Home Asas Rotativas Há 10 anos, helicóptero AH-2 Sabre era incorporado à Força Aérea Brasileira

Há 10 anos, helicóptero AH-2 Sabre era incorporado à Força Aérea Brasileira

5502
157

Desenvolvido a partir do Mi-24 russo, o AH-2 Sabre incorpora várias inovações tecnológicas

Há 10 anos, no dia 17 de abril de 2010, ocorreu, na Base Aérea de Porto Velho (RO), a cerimônia oficial de incorporação dos helicópteros Mi-35M na Força Aérea Brasileira (FAB). As atividades da cerimônia de entrega foram iniciadas no dia anterior, com a realização de uma Missa em Ação de Graças e com o Lançamento da Pedra Fundamental do Esquadrão Poti (2º/8º GAV), marcando definitivamente a presença da Unidade Aérea na capital rondoniense.

Os 12 helicópteros recebidos pelo Esquadrão foram entregues em quatro lotes com três aeronaves cada e, atualmente, acumulam mais de 8 mil horas de voo. O vetor representa um enorme ganho operacional para o Esquadrão Poti, que passou a voar uma aeronave genuinamente de ataque, preenchendo uma lacuna operacional que existia na FAB antes da sua chegada.

Desenvolvido a partir do helicóptero russo Mi-24, o Mi-35M incorpora várias inovações tecnológicas, mantendo as características principais de seu antecessor, que são o poder de fogo, a blindagem e a robustez. O helicóptero é capaz de realizar missões em ambientes de baixa visibilidade, nos períodos diurno e noturno. Possui um canhão de 23mm de alta cadência fixado a uma torreta móvel sob o seu nariz e pode, ainda, ser configurado com lançadores de mísseis ar-superfície Ataka e foguetes não-guiados de 80mm.

O emprego dos armamentos é realizado com o auxílio do sistema eletrônico e óptico Giro-estabilizado GOES-342, que permite a detecção e a identificação de alvos por meio de imagem TV ou termal. Dentre os seus sistemas defensivos, pode-se destacar o RWR (Radar Warning Receiver), IR (infrared) jammer e flare, além do supressor de calor na saída dos motores.

AH-2-Sabre
AH-2-Sabre

Helicóptero operacional

O Comandante do 2º/8º GAV, Tenente-Coronel Aviador Márcio André Almeida Coutinho, diz que a implantação do AH-2 Sabre é um marco muito importante para todos os integrantes do Esquadrão Poti. Segundo ele, esses dez anos foram marcados pelo desafio de operar uma máquina tão singular, possuidora de uma elevada capacidade bélica e com possibilidade de emprego em diversos cenários. “Participar dessa história é motivo de grande orgulho para todos os tripulantes, militares de manutenção e de armamento que já atuaram ou continuam atuando na operação do AH-2 no Brasil.

O perfil determinado e comprometido dos integrantes desse seleto grupo garante a manutenção e o desenvolvimento das capacidades necessárias para auxiliar a FAB no cumprimento da sua missão”, conclui o Oficial.

FONTE: Força Aérea Brasileira

Subscribe
Notify of
guest
157 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
2 meses atrás

Duas utilidades em uma unica aeronave: transporte e ataque! Acredito que o Brasil tem pouco, deveria ter o dobro! Não sei o custo beneficio em relação a manutenção e etc, mas que a aeronave é um diferencial, é sim!

SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
Reply to  DOUGLAS TARGINO
2 meses atrás

Isso é uma desvantagem, ir realizar missão de ataque cheio de gente dentro do helicoptero não é uma boa ideia. A verdade é que dificilmente vão usar esse helicoptero para fazer essas duas missões ao mesmo tempo e se não fizerem vão estar desperdiçando recursos a toa.

Lucas Schmitt
Reply to  SmokingSnake 🐍
2 meses atrás

Você conseguiu realizar o pensamento totalmente invertido. A ideia é ir fazer uma missão de resgate ou de desembarque em solo e poder revidar com fogo pesado do mi-35 caso seja necessário.

SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
Reply to  Lucas Schmitt
2 meses atrás

O mais correto é mandar helicópteros de ataque puro para limpar a área e depois mandar as tropas no helicóptero de transporte. Agora se quiser ser transportado diretamente para uma zona quente junto com o helicoptero de ataque, boa sorte.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  SmokingSnake 🐍
2 meses atrás

Os americanos usam os UH-60 armados na mesma função, porém menos blindado. Eles tambem usam os veiculos de decolagem vertical e vôo horisontal, que não podem ser acompanhados por helicópteros puros de ataque.
Acho que os americanos, não concordam com você.

Julio
Reply to  SmokingSnake 🐍
2 meses atrás

Melhor que ir de esquilo

carvalho2008
Reply to  Lucas Schmitt
2 meses atrás

quem tem pouco, o pouco que tem de se ser capaz de fazer mais de uma missão.

E isto não tem nada a ver em fazer duas missões ao mesmo tempo….muito pelo contrário…tem em vc conseguir fazer mais de uma missão com aquilo que está no hangar….1 vai fazer a tropa o outro faz a escolta….não tem helicoptero sobrando para um esquadrão ser dedicado exclusivamente a um unico tipo de missão…

é o pato…adoro pato…patos sobrevivem e voam por ultimo quando tudo mais deixou de fazer…

carvalho2008
Reply to  carvalho2008
2 meses atrás

somente a ignorancia diz que pato não nada bem…não voa bem, não anda bem….está de norte a sul….se tivessem garras e dentes, Deus me livre…comeriam até cachorros e lobos…

bjj
bjj
Reply to  carvalho2008
2 meses atrás

Concordo plenamente.

No mais, não creio que exista algum tipo de missão que um heli de ataque puro sangue cumpra que o Sabre não seja capaz de cumprir.

Mirade
Mirade
Reply to  SmokingSnake 🐍
2 meses atrás

Os engenheiros soviéticos pensaram justamente o contrário quando desenharam ele talvez porque eles tinham pouco experiencia e não tinham colhido lições de guerras anteriores que eles tinham participado. São todos loucos né.

João Augusto
João Augusto
Reply to  SmokingSnake 🐍
2 meses atrás

Ele é especialmente útil na interceptação de aeronaves pequenas do tráfico. Já que possui velocidade de deslocamento compatível e pode levar tropas para apreender os meliantes. A interceptação com o tucano apreendia o material mas não os traficantes. Agora ele pousa onde o avião pousa e desembarca tropas para cumprir a missão.
É um vetor excelente para esse propósito.

EduardoSP
EduardoSP
Reply to  João Augusto
2 meses atrás

Essa história de usar helicóptero para interceptar avião fica boa em filme do tipo Missão Impossível. Parece mais uma hipótese levantada para tentar justificar o injustificável, um helicóptero de ataque operado por uma força aérea, e não pelo exército.

Diego
Diego
Reply to  EduardoSP
2 meses atrás

Se fosse só a FAB a operar helicópteros de ataque tudo bem, porém não é, não é ficção é real, já aconteceu.

3s
3s
Reply to  João Augusto
2 meses atrás

Acredita que nunca na historia da fab foi usado para esse fim? Triste ne

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  SmokingSnake 🐍
2 meses atrás

Ele foi projetado para isso:
1- transportar no máximo 8 soldados de forças especiais e dar apoio aéreo aproximado.
2- caso uma aeronave seja abatida e tenha sobreviventes, outra aeronave faz o resgate.
3-caso necessário, o espaço de tripulantes leva munição extra e é só pousar e os próprios pilotos remuniciam.
Obs. A capacidade de transporte dele e limitado. O transportador de tropas mesmo, são os MI-17.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
2 meses atrás

A hipótese número 3 me parece maluquice. Estocar munição em local não apropriado, podendo inclusive ser atingida por fogo de terra, multiplicando em vários fatores as chances de o helicóptero ser abatido.

A segunda parece lógica, mas apenas em determinadas situações. Até porque se abateram um, podem abater outro, mas a capacidade existe.

A primeira hipótese, claro, só funciona se for mais do que um helicóptero, caso contrário não haveria ninguém para dar cobertura ao primeiro quando ele faz a inserção. Mas enfim, pode ser que funcione dependendo do cenário.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Leandro Costa
2 meses atrás

A 3 hipotese e usada mesmo por eles. O helicoptero e todo blindado, se algo consegue passar pela blindagem derrubaria ele de qualquer jeito. Obs. As baias externas de armamento ficam do lado do compartimento de transporte das tropas, então se for uma rajada de tiros de canhào, acertaria tanto os misseis no compartimento blindado quanto os que estão pendurados do lado de fora.

Gabriel BR
Gabriel BR
Reply to  DOUGLAS TARGINO
2 meses atrás

Também É possível colocar um compartimento de combustível extra para aumentar a autonomia.

Renato
Renato
Reply to  DOUGLAS TARGINO
2 meses atrás

Muito útil sua configuração, por isto que existem muitos países produzindo versões similares. Tem o… tem o… e tem também o…
Acho que não tem não.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Renato
2 meses atrás

Similares a ele não tem, o que tem são helicópteros de transporte armados até os dentes como ele só que sem a blindagem. Exemplos: MI-17, UH-60, HM-225 e o SUPER PUMA.
Os americanos alem dos UH-60 estão pesquisando uma versão armada dos seus tilltroters já que eles tem armamentos leve e os planos de operalos com escolta de F-35 não serem muito usados pelo mundo.

PACRF
PACRF
2 meses atrás

Pode ser considerado um helicóptero de ataque similar em tecnologia e poder de fogo ao Apache norte-americano?

Blind Mans Bluff
Blind Mans Bluff
Reply to  PACRF
2 meses atrás

Ta louco? Como comparar um lada com uma bmw…

PACRF
PACRF
Reply to  Blind Mans Bluff
2 meses atrás

Prezado Blind Mans Bluff, fiz apenas uma pergunta no blog e não uma comparação. Gosto de temas militares, porém não sou um especialista. Apenas isso!

horatio nelson
horatio nelson
Reply to  PACRF
2 meses atrás

parabéns pela humildade.

Ricardo da Silva
Ricardo da Silva
Reply to  PACRF
2 meses atrás

Infelizmente, aqui, como a maioria dos ‘canais militares’, está cheio de ‘pseudo-especialistas’. O Mi-35, assim como o Mi-24, é um helicóptero de “assalto”. Foi idealizado para ataque e liberação de um pequeno grupo de combate ou resgate. O modelo foi desenvolvido após o uso de versões de assalto do Mi-8. O US Army usava a combinação do UH-1 com AH-1, já a URSS preferiu usar um único modelo. Porém ainda na época da URSS, foram identificadas “limitações operacionais” dos Mi-24 justamente nas funções de ataque, iniciando o desenvolvimento dos Mi-28 Havoc e Ka-50/52 Hokum. Mesmo assim o Mi-35 foi desenvolvido… Read more »

Mirade
Mirade
Reply to  Blind Mans Bluff
2 meses atrás

Só para te lembrar que os americanos temiam um encontro com ele em campo de batalha e que não tinham nada igual para rivalizar com ele na época de seu lançamento.

Fabio Mayer
Fabio Mayer
Reply to  PACRF
2 meses atrás

Não. Mas atende bem às necessidades da FAB, do ponto de vista de suas capacidades.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  PACRF
2 meses atrás

Não, outra geração. Mais ou menos como um Mig-23 para um Su-27

Tomcat4,2
Tomcat4,2
Reply to  PACRF
2 meses atrás

PACRF, o Apache é estritamente dedicado ao ataque enquanto o Mi-35 além de poder atacar , pode levar ou buscar tropas em situações extremas tbm já que é um helicóptero multifuncional.
Seria,ao meu ver, mais lógico compará-lo ao BattleHawk (o Black Hawk artilhado).

PACRF
PACRF
Reply to  Tomcat4,2
2 meses atrás

Obrigado Tomcat4,2 pela resposta.

carvalho2008
Reply to  Tomcat4,2
2 meses atrás

ai simmm

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  PACRF
2 meses atrás

Depende, se você pensa em capacidade de transportar e lançar misseis anti-tanque, foguetes, sensores e proteção blindada, ele e comparavel sim. Agora, se você pensa em manobrabilidade e alcance de sensores quando o apache usa um radar, ele e inferior.

Italo Souza
Italo Souza
Reply to  PACRF
2 meses atrás

Depende de quem vai operar e a missão,

Eles podem ser configurados com uma grande carga de foguetes e mísseis, ainda tem a capacidade de levar mísseis IIR Air to Air nas pontas das “asas” em uma de suas versões.

Vamos dizer que ele fica um pouco devendo em ser manobravel, mas em poder de fogo ele pode se igualar a um helicóptero de ataque puro sangue como dizem.

Caio
Caio
2 meses atrás

É uma pena que sejam do doze.
Eu no meu achismo creio que o Brasil deveria ter mais helicópteros, tanto para ataque, quanto para deslocamento de tropas e auxílio em emergênciais.
A compra do ec725 foi muito cara para poucas unidades, em relação ao tamanho do Brasil, culpa dessa historinha de TOT.
Agora tão cedo não teremos condições de investir em novos helis e em qualquer outra equipamento,. é melhor contar com as “calmarias” internas e externas, como acreditam o povão.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Caio
2 meses atrás

E quantos estão voando? Esse é um dos mistérios guardados a 700 chaves pela FAB

Aurio
Aurio
2 meses atrás

Preferia 12 AH-64..

Talisson Goet
Talisson Goet
Reply to  Aurio
2 meses atrás

Melhor 12 Black Howk armados.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Talisson Goet
2 meses atrás

Que seriam inferiores ao sabres. observar que essa versão dos black howk, foram desenvolvidos inspirados nos mi-24 para fazer o mesml tipo de missão.

FighterBR
FighterBR
Reply to  Aurio
2 meses atrás

Apache é gasto de dinheiro a toa.

Doug385
Doug385
Reply to  FighterBR
2 meses atrás

E esse bicho aí em cima não é? Um helicóptero que a FAB não pediu, não queria e nem precisava e caro de manter. No nosso teatro de operações vale muito mais um Black Hawk artilhado. Já que era para comprar helicóptero russo para equilibrar a balança comercial, mais valia comprar o Mi-17 e pendurar o que tivesse disponível de armamento nele. Esse helicóptero, desde a aquisição até a sua operação, é um verdadeiro escárnio com o dinheiro do contribuinte, assim como os EC-725 que vieram a preço de ouro com a desculpa da ToT e não venderão sequer uma… Read more »

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Doug385
2 meses atrás

Não foi caro de manter até agora. Se a FAB resolver realizar as grandes revisões, talvez seja.

José Machado
José Machado
Reply to  Rinaldo Nery
2 meses atrás

Me corrija se estiver errado Cel, mas conversando com um piloto do esquadrão, nas palavras dele é um grande máquina, muito precisa inclusive. O problema foi com o que ocorre com todo material que vai pra aquela região, o clima. Nas palavras dele, o bicho é um “cavalo”.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  José Machado
2 meses atrás

É sim. Ninguém no 2°/8° falou mal do helicóptero. Talvez o Chefe do Grupamento Logístico (GLog). rsrsrsrs

OSEIAS
OSEIAS
Reply to  Rinaldo Nery
2 meses atrás

Cel me tira uma duvida, esse brinquedo poderia ser usado como interceptador de aeronaves de traficantes? Pois com tropas internas poderia fazer a abordagem aos meliantes no solo, diferente do que acontece com o A-29.

Renato B.
Renato B.
Reply to  OSEIAS
2 meses atrás

Eu acho que a aeronave com melhor relação custo x benefício nessa função é o Super Tucano.

OSEIAS
OSEIAS
Reply to  Renato B.
2 meses atrás

Mas fica a duvida, qual o real beneficio em o A-29 força uma aeronave pousar e o piloto fugir? São alguns kg amenos no mercado de drogas, mas os cara fogem. Daí minha duvida se o Sabre com pessoal embarcado pode pousar onde os aviões irregulares pousam e ainda prender os ocupantes, ai sim não estaríamos enxugando gelo. Mas só se o Sabre for adequado a missão, pois velocidade tem, canhão tem, pessoal embarcado tem e pode pousar onde um avião pousa.
Abraço a todos.

José Machado
José Machado
Reply to  OSEIAS
2 meses atrás

Cara…ele chega a 100% da VME e sobra motor. Já o Black a 90% ja pede arrego. Sabre chega a 180kt. Via de regra aeronave ilícita voa mais devagar, mas ai dizer que ele é próprio pra isso teria q ver a Lei do Abate, se pode sentar o dedo se a aeronave com maior desempenho tentar o escape. Mas se fosse previsto, ele sanaria o problema da abordagem em solo.

Hélio
Hélio
Reply to  Rinaldo Nery
2 meses atrás

Não foi caro? Então qual seria o problema com a operação deles? Como está a disponibilidade?

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Doug385
2 meses atrás

Se for levar o dinheiro do contribuinte, orgulho nacional e jistificar uma compra para a sociedade. Eles não comprariam nem o MI-35 e n UH-60. Comprariam mais HM-225 que são montados aqui, com algumas peças fabricadas aqui, que empregam brasileiros e pagam impostos aqui, e se tem uma redução de custos pela escala e padronização.
Quanto ao equilibtio da balança comércial eu concordo menos na compra do helicóptero que temos similares. Melhor seria se tivessimos comprado algum sistema de missil anti-aéreo de médio ou longo alcance que não temos, ou mais IGLAS de curto alcance que temos pouco.

Tomcat4,2
Tomcat4,2
Reply to  Aurio
2 meses atrás

Tem noção do custo elevado de manutenção do Apache muchacho?
Uma bela máquina mas por bem menos poderemos vir a operar o Cobra ,que tbm é um heli de ataque puro sangue e ainda por cima naval (usado pelo USMC, por mais que já se vê treinamentos com Apache embarcado por lá).

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Aurio
2 meses atrás

Se o Brasil tivesse grana para comprar e manter um helicóptero de ataque puro e um igual número de helicópteros de transporte, seria uma boa. Só que na verdade, nem de um Helicóptero como o mi-35. Precisamos e de helicopteros de transporte, médios como o HM-225, MI-17/171, UH-60, NH-90 e etc.

Rennany Gomes
Rennany Gomes
2 meses atrás
João Bosco
João Bosco
2 meses atrás

Se os russos abrissem a licença para a produção de uma versão brasileira deste helicóptero….com poucas modificações ele ficaria ainda melhor. Por exemplo, portas corrediças, aviônica e armamentos brasileiros.
Aliás, alguém pode me tirar uma dúvida: ele só pode carregar armamento russo ou de outras procedências ( americana, francesa, chinesa , brasileira, etc)?

FighterBR
FighterBR
Reply to  João Bosco
2 meses atrás

Acho que só russa. Pra outros armamentos teria que ter o código fonte

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  João Bosco
2 meses atrás

Vai vender para quem? Sempre deve ser analisado o mercado potencial. Os Russos não deixariam suas “versões” tomarem o mercado que eles mesmo ainda não tem.

SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
Reply to  João Bosco
2 meses atrás

O Brasil poderia fazer uma engenharia reversa que nem os chineses fizeram nos equipamentos russos. A Rússia não tem força econômica para fazer alguma represaria econômica, no máximo parariam de comprar carne e ficariam no mimimi, nada além disso.

Mirade
Mirade
Reply to  SmokingSnake 🐍
2 meses atrás

E as patentes? patentes são reconhecidas internacionalmente. Porém como a China não reconhece patentes ela copia tudo que pode. Mesmo assim copiar não significa que ele vai dominar a tecnologia pois isso exige processos mais complexos.

Mirade
Mirade
Reply to  João Bosco
2 meses atrás

Ele só pode carregar armento russo pois este é homologado para esta aeronave, equipamentos de outras procedencias e outros países não é de interesse do fabricante pois ele é da Russia e privilegia sua industria e não cria empregos em outros países para isso ocorrer tem que haver acordos.

Italo Souza
Italo Souza
Reply to  João Bosco
2 meses atrás

Pode operar armamentos Russos e os chineses se me lembro bem operam com armamento próprio algumas poucas unidades.

Luiz Galvão
Luiz Galvão
2 meses atrás

Até onde sei, a FAB não tinha nenhuma intenção de comprar essa aeronave. O negócio foi feito a partir de pressão feita pela Rússia para tentar equilibrar a sua balança comercial com o Brasil. O Governo do PT cedeu e a FAB teve que entubar esse monstrengo, mesmo sabendo das dificuldades de logística e manutenção que iria ter.

Tallguiese
Tallguiese
Reply to  Luiz Galvão
2 meses atrás

Não tenho nada contra a máquina, mas acho que ela deveria ter ido para o EB que realmente precisava de helis de ataque. O Heli está cumprindo sua função então tá bão! É o que tem pra hoje? beleza. E o ideal? Aí só os cara que realmente entendem pra dizer. Só sei que eu estou vendo uma máquina funcionando bem mesmo apesar do tal pós venda ser ruim. E igual comprar carro francês…

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Tallguiese
2 meses atrás

Feche os olhos… pense no escreveu… agora pense que o Heli é americano… pronto temos um péssimo helicóptero para a malta do Blog.

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Tallguiese
2 meses atrás

Para mim ele está sendo subutilizado na FAB…

Adriano Luchiari
Adriano Luchiari
Reply to  Tallguiese
2 meses atrás

Concordo, o emprego correto dele seria pelo Exército, principalmente na Amazônia. É um tanque de guerra aéreo!

LUIZ
LUIZ
Reply to  Luiz Galvão
2 meses atrás

Aqui no BR cabeças como a sua so pende pra o lado do Tio Sam. Outros paises como a Russia tem excelentes helicopteros como o MI-26 que poderia tambem esta servindo as tropas no vasto territorio da Amazonia.

Augusto Mota
Augusto Mota
Reply to  LUIZ
2 meses atrás

LUIZ, ele só falou que a FAB não queria, só isso. A Rússia tem helis de ataque fabulosos, particularmente gosto do KA-52 e do Mi-28, e tb acho que o Brasil deveria fazer igual a Índia, tem de tudo de vários fornecedores/países diferentes, mas quem entende de logística prova que não é bom, fazer o quê.

Nilson
Nilson
Reply to  Augusto Mota
2 meses atrás

Augusto, o Luiz Galvão falou que a FAB não queria, mas também deixou uma subliminar de ataque ao PT. Não resistiu à vontade de politizar a questão dentro da rachadura existente no nosso país. Mas isso é comum por aqui, de um lado ou de outro, já estamos acostumados…

Luiz Galvão
Luiz Galvão
Reply to  Nilson
2 meses atrás

Nilson,

Não deixei nenhuma subliminar de ataque a nada. É só fazer as contas. Há dez anos o PT governava o Brasil. Teria dito o mesmo seja qual fosse o partido governante.
Abs

Nilton Reis Jr.
Nilton Reis Jr.
Reply to  Luiz Galvão
2 meses atrás

@Luiz Galvão tá com saudade desses 10 anos né?! Eu tbm.

EduardoSP
EduardoSP
Reply to  Nilson
2 meses atrás

A compra desses helicópteros não tem nada a ver com uma necessidade da FAB. Foi uma compra econômica/política, relacionada a abertura do mercado de carnes russo. Não tem segredo nem mistério nisso. Foi super comentado na época. O exército não quis o equipamento e sobrou para a FAB operar.

Italo Souza
Italo Souza
Reply to  EduardoSP
2 meses atrás

EB sempre foi muito pro americano e na época lembro que alguns fardados do exército torceram o nariz para uma proposta da Rússia de venda de equipamentos e incluindo o famoso BMP.

Mateus Souza
Reply to  Italo Souza
5 dias atrás

Puxam saco de um país que embarga armas modernas ocidentais, como ocorreu com os jatos Phanton na década de 70.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  EduardoSP
2 meses atrás

Nada contra isso, infelizmente no Brasil se os loliticos não forem pressionados pela força econômica as nossas forças estavam ate piores. O erro foi colocar ele na FAB, deviam ter colocado no exército.
Ou então comprassem sistemas de artilharia anti-aerea que estamos precisando mais que helicoptero de ataque.

Luiz Galvão
Luiz Galvão
Reply to  LUIZ
2 meses atrás

LUIZ,

A Rússia possui ótimos helicópteros, como bem disse o Augusto. Acho que voce leu mas não compreendeu o que escrevi.
Abs.

Mgtow
Mgtow
Reply to  Luiz Galvão
2 meses atrás

Balela. Vcs só querem uma chance para xingar o Pêtê.
Foi uma excelente aquisição. Chora

rocha
rocha
2 meses atrás

O Exercito deveria comprar alguns destes assim teriamos um padrão operacional, e já temos experiência técnica.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  rocha
2 meses atrás

Quantos estão voando? É um helicoptero novo.

Delfim
Delfim
2 meses atrás

Não imagino heli melhor para SAR, além de transportar os Pastores podendo impor superioridade tática na área de resgate.
Mas a aquisição de mais Mi-35, além de desnecessária, esbarra em questões como o CAATSA.
O futuro na FAB pode ser helis de ataque puro-sangue e/ou helis médios que possam receber kits de blindagem e armamento.

Vitor
Vitor
Reply to  Delfim
2 meses atrás

A FAB usa eles na doutrina SAR – CSAR?

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Vitor
2 meses atrás

Sim, como escolta anexada.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
2 meses atrás

Nunca vi voando por aqui em São Paulo, nem em exposição estatica (pelo menos nos Shows que fui). Fica o fantasma, ou é caro trazê-los ou são poucos os disponíveis.

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Ricardo Bigliazzi
2 meses atrás

Já passou aqui por Natal na Cruzex…

Fernando EMB
Fernando EMB
Reply to  Ricardo Bigliazzi
2 meses atrás

Já vi voando por aqui, em mais de uma oportunidade. Moro em São José dos Campos, SP. De vez em quando vem fazer algum tipo de ensaio ou treinamento aqui no DCTA.
Uma época ficava voando a noite (acho que estavam treinando ou testando equipamento de visão noturna.
A imprensa registrou, na época, reclamação dos moradores quando quanto ao barulho.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Ricardo Bigliazzi
2 meses atrás

Ja vi na LAAD, no Rio de Janeiro. Nao vou lembrar o ano…

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Marcelo
2 meses atrás

Também, acho que foi em 2011. Toquei no bruto e conversei com o piloto. Na época eles estavam com aquele problema de logística mas o bicho mete medo de perto!!! É um “tanque voador” !!!! Hoje , parece que foi resolvido o problema da baixa disponibilidade!! Agora, voar ali dentro do compartimento de tropas no calor da Amazônia deve ser pra poucos, acho que não tem ar condicionado ali não!

Italo Souza
Italo Souza
Reply to  Marcelo Andrade
2 meses atrás

Não é quente como pensam, aquela área foi pensada para atuar em áreas de deserto, tem entradas de ar que podem ser usadas.

Italo Souza
Italo Souza
Reply to  Ricardo Bigliazzi
2 meses atrás

Simples de explicar “É desnecessário levar até São Paulo”, não é a área de atuação deles e fica longe de sua base de atuação.

Carlos Gallani
Carlos Gallani
2 meses atrás

Bom equipamento, péssimo negócio!

JSilva
JSilva
Reply to  Carlos Gallani
2 meses atrás

Em sua opinião, considerando que o governo estava disposto a gastar em defesa para equilibrar a balança comercial com a Rússia, o que teria sido um bom negócio?
Com uma observação: não comprar nada, dada a nossa penúria, não era uma opção.

Marquês de São Vicente
Marquês de São Vicente
2 meses atrás

Alguém saberia informar como é a logística e manutenção desse aparelho?

Paulotd
Paulotd
Reply to  Marquês de São Vicente
2 meses atrás

FAB reclama demais, esse helicóptero é bom, blindado, moderno, boa autonomia, pode carregar 9 soldados armados, tem canhão dedicado de 23mm. Façam uma compra grande de sobressalentes e pronto. Nos custou, pelas informações da época em torno de 12 milhões de dólares a unidade, não foi caro. Enquanto isso o EC-725 (Kombi) nos custou a bagatela de 200 milhões de reais por helicóptero!! É isso mesmo que estou falando, foram 36 milhões de euros por cada helicóptero fabricado parcialmente aqui com problemas da estrutura, qualificação e atrasos. Pior compra das forças armadas nos últimos 30 anos, essa merecia ser investigada… Read more »

Italo Souza
Italo Souza
Reply to  Paulotd
2 meses atrás

Os Russos até se esforçam para melhorar a logística com abertura de fabrica de peças aqui perto, mas o Brasil não demonstra interesse em manter eles e nem em investir em novos equipamentos, aí fica difícil.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Marquês de São Vicente
2 meses atrás

O helicóptero teve, até o momento, um custo baixo de operação. Mas, agora, no momento da grande revisão, os russos solicitaram um valor astronômico. Devemos pagar? Não sei responder. O Comando Logístico da FAB está analisando. Diluindo o valor dessa revisão nas horas já voadas, elevará bastante o custo da hora de vôo paga até o presente momento. Como o Juarez já bem pontuou no blog várias vezes, recebemos máquinas de 3 lotes distintos, o que atrapalha bastante a logística. O motor é ucraniano, salvo melhor juízo. A disponibilidade dele, no início da operação, ficou dentro da média da FAB.… Read more »

Tutu
Reply to  Rinaldo Nery
2 meses atrás

Coronel, o senhor sabe quantos mísseis ataka vinheram no pacote desses helicópteros?

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Tutu
2 meses atrás

Não sei dizer. Mas, se soubesse, também é informação classificada.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Rinaldo Nery
2 meses atrás

Acho que alguém não leu o que escrevi…

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Rinaldo Nery
2 meses atrás

Rinaldo Nery,e quanto aquela história do centro de manutenção de helicopteros? Sei que tem um no peru,mas e aqui? concretizou?

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
2 meses atrás

Também não sei informar. Mas, acho que a revisão deles seria realizada nesse centro.

Tomcat4,2
Tomcat4,2
Reply to  Rinaldo Nery
2 meses atrás
rodrigo V
rodrigo V
Reply to  Rinaldo Nery
2 meses atrás

Sera então que aquela historia de venda para a libia tem fundamento, usando funding dos EAU. Faz sentindo pois a FAB deve ter feito as contas e talvez não vale fazer as grandes revisões e usar o dinheiro pelos sonhados lotes novos de Blackhawk ( incluindo a versão C-SAR )

Italo Souza
Italo Souza
Reply to  rodrigo V
2 meses atrás

Esqueça o sonho molhado, Blackhawk faria um tombo 4x maior que estás belas naves que a FAB tem em seu arsenal.

Flanker
Flanker
Reply to  Rinaldo Nery
2 meses atrás

Já devem ter células paradas por vencimento das horas para revisão geral. Se os russos pediram muito, a FAB vai ter que decidir se paga o que eles pediram, se faz em outro local ou se vende as aeronaves. A aetonave é muito boa….só que tem o problema dos lotes distintos fornecidos à FAB, os manuais, ferramental, agora as revisões e seu custo…….É complicado! E o pessoal fala muito da capacidade de transportar pessoal em missão C-SAR…..já viram o tamanho do compartimento de carga? A altura dele ao solo? O tamanho e posição das portas, principalmente se estiver com algo… Read more »

Italo Souza
Italo Souza
Reply to  Rinaldo Nery
2 meses atrás

Na verdade o valor da revisão ficou mediano, já que os valores pago por eles foi tão baixo que nem pagaria certos helicópteros de transporte que foram comprados.

Isso sem mencionar que a Rússia reduziu os custos com fábrica de peças aqui na AL.

Eu diria que se fosse em época de certo governo, esses valores seriam diluídos facilmente com insumos.

Doug385
Doug385
Reply to  Marquês de São Vicente
2 meses atrás

É complicada. Tivemos problemas até com os manuais. A FAB decidiu adequar a documentação ao padrão OTAN. Os russos ficaram loucos. Se voa hoje é graças à expertise do nosso pessoal.
É como o amigo acima disse: bom helicóptero, péssimo negócio.

Bardini
Bardini
2 meses atrás

A 10 anos estamos jogando dinheiro fora com uma aeronave que JAMAIS foi necessária a FAB…

Paulotd
Paulotd
Reply to  Bardini
2 meses atrás

Helicóptero de ataque reconhecido, comprado novo, com capacidade de transporte de tropas, blindado, boa autonomia, bom armamento, é com certeza muito necessário do ambiente amazônico!

Desnecessário é pagar 200 milhões de reais POR UNIDADE em helicóptero de transporte EC-725, modernizar Trackers (MB), modernizar A4 Skyhawks obsoletos e sem NAe, torrar milhões com Mirage 2000 que não duraram nem uma década e foram vendidos como sucata.

Bardini
Bardini
Reply to  Paulotd
2 meses atrás

Se fosse necessário uma aeronave com estas características, a FAB teria selecionado por meio de estudo e concorrência. Nunca fizeram nada disso. . O mesmo Governo que comprou essa aberração que NUNCA foi necessária a FAB, entubou as forças com H225M. . Aliás… Eu gostaria de saber de que porcaria de lugar tu tirou que custou só 12 milhões de dólares a unidade do Mi-35. Aquela porr@ de contrato custou mais de 250 milhões de dólares para o Brasil, isso a mais de 10 anos atrás! . Quanto é 12×12? E aliás, de onde saiu esses 200 milhões de reais… Read more »

Paulotd
Paulotd
Reply to  Bardini
2 meses atrás

Pesquise amigo. Em pesquisa simples tu localizaria que o contrato dos 50 H225M nos custou 1,8 Bilhões de Euros. Isso mesmo. E inclusive foi muito criticado em vários lugares do ramo especializado de defesa. 1800 milhões Euros/ 50 unidades= 36milhões de Euros a unidade 36 milhões x5,80 (cotação comercial) = 209 milhões de reais! Ou seja, até passa os 200 milhões a unidade! Tem uma referência que a compra feita em 2008 pelas 12 unidades de Mi-35 foi 150 milhões de dólares, o que fecha nos 12 milhões a unidade, ou seja, uns 60 milhões de reais cada, menos de… Read more »

Bardini
Bardini
Reply to  Paulotd
2 meses atrás

Queridão, o contrato não foi assinado hoje, logo essa cotação aí é totalmente furada. . Dividir o valor do contrato pelo número de aeronaves é totalmente irreal. Existem enumeras coisas dentro de um contrato, o que torna imensurável pra quem não tem acesso aos itens. . Esse seu valor do contrato dos Mi-35 também está totalmente furado! Sabe quanto foi? 326 milhões de dólares… Tem uma referência por aí na internet. . Agora eu vou fazer a tua conta sem fundamento: 326/12= 27,16*5,38 = 140,7 milhões de reais. Isso pago por algo que não gerou empregos aqui e etc, algo… Read more »

Paulotd
Paulotd
Reply to  Bardini
2 meses atrás

Se você considerar a inflação é pior ainda, nós custou ainda mais euros, pois o mesmo se desvalorizou de 2009 pra cá. E a compra dos Mi-35 teve ainda um offset econômico com exportações de carne para a Rússia, não foi uma compra sem nada em troca. Eu não conheço essa referência de 326 mi de dólares pelos MI-35, já ouvi de alguma entre 150 e 200 milhões de dólares de 2008 que inclusive aqui postei. Favor postar a referência. A verdade é que esses empregos da Helibras são os empregos mais caros do Brasil! Quase 11bi de reais pra… Read more »

bjj
bjj
Reply to  Paulotd
2 meses atrás

Paulotd

A SIPRI menciona 150 milhões de dólares como valor do contrato dos MI-35.

Caloro
Caloro
Reply to  Paulotd
2 meses atrás

Não adianta fazer conta de papel de pão, tem coisas além das aeronaves incluídas no pacote. Não é essa conta de dividir o valor total de aeronaves pelo valor do contrato.

Caloro
Caloro
Reply to  Bardini
2 meses atrás

Houve uma concorrência sim na época, em 2007, onde se contemplava a aquisição dos helicópteros de ataque e de transporte. No caso dos helicópteros de ataque, a concorrência ocorreu e a Rosoborexport venceu.
Não irei entrar em maiores detalhes, mas ocorreu assim.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Caloro
2 meses atrás

Não precisa entrar em detalhes. Nos ache uma fonte de informação.

Marcos Cooper
Marcos Cooper
Reply to  Leandro Costa
2 meses atrás

houve concorrência sim!

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Bardini
2 meses atrás

Outra profissão do super Lesardini.
Engenheiro de helicópteros kkkkk.
Mas ele deve estar certo, a FAB que está super satisfeita com o equipamento e outros inúmeros clientes munda a fora que estão errados kkkk.

Bardini
Bardini
Reply to  Foxtrot
2 meses atrás

Como eu adoro um hater…
.
Baita sensação de dever cumprido.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Bardini
2 meses atrás

Ele não desiste gente kkkkkk.
Abraço Lesardine
Você me diverte muito com seus post, uma das melhores comedias da atualidade.
E nessa pandemia não tem coisa melhor kkkk

JSilva
JSilva
Reply to  Bardini
2 meses atrás

A história dessa compra é conhecida o que não é conhecido é por que a FAB ou nenhuma das duas forças comandaram o processo do que queriam. Se você está num país em que a defesa não é prioridade e o orçamento é curto (para manutenção e aquisição) como é que aparece uma oportunidade em que o governo está disposto a gastar com defesa e as Forças Armadas não assumem o comando do processo de forma pragmática? Se havia necessidade de equilibrar a balança comercial e o governo deu sinal verde o Ministério da Defesa tinha que pegar o valor… Read more »

Italo Souza
Italo Souza
Reply to  JSilva
2 meses atrás

Na verdade o governo e o ministério da defesa fez exatamente isso, ofereceu ele as três forças, EB e MB não quis, a FAB levou muito tempo para aceitar. Na época lembro que foi oferecido outros acordos também, incluindo o BMP com fabricação local, mas um lobby aqui dentro de uma certa fabricante que impossibilitou. O Brasil hoje podia tá operando até veículos anti aéreos de tecnologia Russa se tivesse pego o acordo do BMP, a fábrica aqui facilitaria muito e os custos seriam muito diluídos. Mas dizer oque de forças militares pro americanas ? Com orçamento comprometido com aposentadoria… Read more »

Foxtrot
Foxtrot
2 meses atrás

Para coroar ainda mais, só falta o EB adquirir umas 12 unidades do MI-28. Aí sim estaremos em novo patamar operacional. Também seria interessante a MB adquirir todas as células dos Super Cobras ou o Alligator. Uma modernização dos sistemas opitrônicos dos MI-35 com alças opitrônicas nacional (Atena) seria interessante, além quem sabe do desenvolvimento conjunto (EB/FAB/MB) do M.A.S 5.1, FOG-MPM e foguetes guiados Avibras semelhantes ao LCPK. Ou mesmo uma nacionalização deste míssil Ataka. O que não entendo é porquê até hoje não desenvvemos um míssil rádio guiado como o Ataka? Temos o conhecimento para isso e a tecnologia… Read more »

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Foxtrot
2 meses atrás

Eu gostava do conceito do FOG MPM

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Carvalho2008
2 meses atrás

Caro Carvalho eu ainda acho que se pode reviver o MPM. Mas no lugar da giagem por fibra, eu colocaria um sistema de rádio controle e câmera IR diurno/noturno e um sistema redundante INS/GPS, GLONASS, Galileo igual o da Smkb. Se couber incluiria um link br2 nele. Se o Brasil fosse um país que previlegiasse sua indústria e equipamentos, sua P&D etc. Eu iria a Avibras e proporia a parceria. Ainda mais agora que o EB busca uma aeronave de ataque pura, a FAB tem o MI-35 etc. Seria a saída mais rápida ao desejado M.A.S do EB, do qual… Read more »

Vitor
Vitor
2 meses atrás

Tenho algumas dúvidas:

A FAB treina com o EB no teatro de operações com Blindados?
Esses helis são usados para o teatro de ops de C-sar?
Esses Helis realizam interceptação de aviões de narcotraficantes? Essa operação é feita em conjunto com PF abordo? Os Policiais podem desembarcar após o pouso da Aeronave e realizar o flagrante?
Como Heli de Ataque atuam em conjunto com A-29? O teatro de operações da Amazônia é propício pra essa aeronave?
O R-99 B tem interoperabilidade com o AH-2 Sabre?

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Vitor
2 meses atrás

1 – Não;
2 – Sim, como escolta anexada;
3 – Sim;
4 – Sem PF a bordo. A PF vai no seu helicóptero/viatura para o flagrante;
5 – Atuam junto aos A-29 na FT SAR. Os A-29 são a escolta destacada.
6 – Sim, o TO amazônico é propício;
7 – Que tipo de interoperabilidade? R-99 ou E-99? Há diferença. Se for o E-99, uma FT SAR é controlada por ele.

Vitor
Vitor
Reply to  Rinaldo Nery
2 meses atrás

Obrigado Cel!

Me referi ao E-99.
O R-99 somente é usado pra reconhecimento e inteligência? Em uma operação C-sar o mais propício seria usar um E-99 para mapear ameaça aérea e coordenar a força tarefa? Obrigado de antemão novamente.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Vitor
2 meses atrás

Ambos realizam missões de Inteligência Eletrônica. O R-99 é uma aeronave de imageamento do solo. O E-99 controla a FT no seu deslocamento, alertando a mesma quanto às ameaças aéreas. É uma aeronave de Controle e Alarme em Vôo (CAV).

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Vitor
2 meses atrás

Caro Vitor. As operações de interceptação de aeronaves na Amazônia pela FAB é feita com os A-29 que em algumas vezes recebem informações dos R-99 A&B. o MI-35 como você mesmo disse é para missões C-SAR e que também podem executar missões LAS para as SOF,s nacionais. Infelizmente nossas FAAs não são integradas em equipamentos, doutrinas de emprego, P&D etc. Por isso mesmo a FAB não treina com o EB/CFN a operação e emprego dos MI-35 (mesmo após anos de criação do MD). Coisas que já deveria ter sido criadas há anos como um comando conjunto de operações especiais, transporte… Read more »

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Foxtrot
2 meses atrás

Não existe mais R-99 A&B. São E-99 e R-99.

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Rinaldo Nery
2 meses atrás

Qual é a aeronave de guerra eletrônica da FAB, como growler, JStars, etc?

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Defensor da liberdade
2 meses atrás

O R-99 pode operar como o JSTAR, com alguma limitação. Já testei isso quando fui S-3 do 2°/6°.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Rinaldo Nery
2 meses atrás

Só muda o nome da aeronave caro Rinaldo, mas a aeronave continua sendo as mesmas.
Mas obrigado pela correção!

Foxtrot
Foxtrot
2 meses atrás

É por uma dessas que defendo a aquisição de equipamentos por civis com auxílio técnico dos militares como acontece no mundo todo, só aqui que é ao contrário. FHC (se não me engano) fechou o acordo com os Russos , empurrou goela abaixo os equipamentos na FAB, e as unidades SAR (PARASAR) agradecem. Imagina o trunfo de uma missão SAR em um equipamento deste. Não precisariam deslocar um Chinook ou BH e 2 Apaches como na doutrina americana. Uma única aeronave pode realizar a missão. Se já tivéssemos um MD realmente operacional e com decisão sobre os militares, uma agência… Read more »

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Foxtrot
2 meses atrás

Não foi o Lula? 2008/2009?

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Rinaldo Nery
2 meses atrás

FHC caro Rinaldo.
Se o mesmo assinou não sei, mas que as conversas e negociações se iniciaram no governo FHC tenho certeza.

EduardoSP
EduardoSP
Reply to  Foxtrot
2 meses atrás

Foxtrot, foi o governo Lula que fechou a compra.
FHC deixou o governo há 18 anos atrás.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  EduardoSP
2 meses atrás

Obrigado Eduardo.
Mais uma boa aquisição para nossas FAAs marxismo fóbicas.
E veja quem mais contribuí para Modernização das mesma!

Alexandre Esteves
Alexandre Esteves
Reply to  Foxtrot
2 meses atrás

Não sabia que o Sabre era orgânico ao PARASAR. Deve ser segredo de estado, agora revelado.

Tomcat4,2
Tomcat4,2
2 meses atrás

Vi este monstro de pertinho em Lagoa Santa no Portões Abertos de 2018. Bicho enorme, põe respeito viu !!!

Sincero Brasileiro da Silva
Sincero Brasileiro da Silva
2 meses atrás

Esperamos agora a aquisição de 12 Super Cobra pela MB e 12 Apache pelo EB!!!

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Sincero Brasileiro da Silva
2 meses atrás

Para quê gastar dinheiro com essa velharia, melhor colocar mais uma grana e ir de ATAK.

Gabriel BR
Gabriel BR
2 meses atrás

Esse deveria ser o helicóptero de ataque a ser adquirido pelo EB. Uma baita maquina !!!!

Marcos Cooper
Marcos Cooper
Reply to  Gabriel BR
2 meses atrás

Diga isso ao EB. Aposto que vão te escutar…

Nilton L Junior
Nilton L Junior
2 meses atrás

Baita Heli sem dúvida a FAB ganhou em poder de fogo, aprimoramento de doutrina e emprego, quem quer ter equipamento bom tem que gastar quem quer ter equipamento top tem que ter economia desenvolvida quem não tem, paciência.

francisco Farias
francisco Farias
2 meses atrás

O Brasil já deveria ter desmontado um deles, peça por peça, e copiado como faz a China e todos os outros. Nada se cria tudo se copia.
Quem não tem disposição para estudar e copiar continua dependente.

Luiz Floriano Alves
Luiz Floriano Alves
Reply to  francisco Farias
2 meses atrás

Qualquer Heli de ataque é bem-vindo para a carência que temos. Se for multi função, melhor. Só não vamos comprar sucata do deserto como aqueles Cobra enferrujados que se cogitou recentemente. (ofertas via FMS).

Marcos Cooper
Marcos Cooper
Reply to  francisco Farias
2 meses atrás

“O Brasil já deveria ter desmontado um deles, peça por peça…”
Um não,todos! Daí vende tudo pro ferro-velho…

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  francisco Farias
2 meses atrás

Tá! Quem iria fazer isso, a Embraer? A Helibrás? Gasto de homem/hora!!!

Jhon
Jhon
2 meses atrás

Tem comentários que dizem que FAB não precisa desses helicópteros, discordo! Em SM/RS a FAB antes de receber os Blackhawks usava os UH1H ex US ARM com uma .50 e lançadores de foguetes 70 milímetros, já usava helicópteros armados faz parte de sua doutrina.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Jhon
2 meses atrás

com 99 super tucanos, podendo fazer mais encomendas até chegar a um número de 200 unidades destes avioes da embraer, realmente n precisa de helicóptero de ataque mesmo n.

Alexandre
Alexandre
2 meses atrás

Foi um tremendo erro a FAB ter feito a aquisição destes helicópteros russos, pois hoje carece de logística, depende incessantemente da Rússia para reposição de peças, sem contar que as aeronaves consomem muito combustível, o que gera um enorme prejuízo para a FAB. Só o fato de depender da Rússia, sem ter a transferência de tecnologia para que estes helicópteros possam ser fabricados aqui no Brasil, já gera um enorme prejuízo para a FAB. São excelentes helicópteros, muito bons, mas está dando prejuízos para a FAB. Estes helicópteros tem múltiplas funções, são extraordinários, mas aqui no Brasil a função que… Read more »

Alexandre
Alexandre
Reply to  Alexandre
2 meses atrás

Vejam que eu levei muito deslike, mas prestem atenção que uma coisa é ter estes helicópteros russos, outra coisa é mantê-los, pois eles são caros e a sua manutenção e logística não é barata, fora que o a FAB sempre dependerá da Rússia enquanto tiver estes helicópteros, o que acarretará prejuízos para a própria FAB, pois os aviões Super Tucanos fazem o mesmo tipo de trabalho que estes helicópteros russos fazem na Amazônia.

Vendê-los e investir em mais aviões Super Tucanos, seria o ideal.

Luiz Trindade
Luiz Trindade
Reply to  Alexandre
2 meses atrás

Discordo de sua opinião! E também não vejo mal algum termos parcerias com a Rússia para se manter esse helicóptero único e tão importante para a defesa. Fora dizer que os Super Tucanos tem lá sua importância mais não voa pairado como um helicóptero faz. Pelo jeito tu ainda vai continuar levando deslike!

Luiz Trindade
Luiz Trindade
2 meses atrás

Eu me lembro que então a compra do AH-2 (Mil MI-35) foi alvo de muitas criticas aqui nesse blog mas com o passar do tempo se provou um verdadeiro guerreiro nas mãos dos pilotos. Parabéns para o Esquadrão Poti (2º/8º GAV).

Italo Souza
Italo Souza
2 meses atrás

Um verdadeiro monstro, uma máquina sem dúvidas bem desenvolvida e com capacidades únicas.