Home Aviação Militar Operação Cruzeiro: Primeiro ensaio em voo de um motor aeronáutico hipersônico nacional

Operação Cruzeiro: Primeiro ensaio em voo de um motor aeronáutico hipersônico nacional

13062
97

O Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) já tem definido o nome da Campanha responsável pelo primeiro Ensaio em Voo do motor aeronáutico hipersônico em desenvolvimento no país: Operação CRUZEIRO.

A apresentação oficial da Bolacha alusiva à operação ocorreu no final de outubro, e tem como destaque o sistema integrado veículo acelerador hipersônico (VAH) e motor aeronáutico hipersônico, batizado de 14-X S. “Durante a Operação Cruzeiro, a plataforma de demonstração do motor hipersônico aspirado será levada até sua condição de partida, a cerca de 7.500 km/h na estratosfera terrestre, pelo VAH, baseado no foguete de sondagem VSB-30, o 32º da série”, explica o Dr. Israel Rego, gerente do Projeto Estratégico 14-X do Comando da Aeronáutica (COMAER).

O VSB-30 já foi empregado com sucesso por duas vezes em campanhas do Programa Australiano HIFiRE, para ensaio em voo de um motor aeronáutico a combustão supersônica (scramjet) e de um planador hipersônico. “No nosso caso, o 14-X S será a carga útildo VAH, funcionando como um terceiro estágio propulsivo “aspirado”, cujos subsistemas já estão sendo fabricados pelo IEAv em parceria com a empresa Orbital Engenharia LTDA, e cujas inspeções e ensaios de qualificação e de aceitação serão conduzidos pelo Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) para posteriores certificações pelo Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI)”, afirma Rego.

A Operação CRUZEIRO será conduzida a partir do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) que, além de dispor de infraestrutura única para lançamento e rastreamento, apresenta naturalmente uma localização privilegiada, capaz de oferecer um vasto “corredor de voo”, sobre o Oceano Atlântico. Ainda em apoio à Operação CRUZEIRO, o Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI) será utilizado como uma estação remota para rastreio redundante da trajetória acima da mesosfera terrestre.

“Nesse primeiro ensaio em voo, um dos objetivos principais consiste na telemedida de dados aerotermodinâmicos associados à condição de partida do motor, capazes de validar e otimizar nossos modelos computacionais e dados experimentais obtidos em laboratório. Além disso, ele consolidará o emprego de algumas tecnologias críticas, com destaque para o estágio de compressão móvel, combustor supersônico e sistema de armazenamento e de injeção de combustível (hidrogênio gasoso)”, afirma o Dr. Dermeval Carinhana Jr., Chefe da Divisão de Aerotermodinâmica e Hipersônica do IEAv. Ele ainda explica: “A Operação Cruzeiro fecha um ciclo de pouco mais de uma década de esforços no estabelecimento dos fundamentos e requisitos associados à tecnologia de propulsão scramjet, ao mesmo tempo em que dá início a um novo ciclo inédito no tocante ao desenvolvimento de um produto de defesa nacional”.

Nesse novo cenário, fascinante e desafiador, o Diretor do IEAv, Cel Av Lester de Abreu Faria, complementa: “A Operação Cruzeiro se mostra como um primeiro e grande passo em termos de ensaios em vôo hipersônicos, contribuindo para elevar o nível de prontidão tecnológica (TRL) da Força Aérea Brasileira (FAB) no tocante a sistemas de propulsão hipersônica aspirada, saltando do nível 4 (validação em ambiente laboratorial) para o nível 7 (demonstração em ambiente operacional). É só o primeiro passo de uma caminhada disruptiva e impactante no cenário Geopolítico Mundial que colocará o Brasil em uma posição de destaque frente aos maiores e mais desenvolvidos países do mundo. É para isso trabalhamos e é por isso que somos reconhecidos!”.

FONTE: Instituto de Estudos Avançados – DCTA

97
Deixe um comentário

avatar
29 Comment threads
68 Thread replies
2 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
63 Comment authors
Wagnerpaddy mayneJoão Morohoratio nelsonMarcelo Baptista Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Adriano Madureira
Visitante
Adriano Madureira

A aeronave 14X será um vant de espionagem/observação, será uma aeronave para levar mísseis ou ele mesmo pode ser um artefato explosivo?

Marcos10
Visitante
Marcos10

Por hora não vai virar nada. É só um teste para ver se conseguem dominar o ciclo de um motor scram jet.

Teropode
Visitante

Apenas uma aeronave de pesquisa . Mas duvido que tenga uma aplicação prática, aqui quase nada é aproveitado e dado sequência, o míssil anti-radiacao é um dos exemplos desta perda de foco, no estilo barata em galinheiro .

Tutu
Visitante

O que falta não é foco, é dinheiro.

Wagner
Visitante
Wagner

Errado. Falta foco

Ronaldo Bettega
Visitante
Ronaldo Bettega

A interferencia internacional nos impede de crescer, estamos aqui apenas para atender aos interesses dos EUA, como nosso desenvolvimento n e d interesse deles, nada vai p frente. China ou Russia fariam conosco o mesmo q os EUA fazem.

sagaz
Visitante
sagaz

Incrível, um comentário consegue ser menor que o outro. Necessário às vezes uma terapia a nível nacional.

MMerlin
Visitante
MMerlin

Fale por você. Nos últimos 30 anos que acompanho projetos militares, as piores interferências partiram do Executivo e do Legislativo, principalmente devido a gestões incompetentes e desvio de recursos públicos.
Acreditar que não estamos falhando e que o problema é exclusivamente de interferência externa facilita o desenvolvimento do famoso complexo de vira-latas.

Jorge Marques
Visitante
Jorge Marques

Exatamente isso…politicagem…Executivo e legislativo muitas vezes trabalham sob interesses extra_Brasil. Concordo com o Ronaldo.

Gordo
Visitante
Gordo

Em partes Você tem razão, mas a interferência externa também existe e quem abre as portas a ela são políticos e aquele pessoal que adora morar em Miami. Cito o caso da engenharia reversa que faziamos do Scud na década de 80*, que era em grande parte patrocinada pelo Iraque, que iria gerar algo com desempenho muito melhor. Um secretário de estado dos EUA foi incumbido de vir abortar o projeto que já estava bem adiantado. Culpar os EUA por isso não acho correto já que fariamos o mesmo com algum vizinho nosso, a questão ai é nossa postura frente… Read more »

Peter nine nine
Visitante
Peter nine nine

Merlin, interferência interna não exclui a externa, se eu quiser, e tiver poder para, afectar um qualquer programa de uma qualquer nação, o que eu faria seria entrar em contacto com alguem volátil para a corrupção, pareceria interno mas de facto fui eu, externo.

MMerlin
Visitante
MMerlin

Acredito que isto ficou claro no comentário postado: “…e que o problema é exclusivamente de interferência externa…”.

Maurício.
Visitante
Maurício.

Ronaldo, que existe interferência internacional no nosso programa espacial, isso não podemos negar, o Wikileaks, as bóias e os cerca de 116 estrangeiros na região na época do acidente comprovam isso.
Mas o principal problema do nosso programa espacial é a crônica falta de recursos, os principais sabotadores são os nossos próprios políticos, culpo também parte de nossas forças armadas que as vezes fazem vista grossa para certas coisas.
Na minha opinião culpar apenas a interferência internacional pelos nossos fracassos é um grande erro.

Gordo
Visitante
Gordo

Nesse momento vamos torcer para que consigam desenvolver o motor e torcer para que num futuro tenhamos um governo mais Brasil e menos dado a declarações de amor. A aplicação mais interessante para esse projeto seria em um míssil antinavio com um alcance de uns 300km ou mais. Por hora vamos louvar o esforço de nossa engenharia.

Zé Mané
Visitante
Zé Mané

Só mesmo um míssil hipersônico para parar o Mengão.

paddy mayne
Visitante
paddy mayne

O sujeito faz uma pergunta honesta e leva várias negativadas. Acho isso falta de educação, pois estamos todos aqui para aprender. Uma pergunta pode parecer simplista para uns, mas é importante para outros.

SN-10 Álvaro Alberto
Visitante
SN-10 Álvaro Alberto

Seria possível esse projeto ser o começo de um ICBM Planador ou um míssil anti-balisco intercontinental?

Space Jockey
Visitante
Space Jockey

Sim, mas eles não admitem, mas no fundo é o sonho da FAB, assim como o VLM é pra eles um ICBM, e estão certos.

MMerlin
Visitante
MMerlin

Cada uma na sua área. A FAB atua no seu segmento.
Mas sabemos hoje que, a médio e longo prazo, interferências econômicas são tão ou mais devastadores que um míssil intercontinental.

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

Sim é possível. Ano que vem a Avibras vai produzir combustível sólido para figuetes. Quem sabe na década de 30 desse século teremos um ICBM. Aliás o VLS era um ICBM

Space Jockey
Visitante
Space Jockey

Tem o VLM agora

Wellington Rossi Kramer
Visitante
Wellington Rossi Kramer

ICBM planador é uma contradição!

Bardini
Visitante
Bardini

hehehe…

Eduardo de Assis Ribeiro Filho
Visitante
Eduardo de Assis Ribeiro Filho

Não podemos ter ICBM em vista de tratados internacionais que assinamos. Deverá ter outra utilidade espacial. Talvez uma tecnologia que barateie o lançamento de mini satélites.

Space Jockey
Visitante
Space Jockey

Não podemos ter a bomba, o ICBM faz quem quiser. Mas existe um boato de que o clubinho nuclear quer proibir os hipersonicos mais la na frente.

Filipe Prestes
Visitante
Filipe Prestes

Tomara que isso se traduza num míssil hipersônico futuramente

Rogério Melo
Visitante
Rogério Melo

Cuidado com sabotagens

Tutu
Visitante

Eu teria mais cuidado com contingênciamentos ou cortes no orçamento, isso sim, como já está provado explode foguetes.

Almeida
Visitante
Almeida

Tem que ter cuidado com ambos!

Francisco Herês
Visitante
Francisco Herês

Meu caro, aqui não precisa de sabotagem, o maior inimigo do Brasil são os próprios brasileiros. São os brasileiros que exploram o Nióbio, São os brasileiros que destroem as florestas para fazer pasto e carvão. São os brasileiros que só pensam em levar vantagem em tudo (certo?). São os brasileiros que roubam e assaltam os cofres públicos, deixando o povo sem escolas, educação, segurança e etc. Não temos inimigos externos, só internos.

jose luiz esposito
Visitante
jose luiz esposito

Que Florestas te referes ? Estas jogando conversas fora, e fazendo denuncias vazias , próprio de quem não conhece a Amazônia!Pare , estudes e pense .

Marcio Cosentino
Visitante
Marcio Cosentino
wwolf22
Membro
Noble Member
wwolf22

Alcântara que o diga….
objeto de espionagem francês achado no litoral na mesma semana…

Meireles
Visitante
Meireles

Qual é a data de início dos testes de vôo?

Diogo de Araujo
Visitante

É mais uma maquete que não vai sair do plano espiritual… Quem conhece o projeto do míssil antinavio sabe do que estou falando

Wilson
Visitante
Wilson

Está falando do mesmo que já teve 3 disparos reais?

Se você soubesse a quantidade de armas alemãs da 2 guerra que não saíram do papel (nem maquete tiveram), talvez criticasse menos o Brasil.
Só para ter uma ideia apenas os aviões são mais de 300.

Ricardo picheta
Visitante
Ricardo picheta

E a quantidade de armas alemãs que saíram do papel?

Wilson
Visitante
Wilson

Só dos aviões diria que uns 20 chegaram a entrar em operação, e uns 150 a 200 tiveram ao menos um protótipo(muitos desses não atingiam o desempenho esperado e eram cancelados). Eu diria que só uns 10% de todas as armas alemãs entraram em serviço na WWII e as que tiveram pelo menos um protótipo deve chegar a uns 35 a 40%. Só que foram milhares de idéias, além de que eles estavam em guerra e valia tudo para tentar vencer, só que com tudo isso muitas armas tiveram o seu desenvolvimento muito afetado o que levou que só entrassem… Read more »

Meireles
Visitante
Meireles

kkkkkkkkkkkkkkkkkk…

As vezes eu também tenho essa mesma impressão Diogo, igual ao Sub nuclear, fizeram a maior festa que o Brasil teria um, as novas matérias estão dizendo que vai ficar pronto em 2030, de 2008 pra 2030 são 22 anos, é muita coisa, daí aparecem essas matérias mas ninguém apresenta uma data pro acontecimento épico, daqui a pouco alguém vem e fala que será lançado em 2050 rsrsrsrsrs…

Vinicius Momesso
Visitante
Vinicius Momesso

Pergunta de leigo: Qual ou quais(se houverem) seriam as semelhanças com o russo Avangard ?

Vinicius Momesso
Visitante
Vinicius Momesso

Se a pergunta fosse sobre o americano X-43A, iam responder a minha pergunta rapidamente.

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

Pelo q eu entendo o Avangard é só um planador. Ele só tem o design hipersonico.o 14X tem propulsão própria.

Vinicius Momesso
Visitante
Vinicius Momesso

Já que dinheiro é um requisito mínimo para se tirar um projeto “do papel”: Não seria mais viável uma parceria com alguma nação que entre com o money, tipo India, Arabia Saudita…?

Space Jockey
Visitante
Space Jockey

Nós temos dinheiro, só não temos culhões pra investí-lo em defesa.

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

Seria bom. Até mesmo a China. Mas essa é ums tecnologia q todo mundo quer e que ninguém mais tenha

Jeff
Visitante
Jeff

Parabéns a todos os envolvidos, e que os nossos governos mantenham interesse e verbas para nossas pesquisas de ponta.

Welder
Visitante
Welder

Muito bom. Se funcionar sera a primeira arma realmente útil desenvolvida aqui. E se equipada com uma ogiva nuclear seria algo esplendido, dissuasão total.

Jeff
Visitante
Jeff

Exatamente, não precisa mais devaneios de porta aviões nem nada. Uma dúzia de mísseis destes guardados dificilmente alguém se mete a besta.

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

Se o radar do mansup caber nele seria ótimo.

Ozawa
Visitante
Ozawa

Desconheço a origem do batismo, mas o 14-xis sugere uma paronímia, até mesmo disruptiva, com o 14-bis …

nonato
Visitante
nonato

Logicamente… logicamente.

Gabriel Marques
Visitante

Trocadilho com o x-15 e 14bis quem sabe

Elías
Visitante
Elías

Com um governo que bate continência para a bandeira americana, esse projeto vai dar “água”

Leonardo Costa da Fonte
Visitante
Leonardo Costa da Fonte

Este projeto vai dar em água, como todos os outros, porque não temos competência técnica nem gerencial. A única coisa que temos é a mania de por a culpa nos outros (portugueses, americanos) para justificar a nossa própria falta de capacidade.

Diogo de Araujo
Visitante

falou tudo, vide um projeto de míssil que foi testado 3x, falhou, sumiu e ngm se deu conta

João Moro
Visitante
João Moro

“vide um projeto de míssil que foi testado 3x, falhou, sumiu e ngm se deu conta”. Já chega a ser desonestidade intelectual sua afirmação pois aqui mesmo no site apareceu notícias sobre cada lançamento, dizendo que eram testes e que conseguiram muitos dados sobre telemetria e etc para aperfeiçoar o míssil. O projeto está EVOLUINDO!! e não falhando e sumindo.

Marcos R.
Visitante
Marcos R.

Competência técnica temos, o que não temos é investimento em pesquisa, nossos recursos são mal aplicados, veja exemplos de teses de doutorado da USP:
“Entre o “encardido”, o “branco” e o “branquíssimo”: raça, hierarquia e poder na construção da branquitude paulistana”;
“Uso agrícola do território e pedagogia do Movimento Sem Terra (MST) – uma geografia do presente”.
Ou seja, dinheiro público utilizado em pesquisas ideológicas e que não revertem qualquer retorno além de financiar titulo de doutor a “companheiros” permitindo que eles vivam de dinheiro do estado pregando política partidária!

Alessandro
Visitante
Alessandro

Elías
Com um governo que bate continência para a bandeira americana, esse projeto vai dar “água”

______________

Estão vendo pq o Brasil não produz nada de útil na ciência nos últimos 50 anos? É a mentalidade PERDEDORA de culpar os outros pela nossa incompetência que dominou o debate acadêmico nas universidades e escolas.

Defensor da liberdade
Visitante
Defensor da liberdade

Dizer que o brasileiro não produziu nada de científico nos últimos 50 anos beira o vira-latismo. O coração artificial foi criado por um brasileiro em 2000.

Depois o cara vem aqui arrotar que é direitista amante da pátria, mas não sabe patavinas do próprio país na área científica, e dizer que brasileiro é perdedor. Mas pergunta a ele quais os avanços científicos produzidos por Israel, ele cita todos, afinal Olavão e Bernardo Cúster contaram para ele.

O problema do Brasil é falta de marketing para que as pessoas saibam o que realmente de valor é produzido aqui.

Alessandro
Visitante
Alessandro

no final acabou confirmando tudo aquilo que eu escrevi acima.

“O problema do Brasil é falta de marketing para que as pessoas saibam o que realmente de valor é produzido aqui.”

Defensor da liberdade
Visitante
Defensor da liberdade

“Estão vendo pq o Brasil não produz nada de útil na ciência nos últimos 50 anos? É a mentalidade PERDEDORA de culpar os outros pela nossa incompetência que dominou o debate acadêmico nas universidades e escolas.” Não senhor Alessandro, você disse claramente que o Brasil não produziu nada de útil na ciência nos últimos 50 anos. Você não disse que o Brasil tem tecnologia, mas o povo desconhece por falta de propaganda. Você disse que elas não existem por que a academia não faz nada. Que feio senhor patriota, não conhece o próprio país. Já pode tirar essa bandeirinha verde… Read more »

Alessandro
Visitante
Alessandro

Meu caro, não sou obrigado a conhecer tudo que o Brasil criou na ciência ou em outra área mais especifica, quando citei que o Brasil não criou nada nos últimos 50 anos, estou falando de RELEVANTE que colocou o país num patamar mais elevado na ciência em todos os aspectos, e não é essa a realidade da ciência brasileira. Vc entendeu muito bem, só está pegando um dos raríssimos casos isolado de sucesso que temos para distorcer, veja a ciência brasileira no GERAL, vive sendo sabotada por nossa classe política, enquanto nossas academias preferem doutrinar alunos tentando achar alguém ou… Read more »

Defensor da liberdade
Visitante
Defensor da liberdade

Nem eu que estou me lixando para à pátria, nacionalidade, conheço mais o Brasil que esses patriotas como o Alessandro aí. Olavão não está te ensinando direito não, recomendo você largar o COF, só está enchendo o bolso do véio.

Alessandro
Visitante
Alessandro

Se vc tem algum problema com o Olavo resolva-se com ele pessoalmente ou procure algum psiquiatra, mas não tente subestimar minha inteligência com suas teorias sobre minha pessoa, vc consegue ser melhor do que isso.

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Ótima notícia, mas como será o teste com olhos atentos estrangeiros tão presentes agora em Alcântara?
Mas gostaria de saber sobre os projetos tão ou mais importantes como Sara orbital e sub orbital, missão Áster, VLS, motor L-75 (que agora está em posse da Alemanha, mas que foi desenvolvido e fabricado com dinheiro e tecnologia nacional), projeto terra etc etc etc.

Francisco Braz
Visitante
Francisco Braz

Um motor hipersônico… Bom para o ego, mas não seria mais útil fazer turbinas para fazer um KC-390 voar com motores nacionais, ou que os Gripens da FAB estivessem sem limitações ditadas por Washington, ou turbinas a jato para geração de energia ou propelir escoltas da MB, ou que estivessem investindo em propulsores foguetes para lançadores nacionais de satélites ou mísseis com maior alcance?? Qual o problema do brasileiro por o ego pessoal de lado e fazer algo mais comum que gere dinheiro e independência tecnológica e econômica nacionais?? Com o dinheiro economizados por estas aplicações, não geraríamos apenas motores… Read more »

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

A FAB ja tem um projeto de turbinas. Ja temos uma empresa de turbinas…. a AVIBRAS vsi psssar a fazer combustível sólido para foguetes…. o 14X vai dar conhecimentos como usar melhor o hidrogênio como combustível….. pode gerar misseis que colocariam o Brasil em outro patamar. Navios ou aviões com um míssil hipersonico temidos por todos por isso a Rússia e a China são obcecados por essa tecnologia… Imagina um avião de transporte do eb partir de SP para um desembarque numa zona de combate na Índia em questão de poucas horas? Ou uma viagem comercial com avião hipersonico. Carros… Read more »

Francisco Braz
Visitante
Francisco Braz

Verifique suas informações… Não se faz lançadores de satélites com combustível sólido. Este tipo de combustível serve apenas para mísseis. Quanto às turbinas, se existem projetos e fabricante, por quê ainda importamos estes itens tão estrategicamente sensíveis? Usinas termo elétricas, navios, aviões, drones… Mas, lógico, o ego fala mais alto.

Wilson
Visitante
Wilson

Importamos porque nenhuma turbina fabricada no Brasil está homologada para o transporte de pessoas.
As empresas brasileiras não tem dinheiro para bancar essa homologação e o governo não deu nenhuma ajuda nisso também, então as empresas se concentram no que está ao alcance delas que é turbinas para misseis e vants.(já tava esquecendo que também fabricamos turbinas para geração de energia, hidro e termoelétricas).

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

Claro q se faz.. porem nao é tao usado ultimamente pois é caro e mais difícil de se fazer. O VLS tinha combustivel sólido porem os gringos sabiam q a FAB tava fazendo um ICMB e um lançador de satelites ao mesmo tempo.

JT8D
Visitante
JT8D

Fazer turbinas para aviões é inviável economicamente. É bonitinho de falar, mas impossível de fazer

Francisco Braz
Visitante
Francisco Braz

As mesmas turbinas que movem os A1 da FAB, movem as fragatas Niterói. É, a impossibilidade é de que possamos tornar viável pois os conchavos entre nossos políticos e empresários inviabilizam qualquer esforço de desenvolvimento de tecnologia realmente útil. Por isso nossos cientistas vão para o exterior… O estrangeiro acredita no brasileiro muito mais que o próprio brasileiro.

Fernando XO
Visitante
Fernando XO

Francisco, a TG das Niterói é a Olympus… abraço…

RENAN
Visitante
RENAN

Meus pensamentos: Primeiro é com extrema alegria que leio está notícia. Segundo parabenizo a todos os envolvidos e até o garoto que deu início a está idéia. Parabéns a armada responsável pelo investimento em tecnologia relevante a defesa nacional. Porém visto nosso passado imploro para que o segredo surja em volta deste projeto. E que só venha a público após o exito e domínio completo do ciclo tecnológico. Tendo em vista a possibilidade de sabotagem do programa, através de corte de verbas, realocação de mão de obra fundamental, ou mesmo sabotagem física de componentes, software ou através de interferência eletrônica.… Read more »

Francisco
Visitante
Francisco

Daqui uns 30 anos estará quase pronto, pode contar com corte de verbas incopetencia intromissão dos EUA e por aí vai.

Vinicius Momesso
Visitante
Vinicius Momesso

Imaginar que o primeiro MODELO FUNCIONAL do reator do sub nuclear tupiniquim vai estar pronto so daqui a DEZ ANOS.

Marcelo Baptista
Visitante
Marcelo Baptista

Segundo o Wikipédia, o projeto foi iniciado em 2007, portanto 13anos para os primeiros protótipos, tecnologia não brota, precisa de dinheiro e tempo, as vezes muito tempo.

Marquês de São Vicente
Visitante
Marquês de São Vicente

Este projeto é muito interessante. Tecnologia de ponta que irá se traduzir em protagonismo no front militar e aeronáutico neste século. Porém, o que o Brasil precisa decidir – enquanto nação – é se deseja de fato assumir este protagonismo ou manter-se no papel de país do futuro. Não tem nada a ver com orientação política, é projeto de nação. Investir pesado em desenvolvimento científico, apoiando iniciativas de empresas privadas, viabilizando crédito para inovações e disposto a aceitar reveses. Pesquisa científica é assim. É papel de todos que acreditam nisso difundir a ideia, explicar a importância de gastos em defesa… Read more »

Filipe Prestes
Visitante
Filipe Prestes

O comentário mais sensato dessa matéria. Parabéns pela lucidez

Filipe Prestes
Visitante
Filipe Prestes

Falta a este Estado definir qual sua realpolitik já que por ora não temos nenhuma

Space jockey
Visitante
Space jockey

Por hora não, nunca tivemos nenhuma!

Marquês de São Vicente
Visitante
Marquês de São Vicente

Isso é cultural e, assim, leva tempo. Mas acho que é, como falei, um trabalho de todos que acompanham geopolítica e assuntos correlatos.
Vejo como fundamental esclarecer que gastos em defesa traduzem-se em ganhos em diversas áreas (conhecimento técnico-científico, geração de empregos, soberania nacional, desenvolvimento industrial, etc.) portanto é importante apresentar a todos (principalmente às crianças) que o gasto em defesa & segurança pública não acontecem em detrimento de outros (como saúde ou educação), são despesas necessárias para consolidar um futuro de independência e soberania.

Valgo
Visitante
Valgo

Agora vai! Que venham Russos, Yankees,Chinocas etc,etc.kkkkk

LUIS FERNANDO BAPTISTA
Visitante
LUIS FERNANDO BAPTISTA

Maravilha, parabéns Cientistas por um projeto de gde dificuldade e poucos países possuem essa tecnologia, agora resta esperar que o Governo Federal resolvendo o abacaxi fiscal que recebeu, invista nesse e em outros projetos estratégicos.
Igual a Marinha 4 Corvetas é muito pouco, precisamos garantir financiamento voará as pesquisas estratégicas, Defesa, Grafeno,Biotecnologia, metalurgia do Nióbio,
Para aproveitarmosbos imensos recursos naturais que possuímos.
A Educação e a Tecnologia é a ÚNICA chance real de desenvolver um país, vide Coréia do Sul…

FERNANDO
Visitante
FERNANDO

Opssssssss
Se não explodir…….
Será fantastico!
Se……….

Fábio Ferreira Fernandes
Visitante
Fábio Ferreira Fernandes

Projeto fundamental para criação de mísseis antiaéreos e cruzeiros para o futuro!

Joao Argolo
Visitante
Joao Argolo

Na primeira vez que vi uma reportagem sobre o assunto fiz até gozação pois parecia coisa do outro mundo. Na verdade a reportagem (não por culpa do Poder Aéreo) era meio solta e com poucas informações, normal para assuntos estratégicos. Agora vemos algo concreto em relação a construção e prova do motor, tendo até um cronograma. A curiosidade maior está por conta da aeronave que aparece na imagem. Sei que é apenas conceitual e que trás muitas possibilidades, mas gostaria de saber se o uso seria estritamente militar, uma vez que tem a aparência de um drone de grande porte,… Read more »

Joao Argolo
Visitante
Joao Argolo

Interessante inclusive o cronograma mostrar 2023 e2026 os testes com essa aeronave. Quem bancaria a construção dela? A FAB?

Sérgio Luís
Visitante
Sérgio Luís

Depois do texto acima vem alguns falando “bobagens” sobre o descaso sobre a perca de tempo sombre os hipersonicos!!?!?
Até nós brasileiros que ñ temos pouco dinheiro estamos desenvolvendo essa tecnologia uai?!?!
Imagina as grandes potências?!?!?
Aí acha ruim “deu” pedir para lerem mais!!!
Outra coisa eu ñ comento sobre postagens de ninguém!!

Vitor
Visitante
Vitor

Saiu no Tecnodefesa que o Gripen E virá com o Missil RBS-15. Poder aéreo está ciente?

Luan
Visitante
Luan

Kkkkkk espero que esse cruzeiro aí não caia, porque o meu cruzeiro ta na ponta da berada pra cair pra segundona kkkk

kevinbuenuu
Visitante

Acontece, mas seu cruzeiro pode voltar se cair, mas já o míssil…

juscelino
Visitante
juscelino

É uma vergonha para o Brasil. Em 1926 o cientista americano Robert Goddard (pai dos foguetes espaciais) inventou o foguete a combustível líquido capaz de transportar em seu interior aparelhos de pesquisas, nos anos quarenta o alemão Werner Von Braun criou os foguetes V-2, também a combustível líquido que serviu de base para a corrida espacial. Enquanto o Brasil ainda usa a pólvora dos chineses inventada há milhares de anos como propelente e nunca conseguiu colocar um objeto em órbita.

Bispo
Visitante
Bispo

Face ao que já li sobre o novo “”brinquedo hipersônico” russo “Zircon” … o que possibilitou o mesmo foi o material compósito a base de carbono que suporta 2500°C.
Agora como contornaram o fator “plasma” gerado perto dessa temperatura que inviabiliza qualquer controle externo por ondas de rádio …
ps. lembrando que o fator plasma também é ótimo para tornar o mesmo “invisível” a radares…(a chamada nuvem ionizante).

horatio nelson
Visitante
horatio nelson

si vis pacem parabellum…e por conhecidencia teremos mais 5 usinas nucleares;capacidade de enriquecimento acima dos 20%,tem o conhecimento das w87,projeto pedra do indio e paralelo e 14x e vlm…concerteza tem alguem por ai q sabe q temos alguma coisa secreta por ai…

Space Jockey
Visitante
Space Jockey

Eu sou defensor deste projeto, mas não concordo com o prazo de execução, são extremamente alongados como quase todos nesse país.

horatio nelson
Visitante
horatio nelson

space infelizmente são os contigenciamentos…dinheiro ta dificil.