Home Aviação Comercial Sindicato defende reestatizar Embraer após acordo com Boeing fracassar

Sindicato defende reestatizar Embraer após acordo com Boeing fracassar

4260
292
Embraer E190

Nota emitida pela entidade também pede estabilidade de emprego para funcionários da empresa

O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos emitiu uma nota pedindo a reestatização da Embraer após a notícia do cancelamento da compra da empresa brasileira pela Boeing, maior negócio aeroespacial da história do país.

“A rescisão do acordo de compra da Embraer pela Boeing, anunciada neste sábado (25) pela empresa norte-americana, é uma reviravolta em uma transação marcada pelo desprezo aos interesses nacionais e dos trabalhadores brasileiros”, diz trecho do comunicado enviado pelo sindicato.

A entidade também diz que se posicionou contrário à venda. “A Embraer é um patrimônio nacional estratégico para o país e não precisa de aliança com parceiros internacionais para sobreviver.”

A Boeing anunciou que suspendeu acordo, de U$ 4,2 bilhões (R$ 23,5 bilhões na sexta), o maior da indústria aeroespacial brasileira, porque disse que a empresa brasileira não teria cumprido todas as suas obrigações para executar a separação da sua linha de aviões regionais.

No começo da tarde, a Embraer divulgou nota acusando a Boeing. “A Embraer acredita firmemente que a Boeing rescindiu indevidamente o MTA (Acordo Global da Operação) e fabricou falsas alegações”, diz o texto.

O sindicato afirma ainda que o processo de venda teria custado à empresa R$ 485 milhões em 2019 “segundo demonstrativo financeiro da própria Embraer” e exige que o prejuízo seja ressarcido pela Boeing.

Além da reestatização, a entidade pede que seja garantida a estabilidade no emprego para todos os trabalhadores.

“A alta capacitação dos trabalhadores fará a diferença em favor de uma empresa alinhada com os interesses verdadeiramente brasileiros e que não submeta o destino da vida de milhares de trabalhadores à perversa lógica do lucro.”

Embraer E-Jets

FONTE: Folha de São Paulo

Subscribe
Notify of
guest
292 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Pedro Calmon
Pedro Calmon
4 meses atrás

E’ a forma sutil de exigir que todos os trabalhadores brasileiros sustentem os funcionarios da EMBRAER.
A EMBRAER esta endividada, descapitalizada e o mercado para avioes regionais simplismente desapareceu e nao deve retornar tao cedo. E quando o mercado voltar, o numero de empresas aereas sera muito menor e o mercado estara’ abarrotado de aeronaves usadas relativamente novas a venda. Nao havera demanda para o principal produto da EMBRAER tao cedo.
Valor de mercado da EMBRAER hoje – US$1.1 bilhoes
Dividas – US$624 milhoes
Cash flow – provavelmente negativo pelos proximos varios trimestres.

Sargento Pincel
Sargento Pincel
Reply to  Pedro Calmon
4 meses atrás

Não estamos falando de uma fábrica de parafusos. O Brasil precisa da Embraer, precisa de industria de alta tecnologia. Estamos falando de defesa nacional.
Sou extremamente liberal, mas também sou nacionalista. Defendo a Embraer como industria nacional de defesa, precisamos nos desenvolver neste ramo.

Pedro Calmon
Pedro Calmon
Reply to  Sargento Pincel
4 meses atrás

E quais industrias e empregos voce se dispoem a sacrificar para manter a EMBRAER? Porque alguem vai ter que arcar com isso, nao ha almoco gratis. Botar dinheiro publico na EMBRAER significa tirar dinheiro de alguem que trabalhou duro e honestamente. Quem voce se dispoem a sacrificar?

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Pedro Calmon
4 meses atrás

Caro Pedro. Não existe essa escolha entre os empregos na Embraer e os de outras empresas. O momento agora é preservara base industrial do país. A Embraer (e outras empresas) precisam de linhas de crédito de emergência que possam ser usadas durante esse período de crise. Em algum momento no futuro (um ano, dois anos, uma década) a situação será outra e esses créditos poderão retornar ao tesouro. É um erro achar que será necessário escolher quem ajudar. As opções agora são ajudar e preservar a base industrial ou ignorar e perder tudo.

Jorge Faustino Filho
Jorge Faustino Filho
Reply to  Camaergoer
4 meses atrás

Bato palmas para a sua insistência, eu desisti. É perda de tempo falar até o óbvio no Brasil hoje.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Jorge Faustino Filho
4 meses atrás

Olá Jorge. Obrigado. Acho que nesse momento é importante ampliar o debate. A epidemia é real (ontem faleceu um colega de 55 anos, acabo de saber que a esposa e o filho também estão doentes). Então há a emergência sanitária antes de tudo. Depois temos que entender que o momento é diferente de tudo o que já vimos. Portanto, as ideias precisam fazer sentido para esse momento de crise e urgência

Jefferson Ferreira
Jefferson Ferreira
Reply to  Camaergoer
4 meses atrás

Então você estaria disposto a pagar mais imposto pra manter algumas empresas, tesouro ??

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Jefferson Ferreira
4 meses atrás

Caro Jefferson. A sua pergunta está errada. Estamos falando de manter a base industrial do país durante esse período de crise epidemiológica. TODOS os empregos estão em risco caso nada seja feito. Essencialmente, existem três mecanismos que podem ser acionados pelo governo federal. O primeiro é a distribuição de renda para as famílias mais pobres por meio do bolsa-família e das aposentadorias até dois salários-mínimos, e pela concessão das aposentadorias requeridas. Essa famílias de baixa renda tem baixa capacidade de poupança. Geralmente, elas empregam a renda na aquisição de bens de consumo de primeira necessidade (inclusive no comércio local). Esses… Read more »

MMerlin
MMerlin
Reply to  Camaergoer
4 meses atrás

São dois pontos interessantes no comentário Camargo. As pessoas confundem linha de crédito com estatização. A Embraer precisa sim de crédito para continuar existindo. Jamais reestatizacao.
Mas a base industrial do país precisa ser mantida com sustentabilidade, competitividade e planejamento. O que nos leva ao seguinte dilema: não existe base industrial competitiva, num futuro a médio prazo, sem a automatização. E a situação de quarentena já está adiantando planos nos países em desenvolvimento. O que precisamos, além de crédito e inúmeras outras medidas é um plano de recapacitação urgente.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  MMerlin
4 meses atrás

Olá Merlin. Acho que estamos em um momento crítico. Tenho a impressão que as pessoas estão colocando ideias e soluções a partir de suas experiências e valores. O sindicato coloca primeiro a questão dos empregos, e a partir dai faz as propostas. Acho que você tem razão sobre a necessidade de repensar o modelo industrial, mas isso virá depois de passada a crise sanitária. O risco agora é perder tudo. Nesse caso, não haverá o que recuperar.

MÁRIO FILHO
MÁRIO FILHO
Reply to  Camaergoer
4 meses atrás

Sindicalistas brasileiros só pensam em perpetuar no cargo e mais algumas coisas que já estamos cansados de saber .

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  MÁRIO FILHO
4 meses atrás

Caro Mário, sem entrar no mérito do trabalho de cada um, o objetivo de todo grupo sindical, de cada parlamentar, de cada prefeito, governador ou presidentes, ou de cada grupo político que participa de eleições periódicas é cumprir o mandato e conseguir vencer a eleição subsequente. O objetivo de um time de futebol é vencer os jogos para ganhar o campeonato ano após ano. O objetivo de um agricultor é repetir ou ampliar o sucesso da colheita passada. O objetivo de um professor de ensino básico é alfabetizar as crianças repetidamente.

carcara_br
carcara_br
Reply to  Camaergoer
4 meses atrás

Esperto camaergoer você não falou em estatizar, falou em dar crédito, ai eu pergunto: Vamos salvar uma empresa para, no médio prazo, numa bela manhã, ao sabor de algum executivo ele decida que chegou o momento de ser vendido? Vamos cobrar juros de mercado por esses créditos de sobrevivência? seria viável conseguir estes créditos nos bancos privados, fora do contexto do governo de salvamento de empresas? Todo mundo morre de medo de uma administração burocratizada e de funcionários trabalhando em regime de funcionarismo público, mas ajudar uma EMBRAER puramente privada, em condições extra especiais que não se encontraria em lugar… Read more »

Rafael Pinheiro Machado
Rafael Pinheiro Machado
Reply to  carcara_br
4 meses atrás

A Boeing está em situação semelhante à da Embraer e vai receber um empréstimo de US$ 60 bilhões do governo americano. Em 2008 as montadoras de Detroit receberam a mesma ajuda e já devolveram o dinheiro ao governo. O governo brasileiro deveria criar um comitê de avaliação só com técnicos para ajudar a Embraer. Uma das possibilidades é lançar debêndures tão logo a bolsa se recupere.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Rafael Pinheiro Machado
4 meses atrás

Olá Rafael. Concordo com você que existem vários modos do governo federal apoias as empresas brasileiras, incluindo a Embraer. A dificuldade não é técnica.

Flanker
Flanker
Reply to  Rafael Pinheiro Machado
4 meses atrás

O problema é que bem o mal uma Boeing recuperada tem demanda para recuperar o capital investido, já a Embraer vem amargando prejuízos antes mesmo da pandemia. O “sindicato” é bem rápido em disparar contra o dinheiro dos contribuintes.

Vivaldo José Breternitz
Reply to  Rafael Pinheiro Machado
4 meses atrás

e quem vai comprar essas debentures?

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Vivaldo José Breternitz
4 meses atrás

Caro Vivaldo. Os bancos não podem deixar o dinheiro parado pois prometeram pagar juros aos seus clientes. Em um ambiente de depressão econômica mundial, apenas os governos podem pegar empréstimos por meio da ampliação da dívida pública sem garantias (a garantia é o próprio Estado) inclusive com a prerrogativa de determinar os juros. Caso os bancos (ou os poupadores que preferem comprar títulos do governo diretamente) não estarem dispostos, o governo, o governo pode aumentar o compulsório ou simplesmente emitir moeda.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  carcara_br
4 meses atrás

Caro Carcará. Suas perguntas são pertinentes. Eu sempre penso nisso. Provavelmente, foram os militares que forçaram separar a divisão militar da Embraer para viabilizar a venda para a Boeing. Há sim o risco de salvar uma empresa brasileira que depois acaba sendo comprada um uma gigante estrangeira. Contudo, nesse momento, isso não está colocado. As opções são ajudar a empresa ou fechar.

Victor F.
Victor F.
Reply to  Camaergoer
4 meses atrás

Camargoer, apoiar as empresas e os empregos, incluisive a Embraer se for o caso, realmente é uma obrigação do Estado. Não só aqui, mas em qualquer lugar do mundo, independente do grau de liberalismo adotado. Injetar recursos do Tesouro Nacional, como é feito em muitas empresas estatais que não tem o mínimo compromisso com uma administração profissional (visto que os altos diretores são indicados politicamente), com a inovação ou com o desenvolvimento nacional, isso é inadmissível. Infelizmente, ainda não inventaram algo diferente do lucro para mover uma empresa a buscar melhorar seus processos, enxugar excessos e, no final, não deixar… Read more »

Victor F.
Victor F.
Reply to  Victor F.
4 meses atrás

O que eu quis dizer no primeiro parágrafo e talvez não tenha ficado muito claro, é que concordo totalmente com as políticas de crédito barato, a longo prazo, para não só manter empresas e empregos nesse período, mas também para tirar o Brasil do atraso de décadas em que vive grande parte das empresas brasileiras.
Só não acho que estatizar seja o caminho.
Se a indústria aeronáutica militar é estratégica para o Brasil, que se invista na EDS, mas fabricar jatos executivos, me perdoem, mas isso não me parece estratégico para a defesa de nenhum país.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Sargento Pincel
4 meses atrás

Caro Sargento. Talvez seja preciso pensar em como preservar as empresas de parafusos também. Se a Embraer fechar, talvez nunca mais seja possível uma nova empresa aeronáutica no país. Talvez, apenas se o Estado criar uma nova estatal do zero (uma Embraer-II). O mais importante agora é garantir que a empresa sobreviva a esse período (que está sendo difícil para TODOS). Uma possibilidade, é fazer como o FED fez com a GM durante a crise de 2008. O governo dos EUA manteve abertas linhas de crédito para a empresa durante a crise por meio de aportes de capital. Depois, a… Read more »

Mauricio R.
Reply to  Camaergoer
4 meses atrás

Legislações e práticas legais e/ou comerciais norte americanas, não são aplicáveis no Brasil. Não tem nada que estatizar e nem criar uma empresa de economia mista e menos ainda uma nova estatal. Se os sindicatos chiarem, afinal só então interessados em mamatas pra si próprios emprego que é bom, nada, abram um novo DOI-CODI que ficam todos quietos rapidinho. A questão estratégica que se impõe é a destruição da ingerência da Embraer nos interesses brasileiros e a horizontalização da indústria de defesa. E o momento é pra lá de ótimo, uma pena não haver ninguém na União minimante atento a… Read more »

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Mauricio R.
4 meses atrás

Caro Maurício. As legislações dos EUA e do Brasil têm diferenças e similaridades. O congresso brasileiro existe para aprovar leis que sejam necessárias e fiscalizar as ações do poder executivos.

Rebert
Rebert
Reply to  Camaergoer
4 meses atrás

Precisamos de mais camaergoer e menos guedes

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Rebert
4 meses atrás

Olá Rebert, como diria o Antoniok “não dê ideia”. Um abraço virtual.

leonidas
leonidas
Reply to  Sargento Pincel
4 meses atrás

Incrivel né?
A Airbus e a Boeing tambem são mantidas pelos trabalhadores franceses e americanos.
Se empresa privada que fizesse bom produto de qualidade fosse sinonimo de sucesso, a Embraer não estava perigando fechar por ter concorrentes anabolizados por seus respectivos estados como Europeus, Norte Americanos e Chineses.
Esse dito Neo liberaboçalismo é fogo…

PACRF
PACRF
Reply to  Sargento Pincel
4 meses atrás

A melhor coisa que aconteceu com a Embraer foi sua privatização nos anos 90, pois a partir daí cresceu e se tornou o que é. O mercado para aviação, não só de aviação regional, está ruim para todas as empresas. O mercado está particularmente péssimo para a Boeing, por várias razões, dentre elas fazer o 737-Max sair do chão com segurança. Dinheiro do contribuinte para salvar empresas em dificuldades com tantas pendências de natureza social no país é um erro. Quer dinheiro? Corra riscos colocando ações na bolsa de valores.

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  PACRF
4 meses atrás

A maior pendência de natureza social que existe hoje no Brasil e que tende a piorar, é o desemprego. Não fazer nada por uma das empresas mais importantes e tecnológicas do país é, além de tudo, contribuir mais ainda para o desemprego.

Os princípios liberais são interessantes e, na minha opinião, acredito que sejam melhores para o país que os princípios intervencionistas. Mas, isso em condições normais.

Estamos em um momento extraordinário, no qual se faz necessária a atuação do Estado para evitar danos.

marcus
marcus
Reply to  Felipe Morais
4 meses atrás

Então que façam por todas as empresas. Micro empresas, pequenas empresas, empresas médias e outras empresas grandes também.
Por que beneficiar somente a Embraer? Micro empreas, pequenas e médias empresas geram muito mais emprego do que a Embraer.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  marcus
4 meses atrás

Caro Marcus. Eu estou defendendo exatamente isso. Inclusive, as pequenas empresas precisam de um tipo de financiamento com juros negativos. Quando mais tempo a empresa levar para pagar, menor a dívida (portanto é mais interessante pagar os funcionários para eles ficarem em casa do que fechar a empresa).

MÁRIO FILHO
MÁRIO FILHO
Reply to  PACRF
4 meses atrás

No momento de dividir os lucros tem os acionistas , agora no momento do prejú o meu dinheiro é que vai para salvar a empresa a grande parte dos acionistas da Embraer são americanos que eles aportem mais capital .

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Pedro Calmon
4 meses atrás

E dai?Todos nós já não sustentamos políticos inúteis e funcionários públicos parasitas cujos vencimentos estão muito acima do teto constitucional?Podemos muito bem sustentar os funcionários da Embraer que pelo menos são muitíssimo capacitados e úteis para o interesse nacional.

Pedro Calmon
Pedro Calmon
Reply to  Allan Lemos
4 meses atrás

“Todos nós já não sustentamos políticos inúteis e funcionários públicos parasitas …”

E isso e’ bom para o pais, para a nossa economia?
A sua logica parace ser: “Ja’ que sustentamos parasitas, porque nao aumentar o fardo?”
Entao porque ficar so’ na EMBRAER? Porque nao sustentar todas as empresas e funcionarios do pais com recursos publicos? Ja’ que nos ja’ sustentamos tantos politicos inuteis, que diferenca faz botar ainda mais na conta do erario? Estatizamos tudo entao.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Pedro Calmon
4 meses atrás

Não é bom,é péssimo.Mas essa realidade não irá mudar pois não interessa aos políticos uma reforma administrativa,nem a CF permite redução de vencimentos.
Se é assim então vamos esticar a corda um pouquinho e estatizar a Embraer já que ela é extremanente estratégica para a segurança nacional.
Veja o exemplo da Sukhoi e da Chengdu,estão sob o controle estatal por serem vitais para a soberania de seus países.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Allan Lemos
4 meses atrás

Caro Allan. Essa crise nada tem a ver com a CF88, com questão fiscal ou folha de pagamento de servidores públicos. A atividade econômica está paralisada porque as pessoas estão adiando o consumo. Os carros estão fincando mais velhos, as televisões estão queimando, as roupas estão ficando velhas, as viagens foram adiadas. Em algum momento essas coisas serão retomadas. Os carros velhos serão trocados, novos sapatas, viagens de turismo, etc. Será necessário preservar a base industrial de produção para atender essa demanda que está reprimida agora.

Matheus Santiago
Matheus Santiago
Reply to  Camaergoer
4 meses atrás

Essa crise também tem tudo a ver com a CF88. Está sendo clara a violação de vários direitos garantidos pela CF e isso tem que ser discutido de forma séria. O ordenamento jurídico do Estado brasileiro consagra o trabalho e a livre iniciativa como valores fundamentais — os quais, portanto, não podem ser obliterados pelas medidas de proteção da saúde. Deve haver uma coexistência entre o bem-estar físico (corpóreo) e o bem-estar econômico (material) da população. O que os governantes fizeram foi uma clara ordem de superioridade do bem-estar físico sobre o bem-estar econômico. Um tempo atrás eu li que… Read more »

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Pedro Calmon
4 meses atrás

Caro Pedro. Você tem razão. É necessário um programa de apoio á base industrial mais amplo. A crise não é de um setor ou de um país. É uma crise mundial relacionada á queda da demanda. O que é necessário agora é preservar o setor industrial porque passada a crise do vírus, a demanda será retomada a partir do fundo do vale. Eu imagino que é uma crise do tipo “U”, uma enorme queda, um período de latência e depois uma rápida volta ao estado anterior.

carcara_br
carcara_br
Reply to  Camaergoer
4 meses atrás

Vai depender da taxa de fatalidade real da doença, do ritmo de espalhamento, e da capacidade de desenvolvermos imunidade.
Se a fatalidade (1%-0,1%) e o espalhamento (R0=2-2.5) for como se suspeita agora, e desenvolvermos imunidade espere uma curva em “W” ou vários “VVVVV”. Por outro lado se houver uma taxa de fatalidade menor (0,1-0,01%) e um espalhamento (R0=3-6) ainda mais rápido, espere uma curva em V ou um W simples em qualquer dos cenários desde que se desenvolva imunidade, sem imunidade e sem vacina temo que a expectativa de vida humana cairá bastante em alguns anos…

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  carcara_br
4 meses atrás

Olá Carcará. Os dados de letalidade e disseminação do vírus dependem da eficiência com que são aplicados os testes. Estou acompanhando a evolução dos casos em quatro fontes, o Johns Hospkins, o Ministério da Saúde, o Google e a Fiocruz (via rede covida). A taxa de casos confirmados está seguindo uma curva exponencial que dá para ser usada para extrapolar os casos e estimar o número de morte (a letalidade está 6,8% (considerando os níves de subnotificação no Brasil). O pessoal da UFMG fez uma conta de trás para frente interessante. Eles estimaram o número de contaminados a partir dos… Read more »

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Pedro Calmon
4 meses atrás

Pedro, pra quê ser 8 ou 80? Lá em cima você escreveu que, se a opção fosse por salvar a Embraer, seria necessário sacrificar uma empresa. Agora, você escreve que se fosse necessário estatizar uma empresa, que se faça o mesmo com todas. Por que não se pode pensar em algo equilibrado? Pq não se pode pensar em planejamento? Pq sempre ir para os extremos? Enxergo que esse é o principal problema intelectual do país hoje. Boa parte da população rechaça o “meio termo”. O se deve ir até um extremo ou até o outro. E veja bem. Poucos estão… Read more »

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Allan Lemos
4 meses atrás

Caro Allan. Preservar as empresas é fundamental para manter a base industrial funcionando porque ela será necessária para o período pós-crise. O importante é que o governo possui todas as ferramentas para ajudar as empresas a superar esse período. Depois que a situação começar a se normalizar, essa empresas poderão retornar os recursos. Os EUA fizeram isso em 2008;

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Camaergoer
4 meses atrás

Não fizeram, peço revisar os FATOS que se sucederam nos EUA em 2008 e 2009. Não existia previsão em LEI para que isso fosse feito. O governo americano não pode fazer quase nada naquele momento. Lembra do Leman & Brothers… ruiu… e pronto. PROER é só por aqui meu amigo.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Ricardo Bigliazzi
4 meses atrás

Caro Ricardo. Quando os bancos interromperam as linhas de crédito em 2008 com medo de uma cascata de falências, o governo dos EUA foram a garantia dos créditos de várias empresas (assim os bancos puderam relar as dívidas). Aliás, os governos de vários países do G20 tomaram decisões coordenadas.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Pedro Calmon
4 meses atrás

Caro Pedro. Estamos passando por período totalmente diferente do que qualquer coisa vivida pela espécie humana. Acho que existem dois períodos que podem servir para aprendizado. O primeiro foi a depressão de 30 e o segundo foi a crise de 2008. Na crise do subprime, as grandes empresas dos EUA ficaram sem financiamento porque os bancos interromperam as linhas de crédito, o que levou o governo do EUA a injetar dinheiro em empresas do porte da GM, preservando as empresas. Passada a crise, dez anos depois, essas empresas já tinham devolvido os recursos para o tesouro dos EUA. Nesse momento,… Read more »

Pedro Calmon
Pedro Calmon
Reply to  Camaergoer
4 meses atrás

“Na crise do subprime, as grandes empresas dos EUA ficaram sem financiamento porque os bancos interromperam as linhas de crédito, o que levou o governo do EUA a injetar dinheiro em empresas do porte da GM, preservando as empresas.” O que gerou um custo politico altissimo. Da esquerda tivemos o “Occupy Wall Street” e da direita o “Tea Party Movement”. A eleicao do Trump para presidente foi consequencia direta da revolta do eleitorado com as acoes de socorrer wall street e as grandes empresas. Mas voltando ao Brasil, qual e’ a “fonte realista” de fundos para pagar os R$5,6 bilhoes… Read more »

Pedro Calmon
Pedro Calmon
Reply to  Camaergoer
4 meses atrás

“o que levou o governo do EUA a injetar dinheiro em empresas do porte da GM, preservando as empresas.” O que gerou um custo politico altissimo. Da esquerda tivemos o “Occupy Wall Street” e da direita o “Tea Party Movement”. A eleicao do Trump para presidente foi consequencia direta da revolta do eleitorado com as acoes de socorrer wall street e as grandes empresas. Mas voltando ao Brasil, qual e’ a “fonte realista” de fundos para pagar os R$5,6 bilhoes de reais pelas acoes da EMBRAER, os R$2,5 bilhoes do passivo da EMBRAER e mais a folha de pagamento e… Read more »

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Pedro Calmon
4 meses atrás

Sustentar a EMBRAER ou fazer hospitais, escolas e saneamento publico com os poucos recursos que existem???

Valha-me Senhor.

Gabriel BR
Gabriel BR
Reply to  Ricardo Bigliazzi
4 meses atrás

A depender de você não faremos nem um e nem outro.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Gabriel BR
4 meses atrás

Caro Gabriel, vou legendar o comentário: entre seguir a preferencia de um monte de sindicalista que quer mamar nas tetas do governo ou fazer o que dá para fazer para a população do Pais fico com a segunda opção.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Ricardo Bigliazzi
4 meses atrás

Caro Ricardo. Esse é um dilema falso. De um lado há a emergência sanitária que requer hospitais provisórios, aproveitando instalações como ginásios, centros de convenções. Na cidade onde moro, a prefeitura arrendou um hotel que estava fechado para servir de moradia aos profissionais de saúde, evitando que eles circulem pela cidade. Outra coisa são as ações de crédito extraordinário para que as empresas possam superar esse período de crise na qual as demandas de consumo estão interrompidas. Ao simplificar a discussão perde-se a compreensão da gravidade do momento.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Pedro Calmon
4 meses atrás

A Embraer não esta mal das pernas, ela tem tido lucro e tem bons produtos no mercado, a união com a Boeing seria bom para ela e para a Boeing, mas antes desse acordo que não vingou não se falava nisso.

Karl Bonfim
Karl Bonfim
Reply to  Pedro Calmon
4 meses atrás

Reestatizar nem que seja por um período para proteja-la nesse momento de crise. Ou é isso ou vela falir, ou ainda vende-la aos chinas, se é que eles ainda querem, depois de terem dominado as tecnologias aeronáuticas da EMBRAER, Boeing e AIRBUS. O BRASIL precisa da EMBRAER, não pode deixa lá de lado agora. Um país continental como o nosso, com enorme necessidades com um nível de domínio tecnológico da ainda terceira maior indústria aeronáutica do planeta, não pode titubear.

Scudafax
Scudafax
Reply to  Pedro Calmon
4 meses atrás

Ledo engano. Forma racional de manutenção de indústria de interesse nacional. A Airbus é estatal, assim como a Volkswagen. Nós EUA as empresas estratégicas de defesa não podem ser compradas, por questão de segurança nacional.

Jorge Ferreira
Jorge Ferreira
Reply to  Pedro Calmon
4 meses atrás

Começaram os indícios da crise econômica mundial…

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Jorge Ferreira
4 meses atrás

Caro Jorge. A redução da atividade econômica mundial está a vista de todos há dois meses. Redução de voos comerciais, redução no movimento dos portos, redução no consumo de petróleo e de energia elétrica, redução da arrecadação tributária em todos os níveis, etc etc etc.

Nico 88
Reply to  Pedro Calmon
4 meses atrás

Liberar 1,2 trilhões em depósitos compulsórios para bancos pode! 900 bilhões em juros pode, mas financiar em alguns bilhões uma das maiores fabricantes de aviões do mundo, empresa estratégica para a defesa do país não pode. É esse liberalismo entreguista de terceiro mundo que atrapalha e muito o desenvolvimento do país. Os que seguem tal ideologia (ou seria dogma?) são tão nocivos e tão doentios quantos os que querem implementar uma ditadura nos moldes soviéticos ou chineses no país.

Mosczynski
Mosczynski
Reply to  Pedro Calmon
4 meses atrás

Alem de sustentar emprego dos funcionarios voce tera cargos de confianca preenchidos cuidadosamente com gente alinhadissima com o governo e toda excelencia tecnica vai para o ralo junto com o dinheiro dos impostos.

Chris
Chris
Reply to  Pedro Calmon
4 meses atrás

Esse sindicato de SJC da muito mais medo que isso tudo. Heheh

A GM simplesmente fechou mais da metade da fabrica de Sao Jose dos Campos, e construiu outra fabrica la no sul.

DomSaf
DomSaf
4 meses atrás

Mas que genialidade.
Depois privativa novamente a preço de banana.

Vai ter o mesmo sucesso da VASP.
(quantos funcionários vão negativar meu comentário?kkkk)

Doug385
Doug385
Reply to  DomSaf
4 meses atrás

A Embraer quando foi privatizada gerava um perigoso mensal de 20 milhões de dólares para os cofres públicos. Se tivesse sido privatizada de graça já teria sido um ótimo negócio.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  DomSaf
4 meses atrás

Cado DomSaf. O governo dos EUA fez algo assim na crise de 2008, mas a diferença é que as empresas retornaram os recursos para o Tesouro depois que a crise foi superada.

Carlos Roberto Correa
Carlos Roberto Correa
Reply to  Camaergoer
4 meses atrás

Lá no US a teoria funciana na forma escrita, aqui no vencimento surgira uma lei para suaves pagamentos em 20 manos.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Carlos Roberto Correa
4 meses atrás

Caro Carlos. Uma das medidas possíveis para as micro e pequenas empresas são créditos a juros negativos. Os recursos são dados para o pagamento dos salários e quanto mais tempo a empresa ficar aberta, menor a dívida, até a sua completa extinção. Por outro lado, se a empresa fechar e demitir os funcionários, tem que pagar o empréstimo cheio.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Camaergoer
4 meses atrás

Caro Bruno. Acho que é apenas um desencontro de palavras. No atual momento, é preciso alguma boa vontade para compreender que essencialmente o problema é dar condições para a base industrial brasileira suportar esse momento de crise. Aliás, como disseram os chineses, não importa a cor do gato. Além do apoio para as empresas, é preciso urgentemente distribuir renda para as famílias pobres. O momento é grave.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  DomSaf
4 meses atrás

Esse negocio de privatizar a EMBRAER é coisa de sindicato querendo mamar nas tetas do governo. Me diga alguma empresa Chinesa ou Russa (no radical socialismo/comunismo) que dominou o mercado de avião civil mundial em algum momento (em uma ou todas as categorias). Isso não existe. O problema da EMBRAER é que estava no meio de uma briga mundial entre Boeing e Airbus. Iria morrer de qualquer jeito se não se juntasse a Boeing. Agora tudo mudou, tenho duvidas de como ficará a situação mundial. E antes das fabricantes de aviões quebrarem quebram os BANCOS que fizeram os Leasing de… Read more »

Scudafax
Scudafax
Reply to  Ricardo Bigliazzi
4 meses atrás

Prezado, a Airbus é estatal. Procure se inteirar antes de afirmar.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Scudafax
4 meses atrás

Meu Deus, não é! Que mundo vocês vivem?

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Scudafax
4 meses atrás
Renato de Mello Machado
Renato de Mello Machado
4 meses atrás

É furada esse lance proposto.O desespero agora,batendo a porta de quem criticou o que estava sendo feito, no caso a fusão. E a situação voltou-se contra eles com o quadro agravado, da pandemia influindo negativamente nos negócios mundo a fora,ainda mais no de aviação.Já basta o que nós sustentamos de maracutaia por aí.Mais uma? Se virem.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Renato de Mello Machado
4 meses atrás

Caro Renato. A questão nada tem a ver com a Boeing, que desistiu do acordo porque está com problemas decorrentes do fracasso do 737Max e da crise do setor aéreo devido a redução das atividades das empresas aéreas. Nesse momento, o mundo todo está com a demanda paralisada. Em algum momento, essa demanda precisará ser atendida. Passada a crise da pandemia, será necessário reativar o setor industrial de produção. Portanto, é urgente preservar agora a base industrial para que ela possa atender as necessidades de consumo do pos-pandemia

glasquis7
Reply to  Camaergoer
4 meses atrás

As prioridades são outras e manter a EMBRAER é muito caro.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  glasquis7
4 meses atrás

Caro Glasquis. Concordo que a prioridade agora são as pessoas. Portanto são necessárias ações de emergência como hospitais de campanha e distribuição de renda para as famílias pobres. Contudo, é necessário que o governo federal comece a atuar com medidas efetivas de apoio ao setor industrial. Gostaria se saber se o governo chileno também estaria tomando medidas de apoio ao setor industrial. Essencialmente, são os três polos industriais do cone sul (Argentina, Brasil e Chile)

glasquis7
Reply to  Camaergoer
4 meses atrás

O Chile apenas cria linhas de financiamento. Jamais estatizaria uma empresa do tamanho da EMBRAER. É o caso da LATAM que chora por ajuda do governo chileno mas que os próprios chilenos pedem pra não ajudar.

A industria de base é o pilar da sobrevivência das nações Sul-Americanas. Não há o por que gastar valiosos milhões de Reais pra ajudar uma empresa que vende em American Dollar’s e que terá muitas dificuldades de mercado nos próximos anos.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  glasquis7
4 meses atrás

Olá Chile. Você sabe me dizer sobre as medidas que o governo chileno está tomando tanto em termos econômicos quanto sanitários?

glasquis7
Reply to  Camaergoer
4 meses atrás

Como disse, o Governo chileno disponibilizou linhas de crédito pra empresas.
Sobre as medidas sanitárias, o Chile está aplicando medidas de isolamento setorizado.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Renato de Mello Machado
4 meses atrás

Proposta do SINDICATO, esses caras são ótimos para proteger os SEUS próprios interesses. Alguém aqui no BLOG que mora no meu Grande ABC??? Esses CUPINS de GRANA acabaram com a nossa região. Empresas como General Elétric, Black&Decker, Consul, Brastemo, Ford e outras centenas (isso mesmo centenas) picaram a mula da região por causa desses caras que não estão ai para nada.

Noticia ruim, numa situação já muito ruim.

Scudafax
Scudafax
Reply to  Renato de Mello Machado
4 meses atrás

Não vejo nenhum problema maior na proposta. A não ser o método, uma solução possível e testada é a aquisição de participação minoritária, assim como a Airbus e a Volkswagen.

Capa Preta
Capa Preta
4 meses atrás

Nada de novo. Sindicatos defenderiam estatizar a wolksvagem no Brasil.
Sindicatos defendem estatizar desde a birosca do Zé na esquina até os shoppings centers.
Advinhem porque??
Porque não precisa se esforçar para o negócio der certo, se tiver déficit o trouxa do contribuinte cobre o rombo via impostos.
E como morar para sempre na casa do pai e da mãe.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Capa Preta
4 meses atrás

Caro Capa. Sindicatos defendem empregos. Para isso servem sindicados de trabalhadores. O que está ocorrendo é diferente de uma crise do setor ou de uma empresa. O setor industrial está parado esperando a retomada das atividades devdo uma pandemia inédita na história humana. O governo precisa preservar o setor industrial brasileiro durante esse período de crise como os EUA preservaram o setor industrial deles em 2008.

Capa Preta
Capa Preta
Reply to  Camaergoer
4 meses atrás

Meu caro eu vejo muita gente falando em “ajuda da do governo” ou “financiamento do estado para tal setor” como se o estado brasileiro não fosse algo quebrado, falido de forma irreversível pela próxima década pelo menos. E se está pandemia e o rombo orçamentário que ela trouxe não fosse a pá de cal na cova deste estado falido.
E me pergunto: Como se daria está mágica ??

Capa Preta
Capa Preta
Reply to  Capa Preta
4 meses atrás

E melhor manter uma carteira de pedidos e linhas de crédito, principalmente no setor de defesa, e mais viável do que querer ressuscitar o “dinossauro estatal”
Mas como pedir isso de um estado que mau consegue modernizar mais que dois AMX?
E sem se esquecer que estatizar agora seria mais a salvação de acionistas que receberiam milhões cada, do que salvação de empregos, então me pergunto se tal sindicato não está atendendo mais interesses privados em algum acordo por baixo dos panos , ou realmete pensando nos trabalhadores?!

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Capa Preta
4 meses atrás

Caro Capa. Comentei em outro lugar que a encomenda de um segundo lote de F39 para serem fabricados no Brasil seria uma excelente solução. O fato do governo federal “comprar” a Embraer não significa “estatizar” a empresa. O que a empresa precisa é a garantia de crédito e a manutenção das linhas de financiamento. Os sindicatos defenderão os empregos (pois foi para isso os sindicalistas foram eleitos na eleição passada e serão eleitos na próxima eleição do sindicado). Talvez até seja o caso de contrapartidas excepcionais (redução de jornada dos trabalhadores de um lado, créditos públicos do outro, etc)

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Capa Preta
4 meses atrás

Caro Capa. O momento é excepcional. O Estado é o único agente no momento que tem as ferramentas para evitar o colapso da sociedade. Os EUA são deficitários há anos (foi cerca de US$ 1 trilhão em 2019). Felizmente, o governo não precisa de mágica. Com uma taxa de desemprego de 11% e taxa de ociosidade de 30% na indústria, não há risco inflacionário para a emissão de moeda (isso segundo Armínio Fraga, Mendonça de Barros, Henrique Meirelles…). Durante a crise de 2008, o governo dos EUA garantiu as linhas de crédito das grande empresas como a GM (os bancos… Read more »

bit_lascado
bit_lascado
4 meses atrás

Beberam o que os sindicalistas nessa quarentena?
Reclamar com os executivos que não tinham um plano de contingência para o caso do acordo fracassar nada né?

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  bit_lascado
4 meses atrás

Caro Bit. Não há plano de contingência para a crise do coronavirus. O setor industrial está paralisado porque não há demanda. Provavelmente será uma crise em “U”. O governo precisa preservar o setor industrial durante esse período para que exista uma base industrial para o período de recuperação.

Jmgboston
Jmgboston
4 meses atrás

Estabilidade no emprego? Por quê so eles? Ha ramos industriais e de serviços no Brasil que se pararem o Brasil para e eles não tem estabilidade no trabalho. Se a Embraer deixar de existir amanhã será que o Brasil vai parar? Se a Boing quebrar a America tambem continuará a mesma. Melhor seria dar estabilidade de emprego aos garis ou caminhoneiros pir exemplo.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Jmgboston
4 meses atrás

Médicos, enfermeiros tambem. No Brasil hoje só o pessoal da area de segurança ainda tem instabilidade. A maioria dos estados e cidade usam OS que por lei deveriam ser usadas só em emergências e por curto periodo para contratar pessoal sem concurso e estabilidade.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
4 meses atrás

Caro Cristiano. São vários problemas. Um deles é manter os serviços de emergência funcionando (hospitais, alimentação, energia, segurança). É preciso lembrar que estamos passando por um período de isolamento sanitário e não de lei marcial. Portanto, todas as esferas públicas deveriam estar focadas no problema da pandemia (ontem faleceu um colega de 55 anos em Campinas devido o coronavírus). Outro problema é garantir a renda da população de baixa renda (que pode ser feita por aportes adicionais de recursos nas contas do bolsa-família, abono para os aposentado com benefícios até 2 salarios-mínimos e agilização na concessão de novas aposentadorias). Há… Read more »

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Jmgboston
4 meses atrás

Caro J. Concordo. Nesse período de paralisação econômia devido a crise do coronavírus é necessário preservar TODOS os empregos. Estamos vivendo um período sem precedentes o que exige medidas absolutamente criativas e nunca testadas

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
4 meses atrás

Uma empresa privada, se comete um erro e vai a falência ou corre o risco de ir, reduz os custos, negocia redução de salários e em ultimo caso demite. Para ganhar vendas, sempre busca meios de redução de custos que a tornem competitiva. A Embraer estatizada, se não vender 1 avião por ano, os 10 mil empregados públicos vão continuar recebendo seus gordos salátios em dia as custas dos impostos que pagamos. Não serei demitido, não vou receber a menos, então para quê eu vou reduzir os custos de produção? Como fica as subsidiárias da embraer no exterior se ela… Read more »

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
4 meses atrás

Caro Cristiano. Vivemos uma crise devido o isolamento sanitário, algo completamente novo na historia humana. Os problemas são diferentes de qualquer coisa já vista, o que exige soluções ousadas e criativas.

cerberosph
cerberosph
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
4 meses atrás

No liberalismo, como prescrito no Consenso de Washington, é assim, por isso a GM faliu em 2008 e o governo dos EUA não “estatizou” ela com 30 bilhões de dolares. não, pera aí….

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  cerberosph
4 meses atrás

Caro Cerb. O consenso de Washington fazia sentido na década de 90, após as duas grandes crises do petróleo e da crise das dívidas dos países do terceiro mundo. Nesse momento, de crise mundial devido a pandemia, o cenário é parecido ao da crise de 29 e da crise de 2008. Nesse momento, são necessárias medidas keynesianas. Talvez depois de passar a crise, será preciso revisar novamente. A discussão ideológica é estéril sem levar em conta o cenário econômico mundial.

Allan Lemos
Allan Lemos
4 meses atrás

Talvez fosse o melhor.Uma empresa dessas deveria ser estatizada para ajudar a garantir a soberania e a independência tecnológica do país.É só ver o exemplo da AVIC dona da Chengdu e a UAC dona da Sukhoi.A Embraer deveria ser ao menos uma empresa de economia mista para evitar que algum governo entreguista a deixe desaparecer por inação,como estava prestes a acontecer.

Rafael Pinheiro Machado
Rafael Pinheiro Machado
Reply to  Allan Lemos
4 meses atrás

Exemplos de países comunistas em nada se adequam ao nosso regime de governo e muito menos aos nossos preceitos de economia. Se a última opção for a privatização, prefiro que a empresa vá à falência.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Rafael Pinheiro Machado
4 meses atrás

Caro Rafael. As propostas de Keynes para a recuperação das economias capitalistas após a crise de 29 foram pensadas para evitar que países liberais fossem tomados por revoluções populares. No caso de um colapso dos sistemas econômicos liberais, sobrará apenas o caminho da revolução popular para restabelecer as condições de vida da classe operária.

Renato de Mello Machado
Renato de Mello Machado
4 meses atrás

Para o sindicato, é indiferente ter fusão ou não.Eles querem é ficar na porta das empresas, pedindo zilhões de benefícios para os empregados, (e na china não tem nenhum).Agora na perspectiva de não haver negócio qualquer, é muito comodo propor voltar ao governo. Kkkkkkkkk.Rindo litros da situação, pois sempre passei meus muitos perrengues na vida, como trabalhador comum, levando pé na bunda.

Samuca cobre
Samuca cobre
Reply to  Renato de Mello Machado
4 meses atrás

2

Mosczynski
Mosczynski
4 meses atrás

Sindicalista parece que mora lá na Nova Zelândia e vai ao Brasil para coletar a grana da contribuição dos trabalhadores. Brasil precisa privatizar mais empresas e esse povo que a estatização? Alguém precisa avisá-los que o Brasil tá quebrado.

JOSE DE PADUA VIEIRA
JOSE DE PADUA VIEIRA
4 meses atrás

O Reino Unido estatizou a Rolls Royce quando esta ficou a beira da falência, a França já estatizou a Renault, ambas são empresas estratégicas em seus países, pq não estatizar a Embraer para evitar a perda do conhecimento acumulado? Para poupar alguns milhoes (ou bilhoes) que sumirão na corrupção? Eu como contribuinte prefiro pagar impostos para ajudar um empresa estratégica do que vê-la em mãos chinesas.

Ferreras
Ferreras
4 meses atrás

Questão complexa, algumas dúvidas:

1. Quanto o governo já investiu? Quanto dinheiro perderia com a falência?

2. Quanto tempo levaria para surgir outra empresa com esse perfil? Com esse volume de tecnologia gerado?

3. Qual o custo do auxilio e qual o custo de deixar quebrar?

4. Qual o valor agregado da empresa nos interesses estratégicos da nação a médio e longo prazo?

Antoniokings
Antoniokings
4 meses atrás

E a única solução para a EMBRAER.
E será para a Boeing também.
Se não estatizarem essas duas empresas, elas vão falir.

Space Jockey
Space Jockey
Reply to  Antoniokings
4 meses atrás

A Boeing provavelmente não vai ser estatizada, mas vai precisar de 60 Bi ! Corona + MAX = fatality. E os EUA nao sao burros , com certeza vão dar esse dinheiro, como deram pra GM em 2009. Há pessoas prevendo que depois dessa crise toda a aviação regional vai sair fortalecida em detrimento da global.

Ersn
Ersn
Reply to  Space Jockey
4 meses atrás

Faz sentindo já que viagens regionais terão muito menos exigências e barreiras sanitárias que as intercontinentais.

Julio
Julio
Reply to  Ersn
4 meses atrás

Não é só isso.
As pessoas irão sair empobrecidas dessa crise, menos pessoas terão grana para passear no exterior. E, como você disse, os governos irão rever os protocolos sanitários nos aeroportos. Isso dificultará ainda mais as viagens internacionais.

O turismo interno tende a se fortalecer, mas o turismo externo tende a diminuir.
Economias como a da Itália, França e da Grécia que são dependentes de turismo internacional sofreram muito.

Dr. Mundico
Dr. Mundico
4 meses atrás

Já estava demorando apresentarem essa maravilhosa proposta: joga no colo da nação que o povo adora uma idolatrar uma estatal para chamar de “sua”. Investimento para que? Tecnologia para que? Mercado? Quem precisa de novos mercados? Com o brasileiro não há quem possa! Já consigo até imaginar a propaganda: todo mundo no pátio de mãos dadas, se abraçando, chorando e batendo no peito: “a Embraer é nossa, é do Brasil, é do brasileiro guerreiro”! Fundo musical de batucada nacionalista no melhor estilo Galvão Bueno… Todos terminam felizes: a empresa ganha um “sócio” e um pai, o contribuinte ganha mais uma… Read more »

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Dr. Mundico
4 meses atrás

Caia na realidade do Mundo e pare de pensar como liberal de blog de automóveis.

Pedro Calmon
Pedro Calmon
Reply to  Antoniokings
4 meses atrás

E qual e’ a “fonte realista” de fundos para pagar os R$5,6 bilhoes de reais pelas acoes da EMBRAER, os R$2,5 bilhoes do passivo da EMBRAER e mais a folha de pagamento e custos operacionais de uma empresa virtualmente sem fluxo de caixa?
Aguardo a sua sugestao.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Pedro Calmon
4 meses atrás

É uma escolha que se tem de fazer.
Ou vc mantém uma empresa estratégica que pode render frutos ao desenvolvimento do Brasil e arca com os custos ou vc fecha e acaba com a história.

Samuca cobre
Samuca cobre
Reply to  Antoniokings
4 meses atrás

Neste caso que você está falando, melhor fechar…

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Samuca cobre
4 meses atrás

Então, manda o pessoal pra fila dos ‘seiscentinhos’.
Se o Governo pagar, é claro.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Samuca cobre
4 meses atrás

Caro Samuca. A crise de 2020 pode comparada á crese de 29 e á crise de 2008. Em 29, o governo dos EUA deixou as empresas fecharem e a crise piorou. Em 2008, resolveram ajudar as empresas e a crise foi controlada.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Pedro Calmon
4 meses atrás

Caro Pedro. Além da Embraer, existem outras empresas que precisam do apoio do governo federal, além da necessidade de distribuir renda para as famílias que dependem do bolsa-familia e da aposentadoria de até 2 salários-minimos. O governo federal tem duas opções. A primeira é aumentando a dívida pública a segunda é emitindo moeda. Em alguns casos, acho que seria viável usar as reservas cambiais. Por exemplo, a estatização da Embraer pode ser feita com recursos das reservas. Quando a economia mundial apresentar condições apropriadas, a empresa pode ser novamente privatizada (por meio da venda das ações na bolsa de SP,… Read more »

Marco A
Marco A
Reply to  Dr. Mundico
4 meses atrás

Não sei se algum dos srs. são do Vale do Paraíba. Como sou posso dizer: O Sindicato dos Metalurgicos de São José dos Campos age com extrema truculência, não está pensando nos funcionários, nem nos empregos. Só pensam nos seus próprios bol$o$ e tentam, a todo custo, inviabilizar o maior número de empresas possível. Politica do PSTU. Porque os srs. acham que a Embraer já mandou parte de suas linhas para Gavião Peixoto e até para o exterior?? Porque esse sindicatinho marxista está, paulatinamente, expulsando as empresas daqui. Vcs não imaginam a quantidade de empresas que já se mandaram da… Read more »

Gerson
Gerson
4 meses atrás

A Embraer terá um futuro sombrio, o setor comercial já está cambaleando com as encomendas do E2 bem abaixo do esperado, ainda mais com a Airbus oferecendo descontos bastantes generosos para que os operadores troquem seus Embraer e boieng pelo seu novíssimo A220. E se engana quem acha que o setor executivo e militar vai segurar a Embraer os seus 20mil empregados.

Essa tentativa desesperadora de estatização só irá prolongar a sangria, e obviamente custará caro aos contribuintes sem o retorno desejado, como toda estatização.

É bem provável que os chineses batam a porta fazendo uma oferta, observemos.

Matheus Santiago
Matheus Santiago
4 meses atrás

““A alta capacitação dos trabalhadores fará a diferença em favor de uma empresa alinhada com os interesses verdadeiramente brasileiros e que não submeta o destino da vida de milhares de trabalhadores à perversa lógica do lucro.”” Incrível mesmo. Alguém consegue imaginar uma empresa estar operacional sem ter lucro? Eu não conheço. Eu conheço sim, empresas estatais que dão lucro por serem extremamente eficientes em seus setores por atuarem em um ambiente de mercado livre, pois não têm influência política nas decisões da empresa, tendo funcionários técnicos e extremamente capacitados, onde a única ordem do governo para a empresa é dar… Read more »

Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  Matheus Santiago
4 meses atrás

UBER!!! (HAHAHAHHAHAH)

Andre
Andre
4 meses atrás

Ao invés de estatizar seria muito mais eficiente o governo criar linhas de financiamento para seus produtos. Poderia terminar de modernizar os A1, comprar mais um ou dois e99, financiar alguns super tucanos para a África, “incentivar” a Tam trocar os a320 por aviões da Embraer….

Sempre que a solução for proposta por parasitas sindicais da para ter a certeza que é a pior possível para o país.

Pedro Calmon
Pedro Calmon
Reply to  Andre
4 meses atrás

A carteira de negocios da EMBRAER era de US$16 bilhoes (antes de se evaporar). Essas aquisicoes e incentivos que voce propos seriam como dar uma aspirina a alguem que acaba de ter as duas pernas amputadas.

Nao vejo solucao estatal politicamente possivel no clima atual de COVID-19 e com a implosao da economia mundial (e Brasileira).

Marcos10
Marcos10
Reply to  Andre
4 meses atrás

A melhor maneira de o governo auxiliar a Embraer é fazendo encomendas. O pessoal reclama que a área de defesa da Embraer não sobrevive sozinha. Lógico que não! Não há encomendas. E não há encomendas porque não há dinheiro. Tudo que se arrecada hoje vai para o social, ou seja, para bancar um monte de gente.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Marcos10
4 meses atrás

Para ‘montadoras’ de aviões só existem duas soluções: Ou são estatais ou o Estado apóia firmemente protegendo o mercado e fazendo muitas encomendas.
O resto é conversa fiada de liberal que fica sentado no sofá de casa comendo mingau feito pela vovó.

Pedro Calmon
Pedro Calmon
Reply to  Antoniokings
4 meses atrás

“Ou são estatais ou o Estado apóia firmemente protegendo o mercado e fazendo muitas encomendas.”

E no Brasil, voce financia uma dessas alternativas com o que, folhas de mangueira?

Tulio Rossetto
Tulio Rossetto
Reply to  Antoniokings
4 meses atrás

Ficar sentado no sofá comendo mingau da vovó tá mais pra comportamento dos sindicalistas mesmo. Mingau feito com dinheiro público mais saboroso ainda, não é?

TukhMD
TukhMD
Reply to  Marcos10
4 meses atrás

Concordo contigo. Acelerar a cadência de produção do gripen, já aumentando o pedido inicial. Com isso gerando fluxo de caixa necessário para cobrir a aviação comercial, que estará no negativo por um bom tempo. Não sugiro novos projetos, pois são custosos e demandam menos mão de obra na fase de pesquisa e desenvolvimento.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Andre
4 meses atrás

Linhas de financiamento para vender para quem?

Marcos10
Marcos10
Reply to  Antoniokings
4 meses atrás

Ué!? Você é contra criar linhas de crédito, mas é a favor de reestatizar. Não faz sentido!
Vale aqui a sua pergunta: estatizar a empresa para vender para quem?

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Marcos10
4 meses atrás

A estatização preconizada é emergencial e apenas para evitar a morte da empresa.
Depois, há que readequá-la para a realidade do Mundo que se aproxima.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Antoniokings
4 meses atrás

Olá AntonioK. Exatamente. A situação agora é garantir que a base industrial e a base tecnológica do país seja preservada.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Camaergoer
4 meses atrás

Camargoer

O Valor Econômico está com um artigo dizendo que o tom agressivo da EMBRAER com relação à Boeing abre caminho para uma parceria com os chineses.
Será?

Gabriel BR
Gabriel BR
Reply to  Antoniokings
4 meses atrás

Estou torcendo por isso , caro AntonioKings.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Gabriel BR
4 meses atrás

Gabriel BR

Somos dois.
A parceira com a China, em todos os setores, será fundamental para o futuro do Brasil.
Como já está se realizando o ‘Século Chinês’ , nada como se unir ao gigante oriental.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Antoniokings
4 meses atrás

Olá AntonioK. Não sei. O problema é a inércia do governo brasileiro em relação á urgência das medidas necessárias.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Camaergoer
4 meses atrás

Camargoer

Calma, rapaz!
Logo isso vai mudar.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Antoniokings
4 meses atrás

Olá AntonioK. Há uma cena do filme “300” na qual os soldados de Xerxes estão na beira de um abismo enquanto os soldados espartanos dão pequenos passos. Quem está no abismo grita avisando, mas não adianta….

Caio Márcio
Caio Márcio
Reply to  Antoniokings
4 meses atrás

Hum? Calma, que logo isso vai mudar?
Sonhando que seu líder presidiário voltará ao poder?

Caio
Caio
4 meses atrás

Resestatizar??? De forma alguma, deixa com a iniciativa privada, mesmo o governo deve no máximo ajudar, sem excessos, pois a empresa já tem poucoa ajudar para a tecnologia do país.
O pedido é do sindicato, mas não duvido que tenha uma forcinha dos patrões.

EdcarlosPrudente
EdcarlosPrudente
4 meses atrás

Interferência estatal direta é a pior coisa que pode acontecer, principalmente no Brasil onde a classe política nefasta trabalha em proveito de ideologias e partidos políticos e não em prol da nação.

O Estado quer ajudar empresas, então cumpra suas obrigações como fomentadora de projetos estratégicos para a o desenvolvimento tecnológico da nação tanto na esfera civil com militar.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  EdcarlosPrudente
4 meses atrás

Geralmente a interferência estatal direta seria prejudicial,porém no caso da Embraer seria diferente já que ela é uma empresa estratégica vital para nossa soberania.Veja por exemplo os casos da Sukhoi e da Chengdu,ambas subsidiárias de empresas estatais justamente por serem fundamentais para a independência tecnológica da Rússia e da China,respectivamente. A Embraer jamais deveria ter saído do controle estatal,deveria no máximo ser uma empresa de economia mista,com 51% das ações pertencendo a União.Deveria ser assim caso contrário algum governo entreguista poderia,por inação,deixar que uma empresa dessa importância fosse vendida a preço de banana a uma empresa estrangeira,e junto com a… Read more »

Andre
Andre
Reply to  Allan Lemos
4 meses atrás

Isso ai, vamos seguir o modelo estatizante russo e chinês e vamos nos distanciar ao máximo do modelo de estado apoiador, mas não dono, dos americanos e europeus. O resultando do modelo chines se reflete nas ótimas condições de vida nesses países, ao contrario das desigualdades das sociedades americanas e europeias. Basta ver a quantidade de alemães morando em Moscou e as centenas de milhares de americanos emigrando para a China.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Andre
4 meses atrás

Andre,você me entendeu mal,o que eu quis dizer foi que geralmente a estatização é ruim,mas no caso específico de empresas como a Petrobrás,Nuclep ou a Embraer,a situação muda pois são empresas altamente estratégicas para a soberania e independência tecnológica nacional. No caso da China e da Rússia,a Sukhoi e a Chengdu sempre irão garantir que esses países tenham uma indústria aeroespacial capaz de entregar-lhes ótimos produtos,livrando o país de qualquer tipo de dependência externa.O mesmo poderia ser feito com a Embraer,que seria capaz de fabricar caças nacionais para nós e talvez até para nações que não podem arcar com caças… Read more »

Andre
Andre
Reply to  Allan Lemos
4 meses atrás

Allan, que tal comparar então com as empresas europeias ou israelenses? A estatização nunca deu certo. Existe na China e na Rússia porque lá os regimes estão pouco se importando com a vida do cidadão. Devemos seguir os modelos que deram certo, não aqueles que achamos bonitinhos. Thales, Airbus, mdba, por exemplo, são todas privadas, com forte ajuda estatal e um certo grau de restrições estatais, como as golden share da Embraer.

Se queremos ter um nível de qualidade de vida inglês, francês ou canadense, não devemos seguir exemplos chineses ou russos.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Andre
4 meses atrás

Você ainda não compreendeu o meu ponto,deixa eu colocar em outras palavras,eu sou radicalmente contra a interferência estatal na economia,acho que o Brasil tem centenas de estatais que estariam em muito melhor condições estando sob o controle privado.Mas toda regra tem a sua exceção,e nesse caso elas são as empresas estratégicas como as que eu citei. Veja por exemplo a Nuclep,sabe quantas empresas na América Latina faz o que ela faz?Nenhuma,ela é única por essas bandas,nenhum outro país é capaz de produzir os próprios cascos de submarinos.Mas o governo tinha planos de privatizar a Nuclep,dificilmente esse plano vai adiante devido… Read more »

Andre
Andre
Reply to  Allan Lemos
4 meses atrás

Se fosse o setor civil da Thales, deixaria sim, da mesma forma que o governo canadense deixou a bombardier ser vendida para a Airbus.

Agora, se um comprador externo comprar a Nuclep e depois fechar a fábrica, como você sugeriu, basta criar outra empresa com os os funcionários que foram dispensados pela fabrica fechada.

E posso citar outros exemplos de empresas de países entre os 25 maiores IDHs, de fora da otan e que são privadas, como a IWI de Israel, a Mitsubishi japonesa e a Hyundai coreana.

Luiz
Luiz
4 meses atrás

Sindicato falando só porcaria!

Foxtrot
Foxtrot
4 meses atrás

Aí eu já discordo. Pois sabemos que empresas estatais no Brasil são ineficientes, servem de cabides de empregos políticos, não produzem etc etc etc. Sou mais a favor de uma participação acionária maior do estado, mas mantendo a empresa minoritária mente privada. Embraer estatal seria cometer os mesmos erros do passado, quando a mesma ofereceu a FAB inúmeras aeronaves inovadoras na década de 80 , mas que por falta de visão foram completamente ignoradas pelo comando da aeronáutica há época. Se tivessem aceito já teríamos 4 modelos de caças nacionais, 3 cargueiros médio etc. Assistam a série “Aviões da Embraer… Read more »

sub urbano
sub urbano
4 meses atrás

Os “investidores” comeram a carne e deixaram só o osso. Agora querem que o contribuinte pague a conta e case que com a puta!!!!!! Empresas públicas não são necessarias no Brasil, um país cujo objetivo estratégico é ser uma fazenda gigante. Vende pra China.

Space Jockey
Space Jockey
Reply to  sub urbano
4 meses atrás

Já é uma fazenda gigante, por isso não podemos assistir a sua falencia, vá vc pra China.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  sub urbano
4 meses atrás

Não entendo o asco com o Agronegócio? Pelo que eu sei o Ser Humano Planetário ainda tem que comer para se manter vivo!!!

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Marcelo Andrade
4 meses atrás

Caro Marcelo. Nenhum asco pelo agronegócio nem mineração. O problema é que um smartphome custa US$ 200 (ou mais) e um tonelada de soja custa US$ 20 (ou menos). Um produto de alto teor tecnológico sempre será muito mais caro que commodities. È preciso uma produção industrial tecnológica para manter uma balança comercial equilibrada

Space jockey
Space jockey
Reply to  Camaergoer
4 meses atrás

1 Kg de minério de ferro = dezenas de centavos de dólar, preço do Kg de um ERJ-145 = 1000 dólares. 1 Kg do Mansup = aprox. 1700 trumps (preço ed 1.5 Mi). Países como CS enxergam isso, nós somos míopes.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Space jockey
4 meses atrás

Caro Space. Desde que foi esboçada a venda da Embraer para a Boeing venho colocando essa questão da necessidade da exportação de produtos de alta tecnologia. Lembro de ter colocado que a Embraer chegava a exportar 2,5 dólares no valor das aeronaves para cada dolar que ela importava em materia-prima e equipaemntos

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Camaergoer
4 meses atrás

Concordo Camaergoer, acho importante termos uma industria forte e exportadora de produtos de alto valor agregado mas, sem destruir a outra. O Agronegócio brasileiro é um dos mais avançados do mundo, temos mais produtividade por hectare que muitos países, em parte pelo excelente trabalho que a Embrapa fez no passado.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  sub urbano
4 meses atrás

Caro SubUrbano. A ideia é preservar a base industrial brasileira. Vender ou fechar não é solução.

sub urbano
sub urbano
4 meses atrás

Bolsonaro conseguiu quebrar a unica empresa de tecnologia brasileira. Pior que o Collor.

Oiseau de Proie
Oiseau de Proie
4 meses atrás

Varias grandes empresas dos eua foram salvas da falência pelo governo estadunidense na Crise econômica de 2008!…enquanto que no braziu todas as nossas empresas e estatais mais estratégicas são privatizadas para estrangeiros, em países sérios suas empresas mais importantes são protegidas e socorridas pelo o Estado quando em dificuldades…uma serie de corporações estadunidenses na época da grande recessão econômica de 2008 como a GM e Citibank foram socorridas pelo o governo estadunidense.. desde que a crise de confiança se agravou e se generalizou paralisando o sistema de empréstimos interbancário mundial o governo estadunidense decidiu pôr de lado suas “teorias neoliberais”… Read more »

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  Oiseau de Proie
4 meses atrás

Se não me engano e faz tempo, a Embratel foi avaliada em torno de 300 bilhões, faz tempo…

Pedro
Pedro
4 meses atrás

Pessima solução e de nada adiantara fazer isso, pois como estatal a empresa perdera agilidade de decições em um mercado que é crucial ser agil e dinamica. Certamente o setor de aviacao devera ser auxiliado devido as perdas do virus chines, mas estatizar é a pior opção.

Doug385
Doug385
4 meses atrás

Estatizar quer dizer: o contribuinte que arque com o prejuízo, certo?

Oiseau de Proie
Oiseau de Proie
4 meses atrás

Boa parte da população comemora as privatizações sem ao menos se atentar que o dinheiro para compra dessas empresas sairão dos nossos bolsos, via financiamentos a juros módicos…Depois privatizadas, os custos dos serviços são reajustados e continuamos a pagar caro por um serviço ruim(só que privatizado), aí não tem como reclamar do governo…

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Oiseau de Proie
4 meses atrás

Olá O.P. A discussão é outra. Primeiro, empresas públicas têm um papel na economia diferente das empresas privadas. A sociedade tem demandas materiais e de serviços que não podem ser oferecidos pelo setor privado. Coloquei como exemplo a Embrapa (que desenvolver tecnologia agropecuária), as empresas de saneamento municipais (que cobram o serviço de tratamento e distribuição sem buscar lucro) e as empresas estratégicas (como a Nuclep). Contudo, a discussão agora é sobre como preservar a base industrial do país durante essa crise sanitária. Só o governo é tem as ferramentas econômicas para conduzir o processo.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Camaergoer
4 meses atrás

Camaergoer,a Nuclep é estratégica e não deveria nunca ser privatizada,porém o governo tinha planos para privatiza-lá e estava na lista das empresas que seriam entregues ao capital privado.Felizmente,com essa crise do Covid-19 e a crise dentro do governo federal,acho que dificilmente esse plano de privatizações irá seguir adiante,ainda bem porque só de imaginar ver uma empresa únicana América Latina como a Nuclep nas mãos do capital privado me dava arrepios.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Allan Lemos
4 meses atrás

Olá Allan. A Nuclep seria privatizada porque é uma empresa deficitária. O problema é que ela é estratégica para a MB para a fabricação dos cascos dos submarinos e para a fabricação dos vasos dos reatores nucleares. Por essa razão, o presidente da Nuclep é um almirante. A Nuclep só tem lucro quando as empresas estão investindo em novas fábricas ou modernizando o parque industrial. Como o setor industrial está com 30% ou mais de capacidade ociosa, ela não terá encomendas até o momento que a recuperação econômica faça essa capacidade ociosa diminuir para o intervalo entre 10 e 5%.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Camaergoer
4 meses atrás

Sim,mas mesmo sendo deficitária o melhor não é a privatização,e sim o investimento estatal(mais um lote de Scorpénes seria o ideal). Acho que o fato de um almirante ser o presidente não serviria para impedir a privatização.É só ver que a ala militar do Planalto não fez absolutamente nada para impedir a quase extinção da Embraer,muito menos o entreguista Ministro da Economia.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Allan Lemos
4 meses atrás

Olá Allan. No caso da Nuclep, ela só vai dar lucro quando o setor industrial estiver investindo. Contudo, nem acho que ela precise dar lucro já que a sua existência se justifica pelo papel estratégico que ela tem na construção dos submarinos e principalmente, submarinos nucleares. Hoje ela está ligada à Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) que por sua vez está ligada ao Ministéio da Ciência Tecnologia e Comunicações. O errado foi a fusão do MCT com o Ministério das Comunicações. Outro erro foi a fusão do Planejamento com a Fazenda (o Collor tenteou isso e deu errado. Agora… Read more »

Gabriel BR
Gabriel BR
4 meses atrás

Concordo com a Estatização , mas discordo da parte da Estabilidade e da ojeriza ao lucro.
A Alemanha está considerando Estatizar a Lufthansa e outras empresas estratégicas para salvaguardar interesses nacionais , A França se prepara para fazer o mesmo , os EUA vão salvar suas empresas também. O Interesse Nacional deve prevalecer !

Pedro Calmon
Pedro Calmon
Reply to  Gabriel BR
4 meses atrás

Com centenas de mortes diarias por COVID-19, o sistema de saude a beira do colapso, previdencia social insolvente, estados insolventes, Petrobras na lona, bancos estatais como credores de emprestimos que nunca serao pagos, desemprego explodindo, pequenas e medias empresas fechando e a arrecadacao em queda livre, qualquer proposta de estatizar a EMBRAER e’ suicidio politico.

Gabriel BR
Gabriel BR
Reply to  Pedro Calmon
4 meses atrás

Eu acho que você não sabe nada de politica.
Deixar a Embraer falir não vai solucionar esse problemas.

Tutu
Reply to  Gabriel BR
4 meses atrás

Exatamente, talvez estatizar a empresa pode não ser a melhor saída, porém deixar ela falir será muito pior.
Caso a Embraer venha a fechar suas portas além de um baque no orgulho nacional teríamos jogado fora os bilhões que o governo já investiu nela até hoje.

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  Gabriel BR
4 meses atrás

Gabriel, exatamente…. Moldando-a ao mercado….

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Gabriel BR
4 meses atrás

Olá Gabriel. Essa discussão sobre o lucro está errada. O lucro existe desde a antiguidade quando foram estabelecidas as primeiras relações de troca. Fenícios cruzaram o Mediterrâneo pelo lucro. Árabes cruzaram desertos pelo lucro. Chineses vendiam seda com lucro. Portugueses traficavam escravas devido o lucro. Lucro é inerente ao comércio. A discussão deveria ser sobre o índice de desigualdade social. Os países da OCDE têm uma carga tributária média de 34% (praticamente a mesma do Brasil). contudo, quando menor o índice GINI desses países (portanto menos desigualdade social) maior é contribuição dos impostos sobre a renda na carga tributária. O… Read more »

Gabriel BR
Gabriel BR
Reply to  Camaergoer
4 meses atrás

Camaergoer, Concordo integralmente com você. O peso dos tributos deveria ser distribuído de maneira mais racional e deveria incidir mais sobre a Renda do que do consumo. A renda tem que ser tributada mais progressivamente , defendo inclusive a criação de uma nova alíquota de 35% para quem ganha mais que 20.000 reais por mês e a isenção do imposto de renda para quem ganha até 5.000 reais por mês. Somado a isso deveríamos adotar o modelo sueco de previdência social capitalizada de maneira que tenhamos condições de pagar uma aposentadoria melhor e fazer aportes mais consistentes na Saúde Pública(… Read more »

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
4 meses atrás

BRASIL, abuse da economia de mercado. As ações da EMBRAER estão em baixa e irão custar uma pechincha, mas em conta ainda que comprar na 25 de março…Mantenha os executivos de excelência e contrate para os departamentos deficientes, trate-a como uma multinacional com profissionais eleitos pela meritocracia e não por indicação política para a formação de cabides de emprego e que estes, enxuguem o excesso, caso haja. Não há país no mundo que não socorra suas empresas estratégicas, até o ícone do capitalismo (eua) o faz e duvido que este, permitisse a incorporação de sua empresa (boeing…) por uma estrangeira.… Read more »

Gabriel BR
Gabriel BR
Reply to  Saldanha da Gama
4 meses atrás

Esse é o ponto! Seu comentário foi o mais sensato

Tutu
Reply to  Saldanha da Gama
4 meses atrás

Ela só não pode virar algo semelhante a Fedae.

Gabriel BR
Gabriel BR
Reply to  Tutu
4 meses atrás

Pode ser um modelo de capital misto igual o Banco do Brasil.

sergio ribamar ferreira
Reply to  Saldanha da Gama
4 meses atrás

Concordo com o Sr. Saldanha da Gama.

Larri Gonçalves
Larri Gonçalves
4 meses atrás

Ninguém pede o impossível, é natural que a economia mundial,após a pandemia deverá entrar em recessão profunda, talvez antes nunca vivida (talvez comparável a crise de 1929), cada país protegerá sua economia, portanto suas empresas estratégicas. Bem é hora do Brasil acordar, os militares que estão no poder ao lado do presidente da República, devem orientar o presidente na tomada de decisões, isto não é hora de privatizar nada, pois as empresas tenderam neste período a ter seus valores depreciados e qualquer empresa estrangeira quer comprar por exemplo uma EMBRAER a custo de nada. Não estou aqui defendendo, somente a… Read more »

RENAN
RENAN
4 meses atrás

A área que interessa ao Brasil já está sobre nossos ombros a Embraer defesa e segurança. Está não pode falir e custe o que custar temos que manter. O resto é uma empresa privada comum Que vida o lucro e não desenvolve conhecimento para a nação. Portanto a Embraer de aviação civil pode falir que não fará falta. 10 mil funcionários altamente capacitados que nunca receberam ajuda para entrar nessa enorme empresa, nunca nenhum foi contratado por indicação. São todos competentes para buscar o mercado de trabalho e se recolocar. Com muita vantagem por ter no currículo uma empresa deste… Read more »

Jagderband#44
Jagderband#44
4 meses atrás

Sindicatos brasileiros, esperar o que…

Rico Zoho
Rico Zoho
4 meses atrás

O que o sindicato quer é que a Embraer volta a ser um penduricalho de apadrinhados políticos, do qual o sindicato ganharia muito dinheiro. Duvido que algum desses “sindicalistas” saiba sequer apertar um parafuso a mais. O negocio foi pro brejo pelo simples motivo que a aviação comercial está na maior crise de sua história, e a aviação comercial da Boeing está praticamente falida. A Boeing cometeu um erro enorme no 737 MAX e tem vários outros problemas com novos modelos 777X. O KC-46C é um avião cheio de problemas. Estatizar é de longe a coisa mais idiota que alguém… Read more »

GripenBR
GripenBR
4 meses atrás

A Golden Share é o mecanismo para evitar o que quase ocorreu. Basta ter um governo minimamente coerente com a defesa nacional e um plano de indústrias de alta tecnologia como é a Embraer. A Embraer está em posição muito menos crítica que outras fabricantes da aviação. Não há que se falar em estatização. E ste momento deve sim ter um esforço não só na Embraer mas em toda economia da indústria nacional, com apoio do governo sim. É o que farão os países. Seremos nós a deixar tudo ruir? A troco de que? O governo acaba de “imprimir” 670… Read more »

Oiseau de Proie
Oiseau de Proie
Reply to  GripenBR
4 meses atrás

O problema das privatizações neste país ao meu ver é quem a controla…Toda empresa que fosse privatizada 50% das ações dela deveria ser de capital nacional(empresários brasileiros)…A vale do rio doce jamais deveria ter sido privatizada por tratar-se de uma empresa estratégica…Minérios, Água, Energia são bens não renováveis…No mínimo 50% dela deve ficar sob controle de capital nacional(acionistas brasileiros)...

Marcos10
Marcos10
Reply to  Oiseau de Proie
4 meses atrás

O problema é que não há Capital Nacional para bancar tudo. O dinheiro que deveria estar nas mãos dos brasileiros para investir nessas empresas, foi-lhes arrancado via impostos para justamente bancar essas empresas estatais.

GripenBR
GripenBR
Reply to  Marcos10
4 meses atrás

2 + 2 = 22 ?

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Marcos10
4 meses atrás

Caro Marcos. Em períodos de crise, o capital privado se esconde. Em uma ambiente sem demanda, o capital privado vai buscar títulos do governo americano ou coisa assim. A situação econômica do mundo é grave e nunca ocorreu algo parecido, portanto é preciso adaptar soluções que funcionaram em outras crises. As duas mais parecidas foi a depressão de 29 e depois a crise de 2008. O que funcionou foi adotar ideias keynesianas para evitar que o sistema entrasse em colapso. O setor bancário privado não está emprestando porque não há qualquer garantia de demanda. O único agente econômico ativo é… Read more »

Gabriel BR
Gabriel BR
Reply to  Camaergoer
4 meses atrás

Caro Camaergoer,

1º Entre as 10 empresas mais valiosas do mundo temos 6 estatais.
2º O Agronegócio brasileiro é a potência que é em função da Embrapa.
3º Em nenhum país decente existe esse negócio de “Estado minimo”.
4º Os EUA possuem centenas de Estatais em setores estratégicos.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Gabriel BR
4 meses atrás

Olá Gabriel. Acho que o problema é ainda mais complicado. A PDVSA por exemplo, foi por muitos anos uma estatal que serviu para gerar riqueza para apenas uma parte da sociedade venezuela. Acho que esse é o mesmo problema da estatal da Arábia Saudita, que gera riqueza apenas para a um grupo ligado á família real. Portanto, a discussão deve ser em direção a como reduzir a desigualdade social de um país. Contudo, nesse momento, a preocupação é mais urgente. O que fazer para preservar o país.

Gabriel BR
Gabriel BR
Reply to  Marcos10
4 meses atrás

Para uma privatização como a da Vale ou da Embraer passar , primeiro deveria ser chancelado pelo conselho de segurança nacional.

Marlos
Marlos
4 meses atrás

Gosto muito da Embraer é uma empresa que dá orgulho aos brasileiros. Depois desta notícia do fim do acordo li alguns artigos para saber se é bom ou não para empresa, alguns dizem que será bom que a Embraer tem condições de sair desta crise e está bem posicionada para concorrer com a Airbus, mas outros artigos praticamente falam que será o fim da empresa sozinha no mercado 😔

Vilha
Vilha
4 meses atrás

Um período que limita como agir, embora não pareça atrativo; a estatização possa ser o único caminho a empresas como Embraer e muitas outras. Seria ótimo manter a Embraer, e todas as outras empresas nacionais em pleno vapor. Mas, será que esse custo vale a pena?

orivaldo
orivaldo
4 meses atrás

Eu tenho uma coisa que levo na minha vida toda. Se um Sindicato é a favor de algo, automaticamente eu sou contra.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
4 meses atrás

O que se poderia esperar de um sindicato subordinado à CUT e umbilicalmente ligado ao PT, PCO, PSTU e afins?
Estão na contra mão da história. GF auxiliar é uma coisa, assumir é outra. Como já postaram, fumaram muito na quarentena…

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Rinaldo Nery
4 meses atrás

¨Perversa lógica do lucro¨. Parece que foi escrito num Diretório Acadêmico. USP. Estatizem as companhias aéreas também… Pra ¨garantir¨ meu emprego.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Rinaldo Nery
4 meses atrás

Caro Cel.Nery. O problema atual nada tem a ver com lucro (aliás, o lucro existe desde a antiguidade, quando mercadores fenícios cruzavam o Mediterrãnio, quando os faraós do antigo Egito negociavam trigo, quando os árabes revendiam seda chinesa e os portugueses escravos africanos). O problema agora é que atividade industrial do mundo está paralisada e apenas o governo será capaz de ajudar o setor industrial a suportar esse período de transição. O setor produtivo precisa estar pronto para o perúido de retomada quando as necessidades de consumo que foram adiadas devido a pandemia puderem ser supridas

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Camaergoer
4 meses atrás

¨Ajudar¨é diferente de ¨assumir¨.

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Rinaldo Nery
4 meses atrás

Bingo!

JSilva
JSilva
Reply to  Rinaldo Nery
4 meses atrás

Realmente, vindo de um sindicato nenhuma novidade. É claro que a empresa vai precisar de linha de crédito, mas daí a estatizar…
Mais pra frente porque não uma parceria com a SAAB nos moldes do que foi feito com a Dassault lá atrás, cada empresa tendo 20% da outra…

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Rinaldo Nery
4 meses atrás

Caro Cel.Nery. Creio que a discussão nada tem a ver com o sindicado. Poderia ser CUT ou Força Sindical. A questão da Embraer e de todas as empresas brasileiras nesse momento é a necessidade de garantir que a base industrial de produção seja preservada. Os EUA fizeram isso em 2008. Acho que é a experiência mais próxima que consigo lembrar. Caso fosse um problema de Embraer (ou de qualquer empresa), a discussão seria diferente. É um problema de toda a economia mundial. Em 2008, o governo dos EUA injetou recursos em várias empresas, inclusive a GM, para que suportasse o… Read more »

André Bueno
André Bueno
Reply to  Camaergoer
4 meses atrás

Algo deve ser feito e não sei qual a melhor maneira, talvez participação acionária, empréstimo com carência alongada… não sei. Outros setores industriais também precisarão de apoio para, como você disse Camargoer, não haver mais desindustrialização.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  André Bueno
4 meses atrás

Olá Andre. Tudo bem com você? Aqui estamos todos bem. Concordo com você que agora é mais importante achar uma solução mesmo que paliativa ou provisória para dar fôlego para a base industrial sobreviver.

sergio ribamar ferreira
Reply to  Camaergoer
4 meses atrás

Sr, Camargoer. Se puder dar uma linha de crédito à empresa, tudo bem. Agora reestatizar? Ainda concordo com o sr. Saldanha da Gama. Esta condição dependerá de dinheiro e isso no momento parece improvável não estou dizendo que é impossível dar um crédito. Há de se pensar que demissões ocorreram caso seja necessário oferecer uma segurança monetária para salvaguardar a empresa isso em contrapartida. Ficar a espera de maiores esclarecimentos e caso o GF aceite. hipótese dois: Chineses podem querer comprar. grande abraço.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  sergio ribamar ferreira
4 meses atrás

Olá Sergio. Nesse momento qualquer solução é melhor que ficar parado. O objetivo é preservar a empresa até que a economia mundial retome alguma normalidade. Pode ser uma estatização “branca”, uma aporte acionário, uma linha de crédito, etc. O nome da operação é o menos importante. Outras empresas com sede no Brasil também precisam de apoio. Nesse momento, apenas o Estado tem as ferramentas necessárias.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Camaergoer
4 meses atrás

Repito: ¨ajudar¨é diferente de ¨assumir¨.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Rinaldo Nery
4 meses atrás

Rinaldo, é tão obvio que ninguém consegue enxergar isso. Se a EMBRAER nunca tivesse passado por um processo de privatização a anos atrás hoje Ela simplesmente não existiria. O Governo deverá auxiliá-la como provavelmente incentivará a industria automobilistica na retomada pós-pandemia com redução de carga de impostos e outras ações de ambito geral para não ficar me estendendo mais no comentário. A rapaziada fica falando da ação do Governo e coisa e tal, mas esquece que nem orçamento para adiantar a segunda parcela de míseros R$600,00 o Governo tem, é por isso que TODOS os sindicatos teriam que lutar e… Read more »

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Ricardo Bigliazzi
4 meses atrás

Exato. Essa compra só favorecia os investidores. Agora que deram com os burros n`água estão desesperados. Concordo com um post acima: deviam ter pensado nessa possibilidade. E COVID-19 não tem nada a ver com isso. A Boeing se ferrou por conta das trapalhadas do Max, e a COVID-19 terminou de enfiar c pó de vidro. E a EMBRAER não vai falir por conta disso. Já passou por piores.

Marcos10
Marcos10
4 meses atrás

As pessoas não fazem a menor idéia do que é uma empresa estatal, mas mesmo assim elas querem uma. É bom lembrar que empresas públicas estão comprometidas com o “lucro social”, ou seja, prejuízo. Não possuem a agilidade necessária, pois para tudo deve-se fazer por processo de licitação. As contratações devem ser obrigatoriamente por concurso público e dificilmente a empresa consegue demitir.
É nessa mentalidade que países como Venezuela e Coréia do Norte viraram o que são.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Marcos10
4 meses atrás

Caro Marcos. Creio que a questão da empresa estatal também é mais complexo do que você está colocando. Existem vários tipos de empresas estatais. A primeira seria algo como a “Embrapa”, cujo objetivo é desenvolver tecnologia para o setor agropecuáriio usando recursos a fundo perdido. Muitos municípios têm empresas públicas de saneamento que não tem lucro pois as taxas são apenas para cobrir o custo do tratamento da água e do esgoto. Outras empresas, como a Nuclep, têm o objetivo de fornecer um serviço ou produto que o mercado é incapaz de fazer mas é estratégico para o país. Outras… Read more »

Caique
Caique
4 meses atrás

A Embraer é uma empresa vital ao Brasil, do mesmo jeito que Guedes “liberou” BILHÕES aos bancos, eu espero que ele faça o mesmo pela Embraer, tá na hora de alguém acordar, é uma empresa privada, mas, é obrigação do governo manter empresas estratégicas para o país. Quando o isolamento acabar eu espero que o governo possa auxiliar a empresa a ser reerguer e conquistar mercado, os Estados Unidos com certeza faram isso com a Boeing.

Luiz Antonio
Luiz Antonio
Reply to  Caique
4 meses atrás

O governo teria que permitir a outras empresas de tecnologia sobreviver nessa draga que se encontra o país, empresas muito mais importantes para o dia-a-dia do brasileiro e não enterrar dinheiro em uma empresa cujos benefícios passam a distâncias astronômicas do povão (se passam…). Prioridades são educação básica de qualidade, saúde de qualidade, segurança pública, etc. São essas as necessidades endêmicas brasileiras. O Brasil é outro, muito diferente dessa “bolha”.

Oséias
Oséias
4 meses atrás

É estatizar ou deixar os chineses comprarem a empresa. Prefiro estatizar, dos males, o menor.

Maurício
4 meses atrás

Iiiiiisso mesmo, de preferência filiado a CUT. Nomeamos o Stédile como nosso lider, aí invadimos a fábrica da Boeing e seremos líderes mundiais.

Wellington Góes
Wellington Góes
4 meses atrás

Sou contra… Até entendo que a situação merece maior atenção e atuação do governo, mas isto pode ser feito através de participação acionária não majoritária/totalitária, como investimento/capital do BNDES, CAIXA ou Banco do Brasil, garantindo maior poder de decisão estratégica (o que já aconteceu num passado recente e ajudou a empresa a emplacar os projetos exitosos de hoje), mas não uma estatização clássica… Tal opção seria um enorme retrocesso.

Minha opinião!

Junior
Junior
Reply to  Wellington Góes
4 meses atrás

O governo pode entrar na Embraer via BNDESPar, braço de investimento do BNDES, afinal esse mesmo braço tem ações até daqueles inúteis frigoríficos que não são, no meu ponto de vista, estratégicos para o país. Fazer a estatização clássica seria um desastre para a Embraer

Augusto L
Augusto L
Reply to  Wellington Góes
4 meses atrás

Se o Brasil quer entrar na OCDE essa opção não é viável.
Talvez empréstimos do BB e BNDS sejam mais viáveis e a Embraer muda sua estrutura de custos, já que ela já não é a dominante mais no seu mercado. Agora e se reinventar e buscar novas parcerias e aceitar a nova posição.
Os sindicatos terã q aceitar que o emprego no setor vai diminuir e a cobrança aumentar.

V12 aero
V12 aero
4 meses atrás

Ela não é uma empresa privada? Então se sustente como empresa privada, não vem agora que a coisa apertou, pedir pinico pro governo, o povo brasileiro não aguenta sustentar mais ninguém.

SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
Reply to  V12 aero
4 meses atrás

E todos os impostos que ela pagou pra o governo? Se o governo não cobrar mais nenhum centavo de imposto aí concordaria, mas só querem tirar.

Mauro
Mauro
Reply to  SmokingSnake 🐍
4 meses atrás

Governo br deveria sim devolver grana para a Boeing.

Mauricio R.
Reply to  SmokingSnake 🐍
4 meses atrás

E desde qndo somente por ter cumprido com a sua obrigação é que a Embraer passou a merecer algum privilégio, fora aqueles dos quais indevidamente já desfruta????
Ela vendeu, ela lucrou, imposto pagou, fim.
O resto é da exclusiva responsabilidade, de seus controladores e acionistas.

Mauricio R.
4 meses atrás

Boa hora pra deixar essa fraude de industria de alta tecnologia, que não desenvolve tecnologia coisa nenhuma mas somente se apropria daquilo que a União adquire, morrer seca!!!!
Querem dinheiro do governo, desmontem antes o seu grupo, deem um fim em Savis, Bradar, Visiona e devolvam a Atech.
Ai quem sabe ,talvez…

Marcos
Marcos
4 meses atrás

Uns dos motivos pelo qual a Embraer não anda se chama sindicato. Sou a favor de encerrar as operações no país e ir para outro com melhores condições de desenvolvimento.

Tutu
4 meses atrás

Acho que existem outras formas de ajudar a Embraer, o substituto dos bandeirantes/Sherpa, o substituto do T-25 (acho que a FAB poderia colocar o T-27 no lugar dos T-25 e adquirir mais Super Tucanos para substituir os T-27).

Essa questão do substituto do Bandeirante é bem interessante ao meu ver, poderiam fazer algo na mesma categoria do Skycourier.

Mauricio R.
Reply to  Tutu
4 meses atrás

Ajudar a Embraer não é ajudar ao Brasil, se a FAB pretende substituir os T-25 e T-27, façamos então uma concorrência internacional. Quem sabe assim possamos aportar tecnologia naqueles pequenos fabricantes de home builts e ultraleves e poderemos então ocupar a “planície” deixada vaga, pela ingerência de vocês sabem bem quem. Quem sabe assim possamos ter as nossas Cessna, Piper, Eclipse Aerospace, ou Socata, ou Air Tractor. O mesmo vale para a substituição do Bandeirante, se é que hoje em dia ela seria assim tão relevante. Ou então aquele MoU assinado pela FAB, somente com essa certa empresa, para o… Read more »

Luiz Galvão
Luiz Galvão
4 meses atrás

Se essa idéia absurda de reestatizar a Embraer vingar, podem dar adeus ao que ela é hoje. Isso só pode ter saído de um sindicato mesmo, ideia absurda.

O caminho, dado a verticalização do mercado é procurar a Airbus e propor uma parceria.

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
4 meses atrás

ESTATIZAR NÃO ! Isso já é passado,mas o governo deveria ter ao menos uma boa participação acionária na empresa…

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
4 meses atrás

Caro Adriano. A situação agora é totalmente diferente de qualquer momento na história do planeta. Ninguém sabe exatamente o que deve ser feito, mas isso não pode significar ficar parado. Algo precisa ser feito.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
4 meses atrás

Esse vírus está provocando diarréias mentais também! Só pode!!!

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Marcelo Andrade
4 meses atrás

Caro Marcelo, “na desesperança campeia a vigarice”.

Esses urubus do sindicato cheiram sangue a centenas de milhas de distancia.