Home Aviação de Ataque Boeing oferece garantia de trabalho para empresas do Canadá se o Super...

Boeing oferece garantia de trabalho para empresas do Canadá se o Super Hornet for escolhido

1840
26
Super Hornet Block III

A gigante aeroespacial dos EUA, Boeing, está oferecendo sua garantia de bilhões de dólares em trabalho para empresas canadenses, além de manter a manutenção de aeronaves no país, enquanto tenta convencer o governo liberal a selecionar uma nova versão do caça Super Hornet

Por David Pugliese

A Boeing espera que a nova tecnologia no Super Hornet e seu compromisso de colocar até $30 bilhões em trabalho com empresas canadenses resultem em vitória na competição para a construção de 88 jatos.

O movimento ocorre quando o NDP (New Democratic Party) e os sindicatos aeroespaciais estão se tornando mais expressivos sobre a necessidade do projeto de substituição de aviões de combate do Canadá pagar grandes dividendos pela economia.

O líder do NDP, Jagmeet Singh, disse na semana passada que iria discutir esse assunto quando o Parlamento voltar e espera ter uma discussão com o novo ministro da Defesa Liberal sobre como os empregos no Canadá podem ser criados e sustentados pelo programa.

A Boeing não se comprometeu com o programa canadense ao revisar os requisitos de licitação durante o verão. Mas isso mudou na semana passada, quando a Boeing confirmou que estava na corrida.

“Não teríamos essa conversa se não pensássemos ter uma chance muito realista de vencer”, disse o executivo da Boeing, Jim Barnes, em entrevista ao Ottawa Citizen.

O caça furtivo F-35 da Lockheed Martin é considerado o principal concorrente do projeto que verá a compra de novos jatos a um custo entre $ 15 bilhões e $ 19 bilhões. A Saab da Suécia também está na competição, oferecendo o caça Gripen.

A questão dos benefícios econômicos garantidos para o Canadá poderia ser um problema para o governo liberal, que, sob pressão dos EUA, alterou as regras de compras para permitir que o F-35 fosse considerado. Devido à forma como o programa F-35, liderado pelos EUA, está estruturado, a Lockheed Martin não pode fornecer garantias de nenhum trabalho para empresas canadenses, uma posição que no passado teria desqualificado uma empresa de licitar uma grande aquisição de defesa.

No início de setembro, o sindicato que representa os mecânicos da indústria aeroespacial alertou que as mudanças feitas para a Lockheed Martin ocorreriam às custas de outras empresas que oferecem trabalho garantido para o setor aeroespacial do Canadá. Além disso, o sindicato está preocupado com o fato de que, se o Canadá comprasse o F-35, a maior parte da manutenção seria feita nos EUA, colocando em risco 600 empregos na L-3 em Mirabel, Quebec. A L-3 realiza manutenção na atual frota de caças CF-18 da Royal Canadian Air Force.

Barnes disse que a Boeing ficou surpresa com a mudança na competição canadense que aumentou a necessidade de garantias para fornecer às empresas locais um trabalho igual ou superior ao custo do projeto. A Boeing possui a L-3 em sua equipe de aviões de caça, bem como a Peraton Canada Corp., CAE Inc., GE Canada e Raytheon Canada.

Barnes disse que, ao longo dos anos, o governo canadense desenvolveu uma capacidade de manter seus aviões de combate em casa usando essas empresas. “Então, estamos alavancando esse investimento do governo do Canadá”, acrescentou.

As autoridades da Boeing dizem estar confiantes em garantir bilhões de dólares em trabalho para os canadenses, já que a empresa tem uma presença extensa no setor aeroespacial militar e comercial em todo o mundo, bem como em suas próprias instalações no Canadá.

Mockup do F-35 com as cores do Canadá

A Lockheed Martin respondeu que, embora não haja garantias de trabalho no programa F-35, as empresas canadenses receberam mais de US$ 1,3 bilhão em contratos no projeto nos últimos 12 anos. A quantidade desses contratos pode aumentar significativamente à medida que mais F-35 são entregues aos aliados dos EUA e do Canadá, observaram as autoridades da Lockheed Martin.

A Boeing está oferecendo o que é conhecido como o Super Hornet Bloco III, uma versão avançada das aeronaves existentes.

No início deste ano, a Marinha dos EUA confirmou a compra de 78 aeronaves equipadas com um novo computador, sensores e links de dados para aumentar a quantidade de informações que podem ser recebidas ou transmitidas. A aeronave também possui comunicações via satélite, o que é importante para as operações do Ártico, observou a Boeing. Alguns aspectos furtivos também foram adicionados e a Boeing diz que conseguiu aumentar a vida útil da aeronave de 6.000 horas para 10.000 horas.

Também está lançando o novo Super Hornet como menos oneroso de manter. A aeronave custa cerca de US$ 18.000 por hora para operar em comparação com o F-35, que custa US$ 44.000.

O Pentágono e a Lockheed Martin estão trabalhando para reduzir esse custo do F-35.

As propostas para o programa canadense devem ser enviadas até a primavera de 2020, e o vencedor deverá ser determinado no início de 2022. A primeira aeronave será entregue em 2025.

O mérito técnico compõe a maior parte da avaliação em 60%. Os benefícios econômicos e de custo que as empresas podem oferecer ao Canadá valerão 20% cada.

Uma disputa comercial entre o Canadá e a Boeing de impostos sobre jatos civis de passageiros fabricados no Canadá levou os liberais a incluir na competição de aviões de caça uma cláusula que consideraria qualquer dano econômico que uma empresa tenha causado ao Canadá.

Barnes disse que a cláusula está nos documentos de licitação. A Boeing, no entanto, não vê isso como um problema para a empresa, pois acabou perdendo a disputa comercial.

FONTE: ottawacitizen.com

26
Deixe um comentário

avatar
7 Comment threads
19 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
18 Comment authors
Augusto LJ-20Ricardo BigliazziRafaelLucianno Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Antoniokings
Visitante
Antoniokings

A Boeing está matando cachorro a grito.

Guizmo
Visitante
Guizmo

Da onde vc tirou isso? Vai olhar o balanço deles e o EBITDA de 2018….isso é estratégia comercial, negócios, mundo capitalista, mundo real

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Faturamento e lucro em queda acentuada no ano de 2019.
Em outubro anunciou suas maiores perdas em 100 anos.
E sem perspectiva de melhora a curto prazo.

https://exame.abril.com.br/negocios/lucro-da-boeing-cai-51-afetado-por-suspensao-de-avioes-max/

Guizmo
Visitante
Guizmo

Kings, tenha dó……a Boeing registrou lucro líquido de USD 1,1 Bi. O Max vai voltar a voar e as vendas retomam….é too big to fail.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Nada no Mundo é eterno.
As coisas acontecem aos poucos, mas vão acontecendo.
Quem poderia imaginar que Pan Am, Kodak, Enron, TWA, Lehman Brothers e dezenas de outras empresas fossem tombar?
Quem poderia imaginar que outras centenas de ícones americanos como GM, Ford, GE, Xerox, IBM, Chevron, Wetinghouse, RCA Victor, Citibank, US Steel, Bank of America e etc. fossem minguar até perder importância no mercado mundial.
O Mundo é assim.
E é bom que seja.

Guizmo
Visitante
Guizmo

Nisso vc está coberto de razão. Mas eu não gosto de torcer contra. Nem contra empresas chinesas, nem russas, nem americanas, nem brasileiras. Torcer pelo desastre é ignorar milhares de empregos sendo perdidos, economia frágil, etc

Cavalo-do-Cão
Visitante
Cavalo-do-Cão

“Guizmo

Nisso vc está coberto de razão. Mas eu não gosto de torcer contra. Nem contra empresas chinesas, nem russas, nem americanas, nem brasileiras. Torcer pelo desastre é ignorar milhares de empregos sendo perdidos, economia frágil, etc”

A julgar pelo que fizeram na Síria e neste país ao longo de todo este tempo eu posso te garantir que eles estão se lixando pra tudo e para todos…rs…

Augusto L
Visitante
Augusto L

Aonde essas companhias são inexpressivas ? So nos seus sonhos.
IBM maior desenvolvedora de nuvens, líder em desenvolvimento de I.A e provavelmente a primeira empresa a patentear um computador quântico.
Chevron 3 maior companhia energética do mundo
GM e Ford, 4 e 5 maiores produtoras de carro atualmente.
GE 2 maior fabricante de motores, grande operadora de energia nuclear se não a maior do mundo.
Citibank e o Bank of America sendo os 8 e 6 maiores bancos do mundo.
A RCA faz parte da Sony.
Somente a Xerox e a US steel que tem pouca relevância hoje.

Minuteman
Visitante
Minuteman

Ele dorme e acorda sonhando com a falência dos EUA (que nunca irá acontecer), isso explica sua pergunta.

Rafael
Visitante
Rafael

Assim como nunca aconteceu com os impérios Mongol, Persa, Romano, etc…

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Relaxa Guizmo…

DOUGLAS TARGINO
Visitante
DOUGLAS TARGINO

Vai da F-18 mesmo… Tá mais confiável que o F-35…

Gabriel BR
Visitante
Gabriel BR

O F-18 SH é uma aeronave bem experimentada e com um desempenho formidável. Eu deixaria o F-35 para depois quando estiver com os problemas sanados, compraria uns 2 esquadrões de elite de F-35 daqui uns 15 anos e só!

nonato
Visitante
nonato

O Canadá poderia comprar 30 unidades de cada. Gripen F 35 e f 18

Minuteman
Visitante
Minuteman

Mais 20 de cada: S-35S, MIG 35 e J-10.

Lucianno
Visitante
Lucianno

Não sei se é brincadeira ou se o comentário era para ser sério. Mas imaginar que o Canadá irá comprar armamento russo ou chines é muita falta de ter estudado história e geografia na escola.

Minuteman
Visitante
Minuteman

Caro Luci, fui irônico mesmo.

nonato
Visitante
nonato

Colocava o gripen para o patrulhamento normal hora de voo barata. usava o gripen no dia a dia. usava os outros para treinamento o f-35 no caso de uma guerra mais séria.

Lucianno
Visitante
Lucianno

Gripen no Canadá … KKKKKK

Gabriel BR
Visitante
Gabriel BR

Se eu tivesse a tranquilidade e o beneficio de estar no guarda-chuva americano , eu iria de F-18 SH e não compraria o F-35 tão cedo …

Antunes 1980
Visitante
Antunes 1980

Comendo pelas beiradas, a Boeing vai emplacar o F-18 SuperHornet Block III no Canadá, Índia, Finlândia, Espanha e Alemanha.
Ter um vetor destes na FAB seria um sonho!

Minuteman
Visitante
Minuteman

O Gripen é muito melhor. Se comprar outros dois lotes até 2035, estaremos muito bem servidos.

Depois disso, é focar em F-35, por exemplo.

DSC
Visitante
DSC

“O Gripen é muito melhor.”

Não é.

Delfim
Visitante
Delfim

Se a Boeing tivesse oferecido essas facilidades anos atrás no F-X2, o resultado poderia ter sido outro.

Cristiano Salles (Taubaté-SP)
Visitante
Cristiano Salles (Taubaté-SP)

Concordo com você…

J-20
Visitante
J-20

E os escândalos de espionagem não terem sido vazados