Home Aviação de Caça KC-390 completa testes de reabastecimento em voo

KC-390 completa testes de reabastecimento em voo

7393
74

O cargueiro Embraer KC-390 da FAB completou os testes de reabastecimento em voo, segundo o site Airway.

Os testes com transferência de combustível diurnos e noturnos para jatos F-5 e A-1 foram realizados no último trimestre por equipes das bases aéreas de Canoas (ALA 3) e Santa Maria (ALA 4) no Rio Grande do Sul.

O KC-390, versão reabastecedora do recém batizado C-390 Millennium, pode reabastecer aeronaves através de duas sondas montadas sob as asas, fornecendo até 1.500 litros de combustível por minuto, capacidade que pode completar os tanques internos do F-5 e do A-1 em menos de dois minutos.

Usando três tanques extras, o KC-390 pode levar até 35 toneladas de combustível e é capaz de realizar o reabastecimento aéreo entre velocidades de 220km/h e 560 km/h, em altitudes de 610 a 9.750 metros.

A FAB informou que planeja fazer os testes de reabastecimento em voo de helicópteros H-36 Caracal no próximo ano.

O KC-390 também reabastecerá em voo os futuros caças F-39 Gripen.

74
Deixe um comentário

avatar
19 Comment threads
55 Thread replies
1 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
40 Comment authors
André CastroCássio SilvaCarlos RavaraFernando EMBBille Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Ferreras
Visitante
Ferreras

Um importante avanço, mas o ponto alto da festa vai ser o reabastecimento do Caracal.

Fabrízio
Visitante
Fabrízio

E do EC-105

José Airton
Visitante
José Airton

Boa noite amigo. Apenas digitação: SC-105 Grande abraço

Renato B.
Visitante
Renato B.

Eu acho o reabastecimento de helicóptero algo mais complicado, até pela diferença de velocidade. Por exemplo, operação Eagle Claw sofreu um acidente de reabastecimento entre um Hércules e um H-53.

Acredito que se conseguir fazer com o Caracal sem problemas a chance de fazer com outras aeronaves é bem maior.

Aurelio
Visitante
Aurelio

Salvo engano, na operação referida as aeronaves já se encontravam no solo mas com os motores ligados. Não teria ocorrido por problemas decorrentes da diferença de velocidade entre os aparelhos, mas de um erro de cálculo durante uma manobra causado pela baixa visibilidade gerada por uma tempestade de areia.
Abçs!

Space Jockey
Visitante
Space Jockey

Excelente

Lucas SM
Visitante
Lucas SM

Off topic
Qual a missão esta acontecendo neste momento na ala 4 de Santa Maria RS? Notei que estão sendo usados os A1, A29 e C130.

pampapoker
Visitante
pampapoker

Está havendo uma operação na região sul, operação Tinia

Maurício.
Visitante
Maurício.

Lucas, semana passada a movimentação estava bem grande aqui nos céus de São Leopoldo, teve até formação com 4 F-5, eu vi até um Learjet da FAB, só não identifiquei qual era a versão.

pampapoker
Visitante
pampapoker

O Maurício, eu também sou de São Leopoldo, sobre o Learjet, acredito ser a versão de reconhecimento, pois havia um nos portões aberto.

Maurício.
Visitante
Maurício.

Pampapoker, legal você ser aqui da região, no site da FAB diz que o R-35AM e o R-35A estão participando do exercício tinia.

PRAEFECTUS
Visitante
PRAEFECTUS

Saudações Lucas,

o que está ocorrendo é o Exercício Operacional (EXOP) Tínia, nas Alas 3 e 4, Organizações Militares localizadas em Canoas (RS) e Santa Maria (RS), respectivamente. As localidades receberam mais de 600 militares do efetivo de duas dezenas de Unidades distribuídas por todo o Brasil, simulando um ambiente de guerra convencional – quando há um conflito entre forças armadas de dois países ou alianças de Nações. Mais de 50 aeronaves estão envolvidas no Exercício, a ser realizado até 03 de dezembro.

Grato

Flanker
Visitante
Flanker

Isso mesmo. Aqui em Santa Maria, além dos A-1, H-60 e os Hermes 450 e 900 da Ala 4, tem ao menos 1 C-130, 1 KC-130, 2 C-105 e 12 A-29. Na Ala 3, em Canoas, além dos F-5M, tem R-99, E-99, R-35A e AM. São mais de 50 aeronaves e 600 militares envolvidos. O EXOP Tinia (deus etrusco doa céus) começou no dia 18/11 e vai até o dia 03/12.

RENAN
Visitante
RENAN

Parabéns aos envolvidos certamente do projetista ao piloto todos tiveram extrema competência por este feito.
Parabéns a todos

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Pelo amor de deus!
Mudem esse padrão de pintura do KC-390, não faz nem nunca fez sentido algum esse tipo de camuflagem.
A não ser que a FAB pretende esconder todas as suas aeronaves na floresta amazônica!
Ou então ela tem uma base hiper secreta (ao estilo área 51) lá rsrs.

José Airton
Visitante
José Airton

Rapaz, ao que tudo indica, este será o padrão tático adotado, juntamente com o cinza em alguns transportes e o vip. Note-se que não é só o KC, está praticamente na grande maioria dos meios, salvo alguns do esquadrão Condor e outros dos ETA’s.

José Airton
Visitante
José Airton

Agora, que o KC 390 iria ficar lindão todo cinza, isso ficaria!

ADRIANO MADUREIRA
Visitante
ADRIANO MADUREIRA

Até negro ele ficaria lindo…

Flanker
Visitante
Flanker

Isso já foi dito dezenas de vezes!!! Olhe uma aeronave com essa camuflagem voando sobre florestas, campos verdes, e qualquer outro tipo de vegetação verde….olhe a aeronave, em voo, de uma perspectiva mais alta. Um caça vai olhar de cima para baixo…..se procurar, vai achar imagens do que estou falando. Portanto, ela não é efetiva somente sobre a Amazônia. Agora, imagine a mesma situação com uma aeronave totalmente cinza…voando sobre um fundo verde…..

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Caro Flanker, então o KC-390 e outras aeronaves já descritas por mim que utilizam esse padrão de camuflagem terão que “roçar” a copa das árvores em um conflito para não serem detectadas por um caça voando mais alto, como disse você.
No mundo moderno onde os radares embarcados só faltam falar, não importa a camuflagem mas sim os sistemas de contra medidas.
Em caso de conflito com um país um pouco mais capaz de nada voar rente as árvores com padrão de camuflagem de selva que será visualizado pelos radares há kilometros de distância.

Flanker
Visitante
Flanker

Eu não vou discutir contigo……além disso, tu mesmo já te desdisse quando falou que os radares tornam nulas as camuflagens….e isso vale para essa verde e cinza, para uma toda cinza, para uma toda verde, para uma rosa choque ou uma verde limão…… Mas, porém, não precisa voar rente às árvores para essa camuflagem ser eficiente…..basta estar voando em qualquer altitude sobre o verde…..e no caso do KC-390, por exemplo, um caça que se aproxime dele, o fara por cima e não por baixo….. Porém, esquece o que eu falei…..enchi o saco! Pede para a FAB pintar de preto perolizado,… Read more »

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Isso demonstra sua incapacidade de argumentar e falta de embasamentos técnicos para corrobora o que afirma.
Não vou perder meu tempo contigo, continue viajando nesse ópio ideológico cego seu.
Cansei !

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

É o que eu digo caro amigos.
Esse padrão de camuflagem que atualmente se encontra no KC-390, Caracal, F-5M, AMX não faz sentido.
O ideal é que seria uma camuflagem Cinza chumbo, Negro, Cinza etc.
Essa camuflagem só se justifica no caso do Caracal, mesmo assim se o mesmo estiver operando em área de selva, se um dia operamos em deserto, ártico ou outro bioma, essa camuflagem servirá como uma “lanterna acesa” na escuridão para aeronaves inimigas.

Marcelo Andrade
Visitante
Marcelo Andrade

Foxtrot, acho lindo este padrão de pintura e até original! A não ser os F-39 que serão em dois tons de cinza(A FAB já confirmou). Se um dia operarmos no deserto ou outro bioma, é fácil camuflar a pintura, assim como foi feito com a Coalizão da Tempestade do Deserto. Paro a maior parte do bioma brasileiro, esta camuflagem é suficiente. é melhor uma avião com uma pintura que não agrade a todos voltando de uma missão do que uma pintura linda derrubado!

José Airton
Visitante
José Airton

Acho que o Marcelo agora, resumiu. Não é para agradar a ninguém, más estudos devem ter sido realizados por pessoas experientes da FAB e chegaram a este tom. Acredito que a FAB jamais o adotaria por achar lindo. Particularmente eu o acho, más gosto é muito individual. Assim, como nossa força é, hoje basicamente, uma força operacional de defesa, levem em conta que o ambiente é propício a este tipo de camuflagem. Assim, sugiro que nos habituemos com ele, pois ao que parece… Não será modificado, salvo seja descoberto outro padrão que assim o justifique. Saudações a todos.

Flanker
Visitante
Flanker

Kkkkkkkk….tu continua falando abobrinha! Sequer deve ter procurado uma imagem de uma aeronave da FAB, com essa camuflagem, voando sobre área verde…..
Qual deserto que iremos operar??????
Ártico??????? O que vamos fazer na outra ponta do planeta??????
Qual é o tipo de cobertura predominante do nosso solo?????
Tu pode não gostar, achar feio, ou qualquer outra coisa ligada ao teu gosto, mas que a camuflagem é funcional, tu não podes negar!!! Gosto é gosto…..mas, funcionalidade independe de beleza e estética!!

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Flanker blá blá blá, mi mi mi.
Cara reze para nunca entrarmos em guerra, pois como super especialista que somos , se bobear até mais que os Americanos que lutaram em todas as guerra da humanidade até hoje, criadores desse tipo de camuflagem e aplicação no Vietnã a abandonaram, seremos dizimados.
Rezo para que meus netos, sobrinhos etc nunca tenham que passar por uma situação dessa e depender de doutrinas tão ultrapassadas como as nossas.
Pois eu já não sirvo nem para bala de canhão, graças a meu bom Deus ! rsrs

Flanker
Visitante
Flanker

A FAB também abandonou a camuflagem Southeast Asia….. Os americanos lutaram todas as guerras desde que eles existem, ou seja, uns 500 anos….como país independente, então , são 243 anos…..portanto, muito menos do que “todas as guerras da humanidade até hoje”…. Nunca eu disse que somos super especialistas em nada…..só prefiro acreditar em profissionais (incompetentes, na sua opinião) do que na opinião de entusiastas….que é p que você, eu e quase todos aqui, somos……te garanto que essa camuflagem foi escolhida por muitos fatores, mas beleza não é um deles…..ninguém escolheu por simplesmente achá-la bonita ou porque achava que as aeronaves… Read more »

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Faço das suas palavras as minhas, enchi o saco.
Se acha que doutrina não tem haver com camuflagem ou qualquer equipamento utilizado para o combate, não preciso falar mais nada.
Cordial abraço!

Roberto Bozzo
Visitante
Roberto Bozzo

Alguém sabe informar se haverão testes com os A4 da MB ?

Vai ser fantástico quando forem feitos os testes de reabastecimento com os F39 e divulgarem imagens como a da última foto….

Leandro. O
Visitante
Leandro. O

35 toneladas??? A capacidade máxima de carga não era de 23Ton?

FernandoEMB
Visitante
FernandoEMB

E o combustível levado nas asas, não conta não?

Leandro. O
Visitante
Leandro. O

Kkk tem isso também. Tinha esquecido esse detalhe… Obrigado por ter tirado essa dúvida…

Mauricio R.
Visitante

A massa do combustível orgânico da aeronave, entra no cálculo do peso máximo de decolagem.
A massa do combustível de transferência disponível para revo e toda a parafernália da missão de reabastecimento em voo, é parte da “payload”.

DOUGLAS TARGINO
Visitante
DOUGLAS TARGINO

Então quer dizer que ele pode levar mais peso se for em locais de curto alcance, é só colocar menos combustível e mais peso.

Justin Case
Visitante
Justin Case

Não necessariamente. Há um outro fator limitante conhecido como Peso Máximo Zero Combustível.

Paulo
Visitante
Paulo

Amigo Douglas, ele tem um peso máximo Sem combustível…

Temos o Peso máximo sem combustível ( peso da aeronave em si mais a carga ) …
Peso máximo de decolagem ( Peso da aeronave em si mais a carga Mais o combustível) …

o peso máximo de pouso ( a aeronave tem que gastar certa quantidade de combustível para atingir esse peso e pousar em segurança)…

caso de voo curto podemos levar a carga toral… em voos longos talvez tenhamos que sacrificar o peso da carga para levarmos o combustível necessário para a etapa…

abcs

colombelli
Visitante
colombelli

Um capacidade fundamental para nossa defesa. Os helicopteros da FAB achoque ja fizeram toque secos. Saiu algo algum tempo atras

Johnny Michel
Visitante
Johnny Michel

Foi utilizando o “Barão” que é o apelido do KC-130 Hércules na FAB

Kemen
Visitante
Kemen

Muito bom, continuam os testes para deixar o Gripen certinho, sem falhas. A SAAb acabou acredito que em novembro de integrar mais um POD de Guerra Eletrônica, o EAJP (Electronic Attack Jammer Pod) que fara parte do AREXIS, agora se soma aos outros POD´s anteriores já integrados, com a mesma e outras finalidades.

DarKnightBR
Visitante
DarKnightBR

Boa Noite !!!

Antes de mais nada, parabéns aos envolvidos ! Mais uma prova da enorme capacidade técnica que a Embraer e a FAB possuem…!

Uma dúvida amigos: Se o peso vazio da aeronave é de 51.000 kg e o MTOW é de 81.000 kg (segundo dados da Wikipedia Brasil), como ele pode levar 35 ton´s de combustível ? São dados errados da Wikipedia ou me “escapa” algo ?

Até mais,
Dark

2Hard4U
Visitante
2Hard4U

Uma parte do combustível armazenado nas asas também pode servir para o reabastecimento de outras aeronaves.

Flanker
Visitante
Flanker

Essas 35 toneladas incluem as toneladas dos tanques extras e as toneladas do próprio KC. Todos os aviões trabalhadores transferem combustível de tanques extras ou de seus próprios tanques, para as aeronaves receptoras. Salvo engano, os KC-137 da FAB Nem possuíam tanques extras. Todo combustível que ele transferia para os F-5 e A-1 era de seua próprios tanques . Então, as 35 toneladas de combustível do KC-390 inclui o combustível utilizado por ele próprio para voar.

Mauricio R.
Visitante

Te escapou algo, sim.
Estão somando o combustível nas asas, que deveria ser contabilizado no peso máximo de decolagem da aeronave (MTOW), ao combustível de transferência, que juntamente com o equipamento de revo (tanques, HDU, etc…); é payload.
Pra dar a impressão que essa aeronave carrega realmente uma carga expressiva, em relação a concorrência, o A-400M (37 ton.) e o C-2 (36 ton.).
Ficaria mais bonito e seria realmente honesto, dizer que o combustível orgânico, aquele nas asas, também pode, sob certas condições ser usado para o reabastecimento em voo.
Mas…

DarKnightBR
Visitante
DarKnightBR

Então, eu entendi essa questão sobre usar o combustível das asas, mas a conta ainda não fecha ! Salvo se meus conceitos sobre peso vazio e MTOW estiverem errados ! Penso assim: Peso vazio – apenas aeronave, sem absolutamente nada (sem combustível, sem lubrificantes…), ou seja, a soma simples da massa de seus componentes; MTOW – Peso máximo que a aeronave pode levar considerando tudo (aeronave, carga, tripulação, combustível nas asas, combustível em tanques extras) para poder decolar… Considerando isso, a diferença é de apenas 30 toneladas (51 ton´s para 81 ton´s)… Então, mesmo se você “tuchar” combustível ali, não… Read more »

Marcos Holanda
Visitante
Marcos Holanda

Pela configuração inicial do KC 390, ele seria capaz de transportar uma lançadora do sistema Astro 2020 (sem necessitar desmontá-la), seria também, capaz de transportar uma VBTP-MR, 6X6, Guarani. Porém, até o momento eu não ouvi falar de nenhum teste destas capacidades. Alguém teria alguma informação a respeito?

Mauro
Visitante
Mauro

Um Astros embarcou num “KC 390” ainda no início do programa, era da dimensão exata do verdadeiro, neste teste, a viatura do Astros abriu a porta, no C130 a porta não abre e o motorista viaja embarcado, no KC390 é possível sair.
Também transporta dois M113B, o C130 só transporta um. O Guarani é sopa.
Baita avião, campanha.

Space Jockey
Visitante
Space Jockey

Esses provavelmente serão os últimos testes, lá pro ano que vem ou mais.

Fabio Araujo
Visitante
Fabio Araujo

Hoje foi um festival de boas notícias! WAD do Gripen sueco com tecnologia brasileira, simulador do gripen desenvolvido aqui e agora KC-390 completando testes de reabastecimento! Parabéns para a nossa indústria!

Rommelqe
Visitante
Rommelqe

Faltou um KC390 reabastecer outro KC390? Que dupla fantástica!
Uma dúvida: a versão Millenium possuira lança para ser reabastecida?

Johnny Michel
Visitante
Johnny Michel

Millennium não é o nome da versão e sim da aeronave, passando assim ser chamado todo e qualquer EMB-390, salvo quando o operador ou a própria fabricante (no caso de versões dedicadas) quiser fazer uso de outro nome que não seja este…

Johnny Michel
Visitante
Johnny Michel

O KC-390 já realizou “contato seco”, ou seja, sem a efetiva transferência de combustível, com um Lockheed KC-130 da FAB, nesse caso o Millennium atuou como receptor, ficando atrás e abaixo do “Barão” durante os testes…

Fabrízio
Visitante
Fabrízio

Alguém tem foto disso?

Deve ser uma imagem espetacular!!!

Carlos
Visitante
Carlos

Acho eu que deve estar bem próxima,a entrega de outro 390 para a F.A.B .
É só um achometro mesmo .
Abraços

GFC_RJ
Visitante
GFC_RJ

Não é achômetro. Foi amplamente divulgado que a 2a unidade iria ser entregue agora no final do ano.
Se não ocorrer, a FAB e a EDS terão de comunicar o porquê.

Abs.

Johnny Michel
Visitante
Johnny Michel

A versão com lança será opcional, não se sabe se quem optar pelo dispositivo também contará com os cabeamentos e dutos para a instalação do casulo (POD) que contém a mangueira e o cesto de reabastecimento aéreo, ou se esse também será um opcional. O que já havia sido divulgado, antes mesmo da apresentação do Millennium, era que a aeronave poderia ser equipada com o receptáculo para a conexão da sonda telescópica (Flying Boom), assim ele poderia receber combustível diretamente de aviões-tanque maiores como o KC-135 Stratotanker, KC-10 Extender, versões tanque do 767(IAI/Boeing) ou KC-46 Pegasus na USAF, Airbus A-330… Read more »

Rommelqe
Visitante
Rommelqe

Não há versão específica, até onde saiba, dotada com Flying Boom seja como reabastecedor seja enquanto receptor (conexão para flying boom); ja vimos estudos, mas requer uma série de modificações na fuselagem e tampa traseira, etc.. Agora a “versão Millenium” do KC-390, como voce acabou de dizer, pode ou não ser comprada com todo o cabeamento e outros pontos relativos à possibilidade de ser reabastecedor, como o são todos os exemplares da FAB. Certo? Abs

Johnny Michel
Visitante
Johnny Michel

O EMB-390 desde o início do projeto, lá pelos idos de 2007 já possuía a opção de ser reabastecido pelo método de sonda retrátil (Flying Boom), caso o operador solicite, será instalado o receptáculo e os respectivos itens. Essa medida já estaria sendo pensada para o mercado internacional e principalmente para países membros da OTAN. Já no caso de uma célula KC-390 Millennium receber uma sonda retrátil na sua rampa para atuar como reabastecedor, eu desconheço qualquer citação nos materiais que eu tenho sobre a aeronave, e sobre outro qualquer avião-tanque (que em particular é uma área que eu pesquiso… Read more »

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

É C-130 Millennium ou KC-390, se tiver capacidade REVO.
Não existe EMB-390.

Fernando EMB
Visitante
Fernando EMB

Existe sim. Está é a designação oficial EMB-390. SNME é a designação oficial de certificação e de engenharia. C-390 ou KC-390 são as designações militares e de mercado.

Johnny Michel
Visitante
Johnny Michel

A plaqueta de identificação do modelo que está fixada na fuselagem da aeronave indica que o código de fabricação é “EMB-390KC”…

Rommelqe
Visitante
Rommelqe

Lembro ter visto estudos com flying boom para o KC 390 em que mesmo seria disposto sobre a porta traseira. Se bem me lembro era baseado em estudo similari para o KC130 visando os F16 e agora os F35. Seria muito atrativo acho para ganhar clientes adicionais.

Johnny Michel
Visitante
Johnny Michel

Eu me lembro do conceito para o Transall C-160, só que o Flying Boom é um dispositivo que necessita de muita sensibilidade e para isso deve estar bastante firme na fuselagem do aparelho, pelo contrário corre se o risco de perde-lo em voo como foi o caso do Airbus A-330 MRTT que o equipamento se soltou durante os voos de certificação e até aonde tenho notícias, nunca foi encontrado…

Johnny Michel
Visitante
Johnny Michel

Um avião cargueiro dotado de rampa traseira e com um Flying Boom adaptado nela creio eu que não faria muito sentido, uma vez que a conversão necessita de reforços estruturais, levaria muito tempo para que uma célula estivesse apta a receber o equipamento, o KC-130 Hércules por exemplo, leva dois dias para ter seus sistemas de reabastecimento aéreo colocado ou retirado, digo em questão de cabeamentos, dutos, tanques extras, conexões, casulo, são tempos preciosos em uma situação real de conflito e requer muita logística, sem contar que você deixaria uma lacuna de pessoal e material em duas áreas muito importantes… Read more »

Rommelqe
Visitante
Rommelqe

Essa adaptação do flying boom no KC390 e mesmo no c130 é justamente muito cara e pouco confiável. Neste estudo que vi a tubulação fica no teto até uma seção bem proxima do topo da abertura da porta traseira e a partir daí há uma extensão telescópica similar aos demais sistemas existentes. Lógico que a articulação é um ponto fragil e tem que ser otimizada para nao.ocorrer algo similar ao 330 que vc citou. Há uma opção de fazer externamente abaixo da fuselagem (solução cara e difícil em muitos e vários aspectos, sendo logicamente os principais os de cunho aerodinâmico… Read more »

Johnny Michel
Visitante
Johnny Michel

Esse conceito é interessante, embora não seja engenheiro ou técnico na área, eu sou muito realista, creio eu essa adaptação não seja muito funcional, iria ser necessária a modificação na estrutura (o que significa mais peso ao aparelho), notadamente diminuiria os níveis de segurança para uma operação eficaz (vide aquele incidente com o E-3 Sentry em manobra com um KC-135 Stratotanker). Um projeto que eu vi que me pareceu promissor, era o que permitia instalar uma sonda retrátil num tanque auxiliar, com isso aeronaves como o F-16 Falcon, F-18 SH, F-15 Eagle dentre outras poderiam receber combustível diretamente de aviões-tanque… Read more »

João Moro
Visitante
João Moro

Um sucesso atrás do outro! longa vida e boas vendas ao C-390!

Major Maverick
Visitante
Major Maverick

Porque treinar no sul ? Sendo que a base de operação é no centro oeste.

Flanker
Visitante
Flanker

O que é mais fácil e barato deslocar : 1 KC-390 ou dois F-5 e dois A-1. Além disso, independente de quem fosse se deslocar para onde, avião é feito para voar! A base do KC é no centro-oeste, mas sua área de operação é, no mínimo, todo o território nacional….

Rommelqe
Visitante
Rommelqe

Vc já pensou quem e o inimigo potencial?

Bille
Visitante
Bille

Buenas. O KC390 já faz TGL? Pelo que ouvi só pouso completo. E parece que não tá homologado nem pra levar carga….
Alguém que tá por dentro pode esclarecer?

Carlos Ravara
Visitante
Carlos Ravara

Parece ser o “C-130” da Boeing…
Vai retirá-la do buraco, o potencial de vendas dessa aeronave é incrível.

Cássio Silva
Visitante
Cássio Silva

Ótima notícia, se faz necessário constantes treinamentos para manter a proeficiência dos nossos pilotos.

André Castro
Visitante
André Castro

Off-topic: Documentário sobre a manutenção dos Gripens Tchecos https://youtu.be/FQ_wIptrASY