Home Aviação de Caça Como o caça Gripen se sai contra o F-15, F-16, F-18, F-22,...

Como o caça Gripen se sai contra o F-15, F-16, F-18, F-22, Rafale e Eurofighter?

52439
252
Exercício Tiger Meet 2013: Gripen, Rafales, Typhoon e Tornado. Foto via Força Aérea Francesa

Por Stefan Englund – ex-tenente de engenharia da Força Aérea Sueca (1986-1991)

Falando apenas sobre as versões operacionais, o Gripen não tem problemas em enfrentar qualquer um dos caças americanos F-18, F-16 ou F-15, sendo o F-22 o único caça americano operacional que pode dar ao Gripen algum problema substancial. Como o Gripen se posiciona contra os caças europeus?

Desconfio que caças como Typhoon e Rafale, dependendo do papel de um e de outro, tenham alguma vantagem, mas devem ser bastante semelhantes em geral. Olhando para os caças contra o Gripen, um a um, começando pelos americanos, os resultados de exercícios internacionais mostram uma imagem bastante clara. Abaixo, não abordarei o F-35 ou o Gripen E, uma vez que não estão operacionais e, portanto, qualquer comparação é pura especulação.

Contra o F-16, que mais se encontrou com o Gripen em exercícios, muitas vezes durante o Red Flag, mas também na Noruega, Tailândia e exercícios europeus. Mesmo com pilotos muito inexperientes do Gripen, com poucas horas de voo, o Gripen tem vantagem. O Gripen no Red Flag Alaska 2006 mostrou o quão superior ele pode ser, mesmo com o mínimo de apoio, com poucas pessoas e longe de casa. Os pilotos de Gripen ainda não tinham treinado com a sonda de reabastecimento aéreo (eram os primeiros Gripen C/D entregues), por isso foi uma grande aventura ir da Suécia ao Alasca e permanecer operacional em um nível muito elevado.

Gripen no Red Flag Alaska, em 2006

O Red Flag 2006 foi a estreia da Suécia com o Gripen nesse tipo de exercício. Com um apoio aéreo e por radar reduzido, o Gripens conectaram seus sistemas de data-links e agiram como um mini-AWACs, tendo a consciência do campo de batalha que, em alguns aspectos, era melhor que o oponente. Sem grande esforço evitando toda a defesa do solo, marcaram 10 kills no primeiro dia, incluindo um Typhoon. Sem perdas e eles permaneceram sem serem detectados, a suíte EW (Electronic Warfare) mostrou-se muito difícil de penetrar.

Um piloto do Gripen derrubou cinco F-16 Block 50+ durante combate aéreo no Red Flag Alaska. E os Gripens nunca perderam nenhum encontro aéreo ou falharam em seus objetivos de missão. Foi o único caça que realizou a maioria das surtidas planejadas, enquanto outros ficaram no chão esperando a meteorologia melhorar. A avaliação foi de que a capacidade dos Gripens precisava ser reavaliada. O Gripen pode ser favorecido com kill rate de até 15:1 contra o F-16. E com nenhum desrespeito aos outros pilotos de caça: com os papéis trocados, eles teriam a mesma pontuação.

Durante um exercício de combate com a Força Aérea Real Norueguesa, 3 Gripens suecos enfrentaram 5 caças F-16 da RNAF. O resultado foi 5-0, 5-0, 5-1 depois de terem voado 3 surtidas.

Gripen sueco, F-16 norueguês e F-18 finlandês

O F-16 tem um TWR (Thrust-to-weight Ratio – Razão empuxo-peso) mais alta que o Gripen, mas é preciso considerar o arrasto e a carga alar também. O Gripen tem um arrasto muito menor. E carga alar muito mais baixa. Ele pode atingir velocidades supersônicas em empuxo seco enquanto carrega um armamento completo de quatro AMRAAMs, dois Sidewinders e um tanque de combustível externo. Mesmo que o Gripen não tenha a TWR do F-16, ele pode quase igualá-lo na taxa de subida graças ao arrasto menor.

A diferença no papel pode não parecer muita coisa, mas, olhando para a eficácia do campo de batalha, é um mundo à parte. O Gripen é um caça moderno, de projeto mais recente que o F-16.

Exercícios com o F-18 não são tão comuns, mas ocorrem com mais frequência durante operações com a Força Aérea Finlandesa. Em BVR nem o F-16 e o F-18 chega perto, mas parece que o F-18 em um merge se sai muito bem em grandes altitudes, mas isso muda com a altitude decrescente e abaixo de 2.000 metros não é páreo para o Gripen. Não tenho pontuações, mas suspeito que o Gripen tenha pontuado um pouco menos contra o F-18 do que contra o F-16, dependendo da altitude, mas não com muito.

Gripen sueco e F-18 finlandês no Artic Challenge 2013 – foto Força Aérea Sueca

O avião que parece capaz de manter distância é o F-15. Os F-15 também têm a vantagem de poder desengajar se a situação for desfavorável.

O único encontro entre F-15 e Gripen que eu conheço foi durante o exercício Loyal Arrow na Suécia, no qual 3 caças F-15C da USAF foram interceptados por um único Gripen agindo como agressor. O resultado foi o abate de dois F-15 e um conseguiu escapar devido usando sua melhor razão empuxo-peso. Para a defesa dos F-15, eles estavam no quintal dos Gripens. O F-15 pode ficar de fora de um combate com um Gripen, mantendo-o à distância, usando BVR se eles puderem detectá-lo e evitando os Meteors do Gripen, mas não é uma estratégia sábia engajar.

O F-22 é o único caça que tem vantagem sobre o Gripen. Em relação a outros caças, o Gripen tem uma das pontuações mais altas contra o Raptor. Em comparação com o Typhoon, a diferença não é grande, mas o Raptor ainda está em vantagem. Por sua idade, o F-22 é um avião mais do que impressionante em muitos aspectos. O que afeta o Raptor negativamente nesse contexto é a idade do avião e a necessidade de atualização do conjunto de sensores para mantê-lo superior na arena de superioridade aérea.

Exercício Pitch Black 2014: Hornet, Super Hornet, Mirage 2000-9, Gripen, F-15 e F-16
F-22 Raptor

O F-22 é, no meu ponto de vista, o único avião que tem um potencial de atualização superior se ele fosse objeto de uma atualização equivalente ao Gripen E. Significando fuselagem semelhante, mas nova, interior e arquitetura completamente novos, suíte de sensores e aviônicos.

Observando a arquitetura usada no Gripen E, um custo de atualização do Raptor “NG” seria menor do que qualquer um pode imaginar e se tornaria um caça em potencial da 6ª Geração a um custo relativamente baixo. Provavelmente se tornaria mais ou menos intocável, que não é o caso do já existente. Não entenda mal, o F-22 é superior ou, como um piloto do Gripen disse no Red Flag 2013, “o F-22 funciona como anunciado”. Apenas é triste ver que o número desses aviões é limitado.

Contra o Rafale e o Typhoon, não tenho registros, mas o que sei é que os pilotos dos caças Typhoon chamavam o Gripen de “bucha de canhão” na chegada ao Red Flag Alaska, mas mudaram de ideia muito rapidamente e ficaram muito mais humildes depois de alguns combates.

Caça Saab Gripen C armado com mísseis Meteor e AMRAAM

Não há caças operacionais superiores ao Gripen, exceto o F-22. Mas o Gripen tem limites, é um avião pequeno e com isso possui radar menor, leva menos carga e combustível. Mas o baixo custo de voo, manutenção, acessibilidade e retorno superiores compensam muito isso.

O Gripen está entre os caças mais subestimados que voam hoje. Durante a campanha da Líbia foi usado inicialmente como recurso tático, mas logo depois foi atualizado como um recurso estratégico. Também na Líbia, nenhuma missão foi cancelada devido a problemas técnicos no Gripen. E não, ele não é invencível, apenas subestimado.

Então, acima, quando falo do Gripen, não apenas quero dizer o avião, mas como ele é conectado em rede, a fusão exclusiva de sensores que lhe confere uma consciência situacional superior no campo de batalha, flexibilidade, acessibilidade e outras habilidades. E ainda estou falando do Gripen C/D, única versão operacional. Não há caça, exceto o F-22, hoje operacional que seja superior ao Gripen em rede. E todos os que voaram contra ele sabem disso.

COMENTÁRIOS DA USAF SOBRE O DESEMPENHO DO GRIPEN NO RED FLAG ALASKA 2006

COMENTÁRIO DA OTAN SOBRE O DESEMPENHO DO GRIPEN NA OPERAÇÃO UNIFIED PROTECTOR 2011 NA LÍBIA

AVISO DO AUTOR: O texto acima pode parecer enviesado, mas é baseado em registros públicos, relatórios públicos (relatórios de testes, registros financeiros e políticos tornados públicos, etc.) e conversas de fórum. Informações que qualquer pessoa pode obter com algum esforço.

FONTE: Quora.com / Tradução e adaptação do Poder Aéreo

Subscribe
Notify of
guest
252 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Kommander
1 ano atrás

Eu olho pro F-22 e me dá vontade de assistir Transformers. Quem lembra do StarsCream? K K K

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  Kommander
1 ano atrás

2.

Régis Athayde
Régis Athayde
Reply to  Saldanha da Gama
1 ano atrás

3… se bem que o StarsCream era um F-15, eu acho.

Junior Marchi
Junior Marchi
Reply to  Régis Athayde
1 ano atrás

Régis, ele era um F-22 mesmo, inclusive em uma cena ele se infiltra entre uma formação de F-22 da USAF e abate alguns.

Delfim
Delfim
Reply to  Junior Marchi
1 ano atrás

Depende se é o desenho clássico ou o filme.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Junior Marchi
1 ano atrás

No desenho ele era um F15 e no filme do Bumblebee um F4

Régis Athayde
Régis Athayde
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
1 ano atrás

De fato, depende da versão. Na mais atual, Transformers Cyberverse, ele é um F-22

Kommander
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
1 ano atrás

Bom, pelo menos no Transformers do Michael Bay ele era um F-22.

Peter nine nine
Peter nine nine
1 ano atrás

Sure… 😅👏

E. Maurício
E. Maurício
1 ano atrás

Se o modelo C e D é tão bom assim, imagina o Gripen E.
Vai ser show vermos essa máquina magnífica aqui nos céus do nosso Brasil.
Bom dia e abraço a todos.

Chris
Chris
Reply to  E. Maurício
1 ano atrás

Eu acho que ser pequeno, certamente tem suas vantagens em agilidade.

O cara, sueco, é suspeito pra falar… Há muitos poréns aí, como muitos desses aviões citados, serem versões bem antigas ! Mas mesmo que ele seja metade disso… Acho que já é páreo pra qquer um desses (Menos o F-22. heheh).

Particularmente, acho que estamos muito bem servidos… Meu medo maior, é se esses caças irão realmente chegar !

Davi
Davi
Reply to  E. Maurício
1 ano atrás

Qual a diferença entre o modelo C, D, E e NG?

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Davi
1 ano atrás

Davi, A sequência de letras diz a ordem das versões, da mais antiga à mais recente. O primeiro caça Gripen, que entrou em serviço em meados dos anos 90, foi a versão A, de um lugar. A variante B, de dois lugares, veio logo depois. Cerca de dez anos depois entrou em operação a versão C de um lugar, aprimorada, seguida de sua variante de dois lugares, a D. E hoje estão iniciando as entregas do modelo E, que é o monoposto mais avançado, e em alguns anos começarão as entregas da variante de dois lugares, E. NG é só… Read more »

Davi
Davi
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
1 ano atrás

Obrigado

Amauri
Amauri
1 ano atrás

Comparar com os outros tudo bem. Mas a versão C/D chegar perto do Raptor… não sei não.

Gabriel
Gabriel
Reply to  Amauri
1 ano atrás

A comparação é válida, assim como a conclusão “Não há caças operacionais superiores ao Gripen, exceto o F-22”.

Andrigo
Andrigo
1 ano atrás

O autor foi cirúrgico quando falou que o Gripen não é invencível, é apenas subestimado!

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Andrigo
1 ano atrás

Lembro de um caça ridiculamente pequeno, indo na contramão da ‘evolução dos caças’ que decolou pela primeira vez em 1974, também foi muito subestimado, mas o custo de operação parecia convidativo, algo como um F-5 só que melhorado e acabou sendo adotado em massa pelos países da OTAN.

Tal de ‘F-16.’

Carlos Gallani
Carlos Gallani
1 ano atrás

Desculpa mas menos, por favor, MENOS!

Lucianno
Lucianno
Reply to  Carlos Gallani
1 ano atrás

Texto muito enviesado, escrito pela parte interessada, os suecos, que querem vender o seu produto.

Mateus Lobo
Mateus Lobo
Reply to  Lucianno
1 ano atrás

Os registros são públicos, se acha errado a informação, ponha dados contrários obtidos em exercícios.

Francisco Herês
Francisco Herês
Reply to  Mateus Lobo
1 ano atrás

Eu desconfio desses resultados sim, só acredito quando colocarem os links oficiais de onde foram tirados os resultados. 5-0, 5-0 e 5-1 contra F-16 só se os pilotos dos F-16 eram crianças, ou se o exercício foi em curtíssima distância sem apoio para os F-16, mesmo assim não acredito. E o cara só fala em 2006, isso tem 13 anos, e os outros anos?

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Francisco Herês
1 ano atrás

Francisco, não precisa duvidar, só analisar um pouco melhor os caças que combateram os Gripens.
A Noruega adquiriu seus F-16 A e B entre 1980 e 1984.
Não são da versão C/D, são A/B mais antigos.
Os Gripens são da versão C e foram construídos já nos anos 2000.
É natural que possuam vantagens tecnológicas para caças fabricados na década de 80, mesmo que estes possuam modernizações.

Tico
Reply to  Luís Henrique
1 ano atrás

“Um piloto do Gripen derrubou cinco F-16 Block 50+ durante combate aéreo no Red Flag Alaska.”

Caro Luís Henrique, como essa parte do texto diz, o F-16 block 50+ não são equivalentes aos gripens C/Ds?

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Tico
1 ano atrás

Sim Tico, são equivalentes. Ocorre que quando ele fala em kill ratio de 15:1 Ele se referia ao exercício com os F-16 noruegueses, e estes são da versão A/B, mais antigos.

rui mendesmendes
rui mendesmendes
Reply to  Luís Henrique
1 ano atrás

Mais antigos, só a célula, porque o resto é MLU M5, equivalente aos block 50. Igual nos f16, Portugueses, Dinamarqueses, Holandeses, Belgas e os da Usaf, estacionados na Europa.

rui mendesmendes
rui mendesmendes
Reply to  Luís Henrique
1 ano atrás

Versão A e B, mas com mlu(mid life updated)M5, que são equivalentes aos block 50.

Lucianno
Lucianno
Reply to  Mateus Lobo
1 ano atrás

Apesar da opinião do autor, o texto é enviesado, basicamente uma propaganda do gripen. Os suecos tem um bom produto e estão certos em tentar vender a “ave” deles, os concorrentes o fazem da mesma maneira. Aliás pelo menos 80% dos textos disponíveis são enviesadas (para todos os lados), inclusive os estrangeiros, como leitor procuro distinguir propaganda de fatos reais. Vamos a análise do texto: Rafale: não deveria estar citado no título pois não tem nenhuma comparação no texto. Typhoon:”…os pilotos dos Typhoon… mais humildes…” A RAF confirmou? Caso contrário é mera especulação. O texto fala em equilíbrio mas não… Read more »

Mauricio R.
Reply to  Lucianno
1 ano atrás

Os pilotos de Typhoon da RAF consideram o avião pouco manobrável, carente de boa aceleração, mas se esconde muito bem atrás de sua suíte de guerra eletrônica e qndo menos se espera aparece colada, muito próxima.
Seria então uma espécie de Mig-17 Fresco moderna.

Bosco
Bosco
Reply to  Mateus Lobo
1 ano atrás

O autor tinha que ter disponibilizado o acesso aos tais registros.

Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  Mateus Lobo
1 ano atrás

Fala sério cara, tenha um pouco de ceticismo, um caça barato de um motor botando a força aérea americana pra passar vergonha tem que desconfiar, se sair um documento “público” aqui dizendo que o Gripen é bom para guerra no espaço vai ter gente comemorando!
O Gripen não é ruim, longe de mim afirmar isso, o melhor para o Brasil mas menos por favor, semancol e MUITO MENOS!
O matador de sukhois, matador de f-18… caraca, sobrou até para o F-15!
HAHAHAHAHAHAHAHAHA
Pensa em um caça pica das galáxias!

FAB
FAB
Reply to  Carlos Gallani
1 ano atrás

O caça simplesmente é excelente, essa é a verdade!

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Carlos Gallani
1 ano atrás

Carlos, eu compartilho do seu ceticismo. Acho o Gripen MUITO bom, mas eu realmente não gosto desse tipo de comparativo. Acho importante o autor ter dito que a consciência situacional é o que ganhou essas batalhas, porque qualquer aeronave em cujos pilotos podem escolher quando e onde atacar, geralmente obtém sucesso. Só achei a sua comparação meio ruim. ‘Caça barato de um motor botando a Força Aérea Americana para passar vergonha’ é algo que MiG-17’s e MiG-21’s fizeram durante um bom tempo no Sudeste Asiático hehehehe Tamanho não é documento quando se opera com apoio operacional decente ou simplesmente dentro… Read more »

Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  Leandro Costa
1 ano atrás

Claro que dependendo de doutrina, AWACS, dentre outros fatores, tudo pode acontecer mas eu te entendi e vc me entendeu! hahahahahahah

Julio
Julio
Reply to  Carlos Gallani
1 ano atrás

Tá desculpado.

Aurio
Aurio
1 ano atrás

Aquela peça atrás do “volante” ainda faz muita diferença… Com a versão E do gripen então hein..

GFC_RJ
GFC_RJ
1 ano atrás

Já tem esse killing ratio aí com aviões ocidentais…
Imagina contra Sukhois?! Vai ser um chocolate!

Antis pirando em 5… 4… 3…

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  GFC_RJ
1 ano atrás

E por milagre, vc ainda não tomou nenhum “deslike” kkkk abraços

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  GFC_RJ
1 ano atrás

Em um exercício contra os chineses na Tailândia em foi uma surra tanto nos J11 ( versão chinesa do SU27 ) quanto nos SU27 chineses, os Gripens se mostraram superior, pode-se dar um desconto que as versões tanto dos J11 quanto dos SU27 que foram para o exercício eram as primeiras versões e que as versões atuais são mais potentes, mas o mesmo também vale para a versão M20 do C/D!

Felipe
Felipe
Reply to  Fabio Araujo
1 ano atrás

os embates foram apenas contra os J11 de primeira versão, que não levam nenhum míssil russo por exemplo, como R-73 ou R-77.

Bosco
Bosco
1 ano atrás

Eu acho muito pouco técnico o comentário do ex-piloto e meio contraditório. “Mas o Gripen tem limites, é um avião pequeno e com isso possui radar menor, leva menos carga e combustível. Mas o baixo custo de voo, manutenção, acessibilidade e retorno superiores compensam muito isso.” Depois de elogiar a capacidade combatente do caça ele vem com essa que de certa forma desdiz tudo o que ele disse. Ora, se o Gripen venceu todo mundo não é o “baixo custo de voo ou a facilidade de manutenção” que o torna superior e sim sua capacidade de combate que envolve os… Read more »

Mateus Lobo
Mateus Lobo
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Bosco ele não contradiz o que disse, só evidenciou fatos sobre a versão C/D.

Francisco Herês
Francisco Herês
Reply to  Mateus Lobo
1 ano atrás

Bosco tem toda razão, ele elogia sobremaneira o Gripen, pra depois dizer que tem limitações, é uma falácia fácil de perceber, se o Gripen é tão bom e teve tantos kills sobre aviões maiores e mais caros ele deveria ser melhor, mas o cara recua e diz que mesmo ganhando de todos não é o rei da cocada preta, completamente estapafúdio!

Andre Luis Soares Monteiro
Andre Luis Soares Monteiro
Reply to  Francisco Herês
1 ano atrás

Por que menosprezar o Gripen? Não entendi.

Observador.
Observador.
Reply to  Andre Luis Soares Monteiro
1 ano atrás

A questão é que o relato é de um piloto, e não de um vendedor. Nem todos tem dons e argumentos para “vender seu peixe”, na verdade para os pilotos é melhor valorizar mais as capacidades humanas. É como um atleta que após a vitória, elogia o adversário e diz que o jogo foi muito difícil.

Bosco
Bosco
Reply to  Mateus Lobo
1 ano atrás

Lobo,
Sem querer ser chato mas “desdizer” não é sinônimo de “contradizer”. rssss

kaleu
kaleu
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Bosco Tem uma característica da cultura suéca que explica isso, tendem a superestimar a engenharia estrangeira e subestimar suas capacidades, lembrando bem um certo País/povo da América do Sul.

Helio Eduardo
Helio Eduardo
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Mestre Bosco, Não percebi tais contradições no texto, entendi como uma tentativa de análise isenta. O autor coloca na balança custo, disponibilidade, aviônicos, sensores, radares, tamanho, autonomia, etc., e atribui a isso as vantagens obtidas nos exercícios. Sua conclusão não é de que o Gripen seja o melhor caça, mas de que é um caça subestimado pelo seu tamanho e, arrisco dizer, deve ter razão. É da natureza humana, creio eu: comparamos quem tem o melhor carro, a melhor moto, o melhor computador… Imagino que, numa rampa de base aérea, em meio a um exercício multinacional, entre pilotos de caça,… Read more »

Gabriel BR
Gabriel BR
1 ano atrás

Quem conhece piloto de caça sabe que se ele tiver um fusca ele vai tentar te dizer por A+B que o fusca dele é tão ou mais possante que uma Ferrari do vizinho… e dai surge a história do “Matador de Sukhois” rsrsrsrsrsrsrs.

Lucianno
Lucianno
Reply to  Gabriel BR
1 ano atrás

Exatamente. O texto é fraco e parcial, somente cita dados numéricos contra os veteranos F-16 e F-15, a comparação com os demais caças é subjetiva, desprovidas de dados concretos.

Mauro
Mauro
Reply to  Gabriel BR
1 ano atrás

Só para registrar: o autor do texto não era piloto.

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
1 ano atrás

E eu sempre desejei que tivéssemos um vetor peso pesado, tipo F18 ou 15, ou rafale ou su 35 e depois desta reportagem não tem como eu os desejar mais, exceto o su35 já que ele não consta nesta reportagem. Cada dia que passa, mas me convenço que a preferência pelo caça sueco foi a mais apropriada. Quando o lulinha paz e amor afirmou que o BRASIL compraria os rafales pulei de alegria, teríamos um dos vetores mais poderosos do mundo, mesmo com custo alto, que seria a rainha do hangar etc, mas infelizmente a declaração se deu após uns… Read more »

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Saldanha da Gama
1 ano atrás

Sure

Salim
Salim
1 ano atrás

Em 1999, deveríamos ter comprado 36 gripen c/d e como clausula contrato ter entrado no projeto com opção de mais 36 e/f. Teríamos gastado muito menos e hj teríamos eles operacionais aqui. O gripen em rede e um osso bem duro roer, tem RCS baixo e suite guerra eletrônica de ponta. A FAB e seus pilotos terá um desafio enorme para extrair todas as vantagens desta maquina de guerra, visto que possuímos pouca experiencia nestas condições. Fazer valer contrato e aprender junto aos suecos/ exercícios internacionais e extrair ao maximo capacidades deste caça.

pampapoker
pampapoker
Reply to  Salim
1 ano atrás

O pessoal gosta de comentar armamento, velocidade, mas esquece da parte eletrônica da aeronave. Isso faz a diferença, sempre li em revista, que a eletrônica do gripen era boa.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Salim
1 ano atrás

Caro Salim. O FX de 1999 previa a aquisição de apenas um esquadrão (12 aeronaves). O F5M nasceu da crise de realidade que a Cruzex provou na FAB operando apenas F5E. Caso a FAB tivesse adquirido um esquadrão de F39C há 20 anos atrás, acredito que teriam sido adquiridos lotes subsequentes dele e os F5 e A1 já teriam sido retirados de serviço. Provavelmente a FAB seria o segundo maior operador de F39 e as discussões estariam focadas em um MLU deles ao invés de desenvolver o F39E.

Salim
Salim
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Camargoer, A Suécia já estava decidida na época a fazer novo caça, faltava parceiro. Assinado contrato 2015 e teremos avião 2023 operacionais. Se lá atrás tivéssemos comprado c/d estaríamos muito melhor que hj e a versão e já estaria voando. Deveríamos comprar mais 36 para fabricação aqui e partir para quinta geração, produzidos aqui. Dormimos 20 anos, agora melhor tirar atraso.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Salim
1 ano atrás

Caro Salim. Meu comentário é apenas um especulação sem qualquer validade. Serviu apenas para elaborar um cenário hipotético mais parecido a uma ficção romanceada. Concordo com sua avaliação que a FAB estaria hoje com vários esquadrões de F39C/D operacionais caso ele tivesse sido escolhido no FX. Ninguém foi. Daqui a pouco a FAB terá alguns esquadrões de F39E/F superiores ao C/D, que voarão por algum tempo junto com o F5M e A1M. Provavelmente alguns F39E/D substituirão com vantagem muitos F5M e A1M. Acho que a FAB deve ficar com uma frota entre 60 e 85 F39E/D que terão um desempenho… Read more »

Mauricio R.
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Infelizmente para nós havia uma Embraer no caminho, querendo entubar o M-2000 na FAB.
Deu no que deu.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

O projeto de modernização do F-5E é bem anterior às CRUZEX.

Mfs
Mfs
1 ano atrás

Este texto com dados factuais serve para calar a boca de muitos haters do Gripen, e olha que o nosso será uma evolução deste.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Mfs
1 ano atrás

Sure

Francisco AMX
Francisco AMX
Reply to  Mfs
1 ano atrás

Para mim é uma peça pontual de marketing… me lembro dos fabricantes de carros: todos tem o melhor da categoria… mas os que vendem bem, ficam na deles… F-16 tá vendendo como pão quente! aliás…pq Taiwan, encontrando tanta dificuldde em comprar e modernizar seus F-16, não comprou o Gripen? pq a India não comprou? pq outros não compraram e comrparm F-16 e Rafales? ah sim, eles não leram esta peça! rsrsrs

Bosco
Bosco
1 ano atrás

Sem querer ser estraga prazeres mas não acredito nesses números apresentados pelo “engenheiro”, independente de ter o Gripen em alta consideração. É sem dúvida um caça espetacular mas acreditar sem analisar os dados oficiais dentro de um contexto a mim não basta para embasar uma opinião.
*Fosse assim de lá pra cá só teria dado Gripen nas transações internacionais e não é isso que vemos.

Mateus Lobo
Mateus Lobo
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Bosco, você sabe que na compra de caças e equipamentos de defesa em geral, o fator político é determinante, a Suécia como um país neutro é eclipsada por por países líderes da OTAN.

Guilherme Poggio
Reply to  Mateus Lobo
1 ano atrás

Na verdade a USAF está olhando sim para ele. Tanto é que está o páreo para ser o futuro caça Aggressor.

Joel Soares
Joel Soares
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Prezado Sr Bosco e a politica?
Abraço!

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Joel Soares
1 ano atrás

Isso é verdade, mas também não é verdade que o Gripen C seja a 5a maravilha tecnológica do mundo moderno. O que ocorreu é que os NOVÍSSIMOS Gripen C/D que estavam saindo do forno, participaram de vários exercícios contra caças que saíram do forno 10, 20 e 30 anos ANTES. E os Gripen se saíram muito bem nestes exercícios, os quais também não sabemos detalhes sobre as regras de engajamento. Se os combates simulados foram BVR ou WVR. Sabemos de antemão que o Gripen é perigosíssimo no combate WVR, extremamente ágil, etc. E neste tipo de combate pode sim vencer… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Bosco
1 ano atrás

vc esqueceu que o Tio Sam tem mais a oferecer que a Suécia, e mais ele falou com o F18, o FA18SH é bem melhor, porém o Gripen ainda supera na parte eletrônica Arexis é melhor que ALQ99

Francisco AMX
Francisco AMX
Reply to  Carlos Campos
1 ano atrás

interessante..”tem mais a oferecer que a Suécia” …vc deveria dizer isso a FAB, pois o mundo todo sabe disso…só a FAB que não.

Munhoz
Munhoz
1 ano atrás

Tudo é valido como propaganda, no entanto o Gripen realmente é mais fácil de operar, principalmente em pistas improvisadas, numa guerra onde possivelmente os recursos poderiam ser diminuídos e a tendencia é de uma improvisação etc, o Gripen pode sim fazer uma grande diferença . No caso do Brasil o que falta é uma frota de combate aeronaval, os caças AMX e Gripen deveriam ser voltados pra esta missão como prioridade ( o mar é a janela de entrada para nosso pais ) a FAB não da muita importância para isto, deveríamos ter uns 20 EMB 190 para patrulha marítima… Read more »

Bosco
Bosco
Reply to  Munhoz
1 ano atrás

Munhoz,
“o Gripen realmente é mais fácil de operar”
Mas o que foi dito é que o Gripen vence 10 vezes em 10 sobre caças como o F-16, Typhoon, F-15, etc. E nem importa quem esteja pilotando, tudo mérito da máquina.

Joel Soares
Joel Soares
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

e otras cositas más classificadas!

Bosco
Bosco
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

Galante, Mas o radar do F15 é igualmente grande e potente. Deveria compensar de algum modo seu RCS gigantesco. Quanto aos mísseis, o Meteor não foi colocado na simulação. As aeronaves no máximo tinham o mesmo míssil Amraam. Quanto à fusão de dados, NWC, data link, nível de consciência situacional ,sei que é dito que a Suécia é especialmente boa nesses quesitos mas não me consta que a da USAF seja ruim. Muito pelo contrário. Sistemas como o JTIDS/link 16 não deixa nada a desejar a qualquer sistema sueco. O que eu acho é que nesses exercícios há regras pré-estabelecidas… Read more »

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Você está certo Bosco. Concordo com você. E temos que analisar que os Gripen C entraram em cena nos anos 2000 e a maioria dos exercícios aqui descritos ocorreram nos anos 2000. Esse com os F-15C em 2009. É natural que o Gripen tenha trazido algumas novidades tecnológicas contra caças que foram produzidos nas décadas de 70, 80 e 90. Ocorre que esses caças foram modernizados, porém alguns deles só o foram Após esses exercícios. Os F-15 C mesmo, o exercício ocorreu em 2009, nesse ano a grande maioria ainda utilizava os radares mecânicos APG-63 e APG-70. Hoje, a maioria… Read more »

Salim
Salim
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Caro Bosco. Levando em conta: E99 aews, alcance meteor e a consciência espacial dos gripens, o gripen e um osso duro ate para f15. Náo e supertrunfo rsss, o gripen E se entregar o que foi vendido será um ótimo vetor contra oponentes de quarta geração. O resto e propaganda, o desafio sera tirar todo potencial do gripen.

Bosco
Bosco
Reply to  Salim
1 ano atrás

Salin,
O que está sendo analisado é o comentário do tal “ex-tenente engenheiro” que leva em consideração o Gripen C com mísseis não especificados e em situações não especificadas.
Ninguém falou aqui de Gripen E com apoio de AEW e com mísseis Meteor.

Bosco
Bosco
Reply to  Bosco
1 ano atrás

A validade prática das observações do ex-tenente engenheiro (1986/1991) a respeito da participação do Gripen em exercícios aéreos é tão válida quanto a da ex-rapariga do cabo corneteiro.

Salim
Salim
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Caro Bosco, foi o que escrevi ” o resto e tudo propaganda” porem levando em conta outras matérias e noticias o gripen c/d náo e fácil de bater, poucas forças aéreas tem vetores superiores. Na pratica somente as guerras de 73 e 76 travadas por Israel servem como parâmetros de desempenho real de caças em guerra.

Alessandro
Alessandro
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Bosco, eu sempre fico nessa dúvida, vc com sua experiência oq vc acha mais vantajoso para um caça? Ter um RCS gigantesco mas com um radar poderoso, ou ter um RCS muito pequeno, mas em contrapartida um radar de menor alcance?

Alessandro
Alessandro
Reply to  Alessandro
1 ano atrás

fiquem a vontade quem quiser entra nessa discussão.

Salim
Salim
Reply to  Alessandro
1 ano atrás

Alessandro, os caças furtivos de quinta geração respondem sua pergunta, veja o f22, náo e pequeno, tem radar potente. Conjuga as duas variáveis compensadas pela furtividade.

Alessandro
Alessandro
Reply to  Salim
1 ano atrás

Salim, esquece por um momento os caças de 5ª geração, vamos focar no Brasil, quero saber oq é mais vantajoso num combate BVR, e estou dando apenas essas duas opções

A- caça porte pesado, radar longo alcance, RCS gigante
B – caça porte leve, radar curto/médio alcance, RCS pequeno

Bosco
Bosco
Reply to  Alessandro
1 ano atrás

Alessandro, Perguntinha complicada. rssss Em tese era pra dar empate já que caças grandes podem ter radares grandes e potentes e caças pequenos têm necessariamente radares menores e de menor alcance. O “problema” é que mesmo que não levemos em consideração os caças de 5ª G (como bem disse o Salim) há outras variáveis mais atuais, tais como o radar AESA (num futuro próximo os radares AESA de GaN). Pra mim o radar AESA veio favorecer mais o caça menor já que ou você é stealth (nível VLO) ou você será pego pelo radar. Seja como for, fato é que… Read more »

Bosco
Bosco
Reply to  Bosco
1 ano atrás

A opção da FAB pelo Gripen NG levando em consideração a relação assinatura radar x capacidade do radar foi muito feliz. Mas é digno de nota que todos os concorrentes (Rafale e Super Hornet) tinham RCS semelhante.
Não há o que se falar que o RCS do Gripen NG é muito menor do que o RCS da “concorrência”.

Alessandro
Alessandro
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Valeu Bosco

Salim
Salim
Reply to  Alessandro
1 ano atrás

Caro Alessandro, desculpe te retrucar, focando situação Brasil, a solução de caças quarta geração só atende a supremacia na America do sul atual, lembro que paises da OTAN, Rússia, China, Israel, Japão, Coréia sul, já foram para quinta geração pois atualmente da uma vantagem bem grande em relação quarta geração. O Brasil tem que ir neste caminho para garantir soberania. Divergi da sua pergunta poi acredito na capacidade do gripen frente a caças quarta geração, porem e imprescindível maior quantidade, pois só 36 náo e suficiente.

Munhoz
Munhoz
Reply to  Alessandro
1 ano atrás

Na verdade não se trata só de RCS e tamanho do radar, são varios fatores neste jogo, podemos citar a relação peso potência com o caça carregado, alcance, capacidade de aceleração principalmente em maior altitude por exemplo para justificar um caça bimotor . Mas em essência o Gripen é um sistema projetado para um país fraco resistir a um país forte, Rússia x Suécia em si, aí envolve principalmente a capacidade de dispersão e improviso. Não é o caso de França e Inglaterra por exemplo, estes tem uma necessidade do bimotor como o Rafale por exemplo, para enfrentar os bimotores… Read more »

Bosco
Bosco
Reply to  Munhoz
1 ano atrás

Essa é a clássica pergunta que as artes marciais tentam responder: como uma pessoa pequena e fraca pode se defender de um agressor grande e forte?
Resposta das artes marciais: pela técnica e pelo condicionamento físico.

No caso da Suécia x Rússia a “técnica” diz respeito a reduzir a assinatura radar, o que implica num caça de pequenas dimensões (sem usar a tecnologia stealth) e usar táticas de aproximação de baixa altitude usando o relevo acidentado a seu favor a tal ponto que o inimigo não irá vê-lo chegar.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

Galante, o autor do texto se referiu ao F-15 C que é bem mais antigo que o Gripen C. Também disse que o F-15 poderia desengajar se a situação não fosse favorável. E incluiu o Meteor como o game changer a favor do Gripen, ocorre que somente agora que o Gripen C está ficando operacional com o Meteor, e esse exercício Loyal Arrow que segundo ele o Gripen abateu 2 F-15C, ocorreu em 2009. Lá, os F-15C provavelmente ainda estavam com seus radares APG-63 ou APG-70 Mecânicos. E não sabemos as regras de engajamento, se foi um combate BVR ou… Read more »

Brummbär
Reply to  Luís Henrique
1 ano atrás

APG-63 V2 / V3 / V4 AESA (F-15C / E / SG) Para RCS 0.0001 m2 alvo da classe: 14 ~ 19 km + Para RCS 0.001 m2 alvo da classe: 25 ~ 33 km + Para RCS 0,1 m2 alvo da classe: 81 ~ 104 km + Para RCS 1,0 m2 alvo da classe: 144 ~ 185 km + Para RCS 5,0 m2 alvo da classe: 215 ~ 278 km + Para RCS 10,0 m2 alvo da classe: 255 ~ 330 km + APG-63 (F-15C) Para RCS 0.0001 m2 alvo da classe: 9 km + Para RCS 0,001 m2… Read more »

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

Essa imagem mostra dados de 2014, não condiz com a realidade de 2019. em 2014 os F-15C/D da USAF já estavam com o novo AN/APG-63(V)3 que usa tecnologia do AN/APG-79 ambos tem o desempenho semelhante e detectam alvos com o RCS de 1m2 a cerca de 150km de distancia (provável RCS do Gripen carregado) dito isso, nem Gripen nem F-15 Vão disparar AIM-120D e Meteor no seu alcance máximo. A Imagem também não esclarece se esse alcance de busca do radar do gripen é com ele sendo vetorizado (e com feixe de busca estreito) ou com ele usando o feixe… Read more »

Augusto L
Augusto L
Reply to  Victor Filipe
1 ano atrás

Os AN/APG-79 e 63v3 detectam muito acima de 150 km.
Os dados são para 200km de detecção em modo normal para um RCS d 5m2.
150km de alcance é a versão V1 do APG-63 que é mecânica.
Quanto ao MK-3 ele detecta um alvo de 5m2 a 120-130km, o MK4 só introduziu novos modos de busca, que se usados aumentam o alcance mas isso tem um trade off no meio.

Salim
Salim
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

Caro Galante, exato, bem vetorados e sendo mais de um caça, o RCS elevado e a maior assinatura térmica dos motores do f15 são uma desvantagem razoável.

Salim
Salim
Reply to  Salim
1 ano atrás

Lembrando também que este maior RCS e assinatura térmica favorece a uma maior taxa acerto dos misseis disparados.

carcara_br
carcara_br
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

Onde eu acho explicações mais detalhadas deste gráfico?

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

Galante, você considerou a RCS do Gripen como 0,1 m2 e o PS-05 com o dobro do alcance do apresentado no post do Brummbar.
Como o exercício ocorreu em 2009 o PS-05 Não estava com essa capacidade evoluída, portanto para um alvo de 10 m2 (F-15C) o Gripen C detectaria entre 85 e 100 km.
Vamos colocar 1 m2 para a RCS do Gripen C. Já que 0,1 é
exagerado considerando o Gripen armado.
Portanto o F-15C em 2009, com radar mecânico APG-63 detectaria o Gripen C a 90 km +.
Daria quase um empate.

carcara_br
carcara_br
Reply to  Luís Henrique
1 ano atrás

Concordo, com a análise acho que essa diferença de RCS não o fator mais significativo.
A propósito dei uma resposta a respeito das fontes na matéria.
MiG-35 da Força Aérea Russa ganha novo display panorâmico

Bosco
Bosco
Reply to  Brummbär
1 ano atrás

Levando em consideração RCS do Gripen armado como sendo de 1 m² (é maior) e do F-15C armado como sendo de 10 m² (é maior) : – F-15 sem AESA detecta Gripen a 90 km Gripen sem AESA detecta F-15 a 85/100 km Empate – F-15 sem AESA detecta Gripen a 90 km Gripen com AESA detecta F-15 a 178/195 km Gripen vence com ampla margem – F-15 com AESA detecta Gripen a 144/185 km Gripen sem AESA detecta F-15 a 85/100 km F-15 vence com ampla margem – F-15 com AESA detecta Gripen a 144/185 km Gripen com AESA… Read more »

Augusto L
Augusto L
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Acho que não ein Bosco, em 2005, os Eagles ja operavam o radar APG-63v1 com 150km de alcance para 5m2 de RCS. Os Gripens na versão C/D utilizam o MK-3 ou Mk-4, que tem basicamente o mesmo alcance de 120-130km para um alvo de 5m2, com o MK-4 tendo modos de busca restritas que pode aumentar o alcance. Agora tanto o Gripen quanto o F-15 com seus radares AESA detectariam um caça de 5m2 a 180-200 km respectivamente, ou seja, é meio que um empate com os de varredura mecânica e uma leve vantagem pro Gripen nos de AESA, ja… Read more »

Bosco
Bosco
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

Augusto,
Mas eu me baseei na informação crua trazida pelo Brummbar.
Não quer dizer que eu acredite. rsssss

Super Tucano
Super Tucano
Reply to  Bosco
1 ano atrás

AESA favoreceu o caça pequeno!

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Bosco, apenas um detalhe: 1) não da para concluir que ambos com AESA o Gripen vence por pouco porque os dados sobre alcance de detecção dos radares divulgados pelo colega estão entre 2 números. Se o do Gripen vir 178 e o do F-15 for 185, aí é o F-15 C que vence por pouco. 2) essa RCS se refere ao F-15 C fabricado na década de 80. Um F-15 S, QA e o X ainda que não sejam furtivos, devem possuir uma RCS bem menor. Baseado em um infográfico que diz que o F-15 X seria detectado pelo radar… Read more »

Munhoz
Munhoz
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Sempre quando ocorre um exercício onde um determinado caça supostamente se sai melhor, eles aproveitam na propaganda.

Com o Su 30 indiano, com os F 5 BR, com o F 35 etc etc

Mas na verdade quem sabe em detalhes o que realmente aconteceu ou poderia ter acontecido esta trabalhando na área 51, e não é o nosso caso.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
1 ano atrás

O melhor de tudo é contradizer o piloto por quem não é piloto.

Bosco
Bosco
Reply to  Nilton L Junior
1 ano atrás

Nilton,
Primeiro: o cara é engenheiro
Segundo: o fato de alguém ser piloto não o faz Deus. Um piloto não pilotou todos os caças do mundo contra todas os caças do mundo e contra todas as defesas antiaéreas do mundo, então, sem contextualizar suas observações elas são passíveis de serem analisadas e criticadas , contestadas ou confirmadas por qualquer um , inclusive por mim que sou da área de saúde e nunca pilotei nem pipa.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Cada macaco no seu galho Bosco, a análise do engenheiro é de quem conhece sua área de atuação, mesmo que não seja piloto conhece do assunto, e o fato de ser engenheiro não impede de ter um brevê.

Salim
Salim
Reply to  Nilton L Junior
1 ano atrás

Nilton, sou engenheiro e tem muito Zé arruela por ai. E conheço bastante pessoal fora da matéria que tem bom senso razoável. O texto e meio tendencioso, porem também acredito que o gripen e um caça equivalente a seus oponentes e tem algumas características que sendo bem treinados pilotos e com tática bem elaborada fica difícil superar os mesmos.

NEI
NEI
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Bosco. Boa tarde. Acho que você tem o direito de não acreditar no “engenheiro”, mas também não tem o direito de desacreditar, quem acha que o GRIPEN foi superior em vários exercícios. Abraços. Segue a discussão.

Bosco
Bosco
Reply to  NEI
1 ano atrás

Nei,
Não é questão de acreditar ou não no “engenheiro” (não creio que ele tenha mentido) e sim de acreditar (baseando no que ele disse, que aliás tem muitas incongruências) que o Gripem é o caça mais fodástico do Universo.

NEI
NEI
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Olá Bosco. Acho que o engenheiro, sabe 1000 vezes mais do que você da área de Saúde e que eu da Administração kkk. Mas entendo seu ponto de vista. abraços

Heitor
Heitor
1 ano atrás

Sim.. o Gripen é provado diversas situações, mas o Rafale.. ele dá medo, tudo lá foi feito pra ele, e é caro e não é a toa

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Heitor
1 ano atrás

é caro pq a França não quis depender de ninguém, só por isso. ele poderia ser mais barato e tão bom quanto é…. Typhoon tem o radar mais poderoso dos caças europeus mas é caríssimo por causa que vários países queriam linhas de montagens e mexer no projeto.

Mauricio R.
Reply to  Heitor
1 ano atrás

Era aquilo que os franceses podiam pagar, por isso qndo comparam com F-22, F-15 ou Typhoon, dá a impressão que está se falando de um carro 1.0.
É tudo básico, da capacidade de gerar energia elétrica a potência da motorização, a qntidade de módulos RF que o radar pode acomodar no nariz; e por ai vai.
O mínimo necessário.

Antoniokings
Antoniokings
1 ano atrás

Depois de ‘abatedor’ de Sukhois, agora inclui quase todos os caças americanos.
Com relação ao F-16 e ao F-18 não tenho nenhuma dúvida que abateria.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Mas devia

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Peter nine nine
1 ano atrás

Já via com desconfiança os relatos sobre as peripécias do vetusto F-16 anunciadas a quatro ventos.
Entretanto, eliminei todas as minhas dúvidas após os incidentes com a Índia.
Aliás, como citado no post anterior, parece que as autoridades indianas também as eliminaram.
Estou tomando a liberdade de replicar aqui o referido post:

‘Considerando o enorme mercado de defesa da Índia, fontes oficiais dizem que os EUA estão pressionando a Índia para comprar seus jatos Lockheed Martin. No entanto, desde que o comandante de ala Abhinandan Varthaman derrubou um F-16 pilotado pelo Paquistão, a reputação desta aeronave caiu em muitos pontos.’

Carlos
Carlos
Reply to  Peter nine nine
1 ano atrás

@peter nine nine Sure

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

F16 passou sufoco na mão de MIG21

JPC3
JPC3
Reply to  Carlos Campos
1 ano atrás

O Sukhoi-30 MKI, segundo a mídia indiana, também passou sufoco na mão dos F-16, porém, um não conseguiu abater outro.

Isso só prova que as coisas não são tão simples assim.

Alfa BR
Alfa BR
1 ano atrás

“O Gripen pode ser favorecido com kill rate de até 15:1 contra o F-16.”

Duvido isso ocorrer na vida real. Essa proporção de perdas é quase a mesma da coalização contra o Iraque na Guerra do Golfo. Coisa de gente muito capaz contra gente muito incapaz.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Alexandre Galante
1 ano atrás

Galante, a sério?

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Alfa BR
1 ano atrás

Galante, tu acha que os Gripens da Força Aérea da Suécia conseguiriam um kill rate de 15:1 contra os F-16 da USAF no caso de uma guerra?

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Alfa BR
1 ano atrás

Acho que só vc e os vendedores da L.M. acham que o F-16 teria alguma chance contra o Gripen.
Só que os vendedores da L.M. estariam advogando em causa própria.

NEI
NEI
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Pela primeira vez, concordo com o AntonioKings. Alfa BR deveria ser AlfaLM – Lockheed Martin. Não consigo entender, porque só fazem comentários desfazendo esse ou aquele caça.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  NEI
1 ano atrás

Pois é!
Vai entender……

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Em tempo:
Vai entender o Alfa LM.
SDS

JPC3
JPC3
Reply to  NEI
1 ano atrás

Ele só critica o F-16 porque é americano e engana as defesas modernizadas Sírias toda a semana, o que importa é o que vai dentro do avião.

Não são apenas as características da aeronave que destroem os alvos e sim a eletrônica que é o mais importante.

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

NEI, diz aí onde desmereci o caça? Comentei que o kill rate é irrealístico para situações de combate real.

NEI
NEI
Reply to  Alfa BR
1 ano atrás

Está escrito lá “pode chegar a 15:1”. Não que é. Por isso comentei. Abraços

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

“Acho que só vc e os vendedores da L.M. acham que o F-16 teria alguma chance contra o Gripen.”

Ter ele teria. Vai dizer que não?

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Alfa BR
1 ano atrás

Alfa, é só analisar um pouco melhor os dados:
1) o kill ratio de 15:1 foi contra os F-16 de quem? Noruega
2) qual versão do F-16 a Noruega possui e utilizou? F-16 A e B
3) quando estes caças foram produzidos? Entre 1980 e 1984.
4) qual versão do Gripen foi usada? versão C
5) quando os Gripen C foram produzidos? entre 2002 e 2008.
Pronto, agora bate.

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Luís Henrique
1 ano atrás

Mesmo nessas versões mais antigas dificilmente haveria esse kill rate em combate real.

Evandro
Evandro
Reply to  Alfa BR
1 ano atrás

Alfa BR sobre isso o autor foi bem claro no texto
“O Gripen pode ser favorecido com kill rate de até 15:1 contra o F-16. E com nenhum desrespeito aos outros pilotos de caça: com os papéis trocados, eles teriam a mesma pontuação”
Na vida real tudo é diferente mas como foi dito no texto o Gripen é um caça subestimado, mas eu não duvido da capacidade dele é só ver a indústria militar sueca e do que eles são capazes de fazer.

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Alfa BR
1 ano atrás

Eu não duvido da capacidade dele, é um caça muito bom. Só que esses número são exagerados e fora da realidade dos combates aéreos.

3×1? Bom. 4×1? Muito bom. 5×1? Excelente. Acima disso é passar o trator e nós sabemos como isso ocorre.

rui mendesmendes
rui mendesmendes
Reply to  Luís Henrique
1 ano atrás

Não são a versão A e B, mas a A e B modernizada, comparada aos actuais block 50.

Sérgio Luís
Sérgio Luís
1 ano atrás

Bem colorido ein!?!

Jmgboston
Jmgboston
1 ano atrás

3 F15 contra um Gripen, dois foram abatidos e um fugiu? Mesmo um piloto inexperiente leva vantagem contra pilotos mais experientes? Pode ser verdade mas difícil acreditar, muito. E normalmente acredito em fake news até prova em contrário.

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Jmgboston
1 ano atrás

Como o piloto falou, o F-15 estava no quintal do Gripen, provavelmente o Gripen sabia com antecedência da localização dos 3 F-15 e foi vetorizado para o local. nessa situação o Gripen tem a vantagem de saber onde os F-15 estão mesmo antes de entrar na localização do Radar deles, podendo se aproximar fora do angulo de rastreamento do F-15, pelas 6 horas por exemplo. assim o engajamento é mais simples

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Jmgboston
1 ano atrás

O Loyal Arrow ocorreu no ano de 2009. Os Gripen C/D foram produzidos entre 2002 e 2008. Os F-15 C/D foram produzidos entre 1979 e 1985. Somente em 2009 que o APG-63(V)3 AESA começou a ser produzido. A grandíssima maioria dos F-15C ainda operavam com os antigos radares APG-63 e APG-70 mecânicos. Tudo bem que os Gripen C também operam com os radares mecânicos PS-05, porém é normal que tenham trazido algumas vantagens tecnológicas quase 30 anos depois dos F-15C serem produzidos. Já contra um F-15C totalmente modernizado ou contra um F-15E modernizado, o Gripen C ficaria em total desvantagem,… Read more »

Alan
Alan
1 ano atrás

Pelo que li, ele bate o F-16 e está no paréo contra outros Europeus e Americanos, ou seja, um caça de superioridade aérea comprovada, por tudo q li sobre o Gripen nada disso me espanta. O que podemos extrair disso é que num futuro bem próximo, quem quiser combater o Brasil nos ares deverá usar suas melhores armas, e com risco de tomar um prejuízo bem grande, pois vamos abater algumas delas, pode-se chamar de dissuasão. Só acho que precisamos de mais deles, e fazer uma parceria com a Suécia para os próximos 40 ou 50 anos, para que estejamos… Read more »

groosp
groosp
1 ano atrás

ECM não é um fator secreto para ser usado em exercícios com outros países?

carcara_br
carcara_br
Reply to  groosp
1 ano atrás

treino é treino, jogo é jogo. Deve ser cheio de parcialidades, até porque o próprio radar dos caças não deve operar em todos os modos e frequências possíveis.

carcara_br
carcara_br
1 ano atrás

“some of best jamming we have seem”
Acredito que este cenário esteja em constante mudança é a parte da Ciberguerra, onde países com menos recursos possuem maiores chances de igualar o jogo, inclusive contra caças de quinta geração.

Victor Filipe
Victor Filipe
1 ano atrás

E uma coisa complicada você estipular se uma aeronave é melhor que a outra caso você não saiba as reais condições de engajamento. Hoje em dia é algo muito mais complexo um AWACS muda completamente qualquer cenário de engajamento aéreo. Devemos lembrar que esse tipo de comparação ainda não é valida para o NOSSO Gripen e os novos modelos de caças de Quarta geração. No texto foi falado que o engajamento contra os F-18 foram com F-18 da Finlândia. eles são os Hornets, comparados com os Super Hornets existem um verdadeiro universo de diferença. com um Super Hornet Block III… Read more »

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Victor Filipe
1 ano atrás

Falou tudo.

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Victor Filipe
1 ano atrás

Kill rate superior a 10 pra 1 é resultado de uma força totalmente incompetente contra uma totalmente competente.

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Alfa BR
1 ano atrás

Alfa BR: INCOMPETENTE como os sauditas por exemplo🤔🤔😂😂🇸🇦❓

Mateus Lobo
Mateus Lobo
Reply to  Alfa BR
1 ano atrás

Ponha os melhores pilotos a bordo de um F-15c e os coloque contra um Raptor e verá o quão importante é a aeronave nessa equação. Aliás existe diversos registros de pilotos experientes de F-15 abismados com a facilidade do Raptor em varrer-los do céu.

marco gandolfi
marco gandolfi
1 ano atrás

custo beneficio, conjunto da obra, integração de dados, pecinha atrás do volante, ……… tudo somado descobre-se a razão da Fab ter encolhido o melhor conjunto para o Brasil. ponto.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  marco gandolfi
1 ano atrás

A FAB não escolheu o melhor caça. Escolheu a melhor proposta. Existe uma diferença. Os principais ítens analisados foram: 1) TOT e participação industrial. (excelente) 2) Custos de aquisição e operação (realidade orçamentária de um país que não leva a Defesa a sério). 3) capacidades militares adequadas aos requisitos. Aqui, não se optou pelo caça mais poderoso, foi ‘aceito’ todos os caças que cumprissem as exigências mínimas. Claro que foram pontuados e os que cumpriram com maiores capacidades tiveram notas mais altas, mas essas notas não foram as determinantes para escolher o Gripen. Aliás, a FAB só avaliou os 3… Read more »

Lucianno
Lucianno
Reply to  Luís Henrique
1 ano atrás

Melhor comentário que já li a respeito deste assunto.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Luís Henrique
1 ano atrás

Olá Luis. De fato o Lucianno tem razão sobre a qualidade do seu comentário. Parabéns. Acho que usarei várias vezes o seu argumento em discussões sobre o F39. Obrigado.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Obrigado Lucianno e Camargoer.

Augusto
Augusto
1 ano atrás

Sem entrar no que é narrado no texto, uma coisa é fato: para quem tem F-5 e AMX como vetores principais, a chegada dos Gripen fará a FAB dar um salto operacional de uns 250 degraus.

Francisco AMX
Francisco AMX
Reply to  Augusto
1 ano atrás

tomara que não seja de 360…

ednardo curisco
ednardo curisco
1 ano atrás

Qual era a versão do F16? Qual a versão do F18? 2006 já tem 13 anos!

Acredito que o Gripen pode dar muitíssimo trabalho. mas o artigo carece de muita informação.

Acho o Gripen um excelente avião e ele, assim como qualquer caça moderno, faz parte de um sistema de defesa muito maior que conta com datalink, sistemas de alerta antecipado, etc…

O sucesso em combate depende de toda uma arena.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  ednardo curisco
1 ano atrás

Sim, masse o F16 e o F18 evoluíram o mesmo pode-se dizer do Gripen, a versão M20 dos C/D estão muito mais evoluídas e com suítes eletrônicas superiores!

ednardo curisco
ednardo curisco
Reply to  Fabio Araujo
1 ano atrás

então, fica a questão: que tecnologias se enfrentaram, quais as regras de combate usadas, etc…

Mas creio que em condições normais o Gripen dá um pau no F16, deve ganhar do f18.

Rico Zoho
Rico Zoho
1 ano atrás

Tem um monte de variáveis que devem ser levadas em contas quando se lê este tipo de reportagem. As regras de engajamento importam, e muito. As regras muitas vezes definem quem fica em vantagem e quem não fica. Rafales já foram abatidos por F-4. F-15 por Mig’s-21. Reza uma lenda que um A-1 (AMX) já abateu F-16 em Red Flag. No frigir acho que o Gripen E/F hoje é melhor que o F-16V e está no mesmo patamar dos Typhoon e Rafale, se as regras de combate não privilegiarem ninguém. O F-15C/D e o F-18 E/F acho que são superiores… Read more »

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Rico Zoho
1 ano atrás

Quando é que F-15 foi abatido por MiG-21? nunca ouvi falar disso.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Victor Filipe
1 ano atrás

Que eu saiba só um F15 saudita foi abatido em ação e foi pelos Houthis no Yêmen, mas por melhor que tenha sido a habilidade dos Houthis no abate foi muita incompetência dos sauditas, acho que nenhum outro operador perdeu um F15 abatido em ação!

paddy mayne
paddy mayne
Reply to  Fabio Araujo
1 ano atrás

Talvez o Rico esteja se referindo a exercícios militares, não a combates reais. Três F-15E foram derrubados por SAMs. Por combate ar-ar, nunca. Os F-15A/C nunca foram derrubados por nada, seja vindo de terra ou do ar. mas posso estar desatualizado em relação ao uso de SAMs no Iemen
De qualquer forma score ar-ar permanece: 104×0
fonte: migflug

Rico Zoho
Rico Zoho
Reply to  Fabio Araujo
1 ano atrás

Acho que nunca um F-15 foi derrubado em combate ar-ar. Parece que a conta dele é 104:0.

https://nationalinterest.org/blog/buzz/40-years-dominance-why-f-15-has-air-air-kill-ratio-104-0-66396

Rico Zoho
Rico Zoho
Reply to  Victor Filipe
1 ano atrás

Eu li a história anos atrás. Em um treinamento na India os Mig’s-21 da IAF bateram os F-15 da USAF. Mas parece que o comandante da USAF sacaneou seus pilotos, mandou todos combaterem os Fishbed dentro do envelope de combate dos caças russos, a baixa altitude e em WVR. Além disso proibiu de usarem a potência dos motores PW para escapar dos Mig’s. O comandante da USAF, aparentemente, amarrou as mãos e pês dos pilotos. Foi um massacre! Os Mig’s derrubaram todos os F-15. É por isto que eu digo que saber das regras de engajamento é muito importante. Não… Read more »

Francisco AMX
Francisco AMX
Reply to  Rico Zoho
1 ano atrás

Rico, tem link destas matérias? interessante… eu pensava que mesmo com os pés nas costas um eagle teria mais manobrabilidade que um Mig-21 velho da IAF.

Sergio Cintra
Sergio Cintra
1 ano atrás

Srs. O qto é bom ou não, agora que o bicho está vestindo nossa realidade, penso em termos comparativos, seria mais interessante mensurar contra o disponível na nossa vizinhança. Não temos ainda F’s – 15, 22, 35 e Rafales orbitando no entorno, certo. Então em termos de capacidades dos vizinhos, temos Mirage, F-16, Kfir, Thiphoon ( ingleses) e Su’s – caraca a Argentina não tem nada por enquanto – mas digamos que o Coreano. Bem aí ficariam mais sensíveis as comparações que precisamos estabelecer na realidade. Frente a nossa verdadeira necessidade, como ficamos / ficaremos? Assim penso em desgastar minha… Read more »

Rommelqe
Rommelqe
Reply to  Sergio Cintra
1 ano atrás

Caro Sérgio: se ou exatamente da mesma opinião. Quem fica comparando F15 × Gripe C nos céus europeus deveria fixar o olhar na Amazônia…em pistas improvisadas e R99 ….

Régis Athayde
Régis Athayde
1 ano atrás

Isso demonstra que a FAB fez uma ótima escolha, barato e eficaz. Só faltaria ver como se sai contra o Su-35 e o MiG-29/35, pois contra o Su-30 e o J-10 já foi comprovado sua eficácia.

Dionatan
Dionatan
1 ano atrás

Desculpem mas acredito que o F-15SA, F-22, F-35, SU-35, RAFALE e o Typhoon sim, são muito superiores que o pequenino Gripen e que a nova versão NG apenas leva vantagem e minúsculos aspectos ou quase nenhum, Obrigado.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Dionatan
1 ano atrás

pelo menos vc acha, não diz que tem certeza.

Colombelli
Colombelli
1 ano atrás

Dados de apenas alguns exercicios e sem detalhes maiores. Alguma propaganda? Sim. Mas é inquestionavel que o nosso gripen tem de longe o melhor custo beneficio. Exceto em relação ao F22 e F35 faz tudo o que os outros fazem satisfatoriamene e hora de vôo custa 1/4 do rafale e 1/7 do F35. Temos certeza que irão voar e terão doutrina. Bota o meteor e tens um avião que impõe respeito a qualquer um. É a conta. E a conclusão em linhas gerais é correta: fora F35 e F22 ninguem tem vantagem significatica que não possa ser superada por doutrina… Read more »

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Colombelli
1 ano atrás

Caro Colombelli, Estou feliz com o Gripen E/F na FAB. É um excelente caça, super moderno, algo que nunca tivemos e vai melhorar a FAB de forma incrível. Porém, discordo que somente caças de 5a geração possuam vantagens contra o Gripen. Se pegarmos um caça Médio equivalente em tecnologia como o Super Hornet ou o Eurogfighter último tranche, estes apresentarão vantagens sobre o Gripen E. Se pegarmos caças pesados como o F-15X, estes possuirão vantagens ainda maiores contra o Gripen E. Com o apoio de radares em terra e/ou aeronaves AEW como os nossos E-99M, nossos Gripen E podem enfrentar… Read more »

colombelli
colombelli
Reply to  Luís Henrique
1 ano atrás

Prezado Luis, leia bem o que eu disse. Eu não falei que os outros não tem vantagens. Eu falei que ele não tem desvantagem significativa que não possa ser superada por doutrina, treinamento e um bom missil. Estes fatores diminuem ou anulam as vantagens dos mais pesados e maiores com um custo viável. As cargas maiores no mais das vezes não serão usadas, pois o caças não operam full. O alcance o Revo supre. E o radar temos o link e nossos aviões de alerta.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  colombelli
1 ano atrás

Sim Colombelli. Perfeito. É bem por aí.
Os caças pesados possuem vantagens inerentes ao tamanho, mas os nossos Gripen E serão top de linha. Só não dá para forçar a barra e imaginar que é melhor que tudo e todos, como alguns ficam alegres em pensar.
Teremos que trabalhar muito, precisaremos dos melhores mísseis, de aeronaves AEW, de muito treinamento, de táticas, etc. Aí os nossos Gripen E devidamente operados e apoiados podem enfrentar qualquer caça de mesma geração, mesmo os pesados.

Farroupilha
Farroupilha
Reply to  Luís Henrique
1 ano atrás

Sempre? Afirmação controvertida.
Vantagem para poder aéreo será de quem consegue manter seus pássaros no ar.
Como sempre o importante é operar e não ter.
Alguns novos caças estão ficando mais e mais no chão. Precisamos levar isto em consideração… o quanto numa guerra assimétrica as horas dispensadas para manutenção podem complicar as missões continuas.
Para os complexos caças atuais um único furo de estilhaço pode significar quantas horas ou dias parado?

Farroupilha
Farroupilha
Reply to  Farroupilha
1 ano atrás

Ops! Guerras simétricas.

ADAILTON BARBOSA DE ARAUJO
ADAILTON BARBOSA DE ARAUJO
1 ano atrás

E os que serão entregues ao Brasil.
São mais modernos que esses atuais Gripen?

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  ADAILTON BARBOSA DE ARAUJO
1 ano atrás

Sim, Adailton, eles são.

Os caças Gripen E/F que o Brasil vai receber são mais modernos que os atuais caças Gripen C/D, que por sua vez são mais modernos que os já desativados caças Gripen A/B.

A sequência de letras indica as sucessivas versões, de A a F (em que B, D e F são modelos de dois lugares das versões A, C e E).

Giacometti
Giacometti
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
1 ano atrás

Que tipo de pessoa dá um dislike num comentário meramente informativo como esse do Nunão? ah! pelamor…

Francisco AMX
Francisco AMX
Reply to  Giacometti
1 ano atrás

kkkkkk, eles não gostaram da letra usada! kkkk

Bosco
Bosco
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
1 ano atrás

Nunão,
Você trocou as letrinhas.
rssss

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Valeu! Editei e corrigi.

Heitor
Heitor
1 ano atrás

Pessoal, na hora do “vamo vê” é tudo diferente… não podemos duvidar que o Gripen faz acontecer, mas não em todas as situações, aquela peça que fica no banco ainda é muito significativa

bjj
bjj
1 ano atrás

O RCS do Gripen C armado deve ser menor do que as versões do F-16 e F-15 citados no texto desarmados. Some-se a isso o fato do radar PS-05 ter um ótimo alcance para um radar mecânico e relativamente pequeno ( dizem ser superior a 120 km nas versões iniciais, mas para um F-15C deve ser bem mais que isso) e ainda um ótimo desempenho de voo e o resultado não chega a surpreender.

Giacometti
Giacometti
1 ano atrás

15×1 no F-16….parece a seleção de 1970 contra o time da paróquia Sto. Antônio.

Ozawa
Ozawa
1 ano atrás

Agora os outros lados: Procurados pela Quora.com/, para se manifestarem sobre as declarações do Gripen através de seu engenheiro-porta-voz, o F-15 acionou seus potentes motores e saiu sem se pronunciar. O F-16 se disse chocado com as referências desrespeitosas à sua idade, acrescentando que refletem um caráter preconceituoso, típico da juventude arrogante como é o projeto aeronáutico do Gripen. O F-18 alegou, segundo essa reportagem de forma mordaz, que ele e o Gripen nunca tiveram encontros à alta altitude segundo seus registros de radar e que, portanto, nada tem a responder sobre encontros hipotéticos abaixo disso. E o F-22, usando… Read more »

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Ozawa
1 ano atrás

LOL

MFB
MFB
1 ano atrás

Onde posso comprar essas cartas atualizadas para o meu super trunfo? Gripadinho não é isso tudo não, menos, muito menos.

Kemen
Kemen
1 ano atrás

Eu não tenho dúvidas da capacidade de combate do Gripen, o melhor monomotor do mercado se tiver AESA (versão E), entretanto analiso com calma a opinião do sueco, o que mais pesa ai é o conhecimento do piloto sobre o seu avião em combates aéreos, superior aos F-16 sempre achei, superior ao F-18 depende da versão, com o SH o páreo é duro, superior ao Rafale sem AESA é sim é possivel, com AESA é mais dificil, superior aos F-15 SE… ainda tenho minhas dúvidas, mas vamos que a ocasião faz o vitorioso, ainda mais se tiver apoio de Alerta… Read more »

Farroupilha
Farroupilha
Reply to  Kemen
1 ano atrás

SH perde quantas horas de manutençao? Com a base bombardeada em quais pistas alternativas ele pode operar? Com a base bombardeada a sua manutençao fica muito mais difícil? Carregado como fica seu RCS? Considerações válidas para todos os outros bimotores. Modernizados ou não. Texto muito bom. Faltou ainda incluir varias vantagens do Gripen se todos esses combates simulados fossem realmente bem mais realistas. Inclusive o F22, em cenario de guerra real, como ficaria sua disponibilidade, levando-se em conta as dificuldades da sua complexa manutenção? Parabéns FAB pelos futuros caças GripenEBR. Mas precisamos no mínimo de mais 2 lotes, para começar… Read more »

Heu
Heu
1 ano atrás

Essas informações ajudam a deixar nossos corações aliviados, considerando que cada um dos nossos Gripen custará MAIS QUE UM F-35! Sei que isso inclui a transferência tecnológica… mas mesmo assim é muita grana. É bom que eles sejam dignos do que o Brasil merece. Estou torcendo.

Mateus Lobo
Mateus Lobo
Reply to  Heu
1 ano atrás

Incluí também armamentos, treinamento e peças sobressalentes.

Mateus Lobo
Mateus Lobo
1 ano atrás

Está escrito no texto é só ler galera, diversos desses encontros o Gripen estava no papel de agressor! Ou seja o lado com menos apoio, a aeronave só podia contar com os próprios sensores, sem AWACS ou suporte terrestre. Como dito, o Gripen não é invencível, só é muito substimado, é uma aeronave no mesmo nível do Rafale basicamente.

Augusto L
Augusto L
1 ano atrás

So um off topic.
Foi noticiado que a Google atingiu a supremacia quântica, ué Kings cade sua China e Russia q vc alega que estão na vangarda rsrs

Cristiano Salles (Taubaté-SP)
Cristiano Salles (Taubaté-SP)
1 ano atrás

No começo da competição do FX- 2 eu torcia pelo Rafale, carregava mais armamento e tinha um alcance maior, fora que visualmente parece mais parrudo que o Gripens…, más hoje meu pensamento é outro, e tenho certeza que fizemos a melhor escolha… Imagina 108 desses pequenos notáveis aqui, teríamos uma Força Aérea compacta e respeitada a nível mundial… O Gripen naval tem tudo para ser um SUCESSO, pois é um pequeno caça, ocupa menos espaço nos porta aviões, tem uma capacidade de igualdade para com os atuais caças de 4 à 4,5 geração, manutenção mais barata e simples que a… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
1 ano atrás

Venezuela: SU30 radar PESA sem dinheiro para manutenção de todas aeronaves, PERU: MIG 29 projeto velho….. CHILE: F16 inferiores mas com pilotos bem treinados……. FRANÇA: Rafale de capacidade igual se for o F3, porém carrega mais armas, UK: Typhoon nas Falklands, só é ameaça se for Tranche 2 ou 3………. Gripen NG foi a melhor escolha.

Fkoelho
Fkoelho
Reply to  Carlos Campos
1 ano atrás

Foi a primeira vez que usaram custo x benefício!

Farroupilha
Farroupilha
1 ano atrás

Qual os RCS dos SH e Rafales (SU e Migs nem vale a pena) carregados e limpos?
E o do GripenE?
Boa parte das dúvidas à respeito do post acima já ficam esclarecidas com estas respostas.

Marcelo Machado
Marcelo Machado
1 ano atrás

A primeira coisa que pensei foi no ano de 1967. Um conhecedor teria escrito que a ratio do MIG 21 sobre o Mirage III seria de 15 para 1. Infelizmente, a guerra aérea não é super trunfo.

Antunes 1980
Antunes 1980
1 ano atrás

Será que o Gripen é capaz de superar em um dogfight os SU-35 e MiG-35?

JT8D
JT8D
Reply to  Antunes 1980
1 ano atrás

Não duvide

GILMAR DE PAULA
GILMAR DE PAULA
1 ano atrás

Muito papo furado! O Gripen ainda não combateu em conflito algum. Manda lá esses “fenômenos” contra a força área do tio “Jacó” e depois vamos fazer as contas. Vejam quais as forças aéreas pelo mundo que usam esses aparelhos e qual o volume total produzido dessas máquinas (salvo engano menos que trezentas) e verão que a propaganda é infinitamente maior que o produto anunciado.

Mateus Lobo
Mateus Lobo
Reply to  GILMAR DE PAULA
1 ano atrás

Diga isso para o Mig-21.

Alfredo RCS
Alfredo RCS
1 ano atrás

Acredito que o Gripen E num papel de DEFESA AEREA teria uma vantagem imensa sobre os grandes e pesados oponentes citados no artigo, acredito inclusive para as perdas dos atacantes seriam tao altas que pensariam duas vezes antes de atacarem um pais possuidor do gripen. Primeiro motivo seria o enorme rcs dessas aeronaves atacantes, as quais seriam vetoradas com relativa facilidade, segundo pela capacidade tatica de o Gripen poder ser alocado em pistas nao preparadas, tendo o elemento surpresa como vantagem, e terceiro pelo fato obvio de o inimigo invasor (uma vez que o Brasil nao tem cultura expansionista nem… Read more »