Home Abate Vitórias aéreas americanas na Guerra do Golfo de 1991

Vitórias aéreas americanas na Guerra do Golfo de 1991

6501
146
Caças da USAF sobre o Iraque na Operação Desert Storm, em 1991
Caças da USAF sobre o Iraque na Operação Desert Storm, em 1991

Quando o Irã e o Iraque encerraram uma brutal guerra de 8 anos em 1988, a Força Aérea Iraquiana havia lutado bem. Em 1991, era uma das maiores forças aéreas no Oriente Médio, com mais de 700 aeronaves de combate de asa fixa.

O Iraque havia comprado aeronaves de caça novas e muito capazes, incluindo MiG-29s da União Soviética e Mirage F-1s da França. O país também tinha melhorado suas bases aéreas, aumentando o tamanho e o número de suas pistas e construído
centenas de abrigos endurecidos de aeronaves para protegê-las em caso de ataque.

Na Operação Desert Storm em 1991 para libertar o Kuwait das forças iraquianas, as forças aéreas da Coalizão liderada pelos EUA destruíram cerca de 140 aviões de combate iraquianos, 105 dos quais foram destruídos no solo. O restante dos aviões iraquianos conseguiu fugir para o Irã para escapar da campanha de bombardeio.

Os caças da Coalizão destruíram 33 aviões iraquianos em combate aéreo, segundo o Center for Strategic and Budgetary Assessments (CSBA). As perdas iraquianas incluíram oito MiG-23s, seis Mirage F-1s, seis MiG-29s, quatro SU-22s, dois SU-25s, dois MiG-25s, dois MiG-21s, um PC-9, um IL-76 e um SU-7.

Destes 33 aviões, 27 foram engajados e abatidos com auxílio de aeronaves de alerta aéreo antecipado (AWACS).

Dezesseis (16) aviões iraquianos foram destruídos em combate BVR, além do alcance visual.

Dezessete (17) foram abatidos em combate no alcance visual (WVR), com cinco (5) deles exigindo manobras de combate aéreo. Mas a detecção de longo alcance proporcionou aos pilotos da Coalizão tempo para se posicionarem vantajosamente para disparos sem precisar puxar Gs significativos.

Nos engajamentos BVR, o maior alcance de detecção foi de 42 milhas (o alcance máximo do radar do F-15 Eagle na época).

O engajamento de maior alcance foi de 16 milhas (a média foi de 10 milhas), que era uma limitação do míssil ar-ar BVR da época, o AIM-7 Sparrow, pois o míssil AMRAAM ainda não estava disponível.

Como comparação, o abate BVR de maior alcance até hoje foi feito por um F-14 iraniano nos anos 80, a 62 milhas de distância.

Nos combates aéreos na Guerra do Golfo os aviões americanos não ultrapassaram os 650 nós de velocidade durante os engajamentos.

Os caças americanos F-14, F-15 e F/A-18 lançaram 88 mísseis AIM-7 Sparrow durante a campanha, para obter 24 “kills”, o que dá uma Pk (Probability of a Kill) de 27%.

Em praticamente todos os abates documentados usando mísseis BVR, as aeronaves inimigas “cooperaram”, pois não sabiam que estavam sendo detectadas ou que um radar inimigo estava travado nelas.

Em contrapartida, os iraquianos conseguiram obter o primeiro “kill” em combate ar-ar da guerra. Um MIG-25PDS, pilotado pelo tenente Zuhair Dawood, do 84º Esquadrão de Caça, derrubou um F/A-18 Hornet da Marinha dos EUA na primeira noite do conflito.

O segundo “kill” obtido pelos iraquianos foi registrado por um piloto chamado Jameel Sayhood voando um MIG-29. Ele abateu um Tornado GR.1A da Royal Air Force com mísseis R-60.

Nas tabelas abaixo, os abates americanos e iraquianos na Guerra do Golfo de 1991, com dados do ACIG (Air Combat Information Group). Os número diferem um pouco dos apresentados pelo CSBA.

Data Unidade Piloto RIO Aeronave Arma Alvo Força
17Jan91 42ECS/
66ECW
J.Denton B.Brandon EF-111A Maneuver F.1EQ IrAF
17Jan91 58TFS/
33TFW
J.Kelk F-15C/
85-0125
AIM-7M MiG-29B IrAF
17Jan91 58TFS/
33TFW
R.Greater F-15C/
85-0105
AIM-7M F.1EQ IrAF
17Jan91 58TFS/
33TFW
R.Greater F-15C/
85-105
AIM-7M F.1EQ IrAF
17Jan91 71TFS/
1TFW
S.Tate F-15C/
83-0017
AIM-7M F.1BQ IrAF
17Jan91 VFA-81 M.Fox F/A-18C/
163508
AIM-7M MiG-21bis IrAF
17Jan91 VFA-81 N.Mongillo F/A-18C/
163502
AIM-9M MiG-21bis IrAF
17Jan91 58TFS/
33TFW
C.Magill F-15C/
85-0107
AIM-7M MiG-29B IrAF
17Jan91 58TFS/
33TFW
R.Draeger F-15C/
85-0108
AIM-7M MiG-29B IrAF
17Jan91 VF-14/32 ? ? F-14A AIM-54C F.1EQ IrAF
17Jan91 VF-14/32 ? ? F-14A AIM-7M MiG-25PD IrAF
18Jan91 53TFS/
36TFW
B.Powell F-15C AIM-7M MiG-23 IrAF
18Jan91 53TFS/
36TFW
B.Powell F-15C AIM-7M MiG-23 IrAF
19Jan91 58TFS/
33TFW
L.Pitts F-15C/
85-0099
AIM-7M MiG-25PD IrAF
19Jan91 58TFS/
33TFW
R.Tollini F-15C/
85-0101
AIM-7M MiG-25PD IrAF
19Jan91 58TFS/
33TFW
C.Underhill F-15C/
85-0122
AIM-7M MiG-29B IrAF
19Jan91 58TFS/
33TFW
C.Rodriguez F-15C/
85-0014
Maneuver MiG-29B IrAF
19Jan91 53TFS/
36TFW
D.Prather F-15C/
79-0069
AIM-7M F.1EQ IrAF
19Jan91 53TFS/
36TFW
D.Sveden F-15C/
79-0021
AIM-7M F.1EQ IrAF
26Jan91 58TFS/
33TFW
R.Draeger F-15C/
85-0119
AIM-7M MiG-23MF IrAF
26Jan91 58TFS/
33TFW
A.Schiavi F-15C/
85-0104
AIM-7M MiG-23MF IrAF
26Jan91 58TFS/
33TFW
C.Rodriguez F-15C/
85-0114
AIM-7M MiG-23MF IrAF
27Jan91 53TFS/
36TFW
Denney F-15C/
84-0025
AIM-9M MiG-23MF IrAF
27Jan91 53TFS/
36TFW
Denney F-15C/
84-0025
AIM-9M MiG-23MF IrAF
27Jan91 53TFS/
36TFW
B.Powell F-15C/
84-0027
AIM-7M MiG-23MF IrAF
27Jan91 53TFS/
36TFW
B.Powell F-15C/
84-0027
AIM-7M F.1EQ IrAF
29Jan91 53TFS/
36TFW
D.Watrous F-15C/
85-0022
AIM-7M MiG-23 IrAF
29Jan91 58TFS/
33TFW
D.Rose F-15C/
85-0102
AIM-7M MiG-23 IrAF
2Feb91 525TFS/
33TFW
G.Masters F-15C/
79-0074
AIM-7M/20mm Il-76 IrAF
6Feb91 53TFS/
36TFW
Dietz F-15C/
79-0078
AIM-9M MiG-21bis IrAF
6Feb91 53TFS/
36TFW
Dietz F-15C/
79-0078
AIM-9M MiG-21bis IrAF
6Feb91 53TFS/
36TFW
R.Hehemann F-15C/
84-0019
AIM-9M Su-25K IrAF
6Feb91 53TFS/
36TFW
R.Hehemann F-15C/
84-0019
AIM-9M Su-25K IrAF
6Feb91 VF-1 D.Broce R.McElraft F-14A/
162603
AIM-9M Mi-17 IrAF
6Feb91 706TFS/
926TFW
R.Swain A-10A/
77-0205
30mm Bo.105C IrAF
7Feb91 58TFS/
33TFW
A.Murphy F-15C/
85-0102
AIM-7M Su-22M-3K IrAF
7Feb91 58TFS/
33TFW
A.Murphy F-15C/
85-0102
AIM-7M Su-22M-3K IrAF
7Feb91 58TFW/
33TFW
R.Parsons F-15C/
85-0124
AIM-7M Su-22M-3K IrAF
7May91 525TFS/
36TFW
R.May F-15C/
80-0003
AIM-7M Mi-24 IrAF
11Feb91 525TFS/
36TFW
S.Dingee F-15C/
79-0048
AIM-7M SA.330/Mi-8 IrAF
11Feb91 525TFS/
36TFW
M.McKenzie F-15C/
80-0012
AIM-7M Mi-8 IrAF
13Feb91 VFA-81/82/
VA-35?
? A-6E or F/A-18C AGM-62 SA.321H IrAF
14Feb91 335TFS/
4TFW
R.Bennet D.Bakke F-15E/
89-0487
GBU-10 Hughes 500 IrAF
15Feb91 511TFS/
10TFW
T.Sheehy A-10A/
81-0964
30mm Mi-8 IrAF
27Feb91 229 Avn/101st ? ? AH-64A AGM-114 Helicopter IrAF

… e vitórias aéreas iraquianas (1991 a 2002):

mig29-iraq

Data Unidade Aeronave Piloto Arma Alvo Força
17Jan91 96FS MiG-25PDS R-40RD F/A-18C AA400 VFA-83/USN
17Jan91 63FS MiG-23ML R-60 F-111F USAF
17Jan91 4 ou 5FS MiG-29 R-27R MiG-23ML ?FS/IrAF (fratricídio)
17Jan91 4 ou 5FS MiG-29 R-27R B-52G USAF
17Jan91 4 ou 5FS MiG-29 R-60MK F-111F USAF
17Jan91 4 ou 5FS MiG-29A R-60MK Tornado IDS AMI
18Jan91 4 ou 5FS MiG-29A R-60MK Tornado GR.Mk.1 27Sqn/RAF
29Jan91 96FS MiG-25PD R-40RD + R-40TD F-15C USAF
16Jan93 96FS MiG-25PD Intercepted F-15E USAF
23Dec02 96FS MiG-25PD R-60 or R-40T/R RQ-1A Predator USAF

 

OBS.: Alguns dos abates reclamados pela aviação iraquiana são negados pelos EUA e pelas forças da Coalizão, que alegam que as aeronaves foram abatidas por fogo antiaéreo e ou por fogo amigo.

FONTE: CSBA/ACIG

146
Deixe um comentário

avatar
30 Comment threads
116 Thread replies
1 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
64 Comment authors
HeuLucas RomeroWilson FrançaAntonio PalharesRamon Grigio Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Renato B.
Visitante
Renato B.

Interessante ver o número de abates do Mig-25, mostra como é dificil definir quando um avião está realmente obsoleto.Mas o ACIG diferenciava os abates confirmados. Esse é o caso de todos os que estão listados?

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Verdade.
Derrubou dois F-15s

MFB
Visitante
MFB

Vou concordar com o Antonio pela primeira vez. De tudo o que foi exposto, o que mais me impressionou foi o abate de dois f-15

paddy mayne
Visitante
paddy mayne

MFB, isso não aconteceu. É lorota iraquiana. Mas se não me engano, um ou dois F-15E foram derrubados por SAMs.

JPC3
Visitante
JPC3

Não, a maioria não é confirmado. Os dos EUA teriam mais credibilidade porque eles venceram a guerra.

Plinio Jr
Visitante
Plinio Jr

Na visão dos iraquianos, houveram estes abates, que nunca foram comprovados…os aviões iraquianos não tiveram a mesma sorte…

Felipe
Visitante
Felipe

E na visão dos EUA, o F-15 nunca foi abatido. Aí vai de cada um, acreditar na visão que quiser.

ednardo curisco
Visitante
ednardo curisco

Estou bem surpreso com os abates dos F15. Não que sejam invencíveis. Isto não existe. Até um Pampa em seu melhor dia poderia derrubar um F15, mesmo que numa relação 100:1.

E o Mig 25, quase 30 anos atrás, era bem mais parelho com o F15 à época.

O que me impressiona é que em favor dos EUA havia AEW e um sem número de outros recursos.

De todo modo, os EUA negam.

Alfa BR
Visitante
Alfa BR

“Mas o ACIG diferenciava os abates confirmados.”

De fato. Faltou incluir isso nas tabelas.

Vinicius Momesso
Visitante
Vinicius Momesso

Ainda bem que a força aérea iraquiana não dispunham dos mísseis ar-ar R-73 que se empregados, não impediriam a derrota, mas causariam um dano muito maior do que foi causado.

Lala Croft
Visitante
Lala Croft

O que seria maneuver ? Sei que significa manobra, mas como assim a arma é manobra ?

Luiz Trindade
Visitante
Luiz Trindade

Foi de lavada heim…

Antonio Palhares
Visitante
Antonio Palhares

Foi como empurrar bêbado ladeira abaixo.

rfeng
Visitante
rfeng

Na época se noticiou que dois Blackhawks tinham sido abatidos(fratricídio) pelos F15, procede a informação.

Space Jockey
Visitante
Space Jockey

Que eu saiba de confirmado mesmo só tem o F-18 abatido pelo MIG-25, mas vai saber, na guerras sempre mentem. O relato é bem interessante, se o iraquiano quisesse tbm teria derrubado mais um A-6, mas foi negado pelo comando de solo. O piloto parece ter morrido na ejeção e foi enterrado pelos beduínos, com os restos mortais sendo encontrados somente 18 anos depois.

paddy mayne
Visitante
paddy mayne

Isso mesmo. O piloto do F-18 era Scott Speicher. Seu corpo levou quase 30 anos para ser recuperado. O abate do Tornado é questionável, mas não é impossivel. Quanto a esses “abates” dos F-15, do B-52G e outros, só aconteceram nos sonhos dos iraquianos.

Rui Soares
Visitante
Rui Soares

Como levou quase 30 anos se a guerra foi em 1991?… so em 2021 se completam 30 anos dessa guerra

paddy mayne
Visitante
paddy mayne

1991-2009. “Quase 20” anos era o correto…

Pablo
Visitante
Pablo

levaria quase 30 anos se tivesse sido encontrado em 2019

PPrr
Visitante
PPrr

e tu sabe disso como? uhduehdue

Space Jockey
Visitante
Space Jockey

Tem diversos relatos na net detalhados, vá lá e leia.

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

Teve uma entrevista com um piloto de F-14, onde na noite que o F-18 foi abatido, contou que um piloto de A-6 chegou na sala onde estavam e perguntou: “Quem sabe a quantidade de anéis da pós-combustão do MiG-25? Eu sei.”

O MiG tinha passado tão perto do Intruder dele que dava para ver os detalhes da chama de pós-combustão….

Space Jockey
Visitante
Space Jockey

E o piloto do Mig tbm relatou ter visto todo o cockpit iluminado do Intruder .

Maurício.
Visitante
Maurício.

As recentes escaramuças entre Índia e Paquistão, e a necessidade de dois mísseis, sendo um BVR e outro WVR para abater uma “sucata” de um S-22 na Síria, mostram que não contiua sendo uma tarefa fácil abater uma aeronave de caça, seja na arena BVR ou WVR.
Já sobre o MIG-29, coitado, eu sempre gostei dessa aeronave, pena que quase sempre se deu mal nos combates aéreos.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Esses Mig-29 iraquianos entraram em ação sem apoio aéreo de AWACS.
E esse apoio faz toda a diferença.
Portanto, os abates acima mencionados são bastante interessantes.

Space Jockey
Visitante
Space Jockey

Um dos seus raros comentários que concordo.

Tadeu Mendes
Visitante
Tadeu Mendes

Kings,

Seu comentario foi sensato. Congratulations.

JPC3
Visitante
JPC3

Não porque tinham radares no solo vetorando aeronaves iraquianas. Não estavam sozinhos ou perdidos muitas vezes. Ao menos na primeira semana.

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Quase não tinham, foram os primeiros alvos a serem atacados…

Kemen
Visitante
Kemen

Negativo, é óbvio que a primeira coisa que as forças da coalizão fizeram foi destruir os radares iraquianos no solo, leia a respeito, os caças iraquianos que não foram destruidos no solo e ainda tinham combustivel para voar e pista em condições de uso, só dispunham dos seus radares.

JPC3
Visitante
JPC3

Se só dispunham dos seus radares como souberam para qual direção ir?

Kemen
Visitante
Kemen

Colega, existem tantas opções possiveis que podiam utilizar que não vale a pena comentar, pense um pouco.

JPC3
Visitante
JPC3

Como interceptaram os caças americanos sem nenhum tipo de controle e orientação?

Kemen
Visitante
Kemen

JPC3, que eu saiba os caças tem radar… ou não?

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Falou.
SDS

JPC3
Visitante
JPC3

Mas tinham o apoio de radares de solo, que dependendo da situação podem fazer o mesmo que AWACs.

Kemen
Visitante
Kemen

Negativo colega, não tinham!
“On the morning of January 16, 1991, Allied forces began the first phase of Desert Storm, also known as Desert Shield. American forces first destroyed Iraqi border radar stations, then other key elements of the Iraqi anti-aircraft network; lastly, they began to bomb key targets in downtown Iraq, including the presidential palace, communication centers, and power stations.”

JPC3
Visitante
JPC3

Não destruíram todos os radares no mesmo dia porque eram muitos, principalmente os associados a defesa antiaérea.

Kemen
Visitante
Kemen

Colega, desculpe mas não se tenta justificar o injustificavel, recomendo novamente, volte a ler sobre o asunto, tem leituras muito boas baseadas em relatos de oficiais.
A proposito, quantos radares terrestres existiam?

JPC3
Visitante
JPC3

Esse argumento de que ninguém no mundo tem competência para usar armas russas não é bem assim.

Elton
Visitante
Elton

Ainda adicionar que o MIG-29 do iraque era a versão piorada de exportação do 9.12B :não tinha sistema IRST,nem ECM ,radar degradado e só disparava WWR o R60 e BVR o R27 e os pilotos ainda estavam na fase de transição operacional já que as primeiras aeronaves foram recebidas menos de 4 anos antes e a grande maioria de seus pilotos eram de unidades de MIG23 uma aeronave com performance e doutrina de uso totalmente diferente.

Plinio Jr
Visitante
Plinio Jr

Doutrina soviética, vetoração pelos radares em terra, como a maioria foi destruída ou tiveram que desligar para não serem destruídos, o resultado foi catastrófico .. dando supremacia aérea para a coalização….

Maurício.
Visitante
Maurício.

Antoniokings, eu até concordo com você, mas o que vale em uma guerra são os números finais, e nesses o coitado do Mig-29 quase sempre se deu mal, não podemos dar desculpas, guerra é guerra, se o Iraque não tinha apoio de AWACS, ou se a versão iraquiana do Mig-29 era inferior, isso era um problema do Iraque.

Space Jockey
Visitante
Space Jockey

O que ele quis dizer – eu imagino – foi que operados pela potencia de origem ( Rússia ) com o mesmo tipo de apoio e em números iguais de vetores o resultado poderia ser bem mais equilibrado, o que torna essa uma ou duas vitórias do Iraque bem interessantes e dignas de análise.

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Me fez lembrar de uma coisa, quer dizer que não adianta ter radar no chão??? Acho que sim, pois vira alvo, sem radar os aviões inimigos virarão ou viraram alvos… entendi.

Se montarem radares no chão de ilhas artificiais e esses forem destruídos (pois são alvos fixos) o resto da força vira alvo? Deve ser isso que acontece né…

Entendi… sem AWACS, sem radar no chão uma força inexpugnável vira alvo… certo. Esses Americanos são malandrões…

Felipe
Visitante
Felipe

Sendo que um deles no combate com um F-15, o próprio piloto do MiG-29 bateu ele sozinho contra o solo…

Alex Faulhaber
Visitante
Alex Faulhaber

Quase 30 anos depois e a força aérea do Iraque era melhor do que a que temos hoje(FAB).

JuggerBR
Visitante
JuggerBR

Mas também era uma zona misturada entre diversos russos e franceses, bem parecido com a bagunça da Índia hoje em dia…

nonato
Visitante
nonato

Qual o problema? Isso é variedade.

Rui chapéu
Visitante
Rui chapéu

Poderíamos ter a mesma bagunça, ao menos teríamos uma força aérea que é força mesmo, não cabide de funcionários.

Antunes 1980
Visitante
Antunes 1980

O maior poder militar do oriente médio foi dizimado em menos de 96 horas.
Incrível como a tecnologia e doutrina levou fez total diferença.
O abismo que existe entre o equipamento ocidental e oriental continua até os dias atuais.

Corcel
Visitante

É,os americanos não sabem brincar.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Aí, vc tinha um País à época com cerca de 20 milhões de habitantes contra praticamente o resto do Mundo.
Mude os parâmetros que vc perceberá a enorme diferença entre vitória e derrota.

Tadeu Mendes
Visitante
Tadeu Mendes

Kings,

Resto do mundo nao. A coalisao foi mais uma formalidade politica.

Quem carregou o pesado foi os EUA. A porrada foi entre EUA e Iraque.

Lembrando que quem deu inicio ao espetaculo, foram os F-117, B-2 e Tomahawks.

Kemen
Visitante
Kemen
Antonio Palhares
Visitante
Antonio Palhares

Tadeu.
Mesmo assim não existe a minima condiçação de comparação. A coalisão era uma máquina de moer tudo. Chegou um ponto que não tinha alvo para tantos aviões. O Iraque foi todo destruido e não sobrou praticamente nada.

Alfa BR
Visitante
Alfa BR

70% da coalização era EUA.

Kommander
Visitante
Kommander

Blablabla. Por isso que dizem. ” não adianta nada ter e não saber operar”.

JuggerBR
Visitante
JuggerBR

Talvez se todas as forças aéreas se reunissem pra atacar os USA a batalha seria parelha, mas todos os demais países não aguentam enfrentar uma coalizão tão grande quanto o Iraque enfrentou…
Russia e China tem muitos aviões, mas duvido que aguentassem alguns dias de ataque coordenado.

Tadeu Mendes
Visitante
Tadeu Mendes

Antunes1980,

E parece que esse abismo tende a aumentar mais ainda no futuro.

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

jogo é jogo… treino é treino

Felipe
Visitante
Felipe

O abismo foi em doutrina e uso de Awacs.

paddy mayne
Visitante
paddy mayne

Que comece o mimimi das viúvas soviéticas, explicando por que o material deles foi destruído quase sem resistência.

Jagderband#44
Visitante
Jagderband#44

É sempre assim

Arariboia
Visitante
Arariboia

Que comece o chororo da torcida tio SAM, por que seus Patriots PAC-3 e outros sistemas não viram o ataque na refinaria. Estão até agora tentando saber por onde foi o ataque da turma da sandália Havaianas…. Também como explicar os abrams, M113, Piranhas… queimados aos monte.

Bardini
Visitante
Bardini

Estourou um cano de chorume aqui…

Augusto L
Visitante
Augusto L

Eles não estavam ligados.

mcremp
Visitante
mcremp

Atacaram uma refinaria nos EUA e eu não estou sabendo?

Kemen
Visitante
Kemen

Havia soviéticos na Desert Storm?

Pedro
Visitante
Pedro

Independente dos abates confirmados ou não, o mais expressivo de todos é o do F-18 pelo Mig-25. Pois como o texto diz, todos os abates da USAF ante aos iraquianos houve o peso do suporte e maior numero sempre ao lado da primeira, onde nesse abate todo esse suporte e superioridade não foi possivel impedir o exito do interceptador, que a principio era de uma geração anterior e/ou operado com limitações por um país com serios problemas internos e de comando. Sobre o B-52, foi alegado que o mesmo voltou muito avariado por ser atingido por um HARM, algo que… Read more »

OSEIAS
Visitante
OSEIAS

Me chamou a atenção o dia 17, pois ambas as forças tiveram os seu kill’s.
Mas não dá para um país sozinho brigar com o resto do mundo.

Arariboia
Visitante
Arariboia

Se compararmos da praticamente 3/1… Levando em conta o tamanho da coalizão e sua superioridade, principalmente de doutrina… como o amplo uso de AWACS

Elton
Visitante
Elton

Tem aspectos doutrinários, hierárquicos e de treinamento além de motivação que justificam bastante o mal desempenho da aviação de caça do Iraque na guerra do golfo:sob a mão de ferro do Saddam Hussein o alto comando da força aérea era composto apenas por membros leais ao partido :competência,vocação e habilidade era fatores irrelevantes além de que boa parte do pessoal mais experiente foi purgado após a guerra iran- Iraque por disputas internas e por temor de Saddam de sofrer um possível golpe,o treinamento dos pilotos priorizava o combate guiado por controle de solo o que retirava a iniciativa dos pilotos… Read more »

XFF
Visitante
XFF

Eu não consigo ver como os Estados Unidos conseguem se vangloriar da vitória da Guerra do Golfo. Foi uma guerra contra um país pequeno como Iraque contra 20 países da OTAN. Isso é uma covardia.
Por mais que que Iraque estava bem armado, não era páreo para aliança da OTAN.
Eu queria ver eles lutarem sozinho sem aliados pra ver o resultado. Se eles são tão poderosos como dizem que são, não haveria necessidade de entrar em guerra com aliados lutando ao lado.

MFB
Visitante
MFB

O uso de aliados não foi por uma questão de força, foi para dar um caráter internacional para a sua intervenção. Apenas uma formalidade politica.

Tadeu Mendes
Visitante
Tadeu Mendes

MFB,

O XFF esta’ magoado, resentido, e despeitado. Esse cara jamais vai entender o que voce disse.

Eu particularmente adorei ver os iraquianos do exercito de Saddam, serem punidos severamente pelos americanos.

Os caras eram umas antas, estupidos e covardes. Receberam o que mereciam.

XFF
Visitante
XFF

Tadeu Mendes,
Não tem nada de ressentimento, apenas falei o óbvio.

Edimur
Visitante
Edimur

E melhorou a vida do povo Iraquiano ? Só isso que eu gostaria de saber e se agora o país vive em Paz ? Tenho 48 anos até hoje só vi país grande bater em cachorro morto .Quem tem c… Tem medo é só ver o caso da treta entre Rússia e Ucrânia, alguém foi lá impedir ? E a Coreia do Norte lá também tem um ditador que oprime o povo ? É mas lá diferente do Iraque o gordinho pode machucar muitas pessoas né !!! Qualquer mane sabe do poderio americano mas também sabe que eles são tipo… Read more »

Alfa BR
Visitante
Alfa BR

70% da coalização era EUA.

Alfa BR
Visitante
Alfa BR

“Eu queria ver eles lutarem sozinho sem aliados pra ver o resultado.”

O mesmo: derrota decisiva do Iraque.

paddy mayne
Visitante
paddy mayne

“Covardia”. As pessoas insistem em olhar a guerra como uma partida esportiva, onde os lados tem números e características semelhantes e seguem regras rígidas. A função de entrar em uma guerra é vencê-la, e ganha quem se preparou melhor. E foram os Iraquianos (ou melhor, o Saddam) quem começaram a guerra, e não foram nem um pouco corretos com o povo do Kuwait. Por fim, é como disse o MFB sobre os aliados, estavam la para legitimizar o processo. Os EUA tinham mais material que todos os demais juntos, é fato.

Alfa BR
Visitante
Alfa BR

Na época poucos países poderiam enfrentar o Iraque naquele tipo de guerra. Na verdade, talvez só os EUA poderia enfrentar e vencer o Iraque sozinho naquela situação.

Basta dar uma olha na ordem de batalha do dispositivo iraquiano no KTO:

https://www.globalsecurity.org/military/world/iraq/orbat-ground-91.htm

GFL60
Visitante
GFL60

Na lista dos iraquianos consta abate de um B-52 G, procede a informação? pesquisando achei somente relatos sobre danos causados por “fogo amigo” mas ainda assim a aeronave (58-0248) conseguiu retornar a base na Arabia Saudita.

JPC3
Visitante
JPC3

Maioria desses abates são apenas alegações, dá época,, que eu me lembre um B-52 foi atingido, um Hornet derrubado e um tornado também.

O resto são apenas afirmações em prova.Muitos desses podem ser invenções para levantara moral.

Pedro
Visitante
Pedro

É esse caso mesmo. O tal “fogo amigo” diziam ser um HARM que deu lock no radar de cauda do B-52 e o atingiu, algo totalmente sem cabimento até pq se fosse assim os HARMs iriam ter atingido outros radares aerotransportados nessas operações e combates. Sem falar que o HARM tem 66kg de explosivo na ogiva, que seria suficiente para arrancar a cauda do B-52, diferentemente dos 38kg de um R-27, que não seriam suficientes para abater um jato do tamanho de um B-52 (motivo dos Mig-31 não aposentarem os R-40 é justamente isso).

Rui chapéu
Visitante
Rui chapéu

O A-10 não não sabe brincar.

Chega fazendo brrrrrrrrrrrrrrrr com seus 30mm.

Vai no braço mesmo, nem míssil solta.

Pensa no que deve passar o piloto adversário …….

Gripen BR
Visitante
Gripen BR

Não existe milagre. Há várias facetas no combate aéreo. Considerando o mundo de suporte de diferença, pois combate aéreo raramente é super trunfo, e o colossal poderio numérico em uma proporção de quase 10×1 da coalizão. Os pilotos Iraquianos tiraram leite de pedra. No combate aéreo uma proporção de Kills de 3×1. O Mig 25 x F-15 logrou um empate, eu diria um honroso empate. Acelerar e sair do alcance era uma das estrategias. Li sobre um Mig 25 ter se “enroscado” entre alguns F-15, escapou dos disparos de mísseis se evadindo em alta velocidade do alcance das águias. Se… Read more »

Farroupilha
Visitante
Farroupilha

Já ficou claro que estão usando este espaço democrático para denegrir as FFAA. Não perdem a chance de as espezinhar, percebam que aqui o assunto é Iraque e Guerra Aérea do Golfo. Ou seja totalmente fora de tópico.
Além de inconviniente e chata, já está suspeita politicamente esta insistência.

Wilson França
Visitante
Wilson França

Feche os olhos para a realidade e não leia, ué.

nonato
Visitante
nonato

“assisti” a guerra do Golfo.
Massacre.
Sem chances para o Iraque.
Estados Unidos ressabiado com o Vietnã.
Estou achando até fracos esses números.
Pensei que tinha sido 100 x 1, ou algo do tipo.

Thiago Telles
Visitante
Thiago Telles

Somos dois então. Acompanhei literalmente diariamente. Folha de São Paulo publicou desde o primeiro dia um caderno “guerra”. Guardei TODOS. Nao concordo q foi fácil mas a colisão cumpriu com maestria a missão. Todos os países da colisão realizaram um trabalho conjunto fantástico. Todos. As ops especiais foram determinantes e largamente utilizadas. “Mission accomplished” Uma das mais belas bolachas ja feitas.

nonato
Visitante
nonato

Achei esses BVRs muito próximos.
E esse abate do Irã a 70 km? Quê míssil foi esse?

paddy mayne
Visitante
paddy mayne

AIM-54

Jacinto
Visitante
Jacinto

O do Ira era um Aim 54 Phoenix disparado por um F-14.

Pedro
Visitante
Pedro

Maioria dos abates se deu as 6 horas, ou seja, enquanto o missel persegue o jato, esse tambem se desloca e por esse motivo o alcance fica reduzido, comparado com uma interceptação as 12 horas que o mesmo vem de encontro, onde o alcance fica ao maximo.

Bruno Vinícius Campestrini
Visitante
Bruno Vinícius Campestrini

Na verdade foram 100 km

100nick-Elâ
Visitante
100nick-Elâ

Na Guerra do Golfo, os americanos deram uma lavada. Teve um F-15 que com um tiro só derrubou 30 migs; um F-22 derrubou, com um tiro só, 50 migs. Teve um F-16 que entrou no espaço aéreo do Irã e poderia, se quisesse, ter bombardeado o palácio de governo. Esse mesmo F-16, depois de caçoar dos iranianos, entrou em espaço aéreo da Rússia e foi de Moscou a Vladivostok. Distribui planfetos por toda a Rússia, onde estava escrito: “Salve a América, terra da liberdade!”. Mas a mídia comunista não divulgou, escondeu esse fato da gente. O comunismo é o mal,… Read more »

Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

Justiça precisa ser feita. 1) Em 1991 o MiG-31 já tinha 10 anos de introdução em serviço. E o Iraque possuía o antecessor MiG-25 que começou a ser produzido em 1964. 2) O Iraque só tinha 35 MiG-25 e 37 MiG-29. 3) Os caças mais modernos eram o MiG-29 com 9 anos de idade, os Mirage F1 com 18 anos, e os MiG-25 e MiG-23 ambos com 21 anos. 4) o caça mais numeroso (mais de 200), era o MiG-21, que é de 1959. Ou seja, a guerra ocorreu em 1991 e o único caça da década de 80 era… Read more »

Alfa BR
Visitante
Alfa BR

“Diante de tudo isso a força aérea iraquiana destruiu dezenas de caças da coalizão. Fizeram até muito.”

Quando?

Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

A coalizão perdeu cerca de 75 aeronaves na guerra.

Alfa BR
Visitante
Alfa BR

Mas não em combate aéreo. A maioria das perdas se deu contra sistemas antiaéreos (mísseis guiados por calor/radar ou artilharia de tubo).

Bardini
Visitante
Bardini

O que quebrou as pernas dos Iraquianos foi o ataque primeiro ataque, que foi direcionado aos sistemas de radares de alerta, que foram realizados por AH-64A Apaches apoiados pelos sistemas de navegação dos modernos MH-53J…

Jacinto
Visitante
Jacinto

Eles atacaram os radares dr busca porque eles operam em baixa frequência e sua destruição favoreceria os F117.

Andre
Visitante
Andre

Imagino como seria o mundo em que você gostaria que vivêssemos: um piloto de f15 americano encontraria um mig21 iraquiano e imediatamente questionaria seus comandantes o ano de fabricação do avião inimigo e se ele está apoiado por algum tipo de radar adicional. Frente a diferença no ano de lançamento de cada modelo de avião, da falta de apoio de radar e da diferença dos números, o piloto americano deixaria para lá e voltaria para a base… Você conseguiria replicar sua análise para os combates aéreos entre os mig25 iraquianos e os f14 iranianos na década de 80? Por que… Read more »

Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

Andre, só estou entrando em uma discussão mais profunda sobre Versões dos caças, Versões dos armamentos, etc. E afirmar que o Iraque possuía uma força aérea top de linha não é verdadeiro. Eles possuíam uma força aérea com Muitas aeronaves de caça e ataque. Isso é verdadeiro, mas não era top de linha, pois a maior parte da força aérea iraquiana era composta por caças MiG-21 e Su-22 e Su-24 que não são caças, são aeronaves de ataque. Eles possuíam cerca de 90 Mirage F1. Veja, a França participou da guerra ao lado da coalisão. A França não utilizou seus… Read more »

Jacinto
Visitante
Jacinto

Mas o F 15 e da décadas de 60 e o F 16 decada de 70…

Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

F-15 A não foi usado, que é de 1972 à 1979.
Os EUA enviaram F-15 C (produzidos entre 1979 e 1985) e F-15E (produzidos em 1985 em diante).
Os F-16 A são de 1978. Mas os EUA enviaram F-16C (1984 em diante), e todos esses caças eram CONSTANTEMENTE modernizados e melhorados.
Assim como seus armamentos.
Essa é a diferença de quem fabrica para quem compra pronto.
Os mísseis comprados há 10 ou 15 anos, continuam com as mesmas capacidades.
Já quem fabrica, melhora o alcance, melhora o sensor, melhora as contra-medidas eletrônicas, etc. E quando vai à guerra, leva o que tem de melhor, para vencer.

Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

Um pequeno adendo, sobre mísseis: O Brasil opera o AIM-9 L nos seus caças A-4 da MB. Ou operou até recentemente. Veja, estou falando da versão L do AIM-9. Em 1982 os EUA introduziram a versão M. Na guerra do Golfo em 1991, os EUA utilizaram a versão M original? Não. A versão AIM-9M-1 introduzida em 1982, já havia passado por Modernizações e melhorias, e os EUA já haviam produzido os AIM-9M-2/3, os AIM-9M-4/5 e os AIM-9M-5/6. Esses últimos, os AIM-9M-5/6 que foram utilizados na Guerra do Golfo contra o Iraque. O Brasil quase 10 anos depois, recebeu aviões A-4… Read more »

Ramon Grigio
Visitante
Ramon Grigio

Infelizmente é pior do que isso. Com os A-4 vieram os AIM-9H, rear aspect only.

Se a FAB emprestar pra eles os Python 3 mais antigos fica menos feio.

Augusto L
Visitante
Augusto L

Não há muita diferença entre as versões M e nem da M e da L.

Pedro
Visitante
Pedro

Foi como bater em bêbado! Não fizeram nada mais que a obrigação, sem contar ainda que o alto-comando Iraquiano era composto de gente que tinha mais fidelidade do que competência. E ainda por cima o “bebado” acertou um soco no olho deixando-o roxo. Dos relatos, esses do Tornados sempre foram muito fortes os indicios, ate pq esses jatos foram os que atacavam os aeroportos, onde nos primeiros dias de guerra a coalizão tinha dificuldades para liquidar todos, e devido a tatica do Tornado de voar baixo para jogar bombas de demolição de pistas nesses, tiveram em muitas missões baixas (Abatidos… Read more »

ednardo curisco
Visitante
ednardo curisco

A guerra do golfo fez a maior parte das forças aéreas mudarem radicalmente suas doutrinas.

e o Tornado foi um dos aviões que mais apanhou. Sua doutrina de uso teve que ser radicalmente mudada porque voar baixo não foi suficiente. Se fosse uma guerra contra a Rússia iam tomar uma surra ainda bem maior.

EdcarlosPrudente
Visitante
EdcarlosPrudente

Luís, o MiG-25PDS não é o mesmo MiG-25 com que Viktor Belenko desertou para o Japão. Se não me engano os últimos exemplares do MiG-25 foram produzidos em 1986, não sei se os MiG-25PDS fazem parte desse ultimo lote.

Saudações!

Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

Sim, eu sei disso. Mas a União Soviética vendia caças Downgrade. E o Iraque tinha somente 35 MiG-25. E o MiG-25 teve várias vitórias nessa guerra, fez um bom trabalho. Mas 35 contra +2.200 caças da Otan, não da para nada. Assim como os 37 MiG-29 que eram da versão inicial e Downgraded, também fizeram um bom trabalho. Ocorre que o grosso era composto por mais de 200 MiG-21, muito mais antigos. E do outro lado, os EUA não enviaram F-15A, nem F-18A, nem F-16A, eles enviaram F-15C e E, F-18C, F-16C. Ou seja, estavam com a nata da nata,… Read more »

Augusto L
Visitante
Augusto L

A diferenças dos F-15a para as versões “c” são mínimas, assim como os F-16A e “C” também em combate aéreo, inclusive nenhum deles na época operava com mísseis BVR.
Quanto aos Mig-29 o downgrade era só no IFF. a versão “A” não tinha ECM e os radares dos mesmos eram bem inferiores então não teve downgrade neles.
Mas de qualquer jeito a tecnologia é so uma parte da equação, por que se fosse assim um Mig-17 nunca abateria um F-4 como ocorreu no Vietnam.

Ramon Grigio
Visitante
Ramon Grigio

O Mig-25″PDS” é um Mig-25 “P”, elevado ao padrão “PD” em serviço “S”, ou seja, modernizado. São aeronaves mais antigas que ao passarem pelo overhaul completo são elevados e padronizados com a frota mais recente.
De fábrica, novos, saíam os Mig-25PD.

Junior
Visitante
Junior

Sadam era extremamente incapaz, ele viu uma gigantesca preparação para ataque as suas forças e não se mexeu, deixou sua FA ser destruída no solo. Os israelenses ja tinham mostrado ao mundo como lidar com isso, a solução era atacar primeiro, levantar toda a sua força aérea e atacar de surpresa as pistas de onde sairiam os jatos da coalizão na Arábia saudita e com isso afastar o inimigo para longe, ou ao menos iria impedir que eles concentracem tanta força tão perto da fronteira, se quisessem atacar teriam que fazer de porta aviões a uma distância muito maior .… Read more »

paddy mayne
Visitante
paddy mayne

O que os israelenses fizeram não era mais tecnologicamente possível. Os awacs vigiavam o espaço aéreo iraquiano 24 h. Os aviões aliados não ficavam parados, havia missões BARCAP em tempo integral. Ou seja, se um mosquito decolasse do Iraque em direção à AS, os F-15 estavam esperando.

Rodrigo Maçolla
Visitante
Rodrigo Maçolla

Concordo , na estratégia militar Sadam errou, Não é possível que eles (Iraquianos) não sabiam da ofensiva, tamanho o deslocamento de forças que foi feito pelos EUA e aliados na Região, Na primeira noite do ataque se a Força aérea Iraquiana tivesse colocado no ar todos os aviões disponíveis teria derrubado mais aviões da coalizão e defendido seus radares, ainda que eles perdessem bastante também.. Pelo menos não teriam tido tantos aviões perdidos no solo depois, e teriam forçado a mudança da estratégia da coalização, Poderiam também ter feitos ataques preventivos nas fronteiras e também principalmente feito um ataque surpresa… Read more »

Rui Chapéu
Visitante
Rui Chapéu

Que que vc tá falando?

EUA e outros países deram prazo pro Sadam sair do Kuwait e ele não quis.

Achou que não iam fazer nada.

Se ele não quisesse levar chumbo era só ele ter saído de lá.

Os ataques tinham data e hora marcada.

Ele escolheu a guerra. Ele achou que não iam atacar ele e levou no lombo.

ednardo curisco
Visitante
ednardo curisco

Um problema extra do Saddam é que se ele pedisse arrego ele iria perder muita força dentro de casa.

Este tipo de psicopata joga na vala dezenas de milhares se preciso for para manter seu poder.

nflopes
Visitante
nflopes

Alguém sabe o que aconteceu com os aviões iraquianos que fugiram para o IRÃ?

Space Jockey
Visitante
Space Jockey

Foram absorvidos pelos mesmos, pelo menos os MIG-29.

Saldanha da Gama
Visitante
Saldanha da Gama

O pretexto era a posse de “armas de destruição em massa”, e pelo que disse macron, a Amazônia é o pulmão do mundo e que estamos dizimando-a, será que não seria um outro pretexto? A história serve como lição, para não repetirmos os erros do passado no futuro. Bom dia a todos!

Jacinto
Visitante
Jacinto

Saldanha, acho que você está comentando sobre a guerra errada…

pampapoker
Visitante
pampapoker

Você confundiu com a segunda guerra do golfo, a primeira foi em razão da invasão do Iraque ao Kuwait.

Carlos Dias
Visitante
Carlos Dias

Em 1991, a guerra foi motivada pela invasão iraquiana no Kuwait, nada a ver com armas de destruição em massa – estas foram pretexto para a invasão de 2003.

Augusto L
Visitante
Augusto L

Não importa se Saddam não tinha um Awacs ou um SAM de longo alcance, tudo isso ia ser dizimado no primeiro dia.

Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

Perderia no fim das contas, mas não seria no primeiro dia.
Dependendo da quantidade de sistemas antiaéreos de longo alcance, qualidade e da quantidade de aeronaves AEW e qualidade, poderiam ter oferecido uma dificuldade maior à Otan e provocado um número maior de perdas à eles.
Mas, sim, perderiam de qualquer forma.

Augusto L
Visitante
Augusto L

Não não ia, ou iam ser destruídos pelos F-117 ou por Tomahawks.

Kemen
Visitante
Kemen

A guerra do Iraque foi para acabar de vez com um tirano que subvencionava o terrorismo, apoiava com tropas e material qualquer guerra que houvesse contra Israel, que invadiu o Kuwait que era grande fornecedor de petróleo. Supostamente o Iraque teria armas quimicas que foram empregadas na guerra Iran x Iraque mas não foram encontradas depois. Varios paises apoiram essa alternativa, a Desert Storm foi um exemplo de guerra bem encaminhada e dirigida, apesar da quantidade de forças de diferentes origens na chamada Coalizão.

Augusto L
Visitante
Augusto L

Teve armamento químico encontrado sim, mas em um numero muito menor do que se esperava e foi abafado na epoca porque era de origem europeia (Alemanha) e os americanos não queriam perder apoio.

Kemen
Visitante
Kemen

É mesmo colega? Quem abafou o caso a respeito das armas quimicas produzidas na CCE e em territorio da Alemanha ?

Nilton L Junior
Visitante
Nilton L Junior

Era um tirano que comprava arma de quem mesmo?

Tadeu Mendes
Visitante
Tadeu Mendes

Nilton,

O tirano comprava armas dos EUA, Rússia, França e Brasil .

E daí? Qual é o propósito da pergunta?

ednardo curisco
Visitante
ednardo curisco

Uma coisa deve ser lembrada, entre outras várias:

O comando iraquiano estava muito mais formado por capachos e aliados do Saddam que por competência.

A fidelidade mais associada a medos, cumplicidades e interesses que por patriotismo ou algo assim.

Este tipo de governo, na hora do pega pra capar, vira farinha muito rápido.

Rodrigo Maçolla
Visitante
Rodrigo Maçolla

Bem lembrado amigo, pouco antes dessa guerra vários oficiais competentes veteranos da guerra IRÃ X IRAQUE foram destituídos do cargo por Sadam ou até assassinados por ordem do ditador.

paddy mayne
Visitante
paddy mayne

Bem dito. Saddam era um incompetente cercado de covardes. Morriam de medo de tomar decisões erradas e certas também. Decisões básicas, de nivel de pelotão iam subindo, as vezes até chegar ao próprio Saddam.

Gavião 15
Visitante
Gavião 15

…é aquela estória, e os iraquianos irão negar várias vitórias americanas.

Renato B.
Visitante
Renato B.

Os americanos também preferem negar tantos abates dos iraquianos quanto possível. Segue o jogo, a primeira vítima de guerra é a verdade, sempre.

Lucas Romero
Visitante
Lucas Romero

boa

Heu
Visitante
Heu

Adoro essas estatísticas