Home Asas Rotativas Helicópteros Mi-35 da FAB não estão à venda

Helicópteros Mi-35 da FAB não estão à venda

13161
192
Helicópteros AH-2 (Mi-35) Sabre da FAB

A publicação francesa Intelligence Online informou que os helicópteros AH-2 Sabre (Mi-35) estariam sendo vendidos para a Líbia em uma operação triangular com os Emirados Árabes Unidos.

Os seis helicópteros Mi-35 mais antigos da FAB seriam destinados às forças do General Khalifa Haftar (Libyan National Army).

A operação seria conduzida pela agência russa Rosoboronexport e financiada pelos Emirados Árabes Unidos.

Os AH-2 Sabre são os primeiros helicópteros de ataque genuínos em operação nas Forças Armadas brasileiras e começaram a ser utilizados em 2009. Em novembro de 2014, o esquadrão recebeu os três últimos exemplares da sua frota de doze helicópteros.

Cada AH-2 conta com um canhão de 23 mm capaz de disparar até três mil tiros em um minuto. Para se ter uma ideia, cada tiro de 23mm causa o mesmo impacto de quase 100 tiros de uma arma calibre 7,62mm, como os fuzis utilizados por tropas no solo.

Com peso de 12 toneladas, os helicópteros têm blindagens em partes essenciais, como no tanque de combustível. A cabine dos pilotos, além de blindada, também é vedada para o caso de contaminação química ou biológica.

A possível venda foi negada ontem pelo brigadeiro Baptista Junior no Twitter:

192 COMMENTS

  1. Dada a proximidade de nosso atual governo com a administração Trump não duvido que isso deve estar acontecendo.
    Outro ponto interessante que não consta aqui mas li em outro site é que o motivo da venda é a dificuldade com relação a manutenção. Equipamento russo sendo equipamento russo.

        • Mito em grande parte, pois houve alguns problemas de fato. Mas, grande parte desse mito surgiu quando as nações que operavam equipamentos russos quebraram com a queda da URSS. Não tinham dinheiro para manutenção e simplesmente não tinham disponibilidade. O mesmo serve para hoje, países que não podem pagar muito acabam indo para opções mais em conta no mercado e depois não conseguem manter a operação. Não é o pós venda que é ruim, se vc paga, vc tem… se vc não paga, vc não vai ter.

          • Na epoca da URSS eles tinham varias linha de montagem e manutençâo, herança de sua experiencia na 2º guerra, a intenção era resistir o maximo a um ataque, e conseguir ainda deslocar para areas de interesse e segurança, tudo subsidiado pelo estado comunista, quando eles entraram no mercado capitalista o subsidio acabou e eles tiveram dificuldades, um Mig 29 tinha 7 linhas de montagem contra apenas 1 ou 2 do F 16.

          • No entanto é bom salientar que os sistema de produção militar da URSS é o melhor para uma guerra pois era capaz de resistir.

            No entanto é necessário $$$$ e no mundo capitalista não é interessante para a indústria!

          • Em cada área eles tem dificuldades específicas, na construção naval por exemplo os grandes navios eram construídos na Ucrânia na época da URSS, então nessa área eles tem uma dificuldade específica, em outras devido às varias linhas de construção e manutenção o suprimento de peças e assistência pode demorar um pouco mais, outro ponto que deve ser colocado é o recente aumento nas compras internas, a indústria teve que se adaptar tanto na construção de linhas de produção e manutenção unificadas como no aumento da produção, vai levar uma década ainda para eles superarem plenamente esta situação.

          • Várias linhas de produção deveriam facilitar a aquisição de sobressalentes e não dificultar. Os problemas devem ser de outra natureza.
            Mais dez anos! A União Soviética foi dissolvida em 1991, há 29 anos!

          • Vc está certo, porém já que vc gosta de dados históricos vamos lembrar que a Rússia passou quase uma década sem investir nas suas forças pq não tinham capital para tal.

          • Xupisco

            Conta pra gente por que o NAE da índia está atrasado ?
            Só não vale dizer que é Culpa da Rússia, pois quem está construindo ele é a Índia, e se falarem “oh nós estamos sem caça naval”, vou dizer : “Índia não tem nenhum contrato ativo com a Rússia para o fornecimento de MiG-29K”
            Ou seja mais uma mentira jogada no ventilador…

          • Muito simples. O PA indiano está atrasado porque os especialistas do blog estão dando importantes conselhos sobre a construção

          • Prezado Gustavo
            Infelizmente, não é assim….
            Vc paga e não vem…
            Vc paga e vem errado…
            Vc quer pagar e estão enrolados pra receber…
            Etc etc etc

          • “Em relação às matérias veiculadas no mês de fevereiro do corrente ano sobre uma possível negociação das aeronaves AH-2 Sabre (MI-35) da FAB, o Comando da Aeronáutica informa que não há qualquer tipo de tratativa, nesse sentido, em andamento.
            O Comando da Aeronáutica prossegue no objetivo de incrementar a disponibilidade de seus meios, por intermédio de ações de manutenção executadas pelos seus especialistas e aquisição de material junto aos seus fornecedores, não havendo nenhuma previsão, até o momento, de descontinuidade na operação desta frota.”

      • É evidente que a intenção do “site francês” neste caso é queimar o filme do governo brasileiro…

        Contra-informação braba essa!

        Se assim não o fosse (em que pese porventura de fato, venda “ao EAU…e que façam o que quiser ) não induziriam a opinião pública a pensar que “o Brasil usa os Emirados Árabes Unidos” apenas como “fachada” para vender equipamento bélico a uma força militar participante de um sangrento conflito na Líbia.

        A guerra mediática dos franceses (esquerda/globalistas) contra o governo brasileiro (conservador/anti-globalista), ainda terá lances de embrulhar o estômago. Aguardem e verão…

        Grato

        • Achar que os Franceses, com suas industrias e mercado de armas, seu tradicional colonialismo e sua defesa do mercado são “esquerda” é falta de conhecimentos básicos de política, para dizer o mínimo. Sim, são nossos opositores em vários campos mas nunca são “esquerda”.

          • Pois te digo, sem medo de errar. O marxismo cultural que grassa na Europa é muito pior que o Bolchevismo, Moaismo e similares. É melhor confiar na China e na Rússia que em muitas nações europeias globalistas.

      • É evidente que a intenção do “site francês” neste caso é queimar o filme do governo brasileiro…

        Contra-informação braba essa!

        Se assim não o fosse (em que pese porventura eventual venda de fato “ao EAU”..e que estes façam o que quiser com a aeronave) não induziriam a opinião pública a pensar que “o Brasil usa os Emirados Árabes Unidos” apenas como “fachada” para vender equipamento bélico a uma força militar participante de um sangrento conflito na Líbia.

        A guerra mediática dos franceses (esquerda/globalistas) contra o governo brasileiro (conservador/anti-globalista), ainda terá lances de embrulhar o estômago. Aguardem e verão…

        Grato

    • O Mi-35 foi nos empurrado pelos russos para equilibrar a balança comercial que nos era favorável, exportávamos mais do que importávamos dos russos… Mesmo assim, o processo de compra dos 12 no total, demorou.
      Com relação a manutenção, diz-se que era dificuldade conseguir peças, que uma simples chegou a demorar 11 meses para ser entregue!!!! Porém, no ano passado teria sido aberto um centro de manutenção dos helis russos em BH, alguém pode confirmar essa informação e se realmente melhorou o serviço?

      • O pessoal não entende a pergunta, ou não sabe responder e acha que estou só criticando por criticar mesmo?
        Quero saber se alguém sabe se melhorou a manutenção ou está do mesmo jeito que estava, só isso!

      • Se nos empurraram e porque somos Burros. O que nos impediu de dizer, ok tenho que comprar 100 milhões em armas de voces. Só que eu não preciso de heli de ataque, me manda tudo em IGLA.

      • Um parâmetro para analisar se isto é correto ou não são as vendas no mercado global, nós somos meros observadores, se o produto vende tem uma razão!

        Não deve ser assim tão difícil encontrar manutenção, o ideal é fazer um estoque de peças com maior antecedência.

    • Um membro do alto escalão acabou de desmentir a notícia fake, que veio lá da França.
      E o senhor continua acreditando que existe insatisfação com o equipamento por ser russo…

    • Só para mostrar como e uma noticia sem pé e nem cabeça, não seria mais lógico comprar dos Russos ou de algum país daquele lado do oceano ate para facilitar o transporte?

      • Acho que o motivo de querem comprar de nós era por ter as unidades relativamente novas, em bom estado de manutenção e estar em uso, sendo capaz de voltar a ativa, logo após o transporte, em 1-2 semanas.

      • Grandes M…
        .
        Se com 12 aeronaves relativamente novas eles não tiverem “uma das maiores” disponibilidades da FAB, aí é pra trancar todos os envolvidos, junto com as aeronaves em um hangar e tocar fogo.

          • Contar vantagem com percentual de disponibilidade de 12 unidades de aeronaves que são relativamente novas é fácil.
            .
            Se tem 07 em condições de voar, já é uma das melhores médias da FAB… O que não quer dizer grandes porcaria.

      • Entao o resto da FAB tá no chão, porque só tem uma Anv MI 35 em condições operacionais, o resto não opera a mais de três meses
        E cada bobagem que eu leio.

      • Quem disse a você que não?! Tanto Moscou e Washington são aliados de do Marechal Khalifa Haftar,que tem o controle de mais de 90% do país,tem controle sobre toda a água e recursos fosseis do país e o mais importante: Todas as tribos e Clãs estão do lado dele,a democracia venceu de certo modo !

        A decisão dos Estados Unidos de bloquear uma condenação internacional ao bombardeio sangrento de um centro de migrantes na Líbia, atribuído às forças de Khalifa Haftar por seus inimigos, mostra o apoio do governo Trump ao homem forte do leste líbio – afirmam especialistas ouvidos pela AFP.

        Os Estados Unidos não retiraram seu reconhecimento, nem revogaram seu apoio ao GNA, mas houve, de fato, contatos no mais alto nível com Haftar.

        Segundo Washington, Haftar atende a dois critérios: se posiciona contra os islamistas e é apoiado por dois de seus aliados mais próximos na região – os Emirados Árabes Unidos e a Arábia saudita.

        Haftar também tem o apoio não declarado de Egito, França e Rússia, enquanto o GNA teria o suporte claro de Turquia e Catar.

    • “Dada a proximidade de nosso atual governo com a administração Trump não duvido que isso deve estar acontecendo.”
      Você realmente acredita que o problema está na manutenção caro Mosczynski?
      Você mesmo já falou o motivo acima!
      É a mesma desculpa mal lavada que deram no F-X1.
      Ade que Russos não transferem tecnologia.
      E os equipamentos Russos são conhecidos por serem robustos, fácil operação e manutenção e extremamente mortais.
      Isso é coisa de politicagem !

      • Um Brigadeiro acabou de desmentir uma notícia falsa, e oq vcs fazem? Continuam nessa que há pressão do tio sam por causa de politicagem, Meu Deus, por isso que vemos tantos políticos demagogos que não cansa de deitar e rolar contra o povo, vcs acreditam em tudo que sai na mídia mesmo depois da mentira ser desmentida, é impressionante!!!

  2. Uma das piores aquisições da história da FAB. A força aérea na última década melhorou significativamente seus processos de aquisição e gestão, no entanto, esse helicóptero é um exemplo do que as escolhas políticas podem fazer com as forças armadas.

    Essa venda seria muito bem vinda, contato que acompanha pela substituição por outro meio. Até mesmo black Hawks armados.

          • O problema de logística se resolve com dinheiro…
            Alguns fala que este helicóptero e caro de operar, e de manutenção difícil…
            Mas acho estranho falarem isso, pois o Mi-24/35 e o helicóptero de ataque mais difundido no mundo, países pobres como Nigéria, Peru, Líbia, Afeganistão etc, tem os seus (até os EUA têm ), e fico surpreso, de o deles executarem missão e o do Brasil não (olha que tem um centro de manutenção de helicópteros Russos em BH e outro no Peru)…
            Se não conseguem manter um Mi-35, vão conseguir pagar a hora de vôo de um AH-1, Apache, A-129, Tiger ..?

          • Este é o centro regional de manutenção de helicópteros de fabricação russa no Peru:
            https://ibb.co/sRhkSQJ
            https://ibb.co/DtGmSZ3
            https://ibb.co/Q6VgL3n
            https://ibb.co/RCmdTPp
            https://ibb.co/VMFDmvR
            “Em 21 de novembro de 2019, o ministro da Defesa do Peru, Walter Martos Ruiz, verificou o andamento do comissionamento do Centro Regional de Manutenção de Helicópteros da Rússia no Condado de La Jolla (Departamento de Arequipa), perto da base da Força Aérea do Peru.”
            Hoje o Peru opera pouco mais de 30 helicópteros Russos em suas Forças Armadas.
            Desde 2019, o centro fornecerá uma gama completa de serviços de reparo de helicópteros de fabricação Russa para clientes nacionais e outros países da região (além do Peru, os helicópteros de origem russa são operados na Argentina, Brasil, Colômbia, Cuba, Equador, México, Nicarágua e Venezuela).

          • Pois e, mas você no alto de suas perspicacia aeronáutica deveria saber que os Russos entregaram12 anvs de três lotes construtivos diferentes, portanto toda a logística do negócio e uma torre de Babel em termos de peças, ferramental e arquitetura construtiva.

          • Não me importo. Alguns oficiais generais leêm as matérias e os respectivos comentários. Ouvi de um: ¨como escrevem bobagem…¨

          • Coronel Nery, boa tarde.

            Às vezes acho engraçado as perguntas de alguns, que sem saber com quem estão falando, nos questionam de onde tiramos certas informações.

            Demolidor, o Sr. Rinaldo Nery é um Coronel da Força Aérea Brasileira. Quando ele nos trás uma informação, se torna desrespeitoso perguntar-lhe qual sua fonte.

            Em tempo. Gostaria de parabenizar aos editores pelas excelentes matérias e, informar que aqui em Brasília muitos oficiais de patentes elevadas leem e comentam as matérias da trilogia. Pena que poucos participem dos debates.

            Às vezes gostaria de poder comentar mais com vocês, no entanto diversos assunto são tidos como classificados, logo não abertos ao público, como a maioria aqui pode compreender.

            Sds,

          • Demolidor, você direcionou a pergunta a um oficial da FAB (comandante Rinaldo Nery). Logo alguém de dentro com informações quentinhas.

    • O esquadrão poti é um dos exemplos de disponibilidade da FAB!! Os anti- Rússia piram e ficam querendo desqualificar a todo custo esses helicópteros. Vai no site da FAB e vejam que é só elogios a essa aeronave. Ela é tão robusta e confiável que na FAB ela exerce um papel completamente diferente do que ela foi planejado. E mesmo assim a aeronave cumpre com maestria a missão.

      • Bem, só falta a FAB falar mal de equipamento que ela opera.

        Ele exerce um papel completamente diferente para o qual foi projetado porque ele não foi projetado para realizar as missões atribuídas à FAB.

        Em todos os países do mundo helicópteros de ataque são operados pelos exércitos e não pela força aérea, pois eles devem atuar integrados às forças blindadas. Só aqui, porque o exército se recusou a utilizar esses helicópteros é que eles foram parar na FAB.
        Esse equipamento não tem a menor utilidade para as funções da Força Aérea. Que vendam e comprem mais Black Hawks. Se for para comprar equipamento russo, vendam e comprem o MI-26.

  3. De todas as aeronaves, de asas fixas e rotativas, das FAs brasileiras creio que 70% a 80% estão aterradas por falta de manutenção. Inclusive, um % considerável destes meios tem ate fabricas aqui que poderiam dar o suporte e mesmo assim estão no chão. Ninguem fala que esses tem problemas logísticos e de suporte. Peru, Colombia, Mexico e Argentina tem helicópteros Russos e não se fala em problemas logísticos também, ou seja, o problema esta em nossas FAs que absolutamente nada tem condições logísticas (Seja russo ou americano) de operar a exceção o GTE e alguns meios para voar em desfile.
    Sobre o negocio em si é muito estranho e me soa como aquela venda de armas da Argentina a Croácia nos anos 90, onde o governo Clinton incentivou os argentinos a fazer isso, para depois ficar exposto ao mundo todo em alguns massacres praticados por croatas, armas argentinas e não americanas! Se alguém quer Mi-24/Mi-35 a Russia tem de montes. Espero que nosso “aeroclube” não seja trouxa de cair nesse como cairam os argentinos.

  4. A questão é o que a Rússia compra do Brasil!?!
    Que eu saiba é só proteína animal!
    Até porque esses helicópteros só foram comprados para equilibrar a balança entre Brasil e Rússia!
    Então se essa pequena relação for posta em cheque esses helicópteros podem até mesmo enferrujar no pátio que “ñ” vão vender!!

  5. Se venderem, o dinheiro vai para o caixa único da União e a FAB nunca mais vai ver a cor do mesmo.
    Se quiserem dispôr das aeronaves, que seja por meio de troca direta com a Rússia.
    Por exemplo, trocar por mísseis antiaéreos ou outra coisa.

  6. Bem ou mal são os únicos helicópteros de ataque que possuímos, não creio que seria uma boa vender sem ter algo em vista para substituï-los.

      • Não esqueçamos da reaproximação com a Itália. A Leonardo está abrindo um centro de suporte/manutenção gigantesco em Itapevi e além de helicópteros utilitários armados eles tem o projeto do AW 249 q parece um clone do Apache.

        • Seria muito bom o Cobra ou AW249, mas como postei só deveríamos vender se depois de começar o processo de licitação, pois assim mesmo que a frota diminuísse algo de concreto já teria sido iniciado!

        • Vai ver o tanto de helicóptero da AW que tem aqui em SP, que eles pouco sem importam com meia dúzia de alguma coisa que o GF possa vir a fazer

      • O complicado é trocar um equipamento que foi adquirido novo por um equipamento que será adquirido usado.
        Quando ao modelo, gosto muito dos modelos da Bell, principalmente a dobradinha Viper e Venon, já que ambos compartilham mais de 80% das peças. O problema é aplicar a doutrina do Venon nas FA. Apenas considero uma enorme vantagem a termos de custo e logística.

    • Que Cobra o quê, quem gosta de cobra é boiol…., para o Brasil é melhor o ATAK turco, novo, moderno e de prateleira, poderíamos usar pelos próximos 40 anos. Se comprar o Cobra hoje só vai poder usar 15 anos no máximo, é jogar dinheiro fora.

  7. Concordo contigo, Sr. Santana.

    Até hoje não ouvi uma explicação minimamente plausível do porquê tais veículos estarem em uso pela FAB e não no exército.

    O helicóptero é f…! O bicho é bruto! Mais parece um tanque! Mas… não está sendo utilizado para aquilo que foi projetado.

    Sabe quando você tem a sensação de ter um Fórmula 1 num pista off-road…

    Abraços.

    • @GFC_RJ Na época da compra o motivo da compra que foi passado na mídia que além da função de ataque que ele possuí ele também pode realizar a função de resgate em ambientes de combate por ter capacidade de transporte de 8 pessoas ou infiltração de tropas especiais onde um helicóptero comum não conseguiria na época a Fab defendeu e ficou bem satisfeita com a compra

      • O motivo da compra foi balança comercial. Só isso. O resto foi p encher linguiça. Em 2009, assisti, no ILA, palestra do então Diretor do CELOG sobre o processo de compra. Igual aos Estudos de Estado-Maior que partem da solução. Vi muito isso na FAB.

      • Meu camarada,

        Minha questão é que o Mil Mi-35 é um p…a vetor bom pra cacete para interdição terrestre e apoio aéreo aproximado. Para essas atividades é um vetor bem atual. Mas ele está sendo utilizado como interceptador de aeronaves clandestinas não militarizadas. Na minha modesta opinião, de entusiasta amador, isso é bizarro.
        Daí que as capacidades do vetor combinariam mais com as doutrinas de forças terrestres e não da força aérea.

        Fora isso, até hoje, conforme o amigo Rinaldo Nery relatou, só vi “encheção de linguiça” para explicar sua utilidade na FAB.

        Abraços.

        • Prezado GFC
          Isso já até foi comentado aqui em outras oportunidades.
          Os Mi-35 são “herdeiros” de outra doutrina soviética, quando “pregavam” q até os He Atq levassem tropa para, mesmo com grandes perdas, o pacto de Varsóvia conseguisse infiltrar um mínimo de tropas para garantir objetivos profundos em uma manobra terrestre.
          Voam rápido naquelas planícies da Europa, mas não baixo o suficiente…
          No Afeganistão, aeronaves dessa “família” foram abatidos “a dar com o pau”.
          Tanto é q os He Atq mais modernos soviéticos e depois russos são compatíveis com Apache ou Tiger etc e não mais com esses.
          Em língua não técnica, como pilotos já exibiram aqui inclusive, eles NÃO TEM a manobrabilidade (agilidade) pra voar baixo (voo tático) necessário para operar com a AvEx.
          É como vc precisar de uma moto de Cross e ganhar uma moto do CHiP’s…. Excelente moto!!!! Frank Pontierello prendia geral…. mas não cumpre a missão da AvEx.
          Pra C-SAR, como dizem…. q as aeronaves tem de voar “na moita” pra resgatar seu piloto? Vai ser outro a ser resgatado.
          Sds

          • Caro Sr. Agnelo,

            Excelente relato e é por isso que acompanhamos os fóruns: Ler novos fatos e argumentos sobre os assuntos.

            Segundo o que disseste, o Mi-35 não atende aos requisitos do que a AvEx pensa para seus hélis de ataque. Possui baixa manobrabilidade, não voa à baixa altura o suficiente e o exército não necessita que esses vetores tenham capacidade de infiltração e exfiltração de tropas, além de possíveis outras questões. Estou errado?

            A questão é que, ainda não deram uma boa explicação de, mesmo não atendendo os requisitos do exército, eles estarem em uso na FAB para servirem de interceptadores. O que é que ele muda na FAB em relação a operar interceptações com A-29s e Blackhawks?

            Mesmo não atendendo bem aos requisitos desejados, ainda não era melhor serem operados no exército? Forma-se os pilotos, desenvolve a doutrina e elabora melhor os requisitos (por experiência) e, quem sabe, até pré-desenvolva na indústria alguns equipamentos para o futuro héli definitivo de ataque.
            Aqui não precisar “criar” doutrina, mas desenvolvê-la internamente e ajustá-la no futuro. Na FAB, não. Foi criada uma doutrina específica para esse vetor, o que é o rabo balançando o cachorro. O editorial da última revista Força Aérea (n.121) também critica o uso do vetor na FAB, o que significa que eu não estou sozinho na questão… rs.

            Enfim… Deixo em aberto. Estou apenas tentando pensar além da página 2…

            Abraços.

    • A vaidade tem que ser posta de lado, é necessário aeronaves que possam atacar navios, assim como helicópteros de ataque, devem ser operados por pessoal capacitado, seja lá qual for a cor do uniforme…
      Olhando de fora parece que os quatro estrelas estão mais preocupados com besteiras do que com a soberania nacional…

  8. Bom Dia a Todos,o que houve pessoal foi uma má fé da França querendo criar uma intriga entre Brasil e Rússia e que mais uma vez foi desmentida pelo alto comando pelo Brigadeiro Baptista Jr,não houve e nunca haverá negociações dos helicópteros de ataque Mil Mi-35,o que houve de fato foi mais uma vez a França se metendo aonde não é chamada querendo dar pitaco no País alheio foi só isso que houve que fique bem claro não há e jamais haverá venda alguma dos helicópteros de ataque Mil Mi-35!

    Um Abraço!!!

  9. Para quem voava de Esquilo, o Hind foi uma evolução..

    Isto é inegável.

    Não vou entrar no mérito se tem problema ou não de manutenção. Quem tb está sempre com falta de dinheiro, não pode reclamar muito. Isto é fato.

    Aqui estão acostumados com o padrão americano de suprimento. Deixa a plataforma no chão até ter a grana para pagar a peça. Caiu o “boleto” do lado de lá, praticamente no dia seguinte ela está a caminho.

    Não sei como funcionam as coisas na Rússia e os tempos de resposta.

    É culpa do sistema russo ? Não sei dizer, só posso afirmar que não vale a pena nos adaptarmos a um sistema de logística e manutenção somente para uma plataforma.

    O nosso sistema é o Ocidental e a eles devemos nos ater. Aquisições para equilibrar a balança comercial, acabam nisto.

    Só acho muita inocência levar muito a sério declarações oficiais da FAB, sobre o assunto.

    Nunca a FAB admitirá que existe algo errado com os suprimentos. Serem abertas a escrutínio público é um padrão das forças armadas dos EUA, quando sabemos cada problema do F35, enquanto as FFAA brasileiras nunca admitiram oficialmente o sério problema na MGB das Kombis, um problema mundial e aberto pelo fabricante.

    Aqui é sempre a mesma declaração: Operam normalmente.

  10. Olá Colegas. Parece notícia do SBT tirada da internet….. Então a Arábia Saudita iria financiar a triangulação da venda de 6 helicópteros que seria intermediada pela empresa russa para um ditadura no norte da África em guerra civil, tudo isso com o apoio dos EUA? Acho mais provável a FAB deixar os helicópteros enferrujaram no hangar.

  11. Apesar de ser um Helicóptero capaz e robusto, foi uma aquisição equivocada, pois se pensamos na questão custo/beneficio incluindo a padronização dos meios, a aquisição de Black Hawk S70 armado (como os da Colômbia), teria sido uma melhor aquisição em todos os quesitos (preço, operacional, custo, etc), principalmente para a funçõ que a FAB utiliza esse meios…Então vejo com bons olhos a venda dos MI-35, claro tendo a substituição do mesmo por meios mais eficientes para a FAB. Essa historia e muita parecida com os Submarinos Tupi, no inicio a Marinha negou e disse que os mesmo não seriam vendidos, e veja que esta quase consumada a operação de transferência do mesmos para o Peru.

  12. Uma pena, pois a Rússia não libera peças para manutenção e reparos, criando assim uma profunda crise logística com estes helicópteros.
    A FAB deve vendê-los o quanto antes, e os engenheiros projetarem um protótipo nosso para que possamos fabricar os nossos próprios helicópteros.

  13. Ainda bem que é notícia fake e que já foi desmentida.

    Esse é um dos melhores equipamentos que a FAB tem e é um dos melhores helicópteros de combate do mundo.

    O problema dos russos ainda é o pós venda.

  14. Eu gosto do MI35.

    A exemplo da Russia que tinha de racionalizar recursos, o Brasil tambem precisa de versatilidade e o equipamento precisa refletir isto.

    Alem de heli de ataque, ele pode levar oito soldados. Sei que nao Opera assim ao mesmo tempo, mas onde sempre falta tudo, ter um vetor que hora pode fazer um tarefa e hora outro conta muito

  15. Acho estranho a possibilidade de venda desse equipamento…apesar de ser russo, é um excelente helicóptero e é um forte vetor de dissuasão pois referem-se a uma das aquisições mais recentes da fab e estão novos e muito bem mantidos…ja ocorreu voos demonstrando a disponibilidade dos meios onde varios estavam em voo conjunto ao mesmo tempo demonstrando isso…alem disso sao os nossos unicos helis de ataque…realmente o pós vendas dos russos é sempre um fator para se avaliar, mas parece que a fab esta conseguindo mante-los operacionais…seria a proximidade russa com a Venezuela? Alto custo para manter? Problemas de orçamento?

  16. Falam muito da manutenção e disponibilidade baixa, mas já vi varias fotos com 10 deles no ar ao mesmo tempo, nesse caso daria mais de 80% se todos os 12 ja estivessem entregues. Não acho que ele só serve para atacar blindados, um eventual conflito no Norte provavelmente veria muita atuaçao deste heli de ataque. Não morro de amores por ele, mas se o vetor ja está aqui… E outra: é como o outro colega falou, se a FAB o vender jamais irá ver um substituto u a cor do dinheiro.

  17. O MI-35 é um ótimo helicóptero de ataque ainda bem que não estão a venda, mas acredito que eles seriam mais úteis no Exército que na Fab.

    Nunca vi nada oficial da FAB sobre problemas de manutenção ou baixa disponibilidade dele, e os concorrentes dele como o Tiger, Mangusta tem custo de aquisição e manutenção mais caros e o Cobra que foi oferecido ao Brasil é um helicóptero usado com bastante tempo de uso e que a informação que eu vi que o custo manutenção dele é mais caro que o mi-35.

    O mi-35 foi uma ótima compra.

  18. Na minha opinião nem deveriam ter sido comprados. Melhor vender logo antes que se tornem um estorvo com aquela história de “serão canibalizados como fontes de peças de reposição para manutenção de 6 operacionais”. Já vi como terminou o outro filme.

  19. A pergunta que fica é: quem vai substituir esses valiosos helicópteros nesse momento de problemas fronteiriços com a Venezuela? É uma máquina eficiente no suficiente para se livrar dela agora tão rápido.
    Ele pode ter todos os problemas, mas na hora que o Maluco da Venezuela, em seu desespero , resolver botar as manguinhas de fora pra cima de nós, ele será muito útil .
    Se vai se dispor deles, que tenha um helicóptero mais capaz para poder ser utilizado em caso de crise. Aliás, só temos esse helicóptero de ataque nas forças armadas brasileiras…

  20. NÃO PASSOU DE UM FACTOIDE FRANCÊS REPRODUZIDO POR POUCOS MEIOS DA MÍDIA ESPECIALIZADA !

    Com um governo como o de Maduro ao lado,que já está criando inimigos externos e acusando o Brasil de ser um deles,vender tais aeronaves seria de grande estupidez…

  21. “Ah foi pela balança comercial”, os F-8 Meteor foram pagos com excedente de algodão em 1953. Não é a primeira vez que a FAB adquire equipamentos por conveniência comercial. Aliás, as compensações comerciais são um fator cada vez maior na escolha de equipamentos mundo afora.
    .
    Mas ao contrário dos Meteor que em 1953 já eram um modelo ultrapassado e em 1961 já estavam com uso restrito pelas fissuras em longarinas, os Mi-24/35 continuam sendo temíveis helis de ataque, com capacidade adicional de levar tropas. Se eu sou um piloto abatido em território inimigo, ou um Pastor a resgatá-lo, preferiria um Sabre com blindagem e um canhão de 23mm a um BH de minigun.
    Cerca de 2300 foram fabricados e vendidos a mais de 30 operadores desde 1972, usados e provados em inúmeros conflitos. Porcaria ?
    .
    Na FAB qualquer coisa que não use motores PT-6 ou J-85 pode ter problemas logísticos. Cada motor Atar dos F-103 custava muito tempo e dinheiro com revisão. E faz um bom tempo que os Spey dos A-1 saíram de linha.
    Boa parte dos Gripen da África do Sul foi aterrada, por falta de $$$ para mantê-los operando, e é o caça 4G mais barato de operar.

    • Pois é, o Mi-35 é um tanque voador, coloca terror nos tanquistas inimigos. Sua presença no Poti em sua localização é muito estratégica. Pode ter vindo a contra gosto mas agora,creio eu, ser peça fundamental dentro da FAB na execução de suas missões atribuídas.

  22. Isso é mais um Fake News criada e reproduzidas por algumas mídias mal intencionadas pra fazer propaganda contra equipamento Russo. Mi-35 é um dos melhores do mundo. È sonho de muitos países ter esse equipamento.
    Essa propaganda de dificuldade de peças e manutenção é mais uma mentira difundida. Todos os militares da FAB elogiam esse helicóptero.

  23. A noticia sabemos que é fake.
    mas o que me chama a atenção é a quantia de gente falando mal do coitado do Heli que tão bem cumpre seu papel, não sou nenhum pocou fã dos russos, muito pelo contrario… mas enfim parece um clubismo, tipo grupo de zap do palmeiras e corinitinhas misturado.
    embora a compra possa ter sido mesmo forçada devido a (infeliz) policia da época, não sejamos fanáticos ao ponto de não reconhecer as qualidades do meio que na minha humilde opinião são impares.
    e vou além, como já cloquei la no Poder Naval imagine o MI 35 navalizado operando a partir do Atlântico no papel de assalto, desembarcando tropas cirurgicamente e prestando o apoio de fogo com a capacidade que ele possui, fora isso devido a suas dimensões e características acredito que seria possível até a integração de armamento anti navio. com o raio de 500 km se a memoria não me traí.
    espero não ser mal compreendido, repeito o pensamento dos colegas apenas estou colocando o meu ponto de vista. abraço

  24. A fab usa um helicóptero de mais de 12 toneladas para coagir aeronaves de de menos de 5 tonelada… vou ali comprar um bigorna de 100kg pra segurar a porta da sala para não bater com o vento…

    • Tb acho desperdício usar os Sabres para interceptação de baixa velocidade, para isso existem os A-29, que também foram concebidos como “heli-killer”.

    • Pedro, não esquecer que são complementares…são vários os casos de aviões interceptados por A29 que aterram em qualquer fazenda remota e seus tripulantes fogem…claro que não é uma logistica simples…Lembrar que a FAB ja teve que interceptar desde meros teco-tecos até learjets com quase o dobro da velocidade de um A29…
      Não estou aqui defendendo a compra do MI35 e sua operação pela FAB, mas seu emprego no Brasil teve que ser de certa forma improvisado.
      De qualquer maneira, já que foi imposto pelas circunstancias mercantis (imagino que os russos simplesmente colocaram como sendo ou isso ou nada para pagar dividas do tipo devo não nego pago como MI convem…), seu emprego tem sido, ao que me parece, até com razoável proveito.

  25. Esses helicópteros foram uma compra ideológica para agradar os russos, o exército não os quis, daí o jeito foi repassar para Força Aérea que agora pena para conseguir uma manutenção adequada, mais um capítulo dos tantos que tivemos de “aceitar” como herança dos governos anteriores de cunho canhoto.

    • Prezado Gusmão, sugiro vc ligar para a COPAC e se informar melhor sobre como a FAB faz para comprar equipamento aeroespacial. Das 3 FFAA, a que tem expertise para compras de aeronaves é a FAB. O EB não tem, e a MB também não. O EB vai compra um avião “meia-boca”, para fazer aquilo que não tem competência, nem dinheiro para fazer. Certamente vai enviar pilotos para a AFA se virar, como fez a MB ao comprar os A4 que, no filme TOP GUN 1 já eram muito velhos (O filme já tem 40 anos). O A4, aqui nos EUA, voa em AIRSHOW. No TOP GUN 2 a MB continua com o A4 que não serve para nada, nem para fazer hora de voo. Duvido que um Aviador Naval voe, por ano, mais que 50 horas. Instrutor da AFA , voa 50 horas em 15 dias. A FAB não aceita refugo há muito tempo. O último refugo foram : AIRBUS 115, AIRBUS 180 (goela abaixo para o DAC: ordem do Presidente Sarney para equilibrar a balança comercial com os hermanos) e o AIRBUS ACJ do GTE (ordem do Presidente-presidiário Lula). Tudo lixo.

  26. Não deveriam ter comprado essa aeronave. Um canhão para matar passarinho, Vai acabar como “outros”, canibalizando metade do que existe para suprimento de peças de reposição para a meia-dúzia restante. Melhor vender agora enquanto alguem esteja interessado, ou vai ficar no chão servindo como ninho de marimbondo.

  27. Este helicóptero é o bicho! É chamado de crocodilo,deve ser piada! Já não temos grande coisa por aqui,vender porque?Os russos são os melhores, disparado!

  28. “A possível venda foi negada ontem pelo brigadeiro Baptista Junior no Twitter”.
    Graças a Deus!
    Achei que a FAB cometeria a mesma burrice da MB ao vender seus Tupis.
    Ao menos em péssimas idéias nossas FAA,s são unidas.
    Mas realmente já tinha votos que a notícia tinha sido desmentida .
    Seria o cúmulo do absurdo se realmente fizessem isso.

  29. Espero encarecidamente que seja verdade e que consigamos vender TODOS OS 12.
    Depois é só esperar uma venda de ocasião dos Cobras AH1… MARAVILHA!

  30. Senhores, não me espanta se, da noite para o dia, a FAB repassar os Mi-35 a algum país e, logo em seguida, adquirir juntamente com o exército e fuzileiros navais, versões armadas/anabolizadas do Black-Hawk (o que seria uma boa, a meu ver).

  31. Será que não existe a possibilidade de em um hipotético conflito com a Venezuela 🇻🇪, a Rússia deixar os Mi-35 (H-2 Sabre) da Fab no chão por falta de peças ou munição?

  32. Eu penso que…
    Alguém quer comprar uns mi35, e alguém pode ter falado…o Brasil tem uns!! E o primeiro alguém entendeu que estavam a venda! Tipo aquelas notícias que não se checam para poder dar o furo na notícia. Simples assim.
    ….
    Agora, qual outro vetor desempenha com maestria apoio cerrado, combate armado anti tanque e material e anti pessoal, é blindado e ainda pode inserir e resgatar um gc completo de forças especiais ou expedicionárias!??? Ã..ã!?
    ….
    Pra mim um excelente vetor e fico chateado de não termos pelo menos uns 6 esquadrões!!
    Se fosse um inimigo, me borraria todinho ao ver um chegando no T.operações!

  33. Concordo com o comandante da Força Aérea.
    El Presidente vai dar de presente um Apache novinho em folha para a FAB??
    Ou outro helis da mesma categoria em pouco espaço de tempo??
    Helis de segunda mão ianques, só se for incrivelmente vantajoso.
    Ai, até concordo e que seja coisa, tipo, vendem os Sabres, na outra
    semana manda o pessoal da FAB para a Terra do Tio San e já
    compra 30 helis de última geração de ataque.

  34. Analisando a conjuntura atual…

    A maior defensora destes helicópteros na FAB é a ministra da Agricultura..

    Perguntas que devem estar sendo feitas..

    Como passar estes helis sem magoar os russos e sem provocar “novos problemas sanitários” na carne brasileira ?

    E se quiserem nos entubar algo mais caro e problemático, com o argumento da balança comercial ?

  35. Desde que esses helis chegaram se ouve essas reclamações. Não tenho porque duvidar dessa informação pois aqui no site ela foi confirmada por um oficial (ou ex-oficial, não sei) da FAB. O que me causa estranheza é que essa insatisfação vaze a ponto de passar a impressão que a FAB preferia não ter nada a ter que operar essa aeronave. Não vejo vantagem nisso. E se for o caso, então basta deixar no chão. Contudo, mais de uma vez ela própria divulgou fotos de 7 ou 8 ou mais desses helicópteros operando em conjunto, o que é meio estranho.
    De qualquer forma, anteontem saiu notícia de que o Brasil está importando carne bovina da Rússia.
    Aí está a chance: já que o rio inverteu o seu curso, paguemos com a mesma moeda, ou seja, os mesmos helicópteros rsrsrs

  36. Escrevi vários comentários nesse tópico e nenhum foi publicado……
    O brigadeiro disse que não há nada nesse sentido. Pois bem, podem-se fazer algumas leituras disso. Não está sendo vendido para ninguém ou para a Líbia, em específico? Mesmo que não estejam sendo vendidos, não quer dizer que estejam operacionais e sem problemas….

  37. Se a Rússia passasse a transferência de tecnologia destes helicópteros para o Brasil, aí seria vantajoso, caso contrário, o ideal é vendê-los mesmo para diminuir as despesas.

    Tem o Helicóptero Tiger da Helibras, que é um excelente helicóptero de ataque, se bem que a FAB poderia negociar a compra destes helicópteros e vender os AH2-Sabre.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here