Home Noticiário Internacional Morre projetista-chefe do Su-34

Morre projetista-chefe do Su-34

4035
34

O projetista-chefe do projeto do caça-bombardeiro Su-34 faleceu nesta quinta-feira (27/2) aos 84 anos de vida, segundo fontes da agência de notícias russa TASS. Rolland Gurgenovich Martirosov trabalhou no Bureau de Projetos Sukhoi desde 1959. Dentre outros projetos, ele participou dos programas das aeronaves Su-7BKL, Su-15, Su-24 e Su-27.

Em 1991, Martirosov liderou o a equipe de desenvolvimento do caça-bombardeiro Su-34. Foi sob sua liderança que as principais soluções técnicas foram implementadas, graças às quais a aeronave não apenas atendeu a todos os requisitos das forças armadas russas, mas também estabeleceu sete recordes mundiais.

Em 2016, Rolland Martirosov recebeu a Ordem de Alexander Nevsky e, em 2017, recebeu o título de Herói do Trabalho.

Subscribe
Notify of
guest
34 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Brunow
4 meses atrás

É, devagar vai morrendo os grandes homens Russos, mês passado foi o projetista do Tu-160…

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Brunow
4 meses atrás

Na verdade estão indo embora todos os grandes. Geração que inovava, metia a mão e testava na prática. A geração atual e mais integração de produtos acabados e simulações de computador.
Evolução.

nonato
nonato
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
4 meses atrás

Como costumo falar, hoje em dia é tudo mais fácil do que era há 50 anos (imagine a trabalheira para fazer o SR 71 na década de 1960), e o pessoal ainda fica colocando dificuldades.
10, 15 anos para desenvolver um avião.
Veja o caso do gripen ng, uma mera evolução do gripen C.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  nonato
4 meses atrás

Para variar, até concordo consigo nonato.
No passado, projectos de desenvolvimento custavam menos e entregavam uma aeronave funcional. Hoje, não ah programa que não fure orçamentos, entregando por vezes um equipamento incompleto e/ou fora do prazo estabelecido.
Por outro lado, o contexto do mundo actual também é diferente.

Leandro Assis
Leandro Assis
Reply to  nonato
4 meses atrás

Desculpe Nonato, concordo com quase tudo o que falou mas de modo algum concordo com a afirmação de que o Gripen NG é uma simples evolução do Gripen em versões anteriores. O Gripen E/F evoluiu muito ficando apenas parecido com os outros, não digo idêntico pois está ligeiramente maior por carregar mais combustível. A suite eletrônica mudou completamente, a aviônica e o cockipit, o radar, os sensores e equipamentos de guerra eletrônica e até o motor. Eu vi pessoas arriscando em afirmar que a mudança entre as versões do gripen para o NG é maior que a mudança do F/A-18… Read more »

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Leandro Assis
4 meses atrás

Leandro, maior ou menor, o Gripen NG é de facto uma versão mais moderna que a anterior. Repare, pouca ou nenhuma plataforma deixou de passar pelo mesmo. O melhor exemplo é o F16, cujas modernizaçoes e versões parecem mesmo ser infinitas após tantos anos de produção e em tamanha quantidade. Só dentro do chamado F16A, temos 6 evoluções e, apenas contando com estas, também já poderíamos dizer que, no seu devido tempo, o F16 A Block 15 OCU já era “uma aeronave completamente diferente”, que, tal como o Gripen NG hoje, também recebeu, e vou citar o senhor, se me… Read more »

Clésio Luiz
Clésio Luiz
4 meses atrás

Interessante notar que até a década de 1980, MiG era sinônimo de caça soviético/russo. Em conflitos qualquer caça soviético era um “MiG”, mesmo se fosse um Sukhoi.

Mas na década de 1970 o bureou Sukhoi simplesmente atropelou a Mikoyan-Gurevich. Os Su-24, 35 e 27 se transformaram na espinha dorsal da força aérea russa. Hoje a rival praticamente está lutando para sobreviver, enquanto a Sukhoi possui praticamente um monopólio na exportação de aeronaves de combate de origem Russa.

MBP77
MBP77
Reply to  Clésio Luiz
4 meses atrás

Clésio, creio que o grande divisor de águas para o bureau Sukhoi foi o Su-24 Fencer, concorda?
Dali em diante, especialmente com a família Su-27 e suas variantes, colocou a MIG no papel de uma quase coadjuvante.
Sds.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  MBP77
4 meses atrás

MBP77 talvez não. A Sukhoi já era um bureou de prestígio em projeto de aeronaves supersônicas, apenas não tinha o volume de produção da Mikoyan. Do ponto de vista ocidental, o Su-24 e Su-25 eram copias pioradas do F-111 e A-10, respectivamente. Pessoalmente as acho muito competentes. Mas o Su-27 foi algo que, pelo menos para mim, simplesmente virou a mesa do jogo. Caças europeus no final da Segunda Guerra já estavam ficando para trás dos americanos em todos os quesitos. Caças soviéticos eram considerados aeronave leves descartáveis. Após o surgimento do F-15, a USAF batia no peito para dizer… Read more »

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Clésio Luiz
4 meses atrás

Além de tudo isso foi primeiro a fazer a Cobra

Ilan
Ilan
Reply to  Guilherme Poggio
4 meses atrás

É verdade, Guilherme Poggio. Bem colocado.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Guilherme Poggio
4 meses atrás

Esqueceu do MiG-25 e principalmente do MiG-31. O Su-27 entrega mais que o MiG-29 pelo fato de ser maior, um caça pesado. Da mesma maneira o F-15 entrega mais que o F-16. Porém devido ao alto custo dos caças ocidentais, a maioria dos países optaram pelo F-16 que se tornou o maior sucesso de vendas. No caso dos caças russos, após o fim da URSS a Rússia teve que reduzir o número de caças e por ser o maior país do mundo em extensão territorial, preferiu caças pesados como os Su-27 e suas variações Su-30, Su-35, Su-34… Como os caças… Read more »

pangloss
pangloss
Reply to  Clésio Luiz
4 meses atrás

Talvez essa mudança de status entre os bureaus MiG e Sukhoi tenha relação com as mudanças políticas havidas a partir da dissolução da URSS.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  pangloss
4 meses atrás

Acho que não. Embora o MiG-29 e MiG-31 estivessem já na mira dos observadores ocidentais, a Sukhoi já estava ficando cada vez mais relevante no final dos anos 70.

FERNANDO
FERNANDO
4 meses atrás

Pena, mas, é um baita avion.
Nem vou comentar.
Mas, qual o estrago que faria uns destes na FAB??

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  FERNANDO
4 meses atrás

muito, dois motores que consumiriam muita peça e combustível

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
4 meses atrás

O Su-34 deveria ser incorporado às nossas forças armadas, me parece ser um vetor impressionante de ataque, pela sua capacidade de carga superior. Põe uma eletrônica top de linha, junta com brahmos ou algum outro míssil de cruzeiro de longo alcance, e teríamos disparada a melhor força de ataque da América do Sul.

Quem discordar é clubista….

Ilan
Ilan
Reply to  Defensor da liberdade
4 meses atrás

Eu penso assim também, Defensor da Liberdade. Para a nossa aviação naval caberia como uma luva, sem Carrier é claro. O Fullback patrulhando a nossa costa seria a excelência.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Defensor da liberdade
4 meses atrás

O Su-34 é uma aeronave fantástica e isso é totalmente inegável. Suas capacidades são incríveis e seu potencial como aeronave de interdição naval é também. Mas eu não acho que deveriam ser incorporados às nossas FFAA. Só por eu achar que alguma aeronave é incrível, não significa que incorporá-la seja uma boa idéia. Temos que incorporar o que podemos operar e manter e certamente não podemos manter um Su-34. Assim como não podemos manter um F-15, nem provavelmente um Super Hornet, nem muito menos um Su-35, MiG-35, F-35, etc. Vamos poder manter os Gripen ele já está de bom tamanho.… Read more »

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Leandro Costa
4 meses atrás

Olha eu desconheço outro pais que não seja RF operador desse vetor, não sei se eles estariam disposto a vender esse caça.

TJLopes
TJLopes
Reply to  Defensor da liberdade
4 meses atrás

A dupla Gripen E/F + RBS-15 já faria isso com maestria.

pangloss
pangloss
4 meses atrás

Eu fico impressionado com as modificações efetuadas no Su-27, para dar o resultado que vemos no Su-34.

Gustavo
Gustavo
4 meses atrás

Pois é… esse fez um grande trabalho. Descanse em paz.

JuggerBR
JuggerBR
4 meses atrás

Ele morre e o avião seguirá um bom tempo na ativa.
Capaz de toda a equipe de desenvolvimento do B-52 já ter morrido e o bombardeiro segue na ativa, isso sim pode se chamar de legado duradouro.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Guilherme Poggio
4 meses atrás

o ultimo B-52 saiu da linha de producao em 1962…entao eh certeza que todos os seus pilotos nasceram depois !

nonato
nonato
Reply to  Guilherme Poggio
4 meses atrás

Se o avião é tão bom, não entendo porque não fabricam mais?
0 km?
Complicado ficar voando aviões fabricados há 60 anos.
É espero que não digam que o ferramental (seja lá o que isso signifique) se perperdeu ou enferrujou.

JuggerBR
JuggerBR
Reply to  JuggerBR
4 meses atrás

O que eu tenho certeza no meu caso (1977) é o CBA-123…

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  JuggerBR
4 meses atrás

Mas esse nunca entrou em serviço.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
4 meses atrás

Um projeto de sucesso, qual força aérea não ficaria feliz em ter um esquadrão desse.

MFB
MFB
Reply to  Nilton L Junior
4 meses atrás

Só a russa, pois o pós venda…..

Raduga
Raduga
4 meses atrás

MiG E Sukhoi estão integradas em um mesmo conglomerado do complexo industrial-militar russo, no caso a Rostec, que inclui mais de 700 empresas.

Leandro Assis
Leandro Assis
4 meses atrás

Boa noite amigos, desculpem a falta de conhecimento, mas alguém poderia me informar quais são os sete recordes mundiais que o SU-34 Fullback estabeleceu? Eu não achei na internet e gostaria muito de saber, desde já, muito obrigado