Home Aviação Militar ‘Skyking, Skyking, não responda’. Ou como o ataque de B-52 ao Irã...

‘Skyking, Skyking, não responda’. Ou como o ataque de B-52 ao Irã foi abortado

13032
125
Bombardeiros B-52H Stratofortress
Bombardeiros B-52H Stratofortress

Por Sérgio Santana*

A saída dos Estados Unidos do acordo nuclear com o Irã e algumas potências europeias têm causado, como já se viu outras vezes, uma escalada de tensões entres os envolvidos.

O mais recente destes movimentos foi o cancelamento repentino, por ordem do presidente norte-americano Donald Trump, de um ataque aéreo então a caminho de alguns alvos em território iraniano.

A missão, que seria uma resposta ao abate no Estreito de Hormuz de um veículo aéreo não-tripulado Northrop Grumman RQ-4 Global Hawk por parte de forças iranianas, seria executada por bombardeiros estratégicos Boeing B-52H Stratofortress operadas pelo 20º Esquadrão Expedicionário de Bombardeiros “Buccaneers”, quatro dos quais saíram da Base Aérea de Barksdale, no estado de Louisiana, durante o mês de maio para a Base Aérea de Al Udeid no Catar, bem como por caças F/A-18 dos quatro esquadrões de caça e ataque da Ala Aérea de Porta-Aviões 7 (Carrier Air Wing 7, CVW-7), embarcada no porta-aviões USS Abraham Lincoln (CVN 72):  VFA-25 “Fist of the Fleet”; VFA-86 “Sidewinders”; VFA-103 “Jolly Rogers” e VFA-143 “Pukin’ Dogs”. Sob a proteção do seu grupo de batalha, o CVN-72 foi deslocado para a área de operações ao mesmo tempo dos B-52.

Ocorre que, de acordo com as próprias palavras do mandatário norte-americano, foi perguntado a um dos oficiais encarregados do ataque quantos cidadãos iranianos morreriam na missão, recebendo como resposta: “cerca de 150, senhor”; quantidade que o presidente Trump avaliou como desproporcional, ainda mais considerando que o ataque iraniano não eliminara vidas norte-americanas. A sua reação foi abortar o ataque, minutos antes que tivesse início.

Para que tal ordem surtisse efeito, o “POTUS” (President Of The United States, designação pela qual é frequentemente identificado pelo Serviço Secreto) lançou mão do “Sistema de Comunicações Globais de Alta Frequência”.

Também conhecido pelas iniciais HF-GCS (High Frequency Global Communications System) o sistema tem origem norte-americana, apesar de ser utilizado por outros países e atua emitindo vários tipos de mensagens nas frequências 4724.00 kHz, 6739.00 kHz, 8992.00 kHz, 11175.00 kHz, 13200.00 kHz, 15016.00 kHz e 6712.00 kHz (exclusiva da base aérea britânica RAF Croughton).

Para que exista uma cobertura eficaz o HF-GCS norte-americano conta com uma abrangente rede de estações sediadas em localidades estratégicas: Base Aérea de Andersen, na Ilha de Guam, no Oceano Pacífico; Base Aérea de Andrews, em Maryland, Estados Unidos; Ilha da Ascensão, no Oceano Atlântico; Base Aérea de Croughton, Reino Unido; Base Naval de Diego Garcia Naval, no Oceano Índico;  Base Aérea de Elmendorf, no Alaska; Base Aérea de Hickam, no Havaí; Base Aeronaval de Keflavik, Islândia; Base Aérea de Lajes, no arquipélago dos Açores; McClellan, na Califórnia; Base Aérea de Offutt, em Nebraska; Salinas, em Puerto Rico; Base Naval de Sigonella, Itália; Base Aérea de Yokota, no Japão; Campo de Teste Leste da Força Aérea, na Flórida; e, por fim, no local que é conhecido simplesmente pela sigla “MPA”, cuja localização é desconhecida.

Nos Estados Unidos, o HF-GCS apoia as operações de combate e as necessidades operacionais da Agência de Comunicações da Casa Branca; dos Comandantes do Estado-Maior Conjunto; do Comando de Mobilidade Aérea; do Comando de Combate Aéreo; da Agência de Inteligência da Força Aérea; do Comando de Material da Força Aérea; do Comando Espacial da Força Aérea; das Forças Aéreas dos Estados Unidos na Europa e no Pacífico; e, finalmente, do Serviço Meteorológico.

Os tipos de mensagem do HF-GCS norte-americano

O HF-GCS nos Estados Unidos pode veicular mensagens destinadas a variados empregos: Mensagens de Ação de Emergência, que podem ser usadas, por exemplo, para dar início à sequência de disparo dos mísseis balísticos intercontinentais Boeing LGM-30 “Minuteman III”; Mensagens de Direção de Força, para fornecer diretivas de emprego a centros de comando e elementos de força para o controle de forças nucleares estratégicas e não-estratégicas; e, finalmente, as Mensagens Skyking.

Também conhecidas como “Transmissões Foxtrot”, são mensagens de prioridade mais alta e são enviadas em um formato diferente das Mensagens de Ação de Emergência. Devido ao seu status prioritário, não é incomum que mensagens “Skyking” interrompam uma Mensagem de Ação de Emergência em andamento. “Skyking” é o código-rádio coletivo para o envio de mensagens a todas as aeronaves e operadores de mísseis estratégicos do Plano Único de Operação Integrada (SIOP, projetado para destruir alvos estratégicos estrangeiros, do qual bombardeiros B-52H e Northrop Grumman B-2A Spirit fazem parte), que também são responsáveis pelo deslocamento operacional de bombardeiros estratégicos, aeronaves de reconhecimento e várias aeronaves de apoio.

Uma mensagem Skyking começa com o leitor falando “Skyking Skyking não responda”, seguido por uma palavra-código, depois dois números para o horário da hora e termina com uma sequência de autenticação de duas letras. A mensagem é então repetida. Há uma palavra-código para cada situação, incluído para a decisão de abortar a missão. Quando uma mensagem Skyking é enviada, o (s) avião (s) receptor (es) transmitem utilizando o código-rádio coletivo “Skybird” – confirmando que recebeu a mensagem Skyking e a reconheceu.

Desta forma, a força de ataque teve abortada (por ora) a sua missão em direção ao Irã.


*Bacharel em Ciências Aeronáuticas (Universidade do Sul de Santa Catarina – UNISUL). Pesquisador do Núcleo de Estudos Sociedade, Segurança e Cidadania (NESC-UNISUL). Pós-graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica (Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais – PUC/MG). Autor de livros sobre aeronaves de Inteligência/Vigilância/Reconhecimento. Único colaborador brasileiro regular da Shephard Media, referência em Inteligência de Defesa.

Subscribe
Notify of
guest
125 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
João da Silva
João da Silva
1 ano atrás

Bunitim, isso de reproduzir o boletim oficial da frota americana. Mas ninguém pensou em VERIFICAR a coisa?!? Com a imprensa séria do mundo todo suspeitando desse papo?!?

luiz antonio
luiz antonio
Reply to  João da Silva
1 ano atrás

Com a suspeita da imprensa mundial ou não. Com as nossas “viagens interpretativas caboclas” ou não, quem sabe são eles e ninguem jamais saberá, quer gostem ou não. É assim que a “coisa” funciona. O resto é papo para encher o dia.

Gabriel
Gabriel
Reply to  João da Silva
1 ano atrás

Sim sim…tipo alguém com um crachá “imprensa imparcial do Brasil”…ir até o Pentágono e exigir ter amplo acesso aos relatórios confidenciais…

Kkkkkkk

luiz antonio
luiz antonio
Reply to  Gabriel
1 ano atrás

kkkkkk

Francisco Lucio Satiro Maia Pinheiro
Francisco Lucio Satiro Maia Pinheiro
Reply to  João da Silva
1 ano atrás

” imprensa séria do mundo todo”. Kkkkkkkkkkkk
Está aí uma afirmação que é a rainha das ironias.
Alias, falar em imprensa séria quando sabemos que todas servem à algum tipo de ideologia é algo em si mesmo tão incompreensível quanto um código militar secreto.

JT8D
JT8D

Verdade. As palavras “imprensa” e “séria” não devem ser usadas numa mesma frase

Valdomiro
Valdomiro

Olá, na realidade ser sério é diferente de possuir isenção, de não adotar seriedade, embora meio mundo deva ter lado e, creio que todos temos, faz parte, é importante conversar com pessoas que têm posições claras, que transmitem de forma transparente o que querem dizer, isso facilita a comunicação de forma civilizada.

luiz antonio
luiz antonio
1 ano atrás

Agora, essa aeronave é bonita, impõe respeito e o principal: ainda esta operando e vai operar por muito tempo, para a ira e pavor do inimigo.

paddy mayne
paddy mayne
Reply to  luiz antonio
1 ano atrás

Até 2040! oitenta e oito anos operacionais. Mais que isso, somente a colt M-1911 e a M-2.

Minuteman
Minuteman
1 ano atrás

Isso só mostra a diferença abissal de forças e organização entre os Estados Unidos e o resto do mundo.

carcara_br
carcara_br
Reply to  Minuteman
1 ano atrás

Alguém posta o hino americano pra este rapaz!

Minuteman
Minuteman
Reply to  carcara_br
1 ano atrás

Aqui está:

Ó, dizei, podeis ver, na primeira luz do amanhecer
O que saudamos, tão orgulhosamente, no último brilho do crepúsculo?
Cujas amplas faixas e brilhantes estrelas, durante a luta perigosa,
Sobre os baluartes assistimos, ondulando tão imponentemente
E o clarão vermelho dos foguetes, as bombas estourando no ar,
Deu-nos prova, durante a noite, de que nossa bandeira ainda estava lá.
Ó, dizei, a bandeira estrelada ainda tremula
Sobre a terra dos livres e o lar dos valentes?

JT8D
JT8D
Reply to  Minuteman
1 ano atrás

How cute!

Ricardo
Ricardo
Reply to  Minuteman
1 ano atrás

Escorreu uma lágrima… kkkkk

JT8D
JT8D
Reply to  carcara_br
1 ano atrás

Kkkkkkk
Fico só imaginando a cena …

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Minuteman
1 ano atrás

Conta para o Jinping qual é essa diferença que ele não está ligado, não,

JPC3
JPC3
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Acho que está porque é país que mais gasta e corre atrás dos EUA

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  JPC3
1 ano atrás

O ‘corre atrás dos EUA’ é por sua conta, né?

JPC3
JPC3
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Conta do mundo inteiro.

Ou você é muito mentiroso ou não tem mínima competência para pesquisar.

Wagner
Wagner
Reply to  JPC3
1 ano atrás

Alternativa C) Ambas as alternativas acima estao corretas

Wagner
Wagner
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Ai ai…

leonidas
leonidas
1 ano atrás

Putz mas o B 52 certamente seria usado para lançamento de misseis de cruzeiro né? pois ele não teria chance de voltar inteiro caso se aproximasse do espaço aéreo iraniano, pois trata-se de uma aeronave muito vulnerável para operar em espaço aéreo negado pelo uso de sistemas antiaéreos minimamente eficientes…

Quatzy
Quatzy
Reply to  leonidas
1 ano atrás

Pois é. Tem gente confundindo a realidade com os filmes de Hollywood. Se o dinossauro B 52 entrar no espaço Iraniano, a chance de não voltar é grande.

SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
Reply to  Quatzy
1 ano atrás

kkkkk ainda acham que o B-52 joga bombas burras? Ele pode atacar Teerã sem nem mesmo sair do espaço aéreo do Catar.

Vinicius
Vinicius
Reply to  SmokingSnake 🐍
1 ano atrás

E a força aérea iraniana iria ficar comtemplando um enorme bombardeio com capacidade de carga de centenas de bombas e mísseis de cruzeiro lançando-as sobre o seu território? Fora que o Iran tem misseis de cruzeiro lancaveis tanto de submarinos quanto de navios que, poderiam facilmente atacar as bases norte-americanas.

paddy mayne
paddy mayne
Reply to  Vinicius
1 ano atrás

O enorme bombardeiro não estará só. Para que você acha que um carrier group está por lá? Para “escolta”, interferência eletrônica, AWACS, etc.

XFF
XFF
Reply to  SmokingSnake 🐍
1 ano atrás

E você acha que o inimigo não sabe disso? Além disso, os EUA não podem usar o território do Qatar para atacar os países da região. Isso foi um acordo firmado para os EUA operar lá.
Caso os EUA usar outro país para atacar o Irã, a base dos EUA pode ser atacado também por misseis balísticos do Irã.

luiz antonio
luiz antonio
Reply to  leonidas
1 ano atrás

Esqueceu dos Tomahawk amigo? Ele nem precisa chegar perto.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  luiz antonio
1 ano atrás

Tomawak são alvos relativamente fáceis de serem abatidos.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Sao fáceis de abater por sistemas de ponto, mas esses mesmos sistemas são, comprovadamente, aptos a serem saturados.

Bosco
Bosco
Reply to  Peter nine nine
1 ano atrás

Sem falar que não há como colocar um sistema de ponto em cada possível alvo.

Rafael Coimbra
Rafael Coimbra
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Avisa todos os inimigos dos americanos que ano após ano levam Tomahawk na cabeça! relativamente fácil de abater 1…. 200 não é tão fácil assim!

JPC3
JPC3
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Devem ser fáceis, da última vez lançaram dezenas e o inimigo só conseguiu mostrar 3…

Theo Gatos
Theo Gatos
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

A gente viu na Síria como eles foram “fáceis” de abater…
.
Sds

luiz antonio
luiz antonio
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Confirme isso com os sírios.

paddy mayne
paddy mayne
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Não conheço “tomawak”, mas acho improvável que um sistema “fácil” de ser abatido seria alvo de tanto investimento. São vetores muito priorizados tanto pela marinha quanto pela FA.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  paddy mayne
1 ano atrás

É muito fácil usar Tomahawks contra Afeganistão, Iêmen, Síria e etc.

JPC3
JPC3
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

É muito fácil usar Tomahawks contra a Síria????

Mas eles não tem treinamento, apoio, suporte e sistemas russos modernos como Pantsir, Buk-M2 entre outros?

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  JPC3
1 ano atrás

O suficiente para abater israelenses.

JPC3
JPC3
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Deve ser mesmo, a cada dez anos abatem um. Se isso é sucesso, imagino o que deve ser fracasso.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Mofou……………….

Theo Gatos
Theo Gatos
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Logo será fácil também contra o Irã que possui sistemas de defesa aérea não tão tecnologicamente superiores aos sírios S300….
.
Sds

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

“Tomawak são alvos relativamente fáceis de serem abatidos.”

comment image

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Alfa BR
1 ano atrás

Onde foi tirada essa foto? No Iêmen?

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Eu não sei onde essa foi tirada, mas eu sei que essas aqui foram na Síria.comment image
comment image
comment image
comment image

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Victor Filipe
1 ano atrás

Na situação atual da Síria é quase a mesma coisa.

JPC3
JPC3
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Hum, está dizendo que a ajuda dos russos é inútil?

100nick-Elã
100nick-Elã
Reply to  JPC3
1 ano atrás

A ajuda dos russos é inútil, amigo…Ops, mas perai, Assad ganhou a guerra? o Ocidente conseguiu derrubar Assad, apesar de toda a campanha na mídia “Assad tem que sair”, “Assad é o ditador que mata seu próprio povo”?

JPC3
JPC3
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

A foto foi tirada na Síria. Tem um vídeo com esse cidadão dizendo que uma parte base atacada foi destruída. Além de algumas aeronaves, diversos veículos e depósitos de munição também foram perdidos.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  JPC3
1 ano atrás

Acordam cara!
Aí, vc acha que os EUA vão lançar mísseis subsônicos centenas ou milhares de quilômetros dentro de território russo ou chinês e não serão derrubados?!?!?!.
Os americanos estão perdendo material para o Irã, quanto mais para as duas superpotências acima.

Bosco
Bosco
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Após 40 anos do desenvolvimento do Tomahawk que tinha como características principais ser de tamanho reduzido com baixo RCS (os mísseis cruise anteriores eram de tamanho de caças) e poder voar rente ao solo (devido ao sistema TERCOM) , é claro que houve o desenvolvimento de defesas mais apropriadas. O Tomahawk block IV tem um RCS 10 x menor que o Tomohawk original mas ainda assim não é stealth. O que complica a defesa contra mísseis como o Tomahawk é que contra um inimigo preparado ele seria lançado em grande quantidade, de modo a saturar o sistema defensivo. A melhor… Read more »

Marcelo Machado
Marcelo Machado
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Aí só tem um problema. Usar um míssil ar ar de 2 milhões de dólares contra uma aeronave de 30 milhões faz sentido, mesmo dentro da margem de erro, mas contra um outro míssil de mesmo valor, usado em saturação, fica mais complicado para um país com embargo econômico de décadas.

Wagner
Wagner
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Kkkkkkkkkkkkk

Negrão
Negrão
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

A Síria que o diga…

Felipe
Felipe
Reply to  Negrão
1 ano atrás

Bom, a Siria derrubou 71 dos 103 lançados contra seu territorio, porque o Irã não conseguiria?
https://www.theguardian.com/world/2018/apr/14/russia-claims-syria-air-defences-shot-down-majority-missiles

JPC3
JPC3
Reply to  Felipe
1 ano atrás

Derrubou 70 e só mostrou dois ou três. E a base alvo, segundo algumas fontes, foi quase um terço destruída e permaneceu fechada algumas semanas para reforma.

Bosco
Bosco
Reply to  JPC3
1 ano atrás

JPC3, Mostrou destroços. Isso não configura prova de nada. Todo míssil quando cai, seja por ter impactado com o alvo, por defeito ou por ter sido abatido, deixa … destroços. A única prova confiável seria mostrar as ogivas não explodidas. Geralmente a ogiva sobrevive de uma queda, seja por defeito ou por ação do inimigo. Se algumas dezenas de ogivas tivessem sido mostradas e ainda com algumas gravações de dados do radar das unidades de tiro, seria uma prova confiável já que não se espera que mais de 5% dos mísseis apresentem defeitos. E nem precisavam levar as ogivas para… Read more »

JPC3
JPC3
Reply to  Felipe
1 ano atrás
Bosco
Bosco
Reply to  leonidas
1 ano atrás

Leonidas,
Os B-52 são capazes de lançar os mísseis JASSM-ER ( 1000 km de alcance) e CALCM ( 1500 km de alcance ).
Além é claro do MALD, que pode ser lançado às centenas e imitar um ataque aéreo de grandes proporções, abrindo caminho para os mísseis reais.

Bosco
Bosco
Reply to  leonidas
1 ano atrás

Leonidas,
Cada B-52 é capaz de levar e lançar até 20 ALCMs ou JASSM-ER.

leonidas
leonidas
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Blz Bosco grato pela atenção!

Munhoz
Munhoz
Reply to  leonidas
1 ano atrás

Provavelmente iriam atacar com mísseis de cruzeiro e bombas sem entrar no espaço aéreo iraniano!

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  leonidas
1 ano atrás

Leonidas, não foi isso que pudemos ver nos ultimo 20 anos…

DAVI
DAVI
1 ano atrás

Ele pode ter dado a ordem e também pode ter cancelado a ordem, porém não foi por esse motivo. 150 vidas de iranianos para o Trump é nada.

teropode
Reply to  DAVI
1 ano atrás

Alguma coisa rolou , talvez um telefonema iraniano ou uma interlocução russa , nunca saberemos .

paddy mayne
paddy mayne
Reply to  teropode
1 ano atrás

Acho que Trump decidiu fazer o que ninguém esperava. Os democratas estavam chamando ele de “war monger”, e de repente ficaram sem qualquer discurso.
Quando ou se Trump atacar o Irã (e a Coreia do Norte, menos provavelmente), poderá afirmar “não digam que eu não tentei o caminho da paz”. Não sou exatamente fã do sujeito, mas ele tem seus truques.
Mais uma vez reitero que isso não passa de um palpite de um leigo.

Chevalier
Chevalier
Reply to  DAVI
1 ano atrás

Não é nada segundo quem? Vc mesmo? Olha… é surpreendente a confiança com que uns malucos aqui lêem a mente do Trump e nos contam o resultado aqui com a maior cara de pau. Então Trump é o malvadão que gosta de matar gente é? Baseado em que isso? Vc ouviu da Grobo?

Thiago Telles
Thiago Telles
Reply to  DAVI
1 ano atrás

Ao meu ver é plausível entender q de fato a missão estava a se concretizar mas o “ganho de imagem” em mostrar piedade por 150 vidas iranianas seria mais interessante do q o bombardeio em si. Se eua quiser ırã vira pó muito mais rápido do q fizeram no Iraque.

Rene Dos Reis
Rene Dos Reis
Reply to  DAVI
1 ano atrás

dissuasão iraniana , simples
podem rir mas a verdade e essa.

Paddy Mayne
Paddy Mayne
Reply to  Rene Dos Reis
1 ano atrás

Não estou rindo, estou passando mal de rir, é diferente.

wwolf22
wwolf22
1 ano atrás

desistiram do ataque pois “viram” que a defesa aérea iraniana eh mais sofisticada do que imaginavam…

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  wwolf22
1 ano atrás

É o que dizem os analistas.
Os americanos não esperavam perder o drone daquela maneira.

Marcos
Marcos
1 ano atrás

Estão assistindo muitos filmes na Netflix

Mauro
Mauro
1 ano atrás

Voltaram porque iriam levar couro. Simples, o resto é papo furado.

Antoniokings
Antoniokings
1 ano atrás

Trump não é tão bobinho quanto a gente pensa.

Chevalier
Chevalier
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

O bobinho aqui é vc que morre de amores pelo ladrão cachaceiro, o maior ladrão do Brasil.

JPC3
JPC3
Reply to  Chevalier
1 ano atrás

No fundo ele ama os EUA e só fala mal porque não é correspondido.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Chevalier
1 ano atrás

Muita calma nessa hora,.
kkkkkkkk

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Chevalier
1 ano atrás

Além do mais, está tudo desmoronando.
Que barato!!!!!

Thiago Telles
Thiago Telles
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

De fato ele não é bobo. O ganho q teve ao abortar a missão foi muito superior a dizimar as posições iranianas. Ele mecheu muito bem essa peça no tabuleiro.

cvn76
cvn76
1 ano atrás

Oi Sérgio

Valeu pela interessante reportagem, somente dois adendos sobre as estações de HF-GCS(posso estar enganado):

A estação em Keflavik/Islândia foi fechada.
Existe uma na base aérea de Grand Forks/ND

A estação “MAP” cuja localização é desconhecida, existem vários boatos que seria na Austrália….

Sérgio Santana
Sérgio Santana
Reply to  cvn76
1 ano atrás

cvn76, a base de Keflavik está operacional devido às movimentações dos russos no Ártico. A base que foi fechada é a de Thule na Groelândia…

cvn76
cvn76
Reply to  Sérgio Santana
1 ano atrás

Então reabriram a base de Keflavik….mas é detalhe sem importância.

https://en.wikipedia.org/wiki/High_Frequency_Global_Communications_System

Delfim
Delfim
1 ano atrás

Eu acho que isso é fake dos próprios EUA, para afirmar que o Trump teve um ato de boa-fé ao abortar um ataque, que na minha humilde opinião, nunca existiu.
E para não ficar mal com israelis, sauditas e emirates.
Como já coloquei em outro tpc, drones são descartáveis e não valem uma escalada.

JT8D
JT8D
Reply to  Delfim
1 ano atrás

Trump é um político que não deve ser substimado. Transformou a perda de um drone em um ato magnânimo de humanidade.

Delfim
Delfim
Reply to  JT8D
1 ano atrás

E manter um canal aberto com os iranianos.

Thiago Telles
Thiago Telles
Reply to  JT8D
1 ano atrás

Exato. De bobo ele nao tem nada. Maestria total. Mandou muito bem.

USS Iowa
USS Iowa
Reply to  Delfim
1 ano atrás

Irã é problema de Israel e da Arábia Saudita, os EUA tem que dar o fora daquela região.

Marcos10
Marcos10
Reply to  USS Iowa
1 ano atrás

Acho que no longo prazo o Irã é mais um problema para a AS do que para Israel.
Israel e Irã já trabalharam juntos no passado, portanto, quando o atual líder máximo do Irã se for, os dois países podem reatar a antiga neutralidade.

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Marcos10
1 ano atrás

E você acredita realmente nisso?

USS Iowa
USS Iowa
1 ano atrás

Esse Irã é osso duro de roer.

Enquanto isso, mais sansões anunciadas, parece que o Trump não quer meter a mão nesse vespeiro. Esperto ele.

Peter nine nine
Peter nine nine
1 ano atrás

Para mim é tudo novela, que culminará com os EUA a protegerem os seus interesses seja de que maneira for, como sempre o fizeram.
Desde a sabotagem do acordo nuclear, aos ataques nada vantajos, para o irão, a petroleiros, e o envio de um drone para espaço iraniano só para servir de provocação e, convenhamos, isca.

Ferreras
Ferreras
1 ano atrás

Uma coisa é tomar uma decisão com a cabeça quente, outra é avaliando as consequências. Rússia e principalmente a China adorariam esse desgaste.

O momento é de acumular recursos.

JPC3
JPC3
1 ano atrás

No fundo eles sabem que não dá para atacar o Irã como se fosse a Síria.

Mgtow
Mgtow
1 ano atrás

Ahãm sei. Tão pensado que o Irã é meia dúzia de Muhajedin de chinelo? Sofreriam terriveis danos caso atacassem. Puro blefe yankee

Wagner
Wagner
Reply to  Mgtow
1 ano atrás

Aproveita que vc quer se separar da sociedade e saia de vez!

Mgtow
Mgtow
Reply to  Wagner
1 ano atrás

Chora aí.

Marcello Magnelli
Marcello Magnelli
1 ano atrás

Uma dúvida neste caso:
O Trump, ou qualquer que for o presidente americano em exercício, pode lançar um ataque deste tipo, que equivale a uma declaração de guerra, sem o competente aval do Congresso americano?
Se isso é possível e legal então a limitação constitucional de que guerras só podem ser declaradas com o consentimento do Congresso americano é a maior bobagem e não serve para nada.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Marcello Magnelli
1 ano atrás

Pergunta muito interessante, mas dizer que é uma declaração de guerra é demais, não foi os EUA que começaram as hostilidades

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  Carlos Campos
1 ano atrás

Carlos.
Depende do que seja começar as hostilidades. Se colocar uma frota de guerra no litoral de um país. Colocar aviões e drones bisbilhotando 24 horas por dia. E ainda mantendo uma retórica belicista, não for uma forma de agressão. Por coisa parecida. Israel mandou para vinagre as forças aéreas do Egito na guerra de 1967.

Marcos10
Marcos10
Reply to  Marcello Magnelli
1 ano atrás

Pode! Mas há muitos “se”.

Bosco
Bosco
Reply to  Marcello Magnelli
1 ano atrás

Marcello,
Na função de comandante em chefe das forças armadas e de líder da nação, o presidente americano pode ordenar um ataque. Só não pode ordenar uma invasão. Para os soldados americanos invadirem tem que ter autorização do Congresso.
Não pudesse e não teria como funcionar a doutrina MAD (destruição mútua assegurada). Não haveria tempo do Congresso se reunir.

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Marcello Magnelli
1 ano atrás

Trump não pode atacar sem passar pelo congresso…

Carlos Eduardo Broglio Gasperin
Carlos Eduardo Broglio Gasperin
1 ano atrás

Jogada ensaiada…

Thiago Telles
Thiago Telles
1 ano atrás

P quem achava q trump nao tem tato tá aí a prova q tem e mandou muito bem. Jogada de mestre. Poderia ter dizimado várias posições iranianas no segundo q quisesse. Agora, deixa irã iluminar outra aeronave americana p ver oq vai acontecer… Nao tem jeito…. Poder d fogo americano é absoluto.

Felipe Morais
Felipe Morais
1 ano atrás

O que ocorreu, se ocorreu, não saberemos. O que pode ter ocorrido: 1- Absolutamente nada = Nenhuma movimentação, apenas blefe para assustar iranianos e mostrar para os aliados da região que iriam responder aos iranianos com força; 2 – Relativamente nada = Uma ação dissimulada americana para assustar os iranianos e forçar uma reação iraniana (como elevação no nível de alerta, movimentação de tropas etc). Favorável a inteligência americana e onerosa a defesa iraniana. 3 – De fato a ordem de ataque surgiu: Se de fato houve a ordem, na minha opinião, o motivo mais plausível para o cancelamento seria… Read more »

Antonio M
Antonio M
1 ano atrás

Incrível semelhança com o filme “Dr. Fantástico” de Stanley Kubrick. Pelo menos na realidade o “rádio” funcionou ….

Valdez de Araujo
Valdez de Araujo
1 ano atrás

Trump cancelou o ataque por uma razão muito mais simples, próximo ano tem eleição.
Iniciar uma guerra com o Irâ agora é suicidio politico, e eleição dos Democratas garantida.

Wagner
Wagner
Reply to  Valdez de Araujo
1 ano atrás

Comentario lúcido. Seria massacrado pelos democratas.

Jorge
Jorge
1 ano atrás

Acho que tudo é falácia do Trump, temos qie lembrar que Putin, mandou um recado bem claro, dizendo que seria uma catástrofe atacar o Irã, deixando claro que o país persa teria apoio russo, como da mesma forma, mandou o recado sobre a Venezuela, e nos 2 casos, Trump amarelou e deixou o ataque pra lá..kkkj

C.César
C.César
Reply to  Jorge
1 ano atrás

Ele vai agir igual quando a Turquia derrubou um Su-24 russo matando o piloto? Ou se for com o Irã a história é outra, ou seja, santo de casa não faz milagre?

R_cordeiro
R_cordeiro
1 ano atrás

O povo comentando como se fosse a coisa mais difícil do mundo atacar Irã, me poupe né. Israel já mostrou q faz isso quando bem entende contra a defesa aérea iraniana situada na Síria. Isso entrando em espaço aéreo inimigo, imagina sem entrar como seria o caso.

100nick-Elã
100nick-Elã
Reply to  R_cordeiro
1 ano atrás

Uma coisa é um ataque na Síria, que a Rússia – e o próprio Irã – sabem que não vai mudar nada em campo; não é do interesse da Rússia e do Irã derrubar avião israelense e escalar ainda mais o conflito. Um avião israelense foi derrubado porque Israel exagerou, mas não é do interesse da Rússia e nem do estilo do Putin, que no final é quem dá suporte para a Síria sobreviver, sem a Rússia a Síria – e nem mesmo o Irã – sobrevivem. Mas se quer acreditar na invencibilidade americana, fique a vontade. Acredite no que… Read more »

rafael
rafael
1 ano atrás

se a coisa sair de controle e o estreito ser bloqueado os americanos certamente teriam que invadir pelo menos a area do estreito porque mesmo que a defesa aerea e capacidade de lançar misseis balisticos fosse neutralizada os iranianos ainda poderiam causar muita dor de cabeça para os americanos com suas lanças ,minisubmarinos ,minas e misseis costeiros numa area estreita,porem com litoral grande

Bosco
Bosco
1 ano atrás

Logo que o B2 foi anunciado e divulgado o seu preço exorbitante (1 bilhão de dólares cada) houve muita especulação por ele ser tão caro. Alguns diziam que tinha um sistema de propulsão MHD (magnetohidrodinâmica) que permitiria um alcance inusitado e uma velocidade incompatível com sua aerodinâmica, provavelmente devido a uma redução do arrasto induzido por campos magnéticos, que ainda proviam sustentação e propulsão sem o uso dos turbofans.

JT8D
JT8D
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Vixi! Ele também tem radar quântico?

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  JT8D
1 ano atrás

Claro que não… o B-2 é americano… não Chines…

Paddy Mayne
Paddy Mayne
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Houve especulações que o avião utilizava tecnologia extraterrestre…

Sergio
Sergio
1 ano atrás

Arregou MSM. N pq iam morrer 150 pessoas, nem pq n tenha capacidade de destruir o Irã. Ele arregou pq uma guerra agora com o Irã pode custar a reeleição dele.

Madmax
Madmax
1 ano atrás

Trump começou dizendo que foi um erro de algum comandante do Irã, ninguém do outro lado “comprou” a conversa. Então inventaram essa de cancelamento.
A verdade é que não iriam fazer nada mesmo.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
1 ano atrás

Muita explicação para coisas tão sigilosas, os EUA não são mais o mesmo. Qualquer dia desses um hacker acaba com o mundo.

Ou é tudo muito fantasioso.

100nick-Elã
100nick-Elã
Reply to  Ricardo Bigliazzi
1 ano atrás

“os EUA não são mais o mesmo. ” – kkkk, admitiu é? finalmente? mas saiu da fase de “negação”, já está na fase da raiva? ou da negociação? depois vem a depressão e, finalmente, aceitação.

Luiz Trindade
Luiz Trindade
1 ano atrás

Na realidade ele,o presidente viu que o drone realmente entrou no espaço aéreo iraniano e ia perder a razão se atacasse o Irã e depois viesse a tona que os EUA deu uma de arrogante atacando as posições do Irã desmedidamente. Desistiu a tempo da m… que ia fazer.

CESAR ANTONIO FERREIRA
CESAR ANTONIO FERREIRA
1 ano atrás

É… Nós acreditamos.
Acreditamos sim, amiguinho. Pode acreditar!