Home Divulgação Não quer viver nesse planeta não? A NASA tem opções aqui perto

Não quer viver nesse planeta não? A NASA tem opções aqui perto

3814
42

Cansou da Terra? O Sistema Solar anda fraco em novidades? A NASA tem procurado exoplanetas e achou algumas opções bem bizarras aqui pertinho, apenas 11 anos-luz da Terra. Mais detalhes nesta matéria da série ‘Vale a pena abduzir de novo’, que a banda Abduzidos do iê iê iê traz para você na semana de lançamento de seu novo clipe: ‘Nesse planeta não’

A NASA informou ter encontrado um sistema multiplanetário a “pouca distância” da Terra, composto pelos exoplanetas GJ 15 A b e c que orbitam uma estrela vermelha. Como as distâncias no espaço são gigantescas, de fato esses planetas estão perto: “apenas”  11 anos-luz de distância, o que faz deles o nosso mais próximo sistema multiplanetário – ao menos entre os que já foram descobertos.

Um aspecto interessante da descoberta é que esses planetas oferecem aos pesquisadores e aos viajantes do futuro, eventualmente cansados da “mesmice” da Terra e do nosso Sistema Solar, uma abundância de características bizarras. O que tem órbita mais próxima da estrela vermelha, chamado GJ 15 A b, leva apenas 11 dias para orbitá-la, ou seja, para completar “um ano”. Como sua massa é três vezes a do nosso planeta, ele é classificado como uma “super Terra”. Também é super quente: 276 graus celsius na superfície.

Seu planeta-irmão, denominado GJ 15 A c (imagem do alto), é totalmente diferente. Trata-se de um gigante gasoso com massa 36 vezes maior que a Terra e sua órbita leva 20 anos, sendo provavelmente frio. Aparentemente sua órbita foi determinada pela companheira da estrela que ele orbita, uma outra estrela vermelha chamada GJ 15 B.

Mais de 4.000 exoplanetas descobertos – Ainda que mais observações sejam necessárias, tudo indica que este é um sistema bastante diferente, e por isso mesmo tem gerado muitas controvérsias entre pesquisadores desde a primeira descoberta, em 2014. Essa primeira observação foi inicialmente refutada por outra equipe, e depois reconsiderada. Finalmente, em outubro deste ano, esses planetas passaram, junto com outros 16, a fazer parte do arquivo de exoplanetas da NASA, que soma mais de 4.073 confirmados em nossa Galáxia.

Trilhões de mundos Reportagem anterior da NASA indica que esses poucos milhares de exoplanetas já confirmados são apenas uma pequena amostra do total. Entre os do tipo “Quente Júpiter”, absolutamente infernais, e as “Super Terras”, que são super misteriosas, há planetas congelados, gigantes gasosos que fariam os nossos parecer anões, não faltam tipos diferentes que, se levarmos em consideração a pequena área já explorada em nossa galáxia, podem somar trilhões de mundos.

TESS e Kepler – Boa parte desses exoplanetas estão sendo descobertos pelo telescópio TESS da NASA – sigla para “Transiting Exoplanet Survey Satellite”, visto nas imagens acima e ao lado. Astrônomos que ainda analisam dados da última busca por exoplanetas, realizada com o telescópio espacial Kepler, podem dar uma pincelada na diversidade demográfica que o TESS provavelmente descobrirá.

Super Terras – Até o momento, mais de 1/3 dos mais de 4.000 exoplanetas descobertos são do “tipo Netuno”, ou seja, esferas gasosas semelhantes em tamanho ao nosso conhecido Netuno, do Sistema Solar. Pouco menos do que isso é do tipo “gigantes gasosos, como Júpiter e Saturno. E perto de 900 deles são classificados como “Super Terras”, numa referencia ao tamanho: são maiores que o nosso planeta, porém menores que Netuno.

Essas “Super Terras” estão envoltas em mistérios, mas o que se pode dizer é que devem ser alguns dos mais comuns tipos de planetas encontrados em nossa Galáxia.

Mais de 150 “Terras” – Para quem prefere mundos com tamanhos similares ao nosso, as descobertas até agora identificaram, entre os exoplanetas confirmados, pouco mais de 150 planetas “terrestres”, ou seja, globos rochosos de diâmetro semelhante à nossa casa no espaço. Porém, apenas mais investigações poderão dizer se eles têm atmosferas, oceanos e algum sinal de que podem ser habitados.

Por fim, há aproximadamente uma dúzia na categoria de “desconhecidos”: sua presença foi detectada por métodos indiretos, mas pouco se sabe deles.

Rebola bola – Já outros confirmados têm características muito especiais. Por exemplo, os do tipo “Quente Júpiter” são gigantes gasosos com órbitas tão próximas às suas estrelas que as temperaturas chegam aos milhares de graus. Por orbitar tão próximo de seu sol, sua atração gravitacional faz a estrela “rebolar” em torno do eixo. Esta é uma característica que facilitou bastante, nos primórdios da busca de exoplanetas, a descoberta desses mundos fora do nosso Sistema Solar.

Párias e lacunas – Há também planetas que foram expulsos de seus sistemas, tornando-se párias do Universo. Provavelmente essa expulsão se deu na disputa gravitacional da formação de vários sistemas, sendo impulsionados para longe pela própria estrela ou por outro planeta. Há também lacunas nos conhecimentos e descobrimentos: as “Super Terras” podem ser tanto planetas rochosos quanto mundos com densidade totalmente diferente do nosso, o que ainda não se sabe.

E há uma lacuna de tamanho, pois até o momento há raros planetas que tenham entre 1,5 e 2 vezes o diâmetro da Terra. Seria um tamanho crítico na formação dos planetas, pois quando atingem esse tamanho passam a atrair gases como hidrogênio e hélio e se tornam predominantemente gasosos? Será que outros planetas rochosos menores, orbitando mais perto de suas estrelas, eram gasosos como Netuno mas perderam suas atmosferas?

Novo telescópio em 2021 – Talvez muitas perguntas possam ser respondidas – e, muito provavelmente, novas questões apareçam – quando a NASA lançar o tão esperado telescópio Jaes Webb, em 2021, que deverá estudar exoplanetas orbitando estrelas distantes. Uma dessas perguntas é justamente se um planeta rochoso em órbita próxima de uma estrela vermelha anã pode manter atmosfera.

Em reportagem divulgada neste mês, a NASA informou que uma equipe de astrônomos, por meio de quatro artigos publicados no Astrophysical Journal, propôs um novo método de responder a essa questão: medir a temperatura do planeta conforme ele passa atrás de sua estrela e novamente quando volta a ser visto, o que poderá ser uma forma mais rápida que as atualmente empregadas, podendo bastar 10 horas de observação para chegar a uma conclusão.

Anãs vermelhas – Por que pesquisar pequenos planetas rochosos orbitando anãs vermelhas? Um dos motivos é que essas estrelas, menores e menos quentes que o nosso Sol, são as mais comuns da Galáxia, e a busca de exoplanetas em sua órbita é mais fácil. Outro motivo é que, como as anãs vermelhas produzem muito menos calor que o Sol, as temperaturas ideais para nossa concepção de habitável ocorrem em órbitas próximas, semelhantes à distância que separa Mercúrio do Sol.

Ainda é longo o caminho para estas e outras explicações, mas pelo menos você já sabe que a rota para o sistema multiplanetário mais próximo, até agora descoberto, é relativamente curta em termos astronômicos: “apenas” 11 anos-luz!

Esta matéria é oferecimento da banda Abduzidos do iê iê iê, que acaba de lançar o clipe Nesse planeta não

Esta série é um oferecimento do trio de rock Abduzidos do iê iê iê, que alega ter sido abduzido nos anos 60. Fato ou fake, uma coisa é certa: a banda está cada vez mais ativa em nosso planeta, fazendo muito sucesso em festivais de música independente e acaba de lançar seu novo clipe, “Nesse planeta não“. Mais do que um clipe, é um “lyric video”, onde você pode aprender a letra enquanto assiste e curte o som.

Clique no link, na imagem acima ou na cena abaixo para conferir esse lançamento dos Abduzidos do iê iê iê!

Conheça a banda!

Esse power trio do outro mundo lançou, há poucos meses, o seu primeiro disco, “Em Órbita”Clique no link ao lado ou na imagem da capa do álbum e acesse a árvore de links (linktree) da banda, onde você escolhe as plataformas de streaming onde o disco já está disponível! Ou clique diretamente nos links abaixo da capa.

Se você não ouve música em plataformas digitais como estas acima, não tem problema: a banda também disponibilizou o álbum inteiro no YouTube, num vídeo com cerca de 36 minutos, com as 12 faixas na sequência. Clique na imagem abaixo para ouvir e curtir!

Veja também outros videoclipes e lyric videos 

Os Abduzidos do iê iê iê já publicaram diversos videoclipes e lyric videos em seu canal no YouTube. Acesse clicando nas imagens abaixo e aproveite para se inscrever no canal:

 

Ainda não segue os Abduzidos do iê iê iê nas redes sociais? Clique nos links abaixo e acesse os perfis da banda no Instagram e Facebook. Aí basta clicar em seguir e curtir. Pronto! Você acompanhará mais e mais aventuras imperdíveis da banda pelo espaço, além de trechos de shows e tudo o que vem por aí.

VEJA TAMBÉM:

Subscribe
Notify of
guest
42 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcos10
Marcos10
10 meses atrás

Onze anos luz?
Bom… viajando a 50% da velocidade da luz, o que é totalmente possível, levaríamos apenas 22 anos para chegar lá.

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  Marcos10
10 meses atrás

Marcos 10, 50% da velocidade da luz significa viajar a 150 mil kilometros por segundo. Está velocidade jamais será alcançada pêlos homen. Teóricamente, poderíamos alcançar entre 3% á 10% aproximadamente 10% usando propulsão avançada (fotônica ou nuclear). Alfa Centauro (estrêla mais próxima) está a 4 anos luz de distância, impossível de alcançar. Para se têr uma ideia das distâncias, vou te dar um exemplo: se você pudesse tomar um jato comercial e fôsse viajar para o sol, você chegaria lá daqui a 20 anos. Se a viagem fôsse da Terra até Plutão, usando o mesmo jato, você chegaria lá daqui… Read more »

Antonio Renato Arantes Cançado
Antonio Renato Arantes Cançado
10 meses atrás

Oi? Estrela vermelha? Quero não, obrigado…rsrsrsrsrs

Abduzidos do iê iê iê
Abduzidos do iê iê iê
Reply to  Antonio Renato Arantes Cançado
10 meses atrás

Não precisa ter medo, terráqueo.
As tais estrelas vermelhas foram diminuindo nos últimos tempos.
Viraram estrelas anãs, na constelação de Jararaca.

Alessandro
Alessandro
Reply to  Abduzidos do iê iê iê
10 meses atrás

Por favor, peçam ao seu líder para abduzir todos os vermelhinhos terráqueos e mandá-los para esse inferninho estelar, se fizerem isso vão se tornar heróis mundiais, fala lá com o seu chefe reptiliano, quebra esse galho pra nós rsrs…

Abduzidos do iê iê iê
Abduzidos do iê iê iê
Reply to  Alessandro
10 meses atrás

Com os reptilianos não tem conversa. 🦎 Eles são terraplanistas de verdade. 🌎 Querem achatar a Terra com raio trator até transformar em pizza. 🍕 Nossa mensagem é de amor e paz e iê iê iê para todo o planeta, dos vermelhinhos aos amarelinhos ☮️ ✌🏻

Alessandro
Alessandro
Reply to  Abduzidos do iê iê iê
10 meses atrás

“Com os reptilianos não tem conversa. 🦎 Eles são terraplanistas de verdade. ”

tá cheio deles aqui nos matando de vergonha rsrs…

DomSaf
DomSaf
Reply to  Antonio Renato Arantes Cançado
10 meses atrás

“Povo de bananarnia, que possue bandeiras de partido e corruptos de estimação, não estrague mais planetas e fique por ai mesmo.”

Gordo
Gordo
10 meses atrás

As estatísticas apontam para uma grande probabilidade de vida, e algo um pouco menor para vida mais complexa e algo muito menor para vida inteligente. Mas cabe ressaltar que essa probabilidade pequena ainda assim é um numero grande já que apenas nossa galáxia é gigante. Que fique a dica para preservarmos o que temos já que sair daqui não é opção, e tão cedo não teremos tecnologia para ir tão longe.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Gordo
10 meses atrás

Estimativas apontam mais de 100 Bilhões de Galaxias (não comprovado ainda). No planetário do Rio de Janeiro os cientistas, técnicos e especialistas já contaram mais de 5.000 analisando as fotos recebidas das Agencias Espaciais do Mundo todo. Cinco mil GALAXIAS… estimativas conservadoras apontam mais de 100.000.000.000 (cem bilhões) de estrelas apenas em nossa Via Láctea… dessa forma dá para imaginar que existem pelo menos 500.000.000.000.000 (quinhentos trilhões) de estrelas nas 5.000 galaxias que o Planetário do Rio teve a paciência de contar. Caraca… se não tiver Vida em outro lugar do Universo não somos filhos de Deus… somos verdadeiramente os… Read more »

Rafael M. F.
Rafael M. F.
10 meses atrás

Tem nenhum wormhole pra encurtar essa viagem aí não?

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Rafael M. F.
10 meses atrás

Estão trabalhando nisso, recomendo o livro “Universo numa casca de nós” do Stephen Hawking, leitura dificil, mas dá para perceber que tem uns caras nesse planetinha que estão a “anos-luz” a frente de todo o resto.

Rafael M. F.
Rafael M. F.
Reply to  Ricardo Bigliazzi
10 meses atrás

Eu tenho esse livro na minha biblio. Achei bem literário (como, aliás, é a mecânica quântica em si), mas interessante. De qq forma, valeu a dica!

Abduzidos do iê iê iê
Abduzidos do iê iê iê
Reply to  Rafael M. F.
10 meses atrás

Tem um wormhole com entrada principal em Alto Paraíso de Goiás e duas entradas menores em São Tomé das Letras e Varginha, mas as entradas são secretas e camufladas eletronicamente pelos ETs.

kevinbuenuu
10 meses atrás

A parte séria da reportagem é boa, mas o título da a entender que foi encontrado um planeta em plenas condições de vida aos humanos. A não ser que alguem aguente um calor de 260 °c no lombo, e uma força gravitacional que o fizesse se sentir o Péricles.

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  kevinbuenuu
10 meses atrás

Estou morrendo com 37° aqui no NE, imagine 260…

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  kevinbuenuu
10 meses atrás

Kevinbuennu,

Correto o seu comentário. Além do mais, sem água não pode existir vida biológica baseada no Carbono.

É possível que sejamos os únicos habitantes na galáxia.

Estamos esperando ansiosos pêlo lançamento do telescópio espacial James Webb, o qual vai buscar por bio assinaturas em vários exoplanetas.

kevinbuenuu
Reply to  Tadeu Mendes
10 meses atrás

Tadeu, exatamente. Se o que o Hubble conseguiu fazer foi extraordinário, imagine entao o poderoso James Webb.

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
10 meses atrás

Obstáculo 1 Impossível sair do sistema solar, se não pudermos viajar a velocidade da luz. Qualquer tentativa usando o método atual de propulsão química fariam com que as viagens espaciais interestelares durasem milhares de anos. Obstáculo 2 Nossa biologia não permite fora do planeta, por tempo prolongado (mêses). Os efeitos deletérios no corpo humanos são irreversíveis. Obstáculo 3 Logística mente impossível, lançar uma expedição interestelar em naves pequenas. Para levar astronautas (colonizadôres), víveres, equipamentos e combustível, se necessitaria naves com grandes dimensões (centenas de metros ou kilometros), e paras quais não temos tecnologia para construir-las. Vamos ter que esperar milhares… Read more »

Lucho
Lucho
Reply to  Tadeu Mendes
10 meses atrás

Irmão, nunca diga nunca ….. 200 anos atrás, foi dito que o homem nunca iria voar e olhar não apenas voou em seus céus, ele também veio ao espaço. Tudo o que é necessário agora é um meio de propulsão mais eficiente que o químico. O futuro são os motores eletromagnetismo. Saudações !! Hermano, nunca digas nunca…..Hace 200 años se decía que el hombre nunca iba a volar y mira no solo voló en sus cielos, también llego al espacio. Lo único que se necesita ahora es un medio de propulsión mas eficiente que el químico. El futuro son los… Read more »

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
10 meses atrás

4 Planetas por estrela… 2.000.000.000.000.000 (dois quatrilhões) de possíveis planetas… em apenas 5.000 galaxias… imagem nas hipotéticas 100.000.000.000 minimamente estimadas.

sub urbano
sub urbano
10 meses atrás

Falando em anãs vermelhas… Tem um livro do escritor Poul Anderson chamado “Mundo sem Estrelas” nesse livro uma tripulação de empreendedores, no futuro, naufraga em uma missão comercial num planeta que orbita uma estrela anã vermelha. Esse planeta é habitado por duas espécies: uma de anfíbios gigantes telepáticos que mantém um império super antigo e outra de repteis cujo estagio tecnologico algo similar a dos amerindios pre colombianos. Os anfíbios facistas escravizam uma população desses repteis slvicolas durante séculos e fazem eugenia com eles criando raças de soldados, agricultores, escribas etc. Alguns bandos desses repteis vivem no mato em tribos… Read more »

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  sub urbano
10 meses atrás

Sub urbano,

A produção literária de ficção-científica dos anos 60 foram realmente prolíficas e alto nível.

Arthur C. Clark, Isaac Asimov, Ray Bradbury, e
Stanislaw Lem foram os melhores, na opinião.

Thiago Aiani
Thiago Aiani
Reply to  Tadeu Mendes
10 meses atrás

Com certeza Tadeu , mas nao é possível deixar fora um autor visionário como Philip K. Dick. Suas os obras foram muito exploradas na produção cinematográfica norte-americana:
The Man in the High Castle;
Blade Runner ;
Minority Report ;
Total Recall…

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  Thiago Aiani
10 meses atrás

Thiago, Você já está falando de uma segunda geração de escritores, já finalizando os anos 70, e passando pêlos anos 80 e 90, correto? O interessante é que muitos filmes de ficção científica não são originados em livros. Eu gosto praticamente de quase tôdos os filmes da série Alien, e Terminator, mas nunca ouvi falar de que foram baseados em livros. A série O Planeta dos Macacos, foi baseado em uma obra escrita pôr um autor francês. Outra curiosidade minha, é sôbre a ficção científica russa, a qual não tenho nenhum conhecimento, em parte por causa do regime soviético daquela… Read more »

sub urbano
sub urbano
Reply to  Tadeu Mendes
10 meses atrás

Os escritores americanos são de longe os mais prolíficos da sci fi, dentre eles meu preferido é o Robert A. Heinlein (talvez meu autor preferido dentre todos). O arthur c clark é inglês e o Asimov era russo. Os autores franceses dessa época eram os mais doidos, acabei de ler um livro de um deles Pierre Barbet onde uma raça de alienigenas evoluida a tal ponto que não mais se preocupava com trabalho (era todo automatizado), moralidade sexual ou guerras tiveram a sua rotina de sibaritas ameaçada por outra raça de alienígenas bastante beliciosa e imperialista. Nesse contexto os sibaritas… Read more »

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  sub urbano
10 meses atrás

Sub urbano,

Como eu pude cometêr essa gafe, ao esqueçêr de mencionar Robert Heilein; outro grande, entre os pêsos pesados da ficção científica.

carvalho2008
Reply to  sub urbano
10 meses atrás

Acho que eram do Paul Anderson tambem… muito bom era o Planetas em Guerra….uma realidade em que Terra e Marte atravessaram uma guerra de desgaste por vinte anos e fomos derrotados…mas em meio ao retorno para casa, o Heroi terrestre descobre algo terrivel até para os marcianos, ambos foram apenas joguetes por…..tem ler…muita ação, mistério e união de ex inimigos….final eletrizante contando como memórias do passado… Outro infelizmente não lembro o título, mas era parecido com este que voce mencionou…envolvia um naufragio de viajantes terrestres em meio a um planeta gelado habitado por criaturas feudais em guerra…mas ai um mercador… Read more »

Paulo Cesar Gonçalves
Paulo Cesar Gonçalves
Reply to  sub urbano
10 meses atrás

Eu gosto muito do “Um estranho em uma terra estranha” do Heinlein.

Abduzidos do iê iê iê
Abduzidos do iê iê iê
Reply to  sub urbano
10 meses atrás

Sub urbano,
O piloto 👽 do nosso disco voador 🛸 , um dos protagonistas do videoclipe, conheceu o autor desse livro. Na verdade a história aconteceu, ele que contou pro escritor quando abduziram o cara. Os anfíbios telepáticos se converteram em sapos barbudos 🐸 e os répteis evoluiram pra jararacas. 🐍 A parte de selva virou um grande sítio onde o meio de transporte é de pedalinhos voadores e a parte urbana🏛 é um condomínio de triplex.

Paulo Cesar Gonçalves
Paulo Cesar Gonçalves
Reply to  sub urbano
10 meses atrás

Tem também um livro de um autor que eu só conheço esse livro, que é “As cidades mortas” e o autor é Clifford Simak. Eu já li quase tudo de ficção científica e acho esse livro o máximo!!

Michel Moreira
Michel Moreira
10 meses atrás

Trappist tem 7 planetas.

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  Michel Moreira
10 meses atrás

Michel,.

Está a uma distância 37.46 anos luz da Terra, ou seja, viajar até lá, vai demorar mais de 100 milhões de anos para chegar até lá.

A Terra é o útero da vida, e o bêrço da raça humana. Estamos no subúrbio da galáxia, sózinhos na escuridão cósmica.

Naamã
Naamã
10 meses atrás

Se depender dessas descobertas não vamos sair daqui nunca.A técnica atual é incapaz de descobrir planetas habitáveis.Só encontramos planetas gigantes ou perto de anãs vermelhas.

Anãs vermelhas são extremante hostis.Elas emitem pouca luz,reduzindo a “zona habitável” a uma distância na qual um planeta fica numa orbita sincronizada,com um lado no escuro e o outro tomando sol 24/7.Mas,paradoxalmente elas emitem erupções tão ou mais violentas que as do sol,atingindo a “zona habitável” com uma dose altíssima de radiação.

SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
10 meses atrás
Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  SmokingSnake 🐍
10 meses atrás

SmokingSnake,

Eu suspeito que os OVNIS são máquinas construídas por outras civilizações as quais já não existem mais ao nível biológico.

Eu visualizo civilizações inteiras fazendo upload (migrando) cognitivo para dentro de super computadores com IA e deixando a existência biológica para sempre.

Essa transmutação existêncial prossivelmente is permitiu viajar pêlas estrêlas e quem não seriam “êles” os que estariam semeando vida biológica em planetas habitáveis ou até mesmo terraforming planetas proto-habitáveis em novas colônias.

Sou tendencioso a filosofia trans humanista.

FERNANDO
FERNANDO
Reply to  Tadeu Mendes
10 meses atrás

Hummmm
dá para explicar de uma maneira menos acadêmica?

kevinbuenuu
Reply to  SmokingSnake 🐍
10 meses atrás

Dê uma pesquisada no projeto Starlink de Elon Musk, a resposta estará lá.

SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
Reply to  kevinbuenuu
10 meses atrás

xiu 🤐😁

Sérgio Luís
Sérgio Luís
10 meses atrás

Ridículo

FERNANDO
FERNANDO
10 meses atrás

Eu aceito!
Com uma condição!
Primeiro, ninguém aqui do blog vai!
Segundo, eu escolho o sistema político e econômico.
Quero fundar uma colônia socialista, baseada na justiça social e igualitária.
Não importa o quanto tempo leve para chegar, 250, 500 ou 1 milhão de anos, eu aceito!

Abduzidos do iê iê iê
Abduzidos do iê iê iê
Reply to  FERNANDO
10 meses atrás

Já existe aqui pertinho, com sede aqui em Marte. É a URSSS: União das Repúblicas Socialistas do Sistema Solar. Bota aquela tal de URSAL no chinelo.