assim, superando paradigmas

Bogdan
Bogdan
Reply to  Sagaz
2 meses atrás

A discussão do StarLink é justamente essa. Pela rede e pela órbita ser muito mais baixa do que a geoestacionária de satélites atuais que são usados para conexões, a SpaceX relatou que teoricamente a conexão deles teria uma latência (tempo de resposta) muito menor do que utilizando cabos de fibra óptica. Existem varios vídeos no youtube explicando a teoria, comparando uma transmissao por cabo dos EUA pra inglaterra onde teoricamente pelo Starlink seria mais rápido. Agora o grande bafafá é justamente esse…. só vamos descobrir na prática… muita gente ansiosa esperando estes lançamentos recentes para ver se tudo o que… Read more »

Rodrigo
Rodrigo
2 meses atrás

Base de lançamento bem protegida neste vale.

Roger
Roger
2 meses atrás

Muito interessante. Os aviões comerciais civis tem acesso aos 4 tipos de GPS ou usam só um deles? E os equipamentos militares podem usar mais de um GPS? Imagino que seria bom ter uma certa redundância (GPS+Galileo de um lado, Beidou+Glonass de outro)… Offtopic: Li em um artigo em algum lugar que eu não me lembro (estou ficando velho) que os EUA já estudam um substituto ao GPS deles, baseado no campo gravitacional da Terra, uma espécie de topografia gravitacional (também não me lembro do nome técnico). Teoricamente seria mais seguro, não sofreria interferência e não precisaria dos vulneráveis e… Read more »

Mauro
Mauro
Reply to  Roger
2 meses atrás

Faz sentido, pois não tem como interferir no campo gravitacional e nem no magnético. Mais provável ser campo magnético, pois o campo gravitacional é constante. Um das teorias de fim da vida na terra é que o campo eletromagnético dos polos está se extinguindo, isso permitiria a entrada de raios mortais na terra. A lua já teve campo magnético nos polos, quando era mais próxima da terra, ela tinha um núcleo de rocha derretida semelhante ao que tem na terra, pois a rotação da terra gerava uma rotação na lua que criava uma espécie de dínamo gigantesco, isso criava o… Read more »

Roger
Roger
Reply to  Mauro
2 meses atrás

É campo gravitacional mesmo. Pois a gravidade até pode ser uma constante (em um dado local), mas não é homogênea por todo o planeta. Em alguns lugares é mais fraca, em outros mais forte. Se procurar por mapas ilustrativos de campo gravitacional verá uma Terra parecendo uma ameixa seca, criando uma espécie de topografia, com montanhas (gravidade alta) e vales (gravidade baixa). É isso que eles querem usar, um georreferenciamento baseado na gravidade. E eles usam o GPS para mapear os “relevos” e criar um mapa. Obs: O campo eletromagnético está em constante mudança, por isso não seria a mesma… Read more »

Mauro
Mauro
Reply to  Roger
2 meses atrás

“”O campo eletromagnético está em constante mudança””” Não vou duvidar, mas algo que intriga é como as tartarugas voltam para a mesma praia em que nasceram mesmo depois de terem percorrido centenas ou mesmo milhares de quilômetros ao longo de sua vida? voltam para por seus ovos. As tartarugas têm uma pequena limalha ou pequeno pedaço de ferro em suas cabeças, isso as guias usando o norte magnético, os pombos tem isso em uma das asas, pequeno pedaço de ferro, é provável que pássaros e outros animais migratórios usem algo neste sentido, sempre em relação ao norte magnético. Existem casos… Read more »

LUCIANO DO PRADO
2 meses atrás

E o GPS do Brasil sai quando?

Gabriel BR
Gabriel BR
Reply to  LUCIANO DO PRADO
2 meses atrás

Daqui uns 200 anos

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Gabriel BR
2 meses atrás

hahahaha !

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Gabriel BR
2 meses atrás

Irá se chamar Uirapuru Sat

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Gabriel BR
2 meses atrás

Se não chover…

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  LUCIANO DO PRADO
2 meses atrás

Não sai. Com estes politicos jamais.

Tenmurphy
Tenmurphy
Reply to  Antonio Palhares
2 meses atrás

Político nada. O ministério da Defesa que não sabe priorizar os recursos nem se adaptar com o que tem.

wellington
wellington
Reply to  LUCIANO DO PRADO
2 meses atrás

quando os americanos nos alugarem alcântara de volta

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
2 meses atrás

Esse é o mesmo modelo de VLS que pôs nosso Mini-nano satélite no espaço?

comment image

Mauro
Mauro
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
2 meses atrás

Para elogiar a China, seria antes necessário morar lá.

Rodrigo Maçolla
Rodrigo Maçolla
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
2 meses atrás

é parece muito… Vai saber ??? mais verdade que a capacidade deles de fazer foguetes deste tipo foi conseguida junto a Rússia e também com espionagem , muitos planos, projetos e desenhos foram roubados dos EUA , mais especificamente da Boeing (inclusive informações dos aposentados ônibus espaciais) por um engenheiro de origem chinesa que trabalhou na empresa americana por anos fornecendo estas informações quando a CIA descobriu já era tarde de mais….

Mauro
Mauro
Reply to  Rodrigo Maçolla
2 meses atrás

Copiam tudo amigo, seja por bem ou por mal. Alguns aqui dizem algo como: “”É, pelo menos eles têm mérito em fazer cópias piratas, e a gente nem isso consegue.. bla bla bla..”” Como se tentar copiar algo de forma ilegal não sujeitasse qualquer país do mundo a severas penas e embargos.. a China faz isso por que não tem nada a perder mesmo… Mas isso está mudando, EUA e Europa, Japão e outros países estão saindo de lá..suas empresas estão buscando outros países ou voltando para sua origem… não tem como cara… o custo para segurança e outras situações… Read more »

RENAN
RENAN
2 meses atrás

Parabéns aos chineses
Gostaria que o Brasil tivesse está capacidade

Nostra
Nostra
2 meses atrás

Anyways as per it’s future roadmap ISRO is to expand it NAVIC ( IRNSS ) navigation satellite constellation into a global one by 2024/25.

currently 7 navigation satellites in orbit to be expanded to 11 by 2020/21

And then into a Global Indian Navigational System (GINS) comprising a constellation of 24 navigation satellites by 2024/25.
comment image

Sagaz
Sagaz
Reply to  Nostra
2 meses atrás

O Fórum é brasileiro, todos escrevem em português, o senhor lê os outros comentários em português, …. Tentando entender

Nostra
Nostra
Reply to  Sagaz
2 meses atrás

Embedded Google translator

Nostra
Nostra
Reply to  Nostra
2 meses atrás

Not perfect most of time