Home Aviação de Caça Chefe da Força Aérea Indiana apoia produção autóctone de jatos de 5ª...

Chefe da Força Aérea Indiana apoia produção autóctone de jatos de 5ª geração

5297
109
Concepção do Advanced Medium Combat Aircraft da Índia

A Força Aérea Indiana (IAF) está prestes a receber uma grande transformação com a adição de caças franceses Rafale, 83 aeronaves autóctones de combate leve (LCA) Tejas e 114 novas aeronaves multifuncionais de médio porte para sua frota nos próximos anos.

O helicóptero pesado Chinook construído nos EUA e os avançados helicópteros de ataque Apache já foram adicionados à frota da IAF e devem estrear no show do Dia da Força Aérea na Estação da Força Aérea Hindon na terça-feira. Além disso, a IAF deve receber o primeiro lote dos sistemas russos de defesa aérea S-400 entre 2020 e 2024.

Quanto a um caça furtivo de quinta geração, o chefe da IAF, Rakesh Kumar Singh Bhadauria, disse na sexta-feira que a Índia não tinha planos de importação no momento e estaria olhando o Advanced Medium Combat Aircraft (AMCA) autóctone para atender a esse requisito.

“Para a quinta geração, o programa indiano AMCA já foi iniciado. Para isso foi dado o sinal verde. Recebemos total apoio. Esse programa está decolando. É aqui que colocamos nossas energias”, disse Bhadauria.” Não há planos ‘de importar’ até o momento ‘e’ no futuro próximo”, disse Bhadauria a repórteres em Nova Délhi antes do 87º aniversário da IAF em 8 de outubro.

O AMCA está atualmente em “fase de detalhamento do projeto” e deve ser concluído em 2021, segundo reportagens da imprensa. Ele deve ser produzido com um parceiro estratégico ainda a ser selecionado – um fabricante estrangeiro de equipamentos que fará 114 caças sob o modelo de parceria estratégica.

As novas aquisições e incorporações na IAF surgem num cenário de tensões aumentadas com o Paquistão e a China, que vêm modernizando rapidamente suas forças armadas.

Questionado sobre a preparação da Índia para travar uma guerra de duas frentes com a força da IAF caindo para 30 esquadrões contra uma força projetada de 42, Bhadauria disse: “Nosso plano de construção, você já está ciente – prevê 83 caças já estão encomendados, deveremos assinar o contrato muito em breve, 114 aeronaves de combate multifuncionais médias (MMRCA), 36 Rafale já foram comprados, vamos contratar 21 jatos MiG-29, então esse é o plano atual”.

Outras medidas para manter a prontidão da frota incluem a atualização de meia-vida do Mirage 2000, MiG-29 e Jaguar, que “já estava em andamento”, disse o chefe da IAF. “O programa de atualização do MiG-29 está progredindo. Também está planejada a atualização das aeronaves Su-30MKI, melhorando ainda mais sua capacidade operacional”, acrescentou.

FONTE: livemint.com

109
Deixe um comentário

avatar
33 Comment threads
76 Thread replies
1 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
38 Comment authors
teropodeJT8DSpace JockeyJodreskiMateus Lobo Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Papan
Visitante
Papan

Engraçado, nem o Tejas a Índia finalizou 100% depois de anos nesse projeto, imagina um caça de quinta geração, levará mais 20 anos nesse projeto ou mais.Rs

Thiago Aiani
Visitante
Thiago Aiani

Ola Papan, sim realmente o vejo como um passo mais longo do que apern, quem sabe com todos o erros cometidos eles tenham adquirido mais experiência, mas acho muito improvável. 15/20 anos na realidade seria até um prazo “normal” e razoável para um programa de tal envergadura, o problema será se no final desse percurso a força aérea indiana terá realmente um veículo que entrega o que foi planejado e apto ao combate. O que eu acredito seja muito difícil. O exemplo do treinador Sitara é de se ter em consideração, os erros cometido pela HAL no projeto foram tais… Read more »

Nostra
Visitante
Nostra

In Sitara case HAL solicited consultancy from international aerospace companies via a international tender which required them to validate the design changes made by HAL to the tail section and rectify the same if required. Nothing more nothing less. BAE agreed to the terms of the HAL tender and hence got the contract. So BAE did not identify the mistakes as you implied , HAL on its own identified it and rectified it but went for external verification of the same inorder to reduce risk to the project in both money and time. Sorry to say but UK no longer… Read more »

Kommander
Visitante

Muita lavagem de dinheiro e muito lobby envolvido nesses projetos.

Thiago Aiani
Visitante
Thiago Aiani

Também, é algo comum de se encontrar no setor bélicos, em qualquer latitude, certamente na Índia esse aspecto é mais acentuado.

Nostra
Visitante
Nostra

Is the F16 , F18 , SU30 , eurofighter , Rafale etc projects finished in the true sense ? Or are they still evolving as a WIP ? LCA MK1 had been granted FOC and is now in operational active duty. Different variants of LCA both upgraded and new are in the works. As regarding the timeline of LCA development the devil lies in the details. 1983 – DRDO got permission to initiate a programme to design and develop LCA. But full funding was approved from April 1993 and development work for phase 1 started in June 1993. First technology… Read more »

kaleu
Visitante
kaleu

Papan pensei a mesma coisa, fazem 30 anos e o Tejas continua engatinhando, não possui indústria aeronáutica de projeção, não são capazes de manutenir seus caças, é ufanismo demais desenvolvimento de um 5ªG autóctone

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Parabéns a Índia, que busca caminhos verdadeiramente autóctones para desenvolvimento.
Ai está um dos motivos da insistência no programa Tejas.
Se o Brasil fosse um pouquinho mais sério, na década de 80 já teríamos um caça nacional supersônico feito pela Embraer e oferecido ao então ministro da aeronáutica.
O programa MFPL.
Ou mesmo evoluiria a plataforma do AMX.
Mas preferem ficar gastando fortunas em programas mirabolantes estrangeiros.
Triste nossa miopia estratégica !

Nostra
Visitante
Nostra

Those who see all negatives on LCA don’t realise the enormous scope of opportunities which it opened to Indian aviation industry which 20 years back was nothing to speak about.

LCA program laid the foundation for
LCA MK1
LCA MK1 Naval TD
LCA MK1A
LCA SPORT LIFT
LCA Unmanned
LCA MK2 / MWF
LCA MK2 / MWF Naval
AMCA Airforce
AMCA Naval
GHATAK UCAV
Unmanned Combat Wingman ( name not yet designated )
HTT 40
IJT 32
SU30 MKI
Super SU30 MKI
Jaguar MAX (DARIN III)
Etc
Etc

Nostra
Visitante
Nostra

From last aero India show
comment image

Nostra
Visitante
Nostra

comment image

Nostra
Visitante
Nostra

Study on DSI configuration on AMCA
comment image

Nostra
Visitante
Nostra

comment image

Nostra
Visitante
Nostra

comment image

Nostra
Visitante
Nostra

comment image

Nostra
Visitante
Nostra

comment image

Nostra
Visitante
Nostra

LCA MK1A
comment image

Space Jockey
Visitante
Space Jockey

bonitinho

kaleu
Visitante
kaleu

Me desculpe mas vou discordar, todos esses programas indianos não passam de PDF, desenho é fácil de fazer, o Tejas tem erros primários como por exemplo locais inacessíveis de manutenção que comprometem a disponibilidade, está em desenvolvimento a meio século, mantém uma variedade irracional de caças comprometendo sua doutrina e sobretudo a manutenção, Índia é o País que mais perde caças em acidentes, o SU-30MKI não passa de montagem de kits CKD (apertar parafusos), 2017 por exemplo estava com mais de 50% da frota indisponível por causa da sofrível manutenção russa e sobretudo da própria capacidade de manutenir, ou seja,… Read more »

Julio
Visitante
Julio

Foxtrot concordo com vc sou muito mais desenvolver a própria tecnologia do que ficar comprando dos outros tivemos a chance de Embraer criar nosso próprio caça nos anos 80 por em o Brasil preferiu comprar na época o F5 e depois tivemos a parceria com a Itália na produção do AMX e como vc disse poderíamos evoluir nesta plataforma . E digo ainda também na questão do programa Prosub. Eu preferia que desenvolvessemos sozinho nosso próprio submarino

Marcelo Machado
Visitante
Marcelo Machado

Viabilidade econômica é tão importante num caça quanto armamento, monobrabilidade, radar, etc. Não adianta ter um caça caro e com peças caras. E só há caças mais baratos com escala.

Não temos dinheiro para desenvolvermos um caça e produzirmos números suficientes para que a produção e operação seja barata. Melhor mesmo é comprar de prateleira e aceitar nossa pequenez científica e estratégica. Como faz o Chile, inteligentemente.

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Sério mesmo Marcelo Machado ? E os não sei quantos bilhões de dólares investidos no programa FX2 ? Com essa verba acha que não poderíamos ter evoluído a plataforma do AMX e encomendado mais de 100 unidades? O que não entendem é que não precisamos reinventar a roda, apenas melhorá-lo . Ou seja, faríamos modificações na aero estrutura do AMX, para acomodar novo motor estrangeiro, aviônica nacionalizada, radar SPC-MK2 etc. Como o amigo Júlio referiu acima, até o Prosub poderíamos ter evitado, pois com os conhecimentos do programa Tupi chegamos a projetar o SMB-10. Um submarino convencional nacional. Agora quantos… Read more »

Marcelo Machado
Visitante
Marcelo Machado

Com a grana do AMX teríamos passado os anos 90, 2000 e 2010 com F16. Fato isso! E sem transfer

Não existe “overhauling” de AMX que faça dele um avião de caça multipropósito. E o desenvolvimento de um novo caça seria simplesmente impensável em termos de custos. Algumas dezenas de vezes o custo do FX2.

A complexidade dessas maquinhas é incompatível com a nossa pequenez tecnológica e com o nível econômico de nossas forças armadas. Quanto mais se demora a aceitar isso, mais tempo ficamos aquém de nossas possibilidades.

JT8D
Visitante
JT8D

Amigo, nossa pequenez é política e cultural, e não tecnológica. A Embraer é um exemplo claro disso. E só não há outros exemplos porque políticos e gente com interesses escusos sabotam as poucas iniciativas que teimam em surgir. Um país do tamanho e da riqueza do Brasil só continuará subdesenvolvido à custa de muita lavagem cerebral e vira-latice. E não, nós não temos nada em comum com o Chile, a parte de estarmos no mesmo continente

Marcelo Machado
Visitante
Marcelo Machado

Tecnologia não é produto do valor intrínseco do brasileiro. É produto de investimento de longuíssimo prazo em educação e pesquisa. Aliada a uma demanda de mercado. O fato de pontualmente termos tido sucesso com o ITA e EMBRAER. Como também tivemos na EMBRAPA e alguns poucos outros institutos é a exceção, não a regra. Considerando os demais países com PIB próximo ao nosso, somos anões tecnológicos SIM.

Jeff
Visitante
Jeff

Ainda bem que falar não custa nada. Esses indianos são piadistas.

Mgtow
Visitante
Mgtow

Eles estão correndo atrás. Que moral vc tem pra esse tipo de trolagem?

Space Jockey
Visitante
Space Jockey

Sérios somos nós que temos que engolir desaforos a respeito da Amazônia sem a menor capacidade de oposição armada em caso de conflito real.

ALEXANDRE
Visitante
ALEXANDRE

Vai Brasil.

ALEXANDRE
Visitante
ALEXANDRE
Antunes 1980
Visitante
Antunes 1980

Fake news número 7.765

Nostra
Visitante
Nostra

Lolzzzz , anyways

DRDO 16 element linear active radar array
DRDO 32 element planar active radar array

Developed for AMCA, these will be mounted on the flaps/leading edges and distributed on the surface of AMCA for 360 degree radar coverage and situational awareness.
comment image

Nostra
Visitante
Nostra

comment image

Antunes 1980
Visitante
Antunes 1980

Tão verdadeiro quanto este projeto brasileiro Xavante II.

http://www.aereo.jor.br/wp-content/uploads/2008/09/x-2_05.jpg

Hugo Vigneron
Visitante
Hugo Vigneron

Uma mistura de F-15 com F-35 .kkkkk
Gostaria de entender ,porque os caças de 5° geração tem que se parecer com o F-35.

Tiago Félix
Visitante
Tiago Félix

Deve facilitar muito pegar um “desenho já pronto” o pessoal do desenvolvimento não precisa sair do zero, já tem uma noção do o que dá certo.

JPC3
Visitante
JPC3

Não por pegar um desenho pronto, mas porque as regras para redução de RCS devem ser as mesmas.

Acho mais parecido com o F-22.

Nostra
Visitante
Nostra

Just for interest

Old pics of DRDO active wide band radar absorbing skin for stealth aircrafts AMCA and GHATAK UCAV.
comment image

Nostra
Visitante
Nostra

comment image

teropode
Visitante

Tanks mister Nostra !

JPC3
Visitante
JPC3

Me lembra mais o F-22.

Tomcat4.0
Visitante
Tomcat4.0

Sinceramente o Tejas, ainda espera nascer 100% , manda lembranças🤔.

Space Jockey
Visitante
Space Jockey

ficou entalado ?

Sérgio Luís
Visitante
Sérgio Luís

Pretensiosos

MFB
Visitante
MFB

Vamos fazer um bolão. Quem termina um projeto de quinta geração primeiro, Índia ou Irã? Pagamento em notas de 3 reais. Nem Rússia e China chegaram lá ainda, imagine a Índia.

Delfim
Visitante
Delfim

Se “não há planos ‘de importar’ até o momento ‘e’ no futuro próximo”, isto significa que o AMCA pode se tornar o ponto de partida da tão sonhada uniformização da IAF.

Gabriel BR
Visitante
Gabriel BR

O Grande problema são as terceiras intenções das autoridades por trás desses projetos caríssimos da India

Pangloss
Visitante
Pangloss

Se os indianos partirem da expertise adquirida no programa Tejas, esse caça autóctone de quinta geração vai ficar parecido, em capacidade, com o Qaher 313 iraniano.

Gabriel BR
Visitante
Gabriel BR

kkkk pior…

Señor batata
Visitante
Señor batata

A Suécia não poderia oferecer um acordo com Índia? Do tipo a Índia leva os gripen e faz parte do fs2020, afinal a Suécia era jogo de ganha-ganha. A Suécia ganhava um parceiro de peso e a Índia teria acesso e expertise sueca na fabricação de caças.

Régis Athayde
Visitante
Régis Athayde

Até poderia fazer isso, mas agora que a Suécia entrou no projeto Tempest britânico, parece que abandonaram o FS2020. Pelo menos eu não vi mais qualquer notícia sobre ele.

Señor batata
Visitante
Señor batata

Régis mas vc não acha q o tempest é um projeto de longuíssimo prazo? Os suecos poderia ter interesse em ter um caça de 5 geração mais simples, e nesse caso não existe parceiro melhor q uma grande nação como a índia para viabilizar a escala do projeto.
Tchau e abs.

Robsonmkt
Visitante
Robsonmkt

O FS2020 era um demonstrador de conceito e tecnologia da Saab, não do governo sueco. Nada impede a Saab de compartilhar o resultado destes com a Índia com a estudos a título de transferência de tecnologia como contrapartida pela escolha do Gripen. Na verdade, até a capacita de entrar como o fabricante estrangeiro de equipamentos contratado para fazer 114 caças sob o modelo de parceria estratégica.

Nostra
Visitante
Nostra

IMO Sweden is now out of the game completely for any big or medium scale projects in India.

Their foreign minister made comment on an Indian internal matter. Did not go well with the government.

Turkey made the same mistake and as a result a finalized defence deal worth 2-3 billion dollars with a Turkish company put on hold. As good as cancelled.

Lucianno
Visitante
Lucianno

O Gripen foi o ultimo caça da SAAB que no futuro será apenas uma fornecedora de peças e componentes para BAE Systems no Tempest.

JT8D
Visitante
JT8D

Fornecedores de peças são os ingleses, que não projetam um caça sozinhos há muito mais tempo que a Suécia

teropode
Visitante

Não por causa de incapacidade e sim por motivos econômicos e estratégicos, até o momento estas decisões foram acertadas .

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Acabaram de colocar remotamente um artefato na Lua e a baixo custo.

Marcelo Machado
Visitante
Marcelo Machado

Muito mais fácil fazer isso do que um caça stealth. Lembrem que os EUA colocaram homem na Lua em 69, mas caça stealh mesmo só em 83. E bem limitado.

teropode
Visitante

Não adianta , a birra contra a Índia é geral kkkkll, talvez porque estejam em um nível tecnológico que o Brasil gostaria de estar , a velha historinha do macaco que desdenha da banana que está do outro lado do Rio, 😂😂😂😂😂

carcara_br
Visitante
carcara_br

Não entendi o porquê deles terem pulado fora do Su-57, então Pak-fa, superficialmente, pelos requisitos, ele parece cumprir todos.
Acho que o nostra poderia explicar melhor a diferença entre os projetos…

JPC3
Visitante
JPC3

Não dá nada. semana que vem eles mudam tudo de novo.

Lucianno
Visitante
Lucianno

A Rússia não atendeu à questão de transferência de tecnologia conforme a Índia desejava.

Nostra
Visitante
Nostra

Not technology transfer perse but a combination of other factors like limited workshare in R&D ,high costs , refusal to IAF recommendations etc, negative IAF report of certain features on the aircraft eg engines etc.

Eg there was a joint project on a transport aircraft between India and Russia which fell through later on because IAF recommended engines which were fitted with FADEC , which the Russians refused.

All modern Western aircrafts is fitted with FADEC enabled engines for higher safety margins etc.

Biro Biro
Visitante
Biro Biro

Eles deveriam entrar no Tempest.

Joanderson
Visitante
Joanderson

Abandonaram msm o su 57 a índia não sabe oq quer,msm o caça russo sendo inferior em alguns aspectos ao caça F22 e F35 creio eu qui seja muito melhor do que qualquer caça europeu ou chinês e também a qualquer caça de 4 geração dos EUA.
Se alguém aí poder me responder melhor se o caça russo é tão ruim assim ou se é birra dos indianos pra conseguir muito pagando pouco eu ficaria agradecido.

Lucianno
Visitante
Lucianno

Ninguém sabe de fato o real potencial do SU-57.

Marcos10
Visitante
Marcos10

A Índia é o país que mais cresce hoje no Mundo.
O que pesa contra é a numerosa população. Que pese isso, a Índia continua produzindo engenheiros brilhantes.
Estimativas indicam que o crescimento chinês no próximo ano fique abaixo dos 5%, resultado da guerra comercial dos EUA. Muitas empresas estão saindo da China devido ao alto custo hoje de se produzir lá.

Nostra
Visitante
Nostra

If interested some info on LCA MK1A
comment image

Nostra
Visitante
Nostra

comment image

Nostra
Visitante
Nostra

comment image

Nostra
Visitante
Nostra

comment image

Nostra
Visitante
Nostra

comment image

Nostra
Visitante
Nostra

comment image

Nostra
Visitante
Nostra

Cockpit display configuration of LCA MK1A
comment image

Nostra
Visitante
Nostra

Lastly some info on LCA MK2 / MWF Naval

It is different from the airforce version as it does not have canards and instead has vortex flaps in the front and stabilators in the rear for optimised aircraft carrier operations.
comment image

Nostra
Visitante
Nostra

comment image

Nostra
Visitante
Nostra

comment image

Nostra
Visitante
Nostra

For reference LCA MK2 / MWF Airforce
comment image

Nostra
Visitante
Nostra

comment image

Lucianno
Visitante
Lucianno

E ainda tem gente aqui no Brasil achando que a Índia precisa comprar o gripen…

teropode
Visitante

Não irão, o calcanhar de aquiles era o motor , os demais itens são ótimos.

teropode
Visitante

Tejas com Canards , maravilha, certamente com a compra do segundo lote de Rafales os Gauleses darão um suporte ao Tejas .Resta aos brasileiros se morrerem de inveja .kkkkk

nostra
Visitante
nostra

Evolution of airforce LCA from LCA MK1 to LCA MK2 to MWF
comment image

Otto Lima
Visitante

Coitados… Eles não dão conta nem do HAL Tejas, vão dar conta de um caça de 5ª geração?

Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

Engraçado e vergonhoso como o brasileiro é piadista e sem educação.
Tirando sarro da Índia, da IAF e de seus projetos.
Nós estamos operando F-5 em 2019 como principal e único caça de defesa aérea.
Uma porcaria de um caça de 2a linha da década de 60.

Mas mesmo assim, tiramos sarro da Índia que opera mais de 600 caças/bombardeiros e só fica atrás dos EUA, China e Rússia em número de caças e bombardeiros.

País que é sem dúvidas o 4o mais poderoso em termos militares.
E nós brasileiros que somos uma vergonha na área, ainda queremos tirar sarro.
É vergonhoso.

Space Jockey
Visitante
Space Jockey

Tbm acho. Sequer lançamos um foguete ainda depois de 30 anos do programa espacial.

JT8D
Visitante
JT8D

São os expertos, folgados e sem educação. Vergonha alheia. Conseguem fazer o país mais rico do mundo permanecer subdesenvolvido

Super Tucano
Visitante
Super Tucano

Jaguar, Tejas, Mig29, Mirage 2000, Su30, Rafale, MMRCA e AMCA. Vai ficar com 8 vetores distintos!

Space Jockey
Visitante
Space Jockey

E não fica na mão como a Argentina em 82 …
!

ALEXANDRE
Visitante
ALEXANDRE

Pessoal zoando a India e tal,mas,assim tem q dar moral pq mesmo ela renovando a frota fazendo um Frankenstein, ela ta tb dando seguimento a projetos nacionais…enquanto nos tupiniquins…

Lucianno
Visitante
Lucianno

Parabéns para Índia que apesar de uma rica história passada, veio a ficar independente do Reino Unido (1947) a menos de 100 anos e já é a quarta maior potencia militar do planeta e em pouco tempo também estará entre as cinco maiores economias do mundo a frente do Brasil.

Space Jockey
Visitante
Space Jockey

Acho que ja está em 5, mas na frente do brazil sim.

Mateus Lobo
Visitante
Mateus Lobo

Nações como Alemanha, França, Reino Unido, Itália e Suécia que tem uma grande expertise na fabricação de aeronaves militares e sistemas relacionados estão se unindo para novos projetos por conta de custos e complexidade da empreitada e vocês querem que o Brasil faça a loucura de projetar o seu próprio caça? Olha só a quantidade de dinheiro que a Índia investiu para fazer um caça como o Tejas que é algo entre um FA-50 e um Gripen C.

Nostra
Visitante
Nostra

LCA project cost approx 1.4 billion dollars and that includes costs spent on building the large R&D infrastructure all across the country which is supporting / supported work on all the upgrades on migs 21, 27 , 29, jaguars , su30s , and development of all the new aircraft’s.

That is way less than the program cost of other countries , considering India had to build everything from scratch.

Nostra
Visitante
Nostra

Also technologies developed for LCA has been sold / licensed to foreign companies like Airbus etc and are used in the private sector for civilian use eg medical equipments

Lucianno
Visitante
Lucianno

Então foi um bom negócio para Índia porque o Tejas ainda pode evoluir muito e ficar com as mesmas capacidades do gripen.

Nostra
Visitante
Nostra

Yes but more importantly it set up the base for Indian aerospace industry.

15 years back other than government owned HAL there was zero companies who were qualified to make aerospace grade products

Now more than 80 companies both large and small are into producing aerospace grade products.

Many of them are now part of the global supply chain exporting their products to Airbus Boeing Dassault etc

Mateus Lobo
Visitante
Mateus Lobo

Nostra, um fator que você esqueceu de considerar foi a variação do câmbio ao longo desses 30 anos de projeto, a moeda indiana valorizou-se em mais de 4x perante o dólar americano, em termos atualizados os valores são muito maiores e creio que você também não levou em conta o dinheiro gasto no desenvolvimento do motor a reação Kaveri. Observe que o valor estimado do Tejas MK1A já está próximo de US$ 60 milhões, ou seja, não existe milagre quando se trata de caças, custa caro.

Nostra
Visitante
Nostra

Won’t that rate variation ( specific to every nation ) be equally be applicable across all national fighter programs around the world ? Eg what cost 1 dollar in US in 90s now costs 5+ dollars isn’t it. Also you have to understand how money was allocated for LCA. Money was allocated in bits and pieces over the years , initial amounts allocated for its first 10 years were a pittance amounting to few million dollars only. Later on when infrastructure , R&D facilities and manpower training was stressed on , larger amount of money was allocated but a large… Read more »

Mateus Lobo
Visitante
Mateus Lobo

Exatamente Nostra, pegar preços antigos e comparar com programas mais recentes e que ainda por cima são citados em moedas que não sofreram tanta variação não faz sentido. O que eu quero dizer com isso é que o Tejas custou o mesmo montante de aeronaves equivalentes como o Gripen A e C. Fico feliz pela Índia ter uma economia pujante a ponto de sustentar programas militares tão ambiciosos, mas acho que vocês subestimam a complexidade de projetar um caça de quinta geração sendo que nem o Tejas MK1A está plenamente operacional ainda. Abraço, keep strong!

Mateus Lobo
Visitante
Mateus Lobo

Primeiro voo em 2024? Os indianos são muito otimistas.

Jodreski
Visitante
Jodreski

A lista de países com experiência em produzir caças de 5ª geração é bem seleta, frente a isso, a Índia vai passar a especificação para qual país produzir o caça para ela? EUA, China ou Rússia, ou ela vai se aventurar em escolher um parceiro sem experiência nesse quesito? Todo mundo sabe que produzir um caça de 5ª geração é um tarefa complexa que nem sequer os países Europeus que tem indústrias aeronáuticas muito bem estruturadas ainda o fizeram, há planos é verdade, mas produção que é bom nada! Até o Japão está engatinhando ainda… Mostrar o projeto em powerpoint… Read more »

Nostra
Visitante
Nostra

Regarding complexity you are correct , it is a very big task fraught with risks . But India has been working on various AMCA technologies for the last 10-15 years. If they were not confident of getting the job done , government wouldn’t have funded the program . Nobody is a fool to pump money into a project which will not show results. For the record Indian scientists were present in Russian SU57 , Japanese Shinshin programs as observer’s. Indians had considerable access to SU57 program in the past for which they had paid around 250 million dollars. Also for… Read more »

Nostra
Visitante
Nostra

A month back HAL installed DRDO developed ” voice activated command system ” for fighter aircrafts on hawk-i for operational testing.

Later on successful tests it will be installed on LCA and in future on MWF and AMCA .
comment image

Nostra
Visitante
Nostra

comment image

Nostra
Visitante
Nostra

Also info on DRDO UTTAM active electronically scanned array airborne radar for LCA , it has been installed on a LCA MK1 for airborne tests and undergoing flight tests.
comment image

Nostra
Visitante
Nostra

comment image

Nostra
Visitante
Nostra

comment image