Home Forças Armadas Apresentação do Ministro da Defesa à Comissão de Relações Exteriores e Defesa...

Apresentação do Ministro da Defesa à Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional

2734
77

O Ministro da Defesa, general Fernando de Azevedo e Silva, fez uma apresentação à Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CREDN) no dia 10.04.2019, que pode ser conferida no vídeo acima.

O Ministro da Defesa apresenta muitas informações importantes e interessantes, tais como: aposentadoria dos militares, restruturação da carreira, incidente em Guadalupe, CLA, tratado de salvaguardas tecnológicas, etc.

Vale a pena assistir aos primeiros 48 minutos do vídeo para ter uma ideia dos desafios do Ministério da Defesa para tocar os projetos das Forças Armadas e adequar sua estrutura ao orçamento.

O leitor Gustavo Cordeiro, colaborou conosco e produziu uma planilha com os principais projetos das Forças Armadas, o quanto já se gastou de recursos públicos até hoje e o quanto está previsto para os próximos anos:

O Ministro da Defesa apresentou alguns slides interessantes, que ajudam a entender a situação orçamentária:

77
Deixe um comentário

avatar
10 Comment threads
67 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
26 Comment authors
FernandoEMBCleberCanarinhoCamargoerwagner Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

O programa KC-390 é mais caro que o Gripen, mesmo contemplando menos aeronaves.
Nas contas de padaria, um KC-390 é mais caro que um Gripen.
É bom o Brasil exportar bastante KC-390 para a FAB ganhar royalties a compensarem, ao menos em parte, o investimento vultoso realizado.

GFC_RJ
Visitante
GFC_RJ

Rafael, este valor do programa KC-390 está sumarizando o custo do desenvolvimento do avião com o custo da encomenda das 28 aeronaves.

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Sim, sem dúvida. Mas também estamos pagando mais caro no Gripen por participarmos um pouco do desenvolvimento da aeronave, fabricarmos partes dele aqui, montarmos parte de nossa encomenda no Brasil e a tal da ToT.
Se comprássemos da Suécia sem contrapartidas, certamente custaria mais barato do que foi contratado.
PS: consta R$ 7 bi de desenvolvimento e R$ 13,3 bi pela aquisição.

Fernando Turatti
Visitante
Fernando Turatti

na conta de padaria, pro Brasil cada gripen saiu de 120 a 130 milhões de dólares com isso aí tudo, num contrato de quase 5b de dólares por 36 unidades. A Suécia pagou 5,3b em 60. É o custo que pagamos pra ter tecnologia e licença de fabricação, que certamente não usaremos e precisaremos comprar de novo daqui 40 anos.

Adriano RA
Visitante
Adriano RA

Fico aqui pensando quanto os chineses pagaram para seus Hackers roubarem tecnologias do F-35… São muito “pragmáticos” esses chineses.. rsrsrs…

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Fernando. O pacote de F39 para a Suécia tem que ser mais barato porque eles já tem a infraestrutura para operar o aparelho, logística, pessoal treinado, etc. A FAB adquiriu os aviões, o treinamento, o suporte de instalação, a infraestrutura, etc. Provavelmente, um segundo lote de F39 para a FAB sairia bem mais barato.

Fernando Turatti
Visitante
Fernando Turatti

Se vier um segundo lote, claro. No caso, obrigatoriamente tem que ser mais barato, afinal, já temos a licença, infraestrutura e o escambau. Não sei se chega nos 88m pagos pela Suécia, mas já vai ficar mais palatavel.

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Fernando. Imagino que também não haveria pressa em adquirir mais armas, o que reduzirá o custo geral do pacote do segundo lote. Como estes novos aviões substituirão os antigos, o custo operacional da FAB será mais ou menos o mesmo.

Renan
Visitante
Renan

Para doar a Boeing todo o conhecimento adquirido com o AMX, gripen e KC-390. Fora os aviões comerciais.

Agnelo
Visitante
Agnelo

Acho um tanto quanto difícil q tenhamos desenvolvido tecnologia aeronáutica q a Boeing não tenha.

João Augusto
Visitante
João Augusto

Se você desconsiderar a expertise em desenvolvimento de projeto e execução de projeto, incluindo a administração de pessoal e de suprimentos, aí TALVEZ você esteja correto.
É quase como dizer que a montadora A de automóveis não tem nenhuma tecnologia que a B não tenha. Esse setor é muito vasto. É muito conhecimento científico aplicado pra dizer que a Boeing tem tudo que a Embraer tem.
Acho, respeitosamente, que você acha errado.

Agnelo
Visitante
Agnelo

Concordo contigo.
Mas realmente não acredito q eles precisem tanto de nós. Acredito q precisam do nicho q ocupamos.

Hélio
Visitante
Hélio

Pelo complexo de vira-latas o seu.
O interesse da Boeing na Embraer é justamente pela capacidade de projeto. Se a Boeing é tão boazuda assim, porque precisa comprar o capital intelectual e os projetos brasileiros?

Agnelo
Visitante
Agnelo

Não há complexo nenhum.
Não adianta bater asas no tabuleiro.
Não consigo visualizar o q nossa tecnologia militar, com todo respeito q tenho pela EMBRAER, com a A-1, pode agregar a quem produz o F/A-18 e o Apache.
Deve ter alguma coisa, sempre tem, mas critica? De relevância estratégica? Não sei, não.

Camargoer
Visitante
Camargoer

Creio que o interesse da Boeing era a carteira de clientes.

Fernando EMB
Visitante
Fernando EMB

Doar…. Kkkkkkkkkk

Todo o conhecimento…. Kkkkkkkkkk

Continue, está Hilário. Tu és um ótimo comediante.

Hélio
Visitante
Hélio

Excelente argumento.

Delfim
Visitante
Delfim

Sim, um KC-390 será mais caro que um F-39, afinal veja a diferença de peso e por conseguinte de materiais empregados em suas respectivas produções : um F-39 pesa vazio 16 toneladas, o KC-390 pesa 51 toneladas, mais do triplo.
.
E enquanto o F-39 só terá utilidade em combate, o KC-390 servirá para transportes diversos, reabastecimento, missões humanitárias, e pode ser usado secundariamente e/ou adaptado em busca e salvamento, combate a incêndios florestais, bombardeiro, gunship, AWACS, etc.
O KC-390 é um multiplicador de forças.
.
Por isso ainda acho 28 unidades para a FAB pouco. Devia ser 40.

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Aço e mesmo as ligas são relativamente baratas. Pela sua lógica uma Corveta Tamandaré de 3400 Toneladas custaria 66 vezes mais que o KC-390.
.
Aposto que o Gripen tem um recheio (radar, sensores, sistemas de armamentos, etc) muito mais caro que o KC-390.
.
Acho que 28 é muito. A FAB nunca teve simultaneamente 28 C-130 (acho que nem 20). Compraram bastante para diluir o investimento e tornar a operação rentável para as empresas envolvidas.

Marcelo Machado
Visitante
Marcelo Machado

Gráfico é feito do jeito que o expositor quer. Se mostrasse o valor absoluto de nossas despesas com as forças armadas, mostraria que gastamos muito mais do que muito país com equipamento e efetivo muito superior. Austrália, Canadá, Itália e Turquia gastam menos que o Brasil com forças armadas. E estão comprando F-35, S400 e outras coisas mais. Como explicar isso, senão pela previdência e com gastos com pessoal? Como eles conseguem?

Gabriel
Visitante
Gabriel

Pelo teu raciocínio “lógico”, com o mesmo orçamento “absoluto” uma família com 5 pessoas “tem” que ter o mesmo padrão de vida que uma família com 2 pessoas. Realmente faz todo sentido.

Marcelo Machado
Visitante
Marcelo Machado

Então vamos com dados! A Turquia tem 355,200 militares ativos.International Institute for Strategic Studies (14 February 2018). The Military Balance 2018. London: Routledge. ISBN 9781857439557). O Brasil tem um pouco menos. Preciso dissertar sobre a inferioridade do material Brasileiro?? Vai aqui um teaser: 354 Leopard 2, encomenda dos F35, produção local de heli de ataque, 245 F16 operacinais (é isso mesmo, quase 300), e eles tem sistema antiaéreo (72 MGM-140 ATACMS), mas estão negociando com os Russos algo melhor… Nós nem isso temos. Mais alguma dúvida?

Agnelo
Visitante
Agnelo

Análise simplória.
Quanto é pra manter aquele exército naquele tamanho de país com aquele tipo de terreno e clima?
Quais as missões q ele recebe daquele governo?
Qual a real condição de operação de seus homens e meios?
Que tipo de apoio tem de aliados?
Quanto de seu esforço econômico é empregado nas FFAA e como isso reflete na sociedade?
Qual o custo de manutenção de uma OM na Turquia?
Como as leis favorecem ou atrapalham contratos, compras, aquisições etc?

Gabriel
Visitante
Gabriel

Parabéns pela lucidez.
Infelizmente a maioria do comentarista aqui continua com o pensamento “super trunfo”.
Não fazem força ou não querem compreender a estrutura das FA brasileiras e suas missões.
Claro que existe muito espaço para as FA brasileiras melhorarem, isso é inegável.
Mas o “entendido” pega um dado “totalmente fora” de qualquer tipo de contexto e disserta uma tese de “como deveriam ser as coisas”.
Chega a ser desanimador em como o “debate fica raso” e com as idéias mais esdrúxulas possíveis.

Agnelo
Visitante
Agnelo

Prezado
O problema é q da área militar, todos dão palpite.
Eu não vejo ninguém dar palpite de diagnóstico médico.
A maioria das informações q se tem são distribuídas por fabricantes (q querem $$), por FFAA q querem dissuadir (é missão de todas as forças) e sao desconexas das informações q são reservadas, o q altera muuuuito o entendimento sobre um assunto.
Mas a discussão é boa, pq evidencia q há necessidade de esclarecimento.
Sds

Marcelo Machado
Visitante
Marcelo Machado

Com todo o respeito. A Turquia está do lado da Siria, em guerra civil, tem o problema grave do terrorismo Curdo, e passou por um recente golpe de Estado. Além de ser membro da Otan. São forças armadas muito muito muito mais demandadas que as nossas.

Agnelo
Visitante
Agnelo

Não acho. São circunstâncias completamente diferentes. O esforço pro patrulhamento de fronteira é hercúleo e são 13 Bda na faixa de fronteira. Mais q a maioria, se não todos, os exércitos da Europa. E essas tropas também se adestram e cumprem com “mão amiga”. Foram grandes eventos e operações GLO no RJ desde quando? Acho q o alemão começou em final de 2010. 8 anos de Operações quase diárias GLO, q é pior q pacificação. E as unidades também fizeram Adestramento e “mão amiga”. O Haiti durou mais de 10 anos, concomitante com isso, o q demanda três Bda com… Read more »

Gabriel
Visitante
Gabriel

Camarada, a cada comentário seu, sem nenhum tipo de contextualização, eu chego a conclusão que você simplesmente desconhece o assunto.

Já que a idéia é comparação descabida, o Brasil é infinitamente melhor que a Turquia em operacoes na selva, operações no pantanal e caatinga, operações em GLO. Nada existente na Turquia é parecido.

Kkkkkkkkk

Hélio
Visitante
Hélio

Acho que seu negócio é jogar supertrunfo.
Por acaso a Turquia paga a previdência militar com o orçamento da defesa? Não, nenhum país faz isso, isso é uma jabuticaba criada para dar uma pedalada no rombo da previdência. Hoje, os mesmos que criaram essa pedalada, colocam a culpa do rombo nos militares, que nem pagos com o dinheiro da previdência são.

Kommander
Visitante
Kommander

Que diabo de comparação mais sem noção, Gabriel…

João Augusto
Visitante
João Augusto

Obrigado, Kommander.

Augusto L
Visitante
Augusto L

Marcelo vc matou a cobra e mostrou o pau, parabéns.

Adriano RA
Visitante
Adriano RA

A diferença principal está no sistema previdenciário. Muitos desses países remuneram melhor seus militares enquanto estão em serviço, mas pouco se responsabilizam por eles quando se aposentam. O Brasil é o contrário. Complexidades a parte, o fato é que o orçamento das FAs está completamente comprometido com o pagamento de inativos e pensionistas. Uma enorme deformação… Como é a dos funcionários públicos de alto nível, em geral.

Marcelo Machado
Visitante
Marcelo Machado

Exato Adriano. Esse é ponto. Um passivo com as viúvas. Enorme. A questão das pensões dos “pracinhas” que nunca foram pra Italia e ficaram aquartelados. E todas as outras questões, que tem de ser enfrentadas na reforma da previdência. As FA são importantes demais e o Brasil é importante demais pra gastar com pessoal, e não ter sequer defesa aérea.

Caloro
Visitante
Caloro

Não da para o Sisfron ter gastado menos que o H-XBR!

Hélio
Visitante
Hélio

Esse gráfico mostra muito bem a política dos campeões nacionais, enquanto a Embraer e a Helibrás recebem boladas e são pagas, os projetos importantes não recebem quase nada.

Renan
Visitante
Renan

Deveria ter uma lei de não compromentimento de mais de 40% das verbas do ministério da defesa com gastos de salário (pensão, benefícios, auxílio, saúde,etc), o restante dos 60 % para gastar com gastos efetivos ( armamento, programa estratégicos, treinamento, etc).
E que corte pessoas para adequar o orçamento a estas leis.

Gabriel
Visitante
Gabriel

Nessa tua idéia “luminosa”, quem pagaria os gastos com as despesa de pessoal?
Eu voto para “ninguém” pagar!
Uma nova modalidade de Força Armada: ideal e alimentação apenas.

Renan
Visitante
Renan

Está escrito 40 %

Gorgoroth
Visitante
Gorgoroth

Ai tem “militar” que soltou essa pérola “tira o meu da reta” no caso da Venezuela.

Salário caindo e o verme sorrindo.

Agnelo
Visitante
Agnelo

Boa ideia!!
Acabar com as pensões e cortar salários!!!!
Ai, com metade do salário e sabendo q sua reserva e pensão da esposa estará comprometida, vc dá um blindado de quase 6 milhões pra um 3º Sgt, com uma cassetada de munição q custa um dinheirão, principalmente se desviada, e armamento caríssimo, principalmente se desviado…
Perfeito…
Nao se surpreenda se virar aquela tropa azul do filme…

João Augusto
Visitante
João Augusto

Agnelo, se boa remuneração fosse freio para corrupção nossos políticos e a elite do funcionalismo público seriam de uma honestidade e moralidade de outro mundo.
Essa justificativa para benefícios não cola.
P.S.: Se você seguir esse raciocínio então deve admitir que a pobreza gera violência e corrupção e, conseguintemente, mitigar os malfeitos dos pobres e desvalidos.

Hélio
Visitante
Hélio

Por que você não trabalha de graça para maximizar os lucros do seu patrão, então?
Eu me impressiono com essa autoimagem de sabichão do brasileiro, fala as maiores asneiras, é corrido pelos outros e ainda fica dando piruetas para justificar o que disse.

João Augusto
Visitante
João Augusto

Hélio, não entendi seu argumento e nem a quem você se referiu, mas eu sou profissional autônomo. Eu trabalho “de graça” para maximizar os lucros do meu patrão que, no caso, sou eu mesmo.
De qualquer modo, eu não entendi nada no seu argumento.

Renan
Visitante
Renan

Não é para cortar de quem trabalha, é para adequar o quadro a disponibilidade orçamentária.
Assim não iremos ter milhares de marinheiro por exemplo e apenas uma dúzia de navios de guerra.
Ou mesmo poucas aeronaves de guerra e milhares na aeronáutica.
Duvido se cortar a metade dos efetivos dessas forças seja possível na marinha colocar todos os que sobrar dentro dos navios de guerra que temos operando em mar e rios.
O mesmo vale para a FAB, duvido colocar metade do efetivos dentro das aeronaves que estejam aptas a decolar.

Augusto L
Visitante
Augusto L

Esposa e filha não tem que ter pensão, elas que trabalhem para ter seu proprio dinheiro.

Agnelo
Visitante
Agnelo

Filhas não tem. É como o civil. Até 21 anos. Se estiver na faculdade, até 24.
E muitas tentam trabalhar, mas as transferências atrapalham muito.
Não faça birra de garoto…

Hélio
Visitante
Hélio

Exatamente, o militar tem que morrer pelo país, mas o país não deve dar a mínima assistência para a família do militar morto, eles que morram de fome.
Eu pergunto, e você, trabalha? Eu duvido que algo assim saia de alguém com mais de 14 anos.
O melhor é que em qualquer país sério, quem fala isso corre o risco de levar um tapa na cara, nos EUA, quem diz isso tem a vida social destruída.

Calu
Visitante
Calu

E quantas das que hoje recebem tem maridos/pai que “””morreram pelo país””” ?
Pelo que sei a exceção virou regra…

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Os militares devem aproveitar esse Governo ao máximo para tentar manter privilegios. Principalmente no que diz respeito a aposentadorias. A integralidade e paridade devem acabar, bem como deve aumentar a contribuição previdenciária.

Agnelo
Visitante
Agnelo

Concordo totalmente!!!!
Em média, o militar ganhará, só com hora extra e noturna, o dobro!!!
Nossa!!! Seria muito bom!!!!!! O dobro!!!!!

Ahhhhhh pena q não tem $$ pra isso… nem q corte a metade das forças….
Uma pena….

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Nenhum funcionário público ganha hora extra ou adicional noturno.
Ficar após o horário é considerado a ‘bem do serviço público’.
Assim como remoções ex-ofício.
O máximo que pode ter é plantão com escala de folgas e eventual ajuda de custo temporária para a transferência.
Pode fazer isso nas F.A. que não tem problema algum.
Só falta militar exigir FGTS.
Conta outra que esse papo só pega desinformados.

Agnelo
Visitante
Agnelo

Conar outra pra moleque?
Não tente enrolar quem não conhece o funcionalismo público.
Eu conheço muitíssimo bem.
Não hora extra, mas há banco de horas.
Remoção ex-oficio é uma das coisas mais difíceis de ocorrer. Conta-se nos dedos de uma mão quantas há por ano.
Fazer isso nas FFAA denota q vc não entende e não conhece a rotina militar gritantemente.
Ou é mal carater ou é moleque.

São, em média, 7 serviços (plantões) por mês e uma semana fora de caso em exercícios, fora as operações.
E vai considerar isso como?
És um menino mesmo…

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Ótimo!
Faça banco de horas, mas acabe com aposentadoria integral.
Isso não existe mais em lugar nenhum do mundo.
Mau caráter é ter aposentadoria integral com 80 ou 90 anos de idade argumentando que é assim porque pode ser convocado a qualquer momento.
É só esperteza de brasileiro.
Ou a famosa Lei de Gérson.

Agnelo
Visitante
Agnelo

Gostei do banco de horas!
Vou trabalhar mês sim, dois meses não!!

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Isso. Faça como a PM.
Escala de serviço com salários equivalentes.
Aí, se houver uma guerra, lá pelos anos 2250, vcs podem invocar essa ‘convocação’ e sugerir aposentadoria integral.
Até lá, teto do INSS para todos e economia de trilhões para os cofres federais.

Agnelo
Visitante
Agnelo

Se vc conseguir levar pra frente, voto em vc!!!

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Fique tranquilo Agnelo. Será prioridade do próximo Governo.

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Agnelo. Creio ser muito difícil comparar diretamente profissionais liberais, CLT, servidores civis concursados e militares. Ainda acho bem difícil comparar servidores civis dos diferentes poderes. Imagino que existam apenas dois modelos. 1) a mesma regra (direitos e deveres) para todos ou 2) cada grupo ter regras ajustadas para suas realidades mas que os benefícios de uma classe não sejam garantidos por prejuízos para as outras. Os abusos precisam ser eliminados (se não fossem abusivos, seriam justificados, ora). Uma estrutura democrática é organizada com freios e contrapesos e a separação de poderes não significa autonomia para autoregulamentação. Senão vira astrologia… Read more »

Agnelo
Visitante
Agnelo

Perfeito. Exatamente isso.
Acrescento: com o cuidado de não se criar uma subclasse.
Sds

Adriano Luchiari
Visitante
Adriano Luchiari

Desta vez concordo com você kings, além dos itens que você elencou, as FA deveriam também passar por redução de efetivo, racionalização de recursos, profissionalização da tropa e fim do serviço militar obrigatório.

Agnelo
Visitante
Agnelo

Os 3 primeiros ítens estão sendo buscados e implementados.
O último é q é difícil.
O governo com maior aceitação, ou seja, legitimidade, segundo as pesquisas – q não necessariamente são verdadeiras, o Lula, não só não acabou com o SMO, como aumentou…

Leonardo Gama
Visitante
Leonardo Gama

O problema nem é tanto o governo, e sim o Congresso que é incapaz de racionalizar a estrutura e os investimentos das FA. Seguramente não existe política de Estado de longo prazo no Brasil.

Renan
Visitante
Renan

Vou fazer uma brincadeira
Juntando os AMX e os F5 em condições de vôo no mesmo dia duvido que chega a 80 caça.
Temos 84 oficiais generais na aeronáutica segundo uma tabela de 2013.
Somos em caso de combate imediato a força aérea mais capaz do mundo é só por os generais para pilotar, devido sua alta patente com certeza seremos vitoriosos.
80 pilota e os outro 4 coordena os ataques.
Kkkkkk

Flanker
Visitante
Flanker

A FAB tem 48 F-5 e 15 A-1…..

Adriano Luchiari
Visitante
Adriano Luchiari

Sendo assim Flanker, seguindo o raciocínio do Renan poderíamos ter algo em torno de 30 AMX e F-5 em prontidão…

Hélio
Visitante
Hélio

Se tivessem investido essa fortuna gasta no KC 390, que não agregou absolutamente nada ao país, em avionica e motores, estaríamos exportando e aumentado à décima potência a nacionalização dos projetos nacionais. Se queriam outro cargueiro que não o Hércules, o que também não faz sentido, que comprassem um projeto de fuselagem da Antonov e colocassem os sistemas e motores brasileiros. Aí eu pergunto, o projeto KC 390 valeu de quê? Agregou o que à tecnologia nacional? Absolutamente nada, lá no começo disseram que isso iria trazer conhecimento para o projeto de aviões civil de grande porte, agora veja só,… Read more »

Fernando EMB
Visitante
Fernando EMB

Chora Hélio…. O KC 390 está aí, a FAB vai receber os primeiros, e viabilizar a produção de aviões comerciais maiores nunca foi argumento (aliás isso não faz nenhum sentido).

Hélio
Visitante
Hélio

Chora o que, meu amigo? Chorar pelo dinheiro dos meus impostos sendo usados para o enriquecimento ilícito dos amigos do rei? Oras, vá lá ver a lista do BNDES e veja que a Embraer só não foi mais beneficiada que a Odebrecht, isso sem agregar em nada ao país. Diz aí, qual o índice de nacionalização desse “projeto nacional”. Qual a justificativa para gastar tanto dinheiro em projeto de fuselagem para no final usar componentes estrangeiros para sair do chão? Isso é projeto estratégico? Onde está o KC 390? Qual foi o ganho para o país? E os parceiros? Perigam… Read more »

Fernando EMB
Visitante
Fernando EMB

Não vou refutar seus argumentos porque estou chorando sim… De rir!!! Se você acha que o projeto KC390 não trouxe nada para o país, é a sua opinião, não a minha. O KC nunca foi pensado para viabilizar aviões comerciais maiores porque ele não tem nada a ver com um avião comercial. Se o ministro disse isso, é porque não entende nada de engenharia. Mas enfim. Não preciso argumentar nada, seria inútil. O KC390 está aí, certificado. A FAB vai receber o primeiro em breve. Outros virão.. Depois os de Portugal, depois te do próximo cliente… Talvez uma segunda linha… Read more »

Hélio
Visitante
Hélio

Claro que não vai argumentar, você não tem argumentos para defender isso, que nada mais é do que corrupção. Vamos lá, qual é a dificuldade em apontar os ganhos do KC 390? Essa é uma pergunta muito simples de ser respondida, você não responde porque já está mais que claro que tem gente recebendo dinheiro para defender a Embraer na internet, inclusive, seu padrão de postagem é muito parecido com o de outro MAV-Embraer de um conhecido fórum de defesa. O grande perigo aqui é que o KC não venda nem o que foi previsto anteriormente. Diz aí, se o… Read more »

FernandoEMB
Visitante
FernandoEMB

Como argumentar com quem simplesmente me acusa de estar recebendo para vir aqui postar? Você faz uma acusação grave: “Claro que não vai argumentar, você não tem argumentos para defender isso, que nada mais é do que corrupção.” – e cadê as provas? O KC-390 foi concebido pela Embraer e oferecido a FAB, esta viu ganhos em poder ter uma aeronave mais capaz que o C-130, gerando conhecimento e empregos no pais. E com o bônus de ter direito a royalties sobre vendas. Concordo que não é fácil vender neste mercado, mas a produção para a FAB começou agora e… Read more »

Canarinho
Visitante
Canarinho

Concordo Helio, temos urgentemente que nacionalizar componentes críticos como motores e aviônicos. Começo a questionar também este montante aplicado no KC 390

wagner
Visitante
wagner

Iria dar uma baita economia, acabar com as tais escolas preparatórias das 3 forças! Estamos no seculo 21 e não no seculo 20, avisa aos cmte´s das três forças! Bom feriado a todos.

Adriano Luchiari
Visitante
Adriano Luchiari

Ou ao menos reduzi-las a uma única escola: Escola Preparatória de Cadetes das Forças Armadas…Seria até uma forma de criar vínculos mais fortes entre os futuros oficiais das três Armas.

Cleber
Visitante
Cleber

É só diminuir o efetivo, e cortar as pensões que começa a sobrar dinheiro para investimento .

Camargoer
Visitante
Camargoer

Caro Cleber. Eu tenho a impressão que o efetivo das forças armadas brasileiras poderia ser menor, 10% ou 20%, mas isso não iria impactar tanto no orçamento. Anos atrás fiz uma pesquisa rápida sobre os orçamentos militares de diferentes países. A maioria gasta entre 50% e 70% do orçamento com pessoal (ativo e inativo), 10% a 15% em investimento e de 15% a 25% em custeio. O MinDef do Brasil tem um orçamento de 10% em investimento, 15% custeio e 75% em pessoal (35% inativo e 40% ativo). Esses valores mudam um pouco a cada ano. Uma empresa prestadora de… Read more »