Home Aviação de Ataque Os dois primeiros F-5E do mundo voam na FAB

Os dois primeiros F-5E do mundo voam na FAB

11717
119
Northrop F-5E (Tail No. 11417). (U.S. Air Force photo)

O primeiro F-5E Tiger II construído pela Northrop voa com as cores da FAB. O F-5E de matrícula 11417 na USAF foi construído em 1972 e apresentado em junho daquele ano (foto acima) nas instalações de Hawthorne.

A aeronave seguiu para a Base Aérea de Edwards, onde realizou o seu primeiro voo no dia 11 de agosto, dando início ao programa de ensaios da aeronave.

Em 1988, a FAB adquiriu um lote de 22 caças F-5E usados da USAF (além de outos quatro F-5F). Estas aeronaves pertenciam aos esquadrões “Aggressors” baseados em Willians e Nellis.

As aeronaves estavam entre os F-5E mais antigos do mundo, sendo que 15 deles faziam parte do primeiro lote de 30 unidades produzido pela Northrop.

Um deles era exatamente o “1417”. No Brasil o “1417” recebeu a matrícula FAB 4856. Além dele, foi recebido também o segundo F-5E produzido pela Northrop (1418), matriculado como FAB 4857.

Northrop F-5E (Tail No. 11418). (U.S. Air Force photo)
O F-5E 11418 em voos de ensaio com casulo externo com canhão de 30mm e bombas LGB

Subscribe
Notify of
guest
119 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Jeferson
Jeferson
7 meses atrás

Não sei se isto é motivo de orgulho ou de preocupação com a situação atual da FAB, mas quando da desativação destas unidades, seu destino deve ser o MUSAL com certeza pelo fator histórico das aeronaves.

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
Reply to  Jeferson
7 meses atrás

Eu ia falar a mesma coisa!

Clibanário
Clibanário
Reply to  Jeferson
7 meses atrás

Idem. Adivinhou meus pensamentos!!!!

José Airton
José Airton
Reply to  Jeferson
7 meses atrás

Perfeita colocação amigo.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Jeferson
7 meses atrás

Caro Jeferson. Nem uma coisa nem outra. O F5M foi e continua sendo importante para a FAB. Principalmente porque o F5M e superior ao F5. Eu fico apreensivo sempre que falam de acidente com um F5 da FAB temendo perder o 01 ou o 02. Esoero que a FAB se lembre de levá-los para o Musal quando forem substituídos pelo F39

Altacyr Junior
Altacyr Junior
Reply to  Jeferson
7 meses atrás

Já tem um F-5 lá acho que talvez a FAB venda para um museu ou troque o que esta atualmente no Musal pelo primeiro F-5

Flanker
Flanker
Reply to  Altacyr Junior
7 meses atrás

No Musal tem um F-5B. Não sei se tem algum F-5E…..se tiver, é algum dos 8 ex-jordanianos, que não chegaram a voar pela FAB.

Tiago Silva
Tiago Silva
Reply to  Jeferson
7 meses atrás

Caro amigo tenho minhas dúvidas quanto ao destino destas unidades iniciais do F-5E, e com base em outras aeronaves de contextos relevantes como o AT-26 Xavante equipada para efetuar REVO que se não me engano (se estiver me corrijam por favor) tinha o serial 4600 e que poderia ter sido preservada algo que não ocorreu ao menos nas instalações do Musal.

Então fico menos otimista porque na terra brasilis as coisas acontecem de uma maneira onde a lógica deveria ser regra e não exceção.

Nicolas_RS
Nicolas_RS
Reply to  Jeferson
7 meses atrás

De muita preocupação e vergonha! Se voasse como treinador/alvo igual nos EUA que tem aviões de todas as épocas e países para treinamento é outros 500, mas voando como a ponta da espada para proteger uma país como o Brasil…

Eduardo Oliveira
Eduardo Oliveira
Reply to  Jeferson
4 meses atrás

Não viram o descaso do MUSAL com relação ao C47 da VARIG que foi demolido aí no RJ??? Pois é…

JuggerBR
JuggerBR
7 meses atrás

Que não terminem espetados em algum poste e sim em museus aéreos, devidamente preservados pela grande história que este avião teve e ainda têm nas forças aéreas mundo afora.

M65
M65
Reply to  JuggerBR
7 meses atrás

Tem um F-5 na Estrada do Galeão no Rio. É facilmente vísivel para quem sai do Aeroporto Internacional. Qual seria o nr ou mtr FAB dessa?

Leandro
Leandro
7 meses atrás

Não sinto orgulho nesta notícia, pelo fato de ainda ele ser o nosso principal avião de caça, já deveria estar preservado em um museu a muito tempo.

MOISES C OLIVEIRA
MOISES C OLIVEIRA
Reply to  Leandro
7 meses atrás

Esses caças são excelentes ainda hoje ainda fazem parte dos caças em atividades nos EUA, o problema deles e autonomia de vôo mas ainda fazem a defesa interna do país.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  MOISES C OLIVEIRA
7 meses atrás

Moises, o que escreveu não ficou bem claro. Não há, e nem nunca houve, aeronaves F-5 em alerta de defesa aérea nos EUA. Eram usados como aeronaves agressoras em treinamentos apenas. São boas aeronaves, mas limitadas em relação à alcance, carga útil e sensores.

Espero que um número adequado seja preservado em museus.

M65
M65
Reply to  Leandro Costa
7 meses atrás

Acho que foi na década de 80 (ou 90?) que dois F-5 tiveram que pousar de emergência em uma estrada brasileira. Felizmente com nenhum veículo, pessoas ou animais por perto, o pouso foi realizado sem problemas. Segundo noticiario foi pane seca e depois de decisão do Cmdo fotam revisados e abastecidos e decolocaram na mesma estrada ao invés de serem levados por caminhões como chegou a ser cogitado.

Lucianno
Lucianno
Reply to  MOISES C OLIVEIRA
7 meses atrás

O F-5 nunca fez a defesa aérea dos USA, nem na década de 60 quando entraram em atividade. Foi motivo de deboche na USAF que considerou que tinham a “capacidade de transportar uma caixa de fósforo através de um campo de beisebol”. São caças de treinamento somente na USAF.
O objetivo do F-5 era ser um caça barato destinado aos aliados de terceiro mundo dos USA.

Nicolas_RS
Nicolas_RS
Reply to  Lucianno
7 meses atrás

Então parece que está cumprindo seu papel no Brasil. kkkkkk

Marcelo Machado
Marcelo Machado
Reply to  Lucianno
7 meses atrás

F5 nunca foi caça de treinamento. Este é o T38. Os F5 foram os F16 dos anos 60. Feitos como low cost para as nações amigas. E muito pouco utilizados. Ao contrário do F16. Apenas no fim do Vietnã e dizem por imposições comerciais, para alavancar as vendas, e não por motivos militares.

Lucianno
Lucianno
Reply to  Marcelo Machado
7 meses atrás

Treinamento tipo “Aggressors”. Está escrito na reportagem acima.

Silvano
Silvano
Reply to  Leandro
7 meses atrás

O que é bom deve ser usado enquanto der. Quando vier algo para ocupar seu lugar, aí sim, devemos colocá-lo em lugar de repouso com destaque . Ambos os caças.

Nicolas_RS
Nicolas_RS
Reply to  Silvano
7 meses atrás

Não jovem, está sendo usado pq não tem dinheiro!

Vovozao
Vovozao
7 meses atrás

29/02/2020 – sabado, bdia, com quantos anos estaria hoje….mais de 50 anos……isso so vem mostrar o que todos nos brasileiros ja sabemos…….nao temos FFAA’s……todas…..isso mesmo…….EB, FAB e MB, so temos sucatas (grande maioria)……ainda incentivam envio de tropas para UCRANIA, SUDÃO , ate mesmo o SUDÃO (os mercenarios) estao mais bem armados do que nos. Enquanto o ministro GUEDES, gasta bilhoes de nossas reservas tentando manter o dolar abaixo de R$ 5,00; este dinheirama poderia ser gasto no reaparelhamento urgente das FFAA’s……..porem…..ninguem cobra….e…continuamos sem nada.

francisco
francisco
Reply to  Vovozao
7 meses atrás

Aparelhamento pra que? a elite brasileira, incluindo os militares, optou há muito tempo por manter o Brasil como uma mera colônia do império do momento (hoje USA, no futuro talvez China). Não há um projeto de potência para o nosso pais, portanto, não precisamos nem de forças armadas, basta manter a cabeça baixa e continuar agindo como o vira-latas de sempre.
Se for preciso entrar em guerra (para atender os interesses do pais suserano) os USA fornecem as armas e o Brasil os recrutas (como em 1945).

Agnelo
Agnelo
Reply to  francisco
7 meses atrás

Parabéns!!!!
Com poucas palavras, disse besteira pra cassete!!!

Andre
Andre
Reply to  Agnelo
7 meses atrás

Agnelo, e para piorar, mais gente entrou nessa onde. 16 anos de desgoverno levou muita gente ter opinião sem o mínimo de informação.

Eduardo
Eduardo
Reply to  francisco
7 meses atrás

Francisco, tu aperta o 13 e confirma.

Camargoer
Camargoer
Reply to  francisco
7 meses atrás

Olá Francisco. Acho que a ideia seria outra. O modelo usado no Brasil continua sendo o das “plantations”. Grandes fazendas de monocultura ou grandes projetos extrativistas, que exigem pouca tecnologia, pouco capital e que a riqueza ainda está na posse da terra, um modelo pre-industrial que necessita mão de obra barata, que não tem necessidade de um mercado interno. Nesse modelo, a classe média tem que ter o tamanho necessário para sustentar o Estado, que existe fundamentalmente para garantir a posse da terra. A riqueza está na extração mineral ou na colheita de enormes quantidades de grãos. Bens de consumo… Read more »

Luciano
Luciano
Reply to  Camargoer
7 meses atrás

Quando vamos nos libertar disso? Ainda mais agora com desindustrialização galopando, parece q hr dessas voltaremos mesmo a ter “homens bons”, guarda nacional e até “barões do café”, já q sonham forte com monarquia outra vez!

Jeff
Jeff
Reply to  Vovozao
7 meses atrás

Caro amigo vovozão, o Guedes tem que fazer o trabalho dele, cada macaco no seu galho. O que o Brasil precisa é de uma cultura de planejamento e de investimentos na área militar, não de médio ou de longo prazo, mas contínua. Até porque, como sabemos, aqui o longo prazo sempre foi só até a próxima mudança de governo..

DomSaf
DomSaf
Reply to  Jeff
7 meses atrás

Isso! Dando super aumentos aos oficiais, como o que ocorreu, mas as sucatas vao sendo remendadas.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Jeff
7 meses atrás

Olá Jeff. Creio que o foco seria outro. A indústria de Defesa está baseada em alta tecnogica, tanto na área de novos matérias quanto na área de inteligência artificial. Nenhuma empresa brasileira tem condições de sustentar um setor de pesquisas apenas com seus lucros, muito menos se for uma empresa de defesa. Como o mercado de armas seria basicamente governos, fica muito difícil para uma empresa brasileira depender do mercado externo para sobreviver. Esse impasse pode ser resolvido desde que o governo federal consiga subsidiar a pesquisa, seja por fundo perdido ou pelo sistema público de pós-graduação. Outra coisa necessária… Read more »

Luciano
Luciano
Reply to  Camargoer
7 meses atrás

Com bolsa de Dr de 1600? Quem vai desenvolver aqui?

Camargoer
Camargoer
Reply to  Luciano
7 meses atrás

Olá Luciano. Uma coisa de cada vez. A bolsa de mestrado e R$ 1500. A de doutorado e R$ 2200. A bolsa de pós-doutorado e de R$ 4100. Esses são os valores de hoje. Podemos discutir se esses valores são grandes ou pequenos ou se alguém faz doutorado pelo valor da bolsa ou pela carreira de cientista que começa depôs do doutorado.

Nelson Daher Junior
Nelson Daher Junior
Reply to  Camargoer
7 meses atrás

Teremos indústria de defesa forte quando realmente investimentos e pesquisas forem uma das prioridades em um projeto de nação desenvolvida, independente e soberana. Por outro lado as indústrias de defesa mais importantes do mundo não sobrevivem somente com encomendas dos seus países, tanto é que se trata de um mercado com poucos fabricantes e de forte concorrência. Senão produzirmos equipamentos de alta tecnologia para nossas forças armadas, outras nações não vão adquirir nossos produtos de defesa. É importante ter um produção contínua para viabilizar a nossa indústria de defesa, mas é importante que ela tenha capacidade de andar e progredir… Read more »

Pedro
Pedro
Reply to  Vovozao
7 meses atrás

Concordo até chegar na parte do Ministro isso mostra que vc não anda atento a política econômica que é justamente de câmbio alto para produtos brasileiros serem mais atrativos ele falou sobre isso bem explicado mas ficaram nas domésticas ..kkk paciência! Deve tá vendo sobre economia pela fonte errada!!! Inflação baixa e dolar flutuante é a política do Guedes.. em janeiro 42 bi de superávit tá no caminho certo!

Leonardo
Leonardo
Reply to  Pedro
7 meses atrás

Ao caminho do abismo…

Jeff
Jeff
Reply to  Pedro
7 meses atrás

Pedro, o que eu quero dizer é que o sucateamento das FAs não é nada recente. Não envolve um ministro com 1 ano de trabalho. Por isso me referi a política de planejamento e investimentos contínuos na área militar, independente do governo que esteja no poder e da sua visão sobre este segmento.

Emerson Gabriel
Emerson Gabriel
Reply to  Pedro
7 meses atrás

Pedro de onde você tirou 42 bi de superávit em um mês? Em 2019 foi de 46,6 bilhões no ano inteiro…

Camargoer
Camargoer
Reply to  Vovozao
7 meses atrás

Olá Vovozao. Uma coisa de cada vez. Acho errado dizer que as forças armadas brasileiras só tem sucata. No últimos anos foram adquiridos os Scorpenes, os F39, o KC390, o Guarani, Caracal, etc… Programas bilionários focados em material novo. Algum colega pode criticar esse ou aquele programa, mas as forças armadas tem material novo e velho sendo usado, aliás.como qualquer organização ou empresa. Até os EUA combinam material novo e antigo em seus arsenais. O Posto Ypiranga (PY) já seria outra história. O foco dele e o setor financeiro, que teve os maiores lucros da história em 2019. Apos um… Read more »

Emerson Gabriel
Emerson Gabriel
Reply to  Vovozao
7 meses atrás

Vovozão, não é assim que funciona. As reservas cambiais são controladas pelo banco central para garantir nossos com promissos externos; ele não pode ser gasto para reequipar as forças armadas. Se mais dólares forem gastos ( estou falando das reservas ) existe o risco do real desva\lorizar ainda mais e dai vai ficar mais caro para o orçamento de defesa, já que o MD vai precisar de mais reais para comprar dólar. Exemplo: se o Gripen no 2º lote custar 100 milhões de dólares cada, serão 450 milhões de reais, se o dólar for a 5,00 serão 500 milhões de… Read more »

Vovozao
Vovozao
Reply to  Emerson Gabriel
7 meses atrás

01/03/2020 – domingo, bdia. sr. E GABRIEL, sei que nossas reservas sao como um deposito previo do que precisamos/queremos/devemos comprar no exterior; indiferente a governos; fizemos uma boa reserva para um pais que no governo FHC, estava vendendo o almoco para comprar a janta. E, hoje corremos o mesmo risco, ja que o ministro da fazenda (responsavel pelo BC, ja que nao temos um BC independente) esta usando nossas reservas internacionais para manter o dolar em um ponto de equilibrio, ja que dolar caro maior ganho agricultura…..porém……maiores gastos compra produtos importados principalmente o trigo….encarece o pão; a gasolina (vendemos o… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  Vovozao
7 meses atrás

Olá Vovozao. Acho curioso o uso da palavra “equilíbrio”. Geralmente, o equilíbrio significa que seja qual for o sistema, ele permanecerá igual ao longo do tempo sem a necessidade de intervenção. Os sistemas que demandam uma interferência para permanecer estável está fora de equilibruo,. Um sistema fora do equilíbrio irá mudar de algum modo até encontrar um ponto de equilíbrio ou colapsar. No caso do câmbio, se o BC precisa intervir no mercado para segurar um valor então o sistema está fora de equilíbrio. Isso pode ser bom ou ruim. Não importa .

Sérgio Luís
Sérgio Luís
7 meses atrás

Minha nossa os Gripen tem que chegarem O quanto antes!!!

Carlos
Carlos
Reply to  Sérgio Luís
7 meses atrás

Esse ano no segundo semestre deve chegar o primeiro e no próximo ano começa às entregas
Só temos que compra mais um lote de 36 aeronaves 18 montado na Suécia e 18 no Brasil para aposentar os F-5 mais antigos com o restante dos Gripen sendo montado todos no Brasil…

Johnny
Johnny
Reply to  Carlos
7 meses atrás

Lembre-se que o amx também carecerá de uma aposentadoria e breve.

Elías
Elías
7 meses atrás

Sou fã de caças, e os meus preferidos são Phantom F4 e esse lindo F5, mas, em se tratando de Força Aérea já deu, quero vê-lo o F5 urgente no Mural dos Afonso.
Porque hoje, voar num F5 como já disse antes em outros comentários é igual a andar de tamanco numa rua de paralelepípedos ladeira a baixo (SIC).

Elías
Elías
7 meses atrás

Outra coisa, para complementar meu comentário anterior.
Se nossos pilotos são bons com um F5, imaginem eles com o Gripen, vamos torcer logo por sua vinda.

Jeff
Jeff
7 meses atrás

Aeronaves antigas, mas que no Brasil passaram por modernização e sempre muito bem manutenidas pela FAB. Quem acha que não são mais aeronaves letais, está muito enganado. Pro tipo de perigos atuais que o Brasil poderia enfrentar, dariam conta. Cumpriram e continuam cumprindo a sua função, até a chegada dos Gripen.
Não é por nada que continuam trabalhando na função de agressores em outros países.
.
Fosse em outras dezenas de países que operam o F-5, poderiam chamar de sucatas. No Brasil e na FAB, não.

Lucianno
Lucianno
Reply to  Jeff
7 meses atrás

Qual foi a ameça que o F-5 enfrentou? Escoltar o time do Flamengo campeão da Libertadores? Ou interceptar um Vulcan com problemas mecânicos em 1982?
Quando o Trump fez uma consulta informal sobre uma operação militar na Venezuela o Brasil borrou as calças e olha que a Venezuela só tem dois SU-30 em condições de voo.
O F-5 já era limitado na década de 50, em 2020 é uma piada de mal gosto.

Jeff
Jeff
Reply to  Lucianno
7 meses atrás

Luciano, o F5 é um jato que no Brasil foi modernizado e trabalha em conjunto com outras aeronaves e links dedicados.
E daí se o Brasil tivesse F16? Iriam ter enfrentado estas mesmas “ameaças” que você citou acima.
Procure mais dados além dos seus cartões de super trunfo.

Flanker
Flanker
Reply to  Lucianno
7 meses atrás

Se não enfrentou outras ameaças é porque essas não existiram. O F-5 que operamos é da década de 1970, tendo o primeiro exemplar voado em 1972 O projeto inicial, que resultou no T-38 e nos F-5A/B, teve seu primeiro voo como protótipo em 1956. Você insistentemente comete o erro de comparar os F-5 com caças de gerações mais modernas. E para que você acha que foram adquiridos os F-39? Se a FAB julgasse que o F-5 é suficiente, não teria comprado o caça sueco.

Nicolas_RS
Nicolas_RS
Reply to  Flanker
7 meses atrás

Flanker, a galera que é mais ‘patriota’ não sabe diferenciar o patriotismo para a realidade.

A cultura desse ramo, é defender tudo que o Brasil usa, se o EB começar a usar arietes, espadas e flechas, eXpecialistas vão achar desculpas e dizer o quanto são avançados e que poderia destruir um F-22/35… desligado, sem proteção, sem armamento, mas que poderiam, poderiam!

E grande parte dos culpados são os militares de ficarem repetindo que um F-5 pode bater de frente F-18, F-16, etc. Como teve um piloto que disse ai.

Nicolas_RS
Nicolas_RS
Reply to  Jeff
7 meses atrás

Faz tão bem seu serviço que faz 20 anos que a FAB quer substituir!…

Parece que o povo não sabe a diferença entre escolher operar um Museu voador ou nada.

Todos os outros países que são operadores é por falta de grana também e igualmente no Brasil, estão tentando substituir há anos! E isso inclui a Suíça!

Francisco Santos de Oliveira
Francisco Santos de Oliveira
7 meses atrás

Essa reportagem satisfaz 45 anos depois às intensões dos EUA. Vender esse avião para terceiro mundo como uma grande tecnologia. E aqui estamos cheios de orgulho por um Teco -teco de 45 anos. Ainda por cima, de segunda mão.

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Francisco Santos de Oliveira
7 meses atrás

Metade da frota foi comprada nova de fábrica, não de segunda mão.

Pablo
Pablo
Reply to  Francisco Santos de Oliveira
7 meses atrás

esse “teco – teco” ainda da muito caldo mundo a fora, inclusive na USAF!!!

PauloOsk
PauloOsk
Reply to  Pablo
7 meses atrás

O f5 nao voa mais na USAF como aggressor, mas na US navy como adversary.

rui mendes
rui mendes
Reply to  Pablo
7 meses atrás

Dá nada, em bvr então, nem quando era novíssimo.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Francisco Santos de Oliveira
7 meses atrás

Então se você é à favor de jogar dinheiro pela janela, o problema é seu. O fato é que por um preço bom, o F-5 foi não mais do que o suficiente durante o tempo em que esteve em serviço. Ao longe desses 45 anos, não houve tarefa que ele não pudesse cumprir. Se tivéssemos comprado um sistema de armas mais moderno, teríamos gasto bem mais dinheiro e teriam feito exatamente o mesmo serviço. Agora, com o nível de ameaças sendo maior e com a obsolescência do tipo, finalmente esse avião terá um substituto, trazendo novas capacidades bem como mantendo… Read more »

Castro
Castro
Reply to  Leandro Costa
7 meses atrás

A aquisição de um meio aéreo que se mantém operacional por 45 anos é um feito e tanto para a FAB.
O mesmo não se pode dizer do EB, que comprou LeoA1 que durou menos que 5 anos. O mesmo caminho vai o Léo 1A5 e Guepard

Lucianno
Lucianno
Reply to  Leandro Costa
7 meses atrás

Cumpriu seu papel escoltando bravamente o time do Flamengo campeão da Libertadores!

Flanker
Flanker
Reply to  Lucianno
7 meses atrás

Com esse comentario você mostra toda sua ignorância sobre a historia e utilização dessa aeronave dentro da FAB! Comentário mais rado, impossível!

Especialista
Especialista
7 meses atrás

Estamos esperando os F 18 para a Marinha do Brasil

Pablo
Pablo
Reply to  Especialista
7 meses atrás

Que Deus não te ouça, “especialista”.

Grozelha Vitaminada Milani
Grozelha Vitaminada Milani
Reply to  Especialista
7 meses atrás

Espere deitado para não se cansar.

Essa vibe é muito loka … kkkkk

Que viagem … maresia, sente a maresiiiia brother.

Gustavo
Gustavo
7 meses atrás

lembrando que o 4856 foi modernizado e, se não me engano, ainda está em Canoas.

Joe Leite
Joe Leite
7 meses atrás

Belíssima aeronave. Ainda dá um caldo no nosso cenário. Ver um Mike numa passagem rasante ainda impressiona.
Tudo tem seu tempo, o tempo dos F5’s na Fab está chegando ao fim, cumpriu com êxito o seu dever. Em breve teremos os F 39 e iremos para um outro patamar, sem dúvida. Agora, no momento, é o que temos, e é preciso ter respeito pelas capacidades e pela história dessa icônica aeronave.

Pablo
Pablo
7 meses atrás

Sou muito fã desse caça, vai deixar muita saudade quando se aposentar! O F-5 nos presta excelentes serviços!!

João Luis Sebben
João Luis Sebben
7 meses atrás

Depois de ler tantos comentários pejorativos sobre a matéria só me resta fazer um comentário:
Parabéns Força Aérea Brasileira pela excelência em manutenção e cuidado com o material que lhe é permitido operar, um avião cinquentenário e ainda funcional.
Tenho certeza que a FAB, se lhe fosse permitido, lembrem do FX-1, já teria trocado seu caça a pelo menos 20 anos.

rui mendes
rui mendes
Reply to  João Luis Sebben
7 meses atrás

Assim é que é falar, excelente comentário, e parabéns à FAB pela excelente manutenção feita ao caça F5.

Lucianno
Lucianno
Reply to  João Luis Sebben
7 meses atrás

Sim a culpa não é da FAB, mas dos políticos em Brasília.

Sergio
Sergio
7 meses atrás

Isto sim, é um EXEMPLO de um projeto muito bem feito e muito bem elaborado. Ainda vai voar durante muuuiiitos anos e em várias forças aéreas do mundo…..
Enquanto isto… lá nos quintais da Lockheed…..

Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  Sergio
7 meses atrás

Não cabem mais encomendas?

Carlos alberto P
Carlos alberto P
7 meses atrás

Alguns vêem o copo meio vazio. Quando olho o Brasil no contexto da América Latina, vejo isso com o viés do copo meio cheio. Somos um País que apesar dos seus problemas, temos FAs estruturadas, profissionais e que conseguem manter seus equipamentos em bom estado. Não se compra equipamentos sem linha de logística, infraestrutura de manutenção e treinamento. A maioria dos países compram na prateleira e só, usam atá a primeira pane……etc e tal…

2Hard4U
2Hard4U
7 meses atrás

Realmente não tem nada de positivo em operar meios bélicos com mais de quarenta anos de idade, seja na terra, no mar ou no ar.

marcus
marcus
Reply to  2Hard4U
7 meses atrás

Isso só é descoberto em combate. Um porta-aviões americano, mais as escoltas acabam com as forças armadas brasileiras num piscar de olhos. Nem defesa anti-aérea temos. Para brincar de forças armadas o que se tem no Brasil hoje está ótimo. O importante é não faltar lagosta, champanhe e Whisky 12 anos.

Jmgboston
Jmgboston
7 meses atrás

Se o brasileiro gostasse de visitar museus o Musal seria o ótimo destino desse museu voador mas pelo que ouvi dizer estão fazendo até baile funk no Musal. Melhor seria doar o primeiro F5 para o Smithsoniam Museum em Washington. Ao menos teriamos certeza que essa aeronave seria visitadar e estaria bem cuidada.

Jeff
Jeff
Reply to  Jmgboston
7 meses atrás

Pior que sou obrigado a concordar… O primeiro F-5 é histórico.

Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  Jmgboston
7 meses atrás

Me corta o coração!

Camargoer
Camargoer
Reply to  Jmgboston
7 meses atrás

Caro J. O Musal e apenas um dia museus legais para ir todo ano. O MASP e gratuito toda terça-feira, então já fica a dica para quem visitar a cidade. Quando tinha o museu da TAM ia umas duas vezes por ano lá…Peiropolis perto de Uberaba tem um lindo museu de fósseis.. inclusivo estive lá ontem a tarde com minha filha e sobrinha. Atrás do museu do Ipiranga (nada a ver com o posto) tem o museu de zoologia da USP. A cidade do Rio tem muitos museus…eu ia sugerir o Musel Nacional para quem quisesse ver múmias egípcias de… Read more »

Jmgboston
Jmgboston
Reply to  Camargoer
7 meses atrás

Verdade Camargoer. No Brasil ha alguns bons museus mas faltam visitantes e doadores. En maio nas minhas férias pretendo ir ao Museu do Santos Dumont. Mas se o corona virus não deixar vou mudar meus planos para o Pima Musem no Arizona. Falando em meteorito vi um no museu de história natural em New York quase do tamando de um fusca. Tambem ha em no Museum of Science em Cambridge em Massachussets do tamando de pouco maior que um carrinho de mão, para vc ter uma referência de escala.

Jmgboston
Jmgboston
7 meses atrás

Complementando, eu ja vi um caça da forçs aéria italiano no Uss Inteprid, em NY. Tambem poderia ser um bom destino a esse F5, sendo exposto em New York, bem cuidado e nas cores da FAB.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Jmgboston
7 meses atrás

Grandes coisa… também já vi caça italiano no MUSAL hehehehe

Jmgboston
Jmgboston
Reply to  Leandro Costa
7 meses atrás

Leandro, existe uma enorme diferença entre estar no Musal ou em New York City, mais precisamente em Manhattam ao lado de um Ônibus espacial, um Concord entre outros e sendo visto por milhares de turistas do mundo todo com as cores de nossa FAB.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Jmgboston
7 meses atrás

Se é por uma questão de visibilidade, ou mesmo de exemplo histórico, ao invés do primeiro F-5E ser exposto nas cores da FAB, seria melhor um P-47D nas cores da FAB. Há pouca gente que sabe que o Brasil mandou tropas para o MTO e lutou lado a lado com americanos durante a Guerra. O único país sul-americano à fazer isso. Já um F-5E, nas cores originais em que foi recebido, mal atraíria atenção, na camuflagem SEA poderia ser uma aeronave americana, sul-vietnamita, etc. O F-5 fez história para o povo Brasileiro. Lá nos EUA o F-5 fez história para… Read more »

FRANCISCO CHAO DE LA TORRE
FRANCISCO CHAO DE LA TORRE
7 meses atrás

Parabéns, Northrop, pela excelência do projeto.
Parabéns, FAB, por manter o F-5E voando, com eficiência à altura das nossas necessidades estratégicas e operacionais.
Ao contrário do que parecem crer alguns foristas, o cenário estratégico não é um jogo de Super Trunfo.
Parabéns, F-5E, porque, contra fatos, não há argumentos, seu sucesso é incontestável.
Poucas, muito poucas aeronaves militares, têm uma folha de serviços quer na FAB, quer em outras forças aéreas, como a sua.

Jeff
Jeff
Reply to  FRANCISCO CHAO DE LA TORRE
7 meses atrás

E, se o Gripen tiver as mesmas qualidades de fabricação e avanços tecnológicos que foi o F-5 em sua época, estaremos muito bem servidos. Projetado para ser eficiente com baixo custo de manutenção e operação, cumpriu com louvor.

Grozelha Vitaminada Milani
Grozelha Vitaminada Milani
Reply to  Jeff
7 meses atrás

F-39 voando em 2070 … 50 anos de Gripen … haja coração.

Espero estar VIVO pra ver isso!

Kkkkk kkkkk.

Jeff
Jeff
7 meses atrás

Lendo e comentando a matéria, estou aqui lembrando minha época de EB na artilharia antiaérea, onde fizemos alguns treinamentos com a basm e Canoas. Aqueles canhões Oerlikon não foram páreos pros bicudos na época – 1987 – os pilotos enganavam as CDTs dos conjuntos de canhões voando rasante, facinho facinho, só dava pra ouvir o estouro da barreira do som quando ele já tinha passado e a gente lá já estava tudo “morto”. Três conjuntos de radares que pra época não eram ruins, mas não ganhamos nenhuma deles. De lembrança nos mandavam as fotos da nossa área, mostrando todos os… Read more »

Luiz Floriano Alves
Luiz Floriano Alves
Reply to  Jeff
7 meses atrás

Esse F-5 nasceu do Talon T38. Ainda é sua especialidade, a formação de pilotos de jato supersônico. Se preservarmos os bi postos teremos bons treinadores por mais alguns anos.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Luiz Floriano Alves
7 meses atrás

Na verdade, tanto F-5 quanto T-38 nasceram do N-156.

Grozelha Vitaminada Milani
Grozelha Vitaminada Milani
Reply to  Leandro Costa
7 meses atrás

Porque o F-5 tem gancho?

Camargoer
Camargoer
Reply to  Grozelha Vitaminada Milani
7 meses atrás

Olá Grizelha. Apenas especulando, mas pode ser para fazer pousos em pistas curtas. Daí coloca os cabos para ele se prender. Lembro do F5 usando paraquedas como freios… Acho que ele precisa de muita pista para pousar .. mas isso foi apenas chutologia.

Flanker
Flanker
Reply to  Grozelha Vitaminada Milani
7 meses atrás

Para pousos de emergência em pistas que contem com cabos de parada.

EdcarlosPrudente
EdcarlosPrudente
7 meses atrás

Se não virar panela, ou qualquer outro utensílio de cozinha, deveria ser restaurado ao estado mais original possível e posto em um museu, aqui ou nos EUA.

Saudações!

Carlos Eduardo Broglio Gasperin
Carlos Eduardo Broglio Gasperin
7 meses atrás

Vêndo por esse prisma, aqueles F-18 sobrados dos EUA cairiam bem aqui… Voariam até 2055…Brincadeira pessoal. Abs

Wagner
Wagner
7 meses atrás

Pena que daqui a pouco vão ser dizimados por uma retro escavadeira…!

Jonathan Pôrto
Jonathan Pôrto
7 meses atrás

me mata de VERGONHA !!

Delfim
Delfim
7 meses atrás

Me parece não falta de planejamento, mas de $$$, o que não atinge a FAB pois esta depende do orçamento aprovado pelo GF.

Grozelha Vitaminada Milani
Grozelha Vitaminada Milani
Reply to  Delfim
7 meses atrás

NÂO Roberto, não.

Quando falta $$$$ não tem como fazer planejamento. Isso chama-se SONHO! Um sonho BOM!!

Delfim
Delfim
7 meses atrás

O 4856 vale mais do que se imagina. Muitos museus e colecionadores pagariam mais que seu valor como F-5 de “tabela fipe”, único senão as alterações feitas no upgrade para F-5M, que descaracterizam sua originalidade e depreciam seu valor colecionável.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
7 meses atrás

Um projeto espetacular, lembro a primeira vez que o meu Pai viu um F-5 a voar, ele não acreditava que “aquilo” havia sido pensado na década de 50 do século passado.

Zorann
Zorann
7 meses atrás

Eu não acho que depreciativo termos os primeiros F-5E produzidos ainda voando. Sinal que o projeto é bom; de que sabemos manter a aeronave; de que a modernização feita no Brasil foi muito bem pensada.

Há anos atrás, eu imaginava que os A-1 voariam uns 10 anos a mais do que os F-5 na FAB. Mas pelo que parece, acho mais fácil os F-5 aposentarem os A-1, e continuarem voando aqui ainda por um bom tempo.

Grozelha Vitaminada Milani
Grozelha Vitaminada Milani
7 meses atrás

Pergunta aos “especialistas e críticos” dos 50 anos do F-5 na FAB:

Porque os Mirages, seja o III ou o 2000 tiveram vida curta?

Porque não chegar a algo próximo a longevidade do F-5?

Camargoer
Camargoer
Reply to  Grozelha Vitaminada Milani
7 meses atrás

Ola Groselha. Vou dar um pitaco mas seria apenas especulação minha. A FAB tinha mais células de F5E que Mirage, então um programa de modernização dos F5 teria maior impacto do que modernizar 12 Mirage. Desde o FX a FAB planejou usar os novos caças no GDA no lugar dos Mirage, então não fazia sentido moderniza-los se seriam trocados antes do F5. Os Mirage IIi estavam sem radar e talvez nem conseguissem fazer defesa aérea com alguma eficácia. O mesmo aconteceu com o M2000. Ou ele teria que ser revisado para voar mais 10 anos, no GDA o que iria… Read more »

Lucianno
Lucianno
Reply to  Grozelha Vitaminada Milani
7 meses atrás

Todos os países que compraram Mirage 2000 novos continuam operando o caça, somente a FAB não quis continuar operando porque sendo uma força aérea “pires na mão”, não tinha condições de manter um caça sofisticado de 4ª geração, qualidade custa caro mesmo. Preferiu ficar somente com o jurássico F-5 porque era barato de manter.

Tutu
Reply to  Lucianno
7 meses atrás

Os nossos M-2000 eram tudo, menos novos.

Flanker
Flanker
Reply to  Lucianno
7 meses atrás

Os M2000 voaram além do que era planejado quando foram adquiridos. E fazer uma inspeção nível parque, que era o que eles precisavam para continuar voando, seria caro e manteria-os com os mesmos radares e sensores.(inferiores aos do F-5). Para atualizá-los, precisariam de modernização, com troca de radar, RWR, glass cockpit, etc….e aí sim, ficaria muuuuito caro. Custo/benefício não valia a pena, para 12 células apenas. O custo pata modernizar 1 M2000 daria para modernizar 3 ou 4 F-5. E os nossos M2000 nunca foram aviões de 4a geração. Quando muito, 3,5 G. Mirage 4 G eram os M2000-5 em… Read more »

Kemen
Kemen
7 meses atrás

Tem pilotos que já faleceram de velhice que pilotaram esse F-5, as pessoas se vão e o caça permanece porque ainda não tem caça substituto. O F-5 E jé teve uma gloriosa época e ainda serve em alguns paises além do nosso, mas na realidade para treinamentos ou na reserva. Poderia uma dessas gloriosas aeronaves estar exposta em um museo ou até após a chegada dos Gripen, os F-5 BR mais conservados poderiam ficar na reserva da FAB, até termos mais caças do que apenas 36.

ADRIANO BACCHI
ADRIANO BACCHI
7 meses atrás

no meu humilde ponto de vista, essa informação é mais uma vergonha do que qualquer outra coisa.

Paulo Roberto Martins Serra
Paulo Roberto Martins Serra
7 meses atrás

Não faz sentido falar em sucateamento agora que os programas Gripen e C390 estão em fase final. A FAB merece o maior respeito por manter esses F5 em condições de operação e está em vias de mudar de patamar com os F39. Parabéns aos responsáveis pela manutenção, logística e operação.

Halley
Halley
7 meses atrás

Parece que a USAF e o B-52 não concordam com vc

Plinio Jr
Plinio Jr
7 meses atrás

o F-5 é um vetor de grande sucesso na história aeronáutica, sendo utilizado por vários países, inclusive o Brasil, não tenho nada contra o vetor, muito pelo contrário, o fato de estar há 45 anos operacional não é culpa dele e sim dos governos que nunca se importaram em seu sucessor e a aquisição de um vetor mais capaz e moderno….algo que finalmente ocorrerá com a entrada operacional do Gripen….alias, outro lote tem que ser adquirido caso contrário, teremos F-5s operacionais na FAB por mais de 50 anos….

MFB
MFB
Reply to  Plinio Jr
7 meses atrás

Seu parâmetro pra sucesso é bem peculiar.

Plinio Jr
Plinio Jr
Reply to  MFB
7 meses atrás

Pela quantidade de usuários, não deixa de ser um sucesso

Alexandre
Alexandre
7 meses atrás

Uou…mas,cumpriram bem sua função.
Que tenha um bom descanso quando chegarem os gripens

Nicolas_RS
Nicolas_RS
7 meses atrás

Não sei pq, mas não estou surpreso.