Home Aviação de Ataque Su-34: Rússia recebe primeiros pedidos de clientes estrangeiros

Su-34: Rússia recebe primeiros pedidos de clientes estrangeiros

7983
180

Segundo o fabricante, vários parceiros chegaram a voar a aeronave

DUBAI, 18 de novembro./TASS. A Rússia recebeu os primeiros pedidos da versão para exportação da aeronave caça-bombardeiro Sukhoi Su-34, afirmou o chefe da Rosoboronexport (parte da Rostec) Alexander Mikheyev a repórteres no Dubai Airshow 2019 na segunda-feira.

“Estamos trabalhando nisso. Vários parceiros chegaram a voar essas aeronaves Su-34. Portanto, estamos aguardando decisões, trabalhando em marketing. Existem aplicações.”, disse Mikheyev.

O caça-bombardeiro supersônico de múltiplas funções Sukhoi Su-34 é designado para atingir alvos terrestres e aéreos inimigos dia e noite, em qualquer condição climática.

O Su-34 transporta armamento de mísseis ar-superfície e ar-ar de longo alcance com a capacidade de emprego multicanal.

O Su-34 tem um alcance operacional de 4.000 km, pode desenvolver uma velocidade máxima de 1.900 km/h e é capaz de transportar uma carga útil de armas de até 8 toneladas.

FONTE: TASS

Subscribe
Notify of
guest
180 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
JuggerBR
JuggerBR
11 meses atrás

Nunca tinha percebido que os assentos dele eram lado a lado…. que bicho grande…

Jabuti
Jabuti
Reply to  JuggerBR
11 meses atrás

Tem até banheiro próprio!

ghutoz
ghutoz
Reply to  Jabuti
11 meses atrás

não tem não

Denis
Denis
Reply to  ghutoz
11 meses atrás

Estraga-prazeres!! 😛

Carlos Miguez - BH
Carlos Miguez - BH
Reply to  Jabuti
11 meses atrás

Tem uma pequena cozinha, mas não lembro o nome próprio disso em aviação.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Carlos Miguez - BH
11 meses atrás

Caro carlos
O nome é galley.

Brunow
Reply to  Alexandre
11 meses atrás

Tem um pequeno “Microondas” e uma espécie de garrafa para a galera se aliviar…

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  Brunow
11 meses atrás

Resumindo, é uma kitnet aérea militar….

Space jockey
Space jockey
Reply to  Saldanha da Gama
11 meses atrás

Tem uma churrasqueira e quadra de voley

Bardini
Bardini
Reply to  Jabuti
11 meses atrás

E segue essa maldita lenda…

Kemen
Kemen
Reply to  Jabuti
11 meses atrás

Geralmente, o banheiro são dois sacos impermeáveis asentados dentro da calça do piloto

Flanker
Flanker
Reply to  Kemen
11 meses atrás

No link abaixo pode-se tirar todas as dúvidas acerca do “banheiro” e da “cozinha” do Su-34 Fullback:

https://thaimilitaryandasianregion.wordpress.com/2015/11/13/su-34-fullback/

Antoniokings
Antoniokings
11 meses atrás

A indústria militar russa está se expandindo bastante e conquistando clientes que antes eram cativos da concorrência.
Parabéns aos russos.
Em tempo: Que monstro esse avião!

Rodrigo
Rodrigo
Reply to  Antoniokings
11 meses atrás

Sim com certeza quem sabe venda mais de 10.

Chris
Chris
Reply to  Antoniokings
11 meses atrás

Apenas mais uma, das trocentas versões do SU-27

Rafael Coimbra
Rafael Coimbra
Reply to  Antoniokings
11 meses atrás

E Síria? ainda não avisaram para Israel que a Russia está lá…. kkk E o Kings acha que a Russia iria defender a Venezuela…

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Rafael Coimbra
11 meses atrás

Tudo tem seu tempo.
O laço está apertando e a hora de Israel está chegando.

José
José
Reply to  Antoniokings
11 meses atrás

E mais fácil a sua hora estar chegando que a de Israel!
Acorde que a vida logo passa!

Beserra(FN)
Beserra(FN)
Reply to  Antoniokings
11 meses atrás

A industria militar OCIDENTAL está se expandido bastante e conquistando clientes que antes eram cativos da concorrência (sic) Russa/URSS.
Parabéns aos Ocidentais.
Em tempo: Que monstro esse avião!

Adsumus

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Beserra(FN)
11 meses atrás

Estamos vendo a expansão da indústria ocidental, principalmente nas mãos dos houthis que estão se enchendo de material apreendido.

Space jockey
Space jockey
Reply to  Antoniokings
11 meses atrás

xupah Pantsir, Israel mandou lembranças.

Alison Lene
Alison Lene
Reply to  Space jockey
11 meses atrás

ja fez muito hein babaca? rsrsrsr

José
José
Reply to  Beserra(FN)
11 meses atrás

Um ótimo alvo!

José
José
Reply to  Antoniokings
11 meses atrás

Um ótimo alvo.

nonato
nonato
11 meses atrás

Qual seria o avião bombardeiro similar do ocidente?

Guizmo
Guizmo
Reply to  nonato
11 meses atrás

Creio que não há. Esse conceito de missão cabia ao F-111. Em tempo, podem me criticar, mas eu adoraria uns 12 desses na MB, carregados de ASM’s

teropode
Reply to  Guizmo
11 meses atrás

São 2 então, a marinha estaria bem servida com um esquadrão baseado em Sergipe . Com as cores dos F2 japoneses.

Marcos Cooper
Marcos Cooper
Reply to  Guizmo
11 meses atrás

Esse eu também gostaria de ver na FAB.

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  Guizmo
11 meses atrás

2!!!! pode ser tb o su35 – rafale ou f18

DanielJr
DanielJr
Reply to  Guizmo
11 meses atrás

Com o Brahmos ficaria top

JPC3
JPC3
Reply to  nonato
11 meses atrás

Ele não é um bombardeiro, o mais próximo é o Strike Eagle que faz quase a mesma coisa. Com vantagens e desvantagens.

Esse avião leva mais combustível que os Su-27 e Su-30, mas ao mesmo tempo é muito mais pesado e com mais arrasto.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  nonato
11 meses atrás

O mais próximo é o Boeing F-15 E e suas derivações.
Biposto, bimotor, potência parecida, pouca coisa menor, carga de armas enorme, alcance enorme, igualmente muito ágil em manobras, mais veloz. Porém custa uma nota preta.

rui mendes
rui mendes
Reply to  nonato
11 meses atrás

F15 E e Tornado GR4, mas o ultimo foi retirado de serviço, há mais ou menos 1 ano.

Matheus
Matheus
11 meses atrás

É esse “bombardeiro” pode ser fácilmente transformado em um caça de combate aéreo, sendo que ele é literalmente um Su-27.
É um caça de superioridade aérea com cozinha e até banheiro embutidos, qual outro caça no mundo tem isso?

Brunow
Reply to  Matheus
11 meses atrás

Nenhum caça tem, nem cozinha e nem banheiro, inclusive o que o Su-34 tem, não pode se chamar de cozinha e muito menos banheiro..

JPC3
JPC3
Reply to  Matheus
11 meses atrás

Pode fazer papel de caça mas é muito mais pesado que um Su-27 e menos aerodinâmico.

Acho que nunca ninguém precisou de cozinha em um caça. Não se fica 24 horas dentro deles.

MMerlin
MMerlin
Reply to  JPC3
11 meses atrás

O pessoal fala em cozinha como se os pilotos não tivessem nada com que se preocupar enquanto estiverem fazendo um arroz, feijão e uma carne assada…
Peso e espaço totalmente desnecessários em um avião militar.

Matheus
Matheus
Reply to  Matheus
11 meses atrás

Mas amigos, imagine você lá, piloto da uma pausa para o banheiro pra fazer aquele número 2 e do nada o co-piloto tem que fazer manobras evazivas.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Matheus
11 meses atrás

Presumo que terá de cagar e combater ao mesmo tempo…

EduardoSP
EduardoSP
Reply to  Matheus
11 meses atrás

Não é um caça de superioridade aérea. Acho mesmo que não é nem caça, afinal, não tem a função de caçar nada.

Luís Henrique
Luís Henrique
11 meses atrás

Sou fã dessa máquina. É sensacional e barata.
É uma aeronave perfeita para ataque contra navios. Como o Brasil só possui vizinhos pequenos, uma ameaça grande viria de longe. O Su-34 possui assinatura radar reduzida principalmente na parte frontal e na parte de cima da aeronave, justamente para ser empregada contra navios, voando baixo.
Seu alcance gigantesco e sua alta carga de armas são perfeitos para a missão.
Resta saber como fica o custo em um contrato de exportação. Ao que tudo indica deverá ficar entre U$ 40 e U$ 50 mi cada. Uma pechincha.

Salim
Salim
Reply to  Luís Henrique
11 meses atrás

Caro Luiz, o su34 e bimotor ( vantagem porem tem maior consumo e maior gasto manutenção ) carga bélica de/ate 8 tons, raio de combate em torno 1000 km e mach 1,8.
Embora o preço parece ser convidativo, acredito que o gripen entrega bem mais do que o su34 , sera produzido aqui, com vantagem nos custos/hora e manutenção garantida pelo volume de caça que teremos e producão local. Acredito que nesta classe de avião o Gripen e a melhor solução. Mudar algo, só se for caça quinta geração, penso eu.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Salim
11 meses atrás

Salim, o Gripen E é excelente e até mais moderno que o Su-34 atual (novas versões estão para sair), o Gripen é multi-missão porém otimizado para combates aéreos. O Su-34 também tem suas vantagens, é multi-missão porém otimizado para ataques. Abre mão de um pouco de velocidade para levar mais combustível e mais armas, além de uma blindagem para proteger a tripulação. Existe uma diferença de classe, o Gripen é um caça Leve e o Su-34 é Pesado. O Gripen carrega 8,5 toneladas de combustível e armamentos e o Su-34 carrega + de 22 toneladas. Sobre a capacidade de carga… Read more »

JPC3
JPC3
Reply to  Luís Henrique
11 meses atrás

Problema são as horas de manutenção e mão de obra. Duvido que um desses dê menos trabalho que dois ou três Gripens. Sem contar que gasta no mínimo o triplo de combustível.

Mas como já falaram, para levar peso a distâncias maiores está em outro nível se comparado ao Gripen.

Rodrigo
Rodrigo
Reply to  JPC3
11 meses atrás

Mais um esquadrão de SU34 seria muito mais barato que um porta avião…

Luiz
Luiz
Reply to  Rodrigo
11 meses atrás

Sem dúvidas disso… até mesmo dois esquadrões, com meia Amazônia Azul sob responsabilidade de cada um… mas acho que devíamos aproveitar a idéia dos chineses e, literalmente, reconstruir o NAe São Paulo (mesmo com os custos envolvidos), inclusive para desenvolver os conhecimentos relativos à construção de um porta-aviões 100% nacional.

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Rodrigo
11 meses atrás

E quem sabe três ou quatro em Fernando de Noronha,junto com um P-3 Orion seria útil…

assim como um radar OTH.

JPC3
JPC3
Reply to  Luís Henrique
11 meses atrás

Talvez a capacidade de carga fique limitada a 8 toneladas quando ele decola com o combustível interno máximo. Carregando menos combustível o peso da carga poderia chegar a 12.000kg.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  JPC3
11 meses atrás

No site oficial da Rosoboronexport, é citado 8 t como carga máxima de Armas. Mas no alcance máximo de vôo de 3.000 km a aeronave está com a seguinte carga: 3 tanques PTB-3000, 6 FAB-500, 2 RVV-AE e 2 R-73. Cada ptb-3000 Tem 3.050 L de combustível que pesa 2.500 kg sem contar o peso da estrutura, somente o combustível. Portanto são 7.500 kg de combustível + o peso dos tanques em si. Cada FAB-500 pesa 500 kg. 6 pesam 3.000 kg. O RVV-AE pesa 175 kg. 2 pesam 350 kg. O R-73 pesa 105 kg. 2 pesam 210 kg.… Read more »

Flanker
Flanker
Reply to  Luís Henrique
11 meses atrás

3000 km de alcance ou de raio de combate?

Nei
Nei
Reply to  Flanker
11 meses atrás

Em combate, nao deve ser tudo isso.

RENAN
RENAN
Reply to  Luís Henrique
11 meses atrás

Gostei do seu raciocínio

Lucianno
Lucianno
Reply to  Salim
11 meses atrás

Não tem com comparar o Su-34 com o Gripen, não são da mesma classe. Apesar de hoje todos serem multi-missão, no fundo o Su-34 é um bombardeiro e foi pensado para atuar em um contexto de uma grande força aérea como a russa, onde existem diversos outros caças para realizar a função de superioridade aérea, por exemplo o Su-35. E como bombardeiro o Su-34 entrega muito mais que o pequeno Gripen.
Acredito que o professor Luiz Henrique quis sugerir o Su-34 complementando os Gripens e não substituindo-os.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Lucianno
11 meses atrás

Obrigado pelo professor. Rss.
Sim, seria um bom mix. Uma aeronave ocidental e uma russa. Não colocar todos os ovos na mesma cesta, etc.
No início do FX2, foi divulgado que a Rússia oferecia o Su-35 e o Pak-Fa (hoje Su-57) em seguida. Após conhecer o Su-34 suas melhores capacidades para ataque e seu preço menor em relação ao Su-35, eu imaginei que Su-34 e Pak-Fa seria um mix melhor que Su-35 e Pak-Fa. Sairia mais barato e igualmente letal.

Mas gostei da ideia do mix Gripen E e Su-34.

Kemen
Kemen
Reply to  Lucianno
11 meses atrás

O Iris-T, AIM-9.., Python 5, MICA IR, etc agradecem ao SU-34 pelo seu afterburner.

Gabriel BR
Gabriel BR
11 meses atrás

É um baita avião! cai como uma luva na composição de uma força aeronaval de responsa .

Diogo Luiz Bizatto
Diogo Luiz Bizatto
11 meses atrás

Lindo avião!
De frente parece um pato… hehe… (ultima foto)

smichtt
smichtt
11 meses atrás

Fizeram test-drive, disseram que iam comprar. Aí, o pessoal de vendas vem e diz que já vendeu. Em todo planeta, departamentos de vendas são todos iguais.

Vinicius Momesso
Vinicius Momesso
11 meses atrás

O único caça russo elogiado em praticamente todos os blogs ocidentais do ramo. Parabéns à Russia pelo vetor! Na minha opinião, o mais bonito e elegante avião da história da força aérea russa, seguida de perto pleo Black Jack.

ghutoz
ghutoz
11 meses atrás

seria um bom transporte para nossa bomba nuclear!

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
11 meses atrás

Su-34: a…….

Defensor da liberdade: queremos você na marinha soldado!

Rogério Loureiro
Rogério Loureiro
11 meses atrás

Alguém palpita os dois primeiros compradores?

Pangloss
Pangloss
Reply to  Rogério Loureiro
11 meses atrás

Bielorrúsia (duas unidades, pagas sabe Deus quando, só na cumplicidade) e Venezuela (uma unidade, paga no carnê do Baú da Felicidade).

Jorge
Jorge
Reply to  Pangloss
11 meses atrás

Os Sukhoi’s da Venezuela nem precisam sobrevoar nosso território, só a foto já assusta… Vcs sabiam que Bozo ficou amarelo de medo, pq em toda campanha ficou dizendo que ia ‘libertar’ a Venezuela e no dia 10 de dez/2018, na parte da tarde, a mando de Putin, aterrissaaram 2 bombardeiros cheios de armas na Venezuela, justamente no mesmo horário e dia, que o Bozo era diplomado em Brasília…?
Não foi a toa, que no dia da Posse, tinha até defesa aerea kkkkkkkk!!

Pangloss
Pangloss
Reply to  Jorge
11 meses atrás

Creio que o camarada Jorge não encontrará dificuldades em requerer cidadania venezuelana.
Não faça cerimônia, troque de lado o quanto antes.
Vai ajudar a elevar a média de inteligência dos dois lados da fronteira.

Tomcat4.0
Tomcat4.0
Reply to  Jorge
11 meses atrás

Caro Jorge, quanta imaginação hein pqp!!!

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Rogério Loureiro
11 meses atrás

Um com certeza será a Argélia…

Rogério Loureiro
Rogério Loureiro
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
11 meses atrás

É no que também penso.
Argélia.
Penso que o segundo cliente TB seria do continente africano ou do OM.

Asia? Acho difícil.
América Latina? Mais difícil ainda.
Europa? Apenas se forem alinhados da EX URSS.

Demais continentes?
Acho praticamente uma utopia.

Rprosa
Rprosa
Reply to  Rogério Loureiro
11 meses atrás

Na África Argélia e Egito,
NO OM Arábia Saudita e Iraque
Na Ásia Vietnã, Malásia Filipinas,
Na América do Sul Peru.

teropode
Reply to  Rprosa
11 meses atrás

Egito até que faz sentido , afinal vao precisar de um guarda chuva para seus navios de desembarque .

Brunow
Reply to  Rprosa
11 meses atrás

Jordanianos são um dos interessados..
Egito, Argélia, Irã, Iraque são outros possíveis compradores no futuro, mas o Su-34 é uma aeronave muito específica para uma determinada função, acho difícil uma compra por parte de países com orçamento pequeno.

RENAN
RENAN
Reply to  Rogério Loureiro
11 meses atrás

Egito
Turquia

Pedro
Pedro
Reply to  Rogério Loureiro
11 meses atrás

Argelia, Turquia, Egito e talvez Emirados Árabes. Nao descarte a Arabia Saudita.

Maurício.
Maurício.
11 meses atrás

Quem quer essa aeronave na MB, provavelmente iria gostar do seu irmão, o Su-27kub.comment image?fit=794%2C759&ssl=1

Rprosa
Rprosa
Reply to  Maurício.
11 meses atrás

O SU-27 KUB pode ser considerado pai do SU-33 e não do SU-34

Maurício.
Maurício.
Reply to  Rprosa
11 meses atrás

Rprosa, por isso eu disse irmão, e não pai.

JOSE CARLOS RANGEL TOLEDO JUNIOR
JOSE CARLOS RANGEL TOLEDO JUNIOR
11 meses atrás

Diferentemente do Su-24, esse pode se defender, não precisa de escolta. É um dos fatores importantes que pode garantir o sucesso de uma missão de combate.

Flanker
Flanker
11 meses atrás

““Estamos trabalhando nisso. Vários parceiros chegaram a voar essas aeronaves Su-34. Portanto, estamos aguardando decisões, trabalhando em marketing. Existem aplicações.”, disse Mikheyev”

Onde está escrito que foi assinado um contrato de venda?

Pelo visto, venda por enquanto, só no título da matéria….

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Flanker
11 meses atrás

Nem no título, Flanker.

Não tem a palavra venda no título, tem pedido.

Foi a tradução escolhida pelo editor para “application”, palavra usada no original da Tass.

Application no contexto de uma notícia sobre esforço de vendas tem sentido de pedido, solicitação, candidatura. Por algum motivo, o editor deixou no corpo do texto uma tradução não coerente, “aplicações”.

Mas é pedido, solicitação. Pedido não é venda. Pode até ser seleção, intenção, carta. Venda é contrato, assinatura. Mas não tem nem venda, nem contrato, nem assinatura no título.

https://tass.com/defense/1089797

Lucianno
Lucianno
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
11 meses atrás

A TASS é russa, então o texto deve ter sido traduzido do russo para o inglês e agora do inglês para o português. Com o detalhe de o inglês ser um idioma “pobre” com muitas palavras com diversos significados dependendo do contexto.

Wellington Rossi Kramer
Wellington Rossi Kramer
Reply to  Lucianno
11 meses atrás

Idioma pobre? Talvez tenha uma gramática pobre, e por isso mesmo seu vocabulário é vasto.

JPC3
JPC3
11 meses atrás

Quantos países precisam de um avião desses sendo que um Su-30 modernizado tem a mesma potência, faz quase a mesma coisa e ainda é muito melhor para superioridade aérea e com menos consumo e manutenção?

Só quem vai atacar em outro continente.

RENAN
RENAN
Reply to  JPC3
11 meses atrás

JPC3 Primeiro exemplo: Um país continental que não disponha de marinha relevante que precisa dar uma rápida e dura resposta a um inimigo que se aproxima de sua costa. Segundo Um país que sabe que seu inimigo é terrivelmente defendido, que caso tenha a oportunidade de colocar um vetor dentro do território defendido, que valha a pena as muitas baixas sofridas. Imagina você é um inimigo de Israel, e você consegue através de muita estratégia (saturação com foguetes, míssel, escolta com SU35) colocar 5 SU34 completamente armados dentro de Israel, seria devastador o estrago realizado pois Israel é pequeno e… Read more »

Salim
Salim
Reply to  RENAN
11 meses atrás

VC esqueceu dos f16, f15, f35, drones armados, etc…..O Gripen e muito mais moderno, radar, aviônica, sensores , armamento, etc…. Hoje toda frota arabe, mais a russa na síria náo tem esta capacidade. Fora USA. SU34 para nos e atraso, nosso próximo passo e ter frota gripen em quantidade e bem armada/treinada. Em diante caça quinta geração para ficar a frente ou equivalente a outras forças.

JPC3
JPC3
Reply to  RENAN
11 meses atrás

Acho que contra Israel ele usaria armas de longo alcance. Israel tem 250 caças modernos e boas defesas antiaéreas além de coisas que não sabemos.

Kemen
Kemen
Reply to  RENAN
11 meses atrás

Devastador somente se estivessem armados com armas táticas nucleares. O pais é pequeno, mas bombas convencionais de 5 SU-34 com certeza não devastariam o pais, sem considerar que Israel tem excelentes radares de vigilância aérea e uma Força Aérea classificada como uma das melhores em atuação, prontidão e reação imediata, seria uma operação dificil para não dizer quase impossivel para essa dúzia de aviões atacantes. E depois também teriam que aguentar a resposta, talvez até no dia seguinte.

Rprosa
Rprosa
Reply to  JPC3
11 meses atrás

Qualquer país que privilegie sua defesa pode contar com um ou dois esquadrões de SU-34, mania que vcs tem de querer sempre achar um pelo no ovo, para apenas criticar, o SU-34 é similar ao F-15 Strike Eagle, quem deseja ter capacidade de ataque estratégica e não apenas tática pode ter, o Brasil não investiu no AMX para ter um caça bombardeiro com capacidade de ataques táticos, somente imagine a FAB substituindo os pouco menos de 60 AMX por cerca de 24 SU-34, bem como a MB operando 24 SU-34 em dois esquadrões, por exemplo Santa Cruz e Val de… Read more »

JPC3
JPC3
Reply to  Rprosa
11 meses atrás

Não achei pelo em ovo, prezado colega.

Só levantei a questão. Se pensar bem são poucos os países que precisam de uma aeronave dessas.

Também não acho que o Gripen faça igual, como eu disse para fazer igual (ou parecido) teria que ser um Strike Eagle ou Su-30 que também são aeronaves de grande porte.

Kemen
Kemen
Reply to  JPC3
11 meses atrás

Por isso o SU-30 foi bastante exportado, não vejo muito mercado para um avião como o SU-34, mesmo sendo seu preço relativamente barato, talvez uma India, não acredito que a China compre mais da Russia, tendo em vista que esta dando impulso a sua propria industria aeronáutica. É mais provável o SU-35 avançar no mercado externo.

JPC3
JPC3
11 meses atrás

Não consigo ver vantagem sobre um sobre um Rafale ou Gripen em termos de sobrevivência, em alcance e capacidade de carga sim é claro.

JPC3
JPC3
Reply to  JPC3
11 meses atrás

logo atrás voando a 60 metros de altura dentro do território inimigo como faziam no Vietnam?

JPC3
JPC3
Reply to  JPC3
11 meses atrás

Mas não era o Gripen que era matador de sukhois?

Kemen
Kemen
Reply to  JPC3
11 meses atrás

JPC3 – Questione o sueco, mas acho que foi uma tremenda asneira a falácia do mesmo, deve ter seguido a linha de varios atuais presidentes, que abrem a boca para perder votos, sera que não se dão conta do que às vezes dizem ou não tem uma acessoria apropriada?

JPC3
JPC3
Reply to  JPC3
11 meses atrás

Será que não vão botar o Su-35 para dançar igual fizeram com o Su-30 indiano? Se um F-16C de exportação faz aquilo com AMRAAM imagina o Rafale com Meteor?

Brunow
Reply to  JPC3
11 meses atrás

Su-35 com um K-77 ou na pior das hipóteses um R-37M, a dança será bem “agarradinha”, até por que R-77 que os indianos usa nos seus MKI quase não existe mais na Rússia…

Arariboia
Arariboia
Reply to  Brunow
11 meses atrás

Na verdade os R-77 indianos são ucranianos de primeira geração. Um dos motivos que a Russia levou bastante tempo modificando e fazendo o seu.
comment image

Felipe
Felipe
Reply to  JPC3
11 meses atrás

Pra esses F-16, bastou um MiG-21 Bison…

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  JPC3
11 meses atrás

Jpc, faz o que exactamente? Os F16 e suckois mantiveram se a distância uns dos outros, tecnicamente ambos fizeram o seu trabalho, que é dar um chega para lá, nem um nem outro se conseguiram engajar devidamente…. O mig21? Já estudamos demais o que se passou, o piloto não tinha de perseguir o avião paquistanês, optou por o fazer e terá sido por isso que se pôs em posição de ser abatido… Heli indiano? Ora bem, um heli é um alvo fácil para um AMRAAM… O que se passou entre a Índia e Paquistão equivale a uma luta de taberna,… Read more »

JPC3
JPC3
Reply to  Peter nine nine
11 meses atrás

Sobre o Su-30 vs F-16 Era piada com os fãs da Rússia, amigo. Não daria pra fazer analise com um evento específico em meio a tantos outros.

E no primeiro post quis dizer que não vejo maior habilidade de sobrevivência no Su-34 que no Rafale e no Gripen. Não estava dizendo que ele seria abatido por caças europeus.

Space jockey
Space jockey
Reply to  Peter nine nine
11 meses atrás

Perfeito Peter. Ah, ja deixei a resposta pra sua pergunta do submarino.

JPC3
JPC3
Reply to  JPC3
11 meses atrás

No primeiro post estava falando das capacidades de sobrevivência das aeronaves em missões parecidas, não estava dizendo que que Rafale e Gripens iriam confrontar o Su-34.

Rodrigo
Rodrigo
Reply to  JPC3
11 meses atrás

Tem funções diferentes…Exemplo um esquadrão de Su-34 baseado no litoral brasileiro poderia proteger toda a amazônia azul… e seria bem mais barato que um porta avião…

kaleu
kaleu
Reply to  JPC3
11 meses atrás

Somente capacidade de carga, do SU-34 é bem superior, mas há de se fazer uma matemática aí, se colocar 11 ton. de combustíveis (capacidade máxima) tem que diminuir o payload de armas, e 4.000km não é range é Ferry range, ou seja é o máximo de distância que a aeronave percorre com carga máxima de combustíveis incluso tanques externos, sem reabastecimento … há muitas imprecisões nessas informações. É um belo “tanque de guerra”, mas está longe de poder “policiar” o atlântico sul como dizem alguns aficcionados, é um caça bombardeiro com grande capacidade de armas, mas poucas informações sobre sensores… Read more »

Space jockey
Space jockey
Reply to  kaleu
11 meses atrás

Pessoal é bitolado nesse avião, mas ele tem menos autonomia que o SU-35, e outra: quase todos os caças tem o mesmo raio de ação, que é em torno de 1000 e poucos KM, é quase tudo igual.

Kemen
Kemen
Reply to  JPC3
11 meses atrás

JPC3 – Ufa! Finalmente totalmente de acordo com vc colega.

Marcos
Marcos
11 meses atrás

A FAB com 6 SU-24, carregados com 4 MICLA-BR em cada avião
A MB com 6 SU-24, carregados com 4 P-800 ou BRAHMOS

Sonhar é de graça

Rprosa
Rprosa
Reply to  Marcos
11 meses atrás

O Su-24 é o Fencer já esta obsoleto e saindo de linha, o SU-34 ou o modelo exportação SU-32 é denominado de Platypus pelo OTAN

Flanker
Flanker
Reply to  Rprosa
11 meses atrás

O Su-34 é denominado Fullback pela OTAN, porque ele é considerado um caça-bombardeiro, assim, todos nessa categoria tem codinomes iniciados com F. Mig-21, Fishbed, Su-27/30/35 Flanker, Mig-29 Fulcrum, e por aí vai….

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
11 meses atrás

Um avião com quase 13 anos do primeiro voo nas fileiras da Força Aerea Russa e agora a primeira venda… um sucesso!

O Russos gastam uma bala preta para projetarem uma aeronave como essa e nem chegam a produzir 100 unidades… vai entender… se os Chineses são o Dragão… os Russos são o Urso… de papel.

Salim
Salim
Reply to  Ricardo Bigliazzi
11 meses atrás

E tem gente aqui querendo comprar, difícil entender.

Brunow
Reply to  Ricardo Bigliazzi
11 meses atrás

Já faz uns 4 anos que a Força Aérea Russa recebeu a 100° unidade, e ele não foi projetado para vender, mas sim substituir os Su-24, mas como todo equipamento Russo ele tem sua versão de exportação…
O “Urso e de papel” e a organização criada para combater ele na Europa seria de que ?

Rprosa
Rprosa
Reply to  Ricardo Bigliazzi
11 meses atrás

Ricardo vc como muitos deve ter a mania de querer comparar a Rússia com USA ou com OTAN como um todo, quando na realidade isso se demonstra um extremo erro, pois não se pode comparar os orçamentos militares, pois enquanto a Rússia na mais extravagantes hipóteses gasta 90 bilhões em defesa, os EUA gastam cerca de 700 bilhões, seria a mesma coisa que eu querer comparar o meu perfil de gastos no meu cartão de crédito com o perfil de gastos do Bill Gates, agora compare os investimentos e aquisições da Rússia nos últimos 5 anos com países semelhantes como… Read more »

Mauricio R.
11 meses atrás

Esse avião é pequeno e carrega pouca carga pra missão.
Sinceramente se é pra interditar o Atlântico pra valer, sou mais aquela velharia que tiraram do estoque dia desses.
Aquilo sim, dá um caldo e tanto.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
11 meses atrás

Eu sempre achei estranha essa configuração de assentos neste avião, acho que perdeu parte da beleza dos sukhois!

Rodrigo
Rodrigo
11 meses atrás

Um esquadrão de Su-34 baseado no litoral, seria um ótimo custo/beneficio para a FAB. e sem duvida muito mais barato que um porta avião, seria a solução ideal para proteção da amazônia azul…

Leonel Testa
Leonel Testa
Reply to  Rodrigo
11 meses atrás

Concordo esses bombardeiros em uma quantidade razoavel 12 a 18 aeronaves com os submarinos conv e nuclear seriam sim um bom poder de fogo no atlantico sul

Salim
Salim
Reply to  Rodrigo
11 meses atrás

Contra frota agressora com cobertura aérea iriam pro sacrifício. Se os caras usarem quinta geração seriam massacrados. Esquadrão Gripen teria mais chance sobrevida pois e mais capaz em guerra eletrônica e ataque em rede interligados entre si e avião aewac, se tivermos uns 4 caças quinta geração a frente empurrarmos qualquer forca de volta pra casa ( exceto usa ).

Rprosa
Rprosa
Reply to  Salim
11 meses atrás

Data venia maxima, os SU-34 carregam suítes de guerra eletrônica ‘Khibiny’, , possuem plena capacidade de combate aéreo, e podem portar misseis com alcance superior a 3.000 km, sendo projetada a capacidade para lançar os novos Kalibr lançados do ar, ou seja não precisam entrar no raio de combate do inimigo, para combate ar-ar deveríamos usar outros vetores como o GRIPEN, o uso do SU-34 é como meio dissuasórios de um frota naval, pois mesmo equipada com um PA o raio de defesa desta frota na se estenderia mais de 700/1000 km do PA.

Bardini
Bardini
Reply to  Rodrigo
11 meses atrás

Seria um belo ralo de dinheiro, baseado em uma total fantasia, que virou esse papo de invasão do Brasil por alienígenas vindos do mar.

Flanker
Flanker
Reply to  Bardini
11 meses atrás

Ah…entendi. Então acaba com a MB. Afinal, o onisciente Bardini falou que é fantasia ou ficção uma guerra, ou agressão, contra o Brasil com o inimigo vindo pelo mar. Se isso não vai acontecer, que é o que ele quer dizer, não precisamos de Marinha…..
Existe uma grande diferença entre querer ver um ataque iminente ou muito provável, vindo pelo mar e a impossibilidade dele ocorrer.
Eu acredito que não temos, num horizonte previsível, o risco de uma agressão contra o Brasil, vinda do lugar que for. Mas, caso ela ocorra, pode vir de qualquer lugar…inclusive do mar!!!

Bardini
Bardini
Reply to  Flanker
11 meses atrás

Tu definitivamente não entendeu. Mas dá pra te compreender, já que tá bravinho e o sangue nos olhos deve tá atrapalhando na leitura. . E assim como no caso do Forte, tu vem com essa baboseira de “então acaba com isso” bablbalablabalba… . Pro inferno, BB. . Mas vou desenhar minha linha de pensamento, por mais que saiba que vá ser uma completa perca de tempo: . Quem tem condições de fato, de levar a cabo uma INVASÃO do território do Brasil, como maluco tanto fala e expõe como necessidade para aquisição de determinados armamentos, como os Su-34? . INVASÃO.… Read more »

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Bardini
11 meses atrás

Bardini, não precisa ser invasão. Para isso precisamos de um ótimo plano de mobilização nacional, apoiado em uma reserva de soldados. Eu já bolei um plano bem completo mas vou colocar um bem resumido, dos 350 mil militares das 3 forças, estipulamos 100 mil como permanentes que irão trabalhar até aposentar nas forças, estipulamos 100 mil como temporários de 8 anos, pessoas que irão para a reserva com uma boa experiência, 100 mil de recrutas que servirão por 1 ano e 50 mil de recrutas que servirão por 2 anos (selecionados os melhores para ficar o 2o ano). Após um… Read more »

bjj
bjj
Reply to  Bardini
11 meses atrás

“Seria um belo ralo de dinheiro, baseado em uma total fantasia, que virou esse papo de invasão do Brasil por alienígenas vindos do mar” Nós temos um precedente, coisa de uns 50 anos, de uma possibilidade real de agressão por parte de uma potência estrangeira que nos ameaçava por vias marítimas. Não que fossem invadir nossa área terrestre, mas claramente atentaram contra a soberania brasileira. Alguns conhecem como Guerra da Lagosta. “Se a maldita e ideia é a tal da “dissuasão” baseada em ficar esperando um inimigo desse porte, então, que torrem o dinheiro que seria gasto com essas aeronaves/alvos,… Read more »

Bardini
Bardini
Reply to  bjj
11 meses atrás

Se os franceses fossem um problema, não teríamos tanto armento dessa origem, totalmente passível de embargo e com características sigilosas conhecidas, por eles. . No mais, como diabos os franceses tocariam um invasão sobre o território brasileiro, se eles estão passando maus bocados na estabilização de suas ex-colônias? . O grosso de quem defende Su-34 pro Brasil, é um bando de zé que acredita que essa aeronave tem banheiro, cozinha e 4.000 km de alcance. Outra parte, é composta ou por quem acha bonito, ou pq ou quer coisa serve pra quem não tem nada ou… por viúvas de Sukhoi,… Read more »

Rprosa
Rprosa
Reply to  Bardini
11 meses atrás

Bardini voce fala em custo de operação, capacidade de carga, alcance de combate para denegrir o SU-34, ams ao mesmo tempo vc quer uma marinha calcada em LHDs e operando F-35-B, o qual segundo estimativas tem um custo de hora de voo entre US$ 45/50.000 e isso não seria proibitivo para a ossa MB, não precisamos de uma força calcada em LHD, mas sim numa força com capacidade dissuassória, não precisamos de uma força com plena capacidade expedicionária, precisamos de uma força que possa em caso de necessidade operar fora de nosso mar territorial, o SU-34 querendo ou não faz… Read more »

Salim
Salim
Reply to  Bardini
11 meses atrás

Bardini, seu texto da uma visão de forças armadas parecidas com as minhas. Vigilante e pronta para reação rápida e eficaz. O que pode ocorrer são ataques parciais a interesses econômicos de outros países em nosso território, com armamento capaz e homens infiltrados fica impossível a um agressor se manter, inviabilizando qualquer aventura em nossa Pátria. O que mata e a falta de objetivo na aquisição equipamentos e o cabide de empregos em nossas FÃs.

bjj
bjj
Reply to  Bardini
11 meses atrás

Bardini “Se os franceses fossem um problema, não teríamos tanto armento dessa origem, totalmente passível de embargo e com características sigilosas conhecidas, por eles. No mais, como diabos os franceses tocariam um invasão sobre o território brasileiro, se eles estão passando maus bocados na estabilização de suas ex-colônias?” Eu não disse que os franceses eram um problema, nem que serão, muito menos que invadiriam o território brasileiro. Apenas citei o episódio da guerra da lagosta, envolvendo Brasil e França, para demonstrar que uma ameaça naval por parte de uma potência estrangeira não é algo totalmente fantasioso, utilizando como base em… Read more »

MMerlin
MMerlin
Reply to  Bardini
11 meses atrás

“….bando de zé que acredita que essa aeronave tem banheiro, cozinha e 4.000 km de alcance…”

Jogou pesado mas não deixa de ser engraçado.
Referente ao LHD, também sou a favor devido ao multi-propósito da embarcação.

Flanker
Flanker
Reply to  Bardini
11 meses atrás

Eu que tô com sangue nos olhos? “Pro inferno, BB”….Olha o destempero!…mas tudo bem….. Como o colega Luís Henrique falou, não precisa invadir….basta um bloqueio naval para nos colocar de joelhos rapidinho. Eu também não creio em uma invasão via litoral….mas, se uma coalizão tentar, pode conseguir. Nosso litoral tem imensas extensões desabitadas…..nossas áreas povoadas no litoral podem servir de entrada para grandes contingentes. E qual Força o Brasil ja teve, ou tem, ou terá, num futuro previsível, para contrapor um ataque massivo? Tomar pontos capitais e estratégicos não seria algo tão difícil…..mas, isso é uma longa discussão. O que… Read more »

Space Jockey
Space Jockey
Reply to  Bardini
11 meses atrás

Ah tá, investir em matines pra quê?!?

Space Jockey
Space Jockey
Reply to  Space Jockey
11 meses atrás

*Marines

Rprosa
Rprosa
Reply to  Bardini
11 meses atrás

Vale lembrar a máxima “Si vis pacem, para bellum”

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Bardini
11 meses atrás

Bardini, feche as 3 forças. Vai economizar 100 bi por ano. Afinal um conflito, guerra ou invasão do Brasil não vai acontecer nunca. É uma fantasia. Fantasia maior é imaginar que um país sul-americano com 1/10 da nossa população e 1/10 da nossa economia, terá coragem de entrar em guerra conosco.
Então se não tem perigo vindo do mar, nem perigo vindo da terra, fecha as forças armadas e constrói hospitais e escolas.

Bardini
Bardini
Reply to  Luís Henrique
11 meses atrás

Em momento algum eu falei em acabar com uma das 3 forças, seu mau carácter!

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Bardini
11 meses atrás

Eu não te ofendi, apesar de Você praticamente ter chamado de idiota ou infantil ou lunático quem acredita que um ataque poderia vir de uma potência distante, pelo mar. Você usou palavras como Fantasia e invasão alienígena… Só rebati seu pífio argumento, com outros argumentos. Você classificou possibilidades de conflitos pelo mar como Fantasia, se eu fosse acreditar em você, eu acreditaria que qualquer conflito seria uma fantasia, pois se é impossível uma França, uma Inglaterra, uma China ou qualquer potência militar nos atacar pelo mar e pelo ar, eu acho muito mais fantasia acreditar que a Bolívia, ou o… Read more »

Space Jockey
Space Jockey
Reply to  Luís Henrique
11 meses atrás

Haha o mais provável, na verdade o mais óbvio se um dia houver uma invasão é justamente pelo mar. Eles não acreditam.

Munhoz
Munhoz
Reply to  Bardini
11 meses atrás

O mar é a porta de entrada ! Não vai ser uma invasão no sentido clássico da 2º Guerra . 1º eles enviam uma força tarefa nucleada por um PA para fazer pressão . 2º eles começam a fazer um bloqueio naval. 3º eles fazem ataques esporádicos sobre algumas infra estruturas mais sensíveis 4º nós já estamos na mesa de negociações ou entrega se assim preferir Em ordem decrescente posso listar EUA, França, Inglaterra e China como tendo essa capacidade e esse animo para uma empreitada dessas . Ou seja o ideal seria fugir um pouco desses fornecedores em áreas… Read more »

Bardini
Bardini
Reply to  Munhoz
11 meses atrás

O que você elencou é algo palpável. E não tem muito o que fazer sem a bomba, se vierem pra cima. Ou tem??? . É só aceitar, sentar na graxa ou querer peitar e destruir todo um país. . Agora, se forem optar pelo “vamos ver”, Su-34 seria triturado, assim como toda nossa estrutura e demais equipamentos de ponta. Isso aí é fichinha pra quem tem condições de descer o cacete no Brasil e tocar essa maluquice de INVASÃO… . complicado pros caras, seria progredir em um vespeiro atochado de ATGMs, MANPADS, minas, IEDs, artilharia e etc. Isso seria um… Read more »

Rprosa
Rprosa
Reply to  Bardini
11 meses atrás

Na sua estrategia de combate vc iria usar tática de guerrilha, ou seja espera os invasores entrar fixar uma base e vamos lutar de modo assimétrico, tacando comboios, bases, deslocamentos de tropas etc,. ou seja vamos correr para o mato. Como já afirmado acima, no caso de rusgas com o Brasil no cenário internacional, ninguém invadiria o Brasil com tropas antes de nos colocar de joelhos, um simples frota naval estacionada em nosso litoral e suficiente para dizimar praticamente toda a nossa cadeia produtiva, posto que nossas maiores cidades são litorâneas, misseis lançados podem facilmente acabar com nossas usina hidroelétricas,… Read more »

Salim
Salim
Reply to  Rprosa
11 meses atrás

Ser realista não é ser entreguista, o que inibe uma invasão e o custo em vidas e o valor. Com estrutura de resposta rápida e eficaz, guerra assimétrica e com situação geográfica de nosso território, seria necessário uma quantidade enorme de efetivos e com custo em vidas Alto inviabilizando invasão ( so China teria gente suficiente para perder em guerra nestes parâmetros ).

teropode
Reply to  Bardini
11 meses atrás

Este ponto de vista inval8da tudo que é convencional , inclusive a mosquinha Gripen.

Munhoz
Munhoz
Reply to  Bardini
11 meses atrás

Temos 200 milhões de habitantes esquece invasão por terra !

Eles não tem ânimo para isto!

Seria uma pressão no mar com ataques esporádicos como eu disse.

O que poderíamos fazer é assediar de longe com caças com mísseis e submarinos, precisa também de AA como um S 400, o resto é brincar de soldado.

É uma capacidade mínima de intimidação, contra uma França já daria resultado!

Flanker
Flanker
Reply to  Munhoz
11 meses atrás

E tu acreditas mesmo que essa população toda iria lutar contra um invasor? Quantos sederiam ao canto da sereia de um punhado de dólares ou, a legião de miseráveis, bem manobrada e recebendo ajuda, não muita, mas mais do que recebe hoje, o que fariam? Tu acreditas mesmo que esse fogo patriótico queima no peito de todos os brasileiros?? Ou apenas se emocionam quando toca o Hino Nacional antes de uma partida da seleção em copa do mundo?
Não estou pessoalizando e nem fazendo juízo de valor….apenas, uma análise desapaixonada…..ou ainda, fazendo o papel de advogado do diabo.

Space Jockey
Space Jockey
Reply to  Flanker
11 meses atrás

Um único PA afundado provavelmente seria preço alto demais para fazerem uma aventura por aqui, então precisa sim investir em meios anti navais.

Augusto L
Augusto L
Reply to  Rodrigo
11 meses atrás

Um ótimo custo/benefício não seria não mas com certeza seria um bom dissuasor contra uma FT inimiga.

rosario
rosario
11 meses atrás

o titulo diz que o aviao ja recebeu os primeiros pedidos, no entanto a materia fala que ainda estao trabalhando nisso e que parceiros voaram o aviao. ou seja, nada de venda.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
11 meses atrás

Quem quer ter Defesa de primeira tem que gastar para ter qualidade, eficácia e eficiência, quem não pode só resta ser criativo né.

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
11 meses atrás

O pessoal enche o saco dizendo qual avião derrubaria ou qual avião é melhor… Sério, aqui existe tantos engenheiros e pilotos que já fizerem testes com as mais variáveis aeronaves existentes para ter tanta informação escrita aqui de forma “comprovada”… E pior é quando querem comparar um caça bombardeiro contra um caça de superioridade aérea literalmente.

groosp
groosp
11 meses atrás

Argélia?

Farroupilha
Farroupilha
11 meses atrás

RCS do SU-34 e RCS do GripenNGBR?…
Verdadeiramente qual deles seria melhor para atacar uma frota inimiga moderna?
Raciocinando friamente o SU-34 vale a pena?

Mauricio R.
Reply to  Farroupilha
11 meses atrás

Nas nossas condições nenhum dos 2 vale a pena, não possuem a persistência em combate (tamanho do tanque de combustível x tamanho do porta-bombas) necessária a dissuasão efetiva do inimigo em potencial.

Mauricio R.
11 meses atrás

“…é capaz de transportar uma carga útil de armas de até 8 toneladas.”

O míssil P-270 Moskit/SS-N-22/”Shipwreck” pesa 4.500Kg, a versão “air launched” do Brahamos pesa 2.500Kg.
E não pensem que P-500, P-700 ou P-800 sejam menores ou mais leves, pois não são.
Esse avião carrega, dependendo do míssil, o suficiente para no muito engajar 2 alvos.
Entenderam como ele é pequeno, para nos proporcionar A2/AD crível no Atlântico????

Pedro
Pedro
Reply to  Mauricio R.
11 meses atrás

E tem algum avião que consiga levar um P-270 que não seja um Tu-22M ou Tu-95?? No ocidente não tem nada parecido com esse míssil ou ate mesmo o Brahmos.

Mauricio R.
Reply to  Pedro
11 meses atrás

Mas é este mesmo o meu ponto, se é pra interditar realmente, efetivamente o Atlântico, então necessitamos de uma aeronave com elevada persistência de combate.
Esse avião não tem isso.

Rprosa
Rprosa
Reply to  Mauricio R.
11 meses atrás

Então na sua ótica só serve o B-52

Rprosa
Rprosa
Reply to  Mauricio R.
11 meses atrás

Voce pelo jeito e o único estrategista que envia apenas uma aeronave para combater, se vc colocar no minimo 4 aviões teríamos no minimo de 8 a 12 misseis antinavio, além de equipamento de guerra eletrônica e no minimo dois misseis ar ar para cada vetor, agora para o mesmo pacote teríamos de dispor de no minimo 10/12 Gripens

Augusto L
Augusto L
Reply to  Rprosa
11 meses atrás

Tanto o Gripen quanto o SU-34 não servem pra interdição naval, não no T.O do atlântico.
Plataformas de interdição naval são bombardeiros, PAs, submarinos nucleares e mísseis balísticos anti-navios.

Rprosa
Rprosa
Reply to  Augusto L
11 meses atrás

Augusto, somente imagine um grupo de 6 SU-34 armados cada um com uma estação de guerra eletrônica Khibiny, um POD Geofizika, 3 misseis KALIBR e ainda portando dois misseis ar ar, levando em consideração que um strike group tem em media de 10 a 12 navios de proteção, somente com este grupo de ataque e colocando-se uma taxa de acerto de 30% vc infligiria uma perda de no minimo 35 a 40% da frota invasora, isso não e dissuasão.

bjj
bjj
Reply to  Mauricio R.
11 meses atrás

Os indiano estão desenvolvendo o Brahmos NG, com basicamente o mesmo desempenho do Brahmos atual porém pesando “apenas” 1,5 ton. Um SU-34 poderia levar até uns 4 destes + tanques externos.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Mauricio R.
11 meses atrás

Maurício, o Su-34 suporta um míssil de 4 toneladas.
Suporta 3 mísseis pesados como o Brahmos.
E suporta com facilidade 6 mísseis kh-35 ou kh-31.

Se para a missão de ataque naval isso não for bom o bastante, nenhum caça é. Precisara de um bombardeiro estratégico.

Jacinto
Jacinto
Reply to  Luís Henrique
11 meses atrás

E o que os americanos pretendem fazer com o B1 e o Lrasm. Cada B1 devera levar 24 lrasm.

Nostra
Nostra
11 meses atrás

In other news

India launches it Twin engine deck based fighter ( TEDBF ) program
comment image

It might be based on the early iterations of AMCA with prominent rear stabilators and LERX for vortex generation.

Source http://delhidefencereview.com/2019/11/18/the-indian-navy-and-drdo-move-on-from-the-nlca-mk2-to-the-twin-engine-deck-based-fighter-tedbf/

Farroupilha
Farroupilha
11 meses atrás

Para quem tem alguma curiosidafe de RCS para alguns avioes, inclusive o SU-34 e 57
mil-embedded.com
Radar cross section: The measure of stealth

Bardini
Bardini
11 meses atrás

Tem que tomar umas 5 pra ler os comentário dessas matérias que envolvem o Su-34.
.
É um festival de maluquice sem fim…

Flanker
Flanker
11 meses atrás

Ah…em tempo: não estou entre os que querem o Su-34 envergando as cores brasileiras. O F-39, com dois RBS-15, é um excelente atacante antinavio.

Mauricio R.
Reply to  Flanker
11 meses atrás

No Báltico, no Kattegat, ou no Skagerrak, sim. No Atlântico não, não tem capacidade de cobrir uma ampla área marítima e ainda mais mais leva pouca carga. Neste sentido é quase que uma aeronave de defesa de ponto. Poderia usar revo, mas mesmo assim continuaria carregando pouca carga. Qndo o que realmente necessitamos, é uma aeronave que cubra uma ampla área marítima e carregue carga pesada. Até por que seria necessário sobrepujar uma defesa em camadas, composta de elementos ativos (hard kill) e passivos (soft kill). Ou isso ou um balístico anti navio móvel e um míssil mach 3, capazes… Read more »

Flanker
Flanker
Reply to  Mauricio R.
11 meses atrás

O que eu falei é que, para quem tem F-39, não seria uma grande diferença ter Su-34. Quanto ao que que precisamos, no seu ponto de vista, é um bombardeiro de grande porte. Isso, no Brasil, nunca vai acontecer! Você fala também em míssil balístico antinavio. Isso é coisa de chinês. Como fala o Bosco, eu gostaria de saber como um míssil balístico (sem correção de trajetória, portanto), consegue achar e, mais difícil, acertar um alvo (um navio, do tamanho que for) que se move……e pode se mover em qualquer direção. Portanto, bombardeiro de grande porte, fora EUA, Rússia e… Read more »

MMerlin
MMerlin
Reply to  Flanker
11 meses atrás

Essa é a ideia. Com uso do RBS-15, entre a decolagem e o alvo, a distância percorrida poderia passar dos 2 mil km. Sem margem para combate, com objetivo de aproximação e lançamento.

MMerlin
MMerlin
Reply to  Mauricio R.
11 meses atrás

Patrulha marítima não é feita por caças. Existem outros aviões que executam tal função.
O Gripen E/F tem um raio de 1.300 km em modo Patrulha de Combate.
Se bem distribuído, conseguimos cobrir toda nossa plataforma continental jurídica e geográfica.
Um esquadrão em cada uma destas bases (Belém, Natal, Santa Cruz e Canoas) por exemplo garante a soberania sobre nossas águas.

Kemen
Kemen
11 meses atrás

Pontos positivos básicos, muito manobrável, relativamente barato, carrega muitas armas, comporta 45 tn. de peso máximo, boa velocidade máxima.

Pontos negativos básicos, operação parece ser cara, seus turbofan são afterburner (forte chamariz para misseis infra vermelhos) portanto não tem supercruise, não esta previsto para operações ar-mar, thrust/weight só 0.68.

Mas assim como o F-35, tem quem goste ou seja sua opção de compra. No total tudo indica que foram construidos 132 (125).

Augusto L
Augusto L
11 meses atrás

Alguns colegas aqui, há maioria (pelo que se vê nos comentários), se deixam levar pelo marketing e não pensão de forma holística da coisa, esquecem que para ser ter uma boa força anti-negação não é só ter um bom vetor mais toda uma Kill Chain de qualidade. Alguns nem conhecem a coisa como um todo simplesmente pegam a informação de que o SU-34 foi principalmente feito para ataque naval, relacionam isso com a Russia fabricar bons vetores e pronto na cabeça deles somente essas 2 informações o fazem o melhor caça anti-navio e que só com ele a MB estará… Read more »

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Augusto L
11 meses atrás

Augusto, o Su-34 Não é a única opção. Não é o melhor do mundo. Mas é sim uma boa opção, se analisar as capacidades/custos.
Qual outra aeronave entrega a mesma performance por menos de U$ 50 mi?

Flanker
Flanker
Reply to  Luís Henrique
11 meses atrás

US$ 50 milhões? Para custo exclusivamente da aeronave, sem absolutamente mais nada, apesar de eu duvidar, digamos que seja possível. Mas, adicione aí o treinamento (pilotos e equipes de apoio), manuais, sobressalentes iniciais (de parafusos a motores), suporte de suprimento e manutenção continuados e, principalmente, armamento. Esse custo, por célula, deve dobrar ou até passar disso. Estou sizendo que é caro? Pode ser que sim, pode ser que não….depende do cenário. O que quero dizer é que, falar em 50 mi de dólares é não falar a verdade toda.

Lala Croft
Lala Croft
11 meses atrás

Para você ver, esse avião tem a capacidade de carga de um B-17. Realmente a industria aeronáutica desenvolveu demais nos últimos 60 anos.

Italo Souza
Italo Souza
11 meses atrás

A famosa ponta da agulha

Space jockey
Space jockey
11 meses atrás

Esse avião é lindo. Quanto ao que interessa o alcance do Su-35 é maior, então qual a justificativa ?

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Space jockey
11 meses atrás

Pelo menos no site da Rosoboronexport, o alcance do Su-35 de 3.600 km é divulgado com 2 R-77. Já o alcance do Su-34 de 3.000 km é divulgado com 6 bombas de 500 kg, 2 R-77 e 2 R-73, além de 3 tanques externos de combustível.
Com 2 tanques externos o Su-35 Tem alcance de 4.500 km.
O Su-34 É mais pesado, possui blindagem, etc. É provável que tenha um alcance pouco menor mesmo.

Flanker
Flanker
Reply to  Luís Henrique
11 meses atrás

O Su-35 vai, cumpre a missão e volta, voando 9000 km sem reabastecer? Ou seja, ele tem um raio de combate de 4500 km??

Space jockey
Space jockey
Reply to  Flanker
11 meses atrás

Flanker, isso é pq o povo confunde alcance e raio de combate.

Space jockey
Space jockey
Reply to  Luís Henrique
11 meses atrás

Alcance de 3600 Km, mas como tem que voltar do objetivo da missão é no máximo 1700 Km, todos os caças é quase a mesma coisa.