Home Aviação Comercial Novo CEO da Boeing manda repensar o projeto do NMA

Novo CEO da Boeing manda repensar o projeto do NMA

4791
79
Conceito do Boeing 797 ou NMA

O novo executivo-chefe da Boeing enviou a gigante aeroespacial de volta à prancheta com propostas de uma nova aeronave para o mercado intermediário, arquivando efetivamente  seus planos atuais no valor de US$ 15 bilhões a US$ 20 bilhões (13 bilhões a 18 bilhões de euros) que foram superados ​​pela crise do 737 MAX.

A decisão sobre o lançamento de um novo avião de médio porte (NMA – New Midsize Airplane) com capacidade para 220-270 passageiros, que parecia iminente há apenas um ano, já havia sido adiada, já que a Boeing dedicou toda a sua atenção ao aterramento do 737 MAX depois de dois acidentes fatais.

Mas dias depois de assumir o comando com o mandato de tirar a Boeing de sua crise de reputação de 10 meses, o executivo-chefe Dave Calhoun disse que o campo competitivo mudou.

“Desde que os primeiros esboços foram feitos, as coisas mudaram um pouco … o campo competitivo é um pouco diferente”, disse ele a jornalistas em uma teleconferência na quarta-feira.

“Vamos começar do zero novamente; estou ansioso por isso”, disse Calhoun.

Ele também falou de uma nova abordagem para o mercado.

Um porta-voz da Boeing disse que Calhoun havia encomendado um novo estudo sobre que tipo de aeronave era necessária. As novas aeronaves normalmente levam seis ou sete anos para serem lançadas no mercado quando a decisão é tomada, embora a Boeing pretenda encurtar isso em parte por meio da tecnologia digital e de novos modelos de negócios projetados em torno do NMA.

FONTE: Reuters

Subscribe
Notify of
guest
79 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Washington Menezes
Washington Menezes
4 meses atrás

Ele quer mudar o foco das notícias na Boeing.

marcus
marcus
Reply to  Washington Menezes
4 meses atrás

Quer acabar com os puxadinhos de projetos. Novo avião partindo do zero.

Alexandre Cardoso
Alexandre Cardoso
Reply to  marcus
4 meses atrás

Como Puxadinho? O MAX não era novo projeto, iniciado do zero?

Alexandre Cardoso
Alexandre Cardoso
Reply to  Alexandre Cardoso
4 meses atrás

Puxadinho por que ele tinha como base o 737, é isso???

Heli
Heli
Reply to  Alexandre Cardoso
4 meses atrás

Colega, o 737MAX não é nada mais que um 737NG 700/800/900 (que por sua vez é apenas um 737Classic 300/400/500 mais esticado para acomodar 189 passageiros na versao 800, a mais vendida) remotorizados e com novos winglets. Isso afetou a estabilidade da aeronave pois os novos motores são bem maiores, mais volumosos e principalmente mais pesados e tiveram de ser postos mais a frente da asas visto que nao havia espaço entre a asa e o solo que eles coubessem, devido a altura do trem de pouso. Tudo isso interferiu no centro de gravidade da aeronave e como ela nao… Read more »

Marcos10
Marcos10
Reply to  Heli
4 meses atrás

Dizer que o Max e um puxadinho é dizer que o E2 também é puxadinho. O Caravelle utilizava a cabine do Comet. O 737 e 727 utilzam a cabine do 707. O 777 utiliza a cabine do 767. Quanto ao Max: o MCAS já era utilizado no NG sem nunca ter dado problemas. Era um sistema confiável. Essa versão de que os motores afetavam a estabilidade da aeronave também já caiu por terra: as adições que se fizeram no MCAS eram tão somente para cumprir normas. O Max é mais estável que as outras versões do 737. Como tudo em… Read more »

Augusto L
Augusto L
Reply to  Heli
4 meses atrás

Não afetou em nada o MAX, isso é lenda, o 737 MAX é mais estável que o classic.
Ja falei isso em 3 matérias do PA e ainda continuam com essa ladainha.

https://youtu.be/acLWErpqfcs

Deem uma estudada, pelo amor de Deus !

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Augusto L
4 meses atrás

Augusto L
A internet tem milhões de vídeos e outras milhões de opiniões.
Não é porque um sujeito posta alguma coisa que ela é verdade.
Tem gente que posta que a Terra é plana.
O 737-MAX tem uma tendência à perda de controle e o software tem de ficar constantemente corrigindo esse problema.
Se falhar, ele cai.
E isso os técnicos já falaram e é isso que estão tentando corrigir.

Radagast, o castanho
Radagast, o castanho
Reply to  Antoniokings
4 meses atrás

eh… o Lito é engenheiro aeronáutico e.. advinha… trabalha numa empresa de manutenção de aeronaves especializada em manutenção da Boeing. Acho que ele sabe muito bem o que está falando.

nonato
nonato
Reply to  Heli
4 meses atrás

Eu estava vendo esse detalhe ontem no Airway. Então é um problema mais sério do que pensei. Não se trata apenas de um software para melhorar a segurança. É um software para corrigir o tempo todo a tendência de o nariz do avião ficar apontado para cima. É correção o tempo todo. Assim acho mais complicado. É você corrigir o tempo todo um problema. Se bem que nos aviões de caça com canards é assim. O tempo todo o software corrige a instabilidade. Mas não gosto disso num avião cívil. São milhares de aviões voando o dia todo. Basta uma… Read more »

Alexandre Cardoso
Alexandre Cardoso
Reply to  Heli
4 meses atrás

Obrigado por responder

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Heli
4 meses atrás

Perfeito Heli.
E até o momento, a Boeing não conseguiu corrigir esse problema, o que mostra sua extrema gravidade.
É um remendo de projeto que destruiu a reputação da empresa.

Fulcrum
Fulcrum
Reply to  Alexandre Cardoso
4 meses atrás

“nariz subindo o tempo todo”? A posição oficial é que isso só tendencia em curvas acentuadas, flaps baixados e a baixa velocidade.

Marcos10
Marcos10
Reply to  marcus
4 meses atrás

Volta para a prancheta para redefinir questões de mercado. A demanda do mercado, no entendimento dele, mudou, portanto a empresa precisa estudar essa demanda e apresentar nova aeronave.

nonato
nonato
Reply to  Washington Menezes
4 meses atrás

Queria que desistissem da Embraer…

Silva
Silva
Reply to  nonato
4 meses atrás

Nonato, Ainda temos uma esperança desse negócio ir por água abaixo. Os reguladores europeus, recentemente, estenderam o prazo, sem uma data específica, para divulgarem sua decisão sobre a compra da Embraer. A minha esperança, é que os europeus, como bons protecionistas que são, especialmente os franceses, interpretem de alguma maneira, que a Boeing comprar a divisão comercial da Embraer, possa significar uma ameaça presente ou futura para a Airbus e para toda a cadeia de fornecedores europeus e os empregos que estes geram, além de concentrar e restringir ainda mais o mercado de fabricantes de aviões comerciais, o que não… Read more »

claudio couto
claudio couto
Reply to  Silva
4 meses atrás

..mas e a questão da Airbus e da Bombardier: também terá que ser cancelada essa parceria?

Valter Sales
Valter Sales
Reply to  nonato
4 meses atrás

Isso não é impossível não. Talvez tenhamos novidades em menos de 1 mês.

Antoniokings
Antoniokings
4 meses atrás

O prejuízo da Boeing com a situação do 737-MAX já chegou a US 25 bi e ainda tem um previsão de novos gastos de US 10 bi.
Essa notícia do NMA aparece para piorar mais ainda o estado geral de coisas na empresa.

Carlos Ravara
Carlos Ravara
Reply to  Antoniokings
4 meses atrás
Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Carlos Ravara
4 meses atrás

Será mortal para a companhia, visto que até o público não confia nesse modelo.
Cerca de 40% dos entrevistados não voariam no 737-MAX.

https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2019/12/desconfianca-de-passageiros-em-relacao-ao-737-max-aumenta-e-desafia-boeing.shtml

nonato
nonato
4 meses atrás

“embora a Boeing pretenda encurtar isso em parte por meio da tecnologia digital e de novos modelos de negócios projetados em torno do NMA.” Que bom que vai acatar minha recomendação. Hoje em dia, projetar um avião é muito fácil. É só discutir o que quer (tipo capacidade de passageiros, alcance),:discutir se há alguma inovação tecnológica pra acrescentar no projeto (usar mais materiais compostos? algum winglet? Algum motor mais econômico) e levar para a prancheta digital. Não tem segredo. Depois faz um protótipo em escala reduzida e leva pra o túnel de vento para confirmar o que o computador já… Read more »

nonato
nonato
Reply to  Alexandre Galante
4 meses atrás

Isso é falta de qualidade e não dificuldade. Tanto é que vários outros modelos voam sem esse problema. No KC 46 vários aviões foram entregues com ferramentas dentro. Não se trata de complexidade, mas falta de qualidade. A Embraer em 15 anos deve ter desenvolvido uns 15 modelos de aviões. Qualquer produto pode ser fabricado com defeito, inclusive cerveja, como aconteceu em minas gerais. Não se trata de ser difícil. Por falar em dificuldade, muito mais difícil é a Space X ir ao espaço e, poucos minutos depois, voltar a terra e pousar na vertical. O problema do 737 Max… Read more »

Cosme Eustáquio
Cosme Eustáquio
Reply to  Alexandre Galante
4 meses atrás

O 737Max não é um projeto novo, mas sim o reprojeto baseado no 737NG

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  nonato
4 meses atrás

“ Que bom que vai acatar minha recomendação.”

Valeu a pena dizer isso dia sim, dia não aqui no site, né? Finalmente um grande fabricante de aviões te ouviu!

Flanker
Flanker
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
4 meses atrás

Quanta modéstia do Nonato….hehehe

Rafael Loose Ferreira
Rafael Loose Ferreira
Reply to  nonato
4 meses atrás

Esse aí entende de desenvolvimento de produto… kkkkk

Fernando EMB
Fernando EMB
Reply to  nonato
4 meses atrás

Sabe de nada… Inocente.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Fernando EMB
4 meses atrás

Olá Fernando. Podemos discordar muito em algumas coisas, mas concordamos muito sobre esse ponto em especial.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Camargoer
4 meses atrás

Acho que nesse ponto, a concordância é unânime heheheh

Fábio Jeffer
Fábio Jeffer
Reply to  nonato
4 meses atrás

Acho que a Boeing deveria ter escolhido vc Nonato para ser o novo Ceo da empresa

Valdez Oliveira de Araujo
Valdez Oliveira de Araujo
Reply to  nonato
4 meses atrás

Projetar avião ê tão fácil que Rússia e China só for produzir seus widebodys agora…moleza

nonato
nonato
Reply to  Valdez Oliveira de Araujo
4 meses atrás

A Russia produz aviões muito mais complexos.
Como o mig 31 que voa a 3600 km/h.
O Japão é mais desenvolvido que o Brasil e não produz jatos regionais…

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  nonato
4 meses atrás

Nonato, você agora pegou pesado com a Mitsubishi. Magoando os caras desse jeito vai ser difícil eles curtirem as suas ideias.

https://m.youtube.com/watch?v=OOun1gBmuUw

Flanker
Flanker
Reply to  nonato
4 meses atrás

Nonato…..”debreia” é dá uma diminuída….Tá ficando feio….o que o Mig-31 tem a ver com jayos comerciais? Se fosse assim, os EUA nunca errariam, pois eles construíram o fantástico SR-71…..e o Japão não faz jatos comerciais? Pela sua lógica no caso russo eles estão em errados, pois produziram jatos de treinamento e de caça…..dá um tempo, Nonato, dá um tempo….Tá só te queimando….

nonato
nonato
Reply to  Flanker
4 meses atrás

Para o bom entendedor meia palavra basta.
Deram a entender que a Rússia não tinha nenhum avião comercial de sucesso (fora os já conhecidos) porque seria difícil, porque não teriam capacidade ou conhecimento.
Capacidade todo mundo sabe que eles têm.
Quem constrói um avião para voar a 3.500 km/h não se pode dizer que não tem conhecimento.
O tema da discussão era complexidade e capacidade.
Aí você não consegue associar porque o MIG 31 não teria nada a ver com um avião comercial…

Carlos p silva
Carlos p silva
Reply to  nonato
4 meses atrás

É uma ironia, né..? Cada uma…

Carlito
Carlito
Reply to  nonato
4 meses atrás

Parabéns, estamos no final de Janeiro, mas eu duvido que aparecerá um comentário pior que esse no decorrer de 2020. Podem deixar o prêmio de comentário ridículo do ano por aqui mesmo, pois o campeão apareceu por antecipação. O sujeito acha que engenharia é igual fritar pastel. É só fazer o pedido, e pouco depois aparecer o projeto prontinho para ser produzido. Pior ainda, acha que o computador é um gênio da lâmpada, para quem Basta dizer que tipo de produto se desejar, ele entrega tudo num pase de mágica. Cada uma…

Antunes Neto
Antunes Neto
4 meses atrás

Engenharia da Embraer?

gordo
gordo
Reply to  Antunes Neto
4 meses atrás

Não descarto a possibilidade da EMBRAER já ter um projeto meio que quase indo para o forno e a Boeing pega e terminar. A EMBRAER é (ainda) uma empresa muito solida e com um corpo de engenheiros pra lá de competente que conseguiram observar muito bem o mercado, suas necessidades e soluções. A Boeing não fez uma parceria, tirou uma concorrente do mercado.

Flanker
Flanker
Reply to  gordo
4 meses atrás

A Embraer ter um projeto para um avião com 220 a 270 pax? Apesar de não ser impossível, eu não creio. Nunca foi o nicho da empresa. A Embraer se notabilizou por liderar no projeto, construção e vendas de jatos para aviação regional. Inclusive, pelo que dizem, foi esse o diferencial que atraiu a Boeing,cair quer entrar nesse mercado.

Adriano RA
Adriano RA
Reply to  gordo
4 meses atrás

Caro Gordo. Perfeito o seu comentário, em minha humilde opinião. A Boeing faz tempo que terceirizou grande parte de seus projetos de Engenharia, para empresas no mundo todo. Perdeu o controle, prazos e parte do Know-how. A compra da divisão comercial da Embraer também levou em conta, e muito, a incorporação da excelente Engenharia da Embraer.

Filipe Prestes
Filipe Prestes
4 meses atrás

Chama a Embraer que ela resolve! Muitos desconhecem o fato que nos últimos 15 anos, durante cada ano do período, a empresa lançou no mercado algum avião novo dentre todas as categorias que constrói. Esse é um record que nem mesmo a Airbus ou Boeing igualaram nesse tempo e tudo graças á competentíssima engenharia da Embraer.

TeoB
TeoB
Reply to  Filipe Prestes
4 meses atrás

Com certeza vão trabalhar juntos, e meu medo é que a engenharia da EMBRAER seja absorvida por osmose para a Boeing hehe enfim temos com certeza muita gente competente.

Wilson Lobe Junior
Wilson Lobe Junior
Reply to  Filipe Prestes
4 meses atrás

Sim a Embraer tem bons engenheiros mas a Boing também e como plus tem experiência em aviões maiores. Lembre que a Embraer buscou ajuda com eles para o projeto das asas do KC-390.

Fernando EMB
Fernando EMB
Reply to  Wilson Lobe Junior
4 meses atrás

Isso é lenda!!

nonato
nonato
Reply to  Filipe Prestes
4 meses atrás

Isso confirma o que falei acima.
Nos últimos 15 anos, quantos aviões a Embraer lançou no mercado?
Qual a dificuldade?
Dizer que é fácil não significa que um leigo consiga fazer.
Até porque até para preparar um bolo, uma lasanha, com um leigo, a comida pode queimar.

Augusto L
Augusto L
Reply to  nonato
4 meses atrás

A Embraer mostrou que sabe fazer asas modernas vide as do E-2, mas a Boeing também sabe vide as do MAX, 787 e 777X.

Marcos10
Marcos10
Reply to  nonato
4 meses atrás

Nonato:
A Embraer iniciou o programa E2 em 2011, fez seu primeiro voo em 2016, para entrega de sua primeira unidade em 2018.
Já o C390, o programa foi iniciado em 2009, tendo seu primeiro voo em 2015, para entrega em 2019.

JuggerBR
JuggerBR
4 meses atrás

“As novas aeronaves normalmente levam seis ou sete anos para serem lançadas no mercado quando a decisão é tomada, embora a Boeing pretenda encurtar isso em parte por meio da tecnologia digital e de novos modelos de negócios projetados em torno do NMA.”
Aí que eu vejo o problema, empresa super pressionada pelos prazos pra fazer uma grande virada no mercado e reconquistar o mercado perdido, parte pra atalhos que podem dar muito errado.

Adriano Luchiari
Adriano Luchiari
4 meses atrás

Tragam o problema que a solução (EMBRAER) está chegando!

Augusto L
Augusto L
4 meses atrás

Provavelmente vão lançar um avião menor 180-240 lugares menos revolucionário, menos arriscado e que possa entrar em operação em menos de 5 anos.
Pra competir direto com o A321XRL.

Augusto L
Augusto L
Reply to  Augusto L
4 meses atrás

E que possa no futuro crescer ate 270 lugares com novas versões.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Augusto L
4 meses atrás

Não fale isso, pois está arriscado a aparecer um NMA-MAX.

Junior
Junior
4 meses atrás

Acho que o caldo entornou definitivamente para esse projeto do jeito que estava foi quando a United, que era para ser a cliente lançadora e maior incentivadora dele, ter escolhido o A321 NEO para substituir os 757, essa notícia deve ter caído como uma bomba em Chicago

Sergio
Sergio
4 meses atrás

É melhor mesmo as coisas mudarem na BOEING…..

Mauro
Mauro
4 meses atrás

Digam o que desejam, forneçam o dinheiro para o programa e os engenheiros brasileiros projetam e constroem este avião 100% no Brasil.

Não precisa ninguém de fora. Em dois anos está decolando da pista de SJC.

EduardoSP
EduardoSP
Reply to  Mauro
4 meses atrás

“Brasil!
Meu Brasil brasileiro,
Meu mulato inzoneiro,
Vou cantar-te nos meus versos…”

Paul Hansen
Paul Hansen
4 meses atrás

Ué……então por que raios compraram a Embraer que já produz e comercializa com extremo sucesso este tipo/tamanho de aviões ? Veja o exemplo do EM190-ER………

Flanker
Flanker
Reply to  Paul Hansen
4 meses atrás

O projeto da Boeing é para uma aeronave de 220 a 270 passageiros. O maior avião da Embraer, o 195E2 pode carregar um máximo de 144 passageiros.

Joli le Chat
Joli le Chat
4 meses atrás

Mais um projeto novo na gaveta.
Espero que não apareçam com um 757 Neo, um 757 retrofitado com fly by wire, pontinhas de asa fashion e motores novos.
O momento é de uma nova aeronave.

Augusto L
Augusto L
Reply to  Joli le Chat
4 meses atrás

Provavelmente sera algo “757 Neo, um 757 retrofitado com fly by wire, pontinhas de asa fashion e motores novos” nessa linha ja que a Airbus também esta nesse mercado com o A321XRL que não é um projeto totalmente novo, poderíamos fizer chulamente que é uma recauchutagem em referência a matéria de um funcionário da Boeing sobre o 737. Rsrsrs

Teropode
4 meses atrás

Deixem para o grupo de engenheiros da Embraer , entrem com a grana e não dêem palpite .

Ricardo Campelo
Ricardo Campelo
4 meses atrás

Desde o início das negociações entre Boeing e Embraer eu achava que ao invés de a Boeing salvar a Embraer seria exatamente o contrário!! Agora isso tá fazendo todo sentido!!! Resta saber se a Boeing dará essa chance ao corpo de engenharia da Embraer!!! Se ocorrer, será sucesso garantido essa nova aeronave!!! Essa é minha modesta opinião!!!

EduardoSP
EduardoSP
Reply to  Ricardo Campelo
4 meses atrás

O problema com o 737 MAX não foi falta de capacidade técnica do corpo de engenheiros da Boeing.
Foi problema de gestão na condução do projeto. E é essa gestão falha que irá assumir o comando da Boeing Brasil Commercial.

Peter nine nine
Peter nine nine
4 meses atrás

Então…. E o max?

Junior
Junior
Reply to  Peter nine nine
4 meses atrás

No chão, e vai continuar assim até pelo menos metade do ano, se nada de novo aparecer nesse projeto bichado, enfim, de qualquer maneira o estrago já foi feito, vidas foram perdidas e a imagem da Boeing saíra desse episódio bastante chamuscada

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Junior
4 meses atrás

Eu julguei até que este era o substituto e que o max ia mesmo ser cancelado.

Marcio
Marcio
4 meses atrás

A Boeing esta tentando angariar um empréstimo de 10 bilhões de dólares, valor esse somente para despesas de manutenção das aeronaves estacionadas nos pátios e pagamento de indenizações e/ou compensações financeiras as empresas aéreas. Considerando que a FAA vai liberar o Max, obvio se tudo estiver OK, la para o mês de Julho de 2020, essas despesas vão aumentar mais, além de continuar perdendo valor de mercado. Se o Max apresentar mais problemas que foram ocultados pela Boeing, a bancarrota vai bater a porta, por esse motivo se fosse o Governo Brasileiro, adiaria o negocio até o retorno definitivo do… Read more »

Sérgio Luís
Sérgio Luís
4 meses atrás

Eles “Boeing” tem mais é que chamar os projetistas da Embraer pra tomar conta de todos projetos da Boeing!
Isso sim!

EduardoSP
EduardoSP
Reply to  Sérgio Luís
4 meses atrás

Vai acontecer o contrário, a Boeing vai assumir o comando da BBC, pois tem 80% do capita social, o comando da empresa e do Conselho de Administração.

Sérgio Luís
Sérgio Luís
Reply to  EduardoSP
4 meses atrás

Vai quebrar a Embraer!

Marcos10
Marcos10
4 meses atrás

Para desespero de alguns a Boeing acaba de voar sua nova gambiarra.

Carlos Ravara
Carlos Ravara
4 meses atrás
Carlos Ravara
Carlos Ravara
4 meses atrás

Com menos de 24 horas o cara dá uma volta de 180°… Estranho.

Delfim
Delfim
4 meses atrás

Eu achei uma decisão muito sensata.
A Boeing já teve sua imagem arranhada com os problemas iniciais do 787, e mais ainda agora com os problemas do 737MAX.
A Boeing não pode se dar ao luxo de errar com o NMA, sua existência está em jogo.
.
A “joint-venture” com a Boeing precisa ser repensada, pelo menos nos termos atuais, para a Embraer e no final o BR não pagarem o pato da administração errática da Boeing.

OLIVETE DA SILVA
OLIVETE DA SILVA
4 meses atrás

É interessante como tanta tecnologia no 737 Max…e o avião simplesmente se auto derruba….é excesso de tecnologia.
Já na bastava a falha mecânica…tempestades,,,ventos fortes…
O piloto simplesmente é ignorado….

Paciência….condolência as familias inlutadas.