Home Aviação de Ataque EUA aprovam atualização dos caças CF-18A Hornet canadenses

EUA aprovam atualização dos caças CF-18A Hornet canadenses

2411
7

O Departamento de Estado dos EUA aprovou uma atualização para a frota do Canadá de aeronaves de combate Boeing F/A-18A (CF-18A/CF-188A), anunciou a Agência de Cooperação em Segurança de Defesa dos EUA (DSCA) em 16 de junho.

A aprovação, que foi concedida no dia anterior à notificação, abrange uma variedade de novos equipamentos e armas por um valor estimado de US$ 862,3 milhões.

“Esta venda fornecerá ao Canadá uma ponte de dois esquadrões de aeronaves F/A-18A aprimoradas para continuar cumprindo os compromissos do NORAD e da OTAN, enquanto introduz gradualmente novas aeronaves avançadas por meio do Programa de Capacidade de Caça Futuro entre 2025 e 2035”, disse o DSCA. “Esta venda fornecerá ao Canadá a capacidade de maximizar o emprego e a manutenção dos sistemas, aumentando significativamente a capacidade de combate da aeronave F/A-18 da Royal Canadian Air Force [RCAF].”

De acordo com a notificação, a RCAF foi liberado para atualizar seus Hornets com os conjuntos de radar AESA (Raytheon AN/APG-79 (V) 4), ativos (38 dos quais foram aprovados e equipamentos de suporte); mísseis ar-ar de curto alcance Raytheon AIM-9X Sidewinder Block II (50, além de equipamentos e dispositivos de treinamento relacionados); 20 sistemas Raytheon AGM-154C Joint Standoff Weapon (JSOW-C); 30 Improved Tactical Air Launched Decoy (ITALD); e 46 radomes de banda larga.

Outros aprimoramentos incluem atualizações para o ADCTS (Advanced Distributed Combat Training System) para garantir que os treinadores de voo permaneçam atualizados com as novas tecnologias, além de desenvolvimento de software para integrar os sistemas listados na aeronave e instalar um Automated Ground Collision Avoidance System (Auto GCAS).

FONTE: Jane’s

Subscribe
Notify of
guest
7 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fabio Araujo
Fabio Araujo
4 meses atrás

Essa atualização deve ser para ganharem tempo até a entrega dos caças que forem escolhidos no atual processo de compra.

Lu Feliphe
Reply to  Fabio Araujo
4 meses atrás

Sim, e é bastante provável que adquiram outra plataforma norte Americana.

Marcelo
Marcelo
4 meses atrás

Legal, nao sabia de nenhuma modernizacao dos legacy hornets com radar AESA. Deve ficar uma aeronave muito interessante,seria ideal para a MB por exemplo…

Lu Feliphe
Reply to  Marcelo
4 meses atrás

A Marinha tem como seus principais projetos a fabricação de fragatas e submarinos, não creio que caças seja algo que eles queiram adquirir no momento, além de que modernizar essas antigas versões, e incluir radares, sensores e outras tecnologias ficaria muito caro.

Last edited 4 meses atrás by Lu Feliphe
Entusiasta Militar
Entusiasta Militar
Reply to  Marcelo
4 meses atrás

Marcelo, ja foi divulgado (inclusive aqui) que a Marinha do Brasil de fato tem planos de construir um porta-aviões (PRONAe)aqui mesmo no brasil em conjunto com algum estaleiro internacional e pra isso ja foram feitas estudos e encontros, mas isso so acontecerá depois de 2030 quando todo as tamandarés e todos os nossos Subs estejam operacionais … mas duvido que os nossos AF1 possam se manter voando ate essa data.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Entusiasta Militar
4 meses atrás

Sim, podem. Os 7 que estão sendo modernizados continuarão operacionais. A aquisição de 12 Hornet usados + modernização, custaria cerca de U$ 500 mi. Ai tem custos com treinamentos, armamentos, mísseis, logística, sobressalentes e operação. e tudo isso para um caça usado que terá uma vida útil bem menor que um caça novo. Para uma marinha que esta muitíssimo carente de navios, hoje, vale mais à pena adquirir uma Fragata Nova em folha que poderá operar por pelo menos 30 anos. Daqui alguns anos, caso a situação orçamentária das forças evolua bastante, ai sim podemos pensar em iniciar a construção… Read more »

Mayuan
Mayuan
Reply to  Marcelo
4 meses atrás

Cara, a MB tem que focar em sua atividade fim: navegar!

Por mais que os custos sejam menores com um arranjo como esse citado, seria grana tirada de onde mais importa no momento que é ter algo que navegue, coisa cada vez mais rara na MB.

Se o problema da MB é voar, deviam se concentrar em pegar pra si a patrulha marítima com os meios que já existem e estão no país.

Se o problema é voar aeronaves de caça, muito melhor seria arrendar Gripens da Suécia e compartilhar o que der na logística com a FAB.