Home Aviação de Ataque Emirados Árabes Unidos encomendam 24 aviões de ataque leve Calidus B-250

Emirados Árabes Unidos encomendam 24 aviões de ataque leve Calidus B-250

13689
70
Calidus B-250
Calidus B-250

A empresa aeroespacial dos Emirados Árabes Unidos (EAU) Calidus LCC assinou seu primeiro contrato para a aeronave de ataque leve B-250, quando as Forças Armadas dos Emirados Árabes Unidos fizeram um pedido de 24 aviões no Dubai Air Show em 20 de novembro de 2019.

O contrato, no valor de 260 milhões de dólares, representa a primeira vez que os militares dos Emirados Árabes Unidos compram uma aeronave produzida no país. O primeiro avião B-250 foi apresentado no Dubai Airshow 2017 após o lançamento em 2015.

A Calidus é uma empresa de desenvolvimento e fabricação de tecnologia de defesa, com sede em Abu Dhabi (Emirados Árabes Unidos). Foi fundada em 2015 e é parte integrante da estrutura de defesa dos Emirados Árabes Unidos. O B-250 foi desenvolvido em conjunto com a empresa Novaer no Brasil.

O programa B-250 foi lançado em 2015 e seu primeiro protótipo foi desenvolvido em um período recorde de 25 meses, completando seu voo inaugural em julho de 2017. O designer-chefe do projeto foi Joseph Kovács, que também era membro da equipe de projeto da aeronave de ataque leve Embraer Tucano. A Calidus planeja construir uma fábrica na cidade de Al Ain para facilitar a produção em larga escala do B-250.

Dois protótipos foram construídos no Brasil e transportados por frete aéreo para os Emirados. Um B-250 todo preto com registro PR-ZNT (mais tarde, serial 980) voou durante o Dubai 2017 Air Show. Um B-250 cinza camuflado, série 981 (ex PR-ZNU), foi exibido no show aéreo de Dubai deste ano, com várias armas externas fabricadas localmente em exibição.

B-250 em voo

O Calidus B-250 é descrito ainda como uma aeronave de ataque leve superior e altamente eficiente, projetada especialmente para zonas de guerra assimétricas. A aeronave se adapta facilmente às condições mais difíceis do terreno e do clima.

Incorpora uma estrutura de fibra de carbono, capaz de enfrentar os terrenos mais acidentados. Apresenta tecnologia inovadora para oferecer a melhor versatilidade e transportabilidade do mercado, com baixos custos operacionais. O B-250 é capaz de apoio aéreo aproximado (CAS), inteligência, vigilância e reconhecimento (ISR), contra-insurgência (COIN), apoio aéreo persistente (PAS) e treinamento avançado e básico.

O B-250 é um treinador básico de asa baixa, biposto e turboélice, com capacidade de contra-insurgência. Sua estrutura de asa e fuselagem é construída inteiramente de fibra de carbono, tornando-a muito mais leve que seus concorrentes. Possui sete pontos duros para armas, além de sensores EO/IR, com capacidade de até 1.800 kg.

Possui um cockpit espaçoso e os sistemas aviônicos Rockwell Collins Pro Line Fusion II. O grupo motopropulsor consiste em um turboélice Pratt & Whitney Canada PT-6A-68, capaz de 1.600 SHP de potência. Sob o nariz, pode ser montada uma torre eletro-óptica/infravermelha Wescam MX-15.

FONTE: Scramble Magazine

70
Deixe um comentário

avatar
26 Comment threads
44 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
49 Comment authors
Émerson GabrielCarlos Alberto Soaresrui mendesLucianononato Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Willber Rodrigues
Visitante
Willber Rodrigues

Foi essa a Calidus que, a algum tempo atrás, um dos sócios fugiu com os planos de uma aeronave e vender pra um terceiro, deixando o outro sócio e o resto da empresa de mãos abanando?

Tallguiese
Visitante
Tallguiese

Foi esse mesmo!

Top Gun Sea
Visitante
Top Gun Sea

Passaram a perna na Novaer, individada teve que aceitar ser roubada e de patrão virou funcionário da Calidus. Negócio de Sheik!

Chris
Visitante
Chris

O B-250 tem um raio de ação de 560nm (1.037km), voando a 250kts no papel de ataque, ou um raio de 1.180nm (2.185km) a 280kts na configuração de vigilância, com uma torre de sensor e três tanques de combustível. O alcance da balsa é de 2.400nm (4.445 km). A resistência da missão é de até 12 horas. A Calidus citou um custo operacional inferior a US $ 1.200 por hora de vôo. A velocidade máxima de nível do B-250 é de 301kt (557km / h) e o teto de serviço é de 30.000 pés. A carga útil máxima é 3.960… Read more »

ODST
Visitante
ODST

E aquele imbróglio envolvendo a Novaer? Resolveram ou não?

Ricardo da Silva
Visitante
Ricardo da Silva

Ia perguntar exatamente isso

Rodrigo
Visitante
Rodrigo

Foi resolvido…mais a aeronave e da Calidus, a Novaer recebeu pelo desenvolvimento do projeto e engenharia, e ficara responsável pela produção de alguma peças…mais a principio a aeronave será montada no Emirados Árabes Unidos.

Luiz Trindade
Visitante
Luiz Trindade

Que lindo heim?!? Quer dizer que nos roubam o projeto, ganham dinheiro com isso e vamos ficar com a produção de algumas peças? Kd o governo nessas horas heim?!?

Lucas
Visitante
Lucas

Só no Brasil pra acontecer uma coisa dessas…

Flanker
Visitante
Flanker

Como assim, “nos” roubam?? Tu és sócio da Novaer? O projeto teve algum dinheiro público brasileiro investido nele? O projeto é da FAB ou do MD ou de qualquer órgão vinculado ao poder público? O governo brasileiro é sócio da Novaer? Se as respostas forem negativas, então somente os sócios da Novaer e os árabes tem algo a ver com isso. Eles que se entendam com a justiça aqui e lá…..

GFC_RJ
Visitante
GFC_RJ

No geral é isso mesmo que você falou. Soube que a FAB sequer teve contato com o contrato entre essas empresas. Boatos dizem que os testes dos protótipos foram realizados às secretas, inclusive, boa parte à noite.
Apenas um adendo, parece que o governo de SC tem participação na Novaer (não como controladora, mas como acionista), da mesma forma que o governo de MG tem na Helibras.

Abs.

Camargoer
Visitante
Camargoer

Olá Flanker. A Novaer teve recursos a fundo perdido da FINEP; ver o artigo “Vale a pena investir no empreendedor brasileiro” na página da Novaer.

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Colega Negativador. Sou apenas o mensageiro.

Alison Lene
Visitante
Alison Lene

kkk. pensei a mesma coisa. kkkk

Luciano
Visitante
Luciano

Olá, Camargoer! Veja só, tem uma galera q negativa o perfil, por birra de posts anteriores. Não há isenção. Vc pode falar a maior verdade do mundo, se nao vão com sua cara, toma um negativo. Não gostei dessa “novidade” da trilogia, mas….

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Luciano. Absolutamente certo.

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

O Batatinha e os vermelhos são os craks.

Émerson Gabriel
Visitante
Émerson Gabriel

Camargoer, se você disser que a terra não é plana é capaz de negativarem.

Flanker
Visitante
Flanker

Ah é? Então que cobre-se dela na justiça. De resto, esse discurso do colega anterior é desapegado da realidade. Falam como se empresas privadas fossem de domínio público. Além disso, mesmo não sendo a fundo perdido, quantas empresas privadas pegaram empréstimos com BNDES ou outros bancos públicos e acabaram falindo ou foram vendidads antes de saldar essas dívidas?
A empresa e, ou era, privada…..então, os sireitos e deveres dela só cabem aos seus proprietários……parem com essa choradeira……coisa cansativa!!

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

E daí ?

nonato
Visitante
nonato

Se alguém roubasse um projeto de uma empresa de defesa americana, o governo americano tentaria fazer algo.
Um projeto concorrente do super tucano.
Vai nos roubar clientes.
Bolsonaro deveria tentar fazer algo.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

A empresa é privada….

Camargoer
Visitante
Camargoer

Olá Cel.Nery. Muitas empresas privadas recebem recursos públicos para o desenvolvimento tecnológico. Os mais conhecidos são os empréstimos subsidiados do BNDES, mas também podem receber recursos a fundo perdido da Finep. O CNPq também financia pesquisa tecnológica dentro das empresas (Programa Rhae) com participação dos cursos de pós-graduação. A FAPESP financia projetos de inovação tecnológica em pequenas empresas (PIPE) e em médias e grandes empresas (PAPE). Segundo a FAPESP, cada real investido em pesquisa científica/tecnológica geral retorna 6 reais para a sociedade. Uma taxa de sucesso dos projetos de inovação da FAPESP em pequenas empresas gera impostos suficientes para bancar… Read more »

Flanker
Visitante
Flanker

Então, nenhuma dessas empresas pode ser vendida??

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Flankrr, se até empresas 100% públicas são vendidas, creio que empresas privadas que receberam financiamento público também possam ser vendidas. Continua sendo verdade que existem empresas financiadas com recursos públicos, o que pode ser visto em muitos casos como um mérito da empresa.

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Camargoer,
O dinheiro da Finep foi usado para desenvolver o T-xc Sovi, aeronave de treinamento que teve um protótipo produzido e que não vendeu nenhuma aeronave até o momento.
Não vejo como ela desenvolver outra aeronave mediante contrato com uma empresa árabe se enquadra na definição de que, nós, brasileiros pagadores de impostos, fomos roubados.
Talvez você defenda a tese de que se uma empresa algum dia recebeu um centavo de dinheiro público ela vendeu sua alma ao povo brasileiro e passou a ser dele e não mais de seus sócios ou acionistas. É isso?

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Rafael. Caso os recursos tenham financiado infraestrutura, eles podem e devem ser usados pela empresa para impulsionar ogros projetos. Indiretamente quando são obtidos recursos públicos para um projeto, ocorre uma folga nos recursos próprios para outros projetos. Por fim, a capacitação da equipe técnica obtida durante o desenvolvimento de um projeto com recursos públicos tem impacto positivo e imediato sobre toda a empresa. A injeção de recursos públicos em uma empresa privada pode ser vista com bons olhos. A única coisa equivocada e achar que uma empresa privada só usa recursos próprios ou privados. Empresas privadas podem e também… Read more »

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Luiz. Há quem defenda intransigentemente que o setor público é corrupto e responsável pelo fracasso da economia brasileira.

Flanker
Visitante
Flanker

O setor público tem corrupção…..assim como o setor privado. Crimes desse tipo não são exclusividade de nenhum setor. O problema é que, quando envolve o setor público, obrigatoriamente vai envolver dinheiro público – que será gasto de foram escusa ou deixará de ser arrecadado, tb de forma escusa. Então, toda a corrupção pública é nociva ao país como um todo. Ja no setor privado, se for entre duas ou mais empresas privadas, o problema é deles…que se explodam….

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

O que o GF tem com isso ?

SmokingSnake 🐍
Visitante
SmokingSnake 🐍

Entendi nada, que novaer é essa? Parece cópia da Embraer e esse avião parece cópia do super tucano, ainda pode prejudicar a Embraer.

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Só pesquisar “Novaer”, no PA ou no Google, que você provavelmente entenderá.

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Você está bem por fora, então.
Dá uma pesquisadinha que resolve.

Ricardo da Silva
Visitante
Ricardo da Silva

Apesar de ter 7 pilones para armas, falta-lhe armamento orgânico como no A-29

Delfim
Visitante
Delfim

Em compensação terá peso inferior ao ST, também pelo uso maior de compósitos.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Se levar um tiro de 20/30 mm esfarela?

Wilson França
Visitante
Wilson França

Igual a um tucano.

Fawcett
Visitante
Fawcett

Se for destinada a uma missão que não necessite de canhões o B-250 ganha dois pilones de brinde. Nesta parte ela é mais flexível que o Super Tucano.

JuggerBR
Visitante
JuggerBR

Onde eu já vi esse avião antes? Ah, é a cara do T-27…

Arce.
Visitante
Arce.

O engenheiro responsável é o mesmo do T-27.

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Interessante. legal saber do “DNA Brazuca” na aeronave.

Marcos
Visitante
Marcos

É a primeira vez que eu vejo uma empresa projetar um avião e depois transferir ele para outra empresa assumir todos os créditos, vender e ficar com todos os lucros.

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Transferiu ou vendeu?
Quem garante que vai ter lucros com as vendas?
A história está repleta de produtos que foram fracassos de vendas e deram prejuízo aos fabricantes, ainda mais no setor militar.

Gallito
Visitante
Gallito

Aguardamos o desenrolar dos FATOS !!

Adriano Luchiari
Visitante
Adriano Luchiari

Pode ter um nicho de mercado em pequenas forças aéreas, é um meio termo entre Tucano e Supertucano. Conforme descrito na matéria, faz do treinamento básico a missões CAS, ISR, COIN e PAS. Uma aeronave de bom desempenho com preço razoável.

GFC_RJ
Visitante
GFC_RJ

Caro Sr. Santana,

Creio que o Textron Wolverine também possui o mesmo motor e, tal como este B-250, possui hélice de 4 pás, menor desempenho e carga inferior que o A-29.

Abs.

Jeferson
Visitante
Jeferson

Tive a impressão que era um cópia do Tucano, ai li nos comentários anteriores que o engenheiro responsável também havia trabalhado no projeto do Tucano, ai passei a ter certeza.

BMIKE
Visitante
BMIKE

Boa notícia, por essa não esperava.

Santiago
Visitante
Santiago

Notadamente há uma pessoa pequena pilotando o avião na segunda foto. Será o Canopi imenso?

Edson
Visitante
Edson

Quem nasceu pra ser B250 nunca vai ser Tucano…

Julio
Visitante
Julio

Os caras levaram o protótipo da Novaer e ainda vai produzir o avião e passar só algumas peças pra empresa brasileira fazer . Que droga bem que os governos brasileiros poderiam investir na indústria bélica brasileira .

Sergio Cintra
Visitante
Sergio Cintra

Ja´pensaram que tem sueco pensando e escrevendo o mesmo!?

Giovani
Visitante
Giovani

Depois dessa, nunca mais vou passear em Dubai.

Ten.Bruno
Visitante
Ten.Bruno

kkk Eu também não Giovani, eu já ficava aborrecido com aquela pobreza lá, agora depois dessa, não ponho mais os pés lá kkkk

Delfim
Visitante
Delfim

Aparenta não ser uma aeronave dedicada a missões de interceptação como o ST. Talvez por isso não tenha armamento orgânico, mas os EAU tem M2000-9, F-16, e $$$ de sobra para tal função.

Kemen
Visitante
Kemen

Tem árabe seguindo o caminho dos chineses, copiar, copiar, copiar. Ainda bem que as cópias as vezes são inferiores. Nossa industria aeronáutica voa… voa… voa, cada vez mais distante.

Gabriel BR
Visitante
Gabriel BR

O preço dele é bem competitivo.

teropode
Visitante

Os Árabes compraram o projeto , os brazucas desenvolveram , precisavam de grana , os beduinos tinham , entraram de sócio, a Novaer nao suportou a parte que lhe cabia, ficou devendo , os arabes compraram tudo , se bobear a Novaer entra no pacote . Game over !

marcos resende carvalho
Visitante
marcos resende carvalho

Copia do ST

Jmgboston
Visitante
Jmgboston

Não se preocupem. Não copiaram o assento ejetor, as metralhadoras, os avionicos, o motor e nem a hélice. Por quê? Porque no supertucano isso é made in England, Made in America e Made in Canadä. Quando ao resto, tanques de combustível, trem de pouso, bombas, etc não sei a origem.

Santiago
Visitante
Santiago

Queria ver um A-29 Super Tucano da Fab armado com pilones duplos igual essa aeronave da foto. Aliás, é difícil ver caça da Fab armado com alguma coisa não sei por quê?

Adriano Madureira
Visitante
Adriano Madureira

Aqui no Brasil nem vant é armado😂😂😂😂‼️

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Nem blindado é armado.

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Vai em Cachimbo numa campanha de emprego que você vê.

Tomcat4.0
Visitante
Tomcat4.0

Enfim retorna as manchetes este B-250 mas, ST ainda dá as cartas neste nicho específico de mercado e a maior prova é a similaridade deste projeto e até na aparência do avião (que tem projetista q foi da eqp do ST).

Bueno
Visitante
Bueno

off topic
Será que é mais uma célula de E -99 liberada pela EMBRAER ?
muito tempo em orbita

https://www.flightradar24.com/22ef5082

Bira Lopes
Visitante
Bira Lopes

Empresas privadas. Contratos paralelos entre sócios. Discussões entre eles, se houverem, se darão no âmbito de câmaras arbitrais. Que se entendam…

Bueno
Visitante
Bueno

Pela matricula 6703 é a primeira modernizada que foi entregue em agosto 2019

Sergio
Visitante
Sergio

Alguém tem um comparativo entre o Calidus B-250 e o ST?????

rui mendes
Visitante
rui mendes

Ou T6 ou PC21, ou o Sul Coreano, ou Turco, ou o Polaco, escolhas não faltam. Embora eu pense que o Super Tucano, o T6 e o PC21 são superiores aos outros, e isso vê-se pelos países que os escolhem comprar.