Home Aviação de Transporte Peru vai comprar o cargueiro Antonov An-178

Peru vai comprar o cargueiro Antonov An-178

22916
151
Antonov An-178 no ILA Berlin Air Show 2016. Foto: Julian Herzog

O site Defensa.com noticiou  que o Ministério do Interior do Peru, por intermédio do Comitê de Avaliação de Contratações com o Estado Estrangeiro (CECEE), deu como vencedor do “Programa de Reposição de Aeronaves Antonov An-32B – registro PNP-234 ”- o Antonov An-178.

O cargueiro ucraniano concorreu com o C-27 Spartan e o C-295 no processo de licitação. O avião fez seu primeiro voo em 7 de maio de 2015, ainda está em processo de certificação e o Peru seria seu primeiro cliente Exportação

O CECEE avaliou as características operacionais, prazos de entrega, garantias estendidas, treinamento de pessoal e compensação social e industrial (Offset), premiando o Antonov An-178 que atingiu uma pontuação 80,02 pontos. O avião foi apresentado pela Spetstechnexport ucraniana e oferecido por cerca de 65 milhões de dólares a unidade.

Em segundo lugar ficou o Leonardo C-27J Spartan, apresentado pela Direção Nacional de Armamentos da Itália e oferecido também por 65 milhões de dólares, obtendo 66,22 pontos.

O terceiro lugar foi para o Airbus C295M, apresentado pela Direção Geral do Armamento e Material (DGAM) da Espanha por 55 milhões de dólares, atingindo 58,60 pontos.

Leonardo C-27 Spartan
Airbus C295

O Antonov An-178 tem um comprimento de 32,23 m, envergadura de 30,57 m e altura de 9,65 m. A propulsão é composta 2 turbofans Progress D436-148FM, cada um com 7.650 SHP, permitindo atingir uma velocidade de cruzeiro de 825 km/h. Seu teto de serviço é de 12.200 m e o alcance em um voo com 10 toneladas de carga é de 3.680 km. Em voo “ferry” o alcance é de 5.300 km.

Tem um compartimento de carga de 167 m3 com capacidade de transporte um máximo de 18 toneladas de carga ou, dependendo da configuração, para 90 militares completamente equipados, 84 paraquedistas, 48 ​​macas ou 8 módulos de saúde e 12 médicos.

Segundo a assessoria de imprensa da Antonov, o An-178 teria despertado o interesse de países da Ásia e da América Latina e foi solicitado na Ucrânia pelo Ministério da Defesa, que planeja adquirir 15 aeronaves e está em processo de assinatura de contrato para outras 13. Espera-se que a primeira aeronave seja entregue no final de 2021.

Subscribe
Notify of
guest
151 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
1 ano atrás

Muito bom, parabéns para nosso vizinho. Pena que não comprou o nosso, mas desejo tudo de bom para os peruanos.

Ronaldo
Ronaldo
Reply to  DOUGLAS TARGINO
1 ano atrás

Boa Tarde DOUGLAS TRAGINO,concordo contigo foi uma pena mesmo a FAP não terem comprado o nosso KC-390,que transporta mais toneladas que Antonov an178,mas desejamos tudo de bom para eles

João Moro
João Moro
Reply to  Ronaldo
1 ano atrás

Acredito que se fizéssemos um consórcio com o Peru para fazer o KC-390, eles comprariam.

Pepo
Pepo
Reply to  Ronaldo
1 ano atrás

O kc 390 tem muitas peças ocidentais , eis a maior razão.

J R
J R
Reply to  Ronaldo
1 ano atrás

Ele nem participou da concorrência, eles queriam um avião menor. Tanto que nenhum concorrente do KC390 também participou.

Augusto L
Augusto L
Reply to  DOUGLAS TARGINO
1 ano atrás

Eles queriam um avião menor. Todos os 3 são de categorias abaixo do KC

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

Ainda assim, o referido antanov transporta 90 soldados equipados, categoria de c130, viável portanto para 390 concorrer.
O que não foi justo nessa concorrência foi concorrerem aeronaves como o 295 ou o spartan, esses sim, de classe mais humilde (mas não necessariamente menos táctica ou crucial).
Claro que obtiveram menos pontuação pois nem sequer eram o que o Peru procurava.

PPrr
PPrr
Reply to  DOUGLAS TARGINO
1 ano atrás

NOSSO? Que legal que vocês compraram ações da Embraer e da Boeing.

Pedro S.
Pedro S.
1 ano atrás

Qual o problema dos Peruanos ? o Kctão parece superar por muito esse cargueiro Ucraniano, não? além disso, estamos aqui do lado, falicitando futuras revisões e manutenções…. fazer o quê, né?

Tomcat4.0
Tomcat4.0
Reply to  Pedro S.
1 ano atrás

E, se não me falha a memória, não foi este avião que deu altos problemas durante os testes, questões estruturais e tal ???

teropode
Reply to  Tomcat4.0
1 ano atrás

Meu deus, sua memória seletiva fantasia até defeitos estruturais kklkklkkk , infalível memória.

Tomcat4.0
Tomcat4.0
Reply to  teropode
1 ano atrás

Não cara, não me lembro mesmo qual avião foi e não afirmei nada sobre este avião , veja a interrogação no final. Não tenho nada contra eqp de país algum tbm fiot ,já tomei pedrada defendendo eqp chinês ,russo e etc. Tem muito fan boy por estas bandas mas eu com certeza não sou um deles!!! 😉

antonov
antonov
Reply to  teropode
1 ano atrás

Por incrível que pareça, a memória seletiva do Tomcat está certa. Este avião se trata da versão militar e cargueira do AN-158 que a CUBANA DE AVIACIÓN retirou de serviço em maio de 2018, devido a diversos problemas de segurança e estruturais (falhas elétricas, hidráulicas, mecânicas, nos computadores de voo e rachaduras). Além disso, o motor Sich D-436 apresentou casos de superaquecimento na maioria dos motores da empresa. O Instituto de Aeronáutica Civil de Cuba (IACC) emitiu a ordem para a empresa em maio de 2018, que em julho de 2019 anunciou que trabalhará a Cubana de Aviación para recuperar… Read more »

Pedro S.
Pedro S.
Reply to  Pedro S.
1 ano atrás

Facilitando*****

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Pedro S.
1 ano atrás

Mas Pedro, não viu os concorrentes? Se o Kc390 não estava lá é porque não concorreu, talvez devido ao seu tempero monetário.

Brunow Basillio
1 ano atrás

Furada para FAP , não que a aeronave seja ruin, pois a própria matéria disse que ela ganhou, mas como estará a Antonov amanhã? Os próprios indiano que compram qualquer coisa saiu fora do An-132 e vai de C-295..

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
Reply to  Brunow Basillio
1 ano atrás

Verdade, mas acho que eles (peruanos) não querem armamentos ocidentais nem tão cedo, tento em vista que os mesmo já informaram que vão trocar todos armamentos ocidentais pelos Russos. Embora esta aeronave seja Ucraniana, mas não é ocidental.

nonato
nonato
Reply to  DOUGLAS TARGINO
1 ano atrás

Estranho. O Peru não tem ligações com o Foro de São Paulo.
Por que comprar tantos equipamentos não ocidentais?

Camargoer
Reply to  nonato
1 ano atrás

Olá Nonato. Veja a ironia… o Brasil seria a sede do Foro de São Paulo e comprou submarinos franceses, caças suecos, fragatas alemãs, blindados dos EUA via FMS, produz um carro de combate com os italianos, cedeu sua base de lançamento aos EUA, e vendeu a fabricação de jatos comerciais para os EUA….

Mayuan
Mayuan
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Cedeu não. Ceder é abrir mão de algo sem qualquer contrapartida e não será esse o caso.

Camargoer
Reply to  Mayuan
1 ano atrás

Olá Mayuan. Estou usando o mesmo verbo que o Senado usou para caracterizar o acordo: “Acordo para a cessão da base de Alcântara será debatido pela CRE nesta quinta” (26 de março de 2019). Então, o uso do verbo “ceder” para o acordo é oficial.

JOAO LUIZ BARRETO PASSOS
JOAO LUIZ BARRETO PASSOS
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Prezado Camargoer,
Com a devida vênia e, apenas para o devido esclarecimento, em direito, existem 2 (dois) tipos de cessão: a título gratuito (ex.: comodato, mais, conhecido pelos leigos jurídicos por empréstimo) ou a título oneroso (ex.: mútuo – cessão de dinheiro, mediante pagamento a prazo com juros; locação – cessão de bem móvel ou imóvel, mediante pagamento pelo uso e gozo do bem; etc). Assim, não se pode afirmar que a ‘cessão’ analisada pelo Senado, é a título gratuito, somente com base numa ‘manchete’.

Camargoer
Reply to  JOAO LUIZ BARRETO PASSOS
1 ano atrás

Olá João. Obrigado pelo comentário. Acho que algum colega inferiu que fosse gratuito. Eu escrevi que Alcântara foi “cedida” aos EUA exatamente como o Senado divulgou a audiência pública da Comissão de Ralguéelações Exteriores e Defesa Nacional (CRE). Acho que eu escrevi certo…

Mayuan
Mayuan
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Grato a ambos pelo esclarecimento. Achei interessante intervir pois, no bojo do texto, a palavra, embora correta, como explicado, trazia a ideia de gratuidade. É sempre bom dialogar com pessoas educadas como vocês. Grato.

Camargoer
Reply to  Mayuan
1 ano atrás

Caro Mayuan. Acho que esse é o objetivo da trilogia, permitir o debate honesto e se possível com bom humor. Um grande abraço.

Edson Parro
Edson Parro
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Camargoer marotinho…

Camargoer
Reply to  Edson Parro
1 ano atrás

Olá Edson. Vou assumir que seja um elogio.

Jorge Marques
Jorge Marques
Reply to  JOAO LUIZ BARRETO PASSOS
1 ano atrás

Esse dinheiro vai pra onde mesmo?

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Mayuan
1 ano atrás

Mayuan, ceder não é o mesmo que oferecer, mas oferecer pode muito bem ser ceder, se é que me faço entender.
Portanto, eu vendo: eu cedo, temporária ou permanentemente, algo a troco de dinheiro.
Portanto, eu ofereço: eu cedo a troco de nada.
Ou, por exemplo, eu cedo: normalmente devido a pressão de outrem, envolva dinheiro ou não, cedi a pressão ou aos termos de alguém.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Isso é para vc ter uma ideia do monte de asneiras que andam falando por aí.
Tempos de fake news.

Camargoer
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Caro Antonio. Independente da inclinação ideológica (centro-esquerda ou centro-direita), é preciso alguma prudência para expressar opiniões. O Art.5 da CF88 que garante a livre manifestação do pensamento, da liberdade de consciência e da livre expressão independentemente de censura ou licença, também garante o direito de resposta e a indenização por dano, o que nos faz pensar que a livre expressão deve ser fundamentada na verdade. Talvez nossos colegas da área de direito possam nos ajudar a entender melhor esse trecho da CF88. Apenas uma observação: não existe algo neutro em política, por isso parece-me incorreto falar de “centro” ou “centrão”.… Read more »

Wagner
Wagner
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

A Embraer nao pertencia ao Estado já um bom tempo. Foi negócio de industria privada x industria privada. Nao tem porque falar que o “Brasil vendeu” a Embraer. Ademais o pessoal que eu conheço de lá de Gavião Peixoto está bem feliz.

Camargoer
Reply to  Wagner
1 ano atrás

Caro Wagner. Segundo o Art.9 do estatuto da Embraer, a “golden share” permitia à União vetar (entre outras coisas) “VI. Transferência do controle acionário da Companhia”. Portanto, a decisão final foi tomada pelo governo brasileiro.

Nilton Reis Jr
Nilton Reis Jr
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

@camargoer quanto mais irrefutável for teu argumento, mais atacado ele será (salmos, 666:13),#ficaadica

Camargoer
Reply to  Nilton Reis Jr
1 ano atrás

Olá Nilton. Obrigado pela dica (só não encontrei o Salmos sugerido).

José Humberto Da Silva
José Humberto Da Silva
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Na verdade, existe países que querem ter relevância no mundo e outros com o Brasil que querem ser capachos, simples assim, quem quer viver na era da tecnologia e do conhecimento desistindo de concorrer com valor agregado e ficando só de comodites, não passa de colônia, nunca quis deixar de ser…

Fernando EMB
Fernando EMB
Reply to  José Humberto Da Silva
1 ano atrás

Não entendi… José Humberto… ??? O que quiz dizer?

Coutinho
Coutinho
Reply to  Fernando EMB
1 ano atrás

Foi trollagem Fernando. Ignore.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Correcto camargoer, eu não sou brasileiro e até eu sei disso, ideologias podem causar a alguns de nós uma completa negação aos factos.

Ironcop
Reply to  Wagner
1 ano atrás

A verdade é que grande parte dos acionistas nem eram brasileiros, e assim como compraram suas ações… assim as venderam. O que se sabe é que essa negociação data desde 2008 (ou anterior a isso), não foi feito nada as pressas, o mercado se auto-controla e não precisa do Estado para lhe ensinar a fazer isso.

EduardoSP
EduardoSP
Reply to  Ironcop
1 ano atrás

O mercado se auto-controla apenas nas situações de concorrência perfeita, estudadas nos cursos de Microeconomia I.
Veja lá os 5 pressupostos da concorrência perfeita, começando pela não existência de barreiras de entrada e o pressuposto da informação perfeita.

Camargoer
Reply to  EduardoSP
1 ano atrás

Olá Eduardo. Você tem razão ao dizer que o mercado não é racional. Ainda sentimos os efeitos da crise de 2008. Outro ponto pouco lembrado é que a o “laissez-faire” foi proposto para a economia no final do Sec XVIII, bem distante do capitalismo financeiro globalizado do início do Sex XXI. Sei lá….

marcus
marcus
Reply to  Wagner
1 ano atrás

E o que você me diz disso?
O Trump fez isso.
https://tecnoblog.net/236212/broadcom-qualcomm-ordem-trump/

Jorge Marques
Jorge Marques
Reply to  Wagner
1 ano atrás

Privada entre “aspas” Capital quase que total do estado para tudo. Fácil assim. Estado oferecer toda a estrutura $$$$ e depois de ser privatizada por um preço bem aquém do empregado. Que por sinal vai ser desempregado por aqui ao pé da letra.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Seria não…

Era…

Fora o que está na Lava-Jato, ainda tem o que irá entrar destes acordos do tempo do Foro

Camargoer
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
1 ano atrás

Olá Rodrigo. Geralmente, quando a “lava-jato” vira argumento, eu sugiro o estudo da FIESP que estimou uma perda de R$ 150 bilhões em 2015 devido a paralisação da economia causada pela operação.

MMerlin
MMerlin
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

Artigo de vital importância. Deveria ser lido por todos os políticos e empresários que utilizam a corrupção como um dos alicerces de ganho de poder e crescimento econômico (respectivamente). O artigo demonstra a consequência da “exposição pública” (no bom sentido) dos crimes cometidos com as contas públicas nas últimas gestões. Infelizmente não foi mais a fundo (FHC e abaixo). Sinceramente, trazendo benefícios no processo eletivo bem como na gestão e gerenciamento (são áreas diferentes) do dinheiro público, não vejo a situação como fundo perdido. Eu disse “trazendo benefícios”, porque acredito que ainda teremos mais uma ou duas gestões para analisar… Read more »

Denis
Denis
Reply to  Camargoer
1 ano atrás

E de qual dos nossos hermanos poderíamos comprar estas belezinhas?

Nunão
Nunão
Reply to  nonato
1 ano atrás

“Estranho. O Peru não tem ligações com o Foro de São Paulo.
Por que comprar tantos equipamentos não ocidentais?”

Nonato, o Peru já comprava equipamentos não ocidentais desde muito antes da galinha dos ovos vermelhos botar o Foro de São Paulo.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  DOUGLAS TARGINO
1 ano atrás

Estão errados? Sei não. O problema é que com armamentos ocidentais existe sempre o torcer do braço na forma de embargos. O KC 390 por exemplo, ainda que seja em minha opinião melhor poderia ter suas partes de reposição embargadas, pois tem motor americano.
Historicamente temos o horrível exemplo da Guerra Das Malvinas, quando eles foram deixados na mão exatamente na Hora H.

sergio ribamar ferreira
sergio ribamar ferreira
Reply to  Joao Moita Jr
1 ano atrás

Concordo. Embargos acontecem. Um exemplo bem citado. Grande abraço

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
Reply to  Joao Moita Jr
1 ano atrás

Peru, Malvinas ? Tem certeza ?

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Carlos Alberto Soares
1 ano atrás

Ele citou as Malvinas como exemplo, até hoje a Argentina tem dificuldades de comprar material militar. No caso do Peru a bronca era com o Chile, hoje estão bem mais amigáveis, mas até pouco tempo atrás o clima era pesado e os chilenos são mais próximos dos EUA do que o Peru e numa eventual conflito, que não existe chance de ocorrer no momento, os EUA se aliariam ao Chile.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Fabio Araujo
1 ano atrás

O problema da Argentina, tem outro nome..

Dinheiro..

Nem da Rússia e da China tem grana para comprar

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Carlos Alberto Soares
1 ano atrás

Quando me referi a “eles”, estava me referindo aos Argentinos. Um simples exemplo.

Luiz Konfidera
Luiz Konfidera
Reply to  Joao Moita Jr
1 ano atrás

Embargos podem vir tanto dos EUA quanto da Russia, é só lembrar que os Iranianos querem comprar o S400, e os Russos não vendem.
Se não quer depender dos outros, desenvolva sua própria indústria de defesa, do contrário terá que jogar o jogo diplomático com as regras dos outros.

Thiago
Thiago
Reply to  Joao Moita Jr
1 ano atrás

Não precisa dos embargos pra ficar sem fornecedores não ocidentais. Vide o caso da mexicana internet que tem 22 jatos russos SSJ100 dos quais 15 não voam por falta de peças de reposição.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  DOUGLAS TARGINO
1 ano atrás

São aeronaves de categorias (e consequentemente preços) diferentes.

Mas eu fiquei surpreso de vocês não saberem do histórico peruano em utilização de aeronaves soviéticas/russas. Se procuram uma maior comunalidade de peças ou diminuição da curva de aprendizado e melhoria logística para chegarem à uma economia maior em suas operações, essa escolha, que não me surpreendeu, pode ser muito bem o caminho certo para eles.

Wagner
Wagner
Reply to  Leandro Costa
1 ano atrás

Isso mesmo!

Pepo
Pepo
Reply to  Leandro Costa
1 ano atrás

Perú usa Antonov pelo menos uns 30 anos

Mauricio R.
Reply to  Brunow Basillio
1 ano atrás

A IAF está modernizando seus AN-32 na Ucrânia, o C-295 será o substituto do Avro/HS/BAe 748; C-91 na FAB.
Quem saiu do An-132, foi a Arábia Saudita.

Diego.
Diego.
1 ano atrás

O Brasil é cheio de vizinhos … tomara que um dia não precisem de nós, lembraremos.

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
Reply to  Diego.
1 ano atrás

Que revolta é essa amigo, cada um compra o que acha que é melhor para seu país.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  DOUGLAS TARGINO
1 ano atrás

O KC-390 está parecendo que será um caso clássico de ‘expectativa x realidade’.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

O 390 não participou do RFP …..

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Carlos Alberto Soares
1 ano atrás

Exatamente.

Gonçalo Jr.
Gonçalo Jr.
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Você não tem a menor cognição mental e abstração da realidade. O KC-390 é outra categoria de aeronave. A competição peruana previa aeronaves com 16 a 18 toneladas full para transporte e não 26 toneladas como é o caso do KC-390. Mais um caso de cabresto ideológico que não se importa com o país e sim com essa ideologia torta e anacrônica.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Gonçalo Jr.
1 ano atrás

Estou me referindo à quase total ausência de encomendas de KC-390.
Independentemente do tipo de licitação.
Mais um tipo de cabresto ‘tecnocrático’ que não busca expandir o raciocinio.
Ok?

Alex Stelio
Alex Stelio
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

O avião nem operacional é e já foi comprado pelo Brasil e Portugal

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Alex Stelio
1 ano atrás

Brasil era ‘questão de fé’.
Portanto, Portugal é o único cliente, por enquanto.
Por isso, escrevi ‘à quase total ausência’.
Aguardemos.

André
André
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Bem, o kc390 já tem infinitamente mais clientes internacionais que o su57…

MARCELO DE OLIVEIRA JORGE
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

PT PT PT PT PT PT PT PT PT PT PT PT PT PT

Top Gun Sea
Top Gun Sea
Reply to  MARCELO DE OLIVEIRA JORGE
1 ano atrás

Vou entender que você está falando de Perda Total.

Chris
Chris
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Rapaz… Vc devia mesmo se mudar pra Russia e China… Já que nem produtos do seu país, aparentemente presta, p vc !

Só fica faltando entender pq vc vangloria tanto os aviões russos e chineses… Sendo que hoje em dia, quase ninguém os compra tbem !

Alex Stelio
Alex Stelio
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Realmente, o KC-390 é um avião com capacidade de 26 toneladas e o Peru não requisitou O avião desse porte, deixa isso para quem precisa, Brasil, Portugal por exemplo. Pelo amor de Deus deixa de ideologia barata

Heinz Guderian
Heinz Guderian
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Cara#@@@ tua ideologia sobrepõem teu patriotismo, se é que existe.

Chris
Chris
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Afirmação estranha, vindo de vc ! Pois… Quase ninguém compra seus aviões russos e chineses tbem….

E pra vc… São as ultimas maravilhas do mundo !

Dudu
Dudu
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Exato Kings,sua expectativa é muito menor do que será a realidade,suas opiniões parecem ser casos clássicos de equívocos.

rui mendesmendes
rui mendesmendes
Reply to  Diego.
1 ano atrás

Passam a vida a dizer mal deles, e em alguns casos, até queriam entrar em guerra com eles, e no fim eles iam comprar o vosso armamento. Vendam aos USA, ou Israelitas (ou Chineses e Russos) não é quem vcs adoram?

JT8D
JT8D
Reply to  rui mendesmendes
1 ano atrás

Entrar em guerra com quem? Falar mal de quem?
Explica aí amigão, esse papo tá muito sem nexo

RAWICZ
RAWICZ
1 ano atrás

Me chamou atenção a capacidade do avião.

“Tem um compartimento de carga de 167 m3 com capacidade de transporte um máximo de 18 toneladas de carga ou, dependendo da configuração, para 90 militares completamente equipados, 84 paraquedistas, 48 ​​macas ou 8 módulos de saúde e 12 médicos.”

Quando se acessa o Wikpedia link abaixo
https://pt.wikipedia.org/wiki/Embraer_KC-390

Apesar de levar 23 toneladas de carga, transporta “oitenta soldados equipados ou 64 paraquedistas”

Ou seja nosso KC leva mais carga mas menos militares?

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
Reply to  RAWICZ
1 ano atrás

Pode ser a configuração dentro do avião ou a logística de cada país em informar quantas pessoas cabem dentro de acordo com o que eles trabalham. Sei lá, deve ser isso.

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
Reply to  RAWICZ
1 ano atrás

Tipo, os Ucranianos são bem maiores que os brasileiros no geral, deve ser isso kkkkkkkkkkk

Kemen
Kemen
Reply to  DOUGLAS TARGINO
1 ano atrás

Gorduchos isso sim, me lembro do comentario de um filme, porque os ucranianos são tão feios e as ucranianas são tão lindas? deve ser a lei da compensação! KKKKKKKK

Gonçalo Jr.
Gonçalo Jr.
Reply to  RAWICZ
1 ano atrás

Informações no site da empresa. No site da Antonove sobre essa aeronave diz realmente 18 ton. O estranho é levar 90 soldados, 84 para quedistas. Soldados e paraquedistas têm equipamentos bem distintos. Não está muito bem informado isso. Um paraquedista totalmente esquipado leva uma carga muito maior que um soldado.
https://www.antonov.com/an-178

Clésio Luiz
Clésio Luiz
1 ano atrás

Decisão arriscada do Peru, devido unicamente a situação financeira da Antonov e política da Ucrânia.

No mais, eles estavam procurando por uma aeronave numa categoria menor que o KC-390, que leva o dobro de carga e custa muito mais caro por unidade. Então não é uma perda para a Embraer, mas para a Leonardo e Airbus.

rui mendesmendes
rui mendesmendes
Reply to  Clésio Luiz
1 ano atrás

O dobro??? O Antonov leva 18t, contra 23t do KC390, isso é apenas 5t mais, não o dobro.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
Reply to  rui mendesmendes
1 ano atrás

Se for para contar o máximo possível, o valor é 26T no KC-390.

Mas como raramente as missões saem com carga máxima, me referia a carga útil x distância, é mais ou menos o dobro. Devia ter deixado mais claro.

rui mendesmendes
rui mendesmendes
Reply to  Clésio Luiz
1 ano atrás

E o Antonov, é mais da categoria do KC390, do que do C27 e do C295, que nem são aviões com motores a jactos. E levam uma quantidade de carga parecida, enquanto o C27 e o C295 levam menos carga.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  rui mendesmendes
1 ano atrás

E exatamente por isso percebe qual a vantagem óbvia que os Peruanos enxergaram no projeto. O Antonov é um comprometimento, algo entre as duas categorias de aeronave, capaz de carregar mais carga do que os concorrentes diretos, mas por um preço pouco acima dos mesmos, ou equivalente.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Clésio Luiz
1 ano atrás

Perder uma concorrência, neste caso, não é uma perda, só significa que estavam na concorrência errada, porque pelos pontos que receberam, não eram sequer o tipo de aeronaves procuradas pelos peruanos. Achei bem estranho, era derrota na certa.

Vinicius Momesso
Vinicius Momesso
Reply to  Clésio Luiz
1 ano atrás

Se não fosse de Antonov, iria de Ilyushin ou outra empresa “não ocidental”. Ágora so por que o Peru gosta de armas desses fornecedores merece ser execrado?

Marcos
Marcos
1 ano atrás

Quando o brasileiro bate no peito rejeitando a sua identidade latino-americana os “especialistas” ficam abismados.

O Peru vai se aventurar com um equipamento de um país que atualmente está em guerra civil e que possui um futuro recheado de incertezas. Parabéns para os políticos e militares peruanos.

O Brasil como sempre já se acostumou com as facadas dos vizinhos. Argentina comprando o AT-6, o Peru comprando o KAI KT-1 e agora o AN-178

737-800RJ
737-800RJ
Reply to  Marcos
1 ano atrás

Por isso que, na minha humilde opinião, devemos estreitar laços com gente do nosso porte e que pode nos oferecer parcerias de alto nível: Estados Unidos, Itália, Japão, Israel, Alemanha…
O Brasil possui um potencial econômico e militar gigantesco, então devemos nos juntar com quem já se estabeleu como potência nestes quesitos.

FighterBR
FighterBR
1 ano atrás

Calma aí. Eles compraram uma unidade do Antonov para a polícia peruana.

João Moro
João Moro
1 ano atrás

Acredito que o KC-390 seria melhor para eles mas eles são soberanos e os respeito.
Ademais, penso que por eles já terem utilizado uma versão inferior do Antonov, de saberem fazer manutenção dos aviões desta empresa e da facilidade de aprendizagem deva ter contado.

Pedro
Pedro
1 ano atrás

Mas o Peru já operava o C-27! Estranho isso……aeronave totalmente distintas (um jato, dois turbo, sendo que os tres tem capacidades de carga e voo bem diferentes). Agora entregar vai ser outra coisa, pois a Antonov esta em uma situação financeira difícil e ainda por cima a maioria de seus fornecedores estavam na Russia.

Eduardo
Eduardo
1 ano atrás

Quantas unidades o Peru pretende adquirir?

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Eduardo
1 ano atrás

Me perguntei a mesma coisa

FighterBR
FighterBR
Reply to  Eduardo
1 ano atrás

Uma unidade. E será para a polícia do Perú

Benjamim
Benjamim
1 ano atrás

Ele só não compram o 390 por que seria muito estranho o KCtão entrando no Peru 🙂

Ironcop
Reply to  Benjamim
1 ano atrás

O duplo sentido é uma dádiva dos ninjas.

Dario Renato
Dario Renato
Reply to  Benjamim
1 ano atrás

Quer dizer que o Mexico leva?

Gabriel BR
Gabriel BR
1 ano atrás

É um baita avião! A indústria bélica ucraniana tem muito a oferecer.

Carlos
Carlos
Reply to  Gabriel BR
1 ano atrás

Para quem se esqueceu, aquele modelo U/ C chamado Antonov AN 224 Meti a e produto ucraniano… Não tem similar.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
1 ano atrás

A Embraer entrou na disputa? A reportagem não citou o KC-390 entre os três primeiros ? O KC-390 é um pouco maior 33,9m x 32,23m e leva mais carga 23Ton x 18Ton, teria chance na disputa!

Fabio Mayer
Fabio Mayer
Reply to  Fabio Araujo
1 ano atrás

Provavelmente o RFP exigia aeronaves já em linha, com capacidades testadas e aprovadas. Ou, ainda, talvez a Embraer nem tenha se candidatado!

Gonçalo Jr.
Gonçalo Jr.
1 ano atrás

Informações no site da empresa. No site da Antonov sobre essa aeronave diz realmente 18 ton. O estranho é levar 90 soldados, 84 para quedistas. Soldados e paraquedistas têm equipamentos bem distintos. Não está muito bem informado isso. Um paraquedista totalmente esquipado leva uma carga muito maior que um soldado.
https://www.antonov.com/an-178

Fabio Mayer
Fabio Mayer
1 ano atrás

O Peru opera várias aeronaves de procedência russa/ucraniana. Mig 29, SU 25, Mi 25, Mi 35, Antonov… não é novidade para eles o pós-venda, o preço,a logística de aquisição de peças e manutenção.

Decisão acertada com seu histórico, somente isto!

Sérgio Luís
Sérgio Luís
1 ano atrás

O Peru gosta de equipamentos russos e ñ é de hoje!

Gabriel BR
Gabriel BR
Reply to  Sérgio Luís
1 ano atrás

Equipamento russo é robusto e confiável

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Gabriel BR
1 ano atrás

Depende. Vários equipamentos, de diversas origens são robustos e confiáveis. Basta ter logística para isso e ser utilizado em condições corretas.

LucianoSR71
LucianoSR71
1 ano atrás

São categorias diferentes, não só pela capacidade de carga que deve ser olhada c/ cuidado pois se ele levar 18t seu alcance é de somente 1.000km, enquanto o KC-390 leva 26t por 2.111km / 23t por 2.815km / 14t por 5.056km, mas grau de sofisticação da eletrônica embarcada e sobretudo já ser um reabastecedor e poder ser reabastecido em voo também – não vi sonda de reabastecimento em nenhuma foto do An-178. Seu preço por esses e outros fatores ( incluindo a situação da Ucrânia ) deve ser bem menor que o KC-390.

Salim
Salim
1 ano atrás

A FAB tem 12 C295 (amazonas ) . São aviões de uma categoria diferente do KC390. Menores, mais bara tos de operar, utilizam pouca pista ( aqui Brasil entraram lugar búfalo ). Quanto as capacidades transporte tropas, acredito que ta meio forçado os nrs, dimensões menores e carregam mais paraquedistas!?!!

Leonardo M.
Leonardo M.
Reply to  Salim
1 ano atrás

São 13 agora

Perdemos um em acidente não me lembro em qual estado algum tempo atrás e recebemos dois c-295 CSAR

Jonathan Pôrto
Jonathan Pôrto
1 ano atrás

Nosso lindo KC-390 que ninguém quer, até mesmo a FAB enrola pra adquirir e incorporar oficialmente o Primeiro na frota !!!

Tutu
Reply to  Jonathan Pôrto
1 ano atrás

🤦‍♂️

Gabriel
Gabriel
1 ano atrás

O Peru sempre teve uma queda por armamentos daquela região, não sei por qual motivo mas sempre foi assim, basta dar uma olhada no que eles tem; Mig 29, Sukhoi SU 25, T 62, Mi 35, Mi 17, Mi 8, ZSU-23-4 Shilka, T55…e por aí vai.

Gabriel
Gabriel
Reply to  Gabriel
1 ano atrás

*T55, eles não possuem T62 kkk

Juarez
Juarez
1 ano atrás

Tem louco para tudo Um projeto novo, ucraniano, apoio técnico no mínimo duvidoso e os caras vão lá de boi de piranha.

Pepo
Pepo
1 ano atrás

O Peru tem tradição com aeronaves da Antonov , o Peru sofre de embargos com armas ocidentais , o KC 390 tem muitas peças ocidentais , o kc só serve para Brasil , Colômbia e Chile aqui em América do sul.

Jorge Lee
Jorge Lee
1 ano atrás

Acho que ninguém se atentou, mas o Peru perdeu uma oportunidade de padronizar a frota, pois já é usuário do C-27 Spartan. Isso, ou como foi levantado anteriormente, eles adotaram uma política de diversificação de fornecedores para não “colocarem todos os ovos no mesmo cesto”.

Em relação ao KC-390, ele não participou dessa RFP, apesar de ter sido demonstrado recentemente lá. Ele deve substituir o Hércules (na verdade um L 100-20, versão civil) que é operado pelo Esquadrão 842.

Gerson
Gerson
1 ano atrás

O

Gerson
Gerson
1 ano atrás

O kc ainda esta na em fase de testes, ou seja, ainda nao esta totalmente pronto, portanto nao pode serexportado.

JT8D
JT8D
1 ano atrás

O problema da Embraer vender na América Latina é que os produtos da Embraer tem classe mundial e a América Latina (com a honrosa exceção do Chile) só compra equipamento de segunda linha

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  JT8D
1 ano atrás

Pois é, também acho estranho ter tanto usuário de Tucanos, Super Tucanos, Bandeirantes, Brasílias e outros aviões da Embraer por aqui. Parece até que são campeões de venda ou coisa parecida…

/sarcasm

Heli
Heli
1 ano atrás

Imagina o pesadelo logístico… conseguir peças para um motor Progress D-436 não deve ser nada fácil visto que tal motor deve ter vendido ate o momento apenas dezenas de unidades contra, por exemplo, milhares do motor do IAE que equipa o KC39 (que nem na concorrência tava). Enfim, boa sorte a FAP.

Peter nine nine
Peter nine nine
1 ano atrás

Não sabia desta, nunca tinha reparado, o Brasil não usa o c295, mas sim um modelo mais pequeno do avião, proveniente da versão civil com as devidas alterações.
Não sabia, pensei sempre que fosse um 295, adaptado às necessidades brasileiras e denominado de 105, mas na realidade tem menos 50 por cento de carga útil que a versão 295 sendo também de menores dimensões.

Walfrido Strobel
Walfrido Strobel
Reply to  Peter nine nine
1 ano atrás

A versão menor do C-295 é o CN-235 que tem versão civil , que o Brasil não usa nem na versão militar nem na civil.
O Brasil usa o C-295 denominado na FAB C-105.
.comment image

Walfrido Strobel
Walfrido Strobel
Reply to  Walfrido Strobel
1 ano atrás

Este é o interior do CN-235 de passageiros.
.comment image?w=650&h=430&mode=max

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Walfrido Strobel
1 ano atrás

Walfrido, eu sei disso, o que estou a dizer é que o 235 tem uma versão militar, versão essa que, a exemplo, tem como clientes a força aérea de Espanha, e do Brasil com a denominação 105. O 295, aparentemente, não é a versão usada pela força aérea brasileira com a denominação 105 mas sim o 235. Atencao que não estou a afirmar nada, como disse, nem eu sabia, sempre pensei que fosse o 295. Mas errou numa coisa, o 235 não é uma versão civil do 295, é ao contrario: o 235 é o original, vendido para fins civis… Read more »

LucianoSR71
LucianoSR71
Reply to  Peter nine nine
1 ano atrás

Amigo, vc está confundindo as coisas. A FAB cria seus próprios códigos que muitas vezes não seguem o do fabricante, por exemplo o Mirage III era chamado de F-103, nesse caso passou a ser C-105 Amazonas. P/ tirar as dúvidas, vá no link abaixo e depois click no item Military operations, verá que o fabricante cita o Brasil e ainda tem fotos deste c/ as cores da FAB.
https://www.airbus.com/defence/c295.html

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  LucianoSR71
1 ano atrás

Exacto luciano, comentei para ter a certeza. Sim, isso da cultura da FAB adoptar diferentes denominações para os seus modelos de aeronaves (que eu já agora não vejo sentido nenhum) já era de meu conhecimento. A minha dúvida surgiu quando a ler um artigo ao acaso, que referia o C295 e as suas diferentes versões, me deparei com um c105(c295 portanto) a ilustrar a informação referente à versão cn235, como tinha esta página aberta no browser, decidi comentar e tirar a dúvida. Confiante de que o artigo estava erroneamente ilustrado fui pesquisar, algo que só me confundiu ainda mais, pois… Read more »

LucianoSR71
LucianoSR71
Reply to  Peter nine nine
1 ano atrás

Essa coisa mudar código/nome vem de longe, veja por exemplo na 2ª GM o Grumman F4F Wildcat na Royal Navy passou a ser Martlet – não gosto muito disso, mas o cliente tem sempre razão: pagou pode chamar até de Chico, sr.
Abs.

Flanker
Flanker
Reply to  Peter nine nine
1 ano atrás

Peter, o CN-235 é umaaeronave desenvolvida entre a CASA, espanhola, e a IPTN, da Indonésia. CN é de CASA Nurtanio. O C-295 é um desenvolvimento dessa aeronave, com maior comprimento, capacidade de carga ,motorização e alcance. E foi dessa versão, a -295, que a FAB adquiriu 12 exemplares, na versão cargueira e mais 2 na versão SAR (há possibilidade de encomendar uma 3ª unidade dessa versão). Como o LucianoSR71 explicou, a FAB cria denominações para algumas de suas aeronaves, como o citado Mirage F-103 e o C-295 passou a ser chamado de C-105 (SC-105 em sua versão SAR).

Space Jockey
Space Jockey
Reply to  Peter nine nine
1 ano atrás

Por curiosidade, vc é português ?

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Space Jockey
1 ano atrás

Sim spacey, já referi diversas vezes em comentários na trilogia que sou de Portugal.

Flanker
Flanker
Reply to  Peter nine nine
1 ano atrás

Peter, de onde você tirou essas informações??? A FAB não opera e nunca operou o CN-235. Opera, sim, o C-295, que aqui é chamado de C-105.

http://spotter.com.br/esquadroes/arara_03.htm

http://spotter.com.br/esquadroes/pelicano_03.htm

http://spotter.com.br/esquadroes/onca_03.htm

Heitor
Heitor
1 ano atrás

Esse cargueiro é lindo dms ein…

Walfrido Strobel
Walfrido Strobel
Reply to  Heitor
1 ano atrás

E tem versão de passageiros, o An-148/158, a diferença externa é o trem de pouso principal mais fraco e as janelas.
.comment image

Chaves
Chaves
1 ano atrás

Ainda acho que o kc390 seria a melhor opção para eles! Mas……

Johnny
Johnny
1 ano atrás

Na matéria não consta quantidade pretendida pelos peruanos. Como operam apenas dois C-130, não acredito que seja um número expressivo de aeronaves a ser adquiridas.

Rommelqe
Rommelqe
1 ano atrás

O AN-178 foi comprado pelo Azerbaijão, 10 unidades, conforme aqui mesmo no Aereo, duas dasquais teriam sido entregues no ano passado. Ha algum outro cliente alem deste e do Peru ?

Walfrido Strobel
Walfrido Strobel
Reply to  Rommelqe
1 ano atrás

A Silk Way comprou 10 unidades segundo foi anunciado, mas ainda não receberam nenhum, acabaram aposentando seus An-12 sem receber seu substituto. Hoje voam com 7 Il- 76.
Esta empresa foi acusada de fazer voos ilegais para o governo dos EUA transportando armas de Israel e outros países através da contratação por empresas laranja.
.comment image

Marcelo
Marcelo
1 ano atrás

Sem tretas, Antonov, maior espaço interno, robusto, simples e confiável,feitos para durar.

Torama
Torama
1 ano atrás

Lava-jato*

Walfrido Strobel
Walfrido Strobel
1 ano atrás

Esqueceram um detalhe, a Policia Nacional do Peru vai comprar o An-178 para substituir seus velhos An-32 , que já possui toda estrutura para trabalhar com aviões ucranianos, ferramental e pessoal para fazer inclusive as grandes revisões.
. http://www.takeoffperu.com/2014/09/15/la-pnp-programa-el-mantenimiento-de-los-antonov-32

Walfrido Strobel
Walfrido Strobel
Reply to  Walfrido Strobel
1 ano atrás

Uma correção, a Polícia peruana tem experiência no uso dos An-32, mas fez uma licitação para fazer a grande revisão, mas ganhou uma empresa colombiana que não era autorizada da Antonov e com valor superior ao máximo e cancelaram.
. https://www.defensa.com/peru/declarada-desierta-peru-inspeccion-mayor-antonov-an-32b-aviacion

Walfrido Strobel
Walfrido Strobel
Reply to  Walfrido Strobel
1 ano atrás

No fim das contas a Antonov credenciou uma empresa peruana a fazer as manutenções dos An-32, a Marinha e o Exercito também estavam com problemas pois queriam fazer manutenção no Peru sem enviar os aviões a Ucrânia.
. https://www.defensa.com/peru/adjudica-infora-limited-extension-vida-util-an-32b-ejercito-peru

Walfrido Strobel
Walfrido Strobel
Reply to  Walfrido Strobel
1 ano atrás

Antonov Design Bureau (ADB, Gostomel) along with the Infora Ltd investment firm, the Ilyushin Finance Co. leasing company and various undisclosed Peruvian partners have begun negotiations over the proposed construction of a dedicated USD250million Antonov production and MRO facility in Peru. According to the local Peruvian press, once online, the facility will manufacture An-2, An-26 and An-32 turboprops – the most common variants found in South America. The development was announced at the recent handing-over ceremony of an Antonov aircraft to the Fuerza Aérea del Perú (FPR, Lima Las Palmas) in Lima. “The harsh conditions found in various Latin American… Read more »

Joli Le Chat
Joli Le Chat
1 ano atrás

Se esses aviões forem fabricados na futura fábrica da Antonov em Ilhéus, o Brasil vai se dar muito bem com essa venda.
Torcendo aqui para que dê tudo certo.