Home Aviação de Ataque Força Aérea Brasileira recebeu oitavo AMX modernizado

Força Aérea Brasileira recebeu oitavo AMX modernizado

12584
174

O jornalista Victor Barreira (Twitter @Defence360) informou que Força Aérea Brasileira recebeu seu oitavo caça modernizado AMX (A-1M) em março, segundo a Embraer.

Onze aeronaves A-1A e três aeronaves A-1B estão sendo modernizadas pela Embraer, em vez de 43 aeronaves (33 A-1As e dez A-1Bs) conforme planejado originalmente.

Quando o programa de modernização tomou forma, a FAB contava com 53 jatos A-1 em seu inventário, sendo dez bipostos e quarenta e três monopostos (posteriormente, um monoposto foi perdido em acidente, no final de 2012). Esperava-se que a FAB modernizasse todos os seus A-1, assim como havia ocorrido no programa do F-5BR.

Mas, naquele momento, a FAB decidiu que modernizaria somente 43 células. O que não se imaginava é que alguns anos depois aquele número seria ainda mais reduzido.

O programa de modernização do A-1 começou em 2003, com a contratação da Embraer como empresa principal e gerenciadora do programa. Houve demora para efetivar o contrato, levando a uma renegociação em 2008. Em 30 de maio de 2007 pousava nas instalações da Embraer em Gavião Peixoto (SP) o primeiro A-1A para testes e avaliações, a aeronave FAB 5530, do terceiro lote. Posteriormente, outra aeronave (FAB 5526) se juntou ao programa de testes.

Em 19 de junho de 2012, ocorreu o primeiro voo de um A-1M (FAB 5526), dando início à campanha de ensaios em voo. O primeiro exemplar de produção do A-1M (FAB 5520) foi entregue à FAB em três de setembro de 2013, e essa aeronave estreou num exercício multinacional, o Cruzex Flight 2013, em novembro.

A modernização daria uma sobrevida de mais 20 anos à frota de AMX.

Em junho 2015 a FAB anunciou que estudava a redução do número de jatos AMX, tendo em vista os novos cenários operacionais e logísticos, principalmente com a chegada da aeronave Gripen.

Cockpit modernizado do A-1M
Subscribe
Notify of
guest
174 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fabio Araujo
Fabio Araujo
1 mês atrás

Muito bom, um excelente vetor que ainda em muito para dar!
 

PACRF
PACRF
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Concordo. No entanto, um país com as dimensões do Brasil deveria ter mais AMX modernizados do que apenas 8, considerando que nossa frota é de aproximadamente 50 unidades, senão me engano.

Rival Sensor
Rival Sensor
Reply to  PACRF
1 mês atrás

É um número miserável, pra não dizer vergonhoso. Fico imaginando as superpotências fazendo jogos de guerras contra o Brasil, acho que eles dizimam a FAB em poucos minutos, um verdadeiro passeio. Reza a lenda que Hitler disse que se quisesse tomava o Brasil com um telefonema, deve ser verdade…
 

Last edited 1 mês atrás by Rival Sensor
Luiz Antonio
Luiz Antonio
Reply to  Rival Sensor
1 mês atrás

Telefonema a cobrar ainda….

ZamZam_Pampa
ZamZam_Pampa
Reply to  Rival Sensor
1 mês atrás

A palavra miserável usada pelo Senhor sintetizou bem a situação

Renato de Mello Machado
Renato de Mello Machado
Reply to  Rival Sensor
1 mês atrás

Foi lenda.

Kemen
Kemen
Reply to  PACRF
1 mês atrás

Não acha que mais Gripen, caças multifunção, seriam melhor para a FAB? Os AMX representaram um marco muito importante, mas só seriam de utilidade em alguns cenários, e isso porque as FA´s de alguns paises da A. L. estão na penúria.

Gustavo Flabis
Gustavo Flabis
Reply to  Kemen
1 mês atrás

Concordo, mas o lapso de tempo para o 1º lote e o possível segundo lote, os 20 anos a mais de emprego do AMX não deixariam lacunas operacionais. Vejo vantagem manter esse meio aéreo ativo até possuir todas as unidades ativas de Gripen.
 

Last edited 1 mês atrás by Gustavo Flabis
Antonio Pereira
Antonio Pereira
Reply to  Kemen
1 mês atrás

Multifunções é um terno genérico, a grosso modo tudo é multifunções, uma faca pode ser usada para cortar cebola ou matar uma pessoa.
Um canhão Otto Melara pode usado contra um um pássaro ou contra uma helicóptero.
Para cada necessidade há uma arma específica, caro amigo, do contrário porque Rússia, China e EUA teriam uma gama tão variada de aeronaves?
Fica a pergunta.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Concordo, bem que podiam avançar em mais algumas celulas

Rui Chapéu
Rui Chapéu
1 mês atrás

Jesus… pra isso que serve Transferência de Tecnologia?
 
Pra contratar em 2003 e entregar em 2020?
 

Elcimar menassa
Elcimar menassa
Reply to  Rui Chapéu
1 mês atrás

errado amigo..faltou foi dinheiro mesmo.

MMerlin
MMerlin
Reply to  Elcimar menassa
1 mês atrás

Sinceramente, esta atualização aí nem deveria ter nascido. O que deveria ter sido feito mesmo era a seleção da nova plataforma no primeiro processo de seleção FX.

PACRF
PACRF
Reply to  MMerlin
1 mês atrás

Discordo. Entendo que o AMX modernizado ainda tem papel na FAB, mesmo com a chegada dos Gripen, assim como o A-10 ainda tem papel na Força Aérea Norte-Americana. A FAB poderá fazer um mix de aeronaves de reconhecimento, ataque e interceptação muito bom com os Gripens, os AMX e os A-29, em conjunto com os E/R-99.

Adriano RA
Adriano RA
Reply to  PACRF
1 mês atrás

Passa pra MB e foca em ataque naval.

Rival Sensor
Rival Sensor
Reply to  PACRF
1 mês atrás

Era com o AMX que disseram que o Brasil iria aprender a construir caças, foi isso que prometeram à época. Foi um fiasco!!!!!!!!!!! Perderam tudo, as cabeças, o ferramental, tudo sucata, hoje sabemos menos que antes. Só acredita em ToT quem acredita em papai noel e saci perèrê, infelizmente com os suecos será a mesma coisa, os Gripados vão voar até 2080 e depois a gente compra outros ToT mais caros do mundo e vamos tocando em frente…

Adriano Luchiari
Adriano Luchiari
Reply to  Rival Sensor
1 mês atrás

Discordo que foi um fiasco e perderam tudo, a ToT transferida na época capacitou a Embraer a desenvolver uma nova geração de aeronaves civis, projetos que foram bem sucedidos. Concordo que pagar a mais por transferência de tecnologia é jogar dinheiro fora, o AMX na época foi apelidado na própria FAB de F-32 porque custou, por unidade, o dobro de um F-16 na época. Teria sido mais inteligente adquirir de prateleira aquela aeronave e padronizar todos os esquadrões de caça com um dos melhores fabricados até hoje.

Alois
Alois
Reply to  Rival Sensor
1 mês atrás

Muito bem dito, esse ToT, que alguns muito defendem, não funciona, falta continuidade, demanda, pagamos caro para não usar, melhor comprar mais, com off set, pelo menos assim temos retorno.

Marcio AR
Marcio AR
Reply to  PACRF
1 mês atrás

A Itália já utilizou recentemente os seus AMX em operações da OTAN com sucesso, por isso, sim valeria a modernização de todas as células, é um ótimo vetor para operações para o qual ele foi projetado, porque o Gripen ainda vai demorar para voar nos céus do Brasil.

marcos antonio caieiro
marcos antonio caieiro
Reply to  PACRF
1 mês atrás

Concordp, plenamente. Deveria ser mantido o plano original(43 aeronaves).

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Elcimar menassa
1 mês atrás

Não, meu amigo, faltou definição correta do que era prioridade… Quando o assunto é capacitação para o combate, a FAB nunca foi lá essas coisas… Quer dizer, pós Segunda Guerra, depois disso…

Zorann
Zorann
Reply to  Elcimar menassa
1 mês atrás

errado amigo…. dinheiro não falta amigo.

Vilela
Vilela
Reply to  Zorann
1 mês atrás

Disse Tudo! com muito menos $ Israel faz mais, Itália faz mais, etc, etc, etc…

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Vilela
1 mês atrás

Acontece que no Brasil o Judiciário mais caro do mundo, e o bando mais numeroso de políticos mais corruptos do mundo levam 99% de tudo.

Leonardo Costa da Fonte
Leonardo Costa da Fonte
Reply to  Joao Moita Jr
1 mês atrás

Cada vez estou mais convencido que é melhor fechar o judiciário! Pagamos mordomias para estes vagabundos trabalharem para bandidos…

JSilva
JSilva
Reply to  Leonardo Costa da Fonte
1 mês atrás

Suponho que você tenha um plano sobre quem seria o órgão responsável por dirimir conflitos da sociedade. Ou vamos voltar à idade das pedras aonde prevalecia a lei do mais forte?

Luiz Antonio
Luiz Antonio
Reply to  Leonardo Costa da Fonte
1 mês atrás

Penso mais além. Devem fechar tudo e oferecer para a República Democrática do Congo. Isso aqui não vai mudar. Quem sabe os caras estão desprevenidos e aceitem.

Glasquis7
Reply to  Joao Moita Jr
1 mês atrás

Então é culpa dos políticos a má distribuição do orçamento a FAB?

JSilva
JSilva
Reply to  Joao Moita Jr
1 mês atrás

O fato do Judiciário ser caro e a própria corrupção não explicam países com menos orçamento fazerem muito melhor com suas Forças Armadas. O orçamento do judiciário deve melhor gasto no judiciário. A corrupção deve ser combatida, é um mal do país mas está longe de ser pior que a má gestão. As Forças Armadas tem o terceiro maior orçamento do país, devem ser capaz de gerir melhor seu orçamento, não dá pra ter um efetivo que é quase o dobro de países que tem mais e melhores equipamentos. Ficar empurrando o problema para coisas subjetivas não acaba com o… Read more »

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Elcimar menassa
1 mês atrás

Só sobraram algumas moedinhas pois o cidadão tinha nove dedos e meio, se fossem dez tinha rapelado tudo.

IgorAraújo
IgorAraújo
Reply to  Elcimar menassa
19 dias atrás

Dinheiro? O orçamento das Forças Armadas é o terceiro maior DO PAÍS. Só fica atrás do MS e do MEC, que precisam de atender MAIS DE 200 MILHÕES DE PESSOAS.

As Forças Armadas são perdulárias, irresponsáveis fiscalmente, e incompetentes logisticamente. Eu já comprei muita briga para dizer o contrário, mas estou cansado. Militar brasileiro é um concurseiro de farda, que esquece que também vive de imposto.

Nada além disso… 90% dos 105 bilhões é para custeio de PESSOAL. Ou seja, só tem despesa, não tem investimento fático nenhum.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Rui Chapéu
1 mês atrás

como assim? Esse programa eh muito anterior ao FX-2 e ao seu ToT…melhor pensar mais antes de escrever baboseiras.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Rui Chapéu
1 mês atrás

É o Brazilian Way…

Karl Bonfim
Karl Bonfim
1 mês atrás

“Mas a FAB decidiu que modernizaria somente 43 células”, então, e as outras aeronaves que não serão modernizadas, voarão do jeito que estão, servirão de para retirar peças de reposição?

Pedro
Pedro
1 mês atrás

A cupula de nossa FA é mais perdida que cego em tiroteio! Chega ao cumulo de ter um ativo nas maos e nao saber o que fazer com ele. Com a qtda gigantesca de Jas-39 que compramos, os mesmos nem para cuidar do espaço aereo irao dar conta, e ainda os Brigadeiros acham que ele sera um tipo de F-35 nacional para substituir tudo quanto tipo de aviao operacional. O A-1 pode nao ser um modelo top de linha, mas consegue fazer ataques em ambientes a nivel de America Latina ou tambem fazer papel de apoio tatico ao exercito (no… Read more »

Mauro
Mauro
Reply to  Pedro
1 mês atrás

Me diz uma coisa, vamos sair daqui para atacar quem na América Latina? perdi essa aula.   O Gripen E é multi-roll, já é um faz tudo, num apertar de botão passa da função ar-ar para ar-terra, os modelos CD já faziam isso na Líbia. Demais aviões de caça especializados em missão ar-ar não tinham essa capacidade.   Su-30 ou Kfir nem necessitam engatar a terceira marcha para sumir das vistas e do radar de um F-35, que nem se quer pode imprimir velocidade de Mach, que já é baixa, menor que um F5M, corre o risco de desmantelamento.  … Read more »

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Mauro
1 mês atrás

A velocidade máxima do F-35 é de 1.930 km/h. A do SH é de 1.915 e a do Rafale é de 1.912. O F-5 beira 1.700 km/h. Portanto, o F-35 é mais rápido que o F-5 e também é mais rápido que Sh e Rafale. O Gripen é melhor nesse quesito, mas diferença é pequena.   Você precisa rever seus achismos. Aviões de caça não apostam corrida. A velocidade máxima de um caça quase nunca é utilizada. Na grande maioria, só é atingida com pouquíssimo armamento. A maior parte do tempo, os caças voam em velocidades de cruzeiro que garantem… Read more »

Vilela
Vilela
Reply to  Luís Henrique
1 mês atrás

onde tu viu isso? F35 é vel max mach 1,6… menos que o F5… cada uma…

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Vilela
1 mês atrás

Mach 1.6 a nível do mar (medição padrão para qualquer aeronave) é 1.975km/h caro amigo desinformado. a velocidade máxima do F-5 continua sendo 1.700km/h

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Vilela
1 mês atrás

A velocidade do som muda conforme a altitude.
Hornet, Super Horbet e Rafale sempre foram divulgados como velocidade máxima de Mach 1,8
O F-35 possui velocidade máxima superior aos 3 modelos, mas divulgam como sendo Mach 1,6

A Boeing recentemente começou a divulgar Mach 1,6 para o Super Horbet também, no lugar do Mach 1,8

Rival Sensor
Rival Sensor
Reply to  Luís Henrique
1 mês atrás

Exato. e como vc disse, vel. máxima é o que menos importa, não estão apostando corrida, quando o SU30 perceber já está levando um AMRAAM do F-35 sem ser detectado.

Heinz Guderian
Heinz Guderian
Reply to  Luís Henrique
1 mês atrás

Só esqueceu de citar que o F-35 se acelerar muito começa a perder sua pintura, o que pode trazer muitos problemas a esse vetor.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Heinz Guderian
1 mês atrás

Nao é bem assim.
Esses problemas ocorreram somente em altitudes extremas, que não são utilizadas normalmente e em baterias de testes seguidos, que não ocorrem na vida real.
E somente nas versões B e C, destinadas para uso em navios aeródromos.

Rival Sensor
Rival Sensor
Reply to  Heinz Guderian
1 mês atrás

Como é mesmo aquele negócio “a mentira repetida mil vezes…”

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Mauro
1 mês atrás

Mauro, o Gripen C/D não mudou de função ar ar para ar Terra, num apertar de botão, na Líbia.

O Gripen na Líbia esteve apenas empregue em missões de reconhecimento.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Mauro
1 mês atrás

Pois é,vamos acabar com as forças armadas brasileiras então,já que não vamos sair para atacar ninguém mesmo.

Elcimar menassa
Elcimar menassa
Reply to  Pedro
1 mês atrás

concordo em partes com vc amigo,mas pra FAB deve ta pesando o fato da falta de recursos pra atualizar mais aeronaves,a questão da logística também já esta pesando para esse modelo,não vai demorar muito a força aérea italiana aposenta os seus ( que estão bem mais desgastados que os nossos,devido a maior utilização dos deles em prol da OTAN) e ai vai ficar difícil de se manter todas as nossas células.
outra questão é que,a FAB com toda certeza estuda um segundo lote de A39.e dependendo de orçamento futuro, e da EMBRAER,poderá ser fabricado aqui mais um lote ,já atualizado.
 

Andre
Andre
Reply to  Pedro
1 mês atrás

Pedro, quando você diz “Com a qtda gigantesca de Jas-39 que compramos, os mesmos nem para cuidar do espaço aereo irao dar conta”, você considera quais inimigos poderiam nos atacar e que não conseguiríamos nos defender com os F5 + Gripen?

Eduardo
Eduardo
Reply to  Andre
1 mês atrás

O “gigantesca” foi em modo irônico.

Andre
Andre
Reply to  Eduardo
1 mês atrás

Essa parte foi fácil entender, o difícil foi identificar qual o potencial inimigo que o Gripen não dariam conta…

Claudio Moreno
Claudio Moreno
Reply to  Pedro
1 mês atrás

Boa tarde colega Pedro,

Eu concordo com teu raciocínio sobre a aeronave, já quanto aos comandantes da FAB eu discordo em partes, pois sem grana não tem muito que se fazer.
Minha torcida é que ainda sobre algum dim dim, para atualizar outras células ademais das já programadas.

CM

Gabriel
Gabriel
1 mês atrás

Na minha modesta opinião, a decisão de modernizar (apenas ?) 14 A-1 parece correta, partindo do pressuposto que será comprado um 2° Lote de Gripen E (+ 36), justamente para substituir os últimos F-5M e A-1M em operação.
 
Longe do ideal pensando por muitos (108 Gripens), mas dentro de uma realidade factível.

Gustavo
Gustavo
Reply to  Gabriel
1 mês atrás

Olá Gabriel! Longe de mim querer desconfiar de você, mas já está certa a compra do segundo lote? Abraço

Gabriel
Gabriel
Reply to  Gustavo
1 mês atrás

…rsrs…
“partindo do pressuposto que será comprado”
…rsrs…
 
Eu não tenho condições nem de afirmar nem se vou pagar a conta do celular, no próximo mes…rsrs

diego
diego
1 mês atrás

É inacreditável a pequena quantidade de caças e fragatas adquiridas nos programas do F-X e das FCT…
Esquerda ou direita no poder não mudou nada…
As Forças Armadas continuarão reduzindo, lamentável.
Já eram poucos caças, o cenário não parece promissor, muito triste.
 

Ramon
Ramon
Reply to  diego
1 mês atrás

É infelizmente não vão mudar tão cedo, se já era ruim quando o país tinha uma economia que crescia um pouco cada ano, imagina agora com a crise vai ocorrer depois da pandemia, se os programas de modernização das forças armadas já existentes se mantiverem ativos vai ser lucro, e outra coisa as forças armadas tem um pouco de culpa nisso também, imagina o dinheiro que eles gastam em camarão e champanhe fosse usado na compra de armamentos eu creio que daria para comprar uns 200 IA2 por ano só com o dinheiro gastos com essas coisas.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Ramon
1 mês atrás

É sim. Comi muito camarão acompanhado com Moet Chandom…

EduardoSP
EduardoSP
Reply to  diego
1 mês atrás

São as prioridades de gasto, tanto do orçamento federal como um todo, como as prioridades das forças armadas. Equipamento e treinamento não são prioritários.

FERNANDO
FERNANDO
1 mês atrás

Jesus… pra isso que serve Transferência de Tecnologia?
 
Pra contratar em 2003 e entregar em 2020?
 
rsrsrs
 
Era melhor ter investido na compra de umas 30 unidades a mais.

Claudio Moreno
Claudio Moreno
1 mês atrás

Bom dia Senhores. Infelizmente por falta de grana a FAB está tomando esta atitude. Porém ainda penso ser um erro imenso! Pois o “Centauro” ainda tem muito a dar em nosso TO. Salva guardando as devidas proporções, vide o caso dos A10 da USAF e dos A1 da AMI que estão em operação e com modernizações em diversos níveis. Nossos A1 levam e ainda levaram o “piano” por años. Agora é o momento de atualizar todos eles ou os com melhor célula. É um engano pensar que a FAB irá mobilizar-se apenas de F39 (lógico que eu queria isso). Em… Read more »

Zorann
Zorann
Reply to  Claudio Moreno
1 mês atrás

Falta de grana? Você realmente acredita nisso? Dinheiro não falta. Falta é administração e vontade para fazer o que realmente precisa.

Welington S.
Welington S.
Reply to  Zorann
1 mês atrás

Realmente, Zorann. Dinheiro? Não falta! A política brasileira precisa de uma reformulação, e rápido. Do jeito que está, não dá mais para ficar. A questão Defesa Nacional, têm que ser debatida e discutida também com o povo brasileiro. É urgente termos também, uma bancada de Defesa Nacional na política brasileira. Sou completamente apaixonado por esse Colossus chamado Brasil, mas, às vezes, parece que esse Colossus só nasceu pra levar porrada, tanto internamente quanto externamente. É inadmissível continuarmos nessa situação. É urgente também que a alta cúpula das Forças Armadas comecem agir e a pensar de forma correta, e não como… Read more »

Maurício.
Maurício.
1 mês atrás

Antigamente, seguidamente eu via os amx voando nos céus aqui de São Leopoldo, que é uma cidade próxima de Canoas, mas já faz algum tempo que eu não os vejo, talvez eles estejam voando apenas na região de Santa Maria mesmo.

pampapoker
pampapoker
Reply to  Maurício.
1 mês atrás

Eu sou aqui de São Leopoldo, faz tempo que não vejo F5 voando e uns dois anos da ausente na expoaer do A1

Last edited 1 mês atrás by pampapoker
EdcarlosPrudente
EdcarlosPrudente
1 mês atrás

Pelo menos dois esquadrões de A-1M deveriam ser mantidos, ou seja, no minimo 24 aeronaves deveriam ser modernizadas.

Saudações!

Rommelqe
Rommelqe
Reply to  EdcarlosPrudente
1 mês atrás

Concordo. E um esquadrão deveria ser localizado em Manaus/Boa Vista.

Carlos Miguez - BH
Carlos Miguez - BH
1 mês atrás

Parece que não pensaram em custo da hora-de-vôo do equipamento e na ampliação (ou manutenção) da proficiência do pessoal envolvido. É inquestionável que o AMX tem o melhor custo-benefício nestes itens.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Carlos Miguez - BH
1 mês atrás

Pensaram na vida útil. Os primeiros AMX foram produzidos em 1989. Já com 31 anos de vida útil. O último lote de 15 aeronaves, que já vieram com melhorias em relação ao lote 1 (8 unidades) e lote 2 (22 unidades), já possui + de 20 anos de uso, em média.   Caso a modernização tivesse ocorrido em 2008, poderíamos modernizar um número maior. Mas como tivemos problemas financeiros e atrasos, não faz mais sentido gastar milhões para modernizar aeronaves do lote 1 ou 2, já beirando 30 anos de uso.   O negócio é continuar com 14 AMX mais… Read more »

EduardoSP
EduardoSP
Reply to  Luís Henrique
1 mês atrás

5 anos entre a entrega da aeronave na Embraer e o primeiro vôo do aparelho modernizado. Isso porque a empresa foi a fabricante do avião e, em teoria, deveria conhecer o aparelho de cabo a rabo. Depois mais 7 anos para modernizar 8 células. Nesses 12 anos, parte dos itens modernizados já não são tão modernos e o custo/benefício só vai aumentando. Imagine entregar em 2022 um aparelho cuja modernização foi concebida em 2007. Realmente não faz sentido.

Rodrigo Bueno
Rodrigo Bueno
Reply to  Luís Henrique
1 mês atrás

Eles vão cumprir a missão ao lado dos Super tucanos em SM.

Flanker
Flanker
Reply to  Rodrigo Bueno
1 mês atrás

Como assim? A Ala 4 é a sede das duas únicas unidades aéreas operadoras de A-1 da FAB…..mas, não é sede de nenhuma unidade área de Super Tucano….

Rodrigo Bueno
Rodrigo Bueno
Reply to  Flanker
1 mês atrás

Mas vai ser. Um esq de A-1M e um de A-29, o quarto guardião da fronteira, que vai fazer CAS também.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Rodrigo Bueno
1 mês atrás

Quem disse?

carvalho2008
carvalho2008
1 mês atrás

Não se pode elogiar um MB-346, T-50, Yak-130 e depreciar o AMX…..ele é muito superior a estes LIFT´s…se o AMX-T tivesse emplacado, seria sensacional na sua categoria.
 
 
 
 

ERIVELTON SILVA
ERIVELTON SILVA
1 mês atrás

Nossa cara. O que eu não daria pra ver um destes aqui na minha cidade. Comparado com um F22 não é nada. Mas para nós brasileiros que estamos carentes é tudo. Acho que se anunciassem um show com caças, que fosse o subsônico AMX, toda cidade iria ver o Show e querer ver o avião de perto. Para as crianças talvez fosse um estímulo para estudar o resto da vida. Ronco de uma maquina destas é capaz de mudar o espírito. Um caça como este, a esquadria da fumaça, tem um poder social imenso, que ninguém parou para pensar. É… Read more »

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
1 mês atrás

É uma pena que os EMBRAER AMX não serão modernizados em sua totalidade, mas ao menos um número razoável deveria ser mantida, 24 caças seria um bom número de aeronaves modernizadas. “Me diz uma coisa, vamos sair daqui para atacar quem na América Latina? perdi essa aula” . [ Mauro]. Não iremos atacar ninguém mas nem por isso devemos relaxar nossa defesa, apesar de que nenhum dos nossos vizinhos da América do Sul pode nos atacar… De todos eles, somente Peru e Chile tem capacidade REVO, seria uma dificil missão, ainda mais sem nem ter uma base para ser usada… Read more »

Lu Feliphe
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
1 mês atrás

Se as atualizações fossem feitas em 2008, hoje teríamos um número maior de aeronaves modernizadas, mas como houveram problemas financeiros no projeto, o projeto atrasou e o número de aeronaves modernizadas baixou, e hoje não faria sentido gastar dinheiro para manter esses aviões voando por mais tempo com a substituição dele pela plataforma sueca a Força Aérea vai manter um número bem razoável das aeronaves modernizadas até ser completamente substituído.
Em um suposto ataque desses países as operações logísticas seria muito grandes além do dinheiro envolvido, fazendo com que essas operações de ataque sejam praticamente impossíveis de acontecer.

Last edited 1 mês atrás by Lu Feliphe
Marcos10
Marcos10
1 mês atrás

Cara de Brasil mesmo. Dezessete anos para modernizar 14 aeronaves.

Leonel.testa
Leonel.testa
Reply to  Marcos10
1 mês atrás

À ideia era manter 3 esquadrões de A1 mas o fato é que será só 1 com mais um de F5 também. Com a chegada do segundo lote de F39 serão aposentados pelo jeito.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Leonel.testa
1 mês atrás

Sim. O tempo passou.
A aposentadoria dos AMX deve ser no período de 2020 à 2030.
Os 14 modernizados poderão atuar por mais tempo, durante a década de 30.
 
Em 2008 podia ser uma boa modernizar 43 AMX. Hoje acho besteira. As células mais antigas já possuem 30 anos de uso.

Argos
Argos
Reply to  Leonel.testa
1 mês atrás

Se chegar um segundo lote…

Junior P.
Junior P.
1 mês atrás

Boa tarde galera,

Alguém sabe como ficaram as entregas do radar Scipio SCP-01?
Esse radar está mesmo operando nas aeronaves modernizados?
Tenho a impressão de que não se fala nisso a muito tempo.

Lu Feliphe
Reply to  Junior P.
1 mês atrás

As modernizações dele incluíam esse radar, é provável que eles foram entregados, porém não foram implementados em grande número devido as modernizações que atrasaram.

Fernando EMB
Fernando EMB
1 mês atrás

Ótimo… Entra um dinheiro para a Embraer muito bem vindo nesta crise.

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Fernando EMB
1 mês atrás

Sério?! Ah o Dinheiro público, não é?! Rsrsrsrs
Espera, mas não era a Boeing que iria salvar a empresa da banca rota?! Rsrsrs… Ah, o tempo… É o senhor da razão, sabia?!?!
Lamento o cancelamento do teu visto, ou do green card, foi mal…. rsrsrs
Por favor, foi só brincadeira… Neste tempos difíceis, uma coisa não devemos perder e isto é o bom humor!!!
Cotovelos!!! 😉
 

João Bosco
João Bosco
1 mês atrás

Creio que é uma falta de senso da FAB modernizar um numero tão pouco dessas aeronaves, pois : 1 – Nem se sabe se o governo comprará ou não um novo lote de Gripens e muito menos a quantidade a ser adquirida; 2 – Somos uma das poucas forças aéreas no mundo a ter uma aeronave dedicada ao apoio aéreo aproximado e sim, é uma aeronave muito importante, independente se nossos vizinhos podem ou não nos atacar; 3 -Sempre fui partidário a termos umas duas aeronaves ou mais para funções de ataque. Já repararam que muitos países utilizam duas ou… Read more »

Souto.
Souto.
Reply to  João Bosco
1 mês atrás

Boa tarde amigos alguem sabe se o AMX modernizado
pode disparar missil ar ar ou ar terra??

Lu Feliphe
Reply to  Souto.
1 mês atrás

Ele na sua antiga versão podia disparar mísseis ar ar e ar terra.

GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  João Bosco
1 mês atrás

Discordo muito, Sr. JB.   “Por que não a FAB utilizar o Gripen e o AMX modernizado, além do Super Tucano?” Porque o Gripen simplesmente terá praticamente todas as capacidades de que AMX faz hoje e muito melhor.  Ademais, acredite… manter esses AMX é caríssimo. Arrisco a dizer que será mais caro mantê-lo que os Gripen. (ver post do amigo Luciano SR71 abaixo).   “A França utiliza o Rafale, mas não tirou do seu inventário os Mirage 2000D”. Não tirou porque não deu tempo e/ou ainda não teve grana. A França não tem a rotatividade dos EUA e também de… Read more »

Lucianno
Lucianno
Reply to  GFC_RJ
1 mês atrás

Você sabe informar o custo de hora/vôos do AMX?

Fighting_Falcon
Fighting_Falcon
Reply to  Lucianno
1 mês atrás

Em regra isso é uma informação reservada.

LucianoSR71
LucianoSR71
Reply to  GFC_RJ
1 mês atrás

Caro GFC_RJ, obrigado pela citação do meu comentário. Por mais que queiramos, não dá p/ ir contra a realidade dos fatos.

Zorann
Zorann
Reply to  João Bosco
1 mês atrás

Eu escrevi um comentário estes dias em outro post, onde fui muito negativado por dizer que estas aeronaves não modernizadas podem fazer falta. Exatamente pelo que citou no item 1. E com esta crise derivada da pandemia, um segundo lote de Gripens está mais distante.

Tomcat4,2
Tomcat4,2
Reply to  João Bosco
1 mês atrás

Falou tudo João Bosco. Mas a idéia de tempos pra cá é a racionalização e otimização e nada melhor que diminuir ao máximo a cadeia logística da manutenção de equipamentos militares o que faz os custos despencarem.

Filipe Prestes
Filipe Prestes
1 mês atrás

Penso que a Embraer (se tiver condições financeiras e mercadológicas para tal) poderia desenvolver um lift, como o KAI FA-50. Apostar na EDS para se reinventar e diversificar como a empresa quer e precisa é uma opção que deveriam considerar. Uma associação com a HAL seria bem-vinda e mercado para a aeronave (apesar dos concorrentes de peso) não falta vide os muitos países alla Argentina que precisam ter algum vetor aéreo crível mas não tem grana pra bancar.

LucianoSR71
LucianoSR71
1 mês atrás

Todas as vezes que aparecem aqui matérias sobre o AMX, lembro que o maior Calcanhar de Aquiles do bom vetor é seu motor RR Spey, que iniciou sua vida no jato comercial BAC 1-11 em 1964 ( ! ). Os nosso foram produzidos pela Fiat-Avio, a manutenção é cara e difícil, não dá p/ esticar muito mais a vida operacional dele e não vale a pena a troca por um mais moderno, pois é um processo muito mais complexo e caro que parece. Infelizmente é a força da realidade superando nossos desejos.

Wellington Góes
Wellington Góes
1 mês atrás

A FAB, da década de 1990 até a primeira metade da primeira década dos anos 2000, até tinha um planejamento interessante… Daria condições de se aproximar, até igualar, com forças aéreas médias, depois que um certo japonês assumiu o comando…. Aí foi ladeira abaixo… E não se pode dizer que foi falta de dinheiro (hoje sim, mas naquela época, nem um pouco)… Desde então voltou a ser uma força aérea medíocre… Um verdadeiro aeroclube… Com pouco ou nenhuma capacidade de combate…

Eduardo
Eduardo
Reply to  Wellington Góes
1 mês atrás

Não exagere (negativamente) também.

GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  Wellington Góes
1 mês atrás

Outro que discordo demais!   Das três forças brasileiras, a FAB vai ser a de maior capacidade “up to date” nos anos 20 e 30. Gripen + E-99M + Link BR2 + KC390 + R-99 + STs… Tudo com nível altíssimo de conteúdo e tecnologia nacional. Fala sério. Será de nível altíssimo.     Onde que está pegando?   1 – Na questão espacial… MUITO atrasado. Já tinhamos que ter o PESE adiantado e uma constelação de satélites importante no ar.   2 – Os programas de mísseis foram decepcionantes. A suspensão do MAR-1 foi um chute “naquele lugar” e… Read more »

Bardini
Bardini
Reply to  GFC_RJ
1 mês atrás

A modernização dos 05 E-99 e o progresso no desenvolvimento do Link BR2 são investimentos extremamente superiores a modernização dos AMX, em um ambiente de contenção de recursos.
.
Modernizar os Tucanos e os Super Tucanos é muito mais racional do que modernizar os demais AMX, nessa altura do campeonato…

GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  Bardini
1 mês atrás

“A modernização dos 05 E-99 e o progresso no desenvolvimento do Link BR2 são investimentos extremamente superiores a modernização dos AMX, em um ambiente de contenção de recursos”.
 
Com certeza! Se pôr o MICLA-BR na conta, então…
 
 
“Modernizar os Tucanos e os Super Tucanos é muito mais racional do que modernizar os demais AMX, nessa altura do campeonato…”
 
A modernização desses T-27s é um novelão maldito também.

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  GFC_RJ
1 mês atrás

O MICLA-BR é um projeto que foi colocado no papel ontem, isto depois de MUITO TEMPO do EB ter iniciado o MTC-300… detalhe, só foi planejado AGORA na FAB, porque era uma vergonha para aquela força ficar de fora de algo tão estratégico, mas só AGORA com o novo comando, pois os anteriores…. Tudo seria solução de mercado (igual ao teu entendimento, daí porque concorda com tamanha mediocridade), inclusive mísseis táticos de cruzeiro (como se isto fosse vendido na padaria da esquina, rsrsrs). Quanto a modernização dos Tucanos…. Não entendi o espanto, afinal não é a FAB a força prática… Read more »

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  GFC_RJ
1 mês atrás

Vai ser?! Rsrsrsrs A FAB tem uma capacidade de combate risível… Sequer tem algum componente (armamento) estratégico… Estes projetos já estão aí a muito tempo e se não estão prontos, foi porque a própria FAB jogou contra… O LinkBR-2 já era para estar pronto a muitos anos… Assim como o próprio AMX-M e o falecido MAR-1, mas advinha?! A FAB deu graças a Deus que o Maduro não é tão maluco o suficiente… Do contrário, nenhum avião FABiano sobrevoaria, sequer, o espaço aéreo de Roraima, justamente, porque não tem o binômio AMX-M e MAR-1… A FAB, especialmente de 2006 pra… Read more »

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Wellington Góes
1 mês atrás

KC-390 é aeronave REVO.
Gripen por ser um caça mais leve e monomotor, carrega menos combustível. Uma aeronave como o KC-390 é mais do que suficiente para ampliar o raio de ação dos nossos Gripens em toda América do Sul.

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Luís Henrique
1 mês atrás

E?! Os E-99M poderão ser reabastecidos no ar para ficarem mais tempo On-Station?! Adivinha?! Quanto a poderem ser reabastecidos, os F-5M também podem, mas também advinha?!
Acho que o amigo não sabe o que acontece, de fato, quando o bicho pega… Uma dica, quanto menos aeronaves envolvidas, especialmente aeronaves consideradas alvos estratégicos, melhor… Daí porquê forças aéreas realmente com capacidade crível de combate, possuem, pelo menos, aviões de caças médios pra cima… Ou aeronaves REVO e de AEW&C com tamanho/autonomia consideradas estratégicas…
A FAB não passa de um enorme aeroclube…

Last edited 1 mês atrás by Wellington Góes
GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  Wellington Góes
1 mês atrás

“Os E-99M poderão ser reabastecidos no ar para ficarem mais tempo On-Station?!” Não. Mas isso é prioritário, urgente e essencial somente na sua opinião. Na minha e, pelo visto da FAB também, muito mais urgente são os equipamentos de auto-proteção da aeronave e isso está incluído na modernização.  O E-99 já tem uma autonomia razoável. Aumentar essa autonomia não é simplesmente ir lá e pôr um probe. Isso altera estruturalmente a aeronave e, provavelmente, para tal, seria mais em conta adquirir aeronaves novas e não incluir nas atuais. Ademais, para atuar muitas horas no ar, se precisa ter mais de… Read more »

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  GFC_RJ
1 mês atrás

Para um MLU, os E-99M estão bem aquém do desejável… Especialmente para um país do tamanho e pretensões do Brasil… Só justificaria se a FAB já estiver pensando passá-los em frente… Mas o que a FAB já deveria estar trabalhando?! No seu substituto… Com o fracassado (ainda bem) acordo com a Boeing, o projeto do E-190 e P-190 já deveriam ter voltado ao radar da força, mas advinha?! E sim, ter capacidade C⁴I é, em qualquer força aérea séria, prioritário, estratégico, urgente e essencial… Só na tua cabeça e na de alguns iluminados na FAB que acham que não… Cotovelos!!!… Read more »

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  GFC_RJ
1 mês atrás

O E-99 já possui um autonomia satisfatória. A capacidade REVO permitiria a decolagem de pistas mais curtas, representando uma surpresa tática. A instalação do sistema REVO não tem nada de complicado. É até bem simples e não impactaria nos custos totais. Infelizmente, foi uma orelhada sim. Eu fui gerente do GT da modernização em 2009, no EMAER.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Wellington Góes
1 mês atrás

Essa diferença que você fala existe em relação ao Gripen A/B e C/D. No Gripen E/F o aumento de combustível interno e externo foi brutal, colocando a versão E/F do Gripen no mesmo patamar de alcance e raio de ação das aeronaves ditas “médias”. Qual a vantagem em raio de ação ou alcance de um Eurofighter para um Gripen E? Não existe.   A única vantagem de alguns caças médios residem no quesito carga de armas. Enquanto o Gripen transporta 5 Toneladas, o Super Hornet consegue carregar 8 toneladas.   Mas, esta vantagem aparentemente grande, não é tão grande assim,… Read more »

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Luís Henrique
1 mês atrás

Outro que joga super trunfo… Rsrsrsrs
Detalhe, com um avião que sequer tem um IOC.

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Luís Henrique
1 mês atrás

Raio de ação do KC-390 em configuração tática.
 
http://sistemasdearmas.com.br/ca/kc390raio1.jpg

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
1 mês atrás

comment image

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
1 mês atrás

comment image

GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  Wellington Góes
1 mês atrás

Falou várias coisas, mas muito desestruturadas para pintar um quadro de terra arrasada que, como falei, discordo bastante.   Sim. A capacidade de combate ATUAL é ruim. Muito ruim? Não, apenas ruim. E dentro do cenário regional, sobe o nível um pouquinho… para razoável.    “Vai ser?! Rsrsrsrs” Sim, vai. Mas como você mesmo disse, para daqui a 5 a 8 anos. O caminho está bem trilhado e, nesse período, mantenho o que disse: que a Força Aérea estará num nível bem alto em termos mundiais, pois o Gripen, o KC390, o E-99M e o link BR2 vão sair e… Read more »

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  GFC_RJ
1 mês atrás

Orelhada são os teus comentários, SEMPRE, contando com ovo no fiofó da galinha… Nada que tu colocou é projeto pronto, é tudo intenção e projeções futuras… Vê se aprende… Papel aceita tudo!!! Aliás, muito disso, como o MICLA-BR, é nascimento pra lá de atrasado… A FAB sempre foi questionada sobre nunca ter quisto entrar no projeto MTC-300, só agora, com a nova gestão foi que se espertou… Aí tu vens fazer projeções de que será a “melhor força armada do Brasil daqui alguns anos”?! Faça-me o favor…. Ter capacidade crível de desenvolver e produzir seus próprios mísseis ar-ar ou antirradar… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Wellington Góes
EduardoSP
EduardoSP
Reply to  Wellington Góes
1 mês atrás

Sem querer fazer apanágio do japonês, ele conseguiu desmontar a compra do Rafale, que já estava armada pela dupla Jobim e Lula, fazer o governo financiar o desenvolvimento e comprar KC-390 e adquirir o Gripen. Não me parece uma administração desastrosa.

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  EduardoSP
1 mês atrás

E evitou a Zelotes?! Detalhe, não foi com Rafale…. Uma coisa não tem nada a ver com a outra… O que o japonês conseguiu foi empurrar a FAB ainda mais pro chão… Não tem uma aeronave de caça descente… Os projetos válidos que a FAB tem, não foram gestados na época do japonês, mas antes dele… Todos que foram da sua gestão, ou estão atrasados, ou foram aquisições pura e simples, sem qualquer ganho em capacidade operacional, ou tecnológica… O resto é discurso político-ideológico mequetrefe

Last edited 1 mês atrás by Wellington Góes
Sérgio Luís
Sérgio Luís
1 mês atrás

No lo lo lo tá de bom tamanho!

ITALO LOBO
ITALO LOBO
1 mês atrás

Moderniza uns 30 e faz deles treinadores.

Marcelo
Marcelo
Reply to  ITALO LOBO
1 mês atrás

nao existem 30 bipostos p modernizar…acho que no maximo 10.

Vitor
Vitor
1 mês atrás

A História do A-1 é repleta de Atrasos no cronograma e falta de verba. É uma Pena, se tivessem concluído essa modernização entre 2007 e 2010 teríamos um vetor Moderno até perto de 2030, ou seja por 20 anos. A AMI (Italia) está em processo de desativar sua frota e com isso vai toda uma linha de manutenção. Poderemos comprar sobressalentes e eventualmente modernizar mais células Brasileiras, porém vai depender de orçamento. Considerando que o COVID vai criar um rombo no nosso orçamento vejo que investimento militar em 2020 e 2021 vai ficar bastante crítico. Teremos sorte se em 2022… Read more »

Wagner
Wagner
1 mês atrás

Vergonhoso. Como quase tudo que se passa no BR.

Zorann
Zorann
1 mês atrás

A defesa não é prioridade da FAB. Isto é mais do que claro.   É um absurdo demorar tanto tempo para modernizar 8 aeronaves. Isto não pode ser motivo de comemoração, isto é motivo para sentir vergonha.   Esta última de reativar os COMAR e o comando das bases aéreas é uma prova clara disso. Oque vão gastar com este cabidão, garantiria seguramente a modernização do restante da frota (que ainda voa).   Quando você imagina que a FAB vai partir de fato para uma reestruturação, com a criação das Alas e tudo mais, reduzindo os gastos com pessoal e… Read more »

Lucianno
Lucianno
Reply to  Zorann
1 mês atrás

Concordando contigo complemento com a informação com a comparação do efetivo de algumas forças aéreas:
 
RAF: 33.840 (Reino Unido)
AA: 40.800 (França)
Luftwaffe: 27.820 (Alemanha)
RAAF: 14.313 (Austrália)
FACh: 11.500 (Chile)
IAF : 34.000 (Israel)
FAB: 80.900 (Brasil)

ANDRE DE ALBUQUERQUE GARCIA
ANDRE DE ALBUQUERQUE GARCIA
Reply to  Lucianno
1 mês atrás

E olha que todas, salvo o Chile, são forças com muito maior capacidade de combate que a nossa! Lamentável saber desse retrocesso. A reestruturação era um bom começo. Acredito que o TB Rossato deve estar muito chateado com isso. Quem puder, leia a entrevista dele, dada pouco antes de terminar seu período no comando, à Revista Força Aérea. Uma aula de racionalidade e conhecimento do problema. Fui militar da FAB por 10 anos. Amo minha Força, mas não posso deixar de reconhecer que temos uma força aérea irrelevante em capacidade de combate e, ao mesmo tempo, com efetivo enorme e… Read more »

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  ANDRE DE ALBUQUERQUE GARCIA
1 mês atrás

Irrelevante? Bicho, foi na FAB do Brasil ou na FAB da Bolívia que você serviu? Cada um que me aparece!!!

Zorann
Zorann
Reply to  Marcelo Andrade
1 mês atrás

Pelo tanto que ela gasta… ela é irrelevante..

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Lucianno
1 mês atrás

FAB 70 mil, não 80 mil. Mas, agora, coloca também a população e tamanho dos países citados.

marcus
marcus
1 mês atrás

Deveriam modernizar somente as 25 aeronaves do último lote.
O restante seria desmontado, os motores revisados para servirem de reposição.
Esse segundo lote de Gripens não vai chegar tão cedo.
http://sistemasdearmas.com.br/amx/amx01moderniza.html#:~:text=O%20AMX%20foi%20encomendado%20por,anteriores%20n%C3%A3o%20eram%20mais%20produzidos.

Diego Tarses Cardoso
Diego Tarses Cardoso
1 mês atrás

A aeronave é linda, equipada com o MTC-300 poderia colocar qualquer defesa no chão rapidinho, exceto uma lá de cima, que ficaria mais a cargo do Astros 2020.

Souto.
Souto.
Reply to  Diego Tarses Cardoso
1 mês atrás

O A-1M pode disparar algum missil anti navio?

Lu Feliphe
Reply to  Souto.
1 mês atrás

Atualmente ele não possui essa capacidade.

FABIO MAX MARSCHNER MAYER
FABIO MAX MARSCHNER MAYER
1 mês atrás

Um programa FRACASSADO, que levou 17 anos para entregar 8 aeronaves.
 
Só não é pior que o programa de modernização dos A-4 da Marinha.
 
Somente INCÚRIA, irresponsabilidade e incompetência explicam isto, não é a falta de dinheiro, é a falta de foco!

Rodrigo Maçolla
Rodrigo Maçolla
1 mês atrás

Vou comentar o que muitos já disseram , O AMX é um ótimo vetor muito bom, é uma vergonha tanta demora pra modernizar 8 aviões, Realmente uma vergonha !!! Esperamos mais racionalização por pares de todos, Espero que que a FAB acorde para isso, sei que não é culpa total da FAB, as verbas é que mandam mais ainda sim é muito pouco

Leandro
Leandro
1 mês atrás

Nossa, uma discussão interminável, sobre cartinhas de Super Trunfo.   Hoje a FAB possui dois grandes custos: O Gripen E/F que é um tremendo vetor de combate com seus armamentos , tais como mísseis Meteor, capacitação das equipagens e da base de Anápolis e o KC390. Portanto, neste momento, desviar recursos para um vetor em fim de carreira , não é muito inteligente. O AMX poderá ser modernizado aos poucos. Defendo até, que sirva como vetor de treinamento avançado junto com os A29, para formar melhor os pilotos da primeira linha que irão voar os Gripens. Como já foi dito… Read more »

Overandout
Overandout
1 mês atrás

Nesse ritmo acelerado receberemos o último já enviando o primeiro pro ferro velho

Leandro
Leandro
1 mês atrás

Ainda falando de custos, lembro aos participantes, que outro grande investimento está sendo feito pela FAB na modernização dos vetores de Alerta Aéreo Antecipado, que terão seus radares acrescidos em quase 100% de alcance. Isto para poder dar maior suporte ao Gripen na arena de combate, e dar prosseguimento no desenvolvimento do que se chama “Guerra Centrada em Redes” que é o que nossas forças armadas estão buscando Hoje.
 
Abraços a todos.

Lu Feliphe
Reply to  Leandro
1 mês atrás

As capacidades do radar serão aumentadas e também o alcance será aumentado, creio que 100% do alcance é um número que você se equivocou.
As Forças Armadas estão procurando se modernizar em guerras centradas em rede, o que é muito bom.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Leandro
1 mês atrás

100%? Menos….

Plinio Jr
Plinio Jr
1 mês atrás

O cenário econômico pós pandemia coloca em risco a encomenda de um 2º lote de Gripens, seria interessante a FAB modernizar mais um lote de 10 unidades e totalizar 24 aeronaves modernizadas, daria um bom folego operacional a avião de combate, lembrando que os F-5s devem estar no bico do corvo em termos de expectativa de vida operacional ….

Marcelo
Marcelo
Reply to  Plinio Jr
1 mês atrás

tambem acho que poderiam ser modernizadas 24 unidades para equipar os 2 esquadroes de Santa Maria.

Paulo Costa
Paulo Costa
1 mês atrás

Na próxima Cruzex poderemos fazer missões noturnas com o A-1M.

Lu Feliphe
Reply to  Paulo Costa
1 mês atrás

Sim, as capacidades principalmente as tecnológicas foram aumentadas, mas creio que até lá nossos pilotos vão estar voando na plataforma sueca.

Jmgboston
Jmgboston
1 mês atrás

Posso me sentir mais seguro?

Lu Feliphe
Reply to  Jmgboston
1 mês atrás

As capacidades do avião foram aumentadas, ou seja uma maior disponibilidade para os pilotos e capacidades operacionais da Força aérea.
Se sentir seguro é uma coisa relativa que pode incluir seu emocional ou psicológico, até porque um caça não protege uma rua, mas em defender o espaço aéreo no qual você se refere, sim na região não há países com capacidade de invadir o Brasil, ainda falta muita coisa, mas na nossa região ninguém consegue nos invadir.

rocha
rocha
1 mês atrás

Vejo dentro da nossa realidade, que o ideal seria modernizar 20 aeronaves, temos um pais continental, Doar certa quantidade para a Marinha,que estaria avançando na atualização do seu parque aéreo, essa poderia custear a modernização, e venderia ou trocaria os e guardaria os restantes para canibalização.ou cederia a um País hermano(Uruguai.Bolívia ou Paraguai).
E aguardar os Grifos.

Larri Gonçalves
Larri Gonçalves
1 mês atrás

Ótima noticia, a FAB em momentos de grana curta tem que focar na modernização do que tem o A-1 (AMX) é um deles, deve atualizar (modernizar) o máximo que puder é uma ótima aeronave de ataque e reconhecimento para nosso cenário na America do Sul e depois tem como arrumar reposição com os AMX italianos que estão dando baixa, tipo motores, digo turbinas, pelo menos, modernizar o T-27 para a academia (AFA), os super-tucanos nos moldes do ST que a SNC manda para o Afeganistão. Sabe lá se vamos conseguir adquirir mais Gripen’s a curto prazo e talvez a médio… Read more »

Nilton L Junior
Nilton L Junior
1 mês atrás

Esse é mas um projeto que entra pra história da Embraer.

Douglas Mota
Douglas Mota
Reply to  Nilton L Junior
1 mês atrás

Aqui no Rio de Janeiro, o A-1 5530 está espetado em uma praça.Alguém sabe o que aconteceu com ele para estar nesta praça,ele era um dos protótipos do A-1M.

Flanker
Flanker
Reply to  Douglas Mota
1 mês atrás

Essa aeronave que está espetada aí no RJ está pintada como sendo o 5530, mas não é o 5530 de fato. Se prestar atenção na aeronave “espetada”, ela não tem as modificações feitas nas células modernizadas (que forma aplicadas no 5530), a mais visível sendo o radome do radar maior, a mais fácil de perceber. A aeronave colocada em exposição recebeu a matrícula do 5530, mas é uma célula não modernizada.

Douglas Mota
Douglas Mota
Reply to  Flanker
1 mês atrás

Obrigado! pela explicação.

Lu Feliphe
Reply to  Nilton L Junior
1 mês atrás

Sim, é verdade. Graças a transferência de tecnologia dessa plataforma, a Embraer pode criar seu primeiro avião a jato comercial.

Last edited 1 mês atrás by Lu Feliphe
Henrique
Henrique
1 mês atrás

Um bom vetor que cumpre um papel ajustado para nosso cenário na AL. Lamentável termos dinheiro pra fundão partidário e outras regalias políticas e falte dinheiro para modernizar míseras 50 aeronaves num país continental.

JSilva
JSilva
Reply to  Henrique
1 mês atrás

Assim como é lamentável gastar praticamente todo o orçamento com efetivo, principalmente quando se olha para outras Forças Aéreas que tem muito mais aeronaves e efetivos bem menores.

André
André
1 mês atrás

Meus Deus! Modernização a passos de um cágado manco…

Mauro
Mauro
1 mês atrás

O F-35 tem uma, e apenas uma única chance contra um Su-30, para ficar apenas neste. Dispara um míssil ou todos de uma vez, como os F-4 faziam no Vietnã e reza para acertar, caso contrário, o Su-30 vai ver esses mísseis, vai dar a volta e sabrecar bonito o F-35 com suas ameixas quentes de 23 mm.   É provável que autorize o piloto a ejetar em segurança antes de pulverizar seu “oponente”.   Essa é a verdade. EUA não abrem mão do F-15 e demais por conta disso, sabem que o F-35 é avião de jardim.   Outra… Read more »

Flanker
Flanker
1 mês atrás

No texto está escrito que o 5530 é do 2⁰ lote, mas o correto é 3⁰ lote, composto por 22 aeronaves A-1A do 5530 ao 5544 e A-1B do 5654 ao 5660). O monoposto perdido em acidente em 2012, citado no texto, era o 5540, do esquadrão Poker, em acidente no sul de SC, tendo seu piloto ejetado, mas faleceu. O que não foi citado no texto é o acidente com o biposto 5660, no ano passado, em Viamão/RS, com perda total.

Anselmo da Costa Andrad
Anselmo da Costa Andrad
1 mês atrás

Espero que o F-39 Gripen tenha um futuro melhor que o AMX, nós contribuintes agradecemos!

Leandro Abreu
Leandro Abreu
Reply to  Anselmo da Costa Andrad
1 mês atrás

Caro amigo, certamente terá pois ao contrário do AMX, o Gripen virá completo em sua aviônica e sensores assim como disporá de armamento de primeira linha, mísseis BVR Meteor, misseis A-Darter nacionais, bombas guiadas e muito mais.

willhorv
willhorv
1 mês atrás

É algo surreal o que está sendo relatado! Chega a ser caso de estudo de como uma força aérea em parceria com o poder público é ineficiente e incompetente. Um programa que leva 10 anos para ser implementado (relativamente simples estas modificações) e entrega 8 aeronaves em outros 7 anos….quase uma por ano! Como podem achar isso bom!!? Uma coisa que deveria já estar operacional em pelo menos 48 unidades a mais de 5 anos!!! Deixando um lastro operacional de 15 anos com aeronaves capazes para que a capacidade mínima de ataque e dissuação seja mantida até a suposta substituição… Read more »

Jhon
Jhon
1 mês atrás

AMX de hoje é o gripem de amanhã! a conta vai ser a mesma, uns 50 Gripens por o preço de 120 F35, o tempo dirá.

Tomcat4,2
Tomcat4,2
Reply to  Jhon
1 mês atrás

Rapaz…..que viajada da braba hein!!!

Glasquis7
1 mês atrás

Pessoal, estão entregando hoje uma modernização contratada há 17 anos…
Essa modernização já não vem obsoleta?
 
Eu já acho que deveriam parar em 8 células pra manter a doutrina e partir pra outro vetor especializado ou até mais Gripen.
 
O AMX pode até ser um bom vetor mas não tem escala. A manutenção se torna cada dia mais cara e devem existir poucas peças pra repor.
 
Mantem a doutrina e foca no novo vetor, depois de tudo, o Gripen não é multimissão?

Luiz Antonio
Luiz Antonio
1 mês atrás

Pela quantidade que foi modernizada e pelo que foi gasto, temos um dos simuladores de vôo mais caros da história.

Mauro
Mauro
1 mês atrás

Não tinha pensado em repassar para a MB, mas é uma ideia interessante. Esse avião é muito válido ainda, tem boa autonomia, boa capacidadede carga, altamente manobrável, num dog abateu dois F-16 na Red Flag…e não teve nenhuma perda, cumpriu mais de 75% das missões e a média dos demais aviões foi de menos de 60%.   Essa modernização o deixa muito mais válido do que já é.   Além da MB que poderia absorvê-los, também quem sabe a Argentina pudesse ser um destino, ao menos 18 desses aviões modernizados aos argentinos, eles estão sem nada praticamente, e com esse… Read more »

Oráculo
Oráculo
1 mês atrás

Assim como ocorre nas outras forças, a FAB deve ser a única Força Aérea no mundo que tem mais brigadeiros do que caças…

Sequim
Sequim
Reply to  Oráculo
1 mês atrás

Para quem tem 7 caças AF-1 dos anos 1960 , ter uns 25 AMXs da década de 1980 seria um grande salto. Poderia haver modernização para integração de míssil anti-navio e um bom radar. E não há necessidade de adaptação para porta-aviões já que não dispomos de um.