Home Indústria Aeronáutica Boeing suspende produção em resposta à pandemia do COVID-19

Boeing suspende produção em resposta à pandemia do COVID-19

704
5

Boeing com foco em suspensão temporária segura e ordenada das operações. Parada temporária das operações durará 14 dias, com início em 25 de março

CHICAGO, 23 de março de 2020/PRNewswire/ – A Boeing [NYSE: BA] anunciou uma suspensão temporária das operações de produção em suas instalações da área de Puget Sound, devido ao estado de emergência no estado de Washington e à avaliação contínua da empresa da propagação acelerada do coronavírus na região. Essas ações estão sendo tomadas para garantir o bem-estar dos funcionários, de suas famílias e da comunidade local e incluirão um desligamento ordenado consistente com os requisitos de seus clientes.

A Boeing planeja começar a reduzir a atividade de produção hoje e projeta que a suspensão dessas operações comece na quarta-feira, 25 de março, em locais na área de Puget Sound. A suspensão das operações de produção durará 14 dias, durante os quais a Boeing continuará monitorando as orientações e ações do governo no COVID-19 e seus impactos associados em todas as operações da empresa. Durante esse período, realizaremos atividades adicionais de limpeza profunda em locais afetados e estabeleceremos critérios rigorosos para o retorno ao trabalho.

“Esta etapa necessária protege nossos funcionários e as comunidades onde eles trabalham e vivem”, disse o presidente e CEO da Boeing, Dave Calhoun. “Continuamos a trabalhar em estreita colaboração com as autoridades de saúde pública e estamos em contato com nossos clientes, fornecedores e outras partes interessadas que são afetadas por essa suspensão temporária. Lamentamos a dificuldade que isso causará a eles, assim como a nossos funcionários, mas é vital manter a saúde e a segurança de todos aqueles que apoiam nossos produtos e serviços e ajudar nos esforços nacionais para combater a disseminação do COVID-19 “, acrescentou Calhoun.

Os funcionários da produção devem continuar se apresentando aos turnos designados hoje e receberão orientações sobre sua função no processo de desligamento da suspensão.

Os funcionários da área de Puget Sound que podem trabalhar em casa continuarão a fazê-lo. Aqueles que não puderem trabalhar remotamente receberão férias remuneradas pelos 10 dias úteis iniciais da suspensão – o dobro da política da empresa – que fornecerá cobertura para o período de suspensão de 14 dias corridos.

“Manteremos nossos funcionários, clientes e cadeia de suprimentos em mente enquanto continuamos a avaliar a situação em evolução”, afirmou Calhoun. “Este é um momento sem precedentes para organizações e comunidades em todo o mundo”.

Quando a suspensão acabar, a Boeing adotará uma abordagem ordenada para reiniciar a produção, com foco na segurança, qualidade e cumprimento dos compromissos do cliente. Este será um passo fundamental para permitir que o setor aeroespacial faça a ponte para a recuperação.

A Boeing está trabalhando para minimizar o impacto dessa suspensão na capacidade da empresa de oferecer e apoiar seus programas espaciais e de defesa e garantir a disponibilidade de nossos clientes de defesa para executar suas missões vitais. A Boeing trabalhará em estreita colaboração com esses clientes nos próximos dias para desenvolver planos que garantam que os clientes recebam suporte durante esse período. As operações críticas de distribuição em suporte a companhias aéreas, governo e clientes de manutenção, reparo e revisão (MRO) continuarão.

DIVULGAÇÃO: Boeing

Subscribe
Notify of
guest
5 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Antoniokings
Antoniokings
2 meses atrás

Às vezes, eu sinto pena da Boeing. SQN

nonato
nonato
2 meses atrás

Poderiam começar a fabricar respiradores artificiais, que estão em falta.
Estamos numa guerra.
Com frequência falo que a indústria ocidental é muito lenta.
Um respirador artificial é algo fácil de fazer.
Por que um fabricante do produto não passa o projeto e não começam a fazer em grandes quantidades?
Colocam dificuldade em tudo.
Estamos numa guerra.
Dar uma resposta a altura é trazer a economia de volta mais rápido.

Matheus Santiago
Matheus Santiago
Reply to  nonato
2 meses atrás

“Um respirador artificial é algo fácil de fazer.” É complexo e extremamente caro. “Por que um fabricante do produto não passa o projeto e não começam a fazer em grandes quantidades?” Por qual razão eles fariam isso? E como fariam isso? Você sabe como é redesenhar toda a planta produtiva de uma fábrica? Ou melhor, redesenhar e expandir? Acha que isso é barato? Como irão investir tais recursos para realocarem a produção? Para ter que aumentar a produção tem que haver necessariamente uma demanda crescente. Ela por acaso existe nos EUA? Se houver tal demanda, está havendo aumento dos preços… Read more »

Luciano
Luciano
2 meses atrás

Se é uma gripezinha, por que a Boeing parou a produção?? Se nao precisa de quarentena, por que o governo americano restringe voos e os governadores de lá recomendam quarentena? Por que Trump fala em distribuir mais de 500 bilhões de dólares como ajuda DIRETA aos trabalhadores e aqui fala em suspensão/corte de pagamentos? Trump deve ter virado esquerdista nas últimas semanas, né?

Clésio Luiz
Clésio Luiz
2 meses atrás

Essa crise na aviação comercial pode ser uma oportunidade para a FAB. É provável que muitas empresas irão diminuir suas frotas ou mesmo fechar as portas.

Isso deve inundar o mercado de aeronaves usadas, fazendo o preço cair consideravelmente. Aí ficaria mais fácil pegar os 2 Boeing 767 que estavam na mira da FAB. Quem sabe até aumentar a frota para 3 (a opção anterior) ou 4 aeronaves.