Home Aviação de Ataque Saab testará pod ‘jammer’ de ataque eletrônico no Gripen

Saab testará pod ‘jammer’ de ataque eletrônico no Gripen

10157
47
Pod Jammer Arexis da Saab

A Saab realizará no final deste ano um primeiro voo de teste de um Gripen C/D carregando um jammer de ataque eletrônico, já que ele tem oportunidades de vendas potenciais com as forças aéreas europeias

Um produto da família de equipamentos de guerra eletrônica Arexis da Saab, o jammer de banda baixa está contido dentro de um casulo de demonstração de 4 m de comprimento e pesa 350 kg (770 lb).

O trabalho de desenvolvimento e os testes de solo foram conduzidos nas instalações da Saab em Estocolmo, juntamente com a instalação experimental em um pilone da estrutura externa do Gripen. Superfícies semelhantes a asas serão usadas para conter suas antenas de baixa frequência.

“Nosso foco no momento é fazer o jammer de escolta – um pod para equipar algumas aeronaves para acompanhar um pacote de ataque”, diz Petter Bedoire, diretor de marketing e vendas de guerra eletrônica da Saab. Atualmente, essas tarefas devem ser executadas pela frota da Boeing EA-18G Growler, da Marinha dos EUA, observa ele.

Também está sendo desenvolvida uma versão destacável de jammer, que Bedoire descreve como “uma mosca irritante”, baseada em sua capacidade de gerar um alvo falso para confundir sistemas de defesa aérea inimigos.

A linha Arexis adapta equipamentos instalados no desenvolvimento do Saab Gripen E. Bedoire descreve o conjunto de sensores de nova geração – que já passou por extensos testes aéreos – como “de longe o mais avançado sistema de guerra eletrônica já instalado em um caça”. Os chamados sistemas de receptor e transmissor de quadrante, alojados dentro dos pilones nas pontas das asas da aeronave, podem fornecer uma capacidade de “spotlight jammer”, observa ele.

Sistema Arexis do Gripen E, instalado internamente

Embora o teste inicial de voo seja realizado a bordo de um Gripen antigo, a Saab também está promovendo a linha Arexis para uma possível integração em outros tipos de aeronaves, incluindo potencialmente o Eurofighter. A Alemanha tem um requisito Lubis para adquirir uma nova capacidade de jammer, e Bedoire diz que alguns trabalhos de estudo de instalação já foram realizados para avaliar o uso potencial dos equipamentos da empresa sueca com o Eurofighter ou o Panavia Tornado.

A Saab planeja realizar uma série de demonstrações de clientes com o equipamento, diz Bedoire, observando: “Dentro da Otan, há um aumento no interesse por essa capacidade”.

Rivais, incluindo a Elettronica e a Thales, também estão desenvolvendo equipamentos similares, mas Bedoire diz que, excluindo os ativos de propriedade norte-americana, “não existe hoje capacidade militar qualificada na OTAN”. A Saab acredita que poderia entregar um sistema operacional dentro de 12 meses a partir da obtenção de uma encomenda de lançamento, acrescenta.

FONTE: FlightGlobal

47
Deixe um comentário

avatar
11 Comment threads
36 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
32 Comment authors
Alexandre C NGFC_RJAlexandre FontouraFlankerNilton L Junior Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Caravaggio
Visitante
Caravaggio

Não vai ser usado no Gripen E?

João Moro
Visitante
João Moro

A resposta está no texto: não mas será adaptado ao Gripen E futuramente.

Mateus Lobo
Visitante
Mateus Lobo

O sistema virá integrado internamente no Gripen E, dispensando a necessidade do Pod.

Lyw
Visitante
Lyw

Este sistema é derivado do que foi criado para o Gripen E. É uma versão externa.

Augusto L
Visitante
Augusto L

Nao, tem nada integrado internamente.
O que o Gripen tem uma suite ECM, eletronic counter Measure + os dispensadores Britter Clouder, esses sim medidas de guerra eletrônica, mas puramente defensivos.
Já esse pod da materia é para se fazer o Stand Off Jammer, se a Fab o quiser, terá que comprar separadamente, até mesmo ps dispensadores Britter Cloud, eu acho que não viram nos nossos Gripen E.

Observador
Visitante
Observador

Interpretando o texto da matéria dá a entender que virá nativo no Gripen E. Vejamos… No 1° parágrafo diz o seguinte sobre o POD: “Um produto da família de equipamentos de guerra eletrônica Arexis da Saab” No 5° diz o seguinte: “A linha Arexis adapta equipamentos instalados no desenvolvimento do Saab Gripen E. Bedoire descreve o conjunto de sensores de nova geração – que já passou por extensos testes aéreos – como “de longe o mais avançado sistema de guerra eletrônica já instalado em um caça”. Os chamados sistemas de receptor e transmissor de quadrante, alojados dentro dos pilones nas… Read more »

Observador
Visitante
Observador
Observador.
Visitante
Observador.

Se o Gripen NG fizer tudo o que é mostrado nesses videos da pagina da Saab acima, vai ser um senhor caça.

Alexandre Fontoura
Visitante
Alexandre Fontoura

Augusto L, acho que você não entendeu. O pod jammer mostrado usa os itens utilizados no sistema Arexis já integrado ao Gripen NG. O BriteCloud é um sistema de contramedidas ativas usadas no Gripen NG (assim como nos Typhoon). Isso não impede que o Gripen NG use o pod externo, para ampliar sua capacidade de interferência eletrônica. Tanto o antigo EA-6 Prowler como o atual E/A-18G Growler usam várias unidades do mesmo pod interferidor AN/ALQ-99 para ampliar sua capacidade.

GFC_RJ
Visitante
GFC_RJ

Relato de articulista profissional é outra coisa… Grato, amigo!

Augusto L
Visitante
Augusto L

“Augusto L, acho que você não entendeu. O pod jammer mostrado usa os itens utilizados no 9sistema Arexis já integrado ao Gripen NG” Não, esse pod é um jammer stand off, o Gripen NG tem uma suite eletrônica da Arexis, mesma fabricante desse pod, mas não tem o jammer desse pod e este pod, não tem toda suíte eletronica toda do Gripen E/F nele. Vcs estão achando que é um pod, com toda a suite eletrônica do Gripen E/F, feito para ser uma suite Plug-in-Play nos Gripen legados, o que não é. “O BriteCloud é um sistema de contramedidas ativas… Read more »

torres
Visitante
torres

Sim

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

muito legal, atualmente, capacidade guerra eletrônica é fundamental, nem os caças furtivos contam somente com seus RCS baixo, eles tem sistemas de EW bem poderosos, como o F35 que tem o Barracuda.

Diogo
Visitante

Pessoal, o primeiro gripen não deveria ser entregue esse ano?

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

ele fica pronto esse ano, mas sua entrega só ano que vem.

Flanker
Visitante
Flanker

Diogo e Carlos, leiam as trocentas matérias sobre o Gripen NG que tem aqui no PA…..em muitas delas é falado sobre o cronogama de entrega dos Gripen da FAB. Nesse ano, 2019, será entregue o primeiro Gripen E da FAB, lá na Suécia, que já virá totalmente equipado para uma série de testes e avaliações, que serão realizados lá na Suécia. Em 2021, serão entregues os primeiros Gripen E para a FAB, aqui no Brasil. Em 2020 não haverá a entrega de nenhum Gripen para a FAB.

Luiz Floriano Alves
Visitante

Mas será que vamos ter que ler cada parte do Gripen, em teste? Que façam logo estes aviões. Parece fábrica de quintal que o produto pinga aos poucos. Se tivéssemos encomendado de um fabricante de peso, já estariam nas nossas bases. Chega de teste, até porque um produto militar deve ter suas qualidades reservadas. a menos que sejam do dominio publico e sem interesse maior.

Cristiano M. Maia
Visitante
Cristiano M. Maia

Chega de testes? kkkkkk, sem comentários!!!!

Alex Stelio
Visitante
Alex Stelio

Não sei se entenderes bem o que está escrito, o que está sendo desenvolvido para versão C/D do Gripe, já que no E esse sistema é nativo dispensando o uso do pod.

Augusto L
Visitante
Augusto L

Não é nativo.
O Gripen E ou N/G, não tem nenhuma capacidade de fazer jammer Stand Off.
A suite eletrônica do Gripen é composta por ECM/RWR e EW defensiva com os dispensadores Britter Cloud, que nem se sabe se a FAB o adotou.
Unico caça que tem uma capacidade eletrônica além da defensiva, através de dispensadores, é o Rafale, mais ainda sim, longe de ser uma verdadeira capacidade de um jammer Stand Off, como oo Growlers da USN.

Adriano Madureira
Visitante
Adriano Madureira

O Britter cloud já foi noticiado aqui que fará parte do Gripen-E…

Augusto L
Visitante
Augusto L

A Suecia usará nos seus, Adriano, não vi em nenhum lugar que a FAB o adotou, para os nossos.

Tem que lembrar que os dispensadores Britter Cloud, são Plug-in-Play, diferente do resto dos sensores eletrônicos embarcados do Gripen, então sinceramente não sei se a FAB, irá adota-lo.

Adriano Madureira
Visitante
Adriano Madureira

Qual fabricante de peso!? Aquele que poderia vender uns caças de prateleira mas que jamais passaria tecnologia embarcada ou que possivelmente em caso de atrito com algum vizinho, teríamos que pedir permissão para usar os caças contra tal ameaça?

Nilton L Junior
Visitante
Nilton L Junior

Amigo viúva é o que não falta quando o assunto é o JAS-39, não importa o que vai representar esse vetor na FAB, hoje é entrega amanhã é quantidade depois o preço e por ai vai.

BMIKE
Visitante
BMIKE

Penso que o gripen foi a melhor escolha, mesmo já tendo visto um SH a menos de 5 metros. Esse pod criando uma barreira eletromagnética e união com a baixa assinatura vai dar trabalho até para F35, quem viver verá.

Papan
Visitante
Papan

Concordo também!

Tiago
Visitante
Tiago

Amigo nossos Gripen não terão esse pod. Ele foi criado para dar aos Gripen C/D a capacidade de guerra eletrônica que o Gripen E já terá instalada.

Lyw
Visitante
Lyw

Exatamente, a matéria trata de um produto que é derivado daquele já existente no Gripen E. Para ser instalado externamente em outras aeronaves.

Alexandre Fontoura
Visitante
Alexandre Fontoura

Sim. Mas isso não impede seu uso no Gripen E/F externamente, ampliando a capacidade de interferência, do mesmo modo que o E/A-18G Growler usa até 3 pods AN/ALQ-99 externamente.

Carlos Gallani
Visitante
Carlos Gallani

Eu acho incrível o Gripen, uma boa escolha mas ficar falando que ele é o matador de Sukhois ou que dá trabalho pro F-35 me da uma vergoinha…

Augusto L
Visitante
Augusto L

Matador de Sukhois muito provavelmente ele é.
Agora q ganha do F-35…..

Nilton L Junior
Visitante
Nilton L Junior

Sim o cmte da Suécia também viaja a menos que ele esteja falando do Su-22.

Augusto L
Visitante
Augusto L

Esse é um pode para se fazer Jammer stand off, comparável, ao Growler.
Nenhum Gripen C/D ou E, tem essa capacidade, mas qualquer um deles poderar adotar o pod, se as respectivas forças aéreas que os operam adotarem o pod.
Creio eu que se a FAB, adotar o pod, que seja instalada em uma versão biplace.
O que ja condiz, com alguns relatos antigos, que a FAB tinha interesse em uma versão especializada em EW, so não sei, se vai ter dinheiro pra isso, rsrsrsr.

Observador.
Visitante
Observador.

A resposta dos americanos é sempre que tudo deles é melhor, perfeito e anti falhas. Assim como os Russos, Chineses, etc. Mas na pratica não é bem assim (O Vietnam que o diga). Não sei o quão eficiente vai ser o Gripen E, só dará para saber depois de ele ser testado em um combate real, mas acredito nas forças brasileiras mesmo com suas limitações. O grande trunfo destes países citados acima são os números. Números de aviões, veículos, embarcações, armas, pessoal, etc. Principalmente os números da área financeira. Mas se tratando de criatividade, coragem, audácia e táticas (principalmente em… Read more »

Tico
Visitante

Quando o então presidente Lula em 2009 decidiu que o caça da FAB seria o Rafale, muitos não aceitaram a decisão dele sobre a escolha dele ser o Rafale, disse que ele havia atropelado todo o certame, e passado por cima da FAB, mas a pelo que eu me lembro, a FAB disse que qualquer um dos três lhe atendia os seus requisitos, olhe que não estou aqui defendo o presidente da época, só que naquela época tivemos uma escolha para um caça.Tudo bem que já é de conhecimento do público que acompanhou todo o certame, que o Rafale é… Read more »

Ary
Visitante
Ary

O Gripen E/F já vem com essa tecnologia embarcada e de modo mais eficiente devido ao radar Raven ES-05 que possui contramedidas eletrônicas.

Gustavo
Visitante
Gustavo

No futuro não muito distante, em que os stealth’s começam a deixar de ser stealth’s pelas novas tecnologias aplicadas nos radares, apenas jammer’s vão continuar a dar uma real capacidade “stealth”(digamos assim). Ao exemplo dos combates simulados do Growler contra o F-22. “Bedoire descreve o conjunto de sensores de nova geração – que já passou por extensos testes aéreos – como “de longe o mais avançado sistema de guerra eletrônica já instalado em um caça”. Os chamados sistemas de receptor e transmissor de quadrante, alojados dentro dos pilones nas pontas das asas da aeronave, podem fornecer uma capacidade de “spotlight… Read more »

Carlos Gallani
Visitante
Carlos Gallani

Ahhh sim, no ano do Linux!

JSilva
Visitante
JSilva

Quando o comandante da Força Aérea sueca explicou que existem outras formas de ser furtivo, com o uso de guerra eletrônica, por exemplo, e o que é melhor, em guerra eletrônica cada um tem sua receita, vários foristas ficaram e até hoje ficam debochando. Pelo que entendi, na guerra eletrônica o inimigo precisa achar uma solução específica para aquele tipo de interferência, o comandante sueco explicou exatamente isso, como a Suécia é um país pequeno, os russos não perderiam tempo tentando decifrar a interferência eletrônica sueca, e sim a dos americanos e os grandes europeus (Rafale e Eurofigther), essa era… Read more »

Tiago
Visitante
Tiago

Sim, JSilva, é bem por aí mesmo. É claro que os russo, por exemplo, não estariam 100% indefesos contra as medidas e contramedidas dos suecos, mas entre estudar a fundo o F-22 e/ou o F-35 e os Gripen (em qualquer de suas versões), é óbvio que o Kremlin deve pender para os aviões dos EUA. Eles são uma ameaça muito mais preocupante que os suecos. E pra OTAN, vale exatamente o mesmo. No fim, todos têm “peixes maiores para fritar” e deixam os suecos em segundo plano. Os suecos, em contrapartida, parecem felizes em garantir uma defesa convincente de seu… Read more »

Bruno
Visitante
Bruno

Futuro pod para o nosso Gripen-F? Tomara!

Augusto L
Visitante
Augusto L

Se sobrar dinheiro, que seja desenvolvida uma versão especial biplace para abrigar esses pod, ou mesmo, modifique uma ja encomendada.
Um Gripen Growler, para FAB.
So não esquece de avisar para a FAB que ela tem de comprar misseis de cruzeiro aero-lançados stealth pra ter efeito desejavel.

Roberto
Visitante
Roberto

Bom dia,
Quanto custa um pod desses ?
Alguém tem idéia aproximada ?
Roberto

Bardini
Visitante
Bardini

Mil reais…
.
Sério… Como é que alguém pode saber o preço disso aí?

Luiz Paulo
Visitante
Luiz Paulo

O Augusto L esta desinformando. O Gripen E já tem o sistemas Arexis integrado sim. E o avião do Brasil é o mesmo da Suécia neste quesito. https://www.aereo.jor.br/2019/02/10/saab-gripen-e-sistemas-de-guerra-eletronica-e-sensores/ E esta própria matéria deixa isso bem claro: “A linha Arexis adapta equipamentos instalados no desenvolvimento do Saab Gripen E. Bedoire descreve o conjunto de sensores de nova geração – que já passou por extensos testes aéreos – como “de longe o mais avançado sistema de guerra eletrônica já instalado em um caça”. Os chamados sistemas de receptor e transmissor de quadrante, alojados dentro dos pilones nas pontas das asas da aeronave,… Read more »

Augusto L
Visitante
Augusto L

Arexis é uma empresa, não um sistema. O que o Gripen E/F tem são sensores ECM/RWR fabricados pela Arexis, como a imagem mostra, e não dispositivos de guerra eletrônica embarcados, apesar de os sensores RWR/ECM serem considerados parte da SUÍTE ELETRONICA de um avião, eles não são jammers. O unico jamme embarcado no Gripen E/F, são os dispositivos Britter Cloud, dispositivos defensivos e dispensáveis, ou seja, são alojados, como flares ou chaffs Já esse pod da matéria é um sistema EW stand off (como os usados no Growler) nenhum caça de 4,5 geração tem essa capacidade, nem mesmo os de… Read more »

Alexandre C N
Visitante
Alexandre C N

A Arexis é uma família de produtos da SAAB , não sei de onde você tirou que ela é uma empresa, no site da própria SAAB, press releases e sites de defesa estrangeiros sempre está claro que Arexis e uma família de produtos de guerra eletrônica da SAAB cujo primeiro produto é a suíte de EW do gripen E.