Home Aviação de Transporte Cessna SkyCourier realiza primeiro voo

Cessna SkyCourier realiza primeiro voo

2468
21

O protótipo de turboélice bimotor Cessna SkyCourier decolou em seu primeiro voo na manhã de domingo (17) do Beech Field no campus leste da Textron Aviation em Wichita. Comandado pelo piloto de testes sênior Corey Eckhart e pelo chefe de testes Aaron Tobias, o utilitário voou por duas horas e 15 minutos.

Com um pedido inicial da FedEx para 50 exemplares do avião de asa alta e opções para mais 50, o SkyCourier é capaz de voar a 200 nós (321 km/h) movido por dois motores turboélice Pratt & Whitney PT6A-65SC de 1.100 shp movendo hélices McCauley de 110 polegadas (2,79 m). Ele também possui uma cabine de pilotagem Garmin G1000 NXi.

Configurável para operações de carga e de passageiros, o turboélice de asa alta é projetado para transportar uma carga útil de até 6.000 libras (2.724 kg) com uma porta de carga de 87 polegadas (2,2 m), um piso plano e uma cabine alta e larga de quase 70 polegadas (1,78 m) para aceitar três contêineres padrão de carga aérea LD3. Na configuração de passageiros, terá capacidade para até 19 passageiros, com uma área de cabine traseira com rede para bagagem e equipamentos. Também estará disponível em uma combinação mista de passageiro/carga.

Juntamente com o protótipo, cinco céluas adicionais de teste de voo e solo farão parte do programa de validação de voo da aeronave e expandirão os testes de controles de voo e aerodinâmica.

FONTE: AIN Online

Subscribe
Notify of
guest
21 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Tutu
4 meses atrás

O ATL-100 vai ser um bom concorrente para esse Cesna

Tutu
Reply to  Fabio Araujo
4 meses atrás

Uma pergunta para quem é mais apar da situação, o ATL-100 ou o Skycourier estão dentro do que a FAB quer para substituir os Bandeirantes?

Tomcat4,2
Tomcat4,2
Reply to  Tutu
4 meses atrás

O ATL-100 devido a rampa traseira caro Tutu.

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Tutu
4 meses atrás

Sim. O problema é dinheiro. Parece que o negocio com o Sherpa não estaria dentro do esperado e este ATL 100 foi pensado no ambiente amazonico

Problema é ter grana para encomendar

Marcelo
Marcelo
4 meses atrás

Aviao interessante, soh fica devendo uma rampa na traseira.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Marcelo
4 meses atrás

Coisa que o ATL-100 possui.

Peritomilitar
Peritomilitar
4 meses atrás

A pergunta q ninguém fez ainda… O
comando de aviação do exército sabia sobre essa aeronave? é da mesma classe daquelas suc.. aviões q estão modernizando .. os Sherpas..

João Adaime
João Adaime
Reply to  Peritomilitar
4 meses atrás

Caro Peritomilitar
Claro que sabia. A questão foi financeira.
Abraço

willhorv
willhorv
4 meses atrás

O que acho desejável no momento e veslumbrando concorrência direta, é o ATL100 chegar a 3k de carga. Com rampa de acesso traseira, levará a maioria das disputas, desde que o comercial, suporte financeiro, pacote para o pós venda e o looby e apoio político funcione.

willhorv
willhorv
4 meses atrás

Também penso que o ATL pode vir a ser um substituto operacional para os Bandeirantes, Grand Caravan e até para compor os Sherpas da AVEX, que são usados e chegarão em 2021, e não devem ter uma vida útil muito longa. Ainda mais na umidade da Amazônia.

Danielmjr
Danielmjr
4 meses atrás

Pelo memorando assinado entre a FAB e a Embraer sobre o substituto do Bandeirante, o projeto da Embraer vai ser mais sofisticado que o Cessna e o ATL-100. Entre sair de memorando e chegar a um modelo de série é um longo caminho, mas mostra que a FAB vai ajudar a financiar a Embraer em projetos com propulsão híbrida e outras inovações. Isso ajuda a Embraer a se desenvolver nesse mercado com uso civil, tanto em aviões como naqueles projetos estilo “uber” de transporte pessoal. Pode ser que a FAB pense que isso gere mais P&D e outras soluções industriais… Read more »

marcus
marcus
Reply to  Danielmjr
3 meses atrás

Vão ressuscitar o Brasília?

Carvalho2008
Carvalho2008
4 meses atrás

Todo mundo achava que a Embraer iria encampar a parceria com a Desaer, agora a cessna esta com uma dianteira de 2 a 3 anos da Desaer e Embraer

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  Carvalho2008
4 meses atrás

É isso que me preocupa. A Cessna ainda tem nome forte no mercado e na minha visão, uma start-up como a Desaer tem pouca ou nenhuma chance contra ela, já que nenhum cliente grande encomendou (afastando os pequenos) e o próprio governo brasileiro se voltou para a Embraer em busca de um produto semelhante.

Acho que eles (Desaer) estão mortos mas não sabem.

EduardoSP
EduardoSP
Reply to  Clésio Luiz
4 meses atrás

Sim, o governo sob um aspecto privilegia a concentração no setor aeronáutico, por outro, tem a garantia de se chegar a um produto operacional. ) que não falta é projeto que leva dinheiro do governo e não chega a lugar algum
Financiamos até mesmo uma empresa de ônibus do interior de São Paulo que queria construir dirigíveis para transporte de cargas. Aonde a Lockheed Martin, a Nasa e a DARPA fracassaram, a Transportes Bertolini LTDA vai vencer.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  EduardoSP
4 meses atrás

Pois é Eduardo. A Embraer é uma empresa consolidada com milhares de aeronaves entregues à clientes. A Desaer é apenas uma startup, com um punhado de empregados, sem uma fábrica. Se ninguém pensaria mal de um empresário ser reticente em colocar dinheiro na mão deles, porque seria errado o GF agir da mesma forma?

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Clésio Luiz
3 meses atrás

Clésio, se esse pensamento fosse hegemônico, a Embraer nunca teria existido…. É claro que um nome forte por trás do projeto, ajuda na sua viabilidade de mercado, mas em projetos de pequeno porte, como este, o que mais conta é se ele é, efetivamente, um projeto eficiente e eficaz, ou seja, se cumpre o desejado e melhor dos que estão no mercado…. Na minha opinião, o ATL-100 demonstra ser mais prático do que esse projeto da Cessna…

Nilton L Junior
Nilton L Junior
4 meses atrás

Se a Fedex encomendou podemos imaginar que vai ser um bom negócio.

Wellington Góes
Wellington Góes
3 meses atrás

Isso mostra que o projeto da DESAER é ainda melhor… E de quê estão certos com o projeto. Mas, como de costume, nossas autoridades nacionais não perdem oportunidade de perder oportunidade….

Luiz Floriano Alves
Luiz Floriano Alves
Reply to  Wellington Góes
3 meses atrás

O ATL100 ficará nessa faixa de mercado. Ideal para as linhas regionais do Brasil. Um pássaro melhor do que o Caravan, excelente, mas com pouca capacidade de carga regional. Com propúlsão elétrica pode ser uma alternativa de aeronave com motor e célula nacionais. Israel já comercializa avião bi motor, elétrico.