Home Aviação de Ataque O notável crescimento e jornada dos Gripen da Hungria

O notável crescimento e jornada dos Gripen da Hungria

4516
21
Saab Gripen da Força Aérea Húngara no Policiamento Aéreo do Báltico

O primeiro contrato de aluguel dos Gripens da Hungria foi assinado entre a Administração de Materiais de Defesa da Suécia (FMV) e o Ministério da Defesa da Hungria em fevereiro de 2003 para o fornecimento de 14 caças Gripen C/D (12 aeronaves monopostos e 2 bipostos). Para a Hungria, o acordo do Saab Gripen foi uma combinação favorável de fatores como faixa de preço, desempenho e longevidade.

Com recursos e capacidades como sonda de reabastecimento ar-ar (AAR), bombas guiadas a laser (LGBs) e sistema de geração de oxigênio a bordo (OBOGS), os Gripen húngaros ficaram totalmente prontos para operações internacionais e para realizar operações aéreas conjuntas e com forças terrestres. O primeiro desdobramento  internacional dos Gripens da Força Aérea Húngara (HunAF) ocorreu em maio de 2007, quando voaram para a Itália para participar do Exercício Spring Flag 07.

Com o Gripen, a HunAF efetivamente passou para a ser uma Força Aérea da OTAN. Nas últimas décadas, os caças Gripen húngaros participaram de vários exercícios e missões da OTAN. Eles voaram sua primeira missão no espaço aéreo do Báltico (Estônia, Letônia e Lituânia) no ano de 2015 e depois lideraram novamente a missão no ano passado, em abril.

O contrato de arrendamento entre a FMV e o Ministério da Defesa húngaro foi renovado em 2012. Com o contrato estendido de 10 anos, a Força Aérea Húngara operará o Gripen até 2026. A extensão também exigia que a FMV atualizasse os Gripens da HunAF para a versão MS20, conforme qual a Força Aérea recebe mais horas de voo (de 16.000 a 20.000) agora.

O aprimoramento da capacidade MS20 da série C do Gripen envolve atualizações de hardware e software, oferecendo uma série de melhorias e novas funcionalidades, tanto em termos da própria aeronave quanto dos sistemas auxiliares e de treinamento. O MS20 foi introduzido pela primeira vez com a Força Aérea Sueca em 2016.

A nova versão atualizada do Gripen húngaro inclui o míssil ar-ar MBDA Meteor e pequenas bombas GBU-39 SDB. Ele também oferece um sistema aprimorado de transmissão de dados Link 16 e um canal adicional que permite a comunicação com soldados de controle de aéreo avançado (JTAC/FAC) durante missões de apoio aéreo aproximado (CAS). Além do reconhecimento noturno, existe também a mira no capacete, aprimoramento dos níveis de defesa ABC (atômico, biológico, químico) e os processos de manutenção logística foram simplificados. O MS20, a longo prazo, tornará mais fácil para os caças da HunAF a integração de novas atualizações e capacidades no futuro.

No ano passado, durante um treinamento de duas semanas na Base Aérea de Vidsel, na Suécia, os caças húngaros Gripen foram submetidos a vários exercícios de treinamento para testar os novos recursos que acompanham a atualização MS20.

FONTE: Saab Gripen Blog

Subscribe
Notify of
guest
21 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fabio Araujo
Fabio Araujo
10 meses atrás

No próximo contrato de arrendamento será que vão passar para os Gripens E/F? Se na renovação passaram para a versão mais recente creio que seja bem provável que passem para a nova versão! Essa modalidade bem que poderia ser estendida para países de outras regiões como a América do Sul, seria uma boa atender um demanda deste tipo com os Gripens Made in Brazil.

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Fabio Araujo
10 meses atrás

Nesse caso seríamos beneficiados somente na venda do Gripen-E biplace…

Marcelo Bardo
Marcelo Bardo
Reply to  Adriano Madureira
10 meses atrás

Gripen F, no caso.

Rommelqe
Rommelqe
Reply to  Adriano Madureira
10 meses atrás

Nao e bem assim por que muitos itens dos monopostos Gripen E seriam potencialmente fornecidos por brasileiros tais como WADs, partes da fuselagem, entre outros.

Adriano Madureira
Adriano Madureira
10 meses atrás

Trilogia, já li muitos comentários falando sobre o Gripen-E , alguns dizem que ele seria superior ao F-16 Viper outros dizem que não, e alguns dizem que seriam equivalentes.
Há alguma matéria sobre o o F-16 Viper aqui?

É quanto uma opinião técnica, qual é a realidade entre as duas aeronaves e seus atributos🤔❓

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Adriano Madureira
10 meses atrás
Guilherme Poggio
Reply to  Adriano Madureira
10 meses atrás

Adriano Madureira, há diversas matérias aqui. Só digitar “Viper” no campo de buscas.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Adriano Madureira
10 meses atrás

Acho que no quesito velocidade máxima os gripen sai melhor.

Brummbär
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
10 meses atrás

“Velocidade máxima é irrelevante e não se deve dar muita atenção a ela…”
Um Gripen voando alto e rápido pode lançar um Meteor com mais velocidade / energia e, assim, aumentar o alcance do míssil.

dom.vitto
dom.vitto
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
10 meses atrás

Empatam em velocidade máxima, mas o Gripen ganha por voar em supercruise sem usar o pós combustor

Tomcat4.0
Tomcat4.0
Reply to  Adriano Madureira
10 meses atrás

Se não me engano a eletrônica embarcada do Gripen E é bem superior o tornando quase que uma aeronave de guerra eletrônica. Já houveram debates sobre essa briga Gripen E/Viper e creio que no fim o Gripen E levou a melhor.

Mauro
Mauro
10 meses atrás

Que imagem linda cara, uma porção de Gripen alinhados… nove deles.. imagina a FAB com o Gripen E, tudo em forma… poder aéreo no estado da arte..

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
10 meses atrás

Sobre esse negócio de “aluguel” de caças e navios…
Alguem saberia qual o valor desse empréstimo?
Isso não seria interessante pra países com FA’s fracas e relativamente pouco PIB, como Uruguai ou Paraguai, por exemplo?

nonato
nonato
Reply to  Willber Rodrigues
10 meses atrás

Brasil também…

João Moro
João Moro
Reply to  Willber Rodrigues
10 meses atrás

Poderia ser interessante, mas o maior problema seria a capacidade financeira. Aviões com o nível do GRIPEN E são muito caros. Versões anteriores do gripen (tipo o C) poderiam ser interessantes e viáveis financeiramente.

Rommelqe
Rommelqe
10 meses atrás

Quanto a questao do leasing, fico imaginando como seriam as clausulas contratuais para casos em que as aeronaves tenham que entrar em combate real. Complexo …

Teropode
10 meses atrás

Vamos torcer para não reduzirem o numero de grifos da Fab , 36 ja é muito pouco .

2Hard4U
2Hard4U
Reply to  Teropode
10 meses atrás

De onde vc tirou isso???

Augusto L
Augusto L
10 meses atrás

Acredito que na década passada a FAB perdeu uma oportunidade de um contrato de leasing assim com um jato moderno como o Gripen.

Poderíamos muito bem ter arrendado uns 12-18 caças Gripen com um offset da SAAB em investir na infraestrutura de manutenção do caça aqui, principalmente com a Celma podendo fazer as revisões no motor, seria um tremendo custo-benefício para FAB e de quebra ainda geraríamos empregos qualificados no Brasil de maneira mais realista do que a procura incansável pelo ToT.

Juarez
Juarez
10 meses atrás

Que aeronave e que fotos bonitas. Acredito que foi uma decisão acertada esta compra. Vai nos levar a outro patamar.