Home Aviação Comercial 737 MAX: Boeing encontra detritos em tanques de combustível das asas

737 MAX: Boeing encontra detritos em tanques de combustível das asas

2713
40

Na mais recente de uma série de problemas de controle de qualidade, a Boeing descobriu detritos que os mecânicos deixaram dentro dos tanques de combustível da asa de vários 737 MAXs não entregues durante o processo de montagem da aeronave.

A Boeing ordenou inspeções de todos os MAX não entregues, dos quais cerca de 400 estão armazenados em vários locais.

Com relação aos 385 MAX adicionais que foram entregues aos clientes, mas estão “groundeados” por quase um ano e estacionados em aeroportos de todo o mundo, o porta-voz da empresa, Bernard Choi, disse que a Boeing está recomendando inspeções para os aviões que estão em armazenamento há mais de um ano. “Ainda não foi decidido se vamos inspecionar o resto” da frota MAX entregue, acrescentou. “Obviamente, faremos o que é certo pela segurança”.

Mark Jenks, vice-presidente e gerente geral do programa 737 e sua linha de montagem de Renton, enviou uma mensagem para todos os funcionários que trabalham no 737 na terça-feira, descrevendo uma série de ações para lidar com o problema do que é referido no setor de aviação como “Foreign Object Debris” ou FOD.

“O FOD é absolutamente inaceitável”, disse sua mensagem. “Precisamos de toda a nossa equipe para fazer disso uma prioridade.”

O porta-voz da Boeing, Chaz Bickers, disse que, embora a Boeing agora deva inspecionar todos os MAX armazenados em busca de detritos semelhantes, “não achamos que isso mude nosso cronograma para o retorno do MAX ao serviço” até o meio do verão.

FONTE: The Seattle Times

40 COMMENTS

  1. Que coisa.
    Este projeto coleciona uma sucessão de problemas, alguns bem graves.
    Mas detritos no tanque, vindos da fábrica…
    Algo aconteceu no processo de controle de qualidade da Boeing, e estas notícias só estão massacrando a imagem da empresa.
    Fora o prejuízo.
    Triste.

    • Surgiu uma reportagem alguns meses atrás de que a culpa da queda da Boeing, seria de executivos herdados da compra da McDonnel Douglas. Numa tentativa de “modernizar” a administração da empresa e obviamente aumentar lucros, cortes de custos foram implementados por todo lado. O resultado está aí.

      E diga-se de passagem, esses problema de controle de qualidade não estão limitados às aeronaves civis. A linha de produção do F-15 e F-18 também foram atingidas por sérios problemas de qualidade. Graças a Deus que o SH não levou o F-X2 e nos livrou daquela bomba.

      • Estão usando isso como desculpa. A realidade é que tudo que hoje é produzido no mundo tem um controle de qualidade inferior e esta mais suscetível a problemas. Se olharmos para os carros, notem que montadoras que jamais tiveram problemas, ou que eram poucos, hj colecionam problemas em projetos ou de qualidade (BMW, VW, Toyota e MB, isso é para vcs!). Isso esta muito ligado a busca incessável e também necessidade reinante no mundo atual por balanços de resultados, que virou a demanda numero 1 das empresas. Hoje nao se produz produtos para venda e sim se produz balanços para vendas de ações (como dar liquidez ao caixa se para investimentos os bancos não emprestam mais? Ou vc não investe, que é suicídio, ou vc busca por outro meio $ para esses investimentos). O produto, o negocio em si ficou em segundo plano.

        • Isso tem muito que ver com os novos “donos” dessas empresas, eu já falei aqui, são esses fundos que ninguém sabe quem são os donos, que cobram lucros trimestrais absurdos e fora da realidade, o foco das empresas agora são cortes de custos e alta produtividade. O cuidado com a qualidade do produto foi posto como uma prioridade secundaria, o importante para os gerentes e trabalhadores é bater a meta trimestral, seja ela produtiva seja ela econômica, vi uma vez um repórter perguntando ao Elon Musk se ele não colocaria a Spacex na bolsa, ele disse de jeito nenhum, se tivesse pensando nisso a Spacex seria destruída antes mesmo de decolar e jamais teríamos esses resultados que estamos tendo, jamais chegaria aonde chegamos, pelo visto o Elon aprendeu bem com tudo que aconteceu com a tesla, fez muito bem ele, que a Spacex continue uma empresa de capital fechado, sem nenhum acionista sem rosto enchendo o saco e perguntando pq a empresa não lucrou o suficiente naquele trimestre

        • No final dos anos 80,criou-se uma mística onde cada funcionário de empresa deveria gerar “x” Us$ de acordo com o ramo de negócio que estava envolvida. Isso veio de uma tese japonesa de eficiência e eficácia, tanto vendida aos 4 ventos e abraçada globalmente. Em cima disso as empresas começaram a fazer um rapa no pessoal indireto, automações sobre os diretos e racionalizações nos processos e procedimentos produtivos. Foram em busca da Qualidade Total e fornecimentos garantidos diretos nos abastecimentos das linhas. Uma das causas desse processo foi a redução e a eliminação do Controle de Qualidade dos recebimentos dos insumos. Próximo passo foi a entrada dos chineses nos fornecimentos sem nesse inicio qualidade alguma, que ganhou-se a “alcunha” xing ling. Aí, globalmente falando, quem tinha algum respeito a qualidade e nome “chutou-se o balde”. Quem tentou ficar “célere” no mercado, dançou e, nós ficamos com o risco integral.
          Vide o caso da cervejaria Backer, se tivessem um Controle de Qualidade na entrada, analises teriam identificado a mistura do dietileno, no monoetileno, vindo do fornecedor como alegam e se tivessem um Controle de Qualidade na saída da produção, o inspetor “químico” teria identificado o “samba do afro-descendente doido” – fica mais contundente, não fica?- que deixou riscos por conta da saúde publica.
          E assim, a tudo anda, mais isso agora a respeito dos investidores e seus retornos financeiros. A que custo?

        • Pedro, isso e relativo, pois antigamente saia produtos com qualidade duvidosa, fabricava se e não se preocupava com o pós venda, hoje não, os fabricantes tem que acompanhar seus produtos por muito tempo, fazendo recall se necessário.

        • Sem contar que estão contratando não mais com base na capacitação profissional e no mérito do candidato, mas com base em cotas de diversidade. Sou a favor de maiores oportunidades, mas estão exagerando.

        • VW com qualidade?
          Para vai. Agora fala sério.
          Tiveram que trocar mais de 450 mil motores por especificação errada do óleo. Todo mundo reclama de barulhos no Polo e Virtus, água entra pelo porta-malas do Virtus e água do radiador derrama nos pés do carona e para fechar com chave de ouro: O T-Cross saiu com o eixo traseiro trincado.

      • O negócio entre MD e Boeing ocorreu tem vinte e cinco anos atrás. A não ser eventuais adolescentes, todos já se aposentaram.
        Quanto a problemas em aeronaves militares, todos derivados da MD.

      • Clésio, é uma possibilidade, em épocas de corte de gasto o primeiro setor atingido é a qualidade, infelizmente os executivos e diretores pensam que essa areá é dispensável. Tenho um amigo que presta serviço de consultoria, com a chegada da crise, ele perdeu vários clientes, era sempre a mesma resposta coisa, que não ia precisar do serviço pois tinha que cortar gasto.

    • Empresa enorme, produto complexo, corte de gastos, sobrecarga de trabalho, prazo apertando. A chance de besteira aumenta e elas acontecem.

      Sabotagem é a hipótese mais improvável e se o controle de qualidade está bom ela é muito mais difícil de ocorrer.

  2. A Boeing precisa urgentemente fazer uma reestruturação na sua cadeia de produção, rever procedimentos, fornecedores, treinar melhor os funcionários e ter um melhor cuidado na revisão final.

  3. Problema parecido ao relatado nos K-46 rejeitados pela USAF.
    Difícil acreditar que essa empresa é uma das duas maiores empresas aéreas do mundo.
    As maiores dificuldades pra ela são internas, e não a concorrência, como é comum em qualquer outra empresa mundo afora…

  4. De um problema surgiram outros, seria falha no controle de qualidade da Boeing?
    Até que ponto podemos colocar nossos bumbuns nos assentos dos outros aviões da empresa e voar com tranquilidade?

    • Gostaria de conhecer seu conhecimento sobre controle de qualidade usados na manufatura de aeronaves, eu com 20 anos de experiência sei pouco.
      Antes de comentários infundados que sou isso ou aquilo eu prefiro Airbus.

    • Esse avião é provavelmente o que mais voa no mundo há vários anos. Essa falha de detritos no tanque já não deveria ter surgido? Ou outra com causa raiz em controle de qualidade?

  5. Este tipo de problema ocorre com todos os fabricantes. Como não se sabe nada sobre qual era o resíduo ou sua quantidade, então pode se supor qualquer coisa. Mas uma coisa é certa… Quando se está sobre a lupa do mundo, seus erros são todos graves e são só seus… Mesmo que todos os outros fabricantes também tenham os mesmos erros.
    O processo produtivo de uma aeronave é muito “sujo”… Resíduos dos processos são sempre encontrados.
    Trabalhei com manutenção de aeronaves, Boeing, Airbus e MD… em todas encontrei resíduos de processos de manufatura que, na teoria, não deveriam estar lá.
    Mas na atualidade, como é Boeing, é o fim do mundo.

    • Concordo 100%, isto é fato independente do fabricante. Pode acontecer durante a produção e durante a vida útil da aeronave quando passa por manutenção. Os sistemas de qualidade são bons mas não são perfeitos, onde há a mão humana pode haver erro. Onde eu assino meu velho?

    • Lembrei de uma reportagem sobre o Lynx na Marinha Brasileira. Aparelho de origem britânica fabricado pela Westland. Um oficial tinha dito que, ao fazer o recebimento da aeronave, foram encontrados vários detritos oriundos do processo de fabricação.

      Na época eu não liguei muito, até porque a fama da qualidade de fabricação britânica 20/30 anos atrás não era das melhores (veículos Leyland… parte elétrica Lucas “Prince of Darkness”), mas agora com esses problemas da Boeing acabei lembrando que isso não é algo novo.

      Mas também não serve de desculpa. Se a Boeing está sendo malhada agora, os concorrentes que se mexam, porque daqui pra frente o escrutínio será bem maior e será em cima de todo mundo.

  6. A pergunta é: o que foi encontrado? onde exatamente? qual a quantidade? “dentro do tanque” é muito vago. O fato de ser avião novo ajuda a achar o problema pois não passou por mais empresas, como as MRO. Fácil fácil achar o “step” onde houve a falha.

  7. Nunca imaginei que veria isso, a Boeing com problemas de detritos deixados por seus mecânicos dentro dos aviões, que controle de qualidade é esse???

  8. Já trabalhei em muitas empresas grandes e vi pessoalmente pessoas e setores sendo culpados por decisões tomadas pelos “chefes” .
    Mas isto é outro assunto
    O que quero saber é se vcs têm alguma informação sobre o prejuízo desses aviões parados em relação às empresas
    São bilhões de dólares parados no chão
    As empresas recebem uma compensação da Boing?

    • Nas escolas de gerenciamento modernas, advindas da Qualidade Total ou de Excelência, não existe mais o departamento de Controle de Qualidade. Ford deve se revirar na tumba ao ouvir isso. Atualmente cada setor produtivo é seu próprio inspetor de qualidade. Isso reduz custos, mas tem o seu preço se for aplicado sem um gerenciamento de alto nível. Os padrões de desempenho dos produtos devem ser auditados para conferir as qualidades da produção. Acabar, simplesmente com o Quality Control Dept. não é a solução.

  9. A solução para estes problemas está na Apple.
    Transfere toda a manufatura para a China (mais barata e de melhor qualidade).
    Nos Estados Unidos permanecem o desenvolvimento de projetos e pesquisas.
    Bem simples! 😊

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here