Home Espaço Satélite mais pesado da China é posicionado em órbita geossíncrona

Satélite mais pesado da China é posicionado em órbita geossíncrona

3359
34

PEQUIM – O satélite mais pesado e avançado da China, Shijian-20, alcançou sua posição fixa em órbita geossíncrona neste domingo, marcando o primeiro voo bem-sucedido da plataforma de satélite DFH-5, de acordo com a China Aerospace Science and Technology Corporation.

O Shijian-20 é o primeiro satélite de verificação para a plataforma DFH-5, a nova geração da China de grande plataforma de satélite em órbita geossíncrona.

Atualmente, o satélite concluiu a transferência de órbita e verificou as principais tecnologias da plataforma DFH-5, de acordo com Li Feng, projetista-chefe do satélite.

O satélite Shijian-20 foi lançado ao espaço pelo terceiro foguete Longa Marcha 5 de março, o maior foguete transportador da China em 27 de dezembro de 2019. Ele realizou experimentos em órbita para uma série de tecnologias-chave.

O Shijian-20 possui as maiores asas solares entre todos os satélites da China, com a envergadura total 10 metros maior que a de uma aeronave Boeing 737. As asas solares se desdobraram duas vezes, e o aumento da área delas fornecerá energia abundante ao satélite.

Comparada às plataformas de satélite DFH-3 e DFH-4, a plataforma de satélite DFH-5 melhorou em peso, potência e vida útil em órbita, o que atenderá às necessidades de satélites de alta capacidade nos próximos 20 anos, disse Zhou Zhicheng , engenheiro-chefe da plataforma de satélite DFH-5.

Foguete Longa Marcha 5

FONTE: Xinhua

34 COMMENTS

    • A china tem uma empresa que reaproveita os lançadores de satélites? se não, ainda tá bem atrás, mas para a tartaruga do brasil aumentar nossos laços em sistemas de satélites e foguetes seria maravilhoso

    • Tudo se resume a experiência de vida.
      A China tem mais história, cultura, conhecimento acumulado, experiência em guerras, conflitos internos, invasões, crises sociais…
      Tudo isto molda o comportamento de seus cidadãos.
      Mas nós temos um potencial enorme devidos aos recursos naturais, mesmo que correndo o risco de podermos aproveitá-los.

      • Se esse seu raciocínio estivesse correto, a África seria o continente mais desenvolvido, já que, segundo a História oficial, a Humanidade surgiu lá e as migrações não levaram todo mundo.

        • Existem pessoas que estão com 50 anos, acreditam que a terra é plana, imaginando inúmeras teorias de conspiração mas nunca fizeram nada produtivo na vida. Muito menos são capazes de tal feito.
          Em compensação, conheço pessoas com 35 anos que são bem sucedidas profissionalmente, construíram um razoável patrimônio e estão em situação de dar um bom estudo para deus filhos.
          Se você tivesse realmente lido o que falei veria que eu postei “experiência” e em nenhum momento “idade”. Experiência deve estar relativizada a diversidade.
          E isto não é raciocínio. É a estatística baseada na história.
          Os EUA são uma exceção e ainda sim patinam em alguns segmentos sociais.

      • o Brasil não surgiu do nada no século 16, nos temos nossos antepassadas nosso conhecimento, acumulado, conflitos internos, invasões, crises jogamos no lixo tudo isso em 1891

        • Carlos, não estou menosprezando a história de nosso país. Concordo que temos nosso mérito.
          Mas querer comparar a história nacional com a história milenar da China não dá.

  1. Brasil tinha mais industrias que a China nos anos 70. Imagine o orgulho de um patriota chinês vendo os avanços tecnológicos de seu país hoje… A verdade é que o Dragão Atômico acordou de um sono de 200 anos enquanto pintinho amarelinho continua batendo continência para a águia careca rs

    • E não temos sequer a desculpa de que eles têm know-how e nós não, pois começamos a desenvolver satélites juntos, em parceria, para que um suprisse as carências do outro, e com o mesmo nível de conhecimento.

      • Pois então espere o processo de desindustrialização e desnacionalização que nos espera nos próximos anos se essa política continuar.

    • Acontece que nos anos 70 o Brasil era aliado dos EUA, a indústria nacional foi para a vala com esse pessoal vermelhinho que odeia os EUA e deixou a indústria chinesa matar a brasileira.

      • Olha, meu amigo, sinceridade, eu vejo um montão de industriais chinesas por ai.
        Na realidade, eu vejo um montão de industrias americanas e européias.
        Eles destruíram a indústria nacional.

        • É mais fácil de concorrer com a indústria europeia e americana do que concorrer com a chinesa, aí que a indústria nacional não tem chance mesmo.

      • Que pessoal vermelhinho? Você está procurando um bode expiatório que se encaixe na sua visão de mundo.
        O buraco é muito mais embaixo.

        • Amigo, EduardoSP, não se iluda, não foi só com a indústria, veja os resultados pífios da educação, estamos atrás da Etiópia!!!!!!! De quem foi a culpa, vc não pode achar que é do capitão que só está há 1 ano, não existe outra verdade, é FATO, os comunas afundaram o Brasil!

      • Isso não é desculpa. Lembrando que antes da indústria chinesa melhorar foram empresas americanas e europeias que foram fabricar produtos lá já que o custo de produção é menor. Isso também aconteceu com a indústria automobilística nos EUA, muitas forma para o México. Empresário vai por sua fábrica onde fica mais barato. O Brasil perdeu uma grande oportunidade a partir dos anos 1990 de atrair mais empresas; tudo devido ao custo Brasile uma enxurrada de impostos, taxas e mais taxas. Eu já tive microempresa e não deu certo, não só pelos impostos e taxas mas também por outro grande problema do Brasil: a burocracia.

  2. O interessante dos países como a Coréia do Sul, China e mais alguns outros que estavam tecnologicamente atrás do Brasil na Década de 70 foi sua decisão de tomar partido a uma grande potência, como os Coreanos optaram pelos EUA e a China pela URSS(Rússia), essa decisão abriu o mercado para a troca de informações, desenvolvimento conjunto de setores tecnológicos e principalmente a tecnologia reversa, enquanto o nosso país sustentou uma economia protecionista e um discurso de um Estado Centralizador. Pagamos o preço dessa decisão. Assim na mina opinião a descentralização do Estado, a livre concorrência a abertura dos mercados para players novos estimulará nosso desenvolvimento Industrial, Comercial e principalmente humano, na qual nos forçará a estudar mais a se dedicar mais e apreender ser disciplinados e desafiados quanto a um objetivo maior. A reaproximação junto ao Governo Americano é uma luz no fim do túnel, que bons frutos possamos colher no futuro, pois tecnologia, capital e recursos humanos de qualidade e em quantidade os americanos possuem, basta ver as melhores Universidade do Mundo onde estão localizadas.

    • Perfeito Alexandre, nosso país nunca se preocupou com um projeto de “Estado” que fosse continuado. Sempre quem assumia o governo queria ter suas próprias idéias e projetos, enterrando o que já se havia iniciado no passado.
      Somando-se a isso o desenvolvimentos, industrial, comercia e social. O cultural foi o que menos sofreu ” Carnaval e futebol”.
      Perdemos algumas vezes o bonde da história. Acredito que ainda há jeito para nosso país.

      • “Sempre quem assumia o governo queria ter suas próprias idéias e projetos, enterrando o que já se havia iniciado no passado”
        E agora está diferente?

  3. Futuro do Brasil será plantar soja, milho e cuidar de boi porque a bancada conservadora só pensa nisso. Faz décadas que a industria nacional entrou em declínio.

    • A defesa nacional sempre foi negligenciada, inclusive nos mais de 20 anos que os militares estiveram no poder. Se batermos uma fotografia em 1982, depois de 18 anos de governos militares as forças armadas brasileiras eram bastante inferiores as da Argentina por exemplo.
      Eu concordo que as forças políticas não possuem nem vontade nem um projeto crível para a defesa, mas também há os corporativismos internos que tornam as FA´s grandes pagadoras pensões e salários e menos preocupadas com emprego operacional. Civis e militares dividem a responsabilidade pela situação, somos o pais dos barnabés, sejam paisanos ou fardados.

      • Aéreo, eu já queria ter tido coragem de ter dito isso aqui, mas como alguns aqui que o desmantelamento das forças armadas é algo recente, fica complicado. Desde o regime militar que as forças estão em situação ruim . Lembrando que em 1970 foram comprados apenas 20, eu disse 20 Mirage III, e em 1976 42 F-5 e isso com programa de ajuda dos EUA. Portando não é de é só nos últimos 20 anos que a FAB está nessa situação. para quem não sabe o efetivo da FAB é de 74 mil militares, o dobro da italiana e o triplo da de Israel que tem muito mais caças que nós. E não é o governo seja do Bolsonaro ou os anteriores que querem esse efetivo gigante, e sim os altos oficiais. No exército pelo tamanho do Brasil ainda se justifica ter 200.000 mil militares, mas a Fab que tem poucos aviões, principalmente caças com 74 mil e a marinha que nem navio tem ter 68 mil não faz o menor sentido.

    • Para o pessoal mais liberal, é esse o nosso caminho mesmo. Decorre da teoria das vantagens comparativas. Cada país se especializa na produção daquilo em que tem mais vantagens em comparação com os outros. No caso brasileiro, vamos ser exportadores de produtos agropecuários e minerais, áreas em que temos vantagens naturais.

    • faz década que a bancada conservadora governa o país? kkkkkkkkkk isso foi hilário, nem hj a bancada conservadora domina no congresso nem antes na republica nova

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here