Home Aviação de Ataque Força Aérea Italiana comemora os 30 anos do AMX

Força Aérea Italiana comemora os 30 anos do AMX

8028
67

O jato de ataque AMX “Ghibli” italiano fez 30 anos e os italianos comemoraram o aniversário em grande estilo.

Em 13 setembro de 2019, a Força Aérea Italiana comemorou o 30º aniversário de sua frota de AMX “Ghibli” e o 80º aniversário do 51º Stormo (cuja primeira unidade, o 132º Gruppo – esquadrão é a última unidade a operar o caça-bombardeio leve e de reconhecimento) com uma reunião organizada em base aérea de Istrana AB (lar do 51º Stormo) no nordeste da Itália.

Seis protótipos foram fabricados (um foi perdido em acidente), 136 exemplares (110 monopostos e 26 bipostos, estes últimos chamados de AMX-T) foram encomendados pela Força Aérea Italiana e 56 encomendados pelo Brasil.

O primeiro AMX foi entregue oficialmente à Aeronautica Militare em 19 de abril de 1989. A aeronave foi o MM7091 da série AMX, assumido pela Unidade de Avaliação da Força Aérea Italiana, o Reparto Sperimentale di Volo (RSV), com sede em Pratica di Aeroporto de Mare, perto de Roma.

O 311º Gruppo do RSV levou os seis primeiros exemplares e iniciou uma campanha de teste intensiva de 1.500 horas de voo para explorar todo o envelope de voo da aeronave.

A unidade testou a aeronave em todos os seus aspectos, usando também todo o armamento que poderia transportar operando nos polígonos da Sardenha em Decimomannu, onde os primeiros protótipos também foram estacionados por um determinado período para vários testes.

Em outubro de 1989, os primeiros exemplares de produção foram entregues à unidade da Força Aérea Italiana destinada à conversão no AMX: o 103° Gruppo do Stormo 51° em Istrana.

Os AMXs italianos, que surgiram como alguns dos ativos mais econômicos durante a Guerra Aérea na Líbia e, muito antes, durante a Força Aliada na Sérvia e Kosovo, operaram no Afeganistão e apoiaram a Operação Inherent Resolve sobre o Iraque e a Síria usando o pode de reconhecimento Reccelite.

Em 2012, a Alenia Aermacchi (subsidiária da Leonardo) concluiu a atualização da frota para o padrão ACOL (Atualização das capacidades operacionais e logísticas – Adeguamento delle Capacità Operative e Logistiche), entregando 52 aeronaves aprimoradas (42 monopostos e 10 bipostos) à Força Aérea Italiana.

Um dos protótipos do AMX

FONTE: The Aviationist / FOTOS: Força Aérea Italiana

LEIA TAMBÉM:

67
Deixe um comentário

avatar
17 Comment threads
50 Thread replies
1 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
44 Comment authors
JuarezJ RJoão Rodrigues Dos SantosMfsCarlos cruz Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Marcos
Visitante
Marcos

A FAB deve correr atrás dos AMX que a FAI for aposentar ou colocar para venda

DOUGLAS TARGINO
Visitante
DOUGLAS TARGINO

Tas doido? kkkk

Marcos
Visitante
Marcos

Doido pq? É um excelente vetor que pode poupar o Gripen NG de determinadas missões. Ou vamos utilizar os gripens como a Marinha utiliza a barroso? Não vão durar 2 décadas

LucianoSR71
Visitante
LucianoSR71

Como já comentei há algum tempo, o problema do AMX é o motor Rolls-Royce Spey, que nasceu ainda nos anos 60 p/ os BAC 111 e Trident, seu custo de manutenção está já muito alto e só tende a subir, esse é o seu Calcanhar de Aquiles. Remotorizar seria muito trabalhoso e caro.
É uma boa aeronave, mas não há como mante-la em uso por muito mais tempo, infelizmente é a triste realidade.

GFC_RJ
Visitante
GFC_RJ

Falou tudo.
É uma excelente aeronave, mas sua manutenção está cada vez mais cara (com destaque ao motor) e suas mesmas funções poderão executadas pelos Gripen de forma bem mais capaz.

LucianoSR71
Visitante
LucianoSR71

Se pudéssemos manter o AMX de maneira viável, ele seria um ótimo vetor p/ situações em que o Gripen fosse ‘demais’, afinal sua complexidade acarreta em um alto custo de aquisição e operação/manutenção.

jose luiz esposito
Visitante
jose luiz esposito

Então os Gripens que pelo andar da Carruagem se contarão nos dedos , entrarão em fadiga rapidamente , além de serem mais caros . Espero que não fiquem em 72 ou 108 Gripens , se o Chile que tem as dimensões de Minas Gerais possui 40 F16 , nós aqui além das dimensões , temos a Amazônia , e o Atlântico direto para tomar conta , principalmente de olho nas Tradições dos Bucaneros Europeus , os nossos *verdadeiros Inimigos* , como sempre coloquei aqui .

Rommelqe
Visitante
Rommelqe

Tenho um amigo formado no ITA e que trabalhou com os AMX; um dia ele estava, ha tempos, falando da estrutura de suporte das Speys . (In)felizmente essa excelente aeronave devera ser substutuida pelo seu natural obsoletismo. O maior problema é o prazo…os AMX brasileiros ainda tem meio piano pra carregar. Mas vamos “speyar “ os F-414.

LucianoSR71
Visitante
LucianoSR71

Rommelqe, como dizia meu instrutor de condução ( num Fusca ) há mais de 30 anos: alivêia…rs.

Marcos10
Visitante
Marcos10

Com 30 anos de uso os aviões deram o que tinham que dar.

jose luiz esposito
Visitante
jose luiz esposito

Quando se tem poucos aviões e navios , estes são usados intensivamente , entrando em fadiga e obsolescência muito rápido , como aquele que tem somente duas calças, economiza na compra , porém tem fazer compras mais constantes ou andar com elas rasgadas no traseiro ,este é o caso de nossas FFAA !

jose luiz esposito
Visitante
jose luiz esposito

Eles estão completos , os nossos nunca foram realmente colocados no Estado da Arte , então alguns deles , estarão melhores que os nossos , tanto as Células , quanto capacidade , podendo serem usados até meados dos anos 30.

Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

A FAI modernizou 52 e tem 58 estocados na Itália que não foram modernizados. Esses, não sei em que condições estão, mas como não foram modernizados acredito que cuatariam bem barato para adquirir. Eu sou a favor de a FAB ampliar o número de caças. E uma maneira de conseguir isso de forma relativamente barata é modernizando os 40 AMX que temos e adquirindo e modernizando os 58 AMX italianos. O plano de 108 Gripen E continuaria. Nos próximos anos a FAB iria adquirir mais lotes de Gripen E/F e aposentar todos os F-5. E com os 98 AMX-M teríamos… Read more »

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Falta combinar com Secretaria do Tesouro Nacional. Passar o orçamento da FAB de 2 para 5 bilhôes, e deixar o EB e a MB com zero. Quanta bobagem…

Juarez
Visitante
Juarez

Cara, qual o planeta que tu habita???
Nós já temos grandes problemas logísticos com AMX após o fechamento das linhas de suprimento italianas, o Spey e um pepino de proporções babilônicas e tu quer aumentar o tamanho do problema trazendo para a linha anvs italianas que que tem padrões construtivos diferentes das nossas, canhão diferente, eletrônica embarcada distinta e sistemas de missão idem.
Já não chega os problemas que temos e tu aponta como solução trazer mais um…
Pelo amor de Deus, pensem antes de escrever.

J R
Visitante
J R

Muitas das funções dele podem ser feitas hoje por drones (vigilância e reconhecimento), e missões de ataque podem ser feitas por Gripens, drones, Super Tucanos e até mísseis. A era do AMX já esta no final…

Jagderband#44
Visitante
Jagderband#44

Tipo o nosso…

Fabio Mayer
Visitante
Fabio Mayer

Mais um programa que o Brasil entrou com expectativa de no mínimo 76 aeronaves. Não cumpriu sua parte e diminuiu a encomenda para 52. O AMX virou F-32, custava mais caro que um F-16.

Rico Zoho
Visitante
Rico Zoho

Baixos números adquiridos (economia de escala) e os custos de se desenvolver tecnologia do zero (no caso da Embraer). Mas de longe um excelente projeto e avião de ataque ao solo. Infelizmente a versão brasileira sempre foi menos sofisticada que a italiana no seu recheio eletrônico. É engraçado que os italianos adoram o Ghibi, no Brasil sobram criticas como a do F-32.

Fabio Mayer
Visitante
Fabio Mayer

Não tenho críticas à aeronave, apenas ao programa fracassado, que foi abandonado no meio do caminho.

sergio ribamar ferreira
Visitante

Perfeito. Concordo com o Sr Fabio Mayer. Tudo neste país se faz pela metade ou se abandona. Infelizmente Mentalidade atrasada para não dizer outra coisa. Grande abraço.

jose luiz esposito
Visitante
jose luiz esposito

Esperem ,adiante estaremos comprando um Novo Pacote com mais tecnologias embutidas e,com o mesmo Papo de Sempre !
Foi assim com o projeto das Fragatas MK10, e agora voltamos ao mesmo papo , criamos a Engepron, e dependemos de um Estaleiro estrangeiro para Reforma do AMRJ . espero que nossos navios sejam construídos fora do AMRJ , alí somente manutenção e reparo.

Felipe Morais
Visitante
Felipe Morais

Esse é meu receio em relação ao gripen.

Não podemos abandonar no meio do caminho e perder o aprendizado.

Mas, como dizem, o Brasil não perde a chance de perder uma oportunidade.

jose luiz esposito
Visitante
jose luiz esposito

O Brasil avança os Sinais Vermelhos e para nos Verdes !

João Rodrigues Dos Santos
Visitante
João Rodrigues Dos Santos

Projeto que fizeram propositalmente fracassar, vc quis dizer! Porque na Itália aconteceu diferente e deu certo?
São os Comandantes e o governo da época, diga-se de passagem, os Sarney e sua gangue que, também tiveram responsabilidades nesse fracasso!!
Um projeto que apesar de elevar o nível tecnológico da Embraer, foi abandonado por interesses escusos e obscuros em não promoverem propositalmente o poder da soberania nacional! Isso está registrado nas revistas especializadas e nas paginas dos jornais da época!

jose luiz esposito
Visitante
jose luiz esposito

Como sempre coloquei , apenas Brincamos de defesa , nunca projetamos uma defesa para que os Inimigos europeus Mirassem e dissessem partiremos para cima de outro !

Flanker
Visitante
Flanker

As encomendas da FAB previam 79 aeronaves, divididas em 4 lotes. Porém, foram adquiridas 56 células em 3 lotes, de 8, 26 e 22 células, respectivamente. O último lote, de 23 células, foi cancelado.

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

O mesmo caminho será seguido no caso Gripen caro Fábio, espere e verá.
Infelizmente servimos apenas para gastar bilhões em projetos mirabolantes internacionais, e os poucos conhecimentos adquiridos são jogados no lixo por nova empreitada estrangeira.
Esse Gripen, que quando recebermos as 36 unidades (na melhor das hipóteses) já estará mais que obsoleto perante as caças 6 G,s da época será abandonado e partiremos para um projeto importado de 5G.
E assim caminha a roda quebrada da política estratégica nacional.

Mfs
Visitante
Mfs

Quanta bobagem. Caças de geração 4.5 ainda estarão em alta no mundo por décadas. Um segundo lote de Gripen será assinado até 2022. Seu texto pessimista com base no passado é patético. E o primeiro lote está garantido com financiamento de longo prazo isso já foi explicado várias vezes! Com as reformas do governo a economia vai alavancar e a defesa terá mais recursos. Em que pese a turminha do quanto pior melhor.

alex faulhaber
Visitante
alex faulhaber

Pilotar o AMX na Itália causa calvície?

Vinicius
Visitante
Vinicius

Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Fabio Araujo
Visitante
Fabio Araujo

Um avião que se mostrou muito bem em serviço!

Pablo
Visitante
Pablo

Editores, acho que há um pequeno erro de digitação na última linha do texto entre parênteses
“…(42 monopostos e 10 monopostos)…”

Salim
Visitante
Salim

A FAB e a Embraer perderam a oportunidade de evoluir no projeto e ter criado no final seculo passado, caça leves de treinamento a partir AMX, os italianos, coreanos tiveram esta sacada. Teríamos super tucano, super AMX e talvez com a experiencia adquirida um caça equivalente ao gripen atualmente. Vi bastante comentários na época, porem acabou náo acontecendo, uma pena.

Marcos10
Visitante
Marcos10

Faltou a grana!

RENAN
Visitante
RENAN

Foi tudo para o bolso dos milhares de militares

Klesson Nascimento
Visitante
Klesson Nascimento

Você tem provas disso? Apresente-as.

pampapoker
Visitante
pampapoker

A nível de plastimodelismo os AMX italianos são show na pintura.

jose luiz esposito
Visitante
jose luiz esposito

Italianos conhecem Desenho , combinação de Cores etc , nós aqui somos uma desgraça em desenhos , combinações de cores etc.Exemplo : camisas de times italianos , simples , sóbrias, com um bom caimento , as nossas ,inventam desenhos ridículos , com um detalhezinho na gola , punho etc , uma mais ridículo que o outro , mas com as mesmas cores italianas .Já escutei vários sem gosto ,dizerem que a bandeira de Pernambuco é Bela , Deus nos Livre !

Antunes 1980
Visitante
Antunes 1980

A FAB deveria ter adotado esta pintura nos AMX.

comment image

Pablo
Visitante
Pablo

Por qual motivo? Acho que nao tem necessidade e acho também que o povo daqui tem que deixar de desmerecer o que é daqui.

Renan
Visitante
Renan

Kkkkk
Aí mesmo que o pessoal do Blog iriam infartar

Flanker
Visitante
Flanker

A do AMX ou a dos Tornados? Se for a do AMX, ela nunca foi adotada….foi utilizada apenas em 1 dos protótipos.

Mordecai
Visitante
Mordecai

E a venda do AMX-T pra Venezuela ? Ainda sai ou subiu no telhado ??? rsrs

Felipe Morais
Visitante
Felipe Morais

Eu já ia comentar, mas a vi a risada no final, presumi a ironia.

Venda, agora, para a Venezuela, só ser for do nosso modelo precário de democracia.

Flanker
Visitante
Flanker

Há muitos anos, a Venezuela estava interessada na compra de uma versão de treinamento do AMX, denominada AMX-T, baseada na versão biposta inicial. A intenção deles era substituir seus T-2 Buckeye, entretanto, a venda não saiu e a versão acabou não sendo desenvolvida.

Antonio Leao
Visitante
Antonio Leao

Não sou da área, mas gostaria de saber se na época da aquisição do AMX pela FAB foi negociada também a transferência de tecnologia. Minha dúvida é a seguinte: De que adianta obter a tecnologia, se não existem recursos para produzir localmente o produto?
Assim, o custo do produto torna-se elevado devido a transferência de tecnologia mas essa não será devidamente aproveitada para desenvolver a própria tecnologia.

lucas
Visitante
lucas

Segundo li tempos atras..o amx foi decisivo para a embraer dominar a tecnologia de materiais compositos..que acarretou no sucesso dos projetos da area de aviacao executiva da empresa!

teropode
Visitante

Ouve ganho de conhecimento sim , graças na maioria das vezes aos nossos engenheiros kkkkkll, os italianos achavam que tava lidando com tolinhos, há uma matéria falando sobre as dificuldades criadas por eles ,

Rinaldo Nery
Visitante
Rinaldo Nery

Não fosse o AMX não existiriam o E145, 175, 190, 195, A-29 e KC-390.

Carlos cruz
Visitante
Carlos cruz

Com
Certeza ! Brazil país do hoje !

Augusto Mota
Visitante
Augusto Mota

Parabéns, AMX!!!! Os italianos deviam ensinar-nos a pintar aviões, ficaram lindos, infelizmente aqui adotaram o cinza/verde horrendo que enfeiaram os nossos AMX pra sempre.

teropode
Visitante

Eu questionava aqueles tons de azul calcinha dos migs 29 e SU 27 russos , mas depois daquele vídelo onde ele simplesmente desaparece quando perseguia um F15 americano , agora vejo as cores dentro da perspectiva dos operadores , imaginem um SU30 voando sobre o Amx com a floresta amazônica de pano de fundo ? O cara vai depender 100% da eletrônica e já vimos que em distância curtas o aparelho some da tela ( vimos isso no vídeo do Rafale perseguindo o F22) , portanto …os caçadores sabem disto.

teropode
Visitante

Meu primeiro amor , lembro da época que recortava figuras nas revistas para colar no caderno , o Amx prestou e presta serviços valorosos a AMI , no Brasil ele fez oque lhe foi permitido pelas limitações humanas de nossos governantes , no entanto é um elemento de dissuasão no universo latino americano . Ainda acho que poderiam transformar 12 deles em portadores de exocetBR . Espero que o NG não sofra do mesmo descaso .

Luiz Floriano Alves
Visitante

Antonio Leao
A transferência de tecnologia é um artifício para salgar os preços. Na época do contrato do AMX, se dizia que o Brasil tinha comprado um lote de F-32, eis que custaram o dobro do preço que ofereceram F-16 de prateleira. Ainda acho que o F-16 teria sido a melhor compra da época. Com TT ficaríamos habilitados a desenvolver aviões avançados. Mas, o que se viu é que fomos comprar Gripens com os mesmos argumentos, porque não ficamos com capacidade de desenvolver coisa nenhuma. Abço.

Mfs
Visitante
Mfs

A parceria e os ganhos tecnológicos para o Brasil com o Gripen NG é um FATO. Deu de choro das viúvas do F-18 , Rafale… Torcendo para chegar nos 108 planejados.

Bene
Visitante
Bene

Minhas sinceras homenagens à Manlio Quarentelli, morto nos testes iniciais do modelo…

Emanuel
Visitante
Emanuel

Sempre assim…é caro manter porque tá velho…compra novo mais em pouca quantidade, o que acaba a saindo caro tbm…ou seja…falta recurso e competência ….

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Pequeno notável.
Pena não ter recebido a merecida atenção por parte d seus fabricantes.
Pois ambos os países abandonaram o projeto que é promissor e merecia uma evolução em sua plataforma para investir verbas em projetos alheios.
Péssima opção táctica e estratégica.
Aaaa seu eu tivesse grana e vivesse em um país que previlegiasse o conhecimento local.
Pudesse pôr a mão em uma unidade do AMX e liberdade para estuda-la e evolui-la.
Isso serve para os Mirrage, F-5 etc.

Larri Gonçalves
Visitante
Larri Gonçalves

Uma lástima o Brasil não ter investido no A-1 (AMX), poderiam ter adotado essa atualização a mais tempo atrás e agora trocar a motorização por uma turbina sem pós-combustão atual e que saísse em conta, infelizmente vamos abandonar o A-1 muito cedo para nossos padrões um investimento jogado no lixo. Não se iludam porque o Gripen vai pelo mesmo caminho, é só olhar a LDO para 2020 e vão ver a realidade batendo à porta, quando o Gripen entrar em operação propriamente dita o caça de 6ª geração já vai estar voando e aí a FAB já vai estar obsoleta… Read more »

Mfs
Visitante
Mfs

Quanta bobagem. O primeiro lote do Gripen foi financiado a longo prazo com juros baixos e só vamos pagar o valor principal depois da entrega do último, o primeiro lote está garantido. O segundo deve ser assinado em 2022 no mesmo esquema. Com as reformas a economia vai decolar e vou rir dos pessimistas de plantão.

Juarez
Visitante
Juarez

Só te lembrando que ter ou comprar não significa poder manter e operar. A FAB aprendeu isto de forma “dolorosa”.

Mfs
Visitante
Mfs

Caças de geração 4.5 estarão em alta por uns 30 anos ainda, quanta histeria. Obsoleto? Estes caras cansam.

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Canso de dizer o mesmo caro Larri Gonçalves, porém aqui está cheio de iludidos, corporativistas ou simplesmente internacionalistas mesmo que acham que tudo que é feito aqui não presta e nunca temos capacidade de fazer nada. Mais infelizmente ainda é que no governo, FAAs e MD também está cheio de diretores que pensam assim. Vou além ao seu comentário, com a super grana investida nesse “avião de papel” poderíamos ter evoluído a plataforma do AMX para um caça 4’5 G super sônico. A própria Embraer na época anterior ao AMX tinha o projeto MPFL de um caça supersônico com um… Read more »