Home Noticiário Internacional Congresso dos EUA aprova a venda de jatos F-35 à Polônia

Congresso dos EUA aprova a venda de jatos F-35 à Polônia

4955
194
F-35A da USAF

VARSÓVIA – O Congresso dos EUA deu seu consentimento para fornecer caças F-35 de quinta geração dos EUA à Polônia, disse o ministro polonês da Defesa Nacional Mariusz Blaszczak via Twitter na sexta-feira.

“O Congresso dos EUA concordou em exportar 32 jatos F-35 modernos para a Polônia. Este é um dos últimos passos antes de assinar o contrato, mas isso não significa que nosso trabalho esteja concluído. Faremos todo o possível para obter o melhor preço possível”, escreveu ele.

Em 11 de setembro, a Agência de Cooperação em Segurança e Defesa do Departamento de Estado dos EUA, responsável pelo fornecimento de equipamentos militares no exterior, informou que o governo dos EUA havia decidido fornecer 32 jatos e 33 turbofans F-135 com pós-queimador da Pratt & Whitney, além de equipamentos adicionais para a Polônia.

O contrato vale US$ 6,5 bilhões. No entanto, as autoridades polonesas anunciaram que era o preço inicial e procurariam reduzi-lo nas negociações.

FONTE: TASS

194 COMMENTS

      • A minha opinião é a de que, quem poder aguentar mais uns dez anos sem comprar novos caças, que o faça
        O futuro da arma aérea carece de previsibilidade, por um lado temos a 5 Gen a entrar em operação, por outro temos diferentes conceitos para 6 Gen a surgirem…. Decisões que implicam gastos de milhares de milhões precisam de planeamento sólido, com um futuro previsível em mente.
        À Polónia não lhe falta aeronaves susceptíveis de modernização para mais elevados padrões, porque não o fazer? Custa menos e, mediante os factores que referi, seria talvez uma decisão mais acertada.

        • De um exemplo por favor…
          F-15, F-16 e F-18 ? As células viáveis de sofrer extensão de vida útil estão sendo aproveitadas pelas próprias forças armadas americanas…
          O que resta é bagaço !
          A escolha mais barata, e racional, seria a de se adquirir mais F-16 novos de fábrica…

          • Alfredo, ainda tem F-16 na Europa passível de modernização e extensão de vida útil, e alguns americanos também, estocados, que ainda podem passar por isso. Nem todos serão reaproveitados para a USAF ou estão sem condições de revitalizar.

            Portugal, por exemplo, decidiu reduzir sua frota e, recentemente, vendeu 10 de seus 40 F-16 modernizados localmente (e que eram ex-USAF) para a Romênia. E, pelo que sei, adquiriu mais um punhado deles, também nos EUA, para modernizar e vender num segundo contrato com a Romênia.

            Mas escrevi isso apenas a título de exemplo. No caso em questão, acredito que se a Polônia estiver pensando em ampliar sua frota de 48 caças F-16, que foram adquiridos novos e que equipam hoje três de seus seis esquadrões l, vai encomendar um esquadrão novo de fábrica.

            Aí, por volta da metade da próxima década ficaria com quatro esquadrões de F-16 e dois de F-35, livrando-se de seus últimos MiG-29 e Su-22.

            Ou compra logo de uma vez mais 16 caças F-35, daqui a uns cinco anos, e fica com três esquadrões de F-16 e três de F-35, somando quase 100 excelentes jatos de combate no total, metade de 4ª e metade de 5ª geração.

    • ‘Mas eles podem pagar ou vão ter que fazer eternas parcelas?
      Podem pagar a manutenção e operação?’

      Muitos provavelmente, não.
      Deve ser o mesmo relacionamento dos EUA com a Ucrânia.
      Uma espécie de chantagem ‘light’.

    • Qualquer país um pouco sério pode fazer isso.
      O Brasil não faz porque está focado no social.
      O rombo previdenciário deve fechar esse ano em em R$ 300 bilhões.

      • Meus pesames à garotada que ira se aposentar, esta cada vez mais distante. Má administração, excesso de funcionarios, contribuições muito baixas, trambiques de funcionarios, falsas aposentadorias, licensas médicas desnecessarias e ficticias, aposentadoria para não contribuintes, desemprego em alta por varios anos, aumento dos trabalhos informais sem contribuição, etc causaram ao longo dos anos essa situação, é lamentavel. E com esses “rombos” nas finanças do Estado seguimos cada vez mais sem ter Forças Armadas a altura de um pais que já chegou a ser a oitava economia mundial, mas inda permanece entre as 10. Poderiamos ter uma F.A. com os melhores aviões de combate da atualidade, sem brechas como agora, que o nosso melhor caça é um F-5 BR.

      • “O Brasil não faz porque está focado no social.
        O rombo previdenciário deve fechar esse ano em em R$ 300 bilhões.”
        .
        Na verdade, não é o caso de focar no social, mas sim porque o povinho gosta de trabalhar pouco e de de se escorar muito, de todas as formas. E um congresso que historicamente tira vantagens disso completa a nossa situação.

        Dinheiro pra copa e estádio temos muito, até hoje estamos pagando os rombos e desvios da copa, concluindo estádios, aeroportos e rodovias, e nem vou falar nos financiamentos do PT aos diversos paisecos amigos do rei.

      • Rui , não sei qual é o teu problema, em boa parte dos seus comentários você adiciona alguma alfinetada direcionada ao Brasil. Lhe informo que o Brasil tem muito bem condições de pagar e operar qualquer sistema de defesa, seja o Gripen ou qualquer outro caça. O nosso empecilho não é econômico e sim político-admnistrativo. Se um país como a Polônia pode imagine o Brasil que na sua enorme benevolência recebeu os imigrantes polonês tanto que hoje possui uma das maiores população de ascendência polonesa no mundo, depois dos Estados Unidos,Alemanha e Reino Unido. Se o Brasil, na sua imensa generosidade, nos anos 80 abriu uma linha de crédito exclusiva para que os poloneses pudessem adquirir nossa mercadoria e quando percebemos que eles não podiam pagar aceitamos as famosas “polonetas”, os títulos da dívida pública em vez do pagamento do dinheiro.

        E sempre o Brasil na sua imensa generosidade em 1992, concordou, juntamente com outros credores da Polônia, entre eles a França e a Itália, em conceder aos poloneses um desconto do valor devido, de 50%.
        Podes observar como o Brasil e generoso( ou bobo) ?
        A Polônia é o que é hoje apenas graça a UE que derrama e derramará nos anos a vir centenas de bilhões além de tolerar vários péssimos hábitos e ingratidão deles.
        Então menos amigo, menos.

      • Com certeza.Os russos tomam surras de 2:1 dos caças ocidentais da mesma geração,ou seja,esses 32 F-35 vão eliminar 64 Su-57s,3/4 da produção.

      • isso é suficiente para acabar com quase toda frota russa de caças de quarta geração, visto os exercícios de 20 para 1, eles derrubariam 640 aviões russos de quarta geração antes de serem abatidos. em 10 anos a rússia nem sequer planeja ter mais que 100 SU 57.

    • O que os poloneses passaram ao longo de sua história é pesado, desejo que consigam o que desejam, tornar o pais mais forte militarmente para que não se repita pelo que já pasaram e, não voltem a ser o objeto da divisão de territorios vizinhos entre dois paises. Que comprem os F-35… e outros mais.

      • Kemen

        A única proteção que Polônia deve contar será a solidariedade e ajuda de alguns aliados.
        Se tiver.
        Trinta e dois aviões não fariam cócegas na Alemanha e muito menos na Rússia.
        Contra os russos seriam aniquilados com um sopro.

        • AK:
          Tem razão.Só que seria o último sopro de vida.
          Cadáveres não sentem cócegas.
          Muito menos eufemismos minimizam medos.
          Mas eu entendo,é duro não contar com aliados confiáveis.

        • Eu gosto da sensação é ideia de grandeza superlativa e irreal que você credita à Rússia…..”aniquilados com um sopro”…..Deus, dê-me paciência!!

          • Gosto mais ainda da sensação de proteção que meia dúzia de aviões daria à Polônia, Japão ou Taiwan frente a superpotências como Rússia e China.

          • AK:
            Eu por minha parte já gosto de ver a Rússia e China reclamando quando seus vizinhos adquirem essas”meia-dúzias”.Sabe,aqueles eufemismos do tipo “isso não colabora com a estabilidade regional” e outras frases rebuscadas até meio difíceis de entender.
            Mas gosto é gosto.

          • Dudu

            Talvez seja apenas um motivo para Rússia e China acrescentarem mais algumas centenas de aeronaves a suas Forças Aéreas.

    • Sr. Gabriel. Relendo meus conceitos, venho lhe pedir desculpas pelas ofensas proferidas em razão de um comentário infeliz. Sei que possui boa intenção e ideal por ser jovem. Isto é bom. O ignorante e boçal sou eu de não ter observado que no fundo o Sr. possui uma boa vontade de todo aquele que deseja o melhor pra o seu país. Espero que aceite minhas desculpas e passar bem Vamos em frente. E serve também para todos os comentaristas e editores. Minhas sinceras desculpas. Esse site é 10.

  1. Quem quer ter força aérea boa tem que gastar, aliás quem quer ter defesa boa tem que investir porque defesa não é custo é investimento.

    • Nonato, o valor total inclui todo um pacote de equipamentos e serviços, não apenas os caças. Você deveria saber disso, não só pelo tempo em que frequenta o site, mas também pelo fato de ter comentado na matéria que informou os itens do pacote:

      https://www.aereo.jor.br/2019/09/12/comunicado-da-dsca-sobre-venda-de-f-35-a-polonia/

      Quanto ao número de caças, é coerente com o tamanho atual da Força Aérea Polonesa (não dá pra ampliar do dia para a noite) e suas necessidades atuais de reequipamento.

      A aviação de caça polonesa, se eu não estiver enganado, tem 6 esquadrões, metade deles equipada com F-16, que continuarão operando por mais duas décadas pelo menos.

      Creio que esses 32 bastarão para reequipar dois dos três esquadrões que voam hoje jatos MiG-29 e Su-22. Este último, pelo que me lembro, passou por modernização recente e talvez continue em serviço até a metade da próxima década.

    • Sempre a mesma maldita discussão, quando se adquire um avião como o referido, não é só a célula em si, milhões têm de ser gastos em infraestrutura, doutrina, pecas, formação, pessoal de manutenção, etc, etc….

  2. É engraçado ler esses comentários de se tem dinheiro para operar. Engraçado não, é triste. Porque nós brasileiros só pensamos nisso, justamente porque nosso orçamento militar é quase 100% para pagamento de salários e aposentadorias, não sobra quase nada para aquisições e custeio.

    Mas não se preocupem tanto com isso.
    Existem muitos países (muitos mesmo) com orçamento militar bem menor que o nosso e operando caças muito mais modernos que os nossos F-5 E também em maiores quantidades.

    Míseros 32 unidades, até um país de porte médio de 3o mundo consegue operar, desde que tenha um orçamento bem dividido e organizado.

  3. O Brasil tem orçamento militar de U$ 29 bi em 2018. O Egito de U$ 4,4 bi. (6,59 X menor que o nosso)

    Eles possuem:
    + de 200 F-16
    Cerca de 90 Mirage 5 / Mirage 2000
    Adquiriram 24 Rafale
    E aprox. 50 MiG-29

    Ainda possuem cerca de 50 Apache e adquiriram 50 Ka-52, os dois melhores helicópteros de ataque do mundo.

    Adquiriram 2 navios classe Mistral.

    Fragata FREMM, etc.

    Já com o nosso orçamento 6,5x maior de U$ 29 bi, nós somos provavelmente a nação número 1 em Incompetência. Ridículo comparar o Brasil com países do nosso tamanho e com economia parecida com a nossa, como a Rússia e a Índia por exemplo.

    • O mais estranho e que os nossos militares ainda reclamam de baixo salário. Os praças, soldados tudo bem, agora os oficiais….
      Sem falar que, em quanto não mudarmos a nossa organização militar não adianta nada.

    • Eu sou o presidente da república e tenho força no congresso, então determino que apartir de hoje 2% do PIB seja investido nas forças armadas Brasileiras.
      No dia seguinte a isso, os comandantes militares vão pela ordem:
      1° aumentar os salários,
      2° abrir concurso público para oficiais e sabe como é, para cada um formado deve-se ter tantos soldados para comandar, portanto aumento de contigente.
      3° Terceiro, reforma a ampliação de quarteis para todos.
      No final vamos continuar a gastar 70% com salários e só 30% com custeio, pesquisa e investimento.
      Detalhe e que o nosso custeio sempre foi o minimo do básico possivel.

    • Concordo com a má administração e a falta de prioridades…concordo com o excesso de pessoal e escassez de equipamentos….tudo isso no Brasil é verdade…..
      Já no que se refere ao orçamento de defesa do Egito, tem alguma coisa bem errada aí….no mínimo, o gasto com pessoal não está incluído nesse valor de 4,4 bi de dólares….além disso, com esse valor apenas, ninguém consegue comprar os equipamentos citados por você. Os 4,4 bi de dólares não cobrem ne o contrato dos 24 Rafale….e mesmo que eles tenham parcelado todos esses equipamentos no carnê das casas Bahia, a perder de vista, como eles pagam custeio, desenvolvimento e folha de pessoal??

  4. Compram o F-35 pela sua furtividade, porque de resto deixa a desejar, se analisarmos desenvolvimentos que foram idealizados em alguns AESA e pequenas alternativas que melhoram bastante a capacidades de alguns caças não furtivos, mas como o F-35 foi projetado para ser mais economico que o F-22, também sua performance geral não é das melhores, mas muitas Forças Aéreas devem ter por base que a furtividade fala mais alto. Sera mesmo?

        • Não é só furtividade a mais, amigo. F-35 tem ECM no Radar, tem o dobro da potência, 150% mais combustível interno, O DAS. Sem contar um monte de coisas desconhecidas do público.

          • Sobre o radar, ECCM e ESM no radar AESA é implemento da 4. geração, seria espantoso se por ser de 5. geração não tivesse, e o seu radar (antena) não tem reposicionamento de cobertura, cobre apenas 60 Graus contra por exemplo 100 Graus do Gripen E, também não tem visão lateral. O sistema ótico é inferior em cobertura por exemplo ao do Gripen E, o mais importante no radar não é detectar algo… é identificar o que é. O que pesa mesmo não é a potencia das turbinas é a relação peso / potencia. O IFF do F-35 não esta integrado no AESA, e também não tem o RF Decoy do Gripen E, imprescindivel num caça de quinta geração, talvez porque que a furtividade foi a prioridade…sei lá.

          • 1-Relação peso potência do Gripen é inferior se comparar o avião vazio., ou com os tanques parcialmente cheios.

            F-35A: Peso 13.250kg Potência 19.500 kg kg de empuxo

            Gripen: 8.000+ kg Potência 9.800 kg de empuxo

            2-O sistema ótico não é inferior e o Gripen não tem nada como DAS.

            3-E tem um compartimento para o Towed decoy na fuselagem.

            4-Raio de combate do F-35 é 50% maior no combustível interno.

            Avião menor com metade da potência faz menos, amigo.

            Acho um pouco otimista acreditar que vai ter a mesma coisa gastando dez vezes menos.

          • Eu já tinha comentado antes, o que vale no F-35 é apenas a furtividade, o resto ou é igual ou inferior a muitos de geração anterior e acrescento, porque na realidade até hoje não entendi bem como é e como funciona mas corre por ai na rede que o Gripen E “pode espelhar” a sua posição para enganar misseis, vou aguardar para ver se é verdade. Outro detalhe que o colega pode observar em qualquer avaliação na rede, o F-35 perde para caças de geração anterior em dogfigth, dai em manobra também fica a dever. Se colocar mais que 4 misseis, o RCS aumenta bastante, portanto é um avião furtivo com 4 misseis, e bombas para ataque ar-solo? Mas os furtivos são o futuro pelo que se apresenta hoje, quando vira um melhor com baixo custo/beneficio e melhores serviços ?

          • Sobre a performance pode estar certo, até porque é um avião feito para carregar mais combustível e voar longe.

            Não entendi porque o amigo conclui que é inferior ou igual aos outros, porque respondi sobre a relação peso potência, sobre o as capacidades AR-AR dos sensores EOTS com 360 graus de cobertura, sobre o Towed decoy (que ele tem espaço para instalação), sobre o DAS, sobre capacidade de guerra eletrônica do radar(que nenhum outro alega ter) e sobre o alcance. E a carga interna de mísseis está subindo para 6 unidades.

            Além disso, 90% das capacidades do F-35 são secretas.

            Na, verdade,segundo alguns, mais da metade do que foi gasto no F-35 foi na parte de eletrônica que teria custado mais caro que a furtividade em si e é a maior preocupação dos russos.

          • Nenhum caça de 4,5 geração tem a capacidade de rede de um de 5, esta falando bobagens.

            https://tecnomilitar.wordpress.com/2019/01/12/fusao-de-sensores-rafale-vs-f-35/

            https://tecnomilitar.wordpress.com/2018/12/22/fusao-de-sensores-e-o-dominio-da-informacao/

            O sistema de guerra eletrônica do F-35 é o mais avançado do mundo, não tem equivalentes.

            https://tecnomilitar.wordpress.com/2018/08/28/dominando-a-guerra-eletronica-com-o-f-35/

            A maioria dos radares AESA não tem capacidade alem dos 60 graus, isso pq um antena giratória trás mais problemas, inclusive isso foi umas das coisas que fez o radar AESA ser mais confiável do os mecânicos.

            https://tecnomilitar.wordpress.com/2019/04/11/radares-de-varredura-eletronica/

          • Colega Augusto, repare que o primeiro artigo que vc colocou, compara o F-35 com o Rafale, a grande vantagem do Gripen é fusão de IRST+RADAR de todos os caçãs da missão, do AEWC e radares terrestres simultâneamente. Com isso a detecção de um furtivo ocorre antes do que se fosse 1 caça só sem mais nada. Muita propaganda e Marketing do produto da Lockheed, a seguir vc pode ver a SAAB falando, coisa concreta e séria. E o que isso do artigo tem a ver com o que o F-35 não tem e esta marcado em vermelho na figura enviada antes?

            https://www.youtube.com/watch?v=RMjHKMDxwo8

            O que o seu segundo artigo tras é algo parecido com uma comparação entre o Intel I5 e o I7. A TDFE é feita nos Gripen E, segue o padrão OTAN. Leia todos os artigos OFICIAIS da SAAB, esses tem garantia.

            https://saab.com/air/air-c4i-solutions/data-information-fusion/track-data-fusion-engine/

            O que importa num sistema de guerra eletrônica é o resultado, não se tem um chip que atua nano ou microsegundos mais rápido, é preciso verificar valores / resultados. No F-35 por enquanto o resultado é a furtividade, em desempenho esta devendo, pelas armas que pode levar com baixo RCS esta devendo, pelo seu preço, esta devendo.

            A antena dos Gripens não giram, elas varrem uns graus a mais e não tem problema comprovado não, quem apresentou diversos problemas que tiveram que ser revistos foi o F-35.

          • Pois é amigo, esperemos que no FUTURO a carga interna suba para 6 misseis de tamanho menor, e vamos ver também qual sera o desempenho desses misseis menores.
            Mas vai ver que tudo é secreto no F-35, o único superior que ele apresenta é furtividade. No Gripen E o alcance aumenta mais ainda se no lugar de 6 misseis levasse 2 tanques de combustivel em vez de 1 só, já reparou nisso?

          • Não amigo, a carga será de 6 AIM-120 AMRAAM, com mísseis menores poderá ser 12.

            Ta cansativo, suas informações estão erradas na maioria.

            O Alcance do F-35 com 6 mísseis será próximo de 1.400km sem tanques externos, enquanto o do Gripen é semelhante porém precisa de 3 tanques.

            Ao invés de procurar se informar sobre o avião prefere acreditar que tudo é propaganda e justifica isso com informações incorretas.

            Tudo que estou dizendo está disponível na internet.

          • Não se aferre a distancia de combate amigo, alcance de 1400 Km do F-35 é pura ilusão e ainda nem existe esse mini missil especial para o F-35 que ira ser desenvolvido, o Gripen chega a 1300 Km só com o tanque central, se puser dois tanques e 6 misseis vai até mais longe, a distancia máxima com seu supercruzeiro a mach 1.3 chega aos 4.000 Km contra 2.500 do F-35. Esse asunto é antigo e todo mundo conhece colega.

          • “ Ao invés de procurar se informar sobre o avião prefere acreditar que tudo é propaganda e justifica isso com informações incorretas”
            Não adianta JPC3 ele não quer aceitar os fatos.

          • Seus dados estão completamente errados, todos os aviões de 4,5 geração podem fundir dados de outras plataformas basta de larguras de bandas em seus data-links, o SH por exemplo esta recebendo á atualização que o permite operar o intra-link da marinha, inclusive o F-35 é o caça com mais largura de banda.

            Quanto fusão de dados, você novamente esta falando bobagens, não entende que a fusão de um caça de 5 geração é completa (fechada), enquanto um de 4 geração não (aberta), os 2 tem fusões de alto nível mas a do Gripen é aberta, a do F-35 fechada, ou seja o motor de fusão do F-35 entrega uma informação muito mais liquida e de mais fácil interpretação do que a do Gripen, um piloto de F-35 faz um OODA loop mais rápido que um de Gripen.

            Quanto ao processamento há dados que comprovam que os do F-35 são mais rapidos, inclusive seus barramento são extremamente mais capazes que os dos cacas legados, Gripen incluso.

            Quanto a suite de guerra eletrônica, alem de um computador mais rapida, o F-35 tem 10 sensores ESM/RWR, enquanto o Gripen 6, o F-35 tem um jammer com maior potencia que um pod de guerra eletrônica de um avião dedicado como o Growler, o do Gripen não chega nem perto.

            Resumindo o F-35 é muito alem da furtividade, mesmo no beast mod da uma surra em qualquer outro caça não furtivo.

          • Largura de banda mais larga de que amigo, não sabe o que escreve pois o datalink segue padrão OTAN (NATO). Não existe nada de fusão de dados aberta ou fechada, nem de informação liquida colega, facil interpretação só depende do software que se utiliza, do nivel da linguagem de software cuja compilação resulta na eficiência do sistema.
            Quando o colega escreve que o barramento do F-35 é mais rápido, se refere a diferentes tempos de clock, me diga qual é o barramento do F-35, o seu clock, e o seu computador. O Gripen ao contrario, não tem UM barramento nem UM computador, tem VARIOS barramentos e VARIOS processadores que fazem o processamento distribuido dos dados.
            Adicionando a isso que o colega esta se referindo a prováveis vantagens e desvantagens em relação a uma coisa que acredito desconhece, e que envolve tempos de milisegundos! Desculpe colega, mas nada do que afirmou depois é correto.

            Leia em detalhe o excelente artigo abaixo, que acaba com a mistificação da propagando do F-35, puro marketing. O objetivo é conhecer a realidade do F-35.
            https://www.aereo.jor.br/2019/01/09/f-35-alegada-capacidade-de-fusao-de-dados-e-desmistificada/

            Atente ao detalhe do artigo…
            “PARIS – Uma reportagem on-line elogiando a fusão de dados do caça Lockheed Martin F-35 e detalhando as vantagens que traz reduzindo a carga de trabalho do piloto expôs pela primeira vez que as capacidades “gaming changing” reivindicadas pelo F-35, de fato, estão em serviço há mais de uma década em caças europeus.” CQD

          • Essa matéria do aéreo so fala bobagens, inclusive há pessoas com conhecimento que nos comentários que á refutam.
            Se você leu só oq interessava, sinto muito, está errado.

          • E o radar do Gripen é giratória sim, gira para os lados com intuito de ter cobrir outros ângulos como gira dm torno do próprio eixo para aumentar o alcance.

          • Colega, girar é de radar naval, o radar do Gripen AESA da SELEX se desloca alguns graus a direita e também a esquerda, pois essa é a grande vantagem para se ter uma maior cobertura radarica e que o F-35 não tem.

          • Toda radar mecânico gira e alguns PESA e AESA (o do Gripen incluso, gira ou “desloca”, a mudança da palavra não muda o conceito, para os lados e em torno do eixo para aumentar o alcance) também mas tem um trade off ai, radares fixos tem uma confiabilidade maior.
            Você mostra mais uma vez que não entende do assunto.

          • Colega, não existe radar chamado “mecânico” em avões, todo radar tem partes metálicas, mas são eletrônicos, tem componentes eletrônicos, e você se refere a uma antena que varre 90 graus, diferente dos caças que tem de se deslocar para fazer uma maior varredura, sua antena varre um angulo maior, é vantagem. O F-35 tem que se deslocar e com isso também gasta mais combustivel.

          • Sim pode ser inferior, porém está lá e será modernizado no futuro. Além disso serve como FLIR interno, coisa que o Gripen

          • Caramba colega tudo no F-35 sera no futuro, EOTS sera modernizado, misil menor sera desenvolvido, já que vamos pelo futuro… sera que o Gripen também não tera melhorias com o tempo?

          • Amigo, eu não discordo que gripen seja um caça excelente, não discordo que seja ideal para nós, também não discordo que o ele tenha vantagens sobre o F-35.

            Não discordo de nada disso.

            O que eu estou discordando é de o F-35 seja apenas furtividade e no resto seja igual ou inferior aos outros. As coisas não são assim, podem ter gasto 20 bilhões de dólares só na eletrônica dessa caça, lógico que vai ter qualidades que os outros não possuem.

            Não dá para achar que a USAF ( mais 13 países) é ingênua e deixou a lockheed martin roubar todo dinheiro e no final entregar um avião pior que os que eles já tem.

            Só furtividade era o caso do F-117, aí sim era inferior aos outros pois nem caça era.

            Não acho o Gripen ruim, acredito nas qualidades que você apontou, porém, no caso do F-35 parece que as pessoas não tem interesse em saber mais.

            Não vou mais discutir porque não tenho a intenção de criar problema.

          • Sera padrão do block 4 a versão de de produção em massa.
            Nao sei pq o desdém e a aliás esse seu comentário ”Não existe nada de fusão de dados aberta ou fechada, nem de informação liquida colega, facil interpretação só depende do software que se utiliza, do nivel da linguagem de software cuja compilação resulta na eficiência do sistema.“
            Só demonstra que de fusão de dados você não entende de nada.
            https://tecnomilitar.wordpress.com/2018/12/22/fusao-de-sensores-e-o-dominio-da-informacao/
            Da uma lida antes de vir falar bobagens.

          • Colega de novo com esse wordpress norte americano? Olhe criaram ou traduziram errado: você escreve, algo assim ” F-35 entrega informação mais liquida” não existe isso, dados que não são aproveitados e não servem, vindos de seus detetores ou do radar, são desprezados pelo software que existe na aeronave, se alguém afirmar, aonde quer que seja, que o software (programas compilados) de um caça é melhor que outro, é mentira, os softwares são fechados, ninguém conhece o de ninguém. Portanto para dizer que o software do F-35 depura melhor os dados dos periféricos que tenha ou do radar, precisa conhecer o software dos outros também.
            Me diga colega, o F-35 tem em binário 32, 64, 128, 256 ou 512 bit?
            O melhor…
            Me diga colega uma Word do F-35 é de 32,64, 128, ou 512?

          • Amigo, repetindo o que eu escrevi.
            Seu item 1- Relação Thrust to weight (Impulso / Peso) com máximo de combustivel e armas.
            -F-35=0,87 / Gripen E=1,06 / Eurofigther=1,07 / Rafale =0,99 / F-18 S.H.=0,93 (Veja figura que enviei)

            Avião vazio não serve para combate. O RCS do F-35 com armas externas deve aumentar bastante.
            ——————————————————————–
            Seu item 2- F-35/EOTS ——-GRIPEN E/Skyguard G-LDP
            https://i.postimg.cc/Pq7fg3nf/Sistema-Eletro-tico.jpg

            DAS? (DASH) até o F-5M BR tem! O Gripen tem DASH com HMD acoplado.
            O F-35 não tem NCW.

            ——————————————————————-
            Seu item 3- O F-35 não tem Towed Decoy ATIVO ele esta inserido no compartimento e seu estado é DESATIVADO (Active RF-Decoy, na figura que enviei, Electronic Warfare, Defensive AIDS, IFF) é uma deficiência, o Gripen E mantem o Active RF-Decoy externo e sempre ATIVADO).

            https://i.postimg.cc/zv13k6XQ/Guerra-Eletr-nica.jpg

            ——————————————————————
            Seu item 4- Raio de combate máximo é o que tem significado, o F-35 é um “Bebão de combustivel” que faz o seu peso ir as alturas, mesmo com combustivel externo tem pouco alcance se comparado a outros caças de gerações anteriores. A sua velocidade máxima de 1,6 mach é inferior aos 2 mach do Gripen E, o Gripen alcança ele. (Veja figura que enviei anteriormente)
            F-35 2500 KM máximo / Gripen E mais de 4.000 Km
            O raio de combate máximo dos dois ar-ar, com combustivel interno +externo no F-35 e combustivel interno e combustivel interno+externo no pilon central no Gripen E.
            F-35: 1300 Km (sem manter o RCS baixo), 4 misseis internos ar-ar.
            Gripen E: 1300 Km com 6 misseis ar-ar (2 IR e 4 por radar).

            ——————————————————————–
            Amigo “avião com metade da potencia”, que não é stealth e é melhor em desempenho aéreo que o F-35, assim como varios outros também o são. O F-35 deixa a deve muito nesse quesito, é furtivo, mas com 4 misseis e sem combustivel externo fica bem menos furtivo. Sem falar no preço se comprados, sem transferência de tecnologia. Melhor custo beneficio. CQD

          • Colega Augusto, o WordPress é um site de contrôle de norte americanos, preciso esclarecer mais…
            A America do Norte tem exelentes produtos e equipamentos, tudo feito ali é o melhor do mundo, como sempre se encontra nesse site, aqui por enquanto trocamos idéias sobre vantagens e desvantagens no F-35 x Outros, não perder o foco é importante.
            Abaixo o video e tem uma tabela no fim que já coloquei no blog mostra deficiências no F-35, note que é informação séria da SAAB.
            RF Decoys não tem nada a ver com o capacete.

            https://www.youtube.com/watch?v=Dd_pSteLHr8

            Incrivel ter o sistema de defesa RF-Decoy desativado e fechado para
            manter baixo o RCS. Furtividade foi o único foco?

            “The ALE-70 Towed Decoy is a countermeasures dispenser system designed to fit into the F-35 Joint Strike Fighter (JSF) aircraft. The ALE-70 provides aircraft self-protection against radar guided missiles.”

            https://i.postimg.cc/mk5wRL6c/F-35-isso-muito-sinistro.jpg

          • F-5 Br tem algo parecido com a DAS?
            Não, não possui.

            Na boa,Você está com um monte de informações equivocadas.

            Inclusive a sua tabela esta errada como já expliquei acima

            Alcance o raio de combate do gripen é 1.300km com três tanques externos, enquanto o raio de combate do F-35 na configuração ar-ar é de 1.400 km( pois ele nem possui tanques externos). Até na wikipedia você encontra essa informação. O alcance máximo de 2.500km é um número incorreto colocado por alguém na internet.

            O F-35 é caça que tem a melhor relação peso combustível no ocidente e supera qualquer 4.5 em alcance com combustível interno com exceção do F-15 com tanques conformais.

            Está ficando claro que o colega não se interessou em ler o suficiente sobre o F-35.

          • Colega sobre o F-5M BR mencionei DASH, e vc entendeu!
            As tabelas coladas não são minhas, uma delas é da SAAB, derrubando muitos “mitos” que envolvem atualmente o F-35.
            A posição deles foi clara: oferecem um caças 4++ de baixo preço RCS aceitavel e excelente rendimento, algo dificil de conseguir.

          • Se eu falei DAS porque respondeu DASH??
            Você mesmo substituiu DAS por DASH porque não sabia o que era.

            A Tabela está errada e já coloquei o link com um teste que demonstra isso. Tá certo?

            A tabela é feita pelo concorrente que não consegue vender seu avião.

          • Amigo, até ai nada de peso nas grandes diferenças dos DASH, e isso se a FAB não pedir para a SAAB instalar o DASH do fabricante norte americano.

          • Imaginei que o colega digitou sem “H” como já aconteceu com outras palavras a mim, e outros diversas vezes aqui no blog como pode ser observado.
            A pressão dos dedos no teclado se escreve depressa falha as vezes.

          • Sugiro que leia com atenção e veja que não estou criticando o Gripen, e sim contrariando as informações equivocadas sobre o F-35 que você coloca.

            Você está certo quando fala do Gripen, mas sobre o F-35 quase tudo o que diz está incorreto.

          • Amigo, sempre adicionei fonte de informação ou figura ou fonte e figura, não tenho por objetivo enganar ninguém, cada um acredita naquilo que acha correto e na fonte de informação que acha mais correta. A do fabricante geralmente é mais correta, pois se falsear pode ter consequências além da perda da confiança na empresa.

          • Colega obrigado, bonito e legal, como o F-35 é um avião de combate, gostaria de saber o que isso agrega a mais no F-35 num conflito armado, desde já agradeço.
            -aéreo contra stealth e não stealth
            -terrestre e defendido

          • Aqui um link mostrando que existem falhas na tabela,

            https://defensemaven.io/warriormaven/air/f-35-air-to-air-missiles-can-now-hit-2-drones-at-once-changes-air-combat-rZ_vD6yeDEivRmOxHMfbjA/

            “””Last year, an F-35 pilot fired two Advanced Medium-Range Air-to-Air Missiles at maneuvering drones in the air, bringing synchronized attack to a new level for the aircraft, using an integrated targeting sensor, called the Electro-Optical Targeting System (EOTS).”””

          • É ativado quando há ameaças, decoys não ficam a operação toda ativada, em nenhum caça, são ativados quando o sistema de guerra eletrônica detecta uma ameaça, uma emissão de radar, um missil e etc…
            voce que não entende como funciona um decoy

          • Colega, na maioria dos os caças o RF Decoy fica ativado sim, nunca escondido para viabilizar baixo RCS! É uma temeridade confiar que a furtividade vai impedir qualquer detecção e consequente disparo contra você!
            Agora vamos ficar tudo no sim e no não, sem comprovação concreta nenhuma?

          • Ninguém voa com decoy para fora. Só é usado quando surge ameaça.

            Por que o F-35 vai usar quando não precisa? Não tem sentido essas coisas que você diz. Se precisar é só usar, simples.

          • Colega a sua afirmação esta incorreta. É isso, a confiança no F-35 foi tanta que deixam desligado e guardado para não afetar seu RCS que teve a máxima importancia do projeto, não aceitam a hipótese que disparem um missil em sua direção sem que ele saiba antecipadamente e haja tempo para abrir a portinhola sair e ligar… interesante um delay pequeno mas que pode se tornar importante dependendo da velocidade do missil e que pode vir de qualquer direção.

          • Correção do que escrevi abaixo: “com 4 misseis e tanque externo o F-35 fica bem menos furtivo”, e com armas externas seu RCS aumenta mais ainda.

          • O F-35 não tem tanques externos porque foi projetado para levar dentro o que os outros levam do lado de fora, assim não poder a furtividade.

            Gripen Br peso: 8.000 kg combustível interno 3.400kg
            F-35A Peso: 13.250kg combustível interno 8.380kg

          • Ele não tem tanques externos porque foi feito para levar dentro o que os outros levam do lado de fora, por isso a relação peso potência é pior quando carregado.

            https://www.quora.com/Why-would-they-choose-Alaska-to-put-the-F-35-as-they-only-have-a-range-of-680-miles

            https://en.wikipedia.org/wiki/Lockheed_Martin_F-35_Lightning_II

            “””Combat range: 669 nmi (770 mi, 1,239 km) – Combat radius[554]
            760 nmi (870 mi; 1,410 km) – Combat radius (interdiction mission on internal fuel, for internal air to air configuration”””

            Amigo, você acredita mesmo que gastaram quase 60 bilhões dólares para fazer um caça stealth que é pior que os outros em tudo?

            Isso faria algum sentido?

          • Não é utilizado porque nem um cliente pediu devido ao aumento do RCS, esta disponivel para o cliente que quiser.
            Israel pensa em adaptar muita coisa nos seus F-35 tentando melhora-lo as suas necesidades.
            Utilizar o F-35 em missões longinquas pede REVO devido ao seu curto alcance, em caso de zona de guerra um avião de REVO se detecta e se identifica a uma distancia enorme. Se até o Iran consegue detectar e derrubar um Predator, quem dira paises mais desenvolvidos!
            Os F-35 em missões reais e perigosas tem de voar com escolta de outro caça, não tem saida.

          • Sistema ótico fica em um casulo transparente com 360 graus de visão, mais o DAS que também possui 360 graus de visão em dois eixos, vertical e horizontal.

          • Colega, o velho EOTS? Vc deve estar de brincadeira, ele foi inicialmente concebido para ar-terra e depois adaptado para ar-ar, puro “remendo”

          • Acertar dois objetivos em teste so mostra que funciona, mas e os parâmetros do teste e seus limites…
            Colega por que vc não coloca? De preferencia um link norte americano. Não tem outra o F-35 é deficitario em combate próximo ou dogfight, quanto mais distante melhor para o F-35, devido a sua furtividade mas baixa manobrabilidade.
            O Gripen também tem IRST frontal para detecção a longa distancia de caças stealth voando em grande altitude. O que o F-35 tem de especifico para detectar baixo RCS ou Stealth a longa distancia em grande altitude?

            “F-35 comes with a chin mounted EOTS. Gripen receive similar functio via an external mounted LPD. In adition Gripen comes with a sky-facing IRST for long range Air-2-Air performance against stealthy high altitude aircraft”

          • Diferente do que a tabela diz o EOTS possui capacidade ar-ar, inclusive já derrubou dois alvos em testes usando apenas o sensor IRST para guiar AMRAAMs sem o uso do radar.

          • Você quem não entendeu, a tabela diz que não tem e coloquei o link provando que tem.

            Agora coloca um link comparando o F-35 em missão de ataque com o Gripen em missão de caça?

          • Colega JPC3 a tabela da SAAB não diz que não tem EOTS, diz que não existe a função IRST AIR-2-AIR Enhanced exclusiva, só a associada IRST AIR-2-AIR, AIR-2-Ground, como eu escrevi antes, foi uma adaptação feita no EOTS que era originalmente IRST AIR-2-GROUND, ou seja não atua dedicado a uma função ar-ar nem a uma função ar-terra, isso provoca menor eficiencia do sistema.

    • Não deixa deseja em sensores, fusão de dados, armas e alcance. Na verdade, a preocupação dos russos com as capacidades do caça é até maior do que com a furtividade.

      • Os F-35 italianos da AMI, em mais de uma ocasião e no contexto de operações simuladas, voou com Typhoon, Amx, G550 e M346, mas apresentou deficiências no que deveria seu ponto de forte e multiplicador de forças, o software avançado de comunicação de dados (datalink) Madl. De fato, a aeronave não pode usar o mesmo “idioma” das outras aeronave e deve confiar em outros sistemas, como o Link 16 e o ​​Vms (Variable Message Format), um fator que limita sua capacidade exclusiva de executar o papel de “junção” e multiplicador de informações coletadas no campo de batalha.

    • O F-35 não deixa a desejar em nada.
      E a grandeza e a elevadíssima qualidade do F-35 não vem só da furtividade.

      Vem sim da furtividade junto com:
      Performance pura e bruta combinando o melhor do F-16 (aceleração brutal, quase igual à de um F-16C Block 50 LIMPO; excelente manobrabilidade com bastantes Gs, a grandes velocidades) e o melhor do F/A-18 (excelente manobrabilidade no voo de baixas velocidades e elevados AoA; elevadas “pitch rates”; muito boas curvas instantaneas)…

      +

      O melhor pacote de sensores e avionica alguma vez criado e instalado num caça, e a melhor de fusão de informação/dados já vista:
      -melhor radar que o AN/APG-81 AESA do F-35 só mesmo o AN/APG-77v1 AESA do F-22;
      -melhor suite EW que o AN/ASQ-239 Barracuda do F-35 não existe (sendo que com base em toda a informação hoje disponível, os únicos outros sistemas que estão a um nível igual ou próximo são o AN/ALR-94 do F-22, o AN/ALQ-239 DEWS do F-15SA/QA, o SPECTRA do Rafale, a suite AN/ALR-67(V)3+AN/ALQ-214 IDECM do F/A-18 Super Hornet. E parece que também, num futuro próximo, a suite Arexis do Gripen E/F);
      -AN/AAQ-40 EOTS + AN/AAQ-37 EODAS. Nenhum outro caça tem algo equivalente: O AN/AAQ-40 EOTS é um IRST+FLIR interno. O AN/AAQ-37 EODAS é MAWS, é IRST com cobertura 360 graus, é sistema de apoio à navegação, etc…;
      -combinação AN/AAQ-37 EODAS + Gen III HMDS… [Seja dia ou NOITE] manobrar para quê?! rsrs

      etc
      etc

      Tenho que continuar? 😀

    • Fala isso para Israel, que adora “transitar” pelas capitais dos países daquela região. Estes países só descobrem a incursão clandestina depois que vem a própria capital fotografada com um F-35 israelense no foco.

    • Um grande diferencial do F35 é o DAS que segundo um vídeo da fabricante é melhor que seu próprio radar.
      Acho que seria muito bom para o gripen e nem precisa do capacete caro para ver através da fuselagem pois só de ter visão de longo alcance quase 360 graus ( o quadrante traseiro é coberto por outro f35 que voe ao lado ) e sem denunciar sua posição já é maravilhoso.
      Não a toa os europeus já estão desenvolvendo o EURODASS que acredito que tenha essa função e também acho que se deveria aproveitar que o NG está entrando em produção e já deixar previsão para uma futura instalação do eurodass ou algo parecido.

      • minha mãe dizia que eu sou lindo, mais lindo que Tom Cruise e Brad Pitt juntos… Será que vocês concordam?

        Outro problema do F-35 é o software Alis- Autonomic Logistic Information System – o software que gerencia, entre outras coisas, todas as informações coletadas pelo F-35 durante uma missão e é a base do gerenciamento altamente informatizado do sistema de suporte logístico da aeronave.

        Um dos dos problemas é que todos os “usuários” estão conectados através da Alis ao central em Fort Worth (Texas), onde são coletados os dados pelos F-35 . Isso implica um claro problema de segurança, pois uma nação, como a Itália, por exemplo, precisa manter em segredo certas informações coletadas para segurança nacional.
        Além desse pequenino problema de quebra da soberania / autonomia do usuário, o sistema é cheios de falhas e não cumpre minimamente o que a Lockheed propagandeia, muito pelo contrário
        Soluções alternativas e manuais são frequentemente necessárias para concluir tarefas que deveriam sere automatizadas.
        The Air Force Secretary said :

        “I can guarantee that no Air Force maintainer will ever name their daughter, Alice,” Heather Wilson said during her keynote. Wilson characterized ALIS — short for Autonomic Logistics Information System — as “a proprietary system so frustrating to use, maintainers said they were wasting 10-15 hours a week fighting with it … and looking for ways to bypass it to try to make F-35s mission capable.”

    • A questão é que um drone do tamanho de um caça com as capacidades de um caça vai custar realmente caro, não se sabe quantos eles poderão comprar.

  5. Olha, não há um consenso se o F35 tem a capacidade de ser tudo aquilo que se espera dele. Mas pela falta de um concorrente, não há dúvidas de que está se tornando um grande sucesso comercial.

    • Imagina qdo começa as próximas versões, estou curioso qdo Israel começa fazer suas atualizações no seus F35…Os EUA ainda estão uns 20 anos na frente em materia de tecnologia de aeronave, quando os caças de 5 geração da Russia e da China estiverem totalmente operacionais, os EUa já estara lançando o da 6 geração..

        • Isso me faz acreditar que a Suécia confia muito mesmo nas capacidades do Gripen E, afinal, mesmo não sendo um caça de 5 geração, seria ele o principal responsável por segurar ou tentar segurar as pontas com o SU-57 no caso de um conflito no futuro próximo.

  6. O Brasilsilsil comprou 36 gripens por US$ 5,4 bilhões com a suposta transferência de tecnologia. A Polônia agora leva 32 F-35, top de linha, com escala por anos a fio, por US$ 6,5 bilhões. Quem fez bom negócio aqui ein?

    • Halley,

      A transferência de tecnologia não é “suposta”, ela está acontecendo, e já faz alguns anos, pois pudemos constatar isso em várias matérias feitas junto às empresas e profissionais envolvidos. E boa parte dessa transferência foi pensada para gerar vantagens na manutenção e operação local do caça ao longo de sua vida útil, entre outros aspectos, que não apenas o desenvolvimento e a produção do lote comprado.

      Tem um monte de matérias aqui no site detalhando isso. Se a absorção de tecnologia vai atingir todos os objetivos planejados eu não sei, mas que está acontecendo, está.

    • O que pega nem é tanto o custo de aquisição mas o de hora vôo $8000 contra $25000 e 32 na polônia cobre bem mas para o Brasil seria pouco e também não acho que seja necessário uma frota 100% 5G pros EUA por exemplo 80%5G completando com o F15 atualizado ficaria show e Brasil uns 108 gripens mais uns 35 5G ( f35 , tempest ou outro )acho que ficaria muito bom.
      Pro CHILE acho que 60% gripen ng treinamento e patrulha e 40% F35A poder dissuasório ficaria show.

      • Angelo, só um adendo:

        Mesmo a Polônia não terá uma frota 100% de 5ª geração.

        Pelo que sei os Poloneses têm 6 esquadrões de caça no total, atualmente equipados com F-16 (praticamente novos, com mais de 2/3 da vida útil pela frente), MiG-29 e Su-22 (velhos, parte destes últimos passaram por uma revitalização nesta década).

        Esses 32 F-35 são o suficiente para reequipar dois esquadrões (não sei se serão os dois equipados com MiG-29 ou se entrará na conta a unidade que voa o Su-22) com 16 aviões cada um.

        Eles já têm 48 F-16 divididos em três esquadrões.

        Assim, restará um esquadrão para reequipar depois, caso não seja desativado.

    • Entendo onde o senhor quer chegar e concordo, eu acredito que um F-35 bem utilizado tem vantagem em superioridade aérea e depois o resto é consequência, claro que existem muitos contextos e nem tenho por objetivo discutir todos. E sincero, essa transferência de tecnologia não me comove tanto, a longo prazo não fizemos um bom negócio não minha opinião!

    • Sera que a gente conseguiria manter voando? Rafale e Hornet com horas bem mais baratas que o F35 foram descartados em grande parte pelo custo de manutenção e operação. Temos que pensar num ciclo de vida de 30 anos e nos seus custos. Dá uma enorme diferença. Fora isso a imprevisibilidade e cortes orçamentarios frequentes. Ademais nada impede que depois de um segundo lote de gripens se adquira uma pequena quantidade de F35 ou outro de 5 geracão pra ser a ponta da lança.
      Julgarmos o negocio com dados poucos e sem detalhes comparados com outros de que igualmente não sabemos detalhes pode levar a conclusões equivocadas.

  7. https://defensemaven.io/warriormaven/air/f-35-air-to-air-missiles-hit-2-drones-at-once-in-test-fighter-enters-new-era-PSLRTbMkUEmlfzUEtD15sQ/

    “””An F-35 pilot fired two Advanced Medium-Range Air-to-Air Missiles at maneuvering drones in the air, bringing synchronized attack to a new level for the aircraft, using an integrated targeting sensor, called the Electro-Optical Targeting System (EOTS).

    “Two AMRAAMs had multiple targets – to shoot two airborne targets simultaneously. It was a complex set up that happened over the Pacific. They were shooting at drones,” Lt. Col. Tucker Hamilton, F-35 Test Director, Edwards AFB, told reporters””

  8. O problema não é a aquisição e sim toda a infraestrutura que irá envolver a operação de uma aeronave avançada como essa,será que os poloneses terão dinheiro
    para isso?

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here