Home Aviação Comercial O que sobra da Embraer depois da venda para a Boeing

O que sobra da Embraer depois da venda para a Boeing

6477
90

A Força Aérea levanta dúvidas sobre o futuro da Embraer que sobrará após a venda da área comercial aos americanos da Boeing

Por Denyse Godoy – Exame

Enquanto avança o processo de formação da sociedade entre as fabricantes de aviões Boeing e Embraer na aviação comercial, novos detalhes sobre a negociação têm emergido.

Em um parecer sigiloso apresentado em dezembro, ao qual EXAME teve acesso, o comando da Aeronáutica diz que a primeira proposta feita pela empresa americana, no final de 2017, previa a aquisição de toda a operação da Embraer.

Na ocasião, segundo o documento, o governo avisou que vetaria a compra para preservar seu interesse estratégico na divisão militar, responsável por 8% das receitas da Embraer.

No formato final da transação, aprovada em fevereiro pelos acionistas, a seção de defesa e a de jatos executivos continuam sob controle nacional. Mas a Força Aérea levanta dúvidas sobre o futuro da Embraer que sobrará após a venda da área comercial aos americanos.

O relatório aponta que a área de desenvolvimento de produtos é atualmente compartilhada entre as unidades e deve ser transferida para a divisão comercial. Isso ameaçaria a competitividade das restantes.

O comando militar ainda indica que, pela competência da equipe de engenharia, a empresa brasileira teria papel fundamental em ajudar a Boeing a substituir seu modelo 737 Max, envolvido em duas grandes tragédias nos últimos meses. A parceria também resolveria “do dia para a noite” as dificuldades da Embraer em levantar capital para crescer. Para a efetivação do negócio, só falta a apreciação pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica.

FONTE: Exame

90 COMMENTS

  1. Acho que o governo e os militares devem parar de se preocupar com o passado e pensar no futuro. A aquisição já é um fato. Agora é buscar formas de tirar o máximo proveito desse negócio.

  2. Os fatos também a serem mencionados é que nos últimos dias a Boeing tem sofrido alguns revezes.
    Primeiro que companhias chinesas têm aterrado diversos aparelhos e estão entrando na Justiça buscando reparação de prejuízos.
    E ainda, semana passada, autoridades europeias e chinesas assinaram acordo facilitando a certificação de aparelhos europeus na China e chineses na Europa.
    Isso criará uma ‘facilidade’ apara operação dos aparelhos chineses MA-700, ARJ-21 e COMAC (segundo a reportagem).
    Isto demonstra um relacionamento especial entre eles.
    Sem contar que voltou à tona acusações de subsídios à Boeing na OMC
    Prevejo dias difíceis para a Boeing.

    • Exatamente.

      Conversei recentemente com um engenheiro da embraer, que trabalha na parte de sistemas. Ele foi enfatico:

      ”Nao sabemos se teremos condições de manter o mesmo nivel de capacidade de projeto que tinhamos antes”

      Investigação dos envolvidos na venda da unica parte rentavel da embraer já!!!

  3. Tenho uma humilde ideia para a Embraer Defesa e Segurança:

    Começar a pensar no projeto de um novo avião treinador a jato que possa também no futuro substituir o Super Tucano, Aproveitando o conhecimento adquirido junto a SAAB na fabricação de partes e projeto no Gripen NG; Como vimos recentemente esse mercado tende a ser lucrativo nas próximas décadas; um projeto mais simples, robusto, capaz e confiável, sendo mais barato pode roubar vendas do novo treinador da Boeing e assim tornar a Embraer forte de novo e dar um “up” no nosso orgulho nacional novamente. Um Drone de combate também seria uma ideia viável na minha opinião.

    • Eu sugiro que entre forte no ramo de fabricação de automóveis elétricos e híbridos, alem de drones, e carros voadores ou outro objeto voador novo como algum tipo de “ônibus voador” para até 60 passageiros. Isto é o futuro próximo.
      Nome consolidado no mundo inteiro já tem.
      Já imaginou um automóvel Embraer?

      • 23/05/19 – quinta-feira, bnoite, Athos, Embraer tem tudo para sair deste rolo, com a venda ela ficará com algum dinheiro; a mesma poderia se tornar realmente uma Holding de defesa, além das já pertencentes EDS, poderia aproveitar a construção das corvetas para também investir em defesa naval, adquirindo/comprando participação tipo o da BAE na Inglaterra, teríamos uma empresa naval, capitalizada, que poderia investir na construção de alguns navios patrulhas/corvetas/fragatas e depois de prontas oferecer a MB. Aí vão dizer MB, não tem verba, não será problema oferece para outras nações, pode acreditar que haverá várias nações que terão interesse em adquirir estes meios navais. Exemplo: a MB comprou três navios patrulhas oceânico que haviam sido construída para outra nação, foi só oferecer; e, vender é uma coisa que a Embraer sabe muito.

      • É muito mais provável que aconteça exatamente ao contrario pois a Embraer que sobrou deste acordo ainda é muito maior que a Avibras tanto em termos de capital como numero de funcionários e instalações.

    • Sugiro que a EDS se una à Engesa!
      Afinal, com o descontrole fiscal, por muitos anos não haverá investimentos relevantes nas FFAA.

    • Me desculpe te desanimar, mas acabou a embraer

      primeiro: levaram o melhor do pessoal na area de p&d e projetos. Nem mesmo os engenheiros que ficaram com o resto (que sobrou) da embraer sabem sobre o futuro da capacidade de projeto da embraer executivo + defesa

      segundo: a parte comercial era a unica rentável. A parte de defesa depende quase que exclusivamente do investimento do estado e sabemos como andam as finanças do nosso pais. A parte comercial servia como ”financiadora” digamos assim, do investimento na parte de defesa, graças a sazonalidade do investimento do governo

      caso ninguem tome alguma atitude para parar isso. Embraer acabou, esqueça….

      • Com o devido respeito. Sr. Canarinho e os outros engenheiros. Será que não haverá mais projetos. A Embraer Defesa não receberá nada pela parte que foi vendida? Dependerá da nova Empresa e da diversidade em procurar se envolver no mercado, no caso o militar. Esperemos os novos acontecimentos. Desculpe e grande abraço.

  4. Negócio … Apenas negócios…q seja
    Agora o choro e livre e o “comando “pode reclamar como se nada podesse fazer pra evitar o ocorrido..piada
    KC 390 pode ter sido o último grande projeto aeronáutico brasileiro no médio prazo ..o da Embraer “Br” ctz foi . e o fx-2 ..ou Gripen”Br” já nasce morto … parabéns aos envolvidos

    • Acho que dificilmente a divisão militar da
      Embraer sobreviverá com capacidade de produzir aviões. Vai mal e mal se tornar uma montadora de Gripens, isso se o país tiver condições de comprar mais uns 12 ou 20 aviões.

      • A área de defesa e segurança da Embraer morre no dia que o último kc e Gripen Br forem entregues …. Todo choro ou matéria paga por parte de algum ramo das forças armadas principalmente FAB hj se resume e pura hipocrisia …mas sem problemas .. daki a 20 anos a FAB manda uma nova concorrência pra se criar uma nova “Embraer” e pronto … Vamos pagar 4x o valor de mercado pela ..própin.. ops.. transferência de tt e pronto .. ficamos felizes novamente.. e assim vai …a MB tb entregou a lote de corvetas pra Embraer … Vai entender
        Engesa ontem … Embraer hj…vamos ver o q sobra

  5. Postei nas primeiras matérias sobre o tema que a EDS não sobrevive sozinha, e listei os motivos. Choveram críticas dos expert… A FAB poderia ter sido mais incisiva eassertiva para impedir a negociação. Há algo de podre no reino da Dinamarca.

    • Quem disse isso Felipe?? Alguns artigos de revistas ou colunistas”ispecializados”?? Voce nao percebe que nessa altura do campeonato ate mesmo uma declaracao que seja de um exceutivo da embraer falando que fez a venda para salvar a embraer parece suspeito??

      Tem muita grana envolvida, isso todos ja suspeitamos por varias razões. So nao percebe quem nao quer

      • Seu Canarinho novamente peço uma aparte. A empresa Embraer defesa começará uma nova etapa. Da mesma forma que a anterior deu muitos projetos. Acredito num futuro promissor se a politicagem e cabidão de empregos não vir a frente e desculpe a intromissão. Reitero meus respeitos.

    • Concordo. Projetos terão. Depende de empreendedorismo e gestão e não incorporar uma nova estatal que não gerará lucro. Empresas tendem a competir. ganhar ou perder este é o jogo. O estado poderá ter suas ações mais quem quiser participar que deem condições para novos investimentos surgirem através de parcerias, diversidade nos meios de produção, pesquisas…etc Abraços a todos.

    • O lance não era a área de defesa, o grande diferencial era a área de P&D, tanto que a Embraer usava muita coisa estrangeira.

  6. Ué, depois do leite derramado a FAB está se mostrando preocupada ? Sei não, eu sempre desconfiei do silêncio da FAB nessa questão toda, tem muito, mas muito caroço nesse angu.
    Mas enfim, agora já era, a parceria caracu já está feita mesmo.
    Os EUA jogando duro contra os chineses da Huawei, não conseguiram provar nada contra os chineses e mesmo assim estão destruindo um concorrente, já o Brasil…é melhor deixar pra lá, não somos um país sério mesmo.

    • Antes da venda .. silêncio “inocente” ou conformismo barato ( do mercado)… Depois da venda ..vem o choro hipócrita e materia “paga” posar isento..nossas forças armas hj compõem um bela Estatal … Visão estratégica militar? ..n sei se existe

    • Esse acordo ainda terá q passar pelo congresso, debate/discursão em comissões, depois plenário da câmara e do Senado….ainda temos instrumentos pra reverter

  7. “O parecer técnico da FAB, obtido com exclusividade por O Antagonista, indica o oposto.
    A fabricante americana, segundo o documento, é que precisava do portfólio de aeronaves da Embraer para manter a posição de liderança no mercado mundial.”

    Crime de lesa-pátria! O Comando fez vista grossa! E teve uma multidão de idiotas aqui que caíram no papinho mais furado que eu já vi de que a Embraer IA FECHAR com certeza absoluta 110% se não vendesse… Esses panacas devem ter comprado um Marea. Só pode.

    https://www.oantagonista.com/brasil/exclusivo-parecer-da-fab-indica-que-embraer-salvou-boeing/

  8. Todos sabemos do cenário pós aquisição da Bombardier pela Airbus mudou, e que uma parceria era necessária..mas compra? Desapontado com os militares que a meu ver eram as últimas instituições que realmente nutria amor pela bandeira, pelo que é nosso.
    Sugiro vender o exército brasileiro também, mercenários hoje geram receitas, basta ver o Grupo Wagner, BlackWater, privatiza e aproveita põe as ações do exército na bolsa de valores, pronto.

    Brincadeiras e lamentações à parte, o acordo deve passar pelo Congresso ainda, e esse relatório vazado terá relevância nas comissões. Para pelo menos melhorar o acordo.
    Antes que babacas venham falar asneira, protejer o que é seu nâo é comunismo, nem PT, nem sindicalismo…olha o esforço do ESTADO americano em defender suas empresas da China, cadê o “livre mercado” nesse caso da Huawey? O debate nâo é comunismo vs liberalismo, é você protejer ou nâo o que é seu, e a embraer mais do que uma empresa é um símbolo de orgulho nacional.

    A esquerdalha vai gritar muito, e talvez diante do absurdo consiga até impedir qualquer acordo…sugiro a direita que se mecha antes, fazer um abaixo assinado sei lá, pra melhorar esse acordo.

  9. É nisso que dá investir dinheiro público em compra de ToT e por tudo nas mãos de particulares, sem prever situações como esta em contrato. Os militares têm razão de estar preocupados.

    • Esse dinheiro publico a qual você se refere ja foi recuperado pelo pelo governo brasileiro muitas vezes através de impostos (federal, estadual e municipal) ao longo de todos esses anos desde que a Embraer foi privatizada em 1994 o que alias também a salvou da falência na época.

      • De acordo. Perfeito. E os impostos pagos pela empresa quando esta foi privatizada. Parece que o pessoal quer continuar com o cabidão de empregos que em certo momento só gerou prejuízos á empresa. Dinheiro público chega.

    • Sr. Foxtrot com o devido espeito. Nosso dinheiro, durante anos foi dado, jogado fora através de impostos para se manter a Embraer e outras empresas que tiveram seu propósito correto mais com o tempo se transformaram em cabidões. A Embraer Defesa pode ter parcerias de inovação com várias empresas: russas, chinesas, americanas, Tchecas desde que tenham liberdade para fazerem. Ponto de vista: Muita coisa pode ser feita vai depender de quem vai dirigi-la e buscar novos mercados. Nós mesmos temos altos e baios e não conseguimos nos erguer. Quantas empresas não tiveram esses percalços? Desculpe a minha intromissão. Gosto muito do assunto e aprendo. Empresas desse porte demoram meses anos para se erguerem e acredito que a Embraer defesa dará volta por cima. Grande abraço.

  10. Investigação já desse negocio podre de lesa pátria a nação brasileira

    Ha algo nojento ocorrendo nos bastidores do poder dessa nação. A questão eh: Quem executaria essa investigação? Me parecem que todos se acovardaram, todos se venderam, todos se omitiram? Como vamos ser uma grande nacao vendendo nossa espinha dorsal do nosso parque industrial aeronáutico?

    Onde estao os militares – brigadeiros e generais?????? Eles sabiam desde o inicio que isso iria ser a pá de cal na Embraer. Porque se omitiram? Se acovardaram? Alguém os ameaçou nos bastidores??

    Os militares e o presidente eram os únicos que podiam fazer frente a esse escárnio. Porque se omitiram?

    Trairam a todos nos. Essa terra desde a época dos índios eh terra explorada, o povo eh usurpado. Desde a epoca dos indios tentam comprar o povo dessa terra com presentinhos, bugigangas e em troca damos algo de real valor

  11. Pessoal vamos mandar cartas, para deputados, senadores contra esse crime contra a nossa nação. Se manifestem em redes sociais do presidente, generais. Vamos barrar esse absurdo no congresso

    • SR. Frederico.com o devido respeito. A Embraer Defesa está ainda se estruturando. Na verdade engatinhando. Acredito que será bom. Pode a empresa fazer investimentos, parcerias . Diversificar produtos. Será que apenas que apenas a empresa irá negociar com GF? A Embraer anterior teve o seu propósito e depois virou “cabidão”. Foi privatizada e pagou seus impostos. Não se pode ter medo. É ter um gestor competente, criar, diversificar, pesquisar e investir com outras empresas. Temos Rússia, China, Americanos, Tchecos… quem não deseja participar desse nicho. Meus agradecimentos e desculpe o incômodo.

    • Engraçado você dizer que não paga impostos para sustentar indústria aérea, justo você que tanta propaganda fez do kfir alguns anos atrás aqui no aéreo…

  12. Não basta ler, tem que entender …………..

    file:///C:/Users/Gamer/Downloads/190322_Embraer_Manual%20AGOE%202019_final.pdf

  13. Para mim só resta lastimar a venda da parte da aviação comercial da Embraer, mas se é verdade, e acredito que sim, o futuro sozinha poderia não ser promissor com a Airbus avançando muito firme no mercado associada a empresa canadense Bombardier. Desconfio que tem um dedinho nem que seja o dedo mindinho do Trump, pelo menos aplaudindo ou incentivando a expansão da Boeing, sem duvida é um bom negócio para a Boeing, tendo em vista o andar dos negócios, desejo sucesso a nova empresa e aos profissionais que a formarão, que devera ter brasileiros no seu quadro de funcionários.

  14. O governo da França é o principal acionista da Renault, com uma fatia de 15% na fabricante de automóveis. Tem poder de veto e só aceita fusão se não comprometer o mercado Francês…. Aqui é só fazer um acordozinho pé de chinelo com o governo que pode levar até as paredes. E com esse atual governo americano ter preferencia seja lá qual seja o acordo.

  15. E como fica o programa Gripen NG?, e aquela quantia toda para a transferencia de tecnologia? E o dinheiro investido no KC 390?

  16. Nunca vou me conformar com esta venda. Foi um dos piores negócios que o Brasil já fez, só comparado a compra e venda da refinaria de Pasadena.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here