Home Asas Rotativas França lança o futuro HIL – Hélicoptère Interarmées Léger

França lança o futuro HIL – Hélicoptère Interarmées Léger

6941
45
Maquette H160M

PARIS – Florence Parly, ministra das Forças Armadas, visitou a unidade industrial da Airbus Helicopters em Marignane (Bouches-du-Rhône) na segunda-feira, 27 de maio, e revelou o modelo em escala real do futuro Hélicoptère Interarmées Léger, ou HIL, que será nomeado “Guépard” (Cheetah) em serviço francês.

Nesta ocasião, ela anunciou sua decisão de antecipar o lançamento do programa HIL para 2021, em vez de 2022, conforme previsto na Lei de Planejamento Militar (LPM) 2019-2025. As primeiras entregas dos 169 helicópteros Guépard – 15 a mais do que o planejado na LPM anterior – poderão ocorrer em 2026, em vez de 2028.

O programa HIL tem como objetivo equipar os três serviços com um único modelo de helicóptero leve para substituir os cinco atualmente em serviço, o mais antigo desde os anos setenta: Gazelle do Exército, Alouette III e Dauphin; o Panther da Marinha e os Fennecs da Força Aérea.

O H160, o mais recente da gama civil da Airbus Helicopters, foi selecionado em 2017 como a base de um novo helicóptero militar para atender às necessidades dos serviços. O conceito de frota única permitirá o compartilhamento de custos de desenvolvimento entre os três serviços. Também possibilitará otimizar o suporte, beneficiando-se dos efeitos de escala, por exemplo, para estoques de peças de reposição.

A retirada antecipada de frotas de helicópteros mais antigas, agora em serviço, gerará uma economia de cerca de € 100 milhões em termos de manutenção operacional (MCO).

Graças à sua modularidade e versatilidade, o Cheetah permitirá, para operações nacionais e internacionais, que o Exército realize missões de reconhecimento armado, apoio de fogo, infiltração de forças especiais ou evacuação médica; a Marinha para realizar missões antinavio, de proteção naval ou de salvamento marítimo; e a Força Aérea para fornecer proteção do espaço aéreo, busca e salvamento, ação profunda ou missões de inteligência.

A Direção Geral do Armamento (DGA) está actualmente realizando trabalhos para esclarecer o desempenho esperado e as características deste novo helicóptero.

Estudos de investigação básica conduzidos em paralelo devem promover tecnologias específicas para determinadas necessidades militares, em particular nas áreas de aviônica e radar. Em ligação com a Equipe das Forças Armadas, a DGA continuará a definir o helicóptero e seu sistema de apoio até o lançamento do programa.

Clique nas imagens para ampliar
Guépard da Força Aérea
Guépard do Exército
Guépard da Marinha

FONTE: Ministério das Forças Armadas da França

Subscribe
Notify of
guest
45 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
sergio
sergio
1 ano atrás

O que mais gostei foi das pás do rotor principal….um desenho um tanto “natural”….

peter nine nine
peter nine nine
1 ano atrás

2026… hum, já vão perder a oportunidade de concorrer nuns quantos programas de reequipamento.

Bardini
Bardini
1 ano atrás

Substituição de 5 tipos por apenas 1… Isso que é padronização.

Augusto L
Augusto L
Reply to  Bardini
1 ano atrás

4 tipos, o Dauphin é o Phanter. A França opera a versão militar e militarizada, mas é o mesmo helicóptero

Bardini
Bardini
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

???????
.
Tu não leu a parte onde diz que o H160 é um projeto novo?

Augusto L
Augusto L
Reply to  Bardini
1 ano atrás

Eu quis dizer que serão substituidos 4 helicópteros por 1 e não 5 por 1.

Tallguiese
Tallguiese
1 ano atrás

Lindão esse bicho ai. Parece um pantera melhorado tem o estilo dele

Bille
Bille
1 ano atrás

Buenas.

Venderam aquele abacaxi chamado H225M e agora vão trocar por um modelo menos ufanístico, de projeto mais alemão que francês.

Já dá pra devolver os H225M na concessionária?

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Bille
1 ano atrás

Ele e menor e tem capacidade de transporte inferior ao HM 225, razão de sua escolha. Queriamos um helicoptero de médio porte fabricado/montado aqui para gerar emprego. Ou era o HM225 ou o NH 90. Como o segundo e muito mais caro…..

Bille
Bille
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
1 ano atrás

Bom dia. Concordo que o abacaxi H225M é maior. Agora que “queríamos” um helicóptero de médio porte, é bem discutível. A negociata se deu por lobby, e as FA estão fazendo sua limonada dos limões que foram dados. Uma aeronave extremamente cara e pouco compensatória. O que “queríamos” eram aeronaves que voassem bem, e aguentassem o tranco. No caso, Blackhawks. Nem Dauphin (que uns insistem em chamar de pantera pra virar Panther) chega junto. A “pilha” principal por fazer a limonada foi dos antigos clientes dos franceses da frota. Pela FAB, acho que já teriam devolvido que sairia mais barato.… Read more »

João Souza
João Souza
Reply to  Bille
1 ano atrás

É pra outro tipo de missão. Se encaixaria no lugar do Pantera.

Tomcat4.0
Tomcat4.0
Reply to  João Souza
1 ano atrás

No lugar do Pantera e dos esquilinhos tbm !!!

FABIO MAX MARSCHNER MAYER
FABIO MAX MARSCHNER MAYER
Reply to  Bille
1 ano atrás

O “abacaxi” nos foi vendido há 10 anos, muito antes do projeto deste novo heli estar pronto!

Pedro Rocha
Pedro Rocha
Reply to  Bille
1 ano atrás

Mestre Bille, saudações! O mestre poderia me dizer por que o H225M é um “abacaxi”? Os heli militares infelizmente são um mau necessário, visto pela ótica de seus custos e seu emprego! A Helibras bem ou mal está situada aqui no Brasil, gerando empregos e impostos! Eu acho muito forte essa expressão que foi “empurrado goela abaixo” para as FA! Não vou entrar na besteira do nacionalismo mas sim no fato concreto dos “Empregos e Impostos”! O EB fez uma aquisição de oito Super Pumas, bem antes do programa HBx. Nessa licitação participou também o UH-60 e perdeu justamente por… Read more »

Blind Mans Bluff
Blind Mans Bluff
Reply to  Bille
1 ano atrás

Quanta besteira.

paulop
paulop
1 ano atrás

Aprende Brasil. Aliás seria muito interessante se no âmbito do MD houvesse um órgão semelhante à DGA francesa. Centralizar as compras obrigaria as três forças a pensar de forma integrada. Mas… Brasil né… daqui uns dias ultrapassamos a Índia.
Abraço

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  paulop
1 ano atrás

Tem razão. Há um Departamento de Produtos de Defesa no MD, chefiado pelo MB Barbacovi (da minha turma), que poderia assumir essa função. Já passou da hora de, pelo menos, padronizarem o camuflado.

Mosczynski
Mosczynski
Reply to  Rinaldo Nery
1 ano atrás

A McDonnell Douglas se juntou com a Boeing em 1997 se só ficou Boeing.

Bosco
Bosco
Reply to  Mosczynski
1 ano atrás

Mosczynski,
MD no caso é Ministério da Defesa.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Bosco
1 ano atrás

E MB é Major Brigadeiro.. vai que confundiu com Mercedes-Benz.

Merlin
Merlin
Reply to  Rafael Oliveira
1 ano atrás

Confundir MD com McDonnell Douglas foi épico!
Me lembrou da enciclopédia “Aviões de Guerra”. Nostalgia…

Jota Ká
Jota Ká
Reply to  Rafael Oliveira
1 ano atrás

Errei!
Pensei que fosse Martin Baker.
🙂

Mauricio R.
Reply to  paulop
1 ano atrás

Prefiro copiar a FMV.

Delfim
Delfim
Reply to  paulop
1 ano atrás

MD é para isso, uniformizar meios, recursos, símbolos, cada força tem um cocar, não para ser um ministério sem nada a fazer a não ser cabide de empregos.

Paulo Costa
Paulo Costa
Reply to  paulop
1 ano atrás

Acredito que uma agencia independe do MD para comprar, fomentar pesquisas e padronizar meios, técnicas e outros seria ideal…
a Suecia tem algo assim

FABIO MAX MARSCHNER MAYER
FABIO MAX MARSCHNER MAYER
Reply to  paulop
1 ano atrás

A experiência de “padronizar” as 3 forças no Brasil já existe: o H225M!

E a notória competência brasileira em economizar recursos gerou a aquisição de um heli que, apesar de bom, tem defeitos e não agrada nenhuma das 3 forças.

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  paulop
1 ano atrás

É o que tenho dito e escrito a tempos…… O problema não é que não sabem disso, é que não querem que isto seja implantado e advinha porquê?!

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Wellington Góes
1 ano atrás

Não faço idéia…

LEONARDO CORREIA BASTOS
LEONARDO CORREIA BASTOS
1 ano atrás

Pensei q a Airbus fosse alemã…

Vitor Silva
Vitor Silva
Reply to  LEONARDO CORREIA BASTOS
1 ano atrás

A Airbus é um consórcio, em que estão envolvidas empresas Francesas, Alemãs e também Espanholas ( antiga fabricante do Aviovar C-212), e que competem diretamente com a Boeing e também com uma outra empresa America que fabricava aviões da linha do DC-10 ( penso que se chamava McDogs…), não sei precisar melhor. já lá vão muitos anos.

Gabriel BR
Gabriel BR
1 ano atrás

Principio das peças intercambiáveis de Taylor , administração é ciência!

Gabriel BR
Gabriel BR
1 ano atrás

Bonito pra caramba !!!

Tomcat4.0
Tomcat4.0
1 ano atrás

Projeto muito bacana e com tudo pra crescer, helicóptero lindo. Creio que ainda veremos a versão do exército deles com braço de armamentos diferente ao estilo do Linx Wildcat. Isto que é padronização .

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
1 ano atrás

E a caixa MGB ?

Juarez
Juarez
Reply to  Carlos Alberto Soares
1 ano atrás

Continua exatamente a mesma.

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
1 ano atrás

Bonitão

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
1 ano atrás

Bonitão, queria um, mas com o custo Brasil só multimilionário para ter um brinquedo desses.

Rodrigo Maçolla
Rodrigo Maçolla
1 ano atrás

Nova Kombi ??

teropode
Reply to  Rodrigo Maçolla
1 ano atrás

Sim , renomeada de Multivan Join 2019 , repare a nova maquiagem .

Hawk
Hawk
1 ano atrás

Daulphin + Tiger = HIL !
Tirando a gozação, é um bicho muito bonito!

rdx
rdx
1 ano atrás

Novo Panther

Bueno
Bueno
1 ano atrás

achei bonito este “Guépard” é cheio dos penduricalhos, é suporte pendurado pra todos os lados…

Bavarian Lion
1 ano atrás

Esse vai ser um helicoptero de verdade.

JoseSarney666
JoseSarney666
1 ano atrás

Aqui no BR poderia substituir os Black Hawk, Panther e Super Lynx, embora os dois últimos tenham sido modernizados recentemente.