Home Aviação de Ataque Suécia poderá operar os Gripen C/D além de 2030

Suécia poderá operar os Gripen C/D além de 2030

11913
59
Saab Gripen C e D junto a um Saab 340 AEW

A Suécia pretende estender a vida útil dos seus atuais caças para além de 2030, aumentando assim o tamanho da frota futura, projetada em 60 exemplares de modelos E sob encomenda.

A confirmação da decisão pode ocorrer quando Estocolmo publicar sua próxima lei de defesa de longo prazo em 14 de maio, cobrindo o período de cinco anos a partir de 2020.

“Se a Força Aérea Sueca continuar voando o Gripen C/D além de 2025-2026 – talvez até 2035 – será muito bom porque poderemos compartilhar o desenvolvimento do C/D com o E/F”, disse o executivo-chefe da Saab, Hakan Buskhe.

Atualmente a Força Aérea Sueca mantém uma frota ativa de 100 caças Gripen, mas seu comandante já expressou o desejo de aumentar esse número para um total de 120 unidades. A Saab foi contratada para produzir 60 caças da nova geração (modelo E) para a força aérea, sendo que os mesmos deverão entrar em atividade a partir do início da próxima década.

Em dezembro passado, Estocolmo alterou seus planos de produção para o E com componentes novos ao invés de reutilizar algumas peças dos caças atuais da versão C/D. Segundo o site FlightGlobal, os Gripen em serviço da Força Aérea Sueca têm entre quatro e 16 anos de idade.

Durante a apresentação dos resultados do primeiro trimestre do ano (ocorrida em 26 de abril) Buskhe disse que a possibilidade de estender a vida útil de alguns caças do modelo C/D “é uma ótima notícia para nós como empresa, porque significa que haverá mais aeronaves Gripen voando”.

“Também é bom para nossos clientes em todo o mundo”, acrescentou ele. Outros usuários do modelo atual são a República Tcheca, a Hungria, a África do Sul e a Tailândia.

Buskhe também mencionou o fato do Gripen E ser avaliado pela Suíça “durante o verão” (europeu). Lembrando que “há, é claro, algumas etapas que precisamos passar”, disse ele, “acreditamos firmemente que temos o produto certo”. A Saab apresentou uma oferta para fornecer à Força Aérea Suíça 30 ou 40 Gripen E. A decisão deve ocorrer em 2021.

A concorrência anterior realizada pela Suíça, quando o Gripen venceu, foi anulada por um referendo público ocorrido em 2014. O caça sueco enfrentará o Boeing F/A-18E/F Super Hornet, o Dassault Rafale, o Eurofighter Typhoon e o Lockheed Martin F-35 no processo atual.

Eurofighter Typhoon na Suíça - Foto Armasuisse
Eurofighter Typhoon na Suíça – Foto Armasuisse

A agência de aquisições Armasuisse da Suíça está realizando a avaliação dos caças sendo que a do Typhoon (acima) e do Super Hornet (abaixo) já foram concluídas. A atividade está programada para durar até o final de junho, com o Gripen sendo o último a ser avaliado, após o Rafale e o F-35.

Super Hornet na Suíça – Foto Armasuisse

FONTE: FlightGlobal (tradução e adaptação do Poder Aéreo a partir do original em inglês)

59 COMMENTS

  1. Ué, o Gripen E não era prioridade na Flygvapnet?! Os C não seriam, todos, substituídos pelos E?! Por que postergar tanto tempo assim?!

    A realidade, mais uma vez, batendo às portas.

      • E que tal aumentar o pedido de 60 para 100 aeronaves? Afinal, a lógica do discurso do SAAB era de que o E é muito, muito melhor e mais capaz do que o C (ainda mais com WAD a sua disposição). Assim, não há logica de continuar com os C, se os E estão logo aí.

        Ou então o E não é tudo isto e o custo-benefício de aquisição de mais modelos não vale a pena. Melhor continuar com os C (que possuem custos operacionais já conhecidos), só modernizando-os para os mesmo padrão dos E.

        Basicamente o que a própria Flygvapnet queria com o projeto Gripen 2010, ou seja, um Gripen E, com airframe do C/D, mas com aviônica e sistemas atualizados.

        Lembra disso aqui?!
        https://www.aereo.jor.br/2010/04/04/gripen-com-cft/

    • Eles vão atrasar a baixa de boa parte dos C/D exatamente pelo que o Galante mencionou, a Rússia. A extensão da vida dessa versão tem variáveis econômicas e de prazo, é mais rápido contar com C/D modernizados do que produzir novos E.

  2. Se a Suécia a medida que incorpora os caças E, vender os caças usados podem fazer dinheiro para financiar os novos caças.
    Mas se usá-lo até o osso poderá prejudicar seu orçamento militar.

    Apenas minha opinião.

  3. 01/05/19 – quarta-feira, btarde, Alexandre. Não é em tom de críticas, Suécia tem hoje 100 caças, querem elevar a frota para 120, mesmo sabendo do problemas de vigilância com a Rússia, mas, quero dizer que 36 para o Brasil com este imenso território não é nada, temos e devemos pelo menos dobrar a quantidade inicial.

      • Nosso objetivo é mais e porque ainda não começaram a se coçar , para quando vão comprar o outro caça , vemos hoje países pequenos com frota bem maior que a nossa . Deveriam investir mais nas nossas forças armadas , pois está defasada demais como querem defender o Brasil com o péssimo armamento que temos .

        • Diogo S. Bom dia!
          Investimos mais do que 180 países do mundo. Somos o 12° que mais investe no universo de 293 países. O problema é que as forças armadas existe mais oficial do que soldado. E temos as principais prioridade defender o sindicato dos militares. Mais nada, um cabide de emprego sem sentido algum.
          Onde temos mais ou menos 70 mil pessoas na aeronáutica com apenas 14 bombardeiro Apto a voar A1 e teremos menos de 40 F5 Apto a voar.
          Se vc quiser pegar todas as aeronaves aptas a decolar neste instante da FAB duvido que coloque 10 mil militares dentro.
          Na marinha uma vergonha muito maior se mandar agora para atacar em um país da costa africana por exemplo duvido que temos 20 embarcação aptas a ir para a guerra e duvido vc colocar 10 mil militares dentro destes navios. Mais o contingente chega com facilidade a 70 militar.
          Só general ativo tem mais de 300. Comendo camarão, caviar, etc.
          Então não peça por favor mais dinheiro
          Peça coerência nos gastos e gestão, manda embora 150 mil militares de carreira. E terá o dinheiro necessário. Começa a dispensa por aptidão física irá uns 70 mil embora fácil.

      • Nosso objetivo é pensão integral, o resto é conforme sobrar.
        Não tem orçamento hoje pros 82 bilhões de reais em pessoal e ainda sobrar para esse tamanho todo de frota não.

        • A realidade. De qualquer forma vai ter que sair mais encomendas de caças para o Brasil , em 15 anos os bicudos terão que ser totalmente substituídos, só 36 caças não dará conta , mas se serão mais Gripens ninguém pode afirmar .

    • Caro Vovozão, Tenho lido a mesma coisa sempre. Você acha mesmo que ficaremos somente com 36 F-39? Haverá mais dois lotes, o próximo será fechado na metade das entregas do primeiro e o terceiro no final das entregas do segundo lote, anota aí para me cobrar! A programação será de, mais ou menos, 100 F-39, no mínimo!

      Sei que vão escrever que sou maluco, doido, que viajo, mas, o tempo é o senhor da razão!!! Em economia chama-se Escala de Produção!

      • Boa Noite Marcelo Andrade,olha concordo contigo,mas também acho o seguinte o porque o Brasil não aceita a oferta dos EUA e comprauams células de uns F-16 ou F-15 até a chegada do gripen E NG, só pra falar uma lacuna que ficou aberta na nossa força aérea,já que a modernização dos mirage 2000 ficam muito mais caro,e por via FNS sairia muito mais barato para o Brasil!

        • Pelo amor de Deus, comprem alguma coisa dos EUA para os vira-latas sossegarem. Toda matéria é a mesma coisa: “porque não compra F-16 até os Gripens chegarem, porque não compra F-15 para fazer hi-lo com o Gripen (!!!), porque não compra F-35 ou F-18 para a MB”.
          Dai-me paciência …

          • Bom Dia JT8D,Qual o porque da ironia dizer que não precisamos de adquirir nada dos EUA se quase tudo o que consumimos vem dos EUA,eu só fiz uma observação porque vai ser muito tempo para chegada dos novos caças e pra cobrir uma lacuna e 36 caças é muito pouco para uma extensão territorial do Brasil foi isso que eu quis mostrar essa é a minha preocupação e outra os equipamentos oferecidos pelos EUA não são ruins,somente faz parte de um tratado entre as forças militares de ambos os Países!

          • Caro Ronaldo, você tem todo o direito de expressar sua opinião e o fato de eu discordar dela não é nada pessoal. Veja, hoje em dia até países ricos se preocupam com a padronização do equipamento militar. O custo de manter várias linhas logísticas é um desperdício muito grande. Por isso operar um caça sofisticado como o F-16 como um “tampão” seria algo que a FAB e o contribuinte brasileiro não teriam condições de arcar. Na minha opinião o ideal seria a FAB ter feito um leasing de Gripens C/D até a chegada do Gripen E, mas nem isso eles quiseram fazer. Numa eventual emergência acredito que essa seria a melhor opção.

        • Para o Chile é um bom número.
          Hoje eles possuem 46 F-16 + 12 F-5. Total de 58.

          Para um país com 18 mi de habitantes, 750 mil km2 e fronteira com 3 países. Acho que tá bom.

          Já para um gigante com PIB 7x maior, 210 mi de habitantes, 8,5 milhões de km2 e fronteira com 10 países, é um número ridículo.

          A Turquia investe U$ 10 bi a Menos do que nós e possuem PIB, população e território bem menor também é possuem 245 F-16.

          Acho que 180 Gripen seria o mínimo para se dizer que o Brasil faz um trabalho mais ou menos em Defesa.
          Sendo os 108 Gripen o mínimo para se dizer que o Brasil continua fazendo um trabalho fraco em Defesa.
          Menos do que isso é dizer que podem continuar rindo porque o Brasil continuará sendo uma Piada em Defesa.

          • Então se prepare para saber que nem fracos seremos. O Chile tem 7x menos pib, mas mais do que 10x menos gente. Não conheço o sistema previdenciário das forças armadas deles, mas duvido que seja estúpido igual ao nosso também. Com o que jogamos fora em defesa era pra termos coisa de 200 gripens, literalmente, mas preferimos ter efetivo grande e aposentadoria integral… Dava pra economizar só de jogar pra 35 anos, mas aí o sindicalista na presidência resolveu legislar pela classe e liberar junto disso um aumento salarial, ajudas de custo e o escambau, jogando a economia de 100b em dez anos para míseros 10b.
            10b a mais por ano em média pra aquisições seria interessante, 1b não faz diferença, mas pense positivo: teremos militares ganha do mais \o/ espero que salário vença guerras…

    • Penso o contrário, embora tenhamos problemas entre nossos vizinhos, atualmente, não temos com eles, se considerarmos o avanço que essas 36 aeronaves trarão, temos mais poder de dissuasão do que nunca, como o Galante já disse, a Suécia tem que ter muitas aeronaves pois a Rússia tá logo ali. Comparado com nossa frota atual 36 F39 é muito, lógico, poderia ser mais e deve, mas não temos tanta necessidade quanto países próximos da Rússia ou em áreas quentes como oriente médio e mar da China. O que acho desproporcional é o número de nosso contingente militar em comparação com países em áreas quentes e principalmente em nosso TO. Com todo respeito as opiniões divergentes.

      • Acaba com as FFAA então do jeitinho que fhc queria… não temos inimigos né gente fina… kkkk essa avaliação estratégica é nota 10 (zonas quents) kkkk

        • Chile terceiro mundo? Então nós somos uma nova categoria. O pib per capita chileno é bem maior do que o nosso, não se esqueça disso. Somos BEM mais pobres que o Chile.

    • A comparaçao nao faz sentido. As ameaças ao Brasil sao totalmente diferentes da Suécia, que está cercada de paises muito melhor armados do que os que nos cercam.

      A Argentina nem tem mais força aérea, assim como Uruguai, Paraguai e Bolivia. Colombia tem 12 Kfirs recauchutados. O Peru tambem opera precariamente avioes bons mas antigos (M2000, Mig29). A Venezuela está em colapso apesar te der Su-30 no inventario.

      O Brasil precisa apenas de um pequeno numero de avioes modernos como forma de dissuasao. Pra proteger fronteira se usa radar e drone, apoiados por vetores adequados como o Super Tucano. 36 Gripens e 36 AMX modernizados fecha a conta perfeitamente.

      O Brasil tem que priorizar a Marinha pq na nossa fronteira só tem mendigo. Se tem alguma ameaça real, ela virá por mar.

      • Não se esqueça que aviões também protegem o mar. Aliás, desde a WWII os aviões são peças fundamentais da guerra naval. Uma frota sem proteção de aviões é uma frota infinitamente mais fraca, seja por porta aviões em alto mar, seja com a força aérea menos distante da costa.

      • Kaliban de Greyhawk, se você fosse aluno de estratégia de guerra, depois dessa sua avaliação, deveria ser expulso da sala de aula…
        Pois seu comentário está carregado de incoerências…
        1. Vc diz que as ameaças ao Brasil são “”totalmente” diferentes” as da Suécia – (“”totalmente” diferentes”, então devem ser de ETs, de outro mundo, né? Explique-nos que ameaças totalmente diferentes são essas, se lá no seu último parágrafo citas ameaça vindo do mar, quem sabe até a mesma Força que ameaça a Suécia etc, ou outra igualmente Forte, né?).
        2. Também cita nossos vizinhos e suas péssimas condições para nos atacar – (Mas ora bolas, quando vc anda na rua se preocupa em ser atacado por criancinhas, por velhinhos, caminhando ao seu lado, ou pela aparição de um assaltante grande, forte e ainda armado, por um grupo de rapazes violentos?).
        3. Então, para arrematar sua consideração sobre criancinhas e velhinhos pobres ao nosso lado (nossos fracos e pequenos vizinhos) vc sugere que estamos bem com o que já temos – (mais uma incoerência aqui, pois se a nossa volta só temos vizinhos impotentes sem condições de nos ameaçar, então mesmo esta pequena quantidade de equipamentos, por vc citados, já se revela desnecessária e um desperdício de nosso dinheiro público, né?). Vamos todos darmos as mãos e e selar a paz duradoura, pois nem eles podem nos ameaçar e nem nós temos interesse em lhes prejudicar. Acabemos com nossas FFAA e economizemos. Eita!!
        4. A cereja do bolo, para lhe expulsar da sala de aula:
        “O Brasil tem que priorizar a Marinha pq na nossa fronteira só tem mendigo. Se tem alguma ameaça real, ela virá por mar.”
        – (outra incoerência e enorme, a maior contra tudo que vc antes afirmou… Ué! Surge um inimigo, apareceu, vc cogitou, agora uma ameaça real, e ela viria pelo mar… Mas então essa ameaça que percorre milhares de quilômetros não pode ser fraca, é poderosa, e mesmo se levando em conta esse fator de grande poder, aqueles poucos aviões por vc citados voariam, em rodízio de operações táticas, na defesa do nosso gigantesco litoral. Afinal, enquanto alguns estão saindo para interceptar os inimigos ameaçando em vários pontos, outros estão em manutenção, remuniciamento e abastecimento, logo jamais que esse punhadinho de caças atuais e pretendidos, que se dividiriam para vários locais e missões, dariam conta contra uma “AMEAÇA” “REAL”. (É impossível nosso pequeno número de caças estarem em todos os lugares necessários, e em boa quantidade para rodízio, e sem falar nas perdas que sofreríamos nos primeiros dias). Ainda, a proteção do nosso mar e da nossa Marinha, nesta situação, se faz com aviões impondo superioridade aérea. Mas vc acredita que exista na atualidade Marinha sem superioridade aérea?). Se esqueceu, ou não sabe, dos ataques e combates aéreos, contra a Marinha Inglesa, na Guerra das Malvinas? Que aquela guerra no mar acabou sendo travada e decidida no ar?
        5. Não se engane em suas novas avaliações de Defesa: “ameaça” contra um país, e para a qual ele deve estar antenado e preparado, não difere muito do que acontece com uma pessoa caminhando numa rua… Vc fica cheio de cuidados contra velhinhos e crianças (algo desnecessário evidentemente), ou contra valentões, bandidos e covardes?




        E incrível, que o mesmo tipo de comentário em relação a insistência na compra de F-16 ou F-15 para a FAB, que já assinou contrato para Gripen E-F-BR, é repetido na argumentação de que o Brasil não precisa de FFAA à altura de seu imenso espaço físico, pois não tem inimigos até onde a vista alcança, aqui na América do Sul, no Atlântico Sul e no Espaço Sideral Austral.
        Será, que esses comentaristas (insistentes de Brasil não tem inimigos), são vozes de um século remoto? Vindas de uma época onde não existia, navios, mísseis, submarinos e mísseis?
        Só pode.
        Pois nem com a atual Venefavela (mas que adquiriu uns foguetinhos de responsa), nos peitando, eles melhoram suas considerações. É muita cegueira estratégica ou são múmias vivas do século retrasado comentando aqui no PA.

        • Boa Tarde Farroupilha,só complementando o seu comentário e fazendo uma colocação se me permite, não podemos ficarmos desfazendo dos nossos vizinhos não,eles teem equipamentos melhores do que os nossos somente essa observação obrigado!

      • Bom Dia kaliban de Greyhawk,desculpa discordar de você mas é muita hipocrisia e demagogia dizer que o Brasil não tem inimigos declarados,pois bem eu não sei se você está acompanhando a crise no nossa vizinha Venezuela,onde o ditador sanguinário NICOLAS MADURO mandou as suas tropas colocarem na divisa com o Brasil suas baterias anti aéreas o S-300 e o Brasil é carente de defesa antiaérea o nosso exército não possui e mais os caças que temos não é pário para os SU-30 da Venezuela que tem uma avançada superioridade sobre os nossos F-5M e sobre os nossos AMX-A1BR,e 36 Gripen E NG é muito pouco caças para um País com grande extensão territorial igual ao Brasil é,o que não podemos é ficar dizendo as mesmas tolissess há não temos inimigos declarados então o Brasil não precisa de tantos caças assim,pois eu te digo precisa sim temos que pensar e olhar para frente e pensar grande e tratar de comprar um sistema de defesa antiaérea e rápido porque o Brasil precisa e com urgência,pra você ter uma idéia nós temos na nossa MB apenas 5 submarinos é muito pouco para proteger as nossas riquezas naturais a nossa Amazônia Azul no mínimo deveríamos ter uns 10 submarinos e é hora da nossa MB voltar a operar porta-avioes tambem,se os EUA podem operar 12 porta-avioes o Brasil também pode operar!

  4. Temos de torcer para o Gripen E levar pelo menos 2 das 3 concorrências ao qual concorre (Suíça, Finlândia e Índia), senão pode ficar bem complicado no futuro (spare parts, etc). Melhor nem considerar a concorrência canadense.

    O motor, pelo menos, não deverá ser uma situação tão crítica como o RR Spey dos A-1.

  5. Vovozao, acorda. A FAB perdeu, de uma vez, 20% da frota de bombardeiros A-1 porque não soube, sequer, estocar as células. Com uma força aérea dessas sai mais barato, ao país, dotar o exército de 6 baterias de sistemas Patriot do que comprar um segundo lote de gripens pra FAB deixar enferrujando no chão.

    • voçe realmente acredita nessa historia de corrosão ?acho masis provavel que em alguma epoca em que houve cortes altos no orçamento alguem do comando teve a brilhante ideia de retirar as peças das aeronaves estocadas para fazer a a tal “prateleira de peças”

    • Sou muito mais os S400 do que os Patriots, muito mais baratos e melhores mas como sempre acredito que os EUA travarão qualquer tentativa de compra por ser um sistema russo..

    • Boa Tarde Romão,olha eu concordo em partes contigo que devíamos investirmos em um sistema de defesa antiaérea ,mas também devemos sim termos uma maior quantidade de caças para fazer o policiamento aéreo para proteger as nossas fronteiras e até mesmo o nosso mar,seria interessante termos não só os Gripen mas também outros modelos de aviões de combate, porque não caças de 5° geração tambem tudo é possível,assim que nossa economia estiver estabilizada o nosso governo pode pensar nisso que seria um ganho muito grande para o Brasil

      • Nobre Ronaldo,
        A medida que conseguirmos limpar nossa Justiça (pois ali é o pior lugar para existirem corruptos) e ela voltar a funcionar para o povo brasileiro, e não para um grupo eterno de gangters engravatados; que implantarmos uma grande facilitação normativa (não burocrática) para nosso empresariado; nossos trilhões de dólares produzidos todos os anos vão aparecer, e nosso país vai ser um espanto de desenvolvimento acelerado para o mundo. Isso que a China fez nos últimos anos será fichinha perto do que faremos (uma das coisas com a qual a China não conta mas nós contaremos, será a entrada aqui de milhares de talentos pessoais de outros países que nos escolherão para viverem, receberemos aos milhares, de forma contínua, uma elite de cérebros de todo o mundo). Presentemente temos batendo à nossa porta um Brasil extraordinário, só não podemos dar ouvidos a guerra jornalística negativa (revanchista) ora em curso.
        Teremos trilhões para todos os nossos sonhos e projetos.
        Sds!

  6. Já foi comunicado que os J-39 C/D continuarão a ser oferecidos para exportação, a um custo inferior ao E/F, como opção de caça de 4G realmente barata, para competir com JF-17, Tejas, FA-50 e outros.
    .
    “Podemos compartilhar o desenvolvimento no C/D com o E/F”, ou seja, pode aparecer C/D com WAD e demais aviônicos desenvolvidos para o E/F.
    .
    Com relação à Suíça, acho que vai dar F-39 ou F-18, nesta ordem.

    • A boa notícia e ser o último a ser avaliado. Sabemos que existe um procedimento preestabelecido padrão para estes testes, porém, ser o último, da a equipe avaliadora, uma bagagem comparativa melhor frente as experiências anteriores.
      Sem ufanismo, o envelope de vôo do Gripen E caem muito bem as características topograficas da Suíça, sem falar que, é a opção de custo operacional mais barata frente aos demais, e fazendo no mínimo o mesmo, que os concorrentes para a demanda Suíça.

  7. A Suécia precisa de grandes quantidades e qualidade para se contrapor aos amigos Russos! kkk Apesar que os tempos mudaram, ninguém deve confiar sua defesa a uma possível ajuda externa.

  8. Boa noite pessoal! Visito o site todos os dias e praticamente nunca emito comentários, pois apesar de amar a aviação, não me acho apto a opinar sobre alguns assuntos. Mas confesso, tem cada comentário que começo a criar coragem para comentar também!! Meu Deus !!

  9. Eu ainda acho pouco 108 gripens para nos….msm aqueles que insistem na ideia que nao temos inimigos,isso so ocorre pq o Brasil é um país ainda fraco$$$ espera a economia ser impulsionada pra ver se ja n gerará cobiça aqui

  10. Olá pessoal,

    Isso representa algumas coisas simples:
    – Um avião não é lixo
    – Um avião não é velharia
    – Os caras respeitam o dinheiro público
    – Um incremento de capacidades assim não é o que vai fazer a Suécia continuar ou deixar de existir em caso de conflito

    Não é necessário criar teoria da conspiração para tudo.

  11. Um pais das dimensoes da Suecia com 120 caças demonstra o quanto o Brazil, sendo o pais mais rico de mundo em recursos naturais, deveria ter em suas FFAA para defender tais riquezas. Ou começamos a olhar nossas FFAA com a seriedade que elas merecem ou colocaremos nosso futuro nas maos de um invasor estrangeiro.

  12. Acredito que o Brasil deveria comprar essa versão C/D em grande quantidade até a chegada desses 36 da versão E.
    É somente uma opinião!!!!!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here