Home Indústria Aeronáutica Embraer revela avião de propulsão elétrica

Embraer revela avião de propulsão elétrica

4712
68

São José dos Campos-SP, 16 de agosto de 2019 – A Embraer revelou hoje, às vésperas do seu aniversário de 50 anos, imagens do avião demonstrador de tecnologia de propulsão 100% elétrica, que está em desenvolvimento. O protótipo tem um esquema de pintura especial e está preparado para receber os sistemas e componentes.

O motor e inversor da aeronave estão sendo fabricados pela WEG, na sede da empresa em Jaraguá do Sul, em Santa Catarina, como parte do acordo de cooperação científica e tecnológica para desenvolvimento em conjunto de tecnologias de eletrificação.

Dentre os avanços do projeto estão a parceria com a Parker Aerospace que será responsável por fornecer o sistema de arrefecimento do avião demonstrador da tecnologia.

Durante os próximos meses, as equipes técnicas das empresas continuarão testando os sistemas em laboratório para posterior integração no demonstrador de tecnologias e realização de ensaios em condições de operação real. O primeiro voo do protótipo está previsto para 2020.

Sobre a cooperação tecnológica

A proposta de desenvolvimento tecnológico para eletrificação aeronáutica, formalizada num sistema de cooperação entre Embraer e WEG, anunciado em maio de 2019, é um instrumento eficaz e eficiente para a capacitação e maturação das tecnologias antes da aplicação em produtos futuros.

A parceria, no âmbito de pesquisa e desenvolvimento pré-competitiva, busca acelerar o conhecimento das tecnologias necessárias à utilização e integração de motores elétricos visando o aumento da eficiência energética dos sistemas propulsivos de aeronaves inovadoras. Para os ensaios será utilizada como plataforma demonstradora uma aeronave de pequeno porte monomotor, baseada no EMB-203 Ipanema, que realizará avaliação primária das tecnologias de eletrificação.

O processo de eletrificação faz parte de um conjunto de esforços realizados pela Embraer e outras empresas do setor aeronáutico que visam atender seus compromissos de sustentabilidade ambiental, a exemplo do que já vem sendo feito com biocombustíveis para redução de emissões de carbono.

Ao estabelecer parcerias estratégicas por meio de mecanismos mais ágeis de cooperação, a Embraer estimula redes de conhecimento que permitem um significativo aumento de competitividade do país e a construção de um futuro sustentável.

Sobre a Embraer

Empresa aeroespacial global com sede no Brasil, a Embraer completa 50 anos de atuação nos segmentos de Aviação Comercial, Aviação Executiva, Defesa & Segurança, Aviação Agrícola. A Companhia projeta, desenvolve, fabrica e comercializa aeronaves e sistemas, além de fornecer Serviços & Suporte a clientes no pós-venda.

Desde que foi fundada, em 1969, a Embraer já entregou mais de 8 mil aeronaves. Em média, a cada 10 segundos uma aeronave fabricada pela Embraer decola de algum lugar do mundo, transportando anualmente mais de 145 milhões de passageiros.

A Embraer é líder na fabricação de jatos comerciais de até 150 assentos e a principal exportadora de bens de alto valor agregado do Brasil. A empresa mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

DIVULGAÇÃO: Embraer

Subscribe
Notify of
guest
68 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Antoniokings
Antoniokings
10 meses atrás

Muitíssimo interessante.
Sou entusiasta da energia elétrica nos meios de transporte em substituição aos motores convencionais.
Em que pese os desafios na aviação de grande porte, o caminho já começou a ser percorrido.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Antoniokings
10 meses atrás

É por ai Kings, temos mesmo que percorrer um grande caminho nesse modal! Vai um “like” com “L” maiúsculo. Costumo dizer que o transporte aéreo é tão vital e precioso que ultima gota de petróleo do mundo será gasta num avião. O transporte aéreo é o suprassumo dos transportes.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Ricardo Bigliazzi
10 meses atrás

Valeu Ricardo.
SDS

nonato
nonato
Reply to  Ricardo Bigliazzi
10 meses atrás

Está tentando se passar por bonzinho.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  nonato
10 meses atrás

Aguarde o próximo post.
É só vc não escrever sandices que eu te preservo.
SDS.

Blayke
Blayke
Reply to  Antoniokings
10 meses atrás

Quem é vc e o que fez com o verdadeiro kings???

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  Blayke
10 meses atrás

kkkkkkkk kkkkkkk kkkkkk

kaleu
kaleu
Reply to  Saldanha da Gama
10 meses atrás

kkkkkkkkkkk

Chris
Chris
Reply to  Blayke
10 meses atrás

Mulher dele deu “atenção” pra ele hoje….

Overandout
Overandout
Reply to  Antoniokings
10 meses atrás

Primeira vez que eu vejo o kings positivado

Jagderband#44
Jagderband#44
Reply to  Antoniokings
10 meses atrás

Não é bem por aí. Você não consome fóssil, porém o consumo energético e poluição gerada pela fabricação da propulsão elétrica ainda são altos.

Wagner
Wagner
Reply to  Jagderband#44
10 meses atrás

Exatamente, quero ver quando a maioria dos meios de locomoção dor movido por está matriz energética kkkkkk, isso é apenas o movimento natural do mercado em busca de mais lucro, quando este estiver saturado vão dizer que não é benéfico ao planeta e que precisa mudar tudo outra vez.

Salim
Salim
Reply to  Jagderband#44
10 meses atrás

O motor elétrico tem uma eficiência de 80 a 90%, já motor combustão móvel de 20 a 30%. Termoelétrica em virtude de vários reaproveitamento de energia, 60 a 70%. Se mudassemos a frota brasileira de Flex para híbrido elétrico o consumo de combustível cairia uns 30% no mínimo. A redução de poluição atmosférica e sonora também cairia substancialmente. O mundo inteligente (EUA, China, Europa,…) já tem de 20 a 30 frota híbrida ou elétrica. Aqui em função da Petrobras ser do governo e o lobby dos apaniguados ao poder bloqueiam nosso caminho pois aqui não temos quase nada. Lembro que… Read more »

Chris
Chris
Reply to  Salim
10 meses atrás

Onde mais tem hibridos é no Japao !

O problema do Brasil é o mesmo de sempre… Custos ! O povo não tem dinheiro pra comprar modelos elétricos, pois ainda custam caro !

Chris
Chris
Reply to  Jagderband#44
10 meses atrás

Ate a sua existencia no planeta causa poluiçao… A questão é a quantidade e o controle dela !

Fabricantes e governos sabem o que estão fazendo ! Fica tranquilo…

sergio ribamar ferreira
Reply to  Antoniokings
10 meses atrás

Concordo plenamente. Interessante!

Wagner
Wagner
Reply to  Antoniokings
10 meses atrás

Um século atrás os motores de combustão interna eram fracos, não confiáveis e pesados… Enfrentavam os mesmos problemas que os motores eletricos de hoje. Imaginem o que p futuro nos reserva!

Marcos Andrey
Marcos Andrey
10 meses atrás

Só esperando um maluco aparecer para dizer que a FAB tem que comprar uns 10 ou então que a Embraer deve desenvolver um Tucanão elétrico!

Tutu
Reply to  Marcos Andrey
10 meses atrás

Sem parecer louco, mas o tempo de resposta para as acelerações e o torque de tucano elétrico seriam incríveis, kkk

Porém, pelo menos por enquanto creio que as aeronaves tanto civis quanto militares irão seguir por um caminho híbrido.

RENAN
RENAN
Reply to  Marcos Andrey
10 meses atrás

É se tiver um laser em cada asa olha pode comprar uns 10 sim
Kkkkkkkkkk

Mas falando sério será que o ruído é menor? Tornando ótimo para se aproximar em vôos noturnos.

Eduardo
Eduardo
Reply to  RENAN
10 meses atrás

Menos ruído e assinatura térmica.

Mateus Lobo
Mateus Lobo
Reply to  RENAN
10 meses atrás

A hélice é a maior fonte de ruído em uma propulsão turboprop.

Hélio
Hélio
Reply to  Marcos Andrey
10 meses atrás

Não seria má ideia usar esse sistema nos futuros drones para a FAB, isso sim.

Bille
Bille
Reply to  Marcos Andrey
10 meses atrás

O que você acha que vai substituir o T25/T27? Pensando no futuro, é o que tem aí.

Welt
Welt
Reply to  Marcos Andrey
10 meses atrás

E qual o problema de nossa principal operadora de aviões e parceira em alguns projetos dar apoio às novas tecnologias ? Aprender a manutenir e ajudar a desenvolver uma tecnologia nova ? Quando a USAF apoia os projetos revolucionários nos EUA ninguém reclama. Nós temos algo muito raro aqui que é a mistura de capacidade inventiva, capacidade humana e capacidade de produção. Ainda que atrás das grandes potências, mas a frente da maiorias dos outros países e só teríamos a ganhar se as forças armadas e políticas vissem com mais atenção a capacidade R&D nesse país. abraços e sucesso aos… Read more »

Salim
Salim
Reply to  Marcos Andrey
10 meses atrás

Seria stealthy sonoro, já imaginou para CAS um avião aparecendo sem barulho e fritando oponentes.

Entusiasta Militar
Entusiasta Militar
Reply to  Marcos Andrey
10 meses atrás

“Só esperando um maluco aparecer para dizer que a FAB tem que comprar uns 10 ”

A FAB ate poderia comprar uns 10 desses e usar para apagar fogo nas florestas ou jogar veneno nas plantações de coca …

Mas com certeza ele sera muito mais útil na agricultura …

Marcos Andrey
Marcos Andrey
10 meses atrás

A empresa israelense Eviation tem o seu elétrico também o Alice, e já conta com algumas unidades em sua carteira de pedidos.

Hélio
Hélio
Reply to  Marcos Andrey
10 meses atrás

Itaipu tem o seu elétrico desde 2014 se não né engano, não sei no que o projeto deu, mas não é novidade.

Mairton Melo
Mairton Melo
Reply to  Marcos Andrey
10 meses atrás

Mas o Alice não é apenas um avião de transporte? Ou ele faz outra coisa?

Marcos Andrey
Marcos Andrey
Reply to  Mairton Melo
10 meses atrás

Sim! Transporte de passageiros!!

Mairton Melo
Mairton Melo
10 meses atrás

E o projeto Ipanema se mostra mais uma vez inovador, encarando um motor elétrico que será ótimo para aplicação no campo, com menos gastos em manutenção e também no voo. Excelente! Já nasce como um sucesso e tanto!

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Mairton Melo
10 meses atrás

Mairton, por enquanto o Ipanema é apenas a escolha lógica de um avião existente, fabricado pela Embraer, para testar a tecnologia. “Para os ensaios será utilizada como plataforma demonstradora uma aeronave de pequeno porte monomotor, baseada no EMB-203 Ipanema, que realizará avaliação primária das tecnologias de eletrificação.” Ou seja, creio que a escolha do Ipanema como plataforma permite avaliar como se comportam essas tecnologias numa aeronave já conhecida, podendo comparar os parâmetros de voo com os da versão em produção, que tem motor a combustão interna. Creio que os planos futuros da Embraer, para aeronaves elétricas, estejam mais para o… Read more »

Claudio
Claudio
10 meses atrás

O ruim de ser elétrico é que voa dez minutos e para por um dia pra recarregar as baterias .

Nei
Nei
Reply to  Claudio
10 meses atrás

Boa tarde Claudio, a WEG é da cidade de Jaraguá do Sul/SC, 15 km de onde moro, já trabalhei lá. Segundo informações aqui, descobriram que existe um novo tipo de material (componente) para ser usados em bateria, aumentando sua durabilidade e capacidade, substituindo as baterias de Líteon. Abraços

Eduardo dos Anjos
Eduardo dos Anjos
Reply to  Nei
10 meses atrás

Grafeno, vai revolucionar o setor…

Diego.
Diego.
Reply to  Claudio
10 meses atrás

Enquanto a bateria não der um salto tecnológico essas tecnologias novas não vão ser tao eficientes.

R_cordeiro
R_cordeiro
Reply to  Diego.
10 meses atrás

Impressionante como já evoluímos na arte de se reservar energia elétrica, contudo concordo contigo, toda esta evolução ainda está aquém do que seria necessário para uma revolução elétrica nos meios de transporte. Aguardemos os próximos capítulos.

Maus
Maus
Reply to  Claudio
10 meses atrás

O grafeno tem o dobro da capacidade das atuais e carrega 33 vezes mais rápido.

Marcos10
Marcos10
Reply to  Maus
10 meses atrás

Grafeno, por hora, é uma promessa.

Eduardo dos Anjos
Eduardo dos Anjos
Reply to  Marcos10
10 meses atrás

Já é realidade, a Samsung vai lançar o primeiro celular com a bateria de grafeno…

nonato
nonato
Reply to  Claudio
10 meses atrás

Alguém tem idéia do comparativo de energia existente em um tanque de combustível de aviação e em uma bateria?
Digamos que o tanque de um avião comporte 500 litros.
Qual deveria ser o peso e tamanho de uma bateria para alcance semelhante?

teropode
Reply to  Claudio
10 meses atrás

Opa! Já estamos em 2019 , celulares que carregam com 10 minutos , patinete e motos que carregam com 30 min.

100nick-Elã
100nick-Elã
10 meses atrás

Já pensou, acabar a bateria no meio do voo? kkk

Welt
Welt
Reply to  100nick-Elã
10 meses atrás

Já pensou acabar o combustível em pleno voo ?

nonato
nonato
Reply to  Welt
10 meses atrás

O problema é que combustível já é algo muito utilizado.
Acho que o ponto que ele suscitou vai que a bateria descarrega mais rápido do que o previsto ou repentinamente.
Em carros elétricas se menciona uma autonomia que nem sempre corresponde a realidade.
Vai que alguma turbulência exige mais da bateria…

SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
10 meses atrás

A Embraer devia desenvolver um avião elétrico com reator nuclear = alcance ilimitado.

Claudio
Claudio
Reply to  SmokingSnake 🐍
10 meses atrás

Se o avião cair será um desastre nuclear

Marcos Andrey
Marcos Andrey
Reply to  SmokingSnake 🐍
10 meses atrás

Se lembra do míssil que estava sendo testado na Russia????

SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
Reply to  Marcos Andrey
10 meses atrás

Já está todo mundo fazendo, só o Brasil vai ficar para trás de novo.

Tallguiese
Tallguiese
10 meses atrás

Poderia ter células fotoelétricas na superfície das asas para manter um carregamento contínuo de energia da aeronave?

nonato
nonato
Reply to  Tallguiese
10 meses atrás

Possível é.
Mas provavelmente não seria suficiente para sustentar o vôo (consumo instantâneo maior do que a produção), além de eventuais nuvens e a área das células fotovoltaicas provavelmente seria ínfima.

Tallguiese
Tallguiese
Reply to  nonato
10 meses atrás

Mas já serviria de redundância na aeronave como se fosse outro APU.

nonato
nonato
10 meses atrás

Imagino que um avião elétrico, grosso modo, seja igual a um avião convencional.
Não há mudanças aerodinâmicas.
Só muda o tamanho do motor, o espaço para baterias.
Mais uma questão de durabilidade do motor, capacidade de liberação continua pela bateria…

Foxtrot
Foxtrot
10 meses atrás

Lero lero para conseguir verbas do GF após privatização.
Que vão buscar verbas com a Boeing, atual proprietária da empresa.
Agora que o GF financie nova empresa nacional.

sergio ribamar ferreira
10 meses atrás

Fiquei entusiasmado e satisfeito. Notícia muito boa.

nonato
nonato
10 meses atrás

Acho mais uma enrolação.
Há pelo menos dez anos se fala em testes com biocombustíveis e até agora não se sabe de nada concreto.
Não vejo como algo que será colocado em prática.

Marcos10
Marcos10
10 meses atrás

Pena que não mostraram o motor.

Walfrido Strobel
Walfrido Strobel
Reply to  Marcos10
10 meses atrás

É absolutamente sem graça nenhuma um motor elétrico.
Este é o da Siemens, que está na dianteira e já fornece para a Cessna e Pipistrel.
. http://www.aerospacengineering.net/siemens-has-developed-an-electric-aircraft-engine-with-high-performances

Rene Dos Reis
Rene Dos Reis
10 meses atrás

Ipanema elétrico massa, e um grande desafio para a engenharia , o peso das baterias deve ser determinante pois a medida que consome o peso continua o mesmo, e tem ainda a concorrência dos drones no setor agrícola.

Allan Lemos
Allan Lemos
10 meses atrás

Deveriam estar desenvolvendo era um caça de 4°++ geração ou então um bombardeiro pesado,não esses aviões de papel que não servem pra nada.

Fernando EMB
Fernando EMB
Reply to  Allan Lemos
10 meses atrás

Sem noção alguma seu comentário!!!

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
10 meses atrás

O desafio das baterias, só não é maior que o de estocar vento

Eduardo dos Anjos
Eduardo dos Anjos
10 meses atrás

É realmente uma noticia muito interessante, vou além e vejo outras aplicabilidades, imaginem a tecnologia em um tanque ou helicóptero, além da diminuição do ruído, teria baixa assinatura térmica, aumentando a sobrevivência no campo de batalha… Havia algumas limitações da tecnologia, como a questão do carregamento lento e da durabilidade, agora com o grafeno isso esta sendo superado com um material que ocupa um volume muito menor, possui tempo de carregamento dezenas de vezes menor, possui alta capacidade, além de alta durabilidade pois o material é muito mais resistente… Penso que a aplicabilidade seria mais no sentido steath do que… Read more »

Luiz Floriano Alves
Reply to  Eduardo dos Anjos
10 meses atrás

Nada de novo. Estamos seguindo a tendencia mundial. A técnica de introduzir membranas de grafeno interrompe a formação dos dendritos que causam problemas nas baterias de Li-Ion. Melhor que a MB também participe desse desenvolvimentos e adote as novas baterias nos submarinos nacioais. A poucos dias um debatedor disse que se a técnica fosse boa teríamos aviões elétricos. Tai a resposta. Avião brasileiro com tecnologia nacional.

M65
M65
10 meses atrás

O Ipanema tem à versão movida à Etanol há 15 anos . Certificação completará esse tempo agora em 19/outubro.

MARCOS DA SILVA QUEIROZ RIBEIRO
10 meses atrás

Ipanema elétrico………dispersor de agrotóxicos elétrico?

Viajante
Viajante
10 meses atrás

É o Dusty Crophopper!!!!!
Valeu!