Home Aviação de Ataque Primeiro A-29 Super Tucano da Força Aérea da Nigéria completa voo inaugural...

Primeiro A-29 Super Tucano da Força Aérea da Nigéria completa voo inaugural com sucesso

4705
64

Jacksonville, Flórida, 17 de abril de 2020 – A Embraer Defesa & Segurança e a Sierra Nevada Corporation (SNC) anunciam que a primeira aeronave de ataque leve e treinamento avançado A-29 Super Tucano destinada à Força Aérea da Nigéria completou com sucesso o voo inaugural na fábrica de Jacksonville, na Flórida (EUA). A Força Aérea da Nigéria encomendou 12 aeronaves.

As aeronaves A-29 Super Tucano destinadas à Nigéria estão atualmente sendo produzidas pela Embraer e pela SNC, em Jacksonville, com entregas previstas em 2021.

As primeiras aeronaves A-29 da Força Aérea da Nigéria serão enviadas para Centennial, no Colorado, onde serão realizadas modificações dos sistemas de missão além de alguns testes finais. Em seguida, os pilotos da Força Aérea da Nigéria serão treinados nas aeronaves, em uma etapa que antecede as entregas.

“Este é um marco significativo na produção dos A-29 Super Tucano para a Força Aérea da Nigéria. A linha de produção de Jacksonville está ativa e a Embraer e a SNC estão confiantes de que a produção de outras aeronaves será concluída nos próximos meses”, disse Jackson Schneider, presidente e CEO da Embraer Defesa & Segurança.

“A aeronave atendeu ou superou todos todos os requisitos e estamos muito satisfeitos, pois o voo foi muito bem-sucedido”, disse Ed Topps, vice-presidente de Sistemas de Aeronaves Táticas e programas de Inteligência, Vigilância e Reconhecimento da SNC. “A SNC e a nossa parceira Embraer estão confiantes de que a Força Aérea da Nigéria ficará muito satisfeita com essas aeronaves”.

O A-29 Super Tucano tem histórico comprovado de combate e é reconhecido como referência de excelência em aeronaves de ataque leve e reconhecimento no mundo todo. A aeronave foi projetada e construída para missões como a da Nigéria.

O A-29 Super Tucano é a solução mais confiável e com melhor custo-benefício para voos básicos e avançados, assim como para o treinamento de combate, operações de apoio aéreo tático, ISR (Inteligência, Vigilância e Reconhecimento), vigilância armada, contrainsurgência e cenários de guerra irregular.

A aeronave já foi selecionada por 15 forças aéreas em todo o mundo para missões de apoio aéreo tático e de reconhecimento com excelente custo-benefício.

Em dezembro de 2018, a Embraer Defesa & Segurança e a SNC receberam uma encomenda para 12 aeronaves de ataque leve A-29 Super Tucano destinadas à Força Aérea da Nigéria. O contrato inclui dispositivos de treinamento de solo, sistemas de planejamento de missão, sistemas de missão, peças sobressalentes, equipamentos de apoio no solo, equipamentos de missões alternativas, apoio interino contratado dos Estados Unidos, apoio logístico do contratante fora do continente norte-americano (OCONUS) e representantes de serviço de campo para apoio ao OCONUS.

Cockpit do A-29 Super Tucano

Sobre o A-29

O A-29 Super Tucano é referência de excelência para aeronaves de ataque leve, combate e reconhecimento no mundo todo. Construído nos EUA pela Embraer Defesa & Segurança, em parceria com a Sierra Nevada Corporation, o A-29 foi selecionado por 15 forças aéreas em todo o mundo, incluindo Afeganistão e Líbano.

O A-29 é uma aeronave turboélice versátil e poderosa que é reconhecida por seu design robusto e durável, capaz de operar em pistas não preparadas e em bases avançadas, em ambientes austeros e terrenos acidentados. O A-29 é a única aeronave de ataque leve do mundo com um Certificado de Tipo Militar da Força Aérea dos EUA.

Sobre a Embraer Defesa & Segurança

A Embraer Defesa & Segurança é líder na indústria aeroespacial e de defesa da América Latina. Além das aeronaves A-29 Super Tucano, de ataque leve e treinamento avançado, e C-390 Millennium, de transporte militar multimissão, oferece uma linha completa de soluções integradas e aplicações de Comando e Controle (C4I), radares, ISR (Inteligência, Vigilância e Reconhecimento) e espaço. Isso inclui sistemas integrados de informação, comunicação, monitoramento e vigilância de fronteiras, bem como aeronaves para transporte de autoridades e missões especiais. Com crescente atuação no mercado global, os produtos e soluções da Embraer Defesa & Segurança estão presentes em mais de 60 países.

Aeronaves produzidas e modernizadas pela Embraer Defesa & Segurança

DIVULGAÇÃO: Embraer

Subscribe
Notify of
guest
64 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
GFC_RJ
GFC_RJ
2 meses atrás

Esse TO da Nigéria promete.
O bichinho vai ampliar sua vitrine bonito.

Canarinho
Canarinho
2 meses atrás

Porque essas aeronaves nao foram fabricadas no Brasil? Porque quem financiou a compra foi o governo dos estados unidos?

Ivan
Ivan
Reply to  Canarinho
2 meses atrás

Fiquei com receio de responder.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Canarinho
2 meses atrás

Como já foi dito aqui incontáveis vezes, as aeronaves são montadas na Sierra Nevada, com partes fabricadas aqui. Isso acontece quando a aeronave é adquirida via Foreign Military Sales junto ao governo dos EUA, que traz opções atraentes de financiamento.

Canarinho
Canarinho
Reply to  Leandro Costa
2 meses atrás

Obrigado Leandro pela resposta.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Leandro Costa
2 meses atrás

na verdade é montada pela Embraer mesmo, em Jacksonville. Depois segue para a Sierra Nevada para instalação de alguns sistemas de missão.

João Adaime
João Adaime
Reply to  Canarinho
2 meses atrás

Prezado Canarinho
O Leandro já respondeu. Vou apenas complementar.
Tanto faz onde é montado. Sempre será numa filial da Embraer, igual um automóvel por exemplo. Um VW montado aqui, sempre será alemão. Assim como o lucro.
As vendas via FMS tem como vantagem que o BNDES não precisa financiar a compra. Os EUA bancam. Além disso, a aeronave fica mais barata, tornando-se mais atrativa para o comprador. Cada Tucano vendido no exterior, é um avião da concorrência a menos.
E como lembrou o GFC_RJ, é mais um indo pra vitrine mundial.
Abraço

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
2 meses atrás

Que Avião!!!

Ivan
Ivan
Reply to  Ricardo Bigliazzi
2 meses atrás

O cockpit é bem bacana.

Bruno
2 meses atrás

Na belíssima foto que fecha o artigo há uma aeronave entre o F5 e o ST, semelhante a um Phenom 100. Qual aeronave é essa e qual é o propósito dela em quesitos militares?

Fernando EMB
Fernando EMB
Reply to  Bruno
2 meses atrás

É um Phenom 100, usado para treinamento pela Royal Air Force.

Mauro
Mauro
2 meses atrás

Quando eu vi aquela antena de transmissão de dados via satélite já dei conta na hora que era de Jacksonville.

Agora eu pergunto, a Nigéria tem algum satélite geoestacionário de comunicação?

Marcelo
Marcelo
Reply to  Mauro
2 meses atrás

não precisa possuir um satélite próprio…canais de comunicação militares podem ser contratados em satélites comerciais.

Luiz Galvão
Luiz Galvão
Reply to  Marcelo
2 meses atrás

Marcelo,
Neste caso o fabricante do satélite comercial não teria acesso aos canais militares eventualmente contratados ?
Mais diretamente : Não haveria a possibilidade de espionagem/sabotagem ?

João Adaime
João Adaime
2 meses atrás

Peço ajuda aos universitários
Na figura sobre o raio de ação, aquelas horas abaixo da distância em milhas náuticas o que representam?
Agradeço se alguém souber e puder explicar.

João Adaime
João Adaime
Reply to  Alexandre Galante
2 meses atrás

Obrigado Galante
Eu desconfiava que fosse, mas para atingir estes tempos só com tanque externo, não é mesmo?
Abraço

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  Alexandre Galante
2 meses atrás

Interessante notar que, embora o ST possua menor capacidade interna de combustível (embora os tanques externos sejam maiores), ele possui alcance semelhante ao P-51D.
A PT-6 de 1.600 hp realmente é econômica, apesar de ser turbohélice.

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Clésio Luiz
2 meses atrás

Não entendi mestre…comente mais…porque? quais as correlações que lhe decepcionaram?

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  carvalho2008
2 meses atrás

Ok entendi. Mas veja, você pode realmente estar correto em suas afirmações, mas ao contrario do P-51, o ST não foi feito para superioridade aérea. Não é de seu escopo a acentuada alternância de altitude tão comum a um dogfigther. Ele foi mais baseado no conceito de um skyraider. Era isto o que tinham em mente. De quebra, num mundo de nichos e poucas encomendas, sim, optaram por utilizar partes de peças e airframes de outros aviões em produção afim de baratear a solução. Mas veja, mesmo um P51 não faz o que o ST faz, são 1500 kg de… Read more »

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Carvalho2008
2 meses atrás

A inspiração no Skyrider foi na MISSÃO, não nas especificações técnicas. Queríamos mostrar que ainda havia espaço para um avião turbohélice na guerra moderna. Quanto ao AT-27 (voei bastante…), o sistema de pontaria era, esse sim, de 1940. A tabela balística da TO-34 estava errada. Wagner, 02 da minha turma, no Curso de Oficiais de Tiro e Bombardeio, no CTA, em 1988, mostrou os erros aos engenheiros da EMBRAER.
O A-29 trouxe um salto quântico na aviônica, sistema d`armas e sistema de pontaria. A ECP do avião é de 8 metros.

Nilson
Nilson
2 meses atrás

Ótima matéria. Sucesso para o A-29. Como sou torcedor do A-4 (apesar de tudo), achei ótimo ver como se destacou na foto sobre o F-5 e o A-1. Quanto à figura do raio de ação, ótimas informações, mas tem que avisar ao pessoal da SNC que Manaus não fica no Pará…

Renato B.
Renato B.
2 meses atrás

Se essa é a pintura definitiva o mundo das pinturas feias ganhou um novo representante. Parece que o avião foi feito com sobras de outros.

Renato B.
Renato B.
Reply to  Alexandre Galante
2 meses atrás

obrigado pelo aviso.

Matheus Augusto
Matheus Augusto
2 meses atrás

Essa pintura é igual cachorrinho de madâme, é tão feia que fica bonitinha kkk

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Matheus Augusto
2 meses atrás

Leia o comentário do Galante, logo acima.

Karl Bonfim
Karl Bonfim
2 meses atrás

Já caiu um A-29 do Mali, não sou especialista, mas não é uma taxa alta, ou está dentro da normalidade?

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
2 meses atrás

O cockpit do SNC A-29 Super Toucan é lindo !

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
2 meses atrás

Que modelo de jatinho é esse oferecido pela ED&S? Qual a função dele?

Fernando EMB
Fernando EMB
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
2 meses atrás

Veja acima, já respondi.

EVERTON SBRISSE
EVERTON SBRISSE
2 meses atrás

Mais alguém percebeu o erro geográfico na sétima foto?

JOAO LUIZ BARRETO PASSOS
JOAO LUIZ BARRETO PASSOS
Reply to  EVERTON SBRISSE
2 meses atrás

Fizeram a análise do raio de ação a partir de Manaus, mas, como se fosse um ponto dentro estado do Pará. O pessoal do marketing da EDS deveria ser alertado, pois, fica feio para nós, brasileiros, não sabermos indicar corretamente as localidades de nosso próprio país.

João Adaime
João Adaime
Reply to  EVERTON SBRISSE
2 meses atrás

Manaus está no lugar certo, no encontro do rio Negro com o Solimões. O que está errado é o mapa do Brasil mostrando o Pará e não o Amazonas.

M65
M65
Reply to  EVERTON SBRISSE
2 meses atrás

É uma ilustração usando Manaus para mostrar o raio de ação, embora não tenha ST na Base Aérea de Manaus.

Ubiratan Pereira
Ubiratan Pereira
2 meses atrás

A tela WAD do Gripen poderia ser padronizada para equipar os Super Tucanos?

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Ubiratan Pereira
2 meses atrás

Acho que iria encarecer a aeronave em alguns dólares…

kornet
kornet
2 meses atrás

O 15 pais seriam os EUA?

Vigné
Vigné
2 meses atrás

O avião é um sucesso, sem dúvida. Mas o projeto não merece um MLU? WAD, Fly-By-Wire e novo motor já seriam um bom avanço…

Fernando EMB
Fernando EMB
Reply to  Vigné
2 meses atrás

FBW???? WAD???? Novo motor???? Isso não é MLU, é fazer outro avião do zero!!!

Vigné
Vigné
Reply to  Fernando EMB
2 meses atrás

Fernando, por isso a referência a uma MLU no PRO-JE-TO.
Ter um produto no estado-da-arte para cenários de baixa intensidade, sem o constrangimento de ter o Wolverine como concorrente.

Fernando EMB
Fernando EMB
Reply to  Vigné
2 meses atrás

MLU no projeto, o que é isso? Estão sugerindo um projeto novo, então não é MLU!!!

Teropode
Reply to  Vigné
2 meses atrás

Eu acrescentaria montar em cada asa o Gau-8 Avenger , ai sim ficaria completo.

Claudio Severino da Silva
Claudio Severino da Silva
Reply to  Teropode
2 meses atrás

Teropode:
Você. é um piadista. Agora, que ficaria muito bem um pod ventral, com dois canhões de 23mm ( à semelhança daquele usado nos Mi-35). Já imaginaste, dois de 23mm, duas .50 e quatro mísseis ar-terra? Uau! Ou substituindo os quatro mísseis por 52 foguetes de 37mm, distribuídos em quatro pods.

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Claudio Severino da Silva
2 meses atrás

canhão exigiria um corpo a corpo…e mesmo um ST é caro para arriscar isto…um MANPAD ou 20mm ou 40 mm poderiam revidar….

É melhor atacar com armas de medias e longas distancias…antigamente poderiam dizer que somente bombas caras e pesadas planadoras poderiam fazer isto…mas hoje em dia…estão cada vez menores…então é melhor usar uma delas e atacar sem dar chance de ser contra atacado….o tempo do A-10 dando rasante com seu canhão já passou….podem ate alongar a vida deles…mas não pensam mais nele usando seu canhão como arma principal.

Flanker
Flanker
Reply to  Teropode
2 meses atrás

Hehehehehe…Boa!!!! Kkkkkkk

carvalho2008
carvalho2008
2 meses atrás
carvalho2008
carvalho2008
2 meses atrás

Uma versão assim seria interessante:comment image

carvalho2008
carvalho2008
2 meses atrás

Oucomment image

carvalho2008
carvalho2008
2 meses atrás

Ou bimotor com dois PT-6A, 3.200 hps, stealth…comment image

carvalho2008
carvalho2008
2 meses atrás

comment image

carvalho2008
Reply to  carvalho2008
2 meses atrás

detalhe para a baia interna

carvalho2008
carvalho2008
2 meses atrás

comment image

Fernando EMB
Fernando EMB
Reply to  carvalho2008
2 meses atrás

Que coisa horrível!!!

carvalho2008
Reply to  Fernando EMB
2 meses atrás

É apenas para provocar a discussão sobre até onde um turbo hélice poderá ocupar nichos no CAS ou patrulha das forcas aereas. Irão crescer em desempenho ou encolher em detrimento de drones….??

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  carvalho2008
2 meses atrás

Do-335 feelings… 😀

carvalho2008
Reply to  Leandro Costa
2 meses atrás

rzrzrz…foi sim…utilizei ele como ponto de partida…e depois um corpo mais stealth para atualizar para o seculo 21….

carvalho2008
Reply to  carvalho2008
2 meses atrás

comment image

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  carvalho2008
2 meses atrás

Lembro sim, mas acho que para a função, asas retas seriam mais apropriadas mesmo. Não há lá como ‘stealthificar’ muito uma aeronave à hélices. Stealth Hawks do raid contra o Bin Laden que me perdoem hehehehe

carvalho2008
Reply to  Leandro Costa
2 meses atrás

tambem acho….

é por isto que acredito num resgate do XF5U.

Ele já pela propria natureza ja permite um formato discoide facetado.

Ja no pos guerra, prometia uns 750 km/h e estima-se que poderia pousar a apenas 60 km/h, ou seja quae planando na vertical nos Nae…em um LHA seria muito facil…

Se alocar uma corcunda como no desenho abaixo, voce consegue um nicho de carga, munições ou material ou seja, uma mulinha faz tudo…ai consegue somar interesses por varios pequenos nichos.

carvalho2008
Reply to  Leandro Costa
2 meses atrás

Lembra? o anterior era este:comment image

carvalho2008
2 meses atrás

Mas de minhas pesquisas, a minha conclusão é de que somente seria viável para um projeto novo, se o modelo possuísse mais características de multiuso, mais próximo ao bronco OV-10. Capacidade Extreme STOL, Pequenas cargas, ataque e maior velocidade…

deveria ter uma configuração semelhante ao XF5U
comment image

carvalho2008
2 meses atrás

comment image

carvalho2008
Reply to  carvalho2008
2 meses atrás

comment image