Home Aviação de Ataque Taurus Systems oferece ao Japão mísseis KEPD 350E

Taurus Systems oferece ao Japão mísseis KEPD 350E

5666
38

A Taurus Systems da Alemanha está oferecendo seus mísseis de cruzeiro ar-superfície KEPD 350E para equipar as frotas de caças F-2 e F-15J Eagle da Força Aérea de Autodefesa do Japão (JASDF).

Um funcionário da empresa disse ao Jane’s na exposição de defesa DSEI do Japão que ocorrer de 18-20 de novembro, em Chiba, que a Taurus está procurando cumprir um requisito para mísseis lançados pelo ar descritos no Programa de Defesa Intermediária do Japão, que foi aprovado em dezembro de 2018.

“Fornecemos informações a funcionários do Ministério da Defesa do Japão sobre o KEPD 350E e aguardamos intensificar as discussões sobre requisitos operacionais e envolvimento da indústria local”, disse o funcionário, acrescentando que a aquisição do KEPD 350E melhoraria as capacidades de defesa nacional do Japão.

FONTE: Jane’s

Subscribe
Notify of
guest
38 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Hugo Vigneron
Hugo Vigneron
6 meses atrás

Temos na FAB algum armamento similar ou algo parecido a esse ? Vi em algum site que o FAB tinha adquirido mísseis RBS 15 para os Gripens ,alguem sabe informar se é verdade ?

Thiago Aiani
Thiago Aiani
Reply to  Hugo Vigneron
6 meses atrás

Oi Hugo, o equivalente brasileiro do Taurus será o MICLA-BR, um desenvolvimento nacional, versão ar-terra do AV-TM 300 da Avibras. Foi bastante discutido aqui no blog.
O Taurus me parece um desenvolvimento mais sofisticado, até pelo seu desenho onde se observa uma maior atenção para reduzir sua assinatura . Mesmo assim sera um avanço incrivel e nos colocará em outro patamar em relação às demais forças sulamericanas, e não somente.

Sequim
Sequim
Reply to  Thiago Aiani
6 meses atrás

Alguém poderia me explicar a lógica aerodinâmica de se construir um míssil “quadrado”?

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Thiago Aiani
6 meses atrás

Caro Thiago não há como mensurar a qualidade do Taurus x Micla-BR ou MT-300 pois não há nada de informações sobre esses últimos.
Nas imagens percebe se que o Taurus utiliza um sistema redundante de guiamento por comparação de imagens, mesmo sistema utilizado no MT-300 e MICLA-BR.
Quanto a designer realmente o Taurus aparenta ser mais furtivo que o Micla e MT.
Quanto ao alcance não sabemos pois sabe se que o MT-300 terão muito muito muito mais alcance para uso nacional do que para exportação, o mesmo deve ocorrer com o MICLA-BR.

Augusto L
Augusto L
Reply to  Hugo Vigneron
6 meses atrás

Na lista divulgada de armamento que a FAB ia comprar constava o Taurus.

Kemen
Kemen
Reply to  Augusto L
6 meses atrás

Bom para desmontar e copiar a la chinesa, mas acho que teriamos que importar muitas partes, valeria pelo conhecimento adicional ao que já desenvolvemos.

Sérgio Luís
Sérgio Luís
Reply to  Hugo Vigneron
6 meses atrás

Ñ!!

nonato
nonato
6 meses atrás

Ideal para o Brasil usar contra a Venezuela.

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  nonato
6 meses atrás

Só nos seus sonhos mais surreais… Oque não falta é gente torcendo para o Brasil engolir corda de Washington e atacar a Venezuela como um bom cachorrinho,mas esses que sonham com tal coisa ,duvido muito que sejam os primeiros a se alistarem…

nonato
nonato
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
6 meses atrás

Pimenta nos olhos dos outros…
Esse míssil já dá para destruir o sistema S 400…

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
6 meses atrás

Diria, ‘só nos sonhos mais pueris……’

Pablo
Pablo
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
6 meses atrás

Já foi falado umas mil vezes que o Brasil não fará isso, a não ser que tenha ameaça da soberania (conforme a constituição federal).
Quanto a cachorrinho de Washington, também poderia pedir para os cachorrinhos amigos do maduro tirar o rabinho do meio das patas a mandar nos pagar por favor!

Kemen
Kemen
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
6 meses atrás

A M – Não sabem o que é uma guerra, vão olhar de longe ou até migrar para a Europa. KKKKKK

Paulo Sergio da Silva Barros
Paulo Sergio da Silva Barros
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
6 meses atrás

Normalmente quem fica atiçando a briga é o primeiro que se afasta para olhar de longe.

Kemen
Kemen
Reply to  nonato
6 meses atrás

n – Nem em pensamentos. Se nem os USA se arriscam a tomar atitudes bélicas até agora, por que teriamos que toma-las nós? Em que nos afeta aquela briga interna? Somos mais fortes que os norte americanos militarmente?

Flanker
Flanker
Reply to  nonato
6 meses atrás

Se nos atacarem primeiro, sim. Caso contrário, que morram todos…..desde o presidente até o povo, que foi quem colocou ele lá….não estou nem aí para eles….já me preocupei mais com a situação do povo de lá….mas,a amioria quer o Maduro, não é? Então que fiquem com a hiperinflação e todos os outros problemas deles…se virem…..nós já temos problemas demais, nossos, pra resolver……

Pedro Bó
Pedro Bó
Reply to  nonato
6 meses atrás

Essa geração Call of Duty…

rui mendes
rui mendes
Reply to  Pedro Bó
6 meses atrás

Mesmo, digo o mesmo.

Space Jockey
Space Jockey
6 meses atrás

Aquilo na quarta foto eu não acredito que faça.

nonato
nonato
Reply to  Space Jockey
6 meses atrás

Estranho mesmo. Propaganda enganosa.
Entrar num labirinto a 1.200 km/h?

Space Jockey
Space Jockey
Reply to  nonato
6 meses atrás

Mesmo que ele fizesse aquilo em velocidade baixissima seria abatido a tiros de fuzil. Engraçado é o pessoal não estar questionando essa capacidade citada na foto.

Flanker
Flanker
Reply to  Space Jockey
6 meses atrás

Eu não acredito na capacidade do míssil em voar em um labirinto, mas duvido que tu, ou qualquer outro, consiga acertar um alvo, mesmo voando baixo , a 1200 km/h….tu piscou e ele já foi…..além disso, nesse caso, tu terias que estar posicionado bem próximo ao local de passagem do míssil, e preparado para o tiro…..

Space Jockey
Space Jockey
Reply to  Flanker
6 meses atrás

Volta lá no meu post e leia novamente: eu escrevi “velocidade baixíssima” ou seja a velocidade que o labirinto comportaria pata o artefato voar daquele jeito fazendo manobras sem colidir. Isso na prática é no maximo uns 10 Km por hora.

Kemen
Kemen
6 meses atrás

Se o Japão se decidir pelo Taurus, fará uma excelente aquisição. Talvez até desenvolvam uma versão similar local depois, tendo em vista que muita coisa esta sendo discutida no Japão em relação a limitações nas defesas.

Antunes 1980
Antunes 1980
6 meses atrás

Em 2099 teremos mísseis de cruzeiro no inventário das forças armadas brasileiras.

Munições guiadas são indispensáveis para qualquer força aérea, mas o alto escalão não vê isso como prioritário.

Em caso de uma guerra hipotética, depois de 72 horas, ainda estaremos lançando bombas burras e foguetes não guiados como era feito na Segunda Guerra Mundial.

Space Jockey
Space Jockey
Reply to  Antunes 1980
6 meses atrás

Espero que o AV-MTC mude esse cenário um pouco antes, dizem que as entregas começam em 21.

Leonel matos
Leonel matos
6 meses atrás

Sou fã da tecnologia alemã tudo que constroem é bom mas esse míssil tem um raio de mais de 500 km mas custa quase um milhão de euros com 850 mil dólares compra se um agm 158 da Lockheed Martin que tem alcance maior pode voar mais baixo para evitar a detecção e ainda é stealth tornando se ainda mais indetectavel e sendo o Japão aliado dos EUA e construindo armas em parceria com os mesmos é um pouco estranho mas acho que eles têm todo direito de escolher o que comprar

Jack
Jack
Reply to  Leonel matos
6 meses atrás

Leonel, sobre a questão dos 500 Km, se não me engano é unicamente para que o míssil possa ser exportado para outra nação.

Thiago Aiani
Thiago Aiani
Reply to  Leonel matos
6 meses atrás

Leonel , a AGM-158 A , tem um alcance bem inferior ao Taurus , a versão que teve seu alcance estendido seu custo também estendido, de muito superior aos 850.000 dólares. À isso você adiciona a relutância do congresso norte-americano de repassar tecnologias sensíveis para eventuais concorrentes( não seria o caso do Japão , já que não é um exportador de armamentos) . Por exemplo(veja-se também em outros casos como a Finlândia), a Coreia do Sul, tradicional aliado estadunidense, acabou optando pelo Taurus e um dos motivos foi provavelmente à dificuldade de negociar com os EUA offsets e compensações desejados.… Read more »

Augusto L
Augusto L
Reply to  Thiago Aiani
6 meses atrás

A Finlândia e a Polônia compraram o JASSM, provavelmente o motivo da escolha da CS pelo Taurus deve-se o fato de terem conseguido uma transferência de tecnologia junto a compra e de que as defesas da CN são menos formidáveis que as da Russia.

rui mendes
rui mendes
Reply to  Augusto L
6 meses atrás

O alcance do taurus é bem superior, mas tu dizes o contrário.

manuel flavio Vieira
manuel flavio Vieira
Reply to  Thiago Aiani
6 meses atrás

Há 5 anos está em operação a versão de alcance estendido da AGM-158 com alcance de ~900km e certificada para uso no F-16, F-15, f-18 e bombardeios. Pesa 1000kg. Já a Taurus se assemelha a Scalp e a Storm Shadow em alcance (500km) e peso (~1.400kg) não obstante as 4 tenham ogivas com poder de destruição semelhante.

Foxtrot
Foxtrot
6 meses atrás

Espero um dia ver essas imagens de testes do MT-300 e MICLA-BR.
Mas conhecendo o sigilo idiota de nossos militares e indústria sei que isso nunca acontecerá.

Matheus
Matheus
Reply to  Foxtrot
6 meses atrás

Sim, deveria mostrar tudo e pra todos.
Podiam tambem colocar as “blueprints” e todos os segredos na internet.

Melhor ainda, podiam tambem colocar todo o projeto do reator nuclear do Alvaro Alberto na internet, pra que ter sigilo? Coisa idiota.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Matheus
6 meses atrás

Meu deus caro Matheus.
Então a MBDA está entregando toda a tecnologia do Taurus apenas divulgando essas imagens.
Vendo sua mentalidade se entendo o porquê de tanto sigilo idiota de nossos militares.
Mas o que não se deve mostrar eles mostram, como a base de Submarinos, centros de inteligência espacial etc.
Acorda!
Esse tipo de publicidade acontece no mundo todo, só no Brasil que é hiper atrasado que não .

Space Jockey
Space Jockey
Reply to  Foxtrot
6 meses atrás

Eu até aceito o sigilo, contanto que o projeto se conclua algum dia, ou pelo menos se conclua quando a tecnologia ainda for relevante, o que não tem acontecido no Brasil.

Sérgio Luís
Sérgio Luís
6 meses atrás

Caixa voadora…