Home Aviação de Transporte Nova Zelândia comprará cinco C-130J Super Hercules por NZ$ 1,5 bilhão

Nova Zelândia comprará cinco C-130J Super Hercules por NZ$ 1,5 bilhão

4426
73
Um dos antigos C-130H da Nova Zelândia

O governo da coalizão confirmou que cinco aeronaves de transporte Lockheed Martin C-130J-30 Super Hercules serão compradas para substituir a frota existente, anunciou hoje o ministro da Defesa Ron Mark.

“No ano passado, o Gabinete selecionou essas aeronaves como a opção preferida para substituir a atual frota da Hercules. A aquisição do Super Hercules tem sido minha maior prioridade de capacidade como Ministro da Defesa”, disse Ron Mark.

“Juntamente com a nova frota, o projeto de NZ$$ 1,521 bilhão (US$ 975,8 milhões) fornecerá um simulador de voo de missão completo e outra infraestrutura de suporte.

“Gerações de neozelandeses cresceram e envelheceram com o Hercules, e eles sabem que essas aeronaves são uma primeira linha essencial de resposta. Essa decisão garante que a Força de Defesa tenha a capacidade necessária para atender às tarefas futuras esperadas.

“Essa frota garantirá que a Força de Defesa possa continuar a apoiar a resiliência da comunidade da Nova Zelândia, nossa segurança nacional, nossa contribuição aos nossos vizinhos do Pacífico e à comunidade global em geral.

“Essa decisão garante que o transporte aéreo tático permaneça disponível para realizar operações na região imediata da Nova Zelândia, além de apoiar nossos interesses na Antártica, geralmente em apoio a outras agências governamentais.

“A nova aeronave terá uma carga útil maior, é mais rápida e pode viajar a uma distância mais longa do que a atual aeronave Hercules.

“Cada aeronave também será equipada com recursos especializados adicionais, incluindo uma ampla largura de banda, sistema de comunicação via satélite de alta velocidade e uma câmera eletro-óptica/infravermelha.

“Este equipamento fará de nosso novo Super Hercules um dos mais capazes do mundo. O sistema de comunicações via satélite permitirá que imagens, vídeos e dados sejam transmitidos em tempo real, e a câmera permite a vigilância aérea, inclusive ao mesmo tempo em que a aeronave realiza tarefas de transporte, particularmente útil em operações humanitárias e de socorro e busca e missões de resgate.”

A aeronave e o simulador estão sendo adquiridos pelo processo de vendas militares estrangeiras (FMS) dos Estados Unidos como parte de um pacote que inclui treinamento de tripulação e de pessoal de manutenção.

“Como em nossa decisão de adquirir a frota P-8A Poseidon por meio do processo de vendas militares estrangeiras, isso reduziu custos e permite a colaboração com outras nações em desenvolvimentos e atualizações de sistema que serão necessários durante a vida útil da aeronave”, disse Ron Mark .

“O primeiro dos novos Hercules será entregue em 2024, com a frota completa operando a partir de 2025, permitindo uma aposentadoria em fases da frota atual.

“O simulador de voo nos ajudará a desenvolver e manter as habilidades da tripulação, e permitirá que cenários de treinamento mais exigentes sejam tentados sem riscos para o pessoal e preservando as horas de voo para tarefas operacionais”.

Além disso, o governo da coalizão também aprovou NZ$ 21 milhões para atualizar os sistemas nos helicópteros NH90 da Força Aérea para cumprir com os requisitos regulatórios e operacionais.

“Esse investimento, baseado na primeira parcela anunciada no ano passado, garantirá que as aeronaves da Força de Defesa da Nova Zelândia sejam equipadas com sistemas atualizados de comunicação, navegação, gerenciamento de tráfego aéreo e sistemas de identificação”, disse Ron Mark.

“A atualização do NH90 será realizada em cooperação com várias outras nações que operam esses helicópteros, incluindo Austrália, Finlândia, Suécia, Alemanha, Itália, França e Noruega.

“Isso nos proporcionará a oportunidade de compartilhar os custos de desenvolvimento entre todas as nações participantes, o que significa que essa abordagem é menos dispendiosa e arriscada do que buscar uma solução sob medida.

“Sem atualizar esses sistemas, as aeronaves da NZDF podem ter restrições em operações no espaço aéreo civil e militar controlado. O financiamento para este projeto será fornecido pelas linhas de base da NZDF ”, disse Ron Mark.

NOTA — Espera-se que o trabalho seja iniciado em 2021 na segunda fase da atualização da capacidade de mobilidade aérea da Nova Zelândia, quando serão consideradas opções para substituir as duas aeronaves Boeing 757 operadas pela Royal New Zealand Air Force. Espera-se que elas cheguem ao fim da vida útil no final desta década.

FONTE: New Zealand Ministry of Defence

Subscribe
Notify of
guest
73 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fabio Araujo
Fabio Araujo
4 meses atrás

Esse bichão é muito lindo, e é pau para toda obra!

Washington Menezes
Washington Menezes
Reply to  Fabio Araujo
4 meses atrás

Frase magica (FMS)

Washington Menezes
Washington Menezes
Reply to  Washington Menezes
4 meses atrás

Conta de padaria, 200 milhões a unidade mais um X box

Karl Bonfim
Karl Bonfim
Reply to  Washington Menezes
4 meses atrás

Quanto custa um C-390 MILLENNIUM?

Karl Bonfim
Karl Bonfim
Reply to  Washington Menezes
4 meses atrás

Se a Sierra Nevada Corporation | SNC fabricasse o C-390 MILLENNIUM na Florida, quem sabe ele teria mais chance de concorrer com o C-130J com vendas FMS. 

EduardoSP
EduardoSP
Reply to  Karl Bonfim
4 meses atrás

Somente são financiados pelo FMS equipamentos fabricados nos EUA e utilizados pelas forças armadas americanas.

Salim
Salim
Reply to  EduardoSP
4 meses atrás

Caro Eduardo, super tucano náo e utilizado por forças americanos porem e montado nos EUA por empresa americana. No caso do C390 sera mais complicado devido a seu porte. O tucano tem sua fuselagem e itens brasileiros feitos aqui e nos EUA agregam itens estrangeiros. O C390 teria que ser montado integramente lá visto dificuldade transporte devido a seu porte. Esta seria razão do acordo com a Boeing ou outra empresa com capacidade produzir aviões deste porte.

Michel C
Michel C
Reply to  Washington Menezes
4 meses atrás

Se quiser-mos vender militar, teremos que inventar um FMS do Brazil,e já está demorando.

MMerlin
MMerlin
Reply to  Michel C
4 meses atrás

Com as condições oferecidas pelo FMS americano? Não temos estrutura financeira para isso.

Luiz Galvão
Luiz Galvão
4 meses atrás

Sem querer entrar em discussões patrióticas com KC390, o Hércules foi, é e vai continuar sendo o padrão no seu segmento. Excelente compra, considerando tudo o que esta envolvido no negócio. Ademais, segue o padrão da Austrália e outros vizinhos.

nonato
nonato
Reply to  Luiz Galvão
4 meses atrás

Geralmente, a tática da Embraer não é dominar nenhum mercado. É comer pelas beiradas.
Se conseguir abocanhar 20, 30% do mercado está ótimo.
Até porque Estados Unidos, Rússia e China tendem a comprar produtos nacionais.
A maioria dos países europeus, idem.
Então o que a Embraer sempre tentou fazer não foi bater de frente com gigantes mas agir igual a um peixe que fica nas proximidades tentando devorar as sobras dos grandes predadores.
Caiu na rede é peixe.
Se vender 200 aviões desses está ótimo.
O Brasil encomendou 28, Portugal 5.
Será uma ótima opção nesse nicho.

Wagner
Wagner
Reply to  nonato
4 meses atrás

Nao é o que me pareceu desde o inicio do projeto. A Embraer o posicionou como papa Hercules no inicio (ate a designacao… 390 é 3×130…). E desde o começo eu disse que essa abordagem era um tiro no pé. Taí. Vai vender meia duzia pra FAB uns 2 pra Portugal e só.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Wagner
4 meses atrás

A FAB terá 30 unidades.

Sócrates
Sócrates
Reply to  Wagner
4 meses atrás

Agora posso dormir tranquilo, o forista profundo conhecedor de aviação e seu mercado confirmou suas expectativas pelo modelo da EMBRAER…cada uma…

Luiz Galvão
Luiz Galvão
Reply to  Wagner
4 meses atrás

2!

Douglas Rodrigues
Douglas Rodrigues
Reply to  Wagner
4 meses atrás

Se o Brasil/FAB fechou a compra de 28 +2 (os que voam) e Portugal 5, já é mais do que a meia dúzia e os 2 não é?
Ow, gente do contra!

Maurício Veiga
4 meses atrás

Pacote de compras abrangente visando substituições futuras e via FMS, IMBATÍVEL!!!

Airacobra
Airacobra
Reply to  Maurício Veiga
4 meses atrás

Ai que deveria entrar o BNDES

Flanker
Flanker
4 meses atrás

A legenda da foto diz tratar-se de um C-130H na Nova Zelândia, mas trata-se de uma concepção artística de como irão ficar os novos C-130J. Basta perceber as hélices de 6 pás e a fuselagem mais longa que um “H”.

Michel
Michel
4 meses atrás

Mais caro do que a venda do Kc 390 para Portugal.

Rodrigo
Rodrigo
Reply to  Michel
4 meses atrás

Sim…Mais com taxa de juros e prazo de pagamento bem mais vantajosos…

Fábio Jeffer
Fábio Jeffer
4 meses atrás

Clube da cocotinha não daria o braço a torcer e comprar o KC-390

Last edited 4 meses atrás by Fábio Jeffer
Nilton L Junior
Nilton L Junior
4 meses atrás

O C-130 leva vantagem sobre o KC por conta do atraso do desenvolvimento, ficou em prejudicado sua escala de produção.

Karl Bonfim
Karl Bonfim
4 meses atrás

“Nova Zelândia comprará cinco C-130J Super Hercules por NZ$ 1,5 bilhão”,Alguém sabe quanto custa 5 C-390 MILLENNIUM? 
 

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Karl Bonfim
4 meses atrás

 Os neo-zelandeses pagarão um pouco mais de USD 651BI de dólares pelos cinco Super Hércules…
 
“Alguém sabe quanto custa 5 C-390 MILLENNIUM?” 
 
Portugal irá comprar cinco cargueiros Embraer KC390 por 827 milhões de euros,mas deve haver outras coisas agregadas ao pacote.
 
mas o preço estipulado é de US$ 50-55 milhões.
 

 
 
 
 
 
 
 
 

Flanker
Flanker
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
4 meses atrás

651 Milhões de dólares….não Bilhões

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Flanker
4 meses atrás

sim,651MI…
 
 

Rommelqe
Rommelqe
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
4 meses atrás

No câmbio de hoje (06-06) o dolar neozelandes vale 0,65 em realção ao dolar americano. Assim MNZ$ 650 ~MUS$450 ou aproximadamente MUS$85 por aeronave. .. mais caro que os KC390….e aeronave por aeronave nas aplicações Norueguesas o KC390 seria mais util…

Mestre D'Avis
Mestre D'Avis
Reply to  Rommelqe
4 meses atrás

Hummm, como é mais caro que o KC390 se Portugal vai pagar 933 Milhões por um pacote semelhante vs os 975M da NZ? Parece bastante semelhante para mim. E só pro curiosidade, em que o KC390 seria mais útil nas aplicações Neo Zelandesas? Ligeiramente superior em velocidade e carga útil para ligeiramente inferior em alcance e uma linha de manutenção nova.

Manoel Neto
Manoel Neto
4 meses atrás

“Como em nossa decisão de adquirir a frota P-8A Poseidon…” então aquele projeto do E190 E2 de Patrulha Marítima que teria os requisitos da Nova Zelândia não terá continuidade?

Fernando EMB
Fernando EMB
Reply to  Manoel Neto
4 meses atrás

Não pode ter continuidade o que nunca começou.

Manoel Neto
Manoel Neto
Reply to  Fernando EMB
4 meses atrás

Ah entendo, então o projeto nunca foi pra frente? É que eu tinha lido uma matéria sobre o “P190”, como entusiasta fiquei até empolgado, mas obrigado.

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
4 meses atrás

comment image

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
4 meses atrás

Excelente comparativo, mostra que temos bons argumentos para pegar uma fatia do mercado. Quando o KC-390 começar a operar em Portugal vai chamar atenção e vai abrir o mercado internacional.

Wagner
Wagner
Reply to  Fabio Araujo
4 meses atrás

Venda de equipamento militar nao é super trunfo e com o atual (des)governo e a atual política externa, lamento, mas nao vai vender nada.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Wagner
4 meses atrás

O atual governo se aproximou mais dos EUA, de Israel e do Japão. Os governos do PT se aproximaram mais de Cuba, Venezuela, China e Irã. Acredita que uma aeronave Embraer com motores americanos e cheia de equipamentos e tecnologias americanas, seria liberada para venda à China, Irã ou Venezuela? Ou o mais provável seria vendas para países ocidentais e alinhados com os EUA e a Otan? O Brasil, no atual governo, já se tornou grande aliado militar americano, o próximo passo é se tornar um parceiro Global da Otan. Isso poderá abrir mais portas do que o alinhamento anterior… Read more »

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Luís Henrique
4 meses atrás

Concordo agora temos o selo de aliados da OTAN, e teremos um país membro da OTAN como garoto propaganda somando a qualidade do equipamento temos chances de vender bem.

Salim
Salim
Reply to  Luís Henrique
4 meses atrás

Senhores, Otan em sua maioria tem opções no mercado comum europeu. Portugal comprou pois produz parte do avião e tem interesse nas vendas do mesmo, além de não fazer parte de nenhum consórcio europeu na produção aeronaves. Teríamos chance com produção solo americano. Dinamitamos Ponte com países não alinhados. Acredito que teremos vendas pela qualidade do avião e suporte pós venda da Embraer porem nada significativo.

MMerlin
MMerlin
Reply to  Salim
4 meses atrás

Pode ser. Mas o 390 é um equipamento muito bom. Levando em consideração apenas números e tecnologia, é uma opção melhor que o 130. Mas colocando na mesa o suporte, peças de reposição no mercado, conhecimento do equipamento, agrado político aos EUA e FMS, as chances diminuem drasticamente. Nossa maior parceira comercial só dá valor aos comodities voltados setor alimentício.
Precisamos achar parceiras que valorizem produtos manufaturados. Estes sim trazem riqueza e emprega. O nível de automatização de produção e colheita de grãos atualmente possui uma automatização altíssima.

Last edited 4 meses atrás by MMerlin
EduardoSP
EduardoSP
Reply to  Luís Henrique
4 meses atrás

Achei que o parceiro estratégico era a França. Compramos submarinos e helicópteros deles. Veículos blindados dos italianos. Aliás, achi que não tem os equipamentos venezuelanos, chineses, cubanos ou iranianos nas forças armadas. Também não exportamos equipamentos militares para esses países.
VC está precisando rever seus conceitos, repetir sem refletir nunca é uma boa.

Salim
Salim
Reply to  Wagner
4 meses atrás

Wagner, acredito também que o rumo atual deste governo tende a prejudicar vendas externas não só de aviões. Além do descontrole atual mercado prolongando o baixo crescimento devido a beligerância do mesmo com outros poderes e na falta capacidade de administrar efeitos pandemia pois enquanto outros países estão saindo crise em 60 dias com numeros declinantes de casos estamos indo para 90 dias de descontrole nacional e números crescentes de casos fazendo perdurar por mais tempo nossa paralisia. Além dos ataques gratuitos a nossos maiores clientes internacionais. Nos mesmos nos prejudicando, meio irracional.

Marcelo Monteiro Ribeiro
Marcelo Monteiro Ribeiro
Reply to  Salim
4 meses atrás

Meu Deus do céu… kkkkkkk…

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
4 meses atrás

Este comparativo é elucidativo e o que nos falta para explodirmos em vendas? Maior capacidade de financiamento ou poderio politico? Abraços

Rommelqe
Rommelqe
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
4 meses atrás

A questão da autonomia é facilmente contornável, visto que com um tanque de reserva o KC 390 pode igualar o C130J matendo capacidade de carga e valume iguais. Nas condições do edital da Nova Zelandia, que frisaram muito a necessidade de atender sua base no Polo Sul, o KC390 seria muito melhor. Acho que faltou a EMBRAER/FAB levarem um para pousar numa pista por lá.

Mestre D'Avis
Mestre D'Avis
Reply to  Rommelqe
4 meses atrás

Rommelque, eu perguntei em cima, mas gostaria de perguntar novamente com toda a sinceridade. Como adiciona um tanque de reserva sem perder capacidade de carga??? Se for interno, perde volume de transporte. Se for externo, perde MTOW. Como adiciona combustivel sem aumentar o peso do aviao?

Valter Sales JUNIOR
Valter Sales JUNIOR
Reply to  Rommelqe
4 meses atrás

Isso foi feito.

Lucianno
Lucianno
Reply to  Rommelqe
4 meses atrás

A Nova Zelândia tem um acordo militar com a Austrália e com os USA onde estes dois garantiriam a segurança neozelandesa em caso de guerra. Tanto que nem possuem caças ou aviões de combate.
Duvido que o neozelandeses comprariam de outro país que não fosse os USA ou Austrália.

Paulotd
Paulotd
4 meses atrás

Achei caro.. 200 milhões de doletas num Hércules? Deve ter algo especial nesse pacote Essa grana dá para comprar meia dúzia de C-105 Amazonas, 2 deles levam mais carga que o Hércules.

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Paulotd
4 meses atrás

acho que não é isso tudo,ao valor do contrato,certamente deve ter outras coisas agregadas…

MFB
MFB
4 meses atrás

FAMOSA FMS. Para vender o nosso, basta o presidente pintar no avião as frases: make america great again de um lado e I Love vou Mr Trump do outro lado. Já seria difícil competir, mas com este pateta na presidência.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  MFB
4 meses atrás

As aeronaves da Embraer estão repletas de tecnologias americanas, inclusive os motores. Você não vende sem autorização dos americanos. Logo, você não vende para China, para Irã, para Venezuela, para Cuba. Você pode vender para países “alinhados” com os EUA e com a Otan. No atual governo, melhoramos nossa relação com os americanos, nos tornamos aliados extra-Otan preferencial dos EUA. E caminhamos para nos tornarmos um parceiro global da Otan. Isso abrirá portas. A maioria das indústrias bélicas nacionais, senão todas elas, desejam isso e estão animadas com as oportunidades futuras. Portanto, o alinhamento atual trás mais benefícios do que… Read more »

Salim
Salim
Reply to  Luís Henrique
4 meses atrás

Senhores, infelizmente não temos muito a oferecer em armamentos a países da Otan, portanto não vejo nada alentador. Hoje já vendemos bastante munição leve a estes países pois somos competitivos. Demais itens temos concorrentes poderosos nestes países e não temos como competir visto nacionalismo destes blocos/países e incapacidade de financiamento.

sub urbano
sub urbano
4 meses atrás

Sem financiamento de parte da compra através de um Banco de Desenvolvimento Nacional não se vende nada. Liberalismo não existe. Compras militares da Russia são todas financiadas desse jeito tbm. A China financia até obra de engenharia, ferrovias, pontes, estradas em países estrangeiros. Quando um governo aqui pensou em fazer isso e tomou alguns calotes (o que é natural) foram criminalizados kkk Agora ninguém arrisca mais, melhor pibinho que cadeia. Obrigado Moro.

Rui Chapéu
Rui Chapéu
Reply to  sub urbano
4 meses atrás

é natural levar calote de caloteiros…. Cuba… Venerruela….
 
Ou seja, nunca deveriam ter emprestado para fazer obras para quem não paga a conta.
 
Era melhor ter usado a $$$ em outra coisa, já sabendo que ia levar calote.

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  Rui Chapéu
4 meses atrás

2!!!!

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  sub urbano
4 meses atrás

Foram criminalizados pela roubalheira, não pelos financiamentos.
Você emprestar dinheiro para uma ditadura, com juros subsidiados, e depois aparecer o filho do ditador com mala de dinheiro, não te diz nada?

Ari Levinson
Ari Levinson
Reply to  sub urbano
4 meses atrás

O problema não é banco de fomento estatal fazer financiamento de obra no exterior, o problema é o banco de fomento estatal servir de cofrinho, emprestando dinheiro com garantias relaxadas, para empreiteiras corruptas cujo maior mérito eram ser amigas do “Rei”, em trocas de favores tal como a reforma daquele sítio lá de Atibaia lembra?   Ademais cumpre lembrar que os mesmos favores no Banco foram estendidos ao açougue dos dois irmãos caipiras e ao farsante obcecado por uma letra do alfabeto. De novo, o maior predicado dos mesmos era serem amigos do “Rei”….   E por falar no “Rei”,… Read more »

sub urbano
sub urbano
Reply to  Ari Levinson
4 meses atrás

Os americanos não ligam ae os donos da JBS são corruptos. A empresa tem a maior planta frigorifica do mundo nos USA. Podia ser em são paulo ou na bahia mas aqui o governo foi tomado por falsos moralistas. Criticaram o cafezinho pago nas licitaçoes fraudulentas (de obras q geraram milhões de empregos e alavancaram o crescimento do pais) mas não se importam em destruir milhares de quilometros quadrados de floresta amazonica.

Ari Levinson
Ari Levinson
Reply to  sub urbano
4 meses atrás

Essa doeu né!?
 
Meu caro, a teoria da graxa (segundo a qual existiriam corrupções “boas” pois ajudariam o sistema a se movimentar) é muito boa para ser cobrada em concurso público mas na vida real é crime, está tipificado no Código Penal assim como destruir milhares de hectares de floresta é crime ambiental.
 
Querer justificar um ou outro é hipocrisia, simples assim
 
Quanto aos Norte-americanos, logicamente não vão se importar com o grau de corrupção dos irmãos Friboi pois ficaram com o bônus. Já o ônus, a corrupção, ficou para o brasileiro trouxa

sub urbano
sub urbano
Reply to  Ari Levinson
4 meses atrás

Se mostrassem em horario nobre uma fabrica de linguiças o povo ficaria chocado. Assim como ficaram ao saber como funcionam os contratos publicos.

marcus
marcus
Reply to  Ari Levinson
4 meses atrás

O Tacla Duran está chegando para depor. O super Moro vai para papuda.

Ari Levinson
Ari Levinson
Reply to  marcus
4 meses atrás

Você está colocando esperanças demais em um foragido da justiça…..

Ari Levinson
Ari Levinson
Reply to  Ari Levinson
4 meses atrás

Teoria da Graxa (segundo a qual existiriam corrupções “brancas” que movimentariam o sistema) pode ser muito boa para uma banca de concursos cobrar mas na vida real é conduta tipificada no Código Penal assim como desmatar é crime ambiental previsto em Lei específica. Querer justificar um ou outro é intelectualmente desonesto

FABIO MAX MARSCHNER MAYER
FABIO MAX MARSCHNER MAYER
Reply to  sub urbano
4 meses atrás

O problema não foi emprestar dinheiro, foi doá-lo! Porque TODO MUNDO sabia que Cuba, Venezuela e até Angola não pagariam os empréstimos que receberam, isso se dizia já na contratação, que foi feita por motivação puramente ideológica.

Marcelo Monteiro Ribeiro
Marcelo Monteiro Ribeiro
Reply to  sub urbano
4 meses atrás

Ora, é só emprestar para governos com base em critérios técnicos e não ideológicos, não tem nenhum problema. Com exigência de garantias, etc. Por que você acha que nenhum banco do mundo empresta bilhões para o governo venezuelano ou cubano? Por que eles usam critérios técnicos de análise para conceder um empréstimo desse, não ideologia ou afinidade política.

Jmgboston
Jmgboston
4 meses atrás

Não me importo se compraram o Hércules ou o KC390. Fiquei um pouco decepcionado pois pelos comentário que sempre leio nessa coluna o nosso KC veio como replacement do Hércules mundo afora. Não estou dizendo que o KC não é um bôa aeronave. Ele é uma ÓTIMA opção mas parece que ainda não teve oportunidade de mostrar por que esta é o melhor em seu nicho de mercado. O que falta para as vendas decolarem? Ou ainda é muito cedo para isso? Pois escolha de aeronaves militares levam anos e anos.

Douglas Rodrigues
Douglas Rodrigues
Reply to  Jmgboston
4 meses atrás

Acho que falta ao KC-390 uma produção maior e mais operadores.
A FAB é a única operadora com 2 unidades das 28 encomendadas, difícil bater com uma aeronave que voa a tantos anos para dezenas de países mundo afora… Mas vai acontecer, logo Portugal voará as suas, e teremos mais KC-390 com dados concretos para mostrar a eficácia de tal produto… O Super-Tucano demorou anos para vender para países mundo afora, mesmo assim teve que participar de concorrência com outros aviões para mostrar sua capacidade.
Tudo ao seu tempo… Torçamos!

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Douglas Rodrigues
4 meses atrás

A fábrica de Gavião Peixoto é capaz de montar 10 KC-390 por ano,acho que o problema não é cronograma,o prolema é financeiro,por que senão,teríamos bem mais do que duas aeronaves voando…
 
 
 comment image
 

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Jmgboston
4 meses atrás

“Não estou dizendo que o KC não é um bôa aeronave. Ele é uma ÓTIMA opção mas parece que ainda não teve oportunidade de mostrar por que esta é o melhor em seu nicho de mercado”.
 
O KC-390 tem trabalhado muito nessa covid-19,certamente oque não faltam são imagens e videos, necessita a EMBRAER explorá-las…
 
“O que falta para as vendas decolarem? “
 
marketing

Renato
Renato
Reply to  Jmgboston
4 meses atrás

Jmgboston,
O KC390 como qualquer outro produto, precisa de marketing e para conseguir visibilidade vc tem que ter.”alguém” que tenha impacto positivo perante o público alvo.
No caso do KC390 não temos esse garoto propaganda para difundir a imagem de modernidade e tecnologia de um país que pode crescer.
Não me venham que esse garoto propaganda é o Bolsonaro.
Pelo amor de Deus!

Nilton L Junior
Nilton L Junior
4 meses atrás

https://youtu.be/oypAaOA7c8Q assiste esse vídeo depois entenda porque o C-130 leva vantagem

glasquis7
4 meses atrás

Eis que tu chegas aos 40 minutos do segundo tempo, perdendo em casa por 0 a 1 e, não tendo outra opção, tu coloca aquele atacante velho, gordo e que ao parecer está em fim de carreira mas aí, o cara vai e faz dois golaços…
 
Esse é o Hercules. Velho, aparentemente defasado e em fim de carreira mas, na sua função, ninguém faz com o talento e a confiabilidade que ele faz.
 
Às vezes até acho que daqui a uns 6 milhões de anos, quando o mundo acabar, os sobreviventes fugirão do planeta de Hercules.
 
KKK

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  glasquis7
4 meses atrás

Esse Hércules que deve ser do seculo passado