Home Cultura Aeronáutica Você é de São Paulo ou está na cidade? Tem Portões Abertos...

Você é de São Paulo ou está na cidade? Tem Portões Abertos neste domingo

2758
65

É neste domingo, 20 de outubro, o tradicional Portões Abertos do Parque de Material Aeronáutico de São Paulo (PAMA-SP), também conhecido como o tradicional Domingo Aéreo no Campo de Marte.

Clique na imagem para ampliar e ver todos os detalhes, incluindo as letras miúdas no rodapé do cartaz, pra depois não dizer que ninguém avisou!

A entrada do público é no portão da avenida Santos Dumont, a meio caminho das estações Santana e Carandiru do metrô. O transporte público geralmente é a melhor opção pra chegar, sem se preocupar com interdições em ruas nem com estacionamento. O evento costuma ficar bem cheio, mesmo em caso de tempo ruim, mas a parte da manhã normalmente é menos lotada.

A apresentação do Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA Esquadrilha da Fumaça) será de tempo reduzido, segundo o próprio EDA, pelas restrições do espaço aéreo da própria cidade, o que tem sido a regra nas últimas edições, infelizmente, pra quem tem saudades das exibições completas feitas sobre o Campo de Marte por anos a fio. Para saber mais sobre a agenda da Fumaça e dos tipos de exibições, clique aqui para ver notícia recente do esquadrão sobre os eventos deste final de semana.

Além das aeronaves em exposição estática e exibições aéreas programadas (veja o cartaz), o Domingo Aéreo é uma oportunidade de conhecer por dentro o hangar onde são feitas as revisões de 1.200 horas de voo dos caças F-5M da FAB. Para ver fotos e matérias falando disso, digite PAMA-SP no campo busca do blog.

E também é uma oportunidade de ver ou rever, do lado de fora (junto ao portão principal da avenida Braz Leme, que não é a entrada do público), as belas linhas do caça Mirage III exposto como monumento, da imagem abaixo:

65 COMMENTS

    • Ferreras, isso pode mudar (e às vezes sugem algumas surpresas ou raridades), mas as aeronaves presentes não costumam variar muito dessa lista:

      T-25 e T-27 da AFA, C-95 Bandeirante, P-95 Bandeirulha, SC-105 Amazonas, Helicópteros variados, desde R-22 de instrução a Esquilo da PM e Caracal da FAB, e também alguns aviões do Aeroclube de S. Paulo, eventualmente algum experimental ou planador motorizado, sem falar nos A-29 Super Tucano da Fumaça.

      Também colocam em exposição e organizam a entrada na cabine de um C-115 Buffalo desativado e de um F-5 E ex-Jordânia que foi preservado pra isso e que recebeu pintura dos F-5EM. Eventualmente algum F-5EM dando entrada na manutenção das 1.200 horas ou saindo dela (ou seja, ainda não desmontado ou já remontado) também pode ficar em exposição estática no pátio.

      E tem os F-5EM/ FM dentro do hangar de manutenção, em vários estágios de suas revisões nível parque.

      No ano passado (ou foi no retrasado?) o KC-390 também deu as caras. Nesse ano não sei.

      Enfim, não costuma faltar aeronave pra ver.

      • Um dos F-5EM acabou de fazer pelo menos uma dúzia de passagens sobre a pista.

        Ainda não fui lá, mas deu pra ver todas as passagens aqui da janela de casa.

        • As 10:10 ele chegou e fez muito bonito. A tarde, as 14:30 acredito que tenha sido outro aviador que estava no comando, já que foi bem morna a apresentação.

        • Tadeu, é sério que vc não sabe disso?
          Digite fumaça no campo busca do blog e boa leitura. Você tem alguns anos de matérias pra se atualizar a respeito.

          • Nunão,

            Sinceramente, eu não sabia que o Super Tucano fazia parte da Esquadrilha da Fumaça.

            Essa pegou mal. Melhor eu desaparecer até a poeira baixar. Rsrsrsrs.

          • Hahahahaha, da próxima, sugiro realmente o campo busca do blog. Resolve as suas dúvidas rapidamente e não arranha a sua imagem!
            Mas fique à vontade para perguntar sempre que tiver dúvidas. Um “bullyingzinho” ou outro são só pedrinhas nesse caminho do conhecimento.

          • Nunão,

            Valeu. Obrigado.

            O bullying é um velho conhecido meu…..rsrsrs.

            Sobreviví a muitos bullyings. Rsrsrsrsrs.

      • Não mentiu não, MFB, mas ainda assim o interesse do público em geral é enorme, mesmo que a diversidade das aeronaves e das exibições seja muito menor do que há 20 anos, quando o evento do Campo de Marte voltou a acontecer depois de um período sem o Domingo Aéreo.

        Eu fui em quase todas as edições desses 20 anos, às vezes como público comum, às vezes como Imprensa.

        E quase sempre está bem cheio.

        Hoje eu passei em frente mas, como só pude vir por volta do meio dia, desisti, pois a fila está gigantesca.

        Espero que todo esse povo se divirta!

        • Não sei como foi a fila nos outros anos mas estava bem grande e nao era claro se era preferencial ou não. Nesse ponto acheio meio desorganizado. Fora isso esta cheio mesmo.

        • Ia dizer o mesmo. Foi tudo quase igual aos anos anteriores, mas ainda sim foi muito emocionante. Parabéns à FAB por manter essa tradição.

    • Não que seja da minha conta pois cada um pensa o que quiser, mas como é que alguem negativa uma pergunta totalmente pertinente e útil como esta?

      • Simples. Quem faz isso são os canhotos para tentar banalizar o ¨deslike¨ já que eles tomam sempre trocentos desses sempre que comentam.

      • Verdade…. Deve ser aquele tipo de pessoa que critica a tudo e a todos, independentemente do conmentário ser pertinente ou não… lamentável

  1. Sou de São Paulo, mas sem o KC-390 não vale a pena. Só vale ir pelos A-29, só o ruído dos motores já vale meus oito reais de metrô, moro pertinho da linha azul, então super tranquilo. Iria só pelo KC-390.

  2. Saudades da época em que havia Lynx, Seaking, passagem de A-4… a diversidade já foi muito maior.. o evento já foi muito mais empolgante… uma pena…

    • Verdade, Leonardo, mas ainda assim o interesse do público é enorme. A fila deste ano, agora ao meio dia, está gigantesca.

      Quem foi pela manhã viu uma das mais longas apresentações de F-5 em passagens baixas, deve ter passado uma dúzia de vezes pelo menos.

      Esse ano eu vi da minha janela, já tá bom, depois de 20 anos vendo ao lado da pista.

  3. Deve ser um espetáculo para os entusiastas, mas infelizmente, é uma exibição de aeronaves que já
    deveriam estar em museus.

    Eu não sei se o público brasileiro tem ideia de quão obsoleta e defasada está a FAB.

    O Gripen vem quando mesmo? 2029?
    E a tal fábrica de peças que seria construída em Gavião Peixoto? Será que ficará pronta antes de 2035?
    Fui irônico.

    Lamentável.

    • “ E a tal fábrica de peças que seria construída em Gavião Peixoto?“

      Ironias à parte, você errou de cidade. A fábrica de aeroestruturas é em São Bernardo do Campo, já foi inaugurada e está em implantação, com a mão de obra treinando na Suécia.

  4. Ontem fui aos portões abertos do DCTA… mais uma vez nada nos ares além da fumaça. No solo, não muita coisa, mas tivemos um trio de helicópteros do exército, 4 Super tucanos, cada um numa configuração de cargas externas, o KC390, e da parte da Embraer um Legacy 450 e um Embraer 175 (United Airlines)… Ao fundo dava para ver o E195E2 Tech Lion.

  5. A edição desse ano foi muito sem graça, principalmente pelas poucas aeronaves expostas, senti falta do C-130, KC-390, Sabre e não tinha nenhum representando a Marinha. O H-1h tinha uns três expostos mas o BlackHawk só tinha um semi-desmontado dentro do hangar. Quem já teve a oportunidade de ver eventos aéreos no exterior fica muito desapontado com algo nesse nível em uma cidade como São Paulo. E olha que público não faltou.

    Mas no fundo compreendo que essa contenção em trazer aeronaves de outras partes do país e o reduzido número de passagens no evento se dá pelo reduzido orçamento da força. Nos resta torcer para dias melhores.

    • O GTE pra passeio políticos esta a todo vapor, lá náo falta verba nem jatos novos. FAB 70 mil homens, força aérea Israel 30 mil homens. Orçamento em dólares equivalentes. Da vergonha aceitar isto.

      • Salim, Israel cabe dentro do Estado do RJ e tem um monte de inimigos há 5 min de voo de Tel Aviv, não compare abacaxi com laranjas, tudo é fruta só que muito diferentes!!

        • Caro Marcelo. Se vc comparar o nr de aviões de ponta, o nr de horas voadas por cada piloto e levar em conta que o orçamento das forças defesa de Israel e equivalente em dólares ao nosso, veja que além do treinamento eles tem situações reais de guerra onde usam milhares de munição de ponta.
          Treinamento, equipamentos e profissionalização de forças armadas independem de tamanho. Força aerea trabalha com equipamento de ponta, munição capaz e treinamento o nr homens e diretamente proporcional ao nr vetores e o nr horas treinadas. Sinceramente, vc acredita que nossa força aerea aplica bem os recursos e estamos aptos a enfrentar uma situação de conflito!?!?

          • Desculpe erro, conforme Wikipédia Brasil gasta 22,8 bi usd e Israel 17,8 bi usd, números de 2016/2017. E pior do que imaginava.

          • Acho que sim, dentro de nosso TO que é a AL. Israel está em estado de guerra constante. Não estou dizendo que estamos ótimos e que se pode melhorar, como o Plano FAB 100, onde estão tentando diminuir efetivos, criar quadros de oficiais temporários e focar na atividade fim ( Controlar, Integrar e Defender), mas isso demanda tempo.

          • Caro Marcelo, se levar em conta America Latina os nossos vetores guerra e suporte, gastamos muito mal nosso dinheiro( põe mal nisso, sem falar na especialidade de parte do serviço publico em nosso pais). Náo defendo redução de dotação verbas para nossas FAs, porem como Brasileiro exijo gasto responsável com meios capazes, armados e em quantidade para defender nossa pátria e nosso povo. Alerto que a ameaça náo vira da America Latina ( pode ser ate por um fantoche daqui, mais o suporte e interesse náo e da America Latina). Detesto Ira e Coréia do norte, porem ninguém se mete a besta com eles.
            O GTE em 2017 voou quase 4500 hs mais que 100 voltas ao redor mundo. Em um domingo por ano, para mais de 10% população do pais, fazer uma apresentação meia boca e alegar falta de verbas, desculpe, náo consigo ver aonde querem chegar.

  6. Participo de eventos como esse há uns 30 anos….já asssiti muita coisa, desde eventos sem uma apresentação áerea sequer até alguns com muita, mas muita coisa. Lembro de uma apresentação, acho que foi em 2004, de um A-1A do Centauro, na Expoaer da BASM, pilotado pelo Tenente-coronel Quintiliano. A melhor representação de um A-1 que já assisti. Curvas de alta percormance em baixa altitude, Tuneaux, looping, passagens em grande velocidade e baixíssima altitude, etc…um shoe, mesmo! Sempre havia, todos os anos, participação dos F-5 de Canoas, om passagens baixíssimas e a Mach 0.8…o.9….muitas vezes participação F-103 de Anápolis , com passagens apos decolagem. Em 2007 participou um F-2000 biposto (4933)….C-130 em várias vezes, com permissão de entrada na cabine de carga ….sem falar, nos AT-26, até sua aposentadoria, H-1H com demonstrações em voo, igualmente os H-60 a partir de sua chegada, T-27, T-25 (fui testemunha do acidente fatal com um T-25 da BASM, durante apresentação a baixa altura, que vitimou o Tenente-coronel Jarbas A. T .Dutra….s T-27 e depois A-29 do EDA….além de vários outros modelos de aeronaves da FAB, MB e EB. Hoje em dia é um desalento….esse ano mesmo, a Expoaer da Ala 4 foi um marasmo….os A-1 decolaram 3 vezes durante o dia e não fizeram sequer 1 passagem….além disso, a quantidade de A-1 que puderam ser observados foi baixa: 3 A-1AM, sendo que 1 estava em manutenção (5523) e dois voando (5504 e 5506), além de mais 5 A-1 em manutenção e 2 A-1A em exposição estática. Não teve nenhuma aeronave de outra Ala (nem os F-5 de Canoas e nem O EDA). Os H-60 pude observar 4…sendo que 1 em manutenção, 2 em exposição estática e 1 em voo. Enfim, hoje em dia, as Exposições e Portões Abertos não são nem sombra do que já foram é do que já vi….
    Para registro, desde ontem, 19/10, está ocorrendo uma Operação aqui em SM, com participação de 1 P-3AM, 2 P-95M, 1 R-99 e um Hermes 900.

  7. Ah, esqueci de comentar que no evento da Ala 4 haviam 2 A-1A e 1 A-1B, cobertos com capas, todos sem as asas, estabilizadores horizontais, verticais, motores, canopis…em resumo , praticamente só as fuselagem e os trens de pouso, armazenados em um hangar que fica ao lado do hangar de manutenção. Pela aparência, estão ali há bastante tempo.

  8. Infelizmente não pude participar pois não estava na cidade. Mas tive a grata surpresa que um F5 ( 4820 ) estava no estacionamento da ALESP e agora no final da tarde voltando por lá pude vê-lo de perto. Só tinha minha família lá. Espero que mais pessoas tiveram está oportunidade durante o dia.

  9. Boa noite, acabei de chegar de lá. Realmente muito bom o evento, muitas passagens dos F5, cheguei as 14h e ainda fizeram mais umas 8 passagens.
    Uma pena foi a falta do KC-390, que ano retrasado estava lá. Esse ano foi muito bom mesmo.

  10. Muito bom,senti falta dos rádios transmissores,ano passado 2018 tinha bastante,ficaria muito satisfeito se em 2020 tiver um espaço só para essa modalidade.
    Parabéns a todos que colaboraram para que esse evento acontecesse.

  11. Saí de Indaiatuba às 13:00h, estacionei meu carro dentro do Parque, e não vi nenhuma fila. Fiquei no quiosque VIP. Só estava muito frio (estava calor em Indaiatuba quando saí de casa). Apesar do chororô da falta de aeronaves voando, o povo gosta do evento e sempre prestigia. Não há como colocar aeronaves voando com um contingenciamento de 40% no orçamento do MD. Quando comandei o 2°/6° (2007/2008) enviei E/R-99 para TODOS os Portões Abertos nos quais fomos convidados. Eu mesmo fui em vários, com direito a algumas passagens baixas. Mas eram outros tempos, e o esforço aéreo era generoso.

  12. Uma pergunta que estou em dúvida.
    Estava no Brás e da sacada do apartamento que estava deu pra ver o F-5, nas passagens pela manha e pela tarde.
    Ocorre que ao final, ele tomou o rumo para o extremo leste da cidade de São Paulo, como que se dirigisse para a região do Vale do Paraíba.
    Achei que a aeronave estava situada, momentaneamente, em Guarulhos (BASP).
    Alguém poderia confirmar se a mesma estava situada em outra base aérea diferente da BASP?

    • Daniel,
      Provavelmente seguiu em direção ao circuito de tráfego para pouso em Cumbica / BASP, para reabastecer, almoço etc, pois mais tarde fez mais passagens baixas sobre o Campo de Marte.

    • Se isso foi na ultima passagem ele realmente pode ter ido embora para o esquadrao de origem .Se foi pela manha é normal ele seguir em sentido leste e alinhar com a pista 09 de GRU

      • Isso, acho que não fui totalmente claro quanto ao que deve ter sido a programação do caça no dia todo: provavelmente veio manhã proveniente direto da Ala 12 (Base Aérea de Santa Cruz, Rio de Janeiro), fez as passagens sobre o Campo de Marte e depois seguiu na direção Noroeste para pouso em Cumbica (BASP). Reabasteceu, almoçou etc, decolou, fez mais passagens sobre o Campo de Marte e depois seguiu no rumo Leste, de volta à Ala 12. É o mais provável.

        • Tive a impressão que as duas vezes ele regressou pra Santa Cruz (manhã e tarde), pois após as últimas passagens em cada turno, tomou uma grande altura e velocidade e sumiu no horizonte a extremo leste.
          Se tivesse alinhado na pista 09 teria visto afinal a sacada do apartamento que eu estava é face leste e bem alto.
          Vale lembrar que o vento não estava favorável para pouso na pista 09, pois olhei no Flightradar24 e as aeronaves estavam descendo pela cabeceira da Afonso Schmidt.

  13. Fazia e um tempinho que não comparecia e acabei indo, levando meu filho pela primeira vez a um evento destes, imaginava que seria fraco em termos de demonstrações aéreas e quebrei a cara ao chegar no parque por volta das 14:30 , fomos brindados com uma bela exibição de um F-5, varias passagens, algumas baixas ….havia tempos que não via algo parecido no Campo de Marte….

    Chegando lá, altos e baixos, poucas aeronaves da ativa das nossas FA´s em exposição estática , haviam alguns Sapões, Super Puma e um Bufalo fazendo a alegria da galera…

    A exibição do EDA foi modesta, curta e pouco ousada….uma pena…mas é sempre legal vê-los em ação….

    Lotado, muita gente, neste aspecto é muito bom a participação do público em eventos como estes, gostaríamos de ver outros mais e com uma variedade maior de aeronaves e apresentações aéreas ….enfim….

  14. Creio que o evento se saiu bem pelas belas e várias passagens do F-5M, a apresentação da Eda foi muito bem comparada com anos anteriores porém reduzida.. não por culpa deles acredito que foi clima ou limitações ao trafego aéreo..coisa que parece que não atrapalhava antes, percebo que a cada ano o Pama faz e evento quase que só, eventos passados havia mais participação da aviação civil/comercial..já vi rasante de 737,Fokker F-27, Fokker 100 nestes eventos …fizeram o excelente evento com as devidas limitações..parabéns a Fab e ao PAMA-Sp!!

  15. Aproveitando que vários foram ao evento e eu acabei desistindo, pergunto:

    Como estava o hangar de manutenção dos F-5? Alguém contou quantos caças estavam na linha de montagem, sendo preparados ao final da revisão de 1200 horas?

    • Nunão, se não me engano eram dois F5 em manutenção. Conversei com o Militar que estava dando as informações ao publico, muito bom por sinal, ele disse que um deles sairia em alguns dias, o outro iria demorar mais.

      • Só dois mesmo?
        É a menor quantidade em muitos anos, a não ser que parte estivesse fora de vista no hangar.
        É mais uma pista de que a frota não irá mesmo muito além de 2025, caso essa quantidade em manutenção não aumente novamente para dar mais uma esticada na vida útil de uma parte da frota.
        Isso porque, em média, leva cerca de 6 anos para cada F-5 atingir as 1200 horas de voo e ir para a manutenção nível parque. E, também em média, 8 estão por lá, entre as entradas e as saídas.
        Mantidas essas médias, aeronaves que saíram dessa manutenção há pouco consumirão essas 1200 horas em 6 anos, por volta de 2025 (sempre é possível, de qualquer forma, manter uma maior quantidade voando menos para esticar isso). E as que terminaram antes disso, caso essas revisões parem de ser realizadas na frota de F-5, darão baixa antes disso.
        Mas, como escrevi, isso sempre pode ser ajustado.

        • Precisamos dos gripen urgentemente, contando baixas AMX , estaremos com nr bem baixo de caças aptos a fazer defesa aerea em nosso país. Acredito que bom senso vai triunfar e seja colocado novo pedido g ripens junto a Embraer Defesa após validação das capacidades gripen.

    • Eu contei 3 deles. O 4806 que pousou de barriga na grana estava lá, sem equipamentos, canopi, asa , trem. Também estava o 4874 e outro do primeiro lote que nao me recordo o número. O 4806 biplace está com as marcas do mato na fuselagem que amorteceu a sua queda. Pra mim, a asa foi pro saco e como não tem outra, ele foi canibalizado, afinal, há se passaram 3 anos do acidente. O 74 tem esta com cara que não voará mais .

  16. Aqui no RJ, haverá o Show Aéreo do MUSAL, dias 26 e 27/10 com a Esquadrilha fechando os dois dias!!Pena que tenho compromissos no fim de semana, fica para 2020!!!

    • Eu fui no Domingo no MUSAL /RJ, e foi bem legal, a Esq. Fumaça ficou pra parte da tarde não pude esperar, vi a Esq Céu. Foi bem legal com alguma aeronaves que fazem parte do Museu, poderiam caprichar mais pro ano que vem, dando uns rasantes de F5 ou AMX e levando o KC390. Abraços.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here