Home Aviação de Ataque FOTOS: Saab Gripen E na Finlândia

FOTOS: Saab Gripen E na Finlândia

4984
59

O Saab Gripen E pegou bastante neve na Finlândia ontem, dia em que a Saab fez uma apresentação de sua proposta à imprensa.

No início deste mês, caças franceses Rafale também estiveram na Finlândia pra os testes do HX Challenge 2020, após a chegada de jatos Eurofighter Typhoon da BAE Systems na semana anterior.

A Saab enviou para os testes o Gripen E 39-10 e o Gripen NG Demo 39-7.

O Gripen E das fotos estava equipado com dois mísseis Meteor, dois IRIS-T e um “jammer” EAJP (Electronic Attack Jammer Pod), além de um tanque externo ventral.

A oferta da Saab à Finlândia inclui, além dos caças, duas aeronaves GlobalEye Airborne Early Warning and Control (AEW&C).

59 COMMENTS

    • Minha Caloi T-Type de 21 marchas é melhor do que os dois. Faz o que eu quero, é barata de manter e tenho onde parar sem custos adicionais.

      • O colega Leandro me permita respeitosamente discordar do que disse. Esse espaço é para coisas sérias, não deve ser usado para falar bobagens.

        Bicicleta é Monark, o resto é o resto.

        • Caro Clésio, muito me admiro você, contribuinte de valor aqui neste espaço, geralmente uma pessoa centrada, balizada e idônea, escolhendo a Monark apenas pelo fato de ela ser uma empresa Sueca!

          Minha Caloi dá pau até em velotrol elétrico!!

        • Minha T-Type está completando 20 anos! Gosto muito dela e de certa forma me faz lembrar o Gripen: pouca manutenção (apesar de a utilizá-la muito, principalmente nos seus primeiros 10 anos), bonita, e capaz de um desempenho tão bom quanto bicicletas mais caras. Enfim, excelente custo/benefício.

      • Acho que os colegas deveriam ir para um grupo de discussão de bikes e não ficarem aqui desmerecendo e enchendo o grupo com asneiras e bobagens. Deveriam se abster de mensagens vazias e desnecessárias!

      • “melhor suíte eletrõnica”

        Oi?

        Nada disso.
        Dos caças participantes no HX Challenge aquele que tem a melhor suite EW é o F-35 (AN/ASQ-239 Barracuda).

    • Olá DoD. Acho que e bem difícil dizer que modelo e melhor que o outro e ponto. Tem que perguntar o que e mais importante para o operador. De modo geral, dois motores são melhores que apenas um. Mais potencia, maior capacidade de levar armamento, etc… Mas e mais caro de manter e também consome mais combustível. Outra pergunta séria qual dos aeronaves exige menor tempo de manutenção. Nesse caso, sempre seria mais simples, barato e rápido operar uma aeronave de um motor. A outra pergunta séria a importância de carregar mais armamento por aeronave ou se isso poderia ser contornado por um número maior de aeronaves. Também dependevdo acesso que o operador terá aos mísseis ar-ar. Um caça de menor desempenho poderá ser superior a um outro se tiver um míssil superior. A existência de um AWAC da uma vantagem enorme. Isso significa que um grupo de poucas aeronaves, com mísseis inferiores e menor potência terá uma vantagem tática sobre um grupo de mais aeronaves com mísseis superiores mas sem apoio de uma aeronave de apoio equipada com um radar. A questão da furtividade depende do tipo de operação. Uma aeronave de defesa aérea precisa de mais desempenho e quase nada de furtividade. Uma aeronave de ataque teria vantagem se fosse mais furtiva. Eu acho o Rafale muito mais bonito que os outros dois. O Gripen tem um desenho clássico e o F35 tem uma cara de ficção científica. Eu acho os caças franceses mais bonitos.

    • Sem considerar os custos, mas a capacidade do avião hoje, Rafale>Gripen>F-35.
      Antes que batam, hoje o F-35 é muito mais uma lista de defeitos que uma aeronave com atributos diferenciados. Resolvendo os defeitos, fica na frente, evidente…

  1. Observem que o Gripen Demo é, até o momento, o único Gripen biposto da nova geração. O envio dele até a Finlândia tem basicamente dois objetivos principais. Levar de carona alguns militares finlandeses para um voo e demonstrar como a Saab pretende empregar o biposto para ser a sua aeronave de guerra eletrônica (um pod também foi enviado para lá, conforme descrito no texto).

  2. É um lindo caça, é bem equipado, e o mais importante, vamos ter dele. Pode não ser o mais avançado, já que não é de 5ª geração, pode não ser o de maior capacidade de carga e nem o mais rápido, mas dentro do que ele se propõe é um dos melhores do mundo e vai nos colocar num patamar muito acima do que hoje estamos!

    • Não entendo essa conversa de não ser o mais rápido. Ele tem velocidade máxima de Mach 2, mais rápido, por exemplo do que o F/A-18 Super Hornet, que tem velocidade máxima de Mach 1,8 e bem mais rápido do que o F-35, que só chega até Mach 1,6

      • Eu é que ainda não entendo essa conversa de vcs Gripen fanboys sobre o Gripen ser mais rápido que o F-35.
        Dá mesmo para entender que vcs nunca viram um manual de voo de um caça, e mais exatamente os gráficos de envelopes de voo com várias cargas/armamentos.

        No papel/em teoria, sim, o Gripen é mais rápido.
        Na realidade/prática não.

        O F-35A/B/C tem velocidade máxima de Mach 1.6 sempre que voa com uma configuração de armamento interna. Seja ela Ar-Ar ou Ar-Sup. Sempre.
        https://www.youtube.com/watch?v=O_b6vCOLLz8

        O Gripen, o Super Hornet e qualquer outro caça de 4ª/4.5 geração não.
        Quando estão equipados numa configuração de armamento/equipamento equivalente à do F-35 em “modo stealth” (ou seja: 4 misseis Ar-Ar ou 2 misseis Ar-Ar e 2 bombas de 2000lb + pod + tanques de combustível extra para que possa ter alcance e persistência equivalente às do F-35), o Gripen e todos os outros caças de 4ª/4.5 geração ficam com bem menor velocidade máxima.

        • Ok, agora suponha que o F-35 tenha usado todo seu armamento, qual a sua velocidade máxima? Mach 1.6. E o Gripen, após ter usado seu armamento, mas eventualmente com Iris-T nas pontas das asas? Mach 2. Então, a realidade é essa. O F-35 é um avião de ataque. O Gripen é um caça de superioridade aérea. Se você não gosta dos fatos é problema seu

          • Não, o f35, não é um avião de ataque, nem o Grippen um caça ar-ar. Ambos os aviões são multi-funções, embora o f35 têm a vantagem de ser da 5ªGeração, e o Grippen sim, foi focalizado em ar/ar como a principal função, mas são multi-funções os dois, mas ao contrário do que se diz, não é 100% seguro que um F35 ou qualquer outro 5ªG ganhe a um avião da geração anterior, mas as chances são bem maiores para os da 5ªGeração.

          • Rui, praticamente todos os caças atuais são multifunção. Mas alguns, por suas características são melhores em determinadas funções. É o caso do F-35, que por ser furtivo pode penetrar no espaço aéreo inimigo sem ser detectado, atacar suas instalações e sair incólume. Mas não é um grande dogfighter nem tem velocidade suficiente para ser um bom interceptador. Claramente o F-35 é uma evolução do conceito do F-117, com muito mais capacidade de autodefesa. Já o Gripen é ágil e veloz o suficiente para superioridade aérea, mas é prejudicado na função de ataque por sua menor capacidade de carga. Enfim, cada um tem seus pontos fortes e fracos e assim, obviamente, são mais adequados para determinadas funções

        • Não inventes, o f35 é um avião top, mas atinge mach 1.6 em vazio, e em grande altitude, tal e qual os outros, atingem a velocidade máxima em configuração limpa e a grande altitude.

  3. 🤔 Se “ele” se dá bem na Finlândia, será que daria na Antártida. Afinal a longevidade dos meios da FAB, acredito que qdo tudo degelar, teremos que defender algum topo de terra por lá. 🥴
    Ironic mode off

  4. Posso estar errado, mas tenho a impressão que na Finlandia vão preferir os biturbina, o que pode pesar na decisão a favor dos Gripen E, é a sua capacidade de combate, eletrõnica de ponta, alcance e custo mais baixo. O fato de depender de alguma forma de um pais fronteiriço para manter sua força aérea, poderia talvez ter algumas implicações estratégicas negativas.

  5. Olha, acho que o Gripen E tem poucas chances de ganhar essa concorrência por um motivo. Eles ainda estão em fase de protótipo e não homologados. Sem falar que eles enviaram o Gripen Demo para os testes.

  6. Três aspectos favoráveis ao Gripen são:
    1) o Awacs, que não vai de brinde, mas talvez o Gripen sendo mais barato, acabe nivelando as propostas;
    2) a versão biposto; e
    3) a suíte de guerra eletrônica.

  7. Uma dúvida sobre o Gripen E/F: ele foi projetado de forma a poder empregar conformal full tanks (CFT) como o F-16 E/F como opção para aumentar sua autonomia?

    • Ele não precisa disso. Seu trem de pouso foi reposicionado para acomodar um tanque de combustível maior. Isso, aliado ao baixo consumo por ser monomotor dá a ele um raio de ação de 1300 km.
      Caça corretamente projetado não precisa de gambiarra/puxadinho

      • Na realidade acredito que os CFTs sejam soluções de eficiência aerodinâmica melhor que aqueles dois “tarugos” em baixo das asas. Associa-se o fato de que podem liberar os hardpoints onde já seriam levados os dois ou mais tanques extras. Claro que obviamente se depende do tipo de missão a ser realizada, e nem sempre somente os CFT darão conta do recado.
        Ex: F-15E Strike Eagle, F-16I.

      • 1.300 km era a promessa da SAAB na época da concorrência do FX2; hoje os dados que eles apresentam não são muito específicos garantindo autonomia de mais de 800 km. E o CFT não são gambiarras mas uma solução criativa pra aumentar o combustível transportando pela aeronave causando bem menos arrasto que os tanques alijáveis e ainda liberando hardpoints para o transporte de carga útil! Olha as ultimas versões do F16 e do F15.

    • O ganho será a escala de produção, o que pode melhorar as condições de aquisição de futuros lotes. A EDS não ganha nada, pois a venda será da SAAB.

  8. Ei acredito que o Gripen tem boas chances sim. Horas de voo mais barata, eletrônica embarcada compatível com os 4+, caça de ótima logística (e isto para os paises bálticos é imprescindível), pousa em pouco espaço de pista (- de 800m), e tem uma ótima recuperação de energia, mesmo sendo um monomotor (os canards e controle eletrônico do manche compensam). Não estou informando que Rafale e f35 São piores… mas o Gripen está no páreo sim, mesmo porquê a Finlandia tb não tem muito dinheiro pra queimar em manutenção caríssima (f35 que o diga).

  9. Acredito que países com melhores condições financeiras não coloquem tanto peso nos custos operacionais. O Gripen me parece excelente para países com verba curta e necessidade de uma aeronave atualizada com alguma transferência de tecnologia. Me parece que mais adequado para a América Latina e Ásia, e mesmo assim sendo considerado luxo…. Lembra o conceito do Northrop F-5, quando foi lançado no final dos anos 50, direcionado para países aliados com poucos recursos. Nessa concorrência em especial, acredito que o Rafale primeiramente e depois o Eurofighter tenham vantagem, já que a questão de custos de aquisição e operação não parecem ser essenciais. Quem compra o básico se pode comprar o completo? Abraço, camaradas.

    • Mas o Gripen não representa o “básico”. Perceba que, em termos de eletrônica, o Gripen está, no mínimo, no mesmo patamar que o Rafale e o Typhoon, tendo inclusive algumas vantagens, como por exemplo o fato de ser o único dos concorrentes com transmissores AESA de Nitreto de Gálio (GaN) para a guerra eletrônica. A única desvantagem do Gripen está no fato de ser um caça de menor porte e ter, em consequência disso, menor capacidade de carga, mas é um fator que se compensa pelo menor custo de aquisição e operação que permite ter mais aeronaves voando.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here