Home Aviação de Transporte Lançar, Suprir, Resgatar!

Lançar, Suprir, Resgatar!

2914
47
KC-390 lançando carga

Aviação de Transporte chega aos 89 anos com o emprego de tecnologias que garantem a efetiva integração do país

A história do Correio Aéreo Nacional (CAN) e da Aviação de Transporte começou a ser escrita na manhã do dia 12 de junho de 1931. O setor aeronáutico ainda iniciava seu desenvolvimento quando os Tenentes Casimiro Montenegro Filho e Nélson Freire Lavenère-Wanderley assumiram o desafio de transportar a primeira mala postal do então Correio Aéreo Militar.

A escassez de ferramentas de comunicação, a instabilidade da meteorologia e as limitações de combustível não impediram que o biplano Curtiss Fledgling, matrícula K263, cumprisse a missão entre o Campo dos Afonsos, no Rio de Janeiro, com destino à cidade de São Paulo. Os anos se passaram e a Força Aérea Brasileira (FAB) ampliou sua capacidade de emprego em meios de Transporte Aéreo Logístico para apoiar as atividades operacionais e administrativas das Forças Armadas e da sociedade brasileira como um todo. As novas tecnologias, como a aeronave multimissão KC-390 Millennium, por exemplo, são responsáveis por garantir o fluxo de pessoal, equipamentos e suprimentos, demandado pelos mais diversos setores do país.

KC-390 Millennium na Operação COVID-19

As missões de transporte exigidas pela Operação COVID-19, cumpridas em aproveitamento, têm se mostrado um teste para as capacidades do KC-390 Millennium. Nesses casos, há a participação do Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), no acionamento das missões de Transporte Aéreo Logístico, e do Comando de Preparo (COMPREP), responsável pelo desenvolvimento da doutrina utilizada no preparo operacional dos tripulantes. “Estamos tendo a oportunidade de efetuar o carregamento de diversos tipos de suprimentos, sejam eles viaturas, material logístico ou hospitalar”, acrescenta o Tenente-Coronel Ferraz.

Além disso, conforme completa o Comandante do 1º GTT, as atividades testam a operacionalidade da aeronave multimissão em diversas localidades e regiões do país, o que possibilita empregá-la em diferentes tipos de pistas e condições climáticas. “A aeronave tem demonstrado se adaptar em todos os cenários empregados”, conclui.

Aviação de Transporte no Brasil

Ao todo, são 13 Unidades Aéreas da Aviação de Transporte na Força Aérea Brasileira. Atualmente, a Aviação é equipada com os modelos KC-390 Millennium, C-130 Hércules, C-105 Amazonas, C-99, C-97 Brasília, C-98 Caravan, C-95 Bandeirante, U-100 Phenom e U-55 Learjet. As Unidades estão sediadas em Manaus (AM), Belém (PA), Natal (RN), Rio de Janeiro (RJ), Canoas (RS), Campo Grande (MS), Anápolis (GO) e Brasília (DF).

FONTE: Força Aérea Brasileira

Subscribe
Notify of
guest
47 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fabio Araujo
Fabio Araujo
1 mês atrás

Muito bom ver o KC-390 em ação, a FAB tem feito um excelente trabalho de logística nessa pandemia, mostra o quão preparado estar o setor de transporte.

Karl Bonfim
Karl Bonfim
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Também acho, muito bom!
Mas alguém por aí sabe qual o cronograma de entrega para outras unidades do KC-390 para FAB, este ano e ano que vem?

GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  Karl Bonfim
1 mês atrás
Karl Bonfim
Karl Bonfim
Reply to  GFC_RJ
1 mês atrás

Valeu!!

Vitor
Vitor
Reply to  GFC_RJ
1 mês atrás

Vai ser o 2852 (operando para a braer como unidade de teste hoje) ou um novo 2855?
O cronograma oficial prevê entrega de duas aeronaves esse ano.

Luiz Galvão
Luiz Galvão
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

“Muito bom ver o KC-390 em ação”

Que ação você se refere ? Carregar carga geral qualquer avião carrega.

Muito bom seria o KC390 estar sendo utilizado em missões onde mostraria o seu real valor é diferencial aos demais aviões do seu nicho.

Lu Feliphe
Reply to  Luiz Galvão
1 mês atrás

Mas isso já é considerado um tipo de ação, mover recursos dentro do território nacional principalmente para enfrentar um vírus é importante.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Luiz Galvão
1 mês atrás

Que missão seria essa?

Marcos10
Marcos10
1 mês atrás

Gostaria de ver uma comparação de custo de hora de vôo de kc390 x C130.

angelo
angelo
1 mês atrás

Pergunta de leigo: qual o significado do KC e do 390?

Adriano Luchiari
Adriano Luchiari
Reply to  angelo
1 mês atrás

O “C” é internacionalmente utilizado para designar uma aeronave militar de transporte, o “K” idem para uma aeronave militar de reabastecimento em voo. O “KC” designa uma aeronave que realiza as duas funções.

Marcos10
Marcos10
Reply to  angelo
1 mês atrás

O 390 foi uma designação da Embraer. Há quem diga que é 3 x C130 = C390 (rs).
Igualmente há quem diga que Su57 = F22 + F35.

Aerococus
Aerococus
Reply to  Marcos10
1 mês atrás

Cada centena está relacionado a um segmento:

EMB-1xx: Aviação comercial
EMB-110, EMB-120, EMB-145, EMB-170, EMB-190…

EMB-2xx: Aviação agrícola
EMB-200, EMB-201, EMB-202…

EMB-3xx: Aviação militar
EMB-312, EMB-314, EMB-390…

EMB-4xx: Planadores
EMB-400

EMB-5xx: Aviação executiva
EMB-500, EMB-505, EMB-545, EMB-550..

EMB-8xx: Aviação geral (Piper-Neiva)
EMB-810, EMB-820…

Marcos10
Marcos10
Reply to  Aerococus
1 mês atrás

É uma pena que a Embraer não tenha desenvolvido mais planadores. Verdade é que no Brasil há pouca tradição para uso dos mesmos. E muito piloto comercial fez hora de vôo em planadores.

M65
M65
Reply to  Aerococus
1 mês atrás

Vlw pela resposta !

Pablo
Pablo
Reply to  angelo
1 mês atrás

Não sou especialista, mas o pouco que sei é que o “K” significa que o avião desempenha função de reabastecedor, o “C” é avião de carga, assim como o “B” é avião bombardeiro, como o B-52 por exemplo. Quanto ao 390, já não sei. Essas denominações servem também para caças, por exemplo, com o “A”, significa ataque ao solo, como nosso A-1, e o “F” de superioridade aérea (se nao me engano), como o F-5. No caso dos helicópteros o “A” significa ataque, como AH-64 apache ou AH-1 Viper, ou A-129 Mangusta. No caso do “C”, pode ser um helicóptero… Read more »

Carlos p silva
Carlos p silva
1 mês atrás

É isso que chamam de fale news? Kkkk
O MKT é realmente uma coisa…

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
1 mês atrás

Já deveríamos estar recebendo mais KC-390,tendo em vista que sua linha de produção tem a capacidade de construir 12 aviões KC-390 por ano.
 
De acordo com a embraer, poderia-se fazer mais adicionando um terceiro turno nas fábricas onde os
 
componentes e a montagem final são feitos.
 
Alguém sabe dizer como anda a produção do terceiro?
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Last edited 1 mês atrás by ADRIANO MADUREIRA
Marcelo
Marcelo
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
1 mês atrás

O terceiro Kc390 está praticamente pronto. Mas grande parte do orçamento foi canalizado para finalizar o poderoso propulsor S50 do foguete VLM.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
1 mês atrás

O problema é pagamento.

Wellington Góes
Wellington Góes
1 mês atrás

Uma pena o projeto do KC-390 ter atrasado um pouco mais do que o planejado (o que foi algo até natural, devido o ineditismo do projeto), assim poderíamos ter mais do modelo em operação… Agora que a FAB não planeja, ou é incompetente e negligente com a aviação de transporte estratégico, isto é… Ao invés de ficar com olho gordo no orçamento das outras forças, deveria focar nas suas responsabilidades…. Cadê o KC-X2? Cadê um transportador com capacidade de 50 ton ou mais?! Não precisaria de duas ou três dezenas, mas meia dúzia já dariam uma ótima capacidade de transporte… Read more »

JuggerBR
JuggerBR
Reply to  Wellington Góes
1 mês atrás

50 toneladas? Vai carregar tanques? O exército vai ficar com ciúmes…
O que falta é o KC-X2

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  JuggerBR
1 mês atrás

O EB vai é agradecer que a FAB tenha uma aeronave desse porte e não ciúmes (quem tem o costume de ter isto é a FAB)… No mais, o KC-390 tem por função, por exemplo, transportar blindados e veículos do inventário do EB, não há motivos, então, do EB achar nada de errado… Ah… Um C-17, Y-20, ou IL-76/78 não transportaria, somente, CC (tanques), VBTP (blindados sobre rodas) ou “Jipes”, mas toda uma enorme gama de suprimentos… Vide o transporte dos radares aerotransportáveis no último exercício no RS… Um único destas opções poderia transportar todo o equipamento radar e não… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Wellington Góes
Lu Feliphe
Reply to  Wellington Góes
1 mês atrás

Antes de pensar em ter aeronaves com grande capacidade de carga, é necessário ver o orçamento e depois o estado das bases para poder receber uma aeronave desse tipo.
Há relatos de ex militares que dizem que muitas das pistas das bases aéreas não estão em uma situação ideal, e que necessitam de uma restruturação.
Além de que um dos principais teatros de operação das forças armadas é a Amazônia, onde não tem pistas que podem receber uma aeronave dessas, por isso a quantidade de aviões de transporte leve.

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Lu Feliphe
1 mês atrás

Sério?!
Rsrsrsrs

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Lu Feliphe
1 mês atrás

Caro Lu. As bases da FAB são excelentes. Praticamente todos os aeroportos brasileiros de grande e médio porte tem pistas pavimentadas e com excelente estado de manutenção. Até mesmo a maioria das pistas dos pelotões de fronteira estão pavimentadas. Um C130 precisa de uma pista de 1130 metros para missões táticas (fonte FAB). A pista de Surucucu (ao lado de um batalhão de fronteira) é pavimentada e tem 1067 metros, e pode receber C105 O F39 precisa de 600 metros para pouso e 500 metros para decolar.

Lu Feliphe
Reply to  Camaergoer
1 mês atrás

Obrigado pelas informações.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Camaergoer
1 mês atrás

Poucos países têm condições de dar manutenção a mais de 4000 pistas de pouso e decolagem

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

Caro Marcelo. Poucos países têm a dimensão territorial do Brasl.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Lu Feliphe
1 mês atrás

Sim, algumas pistas e taxyways necessitam de reparos. Está na lista de prioridades da DIRINFRA.

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
1 mês atrás

A maioria dessas aeronaves (60%) deveriam sêr alocadas para o EB, mas Brigadas de Infantaria Paraquedista e Comandos de Guerra na Selva na Amazônia.

Duas aeronaves deveriam estar estar a disposição da Brigada de Operações Especiais.

40% na FAB para REVO e transporte de carga.

Last edited 1 mês atrás by Tadeu Mendes
Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Tadeu Mendes
1 mês atrás

Caro Tadeu. Os KC390 são versáteis e podem ser empregados para diversas coisas (abastecimento aéreo, transporte tático, paraquedistas, abastecimento, transporte de carros de combate, transporte de feridos, evacuação de população civil em situação de risco. Em tempos de paz, como agora, estas aeronaves devem estar disponíveis para o que for necessário. Talvez as brigadas usarão 5% das horas de voo… talvez 1%… talvez menos…. talvez o transporte para a Antártida consuma 5% das horas de voo.. talvez mais… talvez em uma situação como a atual de pandemia, 90% das horas seriam usadas para apoio ao MinSaúde… não há razão para… Read more »

Marcelo
Marcelo
Reply to  Camaergoer
1 mês atrás

Pode também lançar a bomba termobarica trocano

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Tadeu Mendes
1 mês atrás

Cada um no seu quadrado… A FAB não tem Guarani nem Leopard.

Filipe Prestes
Filipe Prestes
1 mês atrás

Perguntas de leigo: A intenção da FAB de comprar o futuro transporte turboélice é para substituir os Caravan? E qual seria o substituto dos Phenom? O Praetor?

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Filipe Prestes
1 mês atrás

Olá Filipe. A FAB modernizou os C95 recentemente e os Caravan (C98) são robustos e existe muitas peças sobressalentes disponíveis. Os Phenon são também novos. Não consigo pensar em qualquer razão para a FAB substituir qualquer um deles pelos próximos 20 anos.

M65
M65
Reply to  Camaergoer
1 mês atrás

Muito comum ver Caravans civis em Manaus . Atualmente tem ao menos um alugado como aeromédico para o Governo Estadual. Para transporte de pacientes do interior do AM para capital. Existem também Caravans civis com flutuadores.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Filipe Prestes
1 mês atrás

Substituição dos C-95. A capacidade de carga dos C-95 é muito modesta (1.000 kg). Um C-98 leva quase isso, monomotor.

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
1 mês atrás

 
 
 
“Perguntas de leigo: A intenção da FAB de comprar o futuro transporte turboélice é para substituir os Caravan? E qual seria o substituto dos Phenom? O Praetor?”
[ Filipe Prestes ]
 
Falando em Caravan,houve Na tarde de ontem, 11,um acidente com uma aeronave C-98A Caravan durante o pouso em Porto Velho, Rondônia após o regresso de missão.
Por volta das 1320Z a aeronave C98, matrícula FAB 2733, da Ala 6 sofreu acidente durante o pouso no Aeroporto Internacional de Porto Velho, após um voo.
 
 
 
 
 

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
1 mês atrás

Boas novas!

Salim
Salim
1 mês atrás

Seria providencial tirar do GTE a aviação executiva, pois ela suga boa parte recursos da dotação do gte . O correto, penso eu, seria alocar custos destes serviços aos gastos dos poderes que utilizam os mesmos. Executivo, legislativo e judiciário. A FAB ficaria administrando pessoal militar que ganhariam experiencia horas vôo, visto redução de horas operacionais hj vigente para treinamento e cumprimento da missão operacional da FAB.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Salim
1 mês atrás

Pois é… Falta alguém sugerir isso pro PR.

carvalho2008
carvalho2008
1 mês atrás

https://www.youtube.com/watch?v=379X5ovW-dg&t=4s Imagine 4 conteiners do mesmo comprimento mas mais finos e esguios do que este. A cerca de 120km do alvo, eles são expelidos por Para-Quedas e imediatamente abrem as asas e são impulsionados por um booster de foguete…os 4 containeres planam uns 100 km e chegando a uns 20km – 40km, soltam as bombas planadoras ou misseis que finalizam o percurso do local de impacto….para o adversário, seria um nó no sistema defensivo…ele veria um polt chegando e se conseguir dispara um missil, mas o plot vira 5 sendo que o KC deu meia volta…o missil precisara ser reprogramado… Read more »

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  carvalho2008
1 mês atrás
carvalho2008
carvalho2008
1 mês atrás

teste

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  carvalho2008
1 mês atrás
Eron
Eron
1 mês atrás

Sinto muita saudade dos desfiles aéreos aqui na BAAF nas festividades do CAN. Quem viveu, viu e não verá novamente.