Home Aviação Comercial Após fracasso com a Boeing, Embraer entra no radar de China, Índia...

Após fracasso com a Boeing, Embraer entra no radar de China, Índia e Rússia

4782
117
Embraer E190-E2

Fabricantes de aeronaves estão sondando a companhia brasileira Embraer semanas depois que a estadunidense Boeing abandonou os planos para uma união histórica da aviação comercial, informaram à mídia pessoas familiarizadas com o assunto.

A Boeing interrompeu os planos de comprar 80% da unidade comercial da Embraer em abril, encerrando uma mudança planejada no ramo dos jatos regionais, em um movimento semelhante ao feito pela Airbus em 2018, ao comprar a mesmo setor da canadense Bombardier.

A fabricante de aviões estatal chinesa COMAC manifestou interesse informal em cooperação com a terceira maior fabricante de jatos do mundo, revelaram duas fontes à agência Reuters. A companhia russa de aeronaves Irkut também explorou a questão, disseram outros dois, apesar de a empresa negar qualquer interesse atual.

A Índia, outra potência aeroespacial em ascensão focada principalmente na defesa, mas com um enorme mercado civil, transmitiu informalmente interesse ao nível do governo enquanto estudava o assunto, destacaram outras fontes.

Isso coloca o destino da Embraer no centro do chamado grupo de nações BRICS, com cada uma das estratégias aeroespaciais aprimoradas, à medida que a Airbus e a Boeing enfrentam a crise do novo coronavírus.

Nenhuma das partes citadas admitiu interesse na negociação, tampouco quis tecer comentários.

Comac C919

Concorrência com Boeing e Airbus

Tanto a COMAC quanto a Irkut estão desenvolvendo aeronaves para competir diretamente com a Airbus e a Boeing no movimentado mercado de 150 assentos. Os planos da China são considerados os mais avançados.

Um acordo com a Embraer acrescentaria recursos de engenharia e suporte global, mas também entraria em conflito com jatos regionais menores e comercialmente menos bem-sucedidos desenvolvidos pelos dois países.

Uma fonte da indústria russa disse que a principal controladora do Irkut, a Rostec, está se concentrando no MS-21 existente, projetado para competir com as aeronaves regionais da Airbus e Boeing, e o Superjet.

Irkut MC-21-300

Embora tenha investido pesadamente em peças e manutenção, a Índia é o pretendente menos visível no setor aeroespacial comercial, com nenhum projeto ativo além de um jato de 14 lugares chamado SARAS.

Mas a Índia tem um requisito potencial para o desenvolvimento de um jato regional de 80 a 90 lugares – uma categoria ocupada pela Embraer – para o projeto UDAN, assinado pelo primeiro-ministro Narendra Modi, para expandir os serviços aéreos para pequenas cidades.

A Embraer também é vista como uma chance única de reequilibrar as ambições aeroespaciais da Índia contra a rival estratégica China.

FONTE: Sputnik News

Subscribe
Notify of
guest
117 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Gustavo
Gustavo
1 mês atrás

Se a questão é a necessidade de parceria o melhor é a Índia. Será o 1o do mundo em PIB em algumas décadas, um país que tem um grau maior de democracia que os demais. Alea jacta est.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Gustavo
1 mês atrás

Também acho que a parceria com a Índia é a melhor opção pois uma parceria maior com a China ou com a Rússia poderia trazer problemas futuros com os EUA. E outra coisa a Saab esta tentando vender o Gripen e como já existe a parceria entre a Embraer e a Saab no Gripen brasileiro e isso poderia dar uma força para o Gripen Indiano.

SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
Reply to  Gustavo
1 mês atrás

A Índia foi a maior economia do mundo pela maior parte da história, o que mudou o jogo foi a revolução industrial. Uma nova revolução industrial, onde elimine totalmente a necessidade de mão de obra humana, pode mudar as coisas novamente então essas previsões não são totalmente certas.

MMerlin
MMerlin
Reply to  SmokingSnake 🐍
1 mês atrás

Essa nova revolução industrial (chamada de 4.0) começou a 10 anos, principalmente na Alemanha, e se acelerou logo em Janeiro.
Basicamente as industrias estão questionando: Pode ser feito por home office? Não? Põem na lista (de automatização)!
É triste e já ouvi algumas vezes desde Janeiro.
Mas as empresas estão fazendo investimentos pesados utilizando os recursos emergenciais fornecidos pelos bancos. Muitos falam que é a última tentativa e estão correndo para terminar antes do próximo covid.

Vivaldo J Breternitz
Vivaldo J Breternitz
Reply to  SmokingSnake 🐍
1 mês atrás

Discordo – eles tem que pensar no que fazer com os mais de 1 bilhão de habitantes… Mas tem um sistema educacional MUITO melhor que o nosso

PACRF
PACRF
Reply to  Gustavo
1 mês atrás

Se o PIB da China parar de crescer, pois grana não tem ideologia, sexo, raça nem religião. Se democracia fosse parâmetro para relações diplomáticas e comerciais, ninguém se relacionaria com a Arábia Saudita, muito menos com a China, é claro.

GUSTAVO
GUSTAVO
Reply to  PACRF
1 mês atrás

Como democracia não é um parâmetro? Relações Irã Israel, Venecuba EUA.
Ninguém vai deixar de se relacionar com a China, porém…

Denis
Denis
Reply to  GUSTAVO
25 dias atrás

Em nenhum desses casos que você citou o fator “democracia” é central.

Rodrigo
Rodrigo
Reply to  Gustavo
1 mês atrás

Não é verdade, nas proximas decadas a China vai tomar o primeiro lugar e se manter la, pelo menos é o que a projeções indicam.

Tulio Rossetto
Tulio Rossetto
Reply to  Rodrigo
1 mês atrás

O que pode ser um problema para a China no futuro, e essa é a vantagem da Índia, é a demografia. As políticas de filho único do governo chinês já vão mostrar seu resultado logo, a população está envelhecendo rápido, o que pode se tornar um pesadelo no futuro.

GUSTAVO
GUSTAVO
Reply to  Rodrigo
1 mês atrás
Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Gustavo
1 mês atrás

Aí você está atrelando política interna com questões comerciais.
Se olhar só a questão comercial ela irá para quem pagar melhor.
É assim que funciona o mercado.
Não estão buscando um alinhamento político, e sim um parceiro comercial.
Pão é pão e avião é avião, não confunda as coisas caro Gustavo!

marcus
marcus
Reply to  Gustavo
1 mês atrás

Vendam para China por 20 bilhões de doletas, elem estão rasgando dinheiro.

Antoniokings
Antoniokings
1 mês atrás

Ontem a Boeing anunciou a dispensa de 13.000 funcionários.

E comunicou que novas demissões estão a caminho.

Hoje, a GE manifestou desânimo com o mercado aeronáutico.

Companhias de avião estão despedindo às dezenas de milhares.

Esse mercado está totalmente travado e sem perspectivas de melhoras, nem a médio prazo.

Será complicado alguém ter interesse na EMBRAER.

Aguardemos.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Mas nessa época de covid com muitas restrições os aivões da família E-jets estão voando mais que os outros pois se enquadram melhor nas normas de restrição. E isso o mercado esta de olho, quando passar a pandemia muitas coisas vão mudar e esse perfil de aeronaves podem ter um mercado maior.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Fábio Araújo

O problema é que parece estar ocorrendo uma espécie de proteção aos produtos nacionais.

A China Eastern Airlines criou uma empresa, a OTT, só para operar com aparelhos ARJ-21 e C-919.

Esta semana, a Red Wings da Rússia anunciou que só vai comprar Superjet 100 e MC-21.

Daí, não saberia dizer qual o interesse delas na EMBRAER.

A Índia é a incógnita de sempre.

Tutu
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

Prestígio?

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

A Embraer tem uma filial na China e vende bem por lá, e esses projetos russos e chineses estavam muito atrasados, não sei nem se já estão operacionais. Mas ainda aposto nos indianos pois não teríamos riscos de sofrer numa briga comercial da China ou da Rússia com os EUA.

Salim
Salim
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Fabio, Embraer tinha sociedade com empresa chinesa para fazer erj145 e o 650 com Harbin, a associação acabou em 2016. Mais ou menos quando tomou corpo desenvolvimento de jato equivalente chines. Hj mercado chinês e abastecido por Brasil.

EduarsoSP
EduarsoSP
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Vende bem nada. O mercado lá para aeronaves regionais é bem fechado. E a filial, como dito pelo colega abaixo, já fechou há tempos, exatamente por haver restrições a aeronaves regionais desenvolvidas fora.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Isso ate o os EUA arrumar briga com a India. Os EUA vêem o mundo de duas formas, os clientes e os concorrentes. Toda potêncial concorrência a eles terá problemas.
Todo país em assenção, cresce onde quem era grande, diminui.

Jmgboston
Jmgboston
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Posso estar enganado, nem vou procurar no google mas ela tinha, tinha uma filial na China. Lidar com a China é difícil.

marcus
marcus
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

A tecnologia que a Embraer domina. A China e a Russia estão passando por problemas nos projetos da aviação comercial.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

aí é que tá, a Embraer era na minha opinião a salvação da Boeing, com os Europeus e Chineses a vida deles ia ficar difícil, com embraer a Boeing ia continuar sendo um dos maiores vendedores de grandes aviões de passageiros, visto que Embraer tem colocado sempre modelos competitivos n mercado e sua gestão de projetos é superior, agora a Boeing pode estar vendo seu mercado se restringer ao EUA, Canadá e talvez austrália, a Boeing não vai quebrar mas vai perder muito mercado no setor de jatos de passageiros. Já embraer está tendo uma janela de opotunidade, mas que… Read more »

100nick-Elã
100nick-Elã
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Se a gestão da Boeing é superior, então porque está falindo? me explica aí, garotão

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  100nick-Elã
1 mês atrás

Vc entendeu errado. A gestão da Embraer é superior

EduarsoSP
EduarsoSP
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Menos, né? A Boeing fatura dezenas de vezes o que a Embraer fatura. O portfólio é infinitamente maior e mais variado. E a Embraer é que iria,salvar a Boeing?

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  EduarsoSP
1 mês atrás

Sim porque a Boeing tá perdendo espaço muito rápido para Airbus. E ainda tem os chineses entrando forte no mercado. No pós corona vírus os europeus talvez pressionam e ajudem a Airbus a vender mais. Boeing não vai acabar como eu já disse, porém corre sério risco de deixar de ser o que é hj. Os próprios executivos da empresa viram isso.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Antoniokings
1 mês atrás

A China… porque não? Só tiveram meia duzia de mortos…

USS Independence
USS Independence
1 mês atrás

Agora sim… A galera vai a loucura com a possibilidade da EMBRAER virar subsidiária de empresa russa ou chinesa.

Isso sim será sinal de liberdade e independência. #sqn

Hélio
Hélio
Reply to  USS Independence
1 mês atrás

Como sempre, o fanboy dos americanos acusando os outros do que eles são.

Abner
Abner
Reply to  Hélio
1 mês atrás

Não campeão,o que ele está dizendo é sobre a hipocrisia de muitos que quando a venda era para os estados unidos,era ameaça a soberania e agora que são russos e indianos o discurso muda,dizendo que seria uma boa parceria.Simples assim.

Interpretação em conjunto de contexto político é muito importante nesses dias atuais…

Saudações

Hélio
Hélio
Reply to  Abner
1 mês atrás

Hipocrisia só se for dos fanboys dos americanos, porque até agora não vi ninguém agir dessa forma, o que eu vi é muito “liberal” que defendia a entrega da Embraer para os americanos se tornar “nacionalista” de uma hora para a outra.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  USS Independence
1 mês atrás

Relaxa, o sucesso da EMBRAER esta baseado em um ótimo avião com os melhores motores e avionicos do Mundo… se for comprada por Russos ou Chineses é pouco provavel que tenha acesso a esses equipamentos. Será a morte da EMBRAER.

Fico só a imaginar ingleses, americanos e franceses a negar os pedidos, principalmente num mundo em crise onde os empresas nacionais devem ser fomentadas.

Brunow
1 mês atrás

Embraer não faz o tipo de Empresas que a Rostec controla, os Russos sempre busca autossuficiência, os produtos Embraer são um “quebra cabeça” com componentes vindo de vários países..
Agora os Chineses sim, estes são os sanguessugas que podem estar desejando a Embraer.
Os Indianos melhor parceria, ou continua sozinha..

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Brunow
1 mês atrás

Um “quebra-cabeça” com as melhores peças que existem no Mundo. Não conta para ninguém, mas é desa forma que a EMBRAER alcançou o sucesso e fez a sua fama no Mundo.

Ricardo Azevedo
Ricardo Azevedo
1 mês atrás

Creio que a melhor parceria seria uma troca de ações com a Saab. Impresas complementares.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Ricardo Azevedo
1 mês atrás

Torço por isso

Filipe Prestes
Filipe Prestes
Reply to  Ricardo Azevedo
1 mês atrás

Espero que assim seja mesmo. A SAAB seria uma parceira mais confiável que qualquer das empresas russa, chinesa ou indiana. Seria bom pra Embraer se captalizar (e aproveitar a chance para se diversificar) e bom para a SAAB que voltaria ao mercado civil da aviação.

marcus
marcus
Reply to  Filipe Prestes
1 mês atrás

Seria bom. A Suécia é um país neutro. A Embraer associada a Saab continuaria vendendo bem na Europa e no mundo.

Carlos Campos
Carlos Campos
1 mês atrás

Eu vejo a situação como oportunidade para embraer, poderíamos copiar os Chineses e financiar a Embraer para para entrar em vários mercados, só ficaria difícil os Chinês, venderíamos os aviões quase ao preço de custo para tentar quebrar tentaivas de outros países em fazer aviões de passageiros regionais, que eu saiba a Russia, Japão, China e India tem projetos assim, a Bombardier tá sofrendo muito, mesmo com a Airbus, virou um zumbi financiado pelo Canadá.

Tomcat4,2
Tomcat4,2
1 mês atrás

Voto pela parceria com a Índia o que nos manterá fora das tretas geopolíticas das outras duas empresas (na verdade de seus países) com o tio Sam que fornece muita coisa pra Embraer (a começar pelos motores).

Hélio
Hélio
Reply to  Tomcat4,2
1 mês atrás

Eu acho que qualquer parceira deveria mirar o fim da dependência de um só fornecedor. Nesse caso, vejo com melhores olhos uma parceria com a Rússia e a China do que com a Índia, se formos continuar dependentes dos EUA.

Lu Feliphe
Reply to  Hélio
1 mês atrás

Os Russos e Chineses sempre gostam de ter um fornecedor único que provavelmente seria de um desses dois países. A Embraer tem aviões com vários fornecedores desde os EUA a Europa.
Os Indianos tem uma ótima capacidade industrial, e nós não teríamos de enfrentar brigas geopolíticas entre os EUA e China.

Last edited 1 mês atrás by Lu Feliphe
Fernando OP
Fernando OP
1 mês atrás

FONTE: Sputnik News” Aí não dá né. Isso não é fonte, é propaganda.

Vinicius Momesso
Vinicius Momesso
Reply to  Fernando OP
1 mês atrás

Se fosse apenas a Rússia a interessada, eu ficaria “com a pulga atrás da orelha” mas se tratando de China, aí a coisa muda de figura.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Fernando OP
1 mês atrás

Ainda bem que não fui o primeiro a falar sobre isso.

Hélio
Hélio
1 mês atrás

E o Japão? A Mitsubishi e a Honda não tem interesse algum? Daí sim eu acho que pode sair coisa boa para o Brasil, além de se projetar no mercado asiático, que é o futuro do setor, as trocas tecnológicas podem ser extremamente interessante para os dois lados.

Roger
Roger
Reply to  Hélio
1 mês atrás

O Japão através da Mitsubishi está negociando a parte da CRJ da Bombardier, mas com a situação causada pela pandemia ela também cortou seu projeto próprio, o M100 e está focando no M90.

Mauro
Mauro
Reply to  Hélio
1 mês atrás

Japão e Coreia do Sul, esse é o caminho. Índia pode fazer parte também, mas creio que o interesse maior deles seja na parte militar.

Zorann
Zorann
1 mês atrás

Quer fortalecer a Embraer? Dê a ela um mercado interno. Somos um país de dimensões continentais, e devido à diversos fatores, pouca gente usa o transporte aéreo no Brasil. Incentivem a aviação comercial como um todo, dando maior ênfase a regional, reduzam impostos e taxas que a coisa começa a andar. Estamos aí com a Latam pedindo recuperação judicial, e há quem diga que a situação da Gol é ainda pior. A China, Rússia, Índia, e claro, Estados Unidos e União Européia, têm seus fabricantes de aeronaves e possuem um mercado interno(consolidado e/ou em expansão, ou advindo de sua influência… Read more »

Salim
Salim
Reply to  Zorann
1 mês atrás

Todos os paises priorizam compra de suas empresas aereas em unidades locais e nacionais, VR China, Rússia, Japão, europa, usa, etc… Brasil tem 4 aéreas de porte e só uma usa Embraer, misterio porque não dar financiamento com juros baixos em real para parteproduzida no Brasil e incentiva o uso de aeronaves brasileiras no Brasil, embora logico náo e feito.

Hélio
Hélio
Reply to  Zorann
1 mês atrás

Por que fazer isso se a própria Embraer alardea por aí que não é uma empresa brasileira?
A Embraer já provou que não tem compromisso algum com o Brasil, logo eles que vão buscar cota de mercado em outro canto.

Salim
Salim
Reply to  Hélio
1 mês atrás

Helio, Embraer empresa nacional com sede Brasil e producão Brasil. Como toda empresa top mundial tem ações em bolsa e as mesmas podem ser compradas por qualquer um. Aqui náo estamos acostumados com isto pois maioria empresas são estrangeiras ( triste, mas e verdade ). Embraer tem uma cláusula no contrato social que governo pode bloquear certas operações danosas a segurança nacional. Infelizmente governo náo e muito nacionalista.

Hélio
Hélio
Reply to  Salim
1 mês atrás

Salim, a própria Embraer diz o contrário, apagou dos seus documentos todas as menções sobre ser brasileira e se diz “empresa global”.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Zorann
1 mês atrás

Para isso seria preciso que o Brasil fosse gerido por verdadeiros estadistas,coisa que esse país não tem há décadas.

Michel C
Michel C
1 mês atrás

Meu sonho de consumo seria uma parceria Embraer + Saab + Mitsubishi/Bombardier. Isso daria um samba com Brasil / Suécia / Japão / Canada nas áreas aviação civil / militar / aeroespacial com gente como a gente, séria, cheia da grana e de competências.

Lu Feliphe
Reply to  Michel C
1 mês atrás

A Empresa Japonesa já tem uma plataforma para competir com a Embraer. A Bombardier já tem uma parceria com a Airbus, a melhor opção é da Índia, mas também seria interessante ter a SAAB nessa parceria hipotética.

Last edited 1 mês atrás by Lu Feliphe
Salim
Salim
1 mês atrás

Triste ver pais continental com população enorme menosprezando ativo deste porte e relevância a soberania nacional.

Rogério Loureiro
Rogério Loureiro
1 mês atrás

Não foram os russos que afirmaram anos atrás que a Embraer era uma empresa americana? Agora ficou estranho esse interesse pela empresa. Os Chinas a meu ver iriam apenas se apoderar de todo o capital de conhecimento da Embraer em todos os sentidos e áreas, ainda de passagem iriam transformar a empresa em um grande laboratório para aprendizagem. Após aprenderem o que precisassem, iriam produzir literalmente todo o avião pecinha por pecinha lá, na China. E São José dos Campos se transformaria em uma cidade fantasma. Digamos. O mais atrativo na minha opinião seria a Índia, cujo PIB cresce significativamente… Read more »

Luiz Trindade
Luiz Trindade
1 mês atrás

Rapaz… Nem sei o que é pior… Ficar do jeito que está ou ser comprado por algum deles… Triste ver aonde chegou a Embraer…

Lu Feliphe
Reply to  Luiz Trindade
1 mês atrás

Não é uma questão de comprar, mas sim de ter uma parceria para enfrentar a Airbus e a Bombardier já que essas duas se uniram.
Seria muito melhor uma parceria com os Indianos, pois eles tem uma grande capacidade industrial.

Last edited 1 mês atrás by Lu Feliphe
SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
1 mês atrás

A Embraer tem plenas condições de competir com essas empresas pequenas desses países

Matheus
Matheus
Reply to  SmokingSnake 🐍
1 mês atrás

Se você acha que a COMAC é “pequena” então voce deve ir estudar mais sobre aviação comercial.

Mauro
Mauro
1 mês atrás

Pessoal falando em “mercado interno”. Em tom meio ufanista e patriótico. Meu Deus. A Embraer é uma empresa GLOBAL, e seu mercado é GLOBAL. O maior mercado de passageiros do mundo está num país chamado Estados Unidos da América. O A-220 é fabricado lá, e a Airbus também já tem fábrica lá para seus outros modelo. Só vejo companhia aérea dos EUA comprando aviões da Airbus, como se por serem americanas fossem obrigadas a comprar da Boeing, não tem nada a ver, essas empresas são privadas e visam o lucro, sempre foi e sempre será assim no livre mercado e… Read more »

Lu Feliphe
Reply to  Mauro
1 mês atrás

Creio que isso vai depender, pois os EUA sempre apoiaram suas indústrias.
Houve negociações entre a Bombardier e a Mitsubishi a Mitsubishi já tem uma plataforma rival da Embraer, o kc 390 não foi achado necessidade para a construção lá, a Boeing e a Embraer fizeram um acordo para as vendas dele que não foi afetado com o cancelamento da parceria na área de aviação regional, acho bem difícil os Americanos com a substituição do c 130 escolherem o kc 390.

Zorann
Zorann
Reply to  Mauro
1 mês atrás

Uau…. Você é fera em interpretação de texto. Não entendeu absolutamente nada do que eu disse. Não falei em momento nenhum em nacionalismo.

E você está certo. A Embraer deve sim levar sua linha de montagem de seus principais produtos, inclusive o E2 para os EUA.

Matheus Santiago
Matheus Santiago
Reply to  Mauro
1 mês atrás

“Pessoal falando em “mercado interno”. Em tom meio ufanista e patriótico. Meu Deus.”

O potencial do mercado interno de aviação é enorme, mas depende de vários fatores.

1) Alta mobilidade geográfica e social da população.

2) Acelerado deslocamento das fronteiras econômicas.

3) Inserção global

4) Estabilidade monetária em longo prazo

5) Aumento do poder aquisitivo dos consumidores.

Fora esses fatores, já temos:

Somos o segundo maior mercado de aviação agrícola.

Somos o terceiro – éramos o segundo a pouco tempo atrás – maior mercado de jatos particulares.

Temos o segundo maior número de aeroportos do mundo.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Matheus Santiago
1 mês atrás

Não confundir ¨aeroporto¨ com pista asfaltada… Aeroporto, de verdade, no Brasil, talvez uns 50. Eu sou comandante na Azul. Sei o que estou falando.

Matheus Santiago
Matheus Santiago
Reply to  Rinaldo Nery
1 mês atrás

Segundo a ANAC, existem no Brasil 588 aeródromos públicos e 1910 aeródromos particulares, dados do ano de 2018. Como sabemos que o Brasil não possui esse tanto número de aeroportos, possivelmente em todas as estatísticas encontradas – inclusive as divulgadas pela ANAC, consideram também “pista asfaltada” como um aeródromo.   Porém, quase a totalidade dos embarques e desembarques ocorrem em apenas 65 aeroportos, sendo que 31 se localizam nas capitais do Brasil.   Devem haver centenas de aeródromos sem a mínima infraestrutura para receber aviões de médio e grande porte, mas que podem receber aviões de pequeno porte. Parece-me que… Read more »

Jorge Medeiros
Jorge Medeiros
1 mês atrás

Acredito que uma fusão entre Embraer, COMAC, e a Irkut, independente das especificidades regionais, iria potencializar uma nova gigante da indústria aeronáutica. É claro que para fazer omelete tem-se que quebrar ovos.

Mas, o resultado poderia ser surpreendente.

Lembrem de como surgiu a Airbus.

Karl Bonfim
Karl Bonfim
1 mês atrás

Eu não sou especialista, portanto a minha opinião não vale de nada, mas eu não confiaria no grande dragão oriental, ele não é nada confiável, já usou a “coitada da EMBRAER”, a última parceria era só embuste, eles só queria a experiência e o Know-how na manufatura de desse tipo de aeronave. Além da Índia, eu também procuraria o Japão. Uma parceria com a Mitsubishi poderia ser bem interessante, com a Rússia eu também me ariscaria. Como alguém aqui já comentou, além da falta de confiança o maior problema da China e da Rússia, são os Estados Unidos, além de… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Karl Bonfim
Lu Feliphe
Reply to  Karl Bonfim
1 mês atrás

A empresa Japonesa já tem uma plataforma para competir com a Embraer.
A Índia entre as opções é a melhor pois não ficaríamos com problemas na geopolítica entre EUA, Rússia ou China.

Marcos10
Marcos10
1 mês atrás

Uai! Tinha um pessoal aí contra o negócio com a Boeing e agora estão pianinho.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Marcos10
1 mês atrás

São os RedBoys…

alex prado
1 mês atrás

A ÍNDIA seria a melhor e mais confiável que RUSSIA E CHINA. SE BEM QUE NA ATUAL CONJUNTURA DO MUNDO NINGUÉM E LA MUITO CONFIÁVEL.

Luiz Antonio
Luiz Antonio
1 mês atrás

Já que a Embraboeing entrou em parafuso chato, na minha opinião a EMBRAER deveria obter recursos, o que parece que vai ocorrer, permanecer sozinha e aguardar o que vai acontecer com o mercado. Sair para o mundo em um cenário mais do que nebuloso será suicídio, ainda mais se procurar aliar-se a países, digamos assim, suspeitos. Uma boa hora para olhar o mercado na base da pirâmide e identificar necessidades que possam utilizar o know-how adquirido em tecnologias de produtos e processos em produtos terrestres.

Last edited 1 mês atrás by Luiz Antonio
Paulo Lahr
Paulo Lahr
1 mês atrás

Sinceramente, o Brasil deve defender a Embraer de uma integracao dessas.

Lu Feliphe
Reply to  Paulo Lahr
1 mês atrás

Não é uma compra, mas sim uma parceria para enfrentar a parceria entre a Airbus e Bombardier.

Paulo Lahr
Paulo Lahr
Reply to  Lu Feliphe
1 mês atrás

Foi o que eu disse. QUe o Brasil deve defender (Proteger) a EMB de uma integracao deste tipo.

Lu Feliphe
Reply to  Paulo Lahr
1 mês atrás

A Embraer sozinha não vai conseguir competir com essas duas ao mesmo tempo, um parceiro na qual permita o desenvolvimento conjunto seria muito bom por isso os Indianos são os melhores da lista.

MFB
MFB
1 mês atrás

Essa fonte 🤓

Anderson
Anderson
1 mês atrás

Não entendo essa necessidade de vender a Embraer Comercial, creio que ela tem todas condições de continuar Brasileira e aumentar seu portifólio como um avião turboélice na faixa de 50 a 90 passageiros, espero que nosso governo apoie essa empresa porque após a pandemia quem tiver preparado vai se estabelecer no mercado.

Lu Feliphe
Reply to  Anderson
1 mês atrás

Não é vender, mas sim ter que aguentar a concorrência da Airbus e Bombardier.
É necessário achar um parceiro para poder desenvolver em conjunto, por isso creio que os Indianos são os melhores em uma hipotética parceria.

Last edited 1 mês atrás by Lu Feliphe
Marcelo M
Marcelo M
1 mês atrás

Japão e Rússia tiveram problemas técnicos que não conseguiram superar nos seus jatos regionais. China com seu jato médio. Embraer tem know how. Equipe de engenheiros qualificada e criativa. Coisa que atraiu o interesse da Boeing em primeiro lugar. Que não consegue mais atrair os melhores cérebros americanos, todos indo pro Vale do Silício. De qualquer modo, a China já se mostrou não ser um parceiro confiável, especialmente no respeito à propriedade intelectual. A questão relativa à fábrica na China e à joint venture com a Harbin acendeu a luz amarela. Russia tem problemas similares. Autoritarismo, ambiente de pouca liberdade… Read more »

Gabriel BR
Gabriel BR
1 mês atrás

Tomara que sejam os indianos

Adriano Madureira
Adriano Madureira
1 mês atrás

A COMAC certamente tem poder de fogo para comprar a EMBRAER parcialmente ou totalmente, quanto a IRKUT, já não tenho tanta certeza, mas em mundo de pandemia, tudo é possível…

Afinal os com poder financeiro, aproveitam a turbulência do mercado para adquirir empresas em fragilidade.

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
1 mês atrás

Lastimadamente, agora podemos dizer: Adeus para sempre Embraer.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Tadeu Mendes
1 mês atrás

Sim, na mão de Russos e Chineses perderá os seus maiores atributos técnicos.

Marcos
Marcos
1 mês atrás

Com a Índia seria uma ótima parceria, no futuro poderiam até expandir para a área espacial. Russia e China com seus devaneios de ‘destruir o ocidente’ não seria nada interessante essa parceria, principalmente por conta das canetadas do Tio Sam, sendo que grande parte dos componentes são americanos.

Lu Feliphe
1 mês atrás

Analisando essas possíveis parcerias, vejo que a Índia é a melhor entre elas.
Os Indianos tem uma grande capacidade industrial, eles utilizam uma plataforma da Embraer awacs, no qual a versão awacs deles utiliza um avião da Embraer.
Os Chineses iriam querer os conhecimentos técnicos para evoluir o projeto da comac, os Russos utilizam equipamentos de um só fornecedor na qual seria eles mesmos e sabemos como as políticas deles são quanto a isso.
A Índia seria a melhor opção, além de que não ficaríamos em brigas geopolíticas entre EUA, Rússia ou China.

André Bueno
André Bueno
1 mês atrás

Como sonhar é livre e gratuito, vamos lá. Imagino uma proposta da Lockheed, grande rival da Boeing. A proposta da americana seria como a da Boeing, valendo apenas para a divisão de jatos comerciais da brasileira, porém numa proporção 60/40 a favor da americana. O nome continuaria Embraer e o time de desenvolvimento seria brasileiro. A Lockheed está longe da aviação comercial desde muito tempo, então os principais gestores seriam da Embraer. O objetivo é alavancar as vendas dos EJets mas criar um concorrente para as linhas A320 e 737 no médio prazo. A Lockheed tem dinheiro e influência para… Read more »

Mauro
Mauro
Reply to  André Bueno
1 mês atrás

Por que não 49/49 e 2% simbólicos nas mãos do governo brasileiro mantendo a Golden apenas para casos específicos?? tipo, mudar de nome, levar tudo embora e alterar mudança de participação.

Que eu saiba, a Golden nunca foi usada em toda sua história.

André Bueno
André Bueno
Reply to  Mauro
1 mês atrás

Sim, tudo bem. Foi só um exercício, uma brincadeira. Obrigado pela resposta.

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  André Bueno
1 mês atrás

Sonhar é livre mesmo… Lockheed abrir mão do hércules, seu avião mais famoso pelo concorrente KC390 🤔⁉️ sonho…

Mauro
Mauro
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
1 mês atrás

Lockheed já tentou se associar com a Embraer no início do programa KC-390. Não sei se sabes disso.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
1 mês atrás

Eba!!! RedBoys a vibrar!… hahahah

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
1 mês atrás

A grande questão é que os projetos da Embraer sempre foram espetaculares, pois sempre foram equipados com os melhores motores e avionicos do Mundo. Se for comprado por Chineses ou Russos os aviões terão motores chineses/russos (o mesmo se aplica para os avionicos)?

Aviões Chineses e Russos não fazem sucesso por serem menos eficientes do que os da Embraer, Boeing e Airbus.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Ricardo Bigliazzi
1 mês atrás

Alguém duvida que engenheiros Russos seriam incapazes de fazer um ótimo avião no aspecto aerodinamico? Eu não os menosprezo.

Já os chineses tem uma dificuldade com “pás de turbina”.

Douglas Rodrigues
Douglas Rodrigues
1 mês atrás

Venda da EMBRAER não é um bom negócio…

Parceria sim, e com termos bem ajustados!

Na verdade, a empresa brasileira nem está tão mal das pernas, e as perspectivas para suas aeronaves são melhores do que para as aeronaves problemáticas da Boeing.

Capa Preta
Capa Preta
1 mês atrás

Óbvio que a companhia indiana e a melhor opção.
E óbvio também que as da Rússia e principalmente China vidam adquirir para eliminar um concorrente e não uma parceria.

fewoz
fewoz
1 mês atrás

Todo mundo sabe que a “parceria” com China e Rússia não vai rolar, por vários motivos óbvios. Muitos aqui já falaram e concordo, mas alguém imagina como se daria uma parceria com a Índia?

Ricardo Barbosa
Ricardo Barbosa
1 mês atrás

A notícia na verdade é uma anti notícia. É um grande nada da agência Sputnik News, mestre na desinformação e na boataria sem fundamento

Dr. Mundico
Dr. Mundico
1 mês atrás

No mundo empresarial, existem diversos artifícios e artimanhas com o único objetivo de “agitar” o mercado e expor intenções do adversário. Mal comparando, são algo como balões-sonda lançados para observar reações do inimigo e revelar sua posição. Em nível corporativo, isso é realizado através de notícias plantadas em jornais, sites e meios de comunicação devidamente ‘amestrados” e remunerados para isso. Sempre vai ter quem acredite e sempre alguém vai abrir a boca para falar alguma coisa. De repente alguém pode até acordar mais rico amanhã….. Enfim, é apenas especulação, boato, “notícia” plantada para provocar reações e opiniões mundo afora. No… Read more »

leonidas
leonidas
1 mês atrás

Para mim a melhor opção seria India, seguida de Rússia.

A China com certeza seria a pior e no frigir dos ovos iria sugar o que interessa e jogar o bagaço fora…

Alexandre
Alexandre
Reply to  leonidas
1 mês atrás

Nenhum dos três.

Welington S.
Welington S.
1 mês atrás

Com a China?

Com a China?

Com a China?

Com a China?

Com a China?

China não. China nunca.

Lyw
Lyw
1 mês atrás

Era uma vez um sonho chamado “indústria aeronáutica brasileira”… Jaz aqui a única indústria de alta tecnologia nacional relevante.

Alexandre
Alexandre
1 mês atrás

Não aceite nenhum oferta destes três países, isso pode custar muito caro para a Empresa.

A Embraer pode continuar evoluindo com seus próprios pés, pois ela também é uma potência. Orgulho nacional!!!

Lu Feliphe
Reply to  Alexandre
1 mês atrás

A Embraer é uma grande empresa, mas ela precisa de um parceiro para o desenvolvimento e parceria no setor de aviação comercial regional, já que a Embraer não pode sozinha lutar contra a Airbus e a Bombardier juntas.

100nick-Elã
100nick-Elã
1 mês atrás

Por que a Embraer não pode simplesmente ser brasileira?

Lu Feliphe
Reply to  100nick-Elã
1 mês atrás

Atualmente a Embraer visa ter um parceiro para enfrentar a concorrência entre a Airbus e Bombardier.

Last edited 1 mês atrás by Lu Feliphe
Leonardo M.
Leonardo M.
1 mês atrás

Pessoal falando que a parceria com a Índia seria o melhor negócio.

Manchetes em 2035
“7 avião Kc390 cai na Índia”

Lu Feliphe
Reply to  Leonardo M.
1 mês atrás

A Índia tem parcerias com a Embraer, eles também buscam desenvolver uma linha de aviação comercial regional então uma parceria poderia ser vantajosa.

FABIO MAX MARSCHNER MAYER
FABIO MAX MARSCHNER MAYER
1 mês atrás

A China já fez parceria com a EMBRAER. O resultado foi um concorrente copiado “ipsis literis” dos projetos da companhia brasileira… sem royalties!

Décio Joaquim
Décio Joaquim
1 mês atrás

Concordo com Gustavo, seria bom acordo com a Índia na área espacial. o Programa deles para por satélites é o mais barato.

David R
David R
1 mês atrás

Há umas semanas atrás escrevi um bom comentário em que afirmava que idealmente seria a Leonardo, e em segundo lugar a HAL.
 
Cheque ao rei!