Home Aviação de Ataque Índia pode abandonar concorrência de caças e comprar mais Tejas

Índia pode abandonar concorrência de caças e comprar mais Tejas

4306
84
LCA Tejas

Por Sudhi Ranjan Sen

NOVA DÉLHI — A Índia planeja optar por caças fabricados localmente, dois anos depois de pedir às empresas globais que apresentassem propostas para fornecer 114 aeronaves de combate na maior competição de aviões de combate do mundo.

A força aérea do país está finalizando os planos para adquirir aviões leves de combate fabricadas de forma independente, o Tejas, para aumentar a capacidade de sua frota de aeronaves de combate, disse o chefe da equipe de defesa Bipin Rawat em entrevista em Nova Délhi. Ela comprará 83 jatos adicionais, além de um contrato anterior de 40 aeronaves, por US$ 6 bilhões, disse Rawat.

“A Força Aérea Indiana está mudando isso para o LCA – Light Combat Aircraft”, disse Rawat, quando questionado sobre a licitação global de jatos. “A IAF está dizendo: eu prefiro o caça autóctone, ele é bom.”

A decisão é um revés para empresas como Boeing, Lockheed Martin Corp e Saab AB, que estavam na corrida pelo pedido de US$ 15 bilhões, e outro sinal de que a Índia está abandonando as caras compras de defesa estrangeiras que foram afetadas por atrasos burocráticos e diminuição de financiamento..

O primeiro-ministro Narendra Modi enfatizou esta semana a necessidade de comprar produtos fabricados localmente para impulsionar uma economia atingida pelo surto de Covid-19.

“Desde que foi decidido seguir a rota autóctone, o Ministério da Defesa deve garantir o aumento da capacidade” da Hindustan Aeronautics Ltd, construtora do jato, disse Manmohan Bahadur, diretor geral adicional do Centro de Estudos do Poder Aéreo de Nova Délhi. “A IAF, como os outros serviços, precisa manter a vantagem necessária sobre nossos adversários – as emoções precisam ser evitadas”.

FONTE: Bloomberg

Subscribe
Notify of
guest
84 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Antoniokings
Antoniokings
2 meses atrás

Medida acertadíssima.
É sempre melhor utilizar fornecedores locais em vez de ficar exposto ao humor de outros países, principalmente quando não honram compromissos internacionais.
Em tempo: Que ‘inhaca’ da Boeing!
Melhor alguém encomendar uma ‘reza braba’.

Régis Athayde
Régis Athayde
Reply to  Antoniokings
2 meses atrás

Só que esta ‘inhaca’ também atinge a RAC MiG também Antonio. Pelo visto, somente os russos vão operar o MiG-35. Já falaram até em fusão da companhia com a Sukhoi.

Régis Athayde
Régis Athayde
Reply to  Régis Athayde
2 meses atrás

Desculpa pelo também repetido, erro meu.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Régis Athayde
2 meses atrás

Régis Athayde

O grande problema é que a RAC MIG sobrevive perfeitamente com as encomendas do Governo russo e eventuais pedidos estrangeiros.
Já a Boeing, com sua gigantesca estrutura, não vai sobreviver vendendo 40 F-18 para a Alemanha.
Isso se esse pedido se concretizar.
Não preciso lembrar da situação financeira desesperadora da empresa, os cancelamentos em massa de pedidos do 737-MAx e agora até dos 777.
SDS

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Antoniokings
2 meses atrás

Em tempo.

Fontes chinesas comentam que o País pode declarar a Boeing como ‘entidade não confiável’, junto com outras empresas em resposta às recentes ameaças de Trump.
Se a China banir a Boeing, vai jogar uma pá de cal na empresa.

RPiletti
RPiletti
Reply to  Antoniokings
2 meses atrás

Vale mandar proposta chinesa para a Boeing?

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  RPiletti
2 meses atrás

RPiletti

Aí, o Trump arranca os cabelos ralos dele.
kkkkk

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Antoniokings
2 meses atrás

pá de cal trocada não dói, pq a China teria que vender aviões na Europa e nos EUA para se manter, na industrias de aviões, a China tem uma crescente rede trem bala que compete com voos regionais.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Antoniokings
2 meses atrás

Kings? Você tem a real noção do tamanho da Força Aérea da Russia nos dias de hoje???

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Ricardo Bigliazzi
2 meses atrás

Creio que cerca de 4160 aviões e helicópteros militares sendo algo em torno de 1.600 aviões de combate.
A maioria aviões pesados, de grande porte.
Em tempo:
Li, ante-ontem que a China já é o país que tem a maior frota de caças de grande porte do Mundo.
A conferir.

André Luís
André Luís
Reply to  Régis Athayde
2 meses atrás

Nem os russos irão operar o MiG-35. O avião só voará no grupo de demonstração aérea para marketing no exterior.

Vinicius Momesso
Vinicius Momesso
Reply to  André Luís
2 meses atrás

O MiG-35 só foi desenvolvido como uma tentativa de não fechar a já falida Micoyan i Gurevich. Em diversos blogs russos do ramo, são enfaticos em dizer: É mais do mesmo!

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Vinicius Momesso
2 meses atrás

‘O MiG-35 só foi desenvolvido como uma tentativa de não fechar a já falida Micoyan i Gurevich.’

Sim.
Assim como o F-16 Block 50, 60, 100, 200 e por aí vai.
Bem como, o que parece, natimorto F-21.
E agora, até o F-18 entrou nessa onda.
Afinal, é importante manter alguns empregos em casa.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Antoniokings
2 meses atrás

Falar em Países que não honram compromissos, o Governo de SP pagou por 3mil respiradores para os seus amados chineses…

E vai receber menos da metade…

Diego Tarses Cardoso
Diego Tarses Cardoso
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
2 meses atrás

Fora os 500 do Pará que foram todos quebrados; Gente sem-vergonha (governo chinês) é assim, quer enrolar o cliente e gritar que tem razão depois.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
2 meses atrás

Investigue a súcia de empresários brasileiros que fazem a intermediação desses contratos e talvez descubra quem é o culpado.
Aqui no Rio pegaram uma quadrilha de empresários que fraudava essas negociações.

Mario SEAE
Mario SEAE
Reply to  Antoniokings
2 meses atrás

Isso é verdade, uma quadrilha muito bem estruturada. O problema é que a PF prende, mas logo os políticos de plantão encontram uma quadrilha substituta, para subtrair mais recursos dos cofres públicos.
É impressionante como surgem pessoas que vivem apenas para arquitetar pilantragens.

José Carlos David
José Carlos David
Reply to  Mario SEAE
2 meses atrás

A PF prende e o STF solta.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  José Carlos David
2 meses atrás

PF?
Sugiro que leia os jornais de hoje (17/05).

Fabio Araujo
Fabio Araujo
2 meses atrás

Se investiram tanto no Tejas eles tinham que fazer isso, para o caça principal já terão o Rafale e ainda vão fazer o upgrade dos SU-30!

Leonardo M.
Leonardo M.
Reply to  Fabio Araujo
2 meses atrás

Eu só aumentaria o pedido de Rafales
Uma vez que Indiano gosta de cair e destruir seus próprios aviões, não seria má idéia ter uns 12 ou 18 unidades a +

rui mendes
rui mendes
Reply to  Leonardo M.
2 meses atrás

Todos caem, olha agora caiu outro F22, será que só os aviões Indianos caem??
Ou será antes, que a uns fecha-se os olhos e a outros, tudo se aponta, e ´´gostam da cair.

Tutu
Reply to  rui mendes
2 meses atrás

Sim, não tem problema cair, infelizmente isso acontece de vez em quando, a questão é que não Índia, isso ocorre com um frequência bem incomum.

Mickey Harkeerat
Mickey Harkeerat
Reply to  Leonardo M.
2 meses atrás

All air forces crash rates are same on the basis of flying hours, India has one of the highest flying hours per year, same as USA, hence almost same crash rates.

Devil is in the details not headline hunting’s.

Mickey Harkeerat
Mickey Harkeerat
Reply to  Mickey Harkeerat
2 meses atrás

Adding to my above comment, today another f35 crashed, just few days ago an F22 crashed, before that F16 crashed. Only airforce that doesn’t have crashes are :-

1. who don’t fly its fighters.
2. who hide their crashes. (Chinese are good at it)

This should put an end to all uneducated assumptions that India or any country crashes its fighters more than others.

Jagderband#44
Jagderband#44
2 meses atrás

Isso já era previsto, segue o baile.
Nada de novo no parquinho.

Lucianno
Lucianno
2 meses atrás

Mais uma porta se fecha para SAAB. Pelo visto a FAB será o único comprador estrangeiro do gripen NG. Sem escala no futuro os custos de manutenção serão altos. Aquele custo improvável de U$ 4.900,00 hora/vôo ficará somente na fantasia dos sonhadores.

Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  Lucianno
2 meses atrás

Tem coisa que é óbvia, nos juntamos com Suécia pra comer jabuticaba… produto totalmente sem escala!

AQUINO FERRO
AQUINO FERRO
Reply to  Carlos Gallani
2 meses atrás

Discordo

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Lucianno
2 meses atrás

mesmo que esse valor dobre ainda está bom. pq os motores são americanos, por exemplo, então não será um grande baque

Lucianno
Lucianno
Reply to  Carlos Campos
2 meses atrás

O custo real da hora do Gripen C é de U$ 7.800,00 segundo a SAAF. U$ 4.000,00 é fake news de internet. Difícil prever o custo da versão NG, bem mais sofisticada, mas acredito que vai ficar acima do custo do F-16 e do F-18.
Além da total falta de escala ainda vai ter a “babel logística” com múltiplos fornecedores em diversos países.
https://www.flightglobal.com/paris-south-african-air-force-boosts-gripen-availability/124498.article

EVERTON SBRISSE
EVERTON SBRISSE
Reply to  Lucianno
2 meses atrás

Provavelmente terá um custo próximo do F-16, mas abaixo do F-18.

Teropode
2 meses atrás

Decisão acertada , se querem de fato alvancar a indústria local ,devem dar preferência as soluções domésticas, além disso o Tejas está maduro e evoluindo bem , eu só acrescentaria mais alguns Rafales para manter robustes aerea . E , com o sistema S-400 eles ja manterão os pastuns longe de suas fronteiras . O Nostra tem compartilhado farto materi al sobre o Tejas .

Diego Tarses Cardoso
Diego Tarses Cardoso
Reply to  Teropode
2 meses atrás

Sempre achei loucura a multidão de aeronaves diferentes, de fornecedores diferentes, na força aérea da Índia; Apesar de não ser bom por todos os ovos numa cesta.
Com certeza a logística deles deve ser horrível, deve ser difícil administrar tantas peças diferentes.

Karl Bonfim
Karl Bonfim
2 meses atrás

Muito bom, parabéns aos indianos! Isso é a atitude certa de uma nação que um dia quer ter autonomia, assegurar sua soberania e projeção mundial! Alguém já deve ter falado isso, mais eu vou repetir: a Índia é um exemplo a ser seguido pelo Brasil

pangloss
pangloss
Reply to  Karl Bonfim
2 meses atrás

Só faltou mesmo ter algo melhor do que o Tejas.

Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  pangloss
2 meses atrás

É um projeto maior que o super tucano, não podemos falar nada!

Eduardo
Eduardo
Reply to  Carlos Gallani
2 meses atrás

É superior ao AMX, que ainda utilizamos, inclusive!

Tiger 777
Tiger 777
Reply to  Eduardo
2 meses atrás

É mais perde pros caças Chineses.

Lucianno
Lucianno
Reply to  Tiger 777
2 meses atrás

Duvido!

glasquis7
Reply to  Tiger 777
8 dias atrás

E como vc faz esse comparativo?

pangloss
pangloss
Reply to  Carlos Gallani
2 meses atrás

Carlos Gallani, obrigado pela resposta. Mas a realidade geopolítica indiana exige muito mais de suas forças armadas do que a nossa realidade exige de nossas FFAA.
Eles precisam muito de vetores capazes, acima do que o Tejas tem a oferecer.
Nós deveríamos ter maior cuidado com nossa defesa, mas o risco, aqui, não é tão próximo, nem tão desafiador.
E o fato de estarmos mal aparelhados não significa que não podemos comentar que o Tejas está abaixo das necessidades indianas.

Michel C
Michel C
Reply to  Karl Bonfim
2 meses atrás

Para ter autonomia verdadeira precisa saber fazer motor a jato e ai são outros quinhentos.

Karl Bonfim
Karl Bonfim
Reply to  Michel C
2 meses atrás

O motor assim como o resto, é uma questão de atitude. Atitude é o que falta ao Brasil, e o que sobra nos indianos, seja pelo seu contexto geopolítico ou outra coisa.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Karl Bonfim
2 meses atrás

Sim, acho que todo mundo formado em Logística deveria fazer pós-graduação lá! Se é que me entendem!

Carlos Campos
Carlos Campos
2 meses atrás

É sabido que esse caça tem vários problemas, mas parece que estão sendo corrigidos, a India tá certa, tem comprar mesmo, espero que eles adaptem o Meteor nesse caça também, apesar de eles terem o ASTRA, quanto ao radar eu não sei se usam um radar local ou importado

Nostra
Nostra
Reply to  Carlos Campos
2 meses atrás

In order to avoid delays LCA MK1A will use Israeli ELM 2052 AESA radar .

While development and testing of local UTTAM AESA radar is undergoing on LCA MK1 LSP aircrafts.
comment image

It will be used on MWF / LCA MK2 fighter aircrafts which are currently under development .

Nostra
Nostra
Reply to  Carlos Campos
2 meses atrás

There are 3 BVRAAM missiles under development / trials

1. Astra MK1 BVRAAM ( Solid rocket propulsion )

2. Astra MK2 BVRAAM ( dual pulse rocket propulsion )

3. Astra MK3 BVRAAM ( SFDR – solid fuel ducted ramjet propulsion ) it is Indian version of Meteor .

Plus modification of air launched Brahmos into an VL-BVRAAM inorder to target AWACS and tankers.

These programmes are publically known . There maybe more.
comment image

SFDR ( Indian meteor ) ground launch test

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Nostra
2 meses atrás

Thankyou for your replay Nostra.

Gabriel BR
Gabriel BR
2 meses atrás

Sensato!

Luís Henrique
Luís Henrique
2 meses atrás

Eu acompanho sites indianos diariamente. A Reuters confundiu a aquisição de 83 Tejas Mk1A com o desenvolvimento do Tejas Mk2. O Mk1A trás melhorias em relação ao Mk1, e corrige dezenas de deficiências apontadas pela IAF. O MMRCA visa uma aeronave de porte Médio. O Mk2 possui estrutura ampliada, comprimento, asa, etc. Motor mais potente, peso vazio e máximo, diferente do Tejas Mk1 e Mk1A que são caças Leves. As discussões atuais são: 1) Cancelar MMRCA e adquirir 200 Tejas Mk2 no lugar. Depois de adquirir 83 Mk1A para substituir MiG-21. Desenvolver a versão Mk2 para ser o Medium Fighter… Read more »

Nostra
Nostra
Reply to  Luís Henrique
2 meses atrás

For information AMCA will come in 2 versions

AMCA MK1 foreign engine
and
AMCA MK2 local engine

And as far as I can tell

LCA MK2 / MWF is confirmed

TEDBF ( naval twin engine ) is officially confirmed

So by default ORCA ( airforce twin engine ) is also confirmed ( through not yet officially confirmed ).

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Nostra
2 meses atrás

Dear Nostra,
I didn’t know TEDBF was officially confirmed.
Thank vou for the updates.

I watch videos of Indian Updates, in English Language.
Recently they Said IAF should consider cancelling ORCA, MMRCA and even LCA MK2 and focus on AMCA.
But, off course, this is not official, only studies or advices.

What is your opinion about?
Do you think India should invest in all these 4th generation fighters, or drop all and focus on AMCA?

Nostra
Nostra
Reply to  Luís Henrique
2 meses atrás

Technology cannot be jumped Almost every technology that will go into AMCA will need to be validated , having it done on a MWF and/or ORCA is the only sustainable means to do. 4.5 gen aircrafts will suitable value added technologies will stay beyond 2050 . Also 5 th gen aircraft technologies will get redundant within next 15 years by 6 th gen tech. Any 5 th gen which enters production by 2030 is already redundant by a considerable amount. It will need to come out with 5.5+ gen technologies like unmanned combat teaming etc to stay relevant in its… Read more »

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Nostra
2 meses atrás

Very good thougths.
I think India, with the 3rd largest Defence Budget, can handle all this.

Henrique
Henrique
2 meses atrás

A força aérea indiana é uma salada mista! Eles tem que padronizar a frota com qualquer coisa que seja. Eu não gostaria de ser um oficial responsável pela logística.

nonato
nonato
Reply to  Henrique
2 meses atrás

Nada pessoal, mas esse discurso é muito clichê.
Todo mundo sabe, muita gente critica, mas a Índia não está preocupado e tem seus motivos e não é nenhum bicho de sete cabeças.

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
2 meses atrás

Alguém poderia dar um resumo sobre o Tejas?

Quais suas capacidades,com que aeronave ele poderia ser equiparado em performance?

É um subsônico ou super?

É uma aeronave para Close Air Suport ou uma tentativa indiana de superioridade aerea?

E por fim : É um caça que vale a pena comprar para a defesa aérea?

Señor batata
Señor batata
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
2 meses atrás

Olá Adriano td tranquilo? Vou tentar sanar suas dúvidas com q eu sei. – Tejas é um projeto autóctone de um avião multifuncional para suprir a demanda de aviões indianos (em especial mig 21). – a versão mk 1 usa uma turbina ge 404, já a versão mk 2 usa uma turbina ge 414 (mesma do nosso gripen). Se espera q o projeto tenha um desempenho, quando maduro, próximo de outros caças leves. Da parte aviônica tem avançado no mk 1 usa um radar Doppler e no segundo já usará radar aesa -sim é super-sônico. -multi-função (combate aéreo, apoio de… Read more »

Señor batata
Señor batata
Reply to  Señor batata
2 meses atrás

Eu me esqueci q no futuro deve haver uma turbina própria da índia, faço um mea culpa.

Nostra
Nostra
Reply to  Señor batata
2 meses atrás

Under development 125+ kn class aeroengine

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Señor batata
2 meses atrás

Obrigado Señor batata! Agradeço as informações…

nonato
nonato
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
2 meses atrás

Um avião sem nenhuma tradição.
Eu não confio.
Não é de superioridade aérea, que eu saiba.
Estaria mais para um AMX melhorado ou um JF 17.

Lucianno
Lucianno
Reply to  nonato
2 meses atrás

Seria o gripen indiano, ]são basicamente equivalentes.

Coutinho
Coutinho
Reply to  Lucianno
2 meses atrás

Sim. basicamente: 1 par de asas, 1 empenagem vertical, 2 entradas de ar, 1 motor.

Lucianno
Lucianno
Reply to  Coutinho
2 meses atrás

A diferença que serão produzidos muitos mais Tejas do que Gripens. Afinal quem mais além do Brasil vai querer pagar preço de F-35 e levar para o hangar o gripadinho.

Nostra
Nostra
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
2 meses atrás

LCA is a 4 gen aircraft with RSS ( relaxed static stability ) design and 4 axis quad redundant digital full authority automatic fly by wire flight control system ( DAFCS ) . If pilot exceeds safe limits , aircraft will automatically take over from pilot and bring it under control.

It is one of the few fighter aircrafts to have advanced flight modes like those found in Rafale etc.

It has the highest percentage of composites in a fighter aircraft , upto 45% of the airframe by weight and 95% by surface area.

Nostra
Nostra
Reply to  Nostra
2 meses atrás

Continue…..

It has advance features like USMS , EMCS , EEMS , DFMS , DHMS , AWMS , TACAN , TERPROM , VOR-ILS , EGPWS etc

It comes with DASH 5 HMDS , Litening pods , inflight refueling probe etc

It is supersonic , and it is meant for CAP , CAS , escort , interdiction etc as per requirements .

André Luís
André Luís
2 meses atrás

Decisão correta! Invistam no caça local! Diminuam as dependências estrangeiras e a variedade de caças no inventário da força. Espero que não voltem atrás.

nonato
nonato
Reply to  André Luís
2 meses atrás

Discordo. Precisam de caças confiáveis para se defender da China e não de caças ainda em desenvolvimento e de baixo desempenho.
Podem até comprar mais uns 60 tejas, mas precisam de mais uns 100 caças estrangeiros.
Tipo 50 rafales adicionais e 50 F 16 ou gripen.
Acho que uns 30 F 35 seria uma boa.
Quem sabe uns 40 F 15…
Eles estão com déficit de caças.
Uns 100 para curto prazo seria uma boa.

André Luís
André Luís
Reply to  nonato
2 meses atrás

Desculpe por atrapalhar sua propaganda para os caças citados, mas discordo de você também. O Tejas tem sim capacidade para cumprir missão de caça leve na IAF. E só o investimento na compra já ajudaria a reverter em pesquisa e desenvolvimento para a melhoria do caça. Quanto à China…. ela que risque o fósforo! Ela que inicie uma campanha militar lá nos confins do Tibet. Ela que concentre suas forças na Índia (uma potência também nuclear), deixando o seu calcanhar de Aquiles (mar do sul da China e Taiwan) desprotegido. Pago pra ver! E que venha o Tejas para a… Read more »

Nostra
Nostra
Reply to  André Luís
2 meses atrás

LCA has more to it than that , let me add few of them Eg LCA only aircraft in IAF which can do ” hot refueling ” Only aircraft in IAF which can do ” hot swapping ” LCA has a quad digital fly by wire system . For comparison Gripen has a triplex digital fly by wire system . It’s hot and cold high altitude performance ( in Himalayas ) is better than F16 . ( During MMRCA trials F16 failed the above tests , Gripen passed ) LCA has advanced flight safety modes like auto low-speed recovery (ALSR)… Read more »

Nostra
Nostra
Reply to  Nostra
2 meses atrás

Just few days ago

Chief of defence staff General Bipin Rawat said, “The Indian Air Force is switching that [order for foreign fighters] to the LCA. The IAF is saying, I would rather take the indigenous fighter, it is good.”

In the past years lot of sabotage by foreign countries . Politicians bureaucrats Generals etc bribed . Now it little bit more difficult to do so.

Nostra
Nostra
Reply to  nonato
2 meses atrás

Just few days ago

Chief of defence staff General Bipin Rawat said, “The Indian Air Force is switching that [order for foreign fighters] to the LCA. The IAF is saying, I would rather take the indigenous fighter, it is good.”

Only foreign aircraft will be few additional rafales later on in exchange of certain technology from France.

Carlos p silva
Carlos p silva
2 meses atrás

O povo aqui colocou o Gripen na discução e comparou o Tejas com ST e AMX. Realmente descemos pro play, desliguem seus Playstation…

Carvalho2008
Carvalho2008
2 meses atrás

O Tejas esta mais para o JF17

Tem limite de crescimento pela sua genetica

É caro pois se tratou de um projeto de desenvolvimento de sua industria de defesa e nao como produto de exportacao

Gastaram anos e uma fabula e a decisão é coerente em manter seu desenvolvimento e independencia

Lu Feliphe
Reply to  Carvalho2008
2 meses atrás

Mas ele sempre foi designado para ser um caça mediano multifunção para substituir o mig 21, ele tem menos capacidades do que outros caças de 4 gen por isso é mais comparável ao caça chinês, provavelmente os Indianos buscarão tentar exportar ele. Mas é realmente bem curioso por que um caça com capacidades medianas demoraria 40 anos para terminar o desenvolvimento.

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Lu Feliphe
2 meses atrás

Porque o projeto era verticalizar tudo da producao nacional, de turbina a sensores e radar, dai fica caro mesmo, principalmente para quem esta tentando desenvolver o que lhe é inedito. Veja o Rafale Frances…ele é verticalizado na França usando pouco de fora, pela cadeia de produção acaba tambem ficando caro

É o preco da independencia

So fica barato quem produz diversas centenas ou milhares

Agora veja o KC390, ele ja ao contrario sempre foi feito para exportação e desta forma, usa peças comerciais ou de fábricas estrangeiras. Usa os componentes de maior sucesso De fornecedores internacionais consagrados

Lu Feliphe
2 meses atrás

A Índia está tentando desenvolver sua indústria Nacional, provavelmente vão escolher esse caça pois atualmente eles tem vários programas de ajudar a indústria nacional a crescer não é o único equipamento a ser preferido por ser nacional.

Claudio Moreno
Claudio Moreno
2 meses atrás

Covid19 fazendo estragos….

CM

Nostra
Nostra
Reply to  Claudio Moreno
2 meses atrás

Funny you mentioned it
As per new measures post Chinese virus

In the defence sector imports restricted

Nilton L Junior
Nilton L Junior
2 meses atrás

Agora vai, a NASA não precisa mais ir estudar o caso, parabéns pela decisão, salvar a indústria local é uma medida correta.

Vilela
Vilela
2 meses atrás

Estão parecendo os argentinos… Colocam os fornecedores para brigar entre si e não fecham com ninguém. Prejuízo para Saab e Boeing.

Luiz Trindade
Luiz Trindade
2 meses atrás

Tão falando muito da Boeing e da MIG mas SAAB tb perdeu a oportunidade de vender caças muito bons tb. Enfim… Todas as empresas saem perdendo…