Home Aviação de Ataque Ancara: Decisão dos EUA de excluir a Turquia do programa F-35 contradiz...

Ancara: Decisão dos EUA de excluir a Turquia do programa F-35 contradiz o espírito da aliança

3039
77
F-35A da Turquia
F-35A da Turquia

ISTAMBUL – Ancara criticou na quarta-feira os Estados Unidos por sua decisão de excluir a Turquia do programa F-35 por causa da compra de um sistema de defesa antimísseis S-400 da Rússia.

“Este passo unilateral é incompatível com o espírito de aliança e não depende de nenhuma justificativa legítima”, disse o Ministério das Relações Exteriores em comunicado, rejeitando a alegação de Washington de que a compra do sistema S-400 pela Turquia enfraqueceria o programa do F-35.

“O fato de nossa proposta de estabelecer um grupo de trabalho com a Otan para discutir essa questão não foi correspondido é o indicador mais óbvio do preconceito do lado americano e a falta de vontade de resolver essa questão de boa fé”, disse o ministério.

O comunicado disse que o compromisso dos EUA com a parceria estratégica com a Turquia deve ir além das palavras, especialmente na luta contra grupos terroristas como o Daesh, o PKK, as Unidades de Proteção ao Povo (YPG) e o Grupo Terrorista Gülenista (FETÖ).

“Conclamamos os EUA a reconhecerem esse erro, que vai causar danos irreparáveis ​​em nosso relacionamento”, disse o ministério.

A Casa Branca disse na quarta-feira que não é mais possível que a Turquia esteja envolvida no programa do F-35, citando a decisão de Ancara de comprar o sistema russo de defesa aérea S-400 como a principal razão por trás da decisão.

“O F-35 não pode coexistir com uma plataforma de coleta de inteligência russa que será usada para aprender sobre suas capacidades avançadas”, disse a Casa Branca em comunicado, acrescentando que os EUA têm trabalhado ativamente com a Turquia para fornecer soluções de defesa aérea para suas legítimas necessidades.

A declaração da Casa Branca destacou a posição da Turquia como parceira confiável e aliada da Otan por mais de seis décadas.

“Os Estados Unidos ainda valorizam muito nosso relacionamento estratégico com a Turquia. Como Aliados da OTAN, nosso relacionamento é multicamadas, e não apenas focado no F-35”.

A declaração continua dizendo que os EUA continuarão mantendo fortes relações com a Turquia.

“Os EUA ainda valorizam a parceria estratégica com a Turquia apesar da retirada do programa F-35”, disse a jornalistas a subsecretária de Defesa para Aquisição e Sustentação, Ellen M. Lord, em uma coletiva de imprensa após a declaração da Casa Branca.

“Grande parte da força do F-35 está em suas capacidades furtivas”, disse Lord. “Portanto, a capacidade de detectar esses recursos colocaria em risco a segurança a longo prazo do programa F-35”.

Os países do programa F-35 estavam em “consenso” sobre a retirada da Turquia, disse Lord.

No curto prazo, a participação da Turquia na produção de peças do F-35 será transferida para os fornecedores dos EUA, “mas isso gradualmente se abrirá aos parceiros do programa”, disse Lord, observando que a retirada da Turquia terá “impacto mínimo” no programa geral.

Lord continuou dizendo que todos os pilotos estudantes turcos do F-35 e pilotos instrutores atualmente nos EUA deixarão o país e os 20 funcionários do escritório conjunto do programa não terão mais acesso às instalações.

“Estamos procedendo com uma retirada muito ordenada até março de 2020”, disse Lord. Ela não quis comentar se a Turquia poderia voltar ao programa desistindo do sistema de defesa antimísseis russo S-400.

O status do dinheiro que a Turquia colocou para comprar a aeronave de quinta geração é incerto, porém, com o funcionário do Pentágono dizendo apenas que “estamos discutindo os detalhes sobre as aeronaves que eles compraram até agora”.

A Turquia está perdendo mais de US$ 9 bilhões em participação no programa de trabalho das mais de 900 partes que foram feitas ao longo da vida do programa, acrescentou ela.

“Esta é uma resposta específica a uma ação específica”, disse o vice-subsecretário de Defesa para Política, David Trachtenberg, insistindo que os EUA continuam comprometidos com sua parceria estratégica com a Turquia.

Após os esforços demorados para comprar um sistema de defesa aérea dos EUA sem sucesso, Ancara decidiu em 2017 comprar o sistema russo S-400.

Após a compra, oficiais dos EUA aconselharam a Turquia a comprar o sistema de mísseis Patriot dos EUA, em vez dos S-400, argumentando que o sistema russo seria incompatível com os sistemas da Otan e exporia o F-35 a possíveis subterfúgios russos.

Mas a Turquia enfatizou que os S-400 não seriam integrados à operacionalidade da OTAN e não representariam uma ameaça à aliança. Ele também disse repetidamente que estava pronto para discutir as preocupações de Washington. Propôs formar um grupo de trabalho conjunto com Washington para avaliar se os S-400 representariam uma ameaça à OTAN; no entanto, os EUA não tomaram nenhuma providência para formar a equipe técnica.

A entrega dos componentes da S-400 começou na semana passada e está em andamento, com 14 remessas de equipamentos relacionados até agora aterrissando na Turquia nos últimos seis dias.

FONTE: Daily Sabah

77
Deixe um comentário

avatar
18 Comment threads
59 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
43 Comment authors
GustavoNostraDenisMarcello MagnelliJeff Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Joelson
Visitante
Joelson

Turquia pagando pra ver na hora errada, com o cara errado!

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Percebe-se que o Mundo não está mais preocupado com o que pensam ou não os americanos.
Isso fica claro com Rússia, China e Índia e, ainda, passando por Paquistão, Coreia do Norte, Irã, Venezuela e outros.
Em tempo: A Sputnik publicou hoje que se a Turquia quiser o Su-35 ela será atendida.
E bola pra frente que a vida continua.

Adriano RA
Visitante
Adriano RA

Resta saber se a Rússia entregará o Su-57…pois o Su-35 não interessará. Eu particularmente duvido, pois seria o caso inverso ao do F-35, podendo ser fortemente estudado pelos aliados da OTAN. Mas…o mundo anda bem estranho…

Chris
Visitante
Chris

O poder de influência (E a dependência da tecnologia) dos EUA ficou claro no caso Huawei….

Todas as gdes potências do mundo ocidental o seguiram, sem questionar…

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Sim. Percebemos isso até o momento em que Intel, Google, ARM e muitas outras ‘pediram’ a Trump para voltar atrás.
E ele voltou.
Ou seja, o poder do mercado chinês é muito, mas muito mais importante que a influência americana.
Em tempo: Com essa questão, Trump disparou uma flecha que não poderá voltar atrás.
As empresas chinesas, particularmente a Huawei, já estão preparando (ou já têm preparada) uma série de novidades no setor.
Foi o verdadeiro tiro no pé que o Trump deu.

Augusto L
Visitante
Augusto L

Quem iria perder mais era a China, que perderia o mercado mundial e até o seu ja que depende de tecnologias americanas.
O Trump voltou atrás pq o o presidente Chinês falou que se ele não suavizasse ele nem encontraria o mesmo para discutir.
Mas o “ban” continua em algumas aéreas principalmente naquelas que os chineses pedem os dados para as empresas poderem produzir na China. Mas o principal que era o ban da Google foi retirado.

Cristiano de Aquino Campos
Visitante
Cristiano de Aquino Campos

80% dos consumidores do mundo querem e preço baixo. Se um celular chinês, fizer tudo o que um americano faz pela metade do preço, você acha que o povo vai comprar qual?

Mirade
Visitante
Mirade

Só existe tecnologia a preço baixo se for produzida na China. Duvido que os americanos tirem os empregos dos chineses que além de ter á mão de obra barata tem um mercado gigante e digo mais eles também estão estão desenvolvendo sua própria tecnologia. Vão passar os EUA numa questão de tempo … Chora tio Sam.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

A mão de obra é mais barata e bem mais capacitada que a americana.
Existe um exército de trabalhadores nos EUA com péssima educação formal.
Os orientais, em geral, possuem excelente educação tanto básica quanto universitária.

Augusto L
Visitante
Augusto L

Nao, existe também em Taiwan, Vietnam, india, Malasia, Indonesia.
Colocando impostos na China a produção só ira mudar de lugar, afetando a China.
Quando ao google não afeta em nada, ja que sem ele ninguém vende celular, ele que é dono do sistema , as empresas chinesas não vendendo celular não quer dizer que outras de outro países não irão vender, ou seja, um banimento so afeta as empresas chinesas.

Space Jockey
Visitante
Space Jockey

Sputinices

JPC3
Visitante
JPC3

Capaz do Kings achar que á Rússia é mais influente que a União Européia e os EUA juntos.

JPC3
Visitante
JPC3

Rússia oferece Su-35 parra qualquer um, grande novidade.

Nostra
Visitante
Nostra

I don’t think Indians will agree with your grouping especially if it includes China and Pakistan.

There are no friends among nations , only interests.

Gustavo
Visitante
Gustavo

é o medo de um caça caro e que não entrega tudo que promete ser desmascarado por uma força não aliada.
imagina se todos os compradores do F-35 tiverem a certeza do fiasco? Tem força aérea por aí que colocou TODAS as fichas no F-Bug….

Mauro
Visitante
Mauro

100% de acordo.

Bardini
Visitante
Bardini

Vão ter até o suporte para os F-16 suspenso…

Delfim
Visitante
Delfim

Se acontecer isso vão entregar a Turquia embrulhada em papel de presente com lacinho de fita para russos e chineses.

ANDRE LUIS VIEIRA LOPES
Visitante
ANDRE LUIS VIEIRA LOPES

Aos Russos não interessa uma vitória Turca na Síria, porque os muçulmanos da Chechênia saíram da luta na Rússia para lutar na Síria. Se a Síria for derrubado, os Grupos Chechenos e seus aliados muçulmanos do Oriente Médio vão voltar para a Rússia novamente. Turquia, inclusive já vendeu drones de ataque à Ucrânia e estes drones de ataque já foram usados contra os Russos. O que Russia e Turquia estão fazendo é uma aliança de oportunidade porque a Rússia vê uma Turquia distante dos EUA como vantajoso e também por conseguir exportar gás Russo pelo território Turco.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Viajou!

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

Queria suas fontes, mas vejo a situação da Turquia na Síria mais para atacar os curdos, eles não gostam do Assad, mas odeiam ainda mais os curdos, os Chechenos vão voltar e se tentarem algo vão enfrentar os exército russo, novamente, e fim da história, e pra mim é sim uma aliança de oportunidade, mas em questões econômicas a Turquia que está em crise vai cair na mão dos chineses.

ANDRE LUIS VIEIRA LOPES
Visitante
ANDRE LUIS VIEIRA LOPES

Aqui a fonte sobre a Ucrãnia ter comprato 12 UCAVS Turcos em um primeiro lote –
https://www.dailysabah.com/defense/2019/03/20/ukraine-successfully-tests-turkish-made-combat-drones-president-says

Aqui o vídeo dos Ucranianos usando um drone para filmar ataques com mísseis em Donbass. O Drone usado não é conhecido. Pode ser turco ou algum outro
https://www.youtube.com/watch?v=czYKz_V0s80

ANDRE LUIS VIEIRA LOPES
Visitante
ANDRE LUIS VIEIRA LOPES

Quanto as fontes sobre o apoio Turco aos rebeldes sírios, há centenas de textos, artigos, declarações na Internet do governo Turco. Atualmente os rebeldes estão cercados entre Síria e turquia. De onde os rebeldes conseguem centenas de mísseis anti-tanque, mísseis antiaéreos e munição para artilharia, já que a única fronteira é a Turca??

Space Jockey
Visitante
Space Jockey

interessante…

João Moro
Visitante
João Moro

Ou será que a Turquia já não entregou-se à Russia?

PAULO SANTANNA
Visitante
PAULO SANTANNA

Amigo, sou leigo, mas em se tratando de um membro da OTAN estar se bandeando para o lado dos Russos e futuramente para o lado do dos Chineses, nada mais natural do que excluir, por ora, esse membro desse programa, não acha?

Camargoer
Visitante

Caro Bardini. A Turquia tem cerca de 50 F4 e 250 F16C. Ao cancelar o F35, os EUA criaram um cliente futuro para o Rafale, Gripen… “deus abençoe a américa”

Defensor da liberdade
Visitante
Defensor da liberdade

Deus queria que embarquem no Gripen, vai ficar mais barato para a FAB adquirir um segundo lote. O Gripen espanca o f-16 até de olhos fechados.

João Moro
Visitante
João Moro

Sou apoiador do Gripen mas o “… O Gripen espanca o f-16 até de olhos fechados” já força a barra. Com todo respeito.

Augusto L
Visitante
Augusto L

Para o Gripen não, tem peças norte-americanas, ao Rafale talvez mas o missil Scalp eles não conseguem comprar.
Aliás é duvidoso se a França venderia para Turquia algo do tipo.

Jacinto
Visitante
Jacinto

A União Europeia aplicou sanções econômicas à Turquia na segunda-feira: diminuição do auxílio financeiro e paralisação de negociações de alto-nível. O rompimento da Turquia que está acontecendo não é apenas com os EUA, mas com a UE também. O problema para a Turquia é que EUA e UE recebem mais de 40% das exportações turcas – o que representa US$60 bi por ano – graças a um acordo de livre comércio. Se este acordo de livre comercio for encerrado, a economia turca, que já está em um momento ruim (PIB -1,5%, inflação 15%, desemprego 13%, taxa de juros de 24%)… Read more »

Plinio Jr
Visitante
Plinio Jr

Com que dinheiro ?? As sanções econômicas vindas da UE e EUA vão dificultar as coisas por aquelas bandas, mesmo de procedência europeia, o mesmo vale para russo ou chinesa, tem gente acreditando em aquisição de Su-57 ou Su-35….vamos ver se os turcos terão folego financeiro para estas aquisições sem grana americana ou europeia ..

Willber Rodrigues
Visitante
Willber Rodrigues

Caro, discordo.
O Gripen tem muitas peças britânicas. Os ingleses, por sua vez, são forte aliados dos EUA.
Duvido muito que o Gripen, ou qualquer caça ocidental, vá pra Turquia num futuro próximo.

Space Jockey
Visitante
Space Jockey

E daí ? Acha mesmo que manter a integridade furtiva do F 35 não vale isso ?

Brunow Basillio
Visitante

Se não me engano os F-16 turco foram fabricados na própria Turquia, então este “suporte” não é tão complexo assim….

pampapoker
Visitante
pampapoker

Como eu mencionei no post anterior os americanos não querem a assinatura radar do F35 no IFF da biblioteca do radar do S400. Isto e o que está escrito no negrito da matéria.

Chris
Visitante
Chris

Com o avião nas mãos… Ficaria fácil para os russos descobrirem suas deficiências (E virtudes) !

Infelizmente… Embora a Turquia não tenha culpa (Foi atras do S-400 pq o Obama negou os Patriot). Creio que os EUA estão certos nessa.. Melhor não arriscar !

R22
Visitante
R22

Os EUA não negaram o Patriot, negaram a transferência de tecnologia e continua assim. Se optassem pelo Patriot seria de prateleira. Por isso optaram pelo S-400.

Augusto L
Visitante
Augusto L

Essa desculpa é a mais esfarrapada, a compra como disse o Jacinto em outro post é só a ponta do iceberg de uma longa história.
À Turquia com o comando de Erdogan esta se tornando centro de chauvinismo.

https://foreignpolicy.com/2019/07/15/why-turkey-doesnt-trust-the-united-states/

HIRT
Visitante
HIRT

Só que a Turquia já recebeu dois F35.

Bueno
Visitante
Bueno

Colocam na conta do Obama este imbróglio, para mim foram os estrategistas que fazem o jogo da Guerra conforme o interesses dos EUA e aliados. o Chefe do executivo é uma peça na engrenagem de uma nação tão poderosa como EUA. Nos sabemos o que esta sendo oferecido ao publico, bastidores é outra historia. A atuação da Turquia no oriente médio em varias frentes desenha a sua força no jogo policio na região, TK x Curdos , TK e Iran , síria /Refugiados para Europa…Alemanha, TK e Catar, e agora a concretiza o alinhamento com a Rússia. Tudo é milimetricamente… Read more »

nonato
Visitante
nonato

É tentar mudar o presidente para valer.

Adriano RA
Visitante
Adriano RA

Tarde demais, a Turquia é hoje uma ditadura. Mas EUA e UE nunca tiveram problema em conviver bem ou apoiar ditaduras, mesmo aquelas que, por debaixo dos panos, apoiam grupos radicais. O problema é a postura política de confronto aberto adotada por Erdogan. Existem certas linhas que não podem ser cruzadas.

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

A Grécia é membro da OTAN, vizinha da Turquia, possui o S-300 russo, mas ninguém fala nada. Será que no dia que manifestarem interesse, os americanos vão negar, como estão fazendo com os turcos?

Bueno
Visitante
Bueno

Verdade , mas não tem F35 pra fazer engenharia reversa

Chris
Visitante
Chris

Problema é o F-35… Embora neste caso, talvez os EUA até vendam…

Grecia deixou Israel treinar com o S-300… Que afirma ter descoberto suas deficiências (Replicam o sinal o anulando), que certamente até os EUA já sabem… E hoje passeia na Síria !

Jacinto
Visitante
Jacinto

Mas os gregos não compraram o S-300 da Rússia de livre e espontânea vontade. O que ocorreu é que Chipre, que é um país que não pertence à OTAN – mas que é o foco do litígio entre a Grécia e a Turquia – comprou os S-300 dos russos em meados da década de 90. A Turquia, que controla parte da ilha, insurgiu-se contra esta aquisição e prometeu destruir os sistema (iniciando, na prática, uma guerra). Para encerrar este potencial conflito entre cipriotas e turcos, os gregos compraram o sistema dos cipriotas com as bençãos de todos os envolvidos e… Read more »

ANDRE LUIS VIEIRA LOPES
Visitante
ANDRE LUIS VIEIRA LOPES

O Erdogan apóia a Al-qaeda na Síria, Erdogan apoia a Irmandade Muçulmana no Egito e apoia radicais terroristas muçulmanos na Líbia, assim como apoiou terroristas muçulmanos na África. Erdogan faz parte da Irmandade Muçulmana e é um aliado de Grupos radicais muçulmanos. Isto não faz ele ser um aliado “natural” dos EUA.

Augusto L
Visitante
Augusto L

Não só a Al-Qaeda, mas como também o ISIS, em 2015 um raid da Delta na Síria revelou envolvimento do Catar e da Turquia no financiamento da organização.
Mas uns preferem acreditar em fake news, por ai.

Jacinto
Visitante
Jacinto

Os próprios russos alegavam que a Turquia financiava o ISIS por meio da aquisição de petróleo.Os russos chegaram a divulgar vídeos mostrando uma fila de caminhões de petróleo do Isis atravessando o que seria a fronteira turca.

Clésio Luiz
Visitante
Clésio Luiz

E logo depois do ataque aos referidos caminhões, a Turquia abateu um Su-24 russo que realizava ataque contra os mesmos alvos.

Jacinto
Visitante
Jacinto

Eu não sabia que aquele su-24 estava atacando estes alvos. Obrigado pela informação.

Space Jockey
Visitante
Space Jockey

A Grécia é muito mais confiavel, simples.

Victor Filipe
Visitante
Victor Filipe

Se a Turquia realmente esperava algo diferente disso, os lideres do pais dela são crianças que vivem no mundo na fantasia.

Se for só retorica pra mídia, então é só coisa normal do joguinho de interesses.

Eles não vão receber esse avião, não tem porque espernear, reclamar ou chorar por isso, a decisão de ambos os lados já foi tomada e isso não vai mudar.

ANDRE LUIS VIEIRA LOPES
Visitante
ANDRE LUIS VIEIRA LOPES

Na verdade o Erdogan faz parte da Irmandade Muçulmana. A Irmandade Muçulmana tem por objetivo recriar o Califado Muçulmano que é o mesmo objetivo do Erdogan. A Diferença é que o Erdogan quer que o Califado seja um tipo de União Européia Muçulmana. No egito esta revolução fracassou e por isso Erdogan é inimigo dos Militares egípcios e inimigo dos militares da Líbia.

Delfim
Visitante
Delfim

Eu já acho que ele quer recriar o Império Otomano.

ANDRE LUIS VIEIRA LOPES
Visitante
ANDRE LUIS VIEIRA LOPES

Sim, quer, mas quer fazer isto mesclando com as relações modernas entre países. Por isso ele financia e apoia grupos radicais muçulmanos para fazerem revoluções e depois unir estes países em um tipo de União Européia Muçulmana. Ele quer criar uma conjunto de alianças para que torne a Turquia uma potência mundial muçulmana.

LBacelar
Visitante
LBacelar

A grande realidade é que o Edorgan precisa do dinheiro saudita para sequer almejar um planejamento dessa amplitude!

Jacinto
Visitante
Jacinto

Erdogan apoia a irmandade muçulmana, que é uma inimiga jurada da Arábia Saudita. Dos sauditas eles não vão receber ajuda. Mais provável é que recebam ajuda do Catar que também apoia a irmandade.

Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

Oras. eu espero que o Trump passe esses U$ 9 bi em produção de partes do F-35 para o Brasil e nós fiquemos com esses 100 F-35. Fariam um mix perfeito com os Gripen. Pede um 2o lote de 36 Gripen para a FAB, ficando com 72 no total. Pega esses 100 F-35, sendo 72 do modelo A para a FAB e 28 do modelo B para a MB. 4 Esquadrões de F-35 e 4 esquadrões de Gripen (18 caças por esquadrão). Totalizando 8 esquadrões de caças e 144 caças. e 2 Esquadrões de 14 caças para a MB. Compra… Read more »

Camargoer
Visitante

Olá Luiz. Comentei exatamente o contrário. A melhor coisa para a FAB é ficar longe do F35 e focar no F39. Todas as vantagens colocadas por você existem no programa F39 e o Brasil participa como parceiro principal (1/3 dos novos F39E/F serão da FAB).

Delfim
Visitante
Delfim

Já deram sua sputnikada hj ? Putin está oferecendo os Su-35 a Erdogan.

Camargoer
Visitante

Caros Colegas. Antes do FX2, comentei sobre a possibilidade do Brasil participar do consórcio F35, o que criaria uma demanda para a indústria aeroespacial brasileira (como eu era bobinho). No fim, o FX2 teve o melhor desfecho. Duas coisas devem ser tomadas como aprendizado. É um erro participar de um programa militar internacional apenas como coadjuvante. É preciso ser o coordenador ou um parceiro essencial (acho que o programa de satélites com a China é um exemplo a ser seguido). O segundo é que ser OTAN atrapalha.

Augusto L
Visitante
Augusto L

Atrapalha em q?
Ah é esqueci em ser uma ditadura chauvinista anti-ocidental.

Jacinto
Visitante
Jacinto

A engenharia econômica é completamente diferente. O que o Brasil queria com o FX2 era a transferência de tecnologia (TOT) que capacitasse o país a desenvolver, eventualmente, uma aeronave de combate supersônica. Por conta disso, pagou um relevante prêmio sobre o valor de mercado do avião e obteve alguma contrapartida industrial – que não chega nem perto do valor do contrato. É por conta da TOT que o Brasil paga mais em uma aeronave de 4+ geração do que a Turquia pagaria por uma de 5ª geração (o que é justo). No caso do F-35 os EUA não estão oferecendo… Read more »

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

E, ontem, o subsecretário adjunto para Assuntos Políticos do Departamento de Defesa, David Trachtenberg, advertiu todos os países que estão comprando armas que possam colocar em perigo o F-35, que eles podem sofrer sanções de Washington.
É para rir ou para chorar?.

Alessandro
Visitante
Alessandro

no caso da Turquia estão CHORANDO xing, pq toda hora ficam pedindo para o governo americano voltar atrás na decisão.

mas fica sussa, os turcos vão ter S-400 e um caça stéuti Su-57 rsrs…

JPC3
Visitante
JPC3

Por que Turquia não dispensa logo o F-35 e compra os Sukhois de uma vez e para de insistir?

Qual será que eles preferem….

João Girardi
Visitante
João Girardi

Um aliado folgado que nem a Turquia, que em 2015 abateu uma aeronave russa por pura bravata, tem mais é que levar um chute na bunda mesmo. A maioria dos aliados dos americanos são assim inclusive, pensam que podem fazer merda pros americanos irem lá limpar. O Trump já avisou que os EUA não serão mais a polícia do mundo e procurarão atender seus próprios interesses. Esse pessoal pelo visto não entendeu que “America first” significa também que os EUA não vão ser mais babás de fanfarrões.

Entusiasta Militar
Visitante
Entusiasta Militar

Coitadinha da Turquia …

Quer ser sustentada pelos americanos e dormir na cama dos russos …

A Turquia faria um grande favor a todos se deixasse a Otan de vez

Defensor da liberdade
Visitante
Defensor da liberdade

Logo, logo a Turquia embarca num programa nuclear, e aí volta para à mesa das negociações com a OTAN. Anotem, o gordo coreano ainda vai fazer escola.

Fulcrum
Visitante
Fulcrum

já dizia meu avô, turco não presta.

Wagner
Visitante
Wagner

Verdade, trabalho com vendas e não vendo pra esse povo nem a vista antecipado.

Marcello Magnelli
Visitante
Marcello Magnelli

Eita, que racismo…..
Mas infelizmente reflete a posição ocidental quanto aos “povos diferentes” o que só os torna um pouco mais inimigos nossos no futuro.
Este é o caso da Turquia no cenário europeu e junto aos americanos.
Depois reclamam que não sabem porque estes países se bandeiam para Rússia e China, ou adotam posturas mais radicais. Acham que é pura afronta ou burrice. Não é. Eles apenas descobriram que jamais serão aceitos como iguais, sempre serão discriminados e então procuram outros caminhos.

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

De um Jornal Turco podia esperar tudo, menos uma critica ao Erdogan, continuo com o bom habito de ler os textos começando pela fonte…

Jeff
Visitante
Jeff

Minha pergunta de leigo: estando a Turquia com sistemas S-400 em algumas áreas do seu território, não teriam a capacidade de captura de informações dos F-35 da OTAN nos países vizinhos? Ou no tráfego próximo?

É possível sistemas de captura de dados que não estejam integrados a armamentos, instalados em locais estratégicos especificamente para fazer estas leituras?

Denis
Visitante
Denis

A Turquia pode até ser “beira de cerca” mesmo, mas o Tio Sam não tratou Ancara com hombridade. Pra mim, está muito claro que os EUA não ligam a mínima para o valor estratégico da Turquia.